Gênese

Gênese

CAPÍTULO 1

História da criação.

1 E aconteceu que o Senhor falou a Moisés, dizendo: Eis que te revelo acerca deste céu e desta terra; escreva as palavras que eu falo.

2 Eu sou o Princípio e o Fim; o Deus Todo-Poderoso. Por meu Unigênito eu criei essas coisas.

3 Sim, no princípio criei o céu e a terra sobre a qual estás.

4 E a terra era sem forma e vazia; e fiz com que a escuridão subisse sobre a face do abismo.

5 E o meu Espírito se movia sobre a face das águas, porque eu sou Deus.

6 E eu, Deus, disse: Haja luz, e houve luz.

7 E eu, Deus, vi a luz, e aquela luz era boa. E eu, Deus, separei a luz das trevas.

8 E eu, Deus, chamei à luz dia, e às trevas chamei noite. E isso eu fiz pela palavra do meu poder; e foi feito como eu falei. E a tarde e a manhã foram o primeiro dia.

9 E outra vez eu, Deus, disse: Haja um firmamento no meio das águas; e foi assim, mesmo enquanto eu falava. E eu disse: Que separe as águas das águas; e foi feito.

10 E eu, Deus, fiz o firmamento e separei as águas; sim, as grandes águas debaixo do firmamento, das águas que estavam acima do firmamento; e foi assim, mesmo enquanto eu falava.

11 E eu, Deus, chamei o firmamento de céu. E a tarde e a manhã foram o segundo dia.

12 E eu, Deus, disse: Ajuntem-se num só lugar as águas debaixo do céu; e foi assim. E eu, Deus, disse: Haja terra seca; e foi assim.

13 E eu, Deus, chamei a terra seca; e o ajuntamento das águas chamei-me mar.

14 E eu, Deus, vi que todas as coisas que eu tinha feito eram boas.

15 E eu, Deus, disse: Produza a terra erva; a erva produzindo semente; a árvore frutífera que dá fruto segundo a sua espécie; e a árvore frutífera, cuja semente esteja nela sobre a terra; e foi assim, mesmo enquanto eu falava.

16 E a terra produziu erva; toda erva que dê semente segundo a sua espécie; e a árvore frutífera, cuja semente deve estar nela, conforme a sua espécie.

17 E eu, Deus, vi que todas as coisas que eu tinha feito eram boas. E a tarde e a manhã foram o terceiro dia.

18 E eu, Deus, disse: Haja luminares no firmamento do céu, para separar o dia da noite; e sejam eles para sinais e para estações, e para dias e para anos, e sejam para luminares no firmamento do céu, para alumiar a terra; e foi assim.

19 E eu, Deus, fiz dois grandes luminares; a luz maior para governar o dia e a luz menor para governar a noite; e a luz maior era o sol, e a luz menor era a lua.

20 E as estrelas também foram feitas, conforme a minha palavra; e eu, Deus, os pus no firmamento do céu, para iluminar a terra; e o sol para governar o dia, e a lua para governar a noite, e para separar a luz das trevas.

21 E eu, Deus, vi que todas as coisas que eu tinha feito eram boas. E a tarde e a manhã foram o quarto dia.

22 E eu, Deus, disse: Produzam abundantemente as águas, a criatura móvel que tem vida, e as aves que podem voar sobre a terra, no firmamento aberto do céu.

23 E eu, Deus, criei as grandes baleias e toda criatura vivente que se move, que as águas produziram em abundância, conforme sua espécie; e toda ave alada, segundo sua espécie.

24 E eu, Deus, vi que todas as coisas que eu havia criado eram boas; e eu, Deus, os abençoei, dizendo: Sede fecundos, e multiplicai-vos, e enchei as águas do mar, e multipliquem-se as aves na terra. E a tarde e a manhã foram o quinto dia.

25 E eu, Deus, disse: Produza a terra o ser vivente conforme a sua espécie; gado e répteis, e animais da terra, conforme sua espécie; e foi assim.

26 E eu, Deus, fiz os animais da terra conforme a sua espécie; e gado conforme sua espécie; e tudo o que rasteja sobre a terra, conforme a sua espécie. E eu, Deus, vi que todas essas coisas eram boas.

27 E eu, Deus, disse ao meu Unigênito, que estava comigo desde o princípio: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; e foi assim.

28 E eu, Deus, disse: Domine eles sobre os peixes do mar, e sobre as aves do céu, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo réptil que rasteja sobre a terra.

29 E eu, Deus, criei o homem à minha imagem, à imagem do meu Unigênito eu o criei; macho e fêmea os criei.

30 E eu, Deus, os abençoei e lhes disse: Sede fecundos e multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; e domine sobre os peixes do mar, e sobre as aves do céu, e sobre todos os animais que se movem sobre a terra.

31 E eu, Deus, disse ao homem: Eis que vos dei toda erva que dá semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda árvore em que houver fruto de árvore que dê semente; para você será para carne.

32 E a todo animal da terra, e a toda ave do céu, e a tudo o que rasteja sobre a terra, a que eu dou vida, toda erva limpa será dada para alimento; e foi assim, mesmo enquanto eu falava.

33 E eu, Deus, vi tudo o que eu tinha feito, e eis que todas as coisas que eu tinha feito eram muito boas. E a tarde e a manhã foram o sexto dia.

CAPÍTULO 2

A história da criação continuou – Casamento instituído – O dia de descanso.

1 Assim foram terminados o céu e a terra, e todo o exército deles.

2 E no sétimo dia, eu, Deus, terminei minha obra e todas as coisas que eu havia feito; e no sétimo dia descansei de todo o meu trabalho; e todas as coisas que eu tinha feito estavam acabadas. E eu, Deus, vi que eram bons.

3 E eu, Deus, abençoei o sétimo dia, e o santifiquei, porque nele eu havia descansado de toda a minha obra que eu, Deus, havia criado e feito.

4 E agora, eis que vos digo que estas são as gerações do céu e da terra, quando foram criadas no dia em que eu, o Senhor Deus, fiz o céu e a terra, e toda planta do campo antes que estivesse na terra, e toda erva do campo antes de crescer;

5 Pois eu, o Senhor Deus, criei todas as coisas de que falei espiritualmente, antes que estivessem naturalmente na face da terra; porque eu, o Senhor Deus, não fiz chover sobre a face da terra.

6 E eu, o Senhor Deus, criei todos os filhos dos homens, e ainda não um homem para lavrar a terra, pois no céu os criei, e ainda não havia carne sobre a terra, nem na água, nem em o ar;

7 Mas eu, o Senhor Deus, falei, e subiu uma névoa da terra, e regou toda a face da terra.

8 E eu, o Senhor Deus, formei o homem do pó da terra, e soprei em suas narinas o fôlego da vida; e o homem tornou-se alma vivente; a primeira carne sobre a terra, o primeiro homem também;

9 No entanto, todas as coisas foram criadas antes, mas espiritualmente foram criadas e feitas, segundo a minha palavra.

10 E eu, o Senhor Deus, plantei um jardim ao oriente no Éden; e ali coloquei o homem que eu havia formado.

11 E do solo fiz eu, o Senhor Deus, brotar naturalmente toda árvore agradável à vista do homem, e o homem podia contemplá-la, e ela se tornou também uma alma vivente; pois era espiritual no dia em que o criei; pois permanece na esfera em que eu, Deus, o criei; sim, todas as coisas que preparei para uso do homem; e o homem viu que era bom para comer.

12 E eu, o Senhor Deus, plantei também a árvore da vida no meio do jardim; e também a árvore do conhecimento do bem e do mal.

13 E eu, o Senhor Deus, fiz sair um rio do Éden, para regar o jardim; e dali se partiu e se tornou em quatro cabeças.

14 E eu, o Senhor Deus, chamei o nome do primeiro Pisão, e circunda toda a terra de Havilá, onde eu, o Senhor, criei muito ouro; e o ouro daquela terra era bom, e havia bdélio e a pedra de ônix.

15 E o nome do segundo rio foi chamado Giom, o mesmo que circunda toda a terra da Etiópia.

16 E o nome do terceiro rio era Hidequel, o que vai para o oriente da Assíria.

17 E o quarto rio era o Eufrates.

18 E eu, o Senhor Deus, tomei o homem e o pus no jardim do Éden, para o lavrar e o guardar.

19 E eu, o Senhor Deus, ordenei ao homem, dizendo: De toda árvore do jardim podes comer livremente;

20 Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás;

21 Não obstante, podes escolher por ti mesmo, porque te é dado; mas lembre-se que eu o proíbo;

22 Pois no dia em que dela comeres, certamente morrerás.

23 E eu, o Senhor Deus, disse ao meu Unigênito que não era bom que o homem estivesse só;

24 Portanto, farei uma adjutora idônea para ele.

25 E da terra, eu, o Senhor Deus, formei todo animal do campo e toda ave do céu; e ordenou que fossem a Adão, para ver como ele os chamaria.

26 E eles também eram almas viventes; pois eu, Deus, soprei neles o sopro da vida e ordenei que tudo o que Adão chamasse a toda criatura vivente, esse deveria ser o nome dela.

27 E Adão deu nomes a todo o gado, e às aves do céu, e a todo animal do campo; mas quanto a Adão, não foi encontrada ajudadora idônea para ele.

28 E eu, o Senhor Deus, fiz cair um sono profundo sobre Adão, e ele dormiu, e eu peguei uma de suas costelas e fechei a carne em seu lugar; e a costela que eu, o Senhor Deus, havia tirado do homem, fiz uma mulher, e a trouxe ao homem.

29 E Adão disse: Isto eu sei agora é osso dos meus ossos, e carne da minha carne. Ela será chamada mulher, porque do homem foi tirada.

30 Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher; e eles serão uma só carne.

31 E ambos estavam nus, o homem e sua mulher, e não se envergonhavam.

CAPÍTULO 3

Rebelião de Satanás – agência, tentação e queda do homem.

1 E eu, o Senhor Deus, falei a Moisés, dizendo: Aquele Satanás, a quem ordenaste em nome de meu Unigênito, é o mesmo que existiu desde o princípio;

2 E ele veio diante de mim, dizendo: Eis que me envia; serei teu Filho e redimirei toda a humanidade, para que não se perca uma alma, e certamente o farei; portanto, dá-me a tua honra.

3 Mas eis que meu Filho amado, que foi meu amado e escolhido desde o princípio, me disse: Pai, seja feita a tua vontade, e a glória seja tua para sempre.

4 Portanto, porque Satanás se rebelou contra mim e procurou destruir o arbítrio do homem que eu, o Senhor Deus, lhe dera; e também que eu deveria dar a ele meu próprio poder; pelo poder de meu Unigênito fiz com que ele fosse derrubado; e ele se tornou Satanás.

5 Sim, sim, o diabo, o pai de todas as mentiras, para enganar e cegar os homens e levá-los cativos à sua vontade, todos os que não deram ouvidos à minha voz.

6 E agora, a serpente era mais astuta do que qualquer animal do campo que eu, o Senhor Deus, havia feito.

7 E Satanás o pôs no coração da serpente, porque atraíra muitos atrás dele; e ele também procurou enganar Eva, pois ele não conhecia a mente de Deus; portanto, ele procurou destruir o mundo.

8 E disse à mulher: Sim, disse Deus: Não comereis de toda árvore do jardim. E falou pela boca da serpente.

9 E a mulher disse à serpente: Podemos comer do fruto das árvores do jardim; mas do fruto da árvore que vires no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis, para que não morrais.

10 E a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis; porque Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, se abrirão os vossos olhos, e sereis como deuses, conhecendo o bem e o mal.

11 E quando a mulher viu que a árvore era boa para se comer, e que se tornou agradável aos olhos, e uma árvore desejável para torná-la sábia, ela tomou do seu fruto e comeu; e deu também a seu marido com ela, e ele comeu.

12 E os olhos de ambos foram abertos, e eles souberam que estavam nus; e coseram folhas de figueira e fizeram para si aventais.

13 E eles ouviram a voz do Senhor Deus, enquanto caminhavam pelo jardim, na brisa do dia.

14 E Adão e sua esposa foram esconder-se da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim.

15 E eu, o Senhor Deus, chamei a Adão e disse-lhe: Onde vais? E ele disse: Ouvi a tua voz, no jardim, e tive medo, porque vi que estava nu, e me escondi.

16 E eu, o Senhor Deus, disse a Adão: Quem te disse que estavas nu? Comeste da árvore da qual te ordenei que não comesses, se é que certamente morrerás?

17 E o homem disse: A mulher que tu me deste, e ordenou que ela ficasse comigo, ela me deu do fruto da árvore, e eu comi.

18 E eu, o Senhor Deus, disse à mulher: Que é isto que fizeste?

19 E a mulher disse: A serpente me enganou, e eu comi.

20 E eu, o Senhor Deus, disse à serpente: Porquanto fizeste isso, serás maldita mais do que de todo gado e de todo animal do campo; sobre o teu ventre andarás, e pó comerás todos os dias da tua vida;

21 E porei inimizade entre ti e a mulher; entre a tua semente e a semente dela; e ele te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

22 À mulher, eu, o Senhor Deus, disse: Multiplicarei grandemente a tua dor e a tua concepção; com dor darás à luz filhos, e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.

23 E a Adão, eu, o Senhor Deus, disse: Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher, e comeste do fruto da árvore de que te ordenei, dizendo: Não comerás dele, maldito será a terra por amor de ti; com dor comerás dela todos os dias da tua vida;

24 Espinhos e cardos também te produzirá; e comerás a erva do campo;

25 Com o suor do teu rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, porque certamente morrerás; porque dela foste tirado, porque tu eras pó, e ao pó te tornarás.

26 E Adão chamou o nome de sua esposa Eva, porque ela era a mãe de todos os viventes; pois assim eu, o Senhor Deus, chamei a primeira de todas as mulheres, que são muitas.

27 A Adão, e também a sua mulher, fiz eu, o Senhor Deus, túnicas de peles e os vesti.

28 E eu, o Senhor Deus, disse a meu Unigênito: Eis que o homem se tornou como um de nós, para conhecer o bem e o mal; e agora, para que não estenda a mão e não coma também da árvore da vida, e coma, e viva para sempre;

29 Portanto, eu, o Senhor Deus, o enviarei do jardim do Éden, para lavrar a terra de onde foi tomado;

30 Pois assim como eu, o Senhor Deus, vivo, assim também as minhas palavras não podem voltar vazias, pois, ao saírem da minha boca, devem ser cumpridas.

31 Então expulsei o homem e pus ao oriente do jardim do Éden, querubins e uma espada flamejante, que se voltava para todos os lados, para guardar o caminho da árvore da vida.

32 (E estas são as palavras que falei a meu servo Moisés. E são verdadeiras, assim como eu quero.

33 E eu as falei para você. Veja que a ninguém os mostre, até que eu te ordene, exceto aos que crêem.) Amém.

CAPÍTULO 4

Filhos e filhas nascidos de Adão — Oferta de sacrifícios — Redenção declarada — Satanás afasta o homem de Deus.

1 E aconteceu que, depois que eu, o Senhor Deus, os expulsei, Adão começou a lavrar a terra e a ter domínio sobre todos os animais do campo, e a comer o seu pão com o suor de seu testa, como eu, o Senhor lhe ordenara, e Eva também, sua esposa, trabalhou com ele.

2 E Adão conheceu sua esposa, e ela lhe deu filhos e filhas, e eles começaram a se multiplicar e a encher a terra.

3 E daquele tempo em diante, os filhos e filhas de Adão começaram a dividir-se, dois a dois, na terra, a cultivar a terra e a cuidar dos rebanhos; e eles também geraram filhos e filhas.

4 E Adão invocou o nome do Senhor, e também Eva, sua esposa; e eles ouviram a voz do Senhor, do caminho para o jardim do Éden, falando com eles, e não o viram; pois eles foram excluídos de sua presença.

5 E deu-lhes mandamentos para que adorassem ao Senhor seu Deus; e devem oferecer as primícias de seus rebanhos como oferta ao Senhor.

6 E Adão foi obediente aos mandamentos do Senhor. E depois de muitos dias, um anjo do Senhor apareceu a Adão, dizendo: Por que ofereces sacrifícios ao Senhor? E Adão disse-lhe: Não sei, salvo o Senhor me ordenou.

7 E então o anjo falou, dizendo: Esta coisa é uma semelhança do sacrifício do Unigênito do Pai, que é cheio de graça e verdade;

8 Portanto, farás tudo o que fizeres, em nome do Filho. E te arrependerás e invocarás a Deus, em nome do Filho para sempre.

9 E naquele dia, o Espírito Santo desceu sobre Adão, que presta testemunho do Pai e do Filho, dizendo: Sou o Unigênito do Pai desde o princípio, desde agora e para sempre; para que, como caíste, possas ser redimido, e toda a humanidade, mesmo quantos quiserem.

10 E naquele dia Adão abençoou a Deus e foi saciado e começou a profetizar a respeito de todas as famílias da terra; dizendo: Bendito seja o nome de Deus, porque, por causa da minha transgressão, meus olhos se abriram, e nesta vida terei alegria, e novamente, na carne, verei a Deus.

11 E Eva, sua esposa, ouviu todas essas coisas e se alegrou, dizendo: Se não fosse por nossa transgressão, nunca teríamos tido semente, e nunca teríamos conhecido o bem e o mal, e a alegria de nossa redenção, e o eterno vida que Deus dá a todos os obedientes.

12 E Adão e Eva abençoaram o nome de Deus; e deram a conhecer todas as coisas a seus filhos e suas filhas.

13 E veio Satanás entre eles, dizendo: Eu também sou filho de Deus, e ordenou-lhes, dizendo: Não acrediteis. E eles não acreditaram; e eles amavam a Satanás mais do que a Deus. E os homens começaram a ser carnais, sensuais e diabólicos.

CAPÍTULO 5

Satanás afasta o homem de Deus — Salvação pregada — Nascimento de Caim e Abel — Combinações secretas — Abel morto, Caim amaldiçoado — Segredos revelados pelas esposas de Lameque — A terra amaldiçoada.

1 E o Senhor Deus chamou os homens, pelo Espírito Santo, em todos os lugares, e ordenou-lhes que se arrependessem;

2 E todos os que cressem no Filho e se arrependessem de seus pecados seriam salvos. E todos os que não creram e não se arrependeram devem ser condenados. E as palavras saíram da boca de Deus, em um decreto firme, portanto devem ser cumpridas.

3 E Adão não cessou de invocar a Deus; e Eva também sua esposa.

4 E Adão conheceu Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz Caim, e disse: Adquiri um homem do Senhor; portanto, ele não pode rejeitar suas palavras. Mas eis que também Caim não deu ouvidos, dizendo: Quem é o Senhor, para que eu o conheça?

5 E ela novamente concebeu, e deu à luz seu irmão Abel. E Abel deu ouvidos à voz do Senhor. E Abel era pastor de ovelhas, mas Caim era lavrador da terra.

6 E Caim amou a Satanás mais do que a Deus. E Satanás lhe ordenou, dizendo: Faz uma oferta ao Senhor. E com o passar do tempo aconteceu que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor.

7 E Abel trouxe também das primícias das suas ovelhas, e da sua gordura; e o Senhor teve respeito por Abel e pela sua oferta, mas por Caim e pela sua oferta não teve respeito.

8 Agora Satanás sabia disso, e isso o agradou. E Caim ficou muito irado, e seu semblante caiu.

9 E o Senhor disse a Caim: Por que estás irado? Por que teu semblante está caído? Se fizeres bem, serás aceito, e se não fizeres bem, o pecado jaz à porta; e Satanás deseja possuir-te e, a menos que dês ouvidos aos meus mandamentos, eu te entregarei, e será a ti segundo o seu desejo; e tu o dominarás, porque de agora em diante tu serás o pai de suas mentiras.

10 Tu serás chamada Perdição, porque também foste antes do mundo, e no futuro se dirá que essas abominações vieram de Caim, porque ele rejeitou o conselho maior, que foi recebido de Deus; e esta é uma maldição que porei sobre ti, a menos que te arrependas.

11 E Caim se indignou, e não deu mais ouvidos à voz do Senhor, nem a Abel, seu irmão, que andava em santidade diante do Senhor.

12 E também Adão e sua mulher choraram perante o Senhor, por causa de Caim e seus irmãos.

13 E aconteceu que Caim tomou como esposa uma das filhas de seu irmão, e eles amaram a Satanás mais do que a Deus.

14 E Satanás disse a Caim: Jura-me pela tua garganta, e se o disseres, morrerás; e jura teus irmãos por suas cabeças e pelo Deus vivo que não o dirão; porque, se o disserem, certamente morrerão; e isto para que teu pai não o saiba; e hoje entregarei teu irmão Abel em tuas mãos.

15 E Satanás jurou a Caim que faria conforme os seus mandamentos. E todas essas coisas foram feitas em segredo.

16 E Caim disse: Verdadeiramente eu sou Mahan, o mestre deste grande segredo, para que eu possa matar e obter lucro. Por isso Caim foi chamado de Mestre Mahan; e ele se gloriava em sua maldade.

17 E Caim foi ao campo, e Caim falou com seu irmão Abel; e aconteceu que, estando eles no campo, Caim se levantou contra Abel, seu irmão, e o matou.

18 E Caim glorificou-se no que fizera, dizendo: Estou livre; certamente os rebanhos de meu irmão cairão em minhas mãos.

19 E o Senhor disse a Caim: Onde está Abel, teu irmão? E ele disse, eu não sei, eu sou o guardião do meu irmão?

20 E o Senhor disse: Que fizeste? A voz do sangue de teu irmão clama a mim do chão.

21 E agora serás amaldiçoado desde a terra, que abriu a boca para receber da tua mão o sangue de teu irmão.

22 Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra.

23 E Caim disse ao Senhor: Satanás me tentou, por causa do rebanho de meu irmão; e também fiquei indignado, porque aceitaste a sua oferta, e não a minha.

24 Meu castigo é maior do que posso suportar. Eis que hoje me expulsaste da face do Senhor, e da tua face me esconderei; e serei fugitivo e vagabundo na terra; e acontecerá que aquele que me achar me matará por causa das minhas iniqüidades, porque estas coisas não estão ocultas ao Senhor.

25 E eu, o Senhor, disse-lhe: Quem te matar, sete vezes a vingança será aplicada sobre ele; e eu, o Senhor, pus um sinal em Caim, para que ninguém o encontrando o mate.

26 E Caim foi excluído da presença do Senhor, e com sua mulher e muitos de seus irmãos, habitou na terra de Nod, ao leste do Éden.

27 E Caim conheceu sua esposa, e ela concebeu e deu à luz a Enoque, e ele também gerou muitos filhos e filhas. E ele edificou uma cidade, e chamou o nome da cidade pelo nome de seu filho Enoque.

28 E a Enoque nasceu Irad, e outros filhos e filhas, e Irad gerou Mehujael, e outros filhos e filhas.

29 E Mehujael gerou Methusael, e outros filhos e filhas. E Methusael gerou Lamech.

30 E Lamech tomou para si duas esposas, o nome de uma sendo Ada, e o nome da outra, Zillah.

31 E Ada deu à luz a Jabal; ele foi o pai dos que habitam em tendas, e eles eram criadores de gado; e o nome de seu irmão era Jubal, que era o pai de todos os que tocam harpa e órgão.

32 E Zillah, ela também deu à luz Tubal Cain, um instrutor de todo artífice em bronze e ferro; e a irmã de Tubal Caim chamava-se Naamah.

33 E Lamech disse a suas esposas, Ada e Zillah: Ouvi minha voz, ó esposas de Lamech; ouve a minha palavra, porque matei um homem para o meu ferimento, e um jovem para o meu dano.

34 Se Caim for vingado sete vezes, verdadeiramente Lamech será setenta e sete vezes.

35 Pois, tendo Lameque feito uma aliança com Satanás, à maneira de Caim, em que se tornou Mestre Mahan, mestre daquele grande segredo que foi administrado a Caim por Satanás;

36 E Irad, o filho de Enoque, tendo conhecido seu segredo, começou a revelá-lo aos filhos de Adão; portanto, Lameque, irado, o matou, não como Caim, seu irmão Abel, para obter lucro; mas ele o matou por causa do juramento;

37 Pois, desde os dias de Caim, havia uma combinação secreta, e suas obras eram às escuras, e eles conheciam cada um a seu irmão.

38 Portanto, o Senhor amaldiçoou Lameque e sua casa e todos os que fizeram convênio com Satanás; porque não guardavam os mandamentos de Deus. E isso desagradou a Deus, e ele não serviu a eles.

39 E suas obras eram abominações, e começaram a se espalhar entre todos os filhos dos homens. E estava entre os filhos dos homens.

40 E entre as filhas dos homens, essas coisas não foram ditas; porque aquele Lameque havia falado o segredo para suas esposas, e elas se rebelaram contra ele, e declararam essas coisas no exterior, e não tiveram compaixão.

41 Por isso Lameque foi desprezado e expulso, e não veio entre os filhos dos homens, para que não morresse.

42 E assim as obras das trevas começaram a prevalecer entre todos os filhos dos homens.

43 E Deus amaldiçoou a terra com uma maldição dolorosa, e ficou irado com os iníquos, com todos os filhos dos homens que ele havia feito, pois eles não deram ouvidos à sua voz, nem creram em seu Filho Unigênito, sim, aquele a quem ele declarado deve vir no meridiano do tempo; que foi preparado desde antes da fundação do mundo.

44 E assim o evangelho começou a ser pregado desde o princípio, sendo proclamado por santos anjos, enviados da presença de Deus; e por sua própria voz e pelo dom do Espírito Santo.

45 E assim todas as coisas foram confirmadas a Adão por uma santa ordenança; e o evangelho pregado; e foi enviado um decreto que deveria estar no mundo até o seu fim; e assim foi. Um homem.

CAPÍTULO 6

Adão adverte os homens a se arrependerem - Sete nasce - O sacerdócio é mostrado - Livro de gerações guardado - Satanás tem domínio - A promessa de Deus a Enoque - A visão de Enoque - Sua pregação.

1 E Adão deu ouvidos à voz de Deus e convocou seus filhos ao arrependimento.

2 E Adão conheceu sua esposa novamente, e ela deu à luz um filho, e ele chamou seu nome Seth.

3 E Adão glorificou o nome de Deus, pois disse: Deus me designou outra semente em lugar de Abel, a quem Caim matou.

4 E Deus se revelou a Sete, e ele não se rebelou, mas ofereceu um sacrifício aceitável como seu irmão Abel. E para ele também nasceu um filho, e ele chamou seu nome Enos.

5 E então começaram esses homens a invocar o nome do Senhor; e o Senhor os abençoou; e um livro de recordações foi guardado no qual foi registrado na língua de Adão, pois foi dado a todos os que clamavam a Deus escrever pelo Espírito de inspiração;

6 E por eles seus filhos foram ensinados a ler e escrever, tendo uma linguagem pura e imaculada.

7 Ora, este mesmo sacerdócio que era no princípio, será também no fim do mundo.

8 Agora esta profecia Adão falou, enquanto ele foi movido pelo Espírito Santo.

9 E foi mantida uma genealogia dos filhos de Deus. E este foi o livro das gerações de Adão, dizendo: No dia em que Deus criou o homem (à semelhança de Deus o fez), à imagem do seu próprio corpo, homem e mulher os criou, e os abençoou , e chamou seu nome Adão, no dia em que foram criados, e se tornaram almas viventes, na terra, sobre o escabelo de Deus.

10 E Adão viveu cento e trinta anos, e gerou um filho à sua semelhança, conforme sua própria imagem, e chamou seu nome Seth.

11 E os dias de Adão, depois que ele gerou Seth, foram oitocentos anos. E gerou muitos filhos e filhas. E todos os dias que Adão viveu, foram novecentos e trinta anos; e ele morreu.

12 Sete viveu cento e cinco anos e gerou Enos, e profetizou em todos os seus dias, e ensinou a seu filho Enos nos caminhos de Deus. Portanto, Enos também profetizou. E Seth viveu depois que ele gerou Enos, oitocentos e sete anos, e gerou muitos filhos e filhas.

13 E os filhos dos homens eram numerosos em toda a face da terra. E naqueles dias, Satanás tinha grande domínio entre os homens e se enfureceu em seus corações; e daí em diante vieram guerras e derramamento de sangue.

14 E a mão de um homem foi contra seu próprio irmão, administrando a morte, por causa de obras secretas, buscando poder. E todos os dias de Sete foram novecentos e doze anos; e ele morreu.

15 E viveu Enos noventa anos, e gerou Cainã. E Enos, e o restante do povo de Deus, saiu da terra que se chamava Sulon, e habitou na terra da promessa, a qual chamou pelo seu próprio filho, a quem chamara Cainã.

16 E viveu Enos, depois que gerou Cainã, oitocentos e quinze anos, e gerou muitos filhos e filhas. E todos os dias de Enos foram novecentos e cinco anos; e ele morreu.

17 E Cainan viveu setenta anos, e gerou Mahalaleel.

18 E viveu Cainan depois que gerou Mahalaleel, oitocentos e quarenta anos, e gerou filhos e filhas. E todos os dias de Cainã foram novecentos e dez anos; e ele morreu.

19 E Mahalaleel viveu sessenta e cinco anos, e gerou a Jared.

20 E viveu Mahalaleel depois que ele gerou Jared, oitocentos e trinta anos, e gerou filhos e filhas. E todos os dias de Mahalaleel foram oitocentos e noventa e cinco anos; e ele morreu.

21 E Jared viveu cento e sessenta e dois anos, e gerou a Enoque.

22 E Jared viveu, depois que gerou a Enoque, oitocentos anos, e gerou filhos e filhas. E Jared ensinou a Enoque em todos os caminhos de Deus.

23 E esta é a genealogia dos filhos de Adão, que era filho de Deus, com quem o próprio Deus conversou.

24 E eles eram pregadores da justiça, e falavam e profetizavam, e chamavam todos os homens em todos os lugares ao arrependimento. E a fé foi ensinada aos filhos dos homens.

25 E aconteceu que todos os dias de Jared foram novecentos e sessenta e dois anos; e ele morreu.

26 E Enoque viveu sessenta e cinco anos, e gerou a Matusalém. E aconteceu que Enoque viajou pela terra, entre o povo; e enquanto ele viajava, o Espírito de Deus desceu do céu e pousou sobre ele;

27 E ele ouviu uma voz do céu, dizendo: Enoque, meu filho, profetiza a este povo e dize-lhes: Arrependei-vos, porque assim diz o Senhor: Estou zangado com este povo, e minha ira feroz se acendeu contra eles; pois seus corações endureceram, e seus ouvidos estão embotados para ouvir, e seus olhos não podem ver ao longe.

28 E por essas muitas gerações, desde o dia em que os criei, eles se desviaram e me negaram e buscaram seus próprios conselhos no escuro; e em suas próprias abominações planejaram o assassinato e não guardaram os mandamentos que dei a seu pai Adão.

29 Portanto, eles se juraram, e por seus juramentos trouxeram sobre si a morte.

30 E um inferno preparei para eles, se não se arrependerem;

31 E este é um decreto que enviei no princípio do mundo, de minha própria boca, desde a sua fundação; e pela boca de meus servos, teus pais, o decretei; assim como será enviado no mundo, até o seu fim.

32 E quando Enoque ouviu estas palavras, ele se inclinou para a terra, diante do Senhor, e falou diante do Senhor, dizendo: Por que é que eu achei graça aos teus olhos, e sou apenas um rapaz, e todo o povo odeie-me, porque sou lento para falar; por que sou teu servo?

33 E o Senhor disse a Enoque: Sai e faz como te ordenei, e ninguém te traspassará.

34 Abre a tua boca, e ela se encherá, e eu te darei voz; porque toda a carne está em minhas mãos, e farei o que me parecer bem.

35 Dize a este povo: Escolhei hoje servir ao Senhor Deus que vos criou.

36 Eis que o meu Espírito está sobre ti; por isso justificarei todas as tuas palavras, e os montes fugirão de ti, e os rios se desviarão do seu curso; e tu permanecerás em mim, e eu em ti; portanto, caminhe comigo.

37 E o Senhor falou a Enoque, e disse-lhe: Unge os teus olhos com barro, e lava-os, e verás; e assim o fez.

38 E ele viu os espíritos que Deus havia criado, e ele também viu coisas que não eram visíveis ao olho natural; e daí em diante espalhou-se na terra a palavra: Um vidente o Senhor suscitou ao seu povo.

39 E aconteceu que Enoque saiu pela terra, entre o povo, de pé sobre as colinas e os lugares altos, e clamou em alta voz, testificando contra suas obras.

40 E todos os homens se ofenderam por causa dele; e saíram para ouvi-lo sobre os altos, dizendo aos guardas das tendas: Ficai aqui e guardai as tendas, enquanto vamos lá para ver o vidente, porque ele profetiza; e há uma coisa estranha na terra, um homem selvagem veio entre nós.

41 E aconteceu que, quando o ouviram, ninguém lhe pôs as mãos, porque sobreveio temor a todos os que o ouviram, porque andava com Deus.

42 E aproximou-se dele um homem, cujo nome era Maijah, e disse-lhe: Diz-nos claramente quem és e de onde vens.

43 E ele lhes disse: Eu saí da terra de Cainan, a terra de meus pais, uma terra de justiça até o dia de hoje; e meu pai me ensinou em todos os caminhos de Deus.

44 E aconteceu que, enquanto eu viajava da terra de Cainã pelo mar a leste, tive uma visão; e eis que vi os céus, e o Senhor falou comigo, e me deu mandamentos; por isso, para guardar o mandamento, pronuncio estas palavras.

45 E Enoque continuou seu discurso, dizendo: O Senhor que falou comigo, esse é o Deus do céu, e ele é meu Deus e vosso Deus, e vós sois meus irmãos; e por que vos aconselhais e negais o Deus do céu?

46 Os céus ele fez; a terra é o escabelo de seus pés, e o seu fundamento é dele; eis que ele a pôs, e hostes de homens trouxe sobre a sua face.

47 E a morte veio sobre nossos pais; no entanto, nós os conhecemos, e não podemos negar, e até mesmo o primeiro de todos nós conhecemos, mesmo Adão; para um livro de memória que escrevemos entre nós, de acordo com o modelo dado pelo dedo de Deus; e é dado em nossa própria língua.

48 E quando Enoque pronunciou as palavras de Deus, o povo tremeu e não pôde ficar de pé em sua presença.

49 E ele lhes disse: Porque Adão caiu, nós somos; e por sua queda veio a morte, e nos tornamos participantes de miséria e aflição.

50 Eis que Satanás veio entre os filhos dos homens e os tenta a adorá-lo; e os homens se tornaram carnais, sensuais e diabólicos, e foram excluídos da presença de Deus.

51 Mas Deus deu a conhecer a nossos pais que todos os homens devem se arrepender.

52 E invocou nosso pai Adão, por sua própria voz, dizendo: Eu sou Deus; Eu fiz o mundo e os homens antes que eles estivessem na carne.

53 E também lhe disse: Se queres, volta-te para mim e ouve a minha voz e crê e arrepende-te de todas as tuas transgressões e é batizado, sim, na água, em nome de meu Filho Unigênito, que é cheio de graça e verdade, que é Jesus Cristo, o único nome que será dado debaixo do céu, pelo qual a salvação virá aos filhos dos homens; e recebereis o dom do Espírito Santo, pedindo todas as coisas em seu nome, e tudo quanto pedirdes vos será concedido.

54 E nosso pai Adão falou ao Senhor e disse: Por que é que os homens devem se arrepender e ser batizados em água?

55 E o Senhor disse a Adão: Eis que te perdoei tua transgressão no jardim do Éden.

56 Por isso se espalhou entre o povo que o Filho de Deus expiou a culpa original, pela qual os pecados dos pais não podem ser respondidos sobre a cabeça dos filhos, pois eles são sãos desde a fundação do mundo.

57 E o Senhor falou a Adão, dizendo: Visto que teus filhos são concebidos em pecado, assim, quando começam a crescer, o pecado concebe em seus corações, e eles provam o amargo, para que saibam valorizar o bem.

58 E é-lhes permitido distinguir o bem do mal; portanto, eles são agentes para si mesmos.

59 E vos dei outra lei e mandamento; portanto, ensine a seus filhos que todos os homens, em todos os lugares, devem se arrepender, ou de modo algum herdarão o reino de Deus.

60 Pois nenhuma coisa impura pode habitar ali, ou habitar em sua presença; pois, na linguagem de Adão, Homem de Santidade é seu nome; e o nome de seu Unigênito é o filho do homem, sim, Jesus Cristo, um juiz justo, que virá no meridiano dos tempos.

61 Portanto vos dou o mandamento de ensinardes estas coisas livremente a vossos filhos, dizendo que por causa da transgressão vem a queda, que traz a morte; e visto que fostes nascidos no mundo pela água e pelo sangue e pelo espírito que eu fiz, e assim vos tornastes do pó uma alma vivente;

62 Assim também deveis nascer de novo no reino dos céus, da água e do Espírito, e ser purificados pelo sangue, sim, o sangue de meu Unigênito; para que sejais santificados de todo pecado; e desfrute das palavras de vida eterna neste mundo e vida eterna no mundo vindouro; mesmo glória imortal.

63 Pois pela água guardais o mandamento; pelo Espírito sois justificados; e pelo sangue sois santificados.

64 Por isso é dado que permaneça em vós, o testemunho do céu, o Consolador, as coisas pacíficas da glória imortal, a verdade de todas as coisas, o que vivifica todas as coisas, o que vivifica todas as coisas, o que conhece todas as coisas e tem todo o poder segundo a sabedoria, a misericórdia, a verdade, a justiça e o juízo.

65 E agora, eis que vos digo: Este é o plano de salvação para todos os homens, por meio do sangue de meu Unigênito, que virá no meridiano dos tempos.

66 E eis que todas as coisas têm a sua semelhança; e todas as coisas são criadas e feitas para dar testemunho de mim; tanto as coisas que são temporais, como as coisas que são espirituais; coisas que estão em cima nos céus, e coisas que estão na terra, e coisas que estão na terra, e coisas que estão debaixo da terra, tanto em cima como em baixo, todas as coisas dão testemunho de mim.

67 E aconteceu que, quando o Senhor falou com Adão, nosso pai, Adão clamou ao Senhor e foi arrebatado pelo Espírito do Senhor e foi levado para a água e foi colocado sob a água. , e foi tirado da água; e assim foi batizado.

68 E o Espírito de Deus desceu sobre ele, e assim ele nasceu do Espírito, e foi vivificado no homem interior.

69 E ele ouviu uma voz do céu, que dizia: Tu és batizado com fogo e com o Espírito Santo; este é o registro do Pai e do Filho, desde agora e para sempre;

70 E tu és segundo a ordem daquele que era sem princípio de dias nem fim de anos, de toda eternidade a toda eternidade.

71 Eis que tu és um em mim, um filho de Deus; e assim todos possam se tornar meus filhos. Um homem.

CAPÍTULO 7

Profecia de Enoque, sua pregação – Os céus choram – O descanso prometido à terra – Sião fugiu – A aliança continuou em Matusalém.

1 E aconteceu que Enoque continuou seu discurso, dizendo: Eis que nosso pai Adão ensinou estas coisas e muitos creram e se tornaram filhos de Deus; e muitos não creram, e pereceram em seus pecados, e aguardam com temor, em tormento, que o fogo da ira de Deus seja derramado sobre eles.

2 E daquele momento em diante, Enoque começou a profetizar, dizendo ao povo, que, enquanto eu estava viajando, e estava no lugar Mahujah, e clamei ao Senhor, veio uma voz do céu, dizendo: Voltai-vos e subam ao monte Simeão.

3 E aconteceu que me virei e subi ao monte; e enquanto eu estava no monte, vi os céus abertos e fui revestido de glória.

4 E eu vi o Senhor, e ele estava diante de minha face, e ele falou comigo, assim como um homem fala um com o outro, face a face; e ele me disse: Olha, e eu te mostrarei o mundo pelo espaço de muitas gerações.

5 E aconteceu que vi no vale de Shum, e eis! um grande povo que habitava em tendas, que era o povo de Shum.

6 E novamente o Senhor me disse: Olhe, e olhei para o norte, e vi o povo de Cainã, que morava em tendas.

7 E o Senhor me disse: Profetiza; e eu profetizei dizendo:

8 Eis que o povo de Cainã, que é numeroso, sairá em ordem de batalha contra o povo de Shum, e os matará, para que sejam totalmente destruídos.

9 E o povo de Cainã se dividirá na terra, e a terra será estéril e infrutífera, e nenhum outro povo habitará ali, senão o povo de Cainã; porque eis que o Senhor amaldiçoará a terra com muito calor, e sua esterilidade desaparecerá para sempre.

10 E uma escuridão caiu sobre todos os filhos de Cainan, que eles foram desprezados entre todos os povos.

11 E aconteceu que o Senhor me disse: Olha, e olhei e vi a terra de Sarom e a terra de Enoque e a terra de Omner e a terra de Heni e a terra de Sem, e a terra de Haner, e a terra de Hananias, e todos os seus moradores.

12 E o Senhor me disse: Vai a este povo e dize-lhes: Arrependei-vos; para que eu não saia e os fira com maldição, e eles morram.

13 E ele me deu um mandamento de que eu batizasse em nome do Pai e do Filho, que é cheio de graça e verdade, e do Espírito Santo, que dá testemunho do Pai e do Filho.

14 E aconteceu que Enoque continuou a convocar todo o povo, exceto o povo de Cainã, a se arrepender.

15 E tão grande foi a fé de Enoque, que ele liderou o povo de Deus, e seus inimigos vieram para batalhar contra eles, e ele falou a palavra do Senhor, e a terra tremeu e as montanhas fugiram, sim, de acordo com sua comando.

16 E os rios de água foram desviados do seu curso, e o rugido dos leões foi ouvido do deserto.

17 E todas as nações temeram muito, tão poderosa era a palavra de Enoque, e tão grande era o poder da linguagem que Deus lhe dera.

18 Também subiu uma terra das profundezas do mar; e tão grande foi o temor dos inimigos do povo de Deus, que eles fugiram e ficaram de longe, e foram para a terra que subia das profundezas do mar.

19 E os gigantes da terra também ficaram de longe; e saiu uma maldição sobre todo o povo que lutou contra Deus.

20 E daquele tempo em diante, houve guerras e derramamento de sangue entre eles; mas o Senhor veio e habitou com seu povo, e eles viveram em retidão.

21 E o temor do Senhor estava sobre todas as nações, tão grande era a glória do Senhor que estava sobre o seu povo.

22 E o Senhor abençoou a terra, e eles foram abençoados nas montanhas e nos lugares altos, e floresceram.

23 E o Senhor chamou seu povo de Sião, porque eram unos de coração e mente, e viviam em retidão; e não havia pobres entre eles.

24 E Enoque continuou sua pregação em justiça ao povo de Deus.

25 E aconteceu em seus dias que ele construiu uma cidade que foi chamada a cidade de Santidade, sim, Sião.

26 E aconteceu que Enoque falou com o Senhor e disse ao Senhor: Certamente, Sião habitará em segurança para sempre. Mas o Senhor disse a Enoque: Abençoei Sião, mas amaldiçoei o restante do povo.

27 E aconteceu que o Senhor mostrou a Enoque todos os habitantes da Terra e ele viu, e eis! Sião no decorrer do tempo foi elevada ao céu.

28 E o Senhor disse a Enoque: Eis minha morada para sempre.

29 E Enoque também viu o restante do povo que era os filhos de Adão, e eles eram uma mistura de toda a semente de Adão, exceto a semente de Caim; porque a semente de Caim era negra, e não tinha lugar entre eles.

30 E depois que Sião foi elevada ao céu, Enoque viu, e eis que todas as nações da terra estavam diante dele; e vieram geração após geração.

31 E Enoque foi elevado e elevado, mesmo no seio do Pai e do Filho do Homem; e eis que os poderes de Satanás estavam sobre toda a face da Terra; e viu anjos que desciam do céu, e ouviu uma grande voz, que dizia: Ai! ai! seja para os habitantes da terra!

32 E ele viu Satanás, e ele tinha uma grande corrente em sua mão, e ela cobriu toda a face da terra com trevas; e ele olhou para cima e riu, e seus anjos se regozijaram.

33 E Enoque viu anjos descendo do céu, prestando testemunho do Pai e do Filho.

34 E o Espírito Santo caiu sobre muitos, e eles foram arrebatados pelos poderes do céu para Sião.

35 E aconteceu que o Deus do céu olhou para o restante do povo e chorou; e Enoque deu testemunho disso, dizendo: Como é que os céus choram e derramam suas lágrimas como a chuva sobre as montanhas? E Enoque disse ao Senhor: Como é que podes chorar, visto que és santo, e de toda a eternidade para toda a eternidade?

36 E se fosse possível que o homem pudesse numerar as partículas da terra, sim, e milhões de terras assim, não seria um começo para o número de tuas criações;

37 E tuas cortinas ainda estão estendidas, e tu estás ali, e teu seio está ali; e também, tu és justo, misericordioso e bondoso para sempre;

38 Tu levaste Sião para teu próprio seio, de todas as tuas criações, de toda eternidade a toda eternidade; e nada além de paz, justiça e verdade é a habitação do teu trono; e a misericórdia irá adiante da tua face e não terá fim. Como é que você pode chorar?

39 O Senhor disse a Enoque: Eis que estes teus irmãos são obra de minhas próprias mãos e dei-lhes sua inteligência no dia em que os criei.

40 E no jardim do Éden dei ao homem o seu arbítrio; e a teus irmãos disse e também dei mandamento que se amassem uns aos outros; e que eles deveriam me escolher seu Pai.

41 Mas eis que eles não têm afeição e odeiam o seu próprio sangue; e o fogo da minha indignação se acendeu contra eles; e no meu desagrado enviarei as inundações sobre eles; porque a minha ira se acendeu contra eles.

42 Eis que eu sou Deus; Homem de Santidade é o meu nome; Man of Counsel é o meu nome; e Infinito e Eterno é meu nome também. Portanto, posso estender minhas mãos e segurar todas as criações que fiz, e meu olho também pode perfurá-las.

43 E entre toda a obra de minhas mãos não houve tanta maldade como entre teus irmãos; mas eis que seus pecados recairão sobre a cabeça de seus pais; Satanás será seu pai, e a miséria será sua condenação; e todos os céus chorarão sobre eles, toda obra de minhas mãos.

44 Por que não chorarão os céus, visto que estes sofrerão? Mas eis que estes para os quais os teus olhos estão, perecerão nos rios; e eis que eu os fecharei; uma prisão preparei para eles, e aquele a quem eu escolhi pleiteou diante de mim;

45 Portanto, ele sofre por seus pecados, se eles se arrependerem, no dia em que meus escolhidos retornarem para mim; e até aquele dia estarão em tormento.

46 Por isso chorarão os céus, sim, e toda a obra de minhas mãos.

47 E aconteceu que o Senhor falou a Enoque e contou a Enoque todos os feitos dos filhos dos homens.

48 Portanto, Enoque conheceu e contemplou sua iniqüidade e sua miséria; e chorou, e estendeu os braços, e seu coração inchou como a eternidade, e suas entranhas ansiaram, e toda a eternidade tremeu.

49 E Enoque também viu Noé e sua família, para que a posteridade de todos os filhos de Noé fosse salva com uma salvação temporal.

50 Portanto, Enoque viu que Noé construiu uma arca, e o Senhor sorriu para ela e a segurou em sua própria mão; mas sobre o resto dos ímpios vieram os dilúvios e os engoliram.

51 E como Enoque viu assim, ele teve amargura de alma e chorou por seus irmãos e disse aos céus: Eu me recusarei a ser consolado.

52 Mas o Senhor disse a Enoque: Levanta o teu coração e alegra-te, e olha. E aconteceu que Enoque olhou, e de Noé viu todas as famílias da terra, e clamou ao Senhor, dizendo: Quando virá o dia do Senhor? Quando será derramado o sangue dos justos, para que todos os que choram sejam santificados e tenham a vida eterna?

53 E o Senhor disse: Será no meridiano dos tempos; nos dias de maldade e vingança.

54 E eis que Enoque viu o dia da vinda do Filho do Homem, sim, na carne; e a sua alma se alegrou, dizendo: O justo é exaltado; e o Cordeiro foi morto desde a fundação do mundo; e pela fé estou no seio do Pai; e eis que Sião está comigo!

55 E aconteceu que Enoque olhou para a terra e ouviu uma voz de suas entranhas, dizendo: Ai! ai! sou eu, a mãe dos homens! Estou aflito, estou cansado, por causa da maldade dos meus filhos! Quando descansarei e serei purificado da imundícia que saiu de mim? Quando meu Criador me santificará, para que eu descanse, e a justiça por um tempo permaneça em minha face?

56 E quando Enoque ouviu a terra lamentar, ele chorou e clamou ao Senhor, dizendo: Ó Senhor, não terás compaixão da terra? não abençoarás os filhos de Noé?

57 E aconteceu que Enoque continuou seu clamor ao Senhor, dizendo: Peço-te, ó Senhor, em nome de teu Unigênito, sim, Jesus Cristo, que tenhas misericórdia de Noé e de sua semente, que a terra poderia nunca mais ser coberta pelas inundações.

58 E o Senhor não pôde reter; e ele fez convênio com Enoque e jurou-lhe com juramento que deteria os dilúvios; que ele chamaria os filhos de Noé; e ele enviou um decreto inalterável, para que um remanescente de sua semente fosse sempre encontrado entre todas as nações, enquanto a terra permanecesse.

59 E o Senhor disse: Bem-aventurado aquele por cuja descendência virá o Messias; pois ele diz: Eu sou o Messias, o Rei de Sião, a Rocha do céu, que é ampla como a eternidade; e quem entrar pela porta e subir por mim nunca cairá.

60 Portanto, bem-aventurados são aqueles de quem falei, porque sairão com cânticos de alegria eterna.

61 E aconteceu que Enoque clamou ao Senhor, dizendo: Quando o Filho do Homem vier em carne, a terra descansará? Rogo-te que me mostres estas coisas.

62 E o Senhor disse a Enoque: Veja; e ele olhou, e viu o Filho do Homem levantado na cruz, à maneira dos homens.

63 E ele ouviu uma grande voz, e os céus foram encobertos; e todas as criações de Deus choraram, e a terra gemeu; e as rochas foram rasgadas; e os santos se levantaram e foram coroados à destra do Filho do Homem, com coroas de glória.

64 E todos os espíritos que estavam em prisão saíram e ficaram à direita de Deus. E o restante foi reservado em cadeias de escuridão até o julgamento do grande dia.

65 E novamente Enoque chorou e clamou ao Senhor, dizendo: Quando a terra descansará?

66 E Enoque viu o Filho do Homem ascender ao Pai; e clamou ao Senhor, dizendo: Não voltarás à terra? porque tu és Deus e eu te conheço e me juraste e me ordenaste que eu pedisse em nome de teu Unigênito; tu me fizeste e me deste o direito ao teu trono, e não por mim mesmo, mas por tua própria graça; e por que te pergunto se não voltarás à terra?

67 E o Senhor disse a Enoque: Enquanto vivo, assim mesmo virei nos últimos dias, nos dias de iniqüidade e vingança, para cumprir o juramento que te fiz a respeito dos filhos de Noé.

68 E chegará o dia em que a terra descansará. Mas antes daquele dia os céus escurecerão, e um véu de escuridão cobrirá a terra; e os céus tremerão, e também a terra.

69 E grandes tribulações haverá entre os filhos dos homens, mas meu povo eu preservarei; e justiça farei descer do céu e verdade enviarei da terra, para prestar testemunho de meu Unigênito; sua ressurreição dos mortos; sim, e também a ressurreição de todos os homens.

70 E justiça e verdade farei varrer a Terra como um dilúvio, para reunir meus próprios eleitos dos quatro cantos da Terra, para um lugar que prepararei; uma cidade santa, para que o meu povo cinja os lombos e espere o tempo da minha vinda; porque ali estará o meu tabernáculo, e chamar-se-á Sião; uma Nova Jerusalém.

71 E o Senhor disse a Enoque: Então tu e toda a tua cidade os encontrarás ali; e nós os receberemos em nosso seio; e eles nos verão, e cairemos sobre seus pescoços, e eles cairão sobre nossos pescoços, e nos beijaremos;

72 E ali será minha morada e será Sião, que surgirá de todas as criações que fiz; e pelo espaço de mil anos a terra descansará.

73 E aconteceu que Enoque viu o dia da vinda do Filho do Homem, nos últimos dias, para habitar na terra, em retidão, pelo espaço de mil anos.

74 Mas antes daquele dia, ele viu grande tribulação entre os ímpios; e ele também viu o mar, que estava agitado, e os corações dos homens desfalecendo, esperando com temor o julgamento do Deus Todo-Poderoso, que havia de vir sobre os ímpios.

75 E o Senhor mostrou a Enoque todas as coisas, até o fim do mundo. E ele viu o dia dos justos, a hora da sua redenção, e recebeu uma plenitude de alegria.

76 E todos os dias de Sião, nos dias de Enoque, foram trezentos e sessenta e cinco anos.

77 E Enoque e todo o seu povo andaram com Deus, e ele habitou no meio de Sião.

78 E aconteceu que Sião não existia, porque Deus a recebeu em seu próprio seio; e dali saiu a palavra: Sião fugiu. E todos os dias de Enoque foram quatrocentos e trinta anos.

79 E aconteceu que Matusalém, filho de Enoque, não foi levado, para que se cumprissem os convênios do Senhor que fizera com Enoque; pois ele realmente fez convênio com Enoque, que Noé deveria ser do fruto de seus lombos.

80 E aconteceu que Matusalém profetizou que de seus lombos brotariam todos os reinos da terra; (através de Noé) e ele tomou glória para si mesmo.

81 E sobreveio uma grande fome na terra, e o Senhor amaldiçoou a terra com uma terrível maldição, e muitos de seus habitantes morreram.

82 E aconteceu que Matusalém viveu cento e oitenta e sete anos, e gerou a Lameque; e viveu Matusalém, depois que gerou a Lameque, setecentos e oitenta e dois anos, e gerou filhos e filhas. E foram todos os dias de Matusalém novecentos e sessenta e nove anos, e ele morreu.

83 E Lamech viveu cento e oitenta e dois anos, e gerou um filho, e ele chamou seu nome Noé, dizendo: Este filho nos consolará sobre nosso trabalho, e labuta de nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou .

84 E Lamech viveu depois que gerou a Noé, quinhentos e noventa e cinco anos, e gerou filhos e filhas. E todos os dias de Lameque foram setecentos e setenta e sete anos; e ele morreu. 85 E Noé tinha quatrocentos e cinquenta anos de idade, e gerou a Jafé, e quarenta e dois anos depois, ele gerou a Sem, daquela que era a mãe de Jafé, e quando ele tinha quinhentos anos, ele gerou a Cam.

CAPÍTULO 8

Deus desagradou porque as filhas de Noé se vendem – Noé declara o evangelho – A terra se encheu de violência – O dilúvio predito – A arca feita – Mandamento de Noé – Dois a dois, o homem e sua mulher salvos – A arca repousa, as águas baixam.

1 E Noé e seus filhos deram ouvidos ao Senhor, e deram ouvidos; e eles foram chamados filhos de Deus.

2 E quando esses homens começaram a se multiplicar na face da terra, e filhas nasceram para eles, os filhos dos homens viram que suas filhas eram belas, e eles tomaram esposas como eles escolheram.

3 E o Senhor disse a Noé: As filhas de teus filhos venderam-se, pois eis que minha ira se acendeu contra os filhos dos homens, pois eles não darão ouvidos à minha voz.

4 E aconteceu que Noé profetizou e ensinou as coisas de Deus, como era no princípio.

5 E o Senhor disse a Noé: Meu Espírito não lutará para sempre com o homem, pois ele saberá que toda carne morrerá, mas seus dias serão cento e vinte anos; e se os homens não se arrependerem, enviarei dilúvios sobre eles.

6 E naqueles dias havia gigantes na terra, e eles procuraram Noé para tirar sua vida;

7 Mas o Senhor estava com Noé, e o poder do Senhor estava sobre ele; e o Senhor ordenou a Noé segundo sua própria ordem e ordenou-lhe que saísse e proclamasse seu evangelho aos filhos dos homens, assim como foi dado a Enoque.

8 E aconteceu que Noé convocou os filhos dos homens para que se arrependessem, mas eles não deram ouvidos a suas palavras.

9 E também, depois de o terem ouvido, subiram perante ele, dizendo: Eis que somos filhos de Deus, não tomamos para nós as filhas dos homens? e não estamos comendo e bebendo, e nos casando e damos em casamento? e nossas mulheres nos dão filhos, e estes são valentes, semelhantes aos da antiguidade, homens de grande fama. E não deram ouvidos às palavras de Noé.

10 E Deus viu que a maldade do homem havia se tornado grande na terra; e todo homem foi exaltado na imaginação dos pensamentos de seu coração; sendo apenas mau continuamente.

11 E aconteceu que Noé continuou sua pregação ao povo, dizendo: Ouçam e prestem atenção às minhas palavras, creiam e arrependam-se de seus pecados e sejam batizados em nome de Jesus Cristo, o Filho de Deus, assim como nosso pais fizeram, e recebereis o Espírito Santo, para que todas as coisas sejam manifestas;

12 E se você não fizer isso, as inundações virão sobre você; no entanto, eles não deram ouvidos.

13 E se arrependeu Noé, e seu coração estava dolorido, que o Senhor havia feito o homem na terra, e isso o entristeceu em seu coração.

14 E o Senhor disse: Destruirei da face da terra o homem que criei, tanto o homem como o animal, e os répteis, e as aves do céu.

15 Pois Noé se arrepende de tê-los criado e de tê-los feito; e ele me invocou, porque eles buscaram sua vida.

16 E assim Noé achou graça aos olhos do Senhor; pois Noé era um homem justo e perfeito em sua geração; e ele andou com Deus, e também seus três filhos, Sem, Cam e Jafé.

17 A terra estava corrompida diante de Deus; e estava cheio de violência. E Deus olhou para a terra, e eis que estava corrompida, pois toda carne havia corrompido seu caminho na terra.

18 E Deus disse a Noé: O fim de toda carne chegou diante de mim; porque a terra está cheia de violência, e eis que destruirei toda a carne da terra.

19 Faze, pois, uma arca de madeira de gofer; farás quartos na arca, e a armarás por dentro e por fora com piche;

20 E o comprimento da arca farás trezentos côvados; a largura dela cinqüenta côvados; e a sua altura trinta côvados.

21 E farás janelas para a arca, e de um côvado a terminarás em cima; e a porta da arca porás ao seu lado; farás nela câmaras inferiores, segundas e terceiras.

22 E eis que eu, sim, trarei um dilúvio de água sobre a terra, para destruir toda a carne em que há fôlego de vida debaixo do céu; tudo o que vive na terra morrerá.

23 Mas contigo estabelecerei meu convênio, assim como jurei a teu pai, Enoque, que de tua posteridade virão todas as nações.

24 E entrarás na arca, tu e teus filhos, e tua mulher, e as mulheres de teus filhos com eles.

25 E de tudo o que vive, de toda carne, dois de cada espécie trarás para dentro da arca, para que fiquem vivos contigo; serão machos e fêmeas.

26 Das aves conforme a sua espécie, e do gado conforme a sua espécie, de todo réptil da terra conforme a sua espécie; dois de cada espécie levarás para dentro da arca, para os conservares vivos.

27 E tome para ti de toda comida que se come, e colherás para ti frutos de toda espécie na arca, e será para mantimento para ti e para eles.

28 Assim fez Noé, conforme tudo o que Deus lhe ordenou.

29 E o Senhor disse a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca; porque só a ti vi justo diante de mim, nesta geração.

30 De todos os animais limpos tomarás para ti sete vezes, o macho e a sua fêmea; e dos animais que não são limpos por dois, o macho e sua fêmea;

31 Das aves do ar também, por setes, o macho e sua fêmea; para manter a semente viva sobre a face da terra.

32 Ainda por sete dias, e farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e toda substância viva que eu criei destruirei da face da terra.

33 E Noé fez conforme tudo o que o Senhor lhe ordenara. E Noé tinha seiscentos anos de idade quando o dilúvio das águas caiu sobre a terra.

34 E Noé entrou, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele, na arca, por causa das águas do dilúvio.

35 Dos animais limpos, e dos animais que não eram limpos, e das aves, e de tudo o que rasteja sobre a terra, entraram dois a dois até Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara Noé.

36 E aconteceu que, depois de sete dias, as águas do dilúvio caíram sobre a terra. No ano seiscentos da vida de Noé, no segundo mês e no décimo sétimo dia do mês, no mesmo dia se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas do céu se abriram, e a chuva caiu sobre o terra quarenta dias e quarenta noites.

37 No mesmo dia entrou Noé, Sem, Cam e Jafé, filhos de Noé; e a mulher de Noé, e as três mulheres de seus filhos com eles na arca; eles, e todo animal conforme a sua espécie, e todo o gado conforme a sua espécie, e todo réptil que rasteja sobre a terra, conforme a sua espécie, e toda ave conforme a sua espécie, e toda ave de toda espécie;

38 E foram ter com Noé, na arca, dois a dois de toda a carne, na qual há fôlego de vida; e os que entraram, entraram homem e mulher de toda a carne, como Deus lhe ordenara, e o Senhor o encerrou.

39 E o dilúvio durou quarenta dias sobre a terra, e as águas aumentaram, e levantaram a arca, e ela foi levantada acima da terra.

40 E as águas prevaleceram e aumentaram grandemente sobre a terra, e a arca foi sobre a face das águas.

41 E as águas prevaleceram excessivamente sobre a face da terra, e todos os altos montes, debaixo de todos os céus, foram cobertos. Quinze côvados para cima prevaleceram as águas; e as montanhas foram cobertas.

42 E morreu toda a carne que se movia sobre a face da terra, tanto de aves, como de gado, e de animais, e de todo réptil que rasteja sobre a terra, e todo homem.

43 Todos em cujas narinas o Senhor soprou o fôlego da vida, de todos os que estavam na terra seca, morreram.

44 E foi destruída toda substância viva que estava sobre a face da terra, tanto o homem como o gado, e os répteis e as aves do céu; e eles foram destruídos da terra;

45 E ficou somente Noé, e os que estavam com ele na arca.

46 E as águas prevaleceram sobre a terra cento e cinquenta dias.

47 E Deus se lembrou de Noé e de todos os que estavam com ele na arca. E Deus fez passar um vento sobre a terra, e as águas acalmaram.

48 Também as fontes do abismo e as janelas do céu foram fechadas, e a chuva do céu foi contida; e as águas voltaram da terra.

49 E depois do fim dos cento e cinqüenta dias, as águas baixaram. E a arca descansou no sétimo mês, no dia dezessete do mês, sobre o monte de Ararate.

50 E as águas diminuíram até o décimo mês; e no décimo mês, no primeiro dia do mês, foram vistos os cumes dos montes.

51 E aconteceu que, ao cabo de quarenta dias, Noé abriu a janela da arca que ele havia feito, e ele soltou um corvo, que saiu de um lado para outro, até que as águas se secaram do terra.

52 Ele também soltou dele uma pomba, para ver se as águas haviam baixado da face da terra; mas a pomba não encontrou descanso para a planta do seu pé, e ela voltou para ele na arca, porque as águas não tinham baixado da face de toda a terra; então ele estendeu a mão e a tomou, e a puxou para si na arca.

53 E ele ficou ainda outros sete dias, e novamente ele soltou a pomba da arca, e a pomba veio a ele à tarde; e eis que na boca dela foi arrancada uma folha de oliveira; então Noé sabia que as águas haviam diminuído da terra.

54 E ele ficou ainda outros sete dias, e soltou uma pomba, que não voltou mais para ele.

55 E aconteceu que, no ano seiscentos e um, no primeiro mês, no primeiro dia do mês, as águas se secaram de sobre a terra.

56 E Noé removeu a cobertura da arca, e olhou, e eis que a face da terra estava seca. E no segundo mês, no vigésimo sétimo dia do mês, secou-se a terra.

CAPÍTULO 9

Noé constrói um altar – Mandamento de não derramar sangue – a aliança de Deus, o sinal dela colocado nas nuvens – a loucura de Noé, os resultados dela.

1 E Deus falou a Noé, dizendo: Sai da arca, tu e tua mulher, e teus filhos, e as mulheres de teus filhos contigo.

2 Traga contigo todo ser vivente que está contigo, de toda carne, tanto de aves como de gado, e de todo réptil que rasteja sobre a terra; para que se reproduzam abundantemente na terra, e frutifiquem e se multipliquem sobre a terra.

3 E saiu Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele. E todo animal, todo réptil e toda ave sobre a terra, segundo suas espécies, saiu da arca.

4 E Noé edificou um altar ao Senhor, e tomou de todo animal limpo e de toda ave limpa, e ofereceu holocaustos sobre o altar; e deu graças ao Senhor, e se alegrou em seu coração.

5 E o Senhor falou a Noé, e ele o abençoou. E Noah sentiu um cheiro doce, e ele disse em seu coração;

6 Invocarei o nome do Senhor, para que não amaldiçoe mais a terra por causa do homem, pois a imaginação do coração do homem é má desde a sua mocidade; e que ele não tornará a ferir todo ser vivente, como ele fez, enquanto a terra permanecer;

7 E esse tempo de semeadura e colheita, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não podem cessar com o homem.

8 E Deus abençoou Noé e seus filhos, e disse-lhes: Sede fecundos e multiplicai-vos, e enchei a terra. E o medo de vós, e o pavor de vós será sobre todo animal da terra, e sobre toda ave do céu, sobre tudo o que se move sobre a terra, e sobre todos os peixes do mar; em sua mão eles são entregues.

9 Tudo o que se move e vive vos servirá de mantimento; assim como a erva verde vos dei todas as coisas.

10 Mas o sangue de toda carne que eu vos dei por mantimento será derramado sobre a terra, que tira a vida dela, e o sangue não comereis.

11 E certamente, não será derramado sangue, senão por carne, para salvar vossas vidas; e o sangue de todos os animais exigirei de suas mãos.

12 E quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque o homem não derramará o sangue do homem.

13 Pois um mandamento dou, que o irmão de cada um preserve a vida do homem, pois à minha imagem fiz o homem.

14 E um mandamento vos dou: Sede fecundos e multiplicai-vos; produza abundantemente sobre a terra, e multiplique-se nela.

15 E Deus falou a Noé e a seus filhos com ele, dizendo: E eu, eis que estabelecerei meu convênio convosco, que fiz com vosso pai Enoque, concernente à vossa descendência depois de vós.

16 E acontecerá que todo ser vivente que estiver convosco, das aves, e do gado, e dos animais da terra que estão convosco, que sair da arca, não perecerá de todo ; nem toda carne será mais cortada pelas águas do dilúvio; nem haverá mais dilúvio para destruir a terra.

17 E estabelecerei meu convênio convosco, que fiz com Enoque, concernente aos remanescentes de vossa posteridade.

18 E Deus fez uma aliança com Noé, e disse: Este será o sinal da aliança que faço entre mim e ti, e para toda criatura vivente contigo, por gerações perpétuas;

19 Porei o meu arco nas nuvens; e será por sinal de uma aliança entre mim e a terra.

20 E acontecerá que, quando eu trouxer uma nuvem sobre a terra, o arco será visto na nuvem; e me lembrarei da minha aliança, que fiz entre mim e ti, para todo ser vivente de toda carne. E as águas não se tornarão mais um dilúvio para destruir toda a carne.

21 E o arco estará nas nuvens; e olharei para ela para me lembrar do convênio eterno que fiz com teu pai Enoque; que, quando os homens guardassem todos os meus mandamentos, Sião viesse novamente à Terra, a cidade de Enoque que eu mesmo conquistei.

22 E este é meu convênio eterno, que quando tua posteridade abraçar a verdade e olhar para cima, então Sião olhará para baixo e todos os céus tremerão de alegria e a terra tremerá de alegria;

23 E a assembléia geral da igreja dos primogênitos descerá do céu e possuirá a terra, e terá lugar até que venha o fim. E esta é minha aliança eterna, que fiz com teu pai Enoque.

24 E o arco estará nas nuvens, e estabelecerei contigo o meu pacto, que fiz entre mim e ti, para toda criatura vivente de toda carne que houver sobre a terra.

25 E Deus disse a Noé: Este é o sinal da aliança que estabeleci entre mim e ti; para toda a carne que há sobre a terra.

26 E os filhos de Noé que saíram da arca foram Sem, Cam e Jafé; e Cam foi o pai de Canaã. Estes foram os três filhos de Noé, e deles se espalhou toda a terra.

27 E Noé começou a lavrar a terra, e ele era um lavrador; e plantou uma vinha, e bebeu do vinho, e embriagou-se; e ele foi descoberto dentro de sua tenda;

28 E Cam, o pai de Canaan, viu a nudez de seu pai, e contou a seus irmãos de fora; e Sem e Jafé tomaram uma roupa e puseram sobre ambos os ombros, e voltaram para trás e cobriram a nudez de seu pai, e não viram a nudez de seu pai.

29 E Noah acordou de seu vinho, e sabia o que seu filho mais novo tinha feito com ele, e ele disse: Maldito seja Canaan; servo dos servos será para seus irmãos.

30 E ele disse: Bendito seja o Senhor Deus de Sem; e Canaã será seu servo, e um véu de escuridão o cobrirá, para que seja conhecido entre todos os homens.

31 Deus engrandecerá a Jafé, e ele habitará nas tendas de Sem; e Canaã será seu servo.

32 E Noé viveu depois do dilúvio, trezentos e cinquenta anos. E todos os dias de Noé foram novecentos e cinqüenta anos; e ele morreu.

CAPÍTULO 10

Genealogia dos filhos de Noé.

1 Ora, estas foram as gerações dos filhos de Noé; Sem, Cam e Jafé; e para eles nasceram filhos depois do dilúvio.

2 Os filhos de Jafé; Gomer, Magog, Madai, Javan, Tubal, Meschech e Tiras.

3 E estes são os filhos de Gomer; Asquenaz e Rifate e Togarma. E os filhos de Javan; Eliseu, Társis, Quitim e Dodanim. Por estes foram as ilhas dos gentios divididas em suas terras; cada um segundo a mesma língua, segundo as suas famílias, nas suas nações.

4 E os filhos de Cam; Cuxe, Mizraim, Phut e Canaã. E os filhos de Cuxe; Seba, e Havilah, e Sabtah, e Raamah, e Sabtecha. E os filhos de Ramah; Sabá e Dedã.

5 E Cuxe gerou a Ninrode; começou a ser poderoso na terra. Ele era um poderoso caçador na terra. Portanto, é dito; Mesmo como Nimrod, o poderoso caçador na terra.

6 E ele começou um reino, e o começo de seu reino foi Babel, e Erech, e Accad, e Calneh, na terra de Shinar.

7 Daquela terra saiu Assur, e edificou Nínive, e a cidade de Reobote, e Calá, e Resen, entre Nínive e Calá; o mesmo era uma grande cidade.

8 E Mizraim gerou a Ludim, e Anamim, e Leabim, e Naftuhim, e Pathrusim, e Casluhim, dos quais vieram Filisteus e Caftorim.

9 E Canaã gerou a Sidom, seu primogênito, e a Hete, e o jebuseu, e o amorreu, e o girgaseu, e o heveu, e o arqueu, e o sineu, e o arvadeu, e o zemareu, e o hamateu; e depois as famílias dos cananeus se espalharam.

10 E os termos dos cananeus foram desde Sidom, até chegares a Gerar a Gaza; como tu vais a Sodoma e Gomorra, e Admá, e Zeboim até Lasa.

11 Estes foram os filhos de Cam, segundo as suas famílias, segundo a mesma língua, nas suas terras e nas suas nações.

12 A Sem, que era o mais velho, nasceram filhos; e ele foi o pai de Eber, e mesmo para ele nasceram filhos.

13 E estes são os filhos de Sem; Éber, Elam, Assur, Arfaxad, Lud e Aram.

14 E estes foram os filhos de Aram; Nós, e Hul, e Gether, e Mash.

15 E Arfaxad gerou a Salah, e Salah gerou a Éber. E a Eber nasceram dois filhos; o nome de um, Peleg, o outro Joctã.

16 E Pelegue era um homem poderoso, porque em seus dias a terra foi dividida.

17 E Joctã gerou Almodad, Sheleph, Hazarmaveth, Jerah, Hadoram, Uzal, Diklah, Obal, Abimael, Sheba, Ophar, Havilah e Jobab; e estes foram os filhos de Joctã.

18 E a sua morada era desde Mesa, quando vais a Sefar, um monte do oriente.

19 Estes foram os filhos de Sem, segundo as suas famílias, segundo as suas línguas, nas suas terras, segundo as suas nações.

20 Estas foram as famílias dos filhos de Noé, segundo as suas gerações, nas suas nações; e por estes foram divididas as nações sobre a terra, depois do dilúvio.

CAPÍTULO 11

Babel construída — Linguagem confundida — Gerações de Shem — Abrão nascido; casou-se e foi para Canaã.

1 E toda a terra era da mesma língua e da mesma fala. E aconteceu que muitos viajaram do leste, e como eles viajaram do leste, eles encontraram uma planície na terra de Sinar, e habitaram lá na planície de Sinar.

2 E diziam uns aos outros: Venha, vá, façamos tijolos e os queimemos completamente. E eles tinham tijolo por pedra, e lodo por argamassa.

3 E eles disseram: Vinde, vamos, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume seja alto, perto do céu; e façamos de nós um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.

4 E o Senhor desceu, vendo a cidade e a torre que os filhos dos homens estavam construindo;

5 E o Senhor disse: Eis que o povo é o mesmo, e todos eles têm a mesma língua; e esta torre eles começam a construir, e agora, nada será impedido deles, o que eles imaginaram, exceto eu, o Senhor, confundir sua linguagem, para que não entendam a fala uns dos outros. Assim eu, o Senhor, os espalharei dali por toda a face da terra e por todos os cantos da terra.

6 E eles foram confundidos, e deixaram de construir a cidade, e eles não deram ouvidos ao Senhor, portanto, é o nome dela chamada Babel, porque o Senhor se desagradou com suas obras, e ali confundiu a linguagem de todos os terra; e dali o Senhor os espalhou sobre a sua face.

7 E estas foram as gerações de Sem. E Sem sendo da idade de cem anos, gerou Arfaxad dois anos depois do dilúvio; e Sem viveu, depois que gerou Arfaxad, quinhentos anos, e gerou filhos e filhas.

8 E viveu Arfaxad trinta e cinco anos, e gerou a Salah; e Arfaxad viveu depois que gerou Salah, quatrocentos e três anos, e gerou filhos e filhas.

9 E viveu Salah trinta anos, e gerou a Éber; e Salah viveu, depois que gerou a Éber, quatrocentos e três anos, e gerou filhos e filhas.

10 E viveu Eber trinta e quatro anos, e gerou a Pelegue; e Eber viveu, depois que gerou Pelegue, quatrocentos e trinta anos, e gerou filhos e filhas.

11 E viveu Peleg trinta anos, e gerou a Reu; e Peleg viveu depois que gerou Reu, duzentos e nove anos, e gerou filhos e filhas.

12 E viveu Reu trinta e dois anos, e gerou a Serug; e Reu viveu depois que gerou Serug duzentos e sete anos, e gerou filhos e filhas.

13 E viveu Serug trinta anos, e gerou a Naor; e Serug viveu depois que ele gerou Nahor duzentos anos, e gerou filhos e filhas.

14 E viveu Nahor vinte e nove anos, e gerou a Terah; e Naor viveu depois que gerou a Terah e cento e dezenove anos, e gerou filhos e filhas.

15 E Terah viveu setenta anos, e gerou a Abrão, Nahor e Haran.

16 Ora, estas foram as gerações de Terah; Terah gerou Abrão, Nahor e Haran; e Harã gerou Ló.

17 E Haran morreu antes de seu pai Terah, na terra de sua natividade, em Ur dos caldeus.

18 E Abrão e Naor tomaram-lhes esposas; e o nome da mulher de Abrão era Sarai; e o nome da mulher de Naor, Milca, filha de Harã, pai de Milca e pai de Iscá; mas Sarai era estéril e não tinha filhos.

19 E Terah tomou a Abrão, seu filho, e a Lot, filho de Haran, filho de seu filho, e Sarai, sua nora, mulher de seu filho Abrão; e saiu com eles de Ur dos caldeus, para entrar na terra de Canaã; e chegaram a Harã, e habitaram ali.

20 E os dias de Terah foram duzentos e cinco anos; e Terah morreu em Haran.

CAPÍTULO 12

A ordem de Deus para Abrão – Ele obedece pela fé – Aliança com Abrão – Faraó atormentado por causa de Sarai.

1 Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para uma terra que eu te mostrarei;

2 E farei de ti uma grande nação, e te abençoarei, e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção; e abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão abençoadas as famílias da terra.

3 Partiu, pois, Abrão, como o Senhor lhe falara; e Ló foi com ele. E Abrão tinha setenta e cinco anos quando partiu de Harã.

4 E Abrão tomou Sarai, sua mulher, e Lot, filho de seu irmão, e todos os seus bens que eles tinham juntado, e as almas que eles tinham conseguido em Haran; e eles saíram para entrar na terra de Canaã; e chegaram à terra de Canaã.

5 E Abrão passou pela terra até o lugar de Siquém, e a planície de Moré. E os cananeus estavam então na terra.

6 E o Senhor apareceu a Abrão, e disse: À tua descendência darei esta terra. E ali edificou um altar ao Senhor, que lhe apareceu.

7 E dali partiu para um monte ao oriente de Betel, e armou a sua tenda, deixando Betel ao ocidente, e Hai estava ao oriente. E ali edificou um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor. E Abrão partiu, indo ainda para o sul.

8 E houve fome na terra; e Abrão desceu ao Egito para peregrinar ali; porque a fome se agravou na terra.

9 E aconteceu que, quando se aproximava para entrar no Egito, disse a Sarai, sua mulher: Eis que agora sei que és uma mulher formosa à vista; por isso será que, quando os egípcios te virem, dirão: Esta é sua mulher; e eles me matarão, mas eles te salvarão com vida; diga-lhes, peço-te, que sou sua irmã; para que me vá bem por tua causa; e minha alma viverá por causa de ti.

10 E aconteceu que, quando Abrão chegou ao Egito, os egípcios viram a mulher, que era muito formosa.

11 Os príncipes de Faraó também a viram, e ordenaram que ela fosse trazida diante de Faraó; e a mulher foi levada para a casa de Faraó.

12 E ele tratou bem a Abrão por causa dela; e ele tinha ovelhas, e bois, e jumentos, e servos, e servas, e jumentas, e camelos.

13 E o Senhor afligiu Faraó e sua casa com grandes pragas, por causa de Sarai, mulher de Abrão.

14 E Faraó chamou a Abrão e disse: Que me fizeste com isto? Por que você não me disse que ela era sua esposa? Por que disseste: Ela é minha irmã? para que eu pudesse tê-la tomado por esposa; agora, pois, eis que te digo: Toma tua mulher e vai.

15 E Faraó ordenou aos homens a respeito dele; e eles o despediram, e sua mulher, e tudo o que ele tinha.

CAPÍTULO 13

Abrão viaja para fora do Egito – Separação de Abrão e Ló, com sua substância – Abrão mora em Manre, Ló na planície em direção a Sodoma.

1 E Abrão subiu do Egito, ele e sua mulher, e tudo o que tinha, e Ló com ele, para o sul. E Abrão era muito rico em gado, em prata e em ouro.

2 E partiu do sul até Betel, até ao lugar onde no princípio estivera a sua tenda, entre Betel e Hai; até o lugar do altar, que ele havia feito ali no princípio; e ali Abrão invocou o nome do Senhor.

3 E também Ló, que ia com Abrão, tinha rebanhos, gado e tendas.

4 E a terra não podia suportá-los, para que morassem juntos; porque a sua riqueza era grande, de modo que não podiam habitar juntos. E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló, para que não pudessem morar juntos.

5 E os cananeus e os perizeus habitaram então na terra.

6 E disse Abrão a Ló: Não haja contenda, peço-te, entre mim e ti, e entre meus pastores e teus pastores; pois somos irmãos.

7 Não está toda a terra diante de ti? Separa-te, peço-te, de mim; se você for para a esquerda, eu irei para a direita; se você for para a mão direita, então eu irei para a esquerda.

8 E Ló levantou os olhos, e viu toda a planície do Jordão, que era bem regada em todos os lugares, antes que o Senhor destruísse Sodoma e Gomorra, como o jardim do Senhor, como a terra do Egito.

9 Então Ló escolheu para ele toda a planície do Jordão; e Ló viajou para o leste; e eles se separaram um do outro.

10 Abrão habitou na terra de Canaã, e Ló habitou nas cidades da planície, e armou suas tendas em direção a Sodoma.

11 Mas os homens de Sodoma, tornando-se pecadores e extremamente ímpios perante o Senhor, o Senhor se irou contra eles.

12 E o Senhor disse a Abrão, depois que Ló se separou dele: Levanta agora os teus olhos, e olha do lugar onde estás, para o norte e para o sul, e para o oriente e para o ocidente;

13 E lembra-te da aliança que faço contigo; porque será uma aliança eterna; e tu te lembrarás dos dias de Enoque teu pai;

14 Porque toda a terra que vês te darei a ti e à tua descendência para sempre; e farei a tua descendência como o pó da terra; para que, se alguém puder contar o pó da terra, também será contada a tua descendência.

15 Levanta-te, anda pela terra no seu comprimento e na sua largura, porque eu vo-la darei. Então Abrão removeu sua tenda, e veio habitar na planície de Manre, que estava em Hebron, e ali edificou um altar ao Senhor.

CAPÍTULO 14

Melquisedeque abençoa Abrão e lhe dá pão e vinho – Ló levado cativo, é resgatado por Abrão – O sacerdócio – Abrão paga o dízimo a Melquisedeque, guardião do armazém do Senhor.

1 E aconteceu que, nos dias de Anrafel, rei de Sinar, e Arioque, rei de Elasar, e Quedorlaomer, rei de Elão, e Tidal, rei das nações;

2 Que estes reis fizeram guerra a Bera, rei de Sodoma, e a Birsa, rei de Gomorra, a Sinabe, rei de Admá, a Semeber, rei de Zeboim, e ao rei de Bela, que é Zoar.

3 Todos estes foram reunidos no vale de Sidim, que é o mar salgado;

4 Doze anos serviram a Quedorlaomer, e no décimo terceiro ano se rebelaram.

5 E no décimo quarto ano veio Quedorlaomer, e os reis que estavam com ele, e feriram os refains em Asterote-Carnaim, e os zuzins em Ham, e os emins em Shaveh Kiriathaim, e os horeus em seu monte Seir, até Elparan, que foi pelo deserto.

6 E eles voltaram e vieram para Enmishpat, que é Kadesh, e feriram todo o país dos amalequitas, e também os amorreus, em Hazezontamar.

7 E saiu o rei de Sodoma, e o rei de Gomorra, e o rei de Admá, e o rei de Zeboim, e o rei de Bela, que é Zoar;

8 E eles lutaram contra eles no vale de Sidim; com Quedorlaomer, rei de Elão, e com Tidal, rei das nações, e Anrafel, rei de Sinar, e Arioque, rei de Elasar; quatro reis com cinco.

9 E o vale de Sidim estava cheio de poços de lodo; e os reis de Sodoma e Gomorra fugiram e caíram ali; e os que ficaram fugiram para o monte chamado Hanabal.

10 E eles tomaram todos os bens de Sodoma e Gomorra, e todos os seus mantimentos, e foram embora.

11 E eles tomaram Ló, filho do irmão de Abrão, que morava em Sodoma, e seus bens, e partiram.

12 E veio um que havia escapado, e contou a Abrão, o hebreu, o homem de Deus, porque ele morava na planície de Manre, o amorreu, irmão de Escol e irmão de Aner; e estes eram confederados com Abrão.

13 E quando Abrão ouviu que Ló, filho de seu irmão, foi levado cativo, ele armou seus homens treinados, e os que nasceram em sua própria casa, trezentos e dezoito, e perseguiu até Dan.

14 E ele se dividiu contra eles, ele e seus homens, de noite, e os feriu, e os perseguiu até Hobá, que estava à esquerda de Damasco.

15 E trouxe Ló, filho de seu irmão, e todos os seus bens, e também as mulheres, e o povo.

16 E o rei de Sodoma também saiu ao seu encontro depois de seu retorno da matança de Quedorlaomer, e dos reis que estavam com ele, no vale de Shaveh, que era o vale do rei.

17 E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; e ele parte o pão e o abençoa; e ele abençoou o vinho, sendo ele o sacerdote do Deus Altíssimo,

18 E ele deu a Abrão, e ele o abençoou, e disse: Bem-aventurado Abrão, tu és um homem do Deus Altíssimo, possuidor do céu e da terra;

19 E bendito é o nome do Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos.

20 E Abrão deu-lhe o dízimo de tudo o que havia tomado.

21 E o rei de Sodoma disse a Abrão: Dá-me as pessoas, e toma os bens para ti.

22 E Abrão disse ao rei de Sodoma, levantei minha mão ao Senhor, o Deus Altíssimo, o possuidor do céu e da terra.

23 E jurei que não tomarei de ti desde um fio até uma fivela de sapato, e que não tomarei nada do que é teu, (para que não digas: Enriqueci a Abrão;)

24 Excepto apenas o que os jovens comeram, e a porção dos homens que foram comigo, Ener, Escol e Manre; deixe-os tomar sua parte.

25 E Melquisedeque levantou sua voz e abençoou Abrão.

26 Ora, Melquisedeque era um homem de fé, que praticava a justiça; e quando criança temia a Deus, e tapava a boca dos leões, e extinguiu a violência do fogo.

27 E assim, tendo sido aprovado por Deus, ele foi ordenado sumo sacerdote segundo a ordem da aliança que Deus fez com Enoque,

28 Sendo segundo a ordem do Filho de Deus; qual ordem veio, não pelo homem, nem pela vontade do homem; nem pelo pai nem pela mãe; nem no início dos dias nem no fim dos anos; mas de Deus;

29 E foi entregue aos homens pelo chamado de sua própria voz, de acordo com sua própria vontade, a todos os que creram em seu nome.

30 Porque Deus jurou a Enoque e à sua descendência com juramento por si mesmo; que todo aquele que é ordenado segundo esta ordem e chamado deve ter poder, pela fé, para quebrar montanhas, dividir os mares, secar as águas, desviá-las de seu curso;

31 Para desafiar os exércitos das nações, para dividir a terra, para quebrar todas as cadeias, para estar na presença de Deus; fazer todas as coisas de acordo com sua vontade, de acordo com seu comando, subjugar principados e potestades; e isto pela vontade do Filho de Deus, que era desde antes da fundação do mundo.

32 E os homens que tinham esta fé, chegando a esta ordem de Deus, foram trasladados e arrebatados para o céu.

33 E agora, Melquisedeque era um sacerdote desta ordem; por isso obteve a paz em Salém, e foi chamado Príncipe da paz.

34 E seu povo praticou a retidão e obteve o céu e buscou a cidade de Enoque, que Deus antes havia tomado, separando-a da Terra, reservando-a para os últimos dias, ou o fim do mundo;

35 E disse, e jurou com juramento, que os céus e a terra se uniriam; e os filhos de Deus devem ser provados como pelo fogo.

36 E este Melquisedeque, tendo assim estabelecido a justiça, foi chamado o rei do céu por seu povo, ou, em outras palavras, o Rei da paz.

37 E levantou a sua voz e abençoou a Abrão, sendo o sumo sacerdote e o guardião do armazém de Deus;

38 Aquele a quem Deus designou para receber os dízimos dos pobres.

39 Portanto, Abrão lhe pagou o dízimo de tudo o que tinha, de todas as riquezas que possuía, as quais Deus lhe dera mais do que aquilo de que necessitava.

40 E aconteceu que Deus abençoou a Abrão e lhe deu riquezas e honra e terras em possessão perpétua; conforme a aliança que fizera e conforme a bênção com que Melquisedeque o havia abençoado.

CAPÍTULO 15

Deus faz convênios com Abrão – visão de Abrão – O cativeiro predito.

1 E aconteceu que depois destas coisas veio a palavra do Senhor a Abrão em visão, dizendo;

2 Não temas, Abrão; serei teu escudo; Eu serei tua grande recompensa. E de acordo com as bênçãos de meu servo, eu te darei.

3 E disse Abrão: Senhor Deus, que me darás, visto que não tenho filhos, e Eliezer de Damasco foi feito mordomo da minha casa?

4 E disse Abrão: Eis que não me deste semente; e eis que um nascido em minha casa é meu herdeiro.

5 E eis que novamente lhe veio a palavra do Senhor, dizendo:

6 Este não será teu herdeiro; mas aquele que sair das tuas entranhas será o teu herdeiro.

7 E levou-o para fora, e disse: Olha agora para o céu, e conta as estrelas, se as podes contar.

8 E disse-lhe: assim será a tua descendência.

9 E disse Abrão: Senhor Deus, como me darás esta terra por herança perpétua?

10 E disse o Senhor: Ainda que estivesses morto, não te posso dar?

11 E se morreres, ainda a possuirás, porque vem o dia em que o Filho do Homem viverá; mas como ele pode viver se ele não está morto? ele deve primeiro ser vivificado.

12 E aconteceu que Abrão olhou e viu os dias do Filho do Homem e se alegrou, e sua alma encontrou descanso e creu no Senhor; e o Senhor lhe imputou isso por justiça.

13 E o Senhor lhe disse: Eu, o Senhor, te tirei de Ur, dos caldeus, para te dar esta terra em herança.

14 E disse Abrão: Senhor, por meio do qual saberei que a herdarei? ainda assim ele creu em Deus. E disse-lhe o Senhor: Toma-me uma novilha de três anos, uma cabra de três anos, um carneiro de três anos, uma rola e um pombinho.

15 E ele tomou para si todos estes, e os dividiu no meio, e colocou cada pedaço um contra o outro; mas os pássaros não o dividiram.

16 E quando as aves desceram sobre as carcaças, Abrão as expulsou. E quando o sol estava se pondo, um profundo sono caiu sobre Abrão; e, eis que um grande horror das trevas caiu sobre ele.

17 E o Senhor falou, e disse a Abrão: Sabe com certeza que tua semente será um estrangeiro em uma terra que não será deles, e servirá a estranhos; e eles serão afligidos, e os servirão quatrocentos anos; e também aquela nação a quem eles servirem eu julgarei; e depois eles sairão com grande substância.

18 E morrerás, e irás em paz para teus pais; serás sepultado em boa velhice.

19 Mas na quarta geração eles voltarão para cá; porque a iniqüidade dos amorreus ainda não está completa.

20 E aconteceu que, quando o sol se pôs, e estava escuro, eis uma fornalha fumegante e uma lâmpada acesa que passava entre os pedaços que Abrão havia dividido.

21 E naquele mesmo dia o Senhor fez uma aliança com Abrão, dizendo: À tua descendência dei esta terra, desde o rio do Egito até o grande rio Eufrates;

22 Os queneus, os quenazeus, os cadmoneus, os heteus, os ferezeus, os refains, os amorreus, os cananeus, os girgaseus e os jebuseus.

CAPÍTULO 16

O presente de Sarai para Abrão – Deus não reconhece Hagar como a esposa de Abrão, Ismael nascida – Sarai recebe a promessa de um filho.

1 Ora, Sarai, mulher de Abrão, não lhe deu filhos. E ela tinha uma serva, uma egípcia, cujo nome era Agar.

2 E Sarai disse a Abrão: Eis que agora o Senhor me impediu de dar à luz; Rogo-te que vás ter com a minha serva; pode ser que eu consiga filhos dela. E Abrão deu ouvidos à voz de Sarai.

3 E Sarai, mulher de Abrão, tomou Agar, sua serva, a egípcia, depois de Abrão ter morado dez anos na terra de Canaã, e a deu a seu marido Abrão, para ser sua esposa.

4 E ele entrou em Agar, e ela concebeu; e quando ela viu que tinha concebido, sua senhora foi desprezada aos seus olhos.

5 E Sarai disse a Abrão: Meu mal está sobre ti; entreguei minha serva em teu seio; e quando ela viu que tinha concebido, fui desprezado aos seus olhos; o Senhor julgue entre mim e ti.

6 Mas Abrão disse a Sarai: Eis que tua serva está em tuas mãos; faça com ela o que quiser.

7 E quando Sarai tratou mal com ela, ela fugiu de seu rosto.

8 E um anjo do Senhor a encontrou junto a uma fonte de água no deserto, junto à fonte no caminho de Sur.

9 E ele disse: Agar, serva de Sarai, de onde vens e para onde irás? e ela disse, fujo da face de minha senhora Sarai.

10 E o anjo do Senhor lhe disse: Volta para tua senhora, e sujeita-te às suas mãos.

11 E o anjo do Senhor lhe disse: O Senhor multiplicará muito a tua descendência, para que não seja contada pela multidão.

12 E o anjo do Senhor disse-lhe: Eis que estás grávida, e darás à luz um filho, e porás o seu nome Ismael; porque o Senhor ouviu as tuas aflições.

13 E ele será um homem selvagem; e a sua mão será contra todos, e a mão de todos contra ele; e ele habitará na presença de todos os seus irmãos.

14 E ela chamou o nome do anjo do Senhor.

15 E ele lhe falou, dizendo: Sabes tu que Deus te vê?

16 E ela disse: Eu sei que Deus me vê, porque eu também aqui cuidei dele.

17 E havia um poço entre Cades e Bered, perto de onde Agar viu o anjo.

18 E o nome do anjo era Beer-la-hai-roi; por isso o poço foi chamado Beer-la-hai-roi para um memorial.

19 E Agar deu à luz um filho a Abrão; e Abrão chamou o nome de seu filho, que Agar deu à luz, Ismael.

20 E era Abrão da idade de oitenta e seis anos, quando Agar deu à luz Ismael a Abrão.

CAPÍTULO 17

O novo nome de Abrão — Circuncisão instituída.

1 E quando Abrão tinha noventa e nove anos, o Senhor apareceu a Abrão e disse-lhe: Eu, o Deus Todo-Poderoso, dou-te um mandamento; para que andes retamente diante de mim e sejas perfeito.

2 E farei a minha aliança entre mim e ti, e te multiplicarei sobremaneira.

3 E aconteceu que Abrão se prostrou com o rosto em terra e invocou o nome do Senhor.

4 E Deus falou com ele, dizendo: Meu povo se desviou de meus preceitos e não guardou minhas ordenanças, que dei a seus pais;

5 E não observaram a minha unção, nem o sepultamento, nem o batismo com que lhes ordenei;

6 Mas se desviaram do mandamento, e tomaram para si a lavagem dos filhos e o sangue da aspersão;

7 E disse que o sangue do justo Abel foi derramado pelos pecados; e não souberam de quem são responsáveis perante mim.

8 Mas quanto a ti, eis que farei contigo a minha aliança, e serás pai de muitas nações.

9 E faço esta aliança, para que teus filhos sejam conhecidos entre todas as nações. Nem o teu nome mais será chamado Abrão, mas o teu nome será chamado Abraão; pois, pai de muitas nações te fiz.

10 E te farei frutificar muito, e de ti farei nações, e reis virão de ti e da tua descendência.

11 E estabelecerei contigo uma aliança de circuncisão, e ela será a minha aliança entre mim e ti, e a tua descendência depois de ti, nas suas gerações; para que saibas para sempre que as crianças não prestam contas a mim até os oito anos de idade.

12 E cuidarás de guardar todos os meus convênios que fiz com teus pais; e guardarás os mandamentos que te dei com a minha própria boca, e eu serei um Deus para ti e para a tua descendência depois de ti.

13 E darei a ti e à tua descendência depois de ti, uma terra em que és estrangeiro; toda a terra de Canaã em possessão perpétua; e eu serei o seu Deus.

14 E Deus disse a Abraão: Por isso guardarás o meu pacto, tu e a tua descendência depois de ti, nas suas gerações.

15 E esta será a minha aliança que guardareis entre mim e ti e a tua descendência depois de ti; todo filho varão entre vós será circuncidado.

16 E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e será um sinal da aliança entre mim e você.

17 E o de oito dias será circuncidado entre vós, todo filho varão nas vossas gerações;

18 O nascido em casa, ou comprado por dinheiro a qualquer estranho, que não seja da tua descendência.

19 Aquele que nascer em tua casa, e aquele que for comprado com teu dinheiro, deverá ser circuncidado, e minha aliança estará em tua carne por aliança perpétua.

20 E o filho varão incircunciso, cuja carne do seu prepúcio não for circuncidada, essa alma será extirpada do seu povo, quebrou a minha aliança.

21 E Deus disse a Abraão, quanto a Sarai, tua mulher, não a chamarás Sarai, mas a Sara a chamarás.

22 E eu a abençoarei, e te darei um filho dela; sim, eu a abençoarei e ela será abençoada, a mãe das nações; reis e povos serão dela.

23 Então Abraão prostrou-se sobre o seu rosto e exultou, e disse no seu coração: Um menino nascerá ao de cem anos, e Sara, de noventa anos, dará à luz.

24 E Abraão disse a Deus: Oh, que Ismael viva em retidão diante de ti!

25 E Deus disse: Sara, tua mulher, te dará um filho, e chamarás o seu nome Isaque; e estabelecerei também com ele a minha aliança, como aliança perpétua com a sua descendência depois dele.

26 E quanto a Ismael, eu te ouvi; Eis que eu o abençoei, e o farei frutificar, e o multiplicarei sobremaneira;

27 Doze príncipes ele gerará, e eu farei dele uma grande nação.

28 Mas a minha aliança estabelecerei com Isaque, que Sara te dará à luz neste tempo determinado no próximo ano.

29 E deixou de falar com ele; e Deus subiu de Abraão.

30 E Abraão tomou Ismael seu filho, e todos os que nasceram em sua casa, e todos os que foram comprados com seu dinheiro, todo homem entre os homens da casa de Abraão; e circuncidaram a carne do seu prepúcio naquele mesmo dia, como Deus lhe dissera.

31 E Abraão tinha noventa e nove anos quando foi circuncidado na carne de seu prepúcio.

32 E Ismael tinha treze anos quando foi circuncidado na carne de seu prepúcio.

33 No mesmo dia, Abraão foi circuncidado, e seu filho Ismael; e todos os homens de sua casa, os nascidos em sua casa, e comprados com dinheiro de estranhos, também foram circuncidados com ele.

CAPÍTULO 18

O Senhor aparece a Abraão – Ló sendo avisado de Deus, foge.

1 E o Senhor apareceu a Abraão nas planícies de Manre. E sentou-se à porta da sua tenda no calor do dia;

2 E ele levantou os olhos e olhou, e eis que três homens estavam junto a ele; e quando ele viu, ele correu ao encontro deles da porta de sua tenda, e inclinou-se em direção ao chão, e disse;

3 Meus irmãos, se agora tenho achado graça aos vossos olhos, não passeis, rogo-vos, do vosso servo.

4 Peço-vos que tragam um pouco de água, e lavem os pés, e descansem debaixo da árvore, e eu trarei um pedaço de pão e consolarei seus corações; depois disso você passará; pois por isso viestes ao vosso servo. E eles disseram: Assim faça, como disseste.

5 E Abraão apressou-se à tenda a Sara, e disse: Prepara depressa três medidas de farinha fina, amassa e faz bolos na lareira.

6 E Abraão correu ao rebanho, e trouxe um bezerro, tenro e bom, e deu-o a um jovem, e ele se apressou em prepará-lo.

7 E tomou manteiga e leite, e o bezerro que havia preparado, e os pôs diante deles, e ficou junto a eles debaixo da árvore, e eles comeram.

8 E disseram-lhe: Onde está Sara tua mulher? E ele disse: Eis que está na tenda.

9 E um deles abençoou Abraão, e ele disse: Eu certamente voltarei para ti de minha jornada, e eis que, de acordo com o tempo de vida, Sara tua mulher terá um filho.

10 E Sara o ouviu, na porta da tenda.

11 E agora Abraão e Sara sendo velhos, e atingidos pela idade; portanto, deixou de ser com Sarah à maneira das mulheres;

12 Riu-se, pois, Sara consigo mesma, dizendo: Terei eu prazer, depois de ter envelhecido, sendo também o meu senhor velho?

13 E o anjo do Senhor disse a Abraão: Por que se riu Sara, dizendo: De certeza terei um filho que já sou velha? Há algo muito difícil para o Senhor?

14 No tempo determinado, eis que voltarei para ti da minha jornada, que o Senhor me enviou; e de acordo com o tempo da vida tu podes saber que Sara terá um filho.

15 Então Sara negou, dizendo: Não ri; pois ela estava com medo. E ele disse: Não, mas você riu.

16 E os anjos se levantaram dali, e olharam para Sodoma; e Abraão foi com eles para trazê-los no caminho.

17 E o anjo do Senhor disse: Ocultarei de Abraão o que o Senhor fará por ele; visto que Abraão certamente se tornará uma grande e poderosa nação, e todas as nações da terra serão abençoadas nele?

18 Porque eu o conheço, que ele ordenará a seus filhos e à sua casa depois dele, e eles guardarão o caminho do Senhor, para fazer justiça e juízo, para que o Senhor faça cair sobre Abraão o que dele falou.

19 E o anjo do Senhor disse a Abraão: O Senhor nos disse: Porque o clamor de Sodoma e Gomorra é grande, e porque seu pecado é muito grave, eu os destruirei.

20 E eu vos enviarei, e descereis agora, e vereis que as suas iniqüidades lhes serão recompensadas.

21 E todas as coisas serão feitas inteiramente de acordo com o clamor dele que veio a mim.

22 E se não o fizerdes, será sobre vossas cabeças; porque eu os destruirei, e você saberá que eu o farei, pois estará diante de seus olhos.

23 E os anjos que eram homens santos, e foram enviados segundo a ordem de Deus, viraram seus rostos dali e foram para Sodoma.

24 Mas Abraão ainda estava diante do Senhor, lembrando-se das coisas que lhe haviam sido ditas.

25 E, aproximando-se Abraão de Sodoma, disse ao Senhor, invocando o seu nome, dizendo: Destruirás o justo com o ímpio? Você não os poupará?

26 Porventura haja cinqüenta justos dentro da cidade, destruirás também e não pouparás o lugar para os cinqüenta justos que nela houver?

27 Oh, que esteja longe de ti fazer assim, para matar o justo com o ímpio; e que os justos sejam como os ímpios.

28 Ó Deus, que isso esteja longe de ti, pois não fará justiça o Juiz de toda a terra?

29 E disse o Senhor a Abraão: Se encontrares em Sodoma, cinqüenta justos dentro da cidade, pouparei todo o lugar por causa deles.

30 E Abraão respondeu e disse: Eis que agora me atrevi a falar ao Senhor, que é capaz de destruir a cidade e colocar todo o povo em pó e cinza;

31 O Senhor os poupará porventura faltarem cinco dos cinqüenta justos; destruirás toda a cidade por causa da sua maldade, se eu achar ali quarenta e cinco justos?

32 E ele disse: Não os destruirei, mas os pouparei.

33 E tornou a falar com ele, e disse: Porventura se achariam ali quarenta?

34 E ele disse: Não a destruirei por causa de quarenta.

35 E ele disse novamente ao Senhor: Oh, não deixe o Senhor se irar, e eu falarei: Porventura ali se acharão trinta?

36 E ele disse: Não os destruirei se achares trinta ali.

37 E ele disse: Eis que agora me atrevi a falar ao Senhor; você os destruirá se porventura vinte forem encontrados lá?

38 E ele disse: Não os destruirei por causa de vinte.

39 E Abraão disse ao Senhor, ó, não deixe o Senhor irar-se, e eu falarei ainda, mas desta vez, porventura dez serão encontrados lá?

40 E o Senhor disse: Não os destruirei por causa de dez. E o Senhor cessou de falar com Abraão.

41 E assim que ele deixou a comunhão com o Senhor, Abraão seguiu seu caminho.

42 E aconteceu que Abraão voltou para sua tenda.

CAPÍTULO 19

Derrubada de Sodoma e Gomorra – integridade de Ló – Misericórdia de Deus – fuga de Ló – a esposa de Ló pereceu – Iniquidade das filhas de Ló.

1 E aconteceu que três anjos chegaram a Sodoma à tarde; e Ló estava sentado à porta de sua casa, na cidade de Sodoma.

2 E Ló, vendo os anjos, levantou-se para encontrá-los; e inclinou-se com o rosto em terra;

3 E ele disse: Eis agora, meus senhores, entrai, peço-vos, na casa do vosso servo, e ficai toda a noite, e lavai os pés, e madrugareis e seguireis vossos caminhos.

4 E eles disseram: Não; mas vamos ficar na rua a noite toda.

5 E ele os pressionou muito; e voltaram para ele, e entraram em sua casa; e deu-lhes um banquete, e cozinhou pães ázimos, e eles comeram.

6 Mas antes de se deitarem, os homens da cidade de Sodoma cercaram a casa, tanto velhos como moços, gente de todas as partes;

7 E chamaram a Ló, e disseram-lhe: Onde estão os homens que vieram ter contigo esta noite? trazê-los para fora a nós, para que possamos conhecê-los.

8 E saiu Ló porta a eles, e fechou a porta atrás de si, e disse: Rogo-vos, irmãos, que não façais tão mal.

9 E eles lhe disseram: Afasta-te. E ficaram zangados com ele.

10 E eles disseram entre si: Este homem veio para peregrinar entre nós, e ele precisa agora fazer-se juiz; agora trataremos pior com ele do que com eles.

11 Por isso disseram ao homem: Teremos os homens e também tuas filhas; e faremos com eles o que nos parecer bem.

12 Ora, isso foi depois da maldade de Sodoma.

13 E disse Ló: Eis que tenho duas filhas que não conheceram homem; permita-me, rogo-te, rogar a meus irmãos que não os traga para fora; e não lhes fareis o que bem parecer aos vossos olhos;

14 Pois Deus não justificará seu servo nisto; portanto, deixe-me rogar a meus irmãos, apenas uma vez, que nada façais a estes homens, para que tenham paz em minha casa; pois, portanto, eles vieram à sombra do meu telhado.

15 E indignaram-se com Ló e se aproximaram para arrombar a porta, mas os anjos de Deus, que eram homens santos, estenderam a mão e puxaram Ló para dentro da casa, e fecharam a porta.

16 E feriram de cegueira os homens, tanto pequenos como grandes, para que não pudessem entrar à porta.

17 E eles ficaram com raiva, de modo que se cansaram de encontrar a porta, e não puderam encontrá-la.

18 E estes homens santos disseram a Ló: Tens alguém aqui além de teus genros, e os filhos de teu filho e tuas filhas?

19 E deram ordem a Ló, dizendo: Tudo o que tiveres na cidade, tirarás deste lugar, porque destruiremos este lugar;

20 Porque o clamor deles se tornou grande, e suas abominações subiram diante da face do Senhor; e o Senhor nos enviou para destruí-lo.

21 E saiu Ló e falou a seus genros, que se casaram com suas filhas, e disse: Levantai-vos, saí deste lugar, porque o Senhor destruirá esta cidade.

22 Mas ele parecia zombador para seus genros.

23 Ao amanhecer, os anjos apressaram Ló, dizendo: Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que estão aqui, para que não pereças na iniqüidade da cidade.

24 E enquanto ele se demorava, os anjos agarraram sua mão, e a mão de sua esposa, e a mão de suas duas filhas; o Senhor sendo misericordioso com eles; e eles os trouxeram, e os puseram fora da cidade.

25 E aconteceu que, levando-os para fora, disseram-lhes: Fujam para salvar a vida; não olhes para trás, nem te detenhas em toda a planície; fuja para a montanha para que não seja consumido.

26 E disse Ló a um deles: Oh, não é assim, meu Senhor! eis que agora o teu servo achou graça aos teus olhos e engrandeceste a tua misericórdia que me mostraste ao salvar-me a vida; e não posso escapar para a montanha, para que algum mal não me alcance e eu morra.

27 Eis que aqui está outra cidade, e esta está perto de fugir e é pequena; oh, deixe-me escapar para lá, e que o Senhor não a destrua, e minha alma viverá.

28 E o anjo lhe disse: Vê, eu te aceitei também nesta coisa, para não derrubar esta cidade, pela qual falaste; apressa-te, foge para lá, porque nada posso fazer até lá chegares.

29 E o nome da cidade foi chamado Zoar. Portanto, o sol nasceu sobre a terra quando Ló entrou em Zoar.

30 E o Senhor não destruiu Sodoma até que Ló tivesse entrado em Zoar.

31 E então, quando Ló entrou em Zoar, o Senhor fez chover sobre Sodoma e Gomorra; pois os anjos invocaram o nome do Senhor por enxofre e fogo do Senhor do céu.

32 E assim eles derrubaram aquelas cidades e toda a planície, e todos os habitantes das cidades, e o que crescia no solo.

33 Mas aconteceu que, quando Ló fugiu, sua mulher olhou para trás e se tornou uma estátua de sal.

34 E Abraão levantou-se de manhã cedo ao lugar onde estava diante do Senhor; e olhou para Sodoma e Gomorra, e para toda a terra da planície, e eis que a fumaça do país subia como a fumaça de uma fornalha.

35 E aconteceu que, destruindo Deus as cidades da planície, falou Deus a Abraão, dizendo: Lembrei-me de Ló, e o enviei do meio da destruição, para que teu irmão não fosse destruído, quando Eu derrubei a cidade em que teu irmão Lot morava.

36 E Abraão foi consolado. E Ló subiu de Zoar, e habitou no monte, e suas duas filhas com ele; porque temia habitar em Zoar. E ele habitou em uma caverna, ele e suas duas filhas.

37 E a primogênita procedeu iniquamente e disse à mais nova: Nosso pai envelheceu, e não temos homem na terra que venha a nós, para viver conosco à maneira de todos os que vivem na terra;

38 Portanto, vinde, demos vinho a nosso pai, e deitemo-nos com ele, para que conservemos a descendência de nosso pai.

39 E eles fizeram maldade, e fizeram seu pai beber vinho naquela noite; e a primogênita entrou e deitou-se com seu pai; e ele não percebeu quando ela se deitou, nem quando ela se levantou.

40 E aconteceu que no dia seguinte a primogênita disse à menor: Eis que ontem à noite me deitei com meu pai; façamos com que ele beba vinho também esta noite, e entre e deite-se com ele, para que conservemos a descendência de nosso pai.

41 E deram a beber vinho a seu pai também naquela noite; e a menor se levantou e deitou-se com ele, e ele não percebeu quando ela se deitou, nem quando se levantou.

42 Assim as duas filhas de Ló conceberam de seu pai.

43 E a primogênita deu à luz um filho, e chamou o seu nome Moab; o pai dos moabitas, os mesmos que são até hoje.

44 E a mais nova, ela também deu à luz um filho, e chamou seu nome Ben-ammi; o pai dos filhos que são amonitas; os mesmos que são até hoje.

CAPÍTULO 20

Abraão vai para Gerar – Abraão e Sara reprovados por Abimeleque.

1 E dali partiu Abraão para a terra do sul, e habitou entre Cades e Sur, e peregrinou em Gerar.

2 E Abraão disse novamente de Sara sua esposa, Ela é minha irmã.

3 E Abimeleque, rei de Gerar, enviou e levou Sara. Mas Deus veio a Abimeleque de noite em sonho, e disse-lhe: Eis que tomaste uma mulher que não é tua, porque é mulher de Abraão.

4 E o Senhor lhe disse: Tu a devolverás a Abraão, porque se não fizeres isso, morrerás.

5 E Abimeleque não tinha chegado perto dela; pois o Senhor não o havia sofrido.

6 E ele disse: Senhor, tu me matarás, e também uma nação justa? Eis que ele não me disse: Ela é minha irmã? E ela, ela mesma disse: Ele é meu irmão; e na integridade do meu coração e na inocência das minhas mãos fiz isso.

7 E Deus lhe disse em sonho: Sim, eu sei que fizeste isso na integridade do teu coração; pois também te impedi de pecar contra mim; portanto, não te permiti tocá-la.

8 Agora, pois, restitui-lhe a mulher do homem, porque ele é profeta, e orará por ti, e viverás; e se não a devolveres a ele, sabes que certamente morrerás; tu e tudo o que é teu.

9 Portanto, Abimeleque levantou-se de manhã cedo, chamou seus servos e contou todas essas coisas aos ouvidos deles; e os homens estavam com muito medo.

10 Então Abimeleque chamou a Abraão e disse-lhe: Que nos fizeste? e em que te ofendi, que trouxeste sobre mim e sobre o meu reino um grande pecado?

11 Fizeste-me coisas que não deviam ser feitas. E Abimeleque disse a Abraão: Que viste, que fizeste isto?

12 E Abraão disse: Porque eu pensava que o temor de Deus não estava neste lugar, e eles me matariam por causa de minha mulher;

13 E, no entanto, ela era minha irmã; ela era filha de meu pai, mas não filha de minha mãe; e ela se tornou minha esposa.

14 E aconteceu que, quando Deus me fez vaguear da casa de meu pai, eu lhe disse: Esta será a tua benignidade que me farás, em todo lugar aonde formos, dize de mim: Ele é Meu irmão.

15 E Abimeleque tomou ovelhas e bois, e servos e servas, e deu a Abraão, e restituiu-lhe Sara, sua mulher.

16 E Abimeleque disse: Eis que a minha terra está diante de ti; habita onde te agradar.

17 E a Sara disse: Eis que dei a teu irmão mil moedas de prata; eis que ele te dará uma cobertura para os olhos, e isso será por sinal a todos para que não sejas de novo tirado de Abraão, teu marido. E assim ela foi reprovada.

18 Então Abraão orou a Deus; e Deus curou Abimeleque, sua mulher e suas servas, e elas lhe deram filhos.

19 Porque por causa de Sara, mulher de Abraão, o Senhor rapidamente fechou todas as madres da casa de Abimeleque.

CAPÍTULO 21

Um filho nascido de Abraão - Isaac chamado - Bondwoman expulso - Aliança com Abimeleque.)

1 E o Senhor visitou Sara como ele havia dito, e o Senhor fez a Sara como ele havia falado pela boca de seus anjos; pois Sara concebeu e deu à luz um filho a Abraão em sua velhice, no tempo determinado de que os anjos de Deus lhe falaram.

2 E chamou Abraão o nome de seu filho que lhe nasceu, a quem Sara lhe deu, Isaac.

3 E Abraão circuncidou seu filho Isaac, que tinha oito dias, como Deus lhe ordenara.

4 E Abraão tinha cem anos, quando seu filho Isaac lhe nasceu.

5 E Sara disse: Deus me fez regozijar; e também todos os que me conhecem se alegrarão comigo.

6 E ela disse a Abraão: Quem teria dito que Sara deveria ter dado crianças para amamentar? Porque eu era estéril, mas o Senhor prometeu, e na sua velhice dei à luz um filho a Abraão.

7 E o menino cresceu e foi desmamado. E no dia em que Isaque foi desmamado, Abraão fez um grande banquete, e Sara viu o filho de Agar, a egípcia, que Agar havia dado a Abraão, zombando; e ela estava preocupada.

8 Por isso ela disse a Abraão: Lança fora esta escrava e seu filho; porque o filho desta escrava não será herdeiro com meu filho Isaque.

9 E isso foi muito doloroso para Abraão por causa de seu filho.

10 E Deus disse a Abraão: Não seja aflitivo aos teus olhos, por causa do rapaz e por causa da tua escrava; em tudo o que Sara te disse, ouve a sua voz; porque em Isaque será chamada a tua descendência.

11 E também do filho da escrava farei uma nação, porque ele é a tua descendência.

12 E Abraão levantou-se de manhã cedo, e tomou pão e uma garrafa de água, e deu a Agar, e ela tomou a criança, e ele a mandou embora; e ela partiu, e vagueou no deserto de Berseba.

13 E aconteceu que a água se esgotou na garrafa, e ela lançou a criança debaixo de um dos arbustos, e ela foi e a sentou de frente para a criança, bem longe, como se fosse um tiro de arco; porque ela disse: Não me deixes ver a morte do menino.

14 E ela sentou-se diante do menino, levantou a voz e chorou.

15 E Deus ouviu a voz do rapaz; e o anjo do Senhor chamou Agar do céu, e disse-lhe;

16 O que te faz mal, Agar? não temas, porque Deus ouviu a voz do rapaz onde está deitado; levanta-te, levanta o rapaz e segura-o na tua mão, porque dele farei uma grande nação.

17 E Deus abriu os olhos dela, e ela viu um poço de água; e ela foi, encheu a garrafa de água e deu de beber ao rapaz.

18 E Deus estava com o rapaz; e ele cresceu, e habitou no deserto, e se tornou um flecheiro; e habitou no deserto de Parã, ele e sua mãe.

19 E tomou-lhe uma mulher da terra do Egito.

20 E aconteceu que naquele tempo Abimeleque e Ficol, capitão-mor do seu exército, falaram a Abraão, dizendo: Deus é contigo em tudo o que fizeres.

21 Agora, pois, jura-me aqui que, com a ajuda de Deus, não serás falso comigo, nem com meu filho, nem com o filho de meu filho; mas, segundo a beneficência que te fiz, me farás a mim e à terra em que peregrinaste.

22 E disse Abraão: Juro.

23 E Abraão repreendeu Abimeleque, por causa de um poço de água que os servos de Abimeleque tinham tomado violentamente.

24 E Abimeleque disse: Tu não me disseste; e não sei quem fez isso; nem ainda ouvi dizer que isso foi feito até hoje.

25 E Abraão tomou ovelhas e bois, e os deu a Abimeleque; e ambos fizeram uma aliança.

26 E Abraão pôs à parte sete ovelhas do rebanho.

27 E Abimeleque disse a Abraão: Que farás com estas sete ovelhas que puseste à parte?

28 E ele disse: Sete ovelhas tomarás da minha mão, para que me sirvam de testemunha de que cavei este poço.

29 E porque juraram ambos, por isso chamou aquele lugar Berseba;

30 E assim fizeram uma aliança em Berseba;

31 Levantaram-se então Abimeleque e Ficol, chefe dos seus exércitos, e plantaram um bosque em Berseba, e ali invocaram o nome do Senhor; e voltaram para a terra dos filisteus.

32 E Abraão adorou ao Deus eterno, e peregrinou na terra dos filisteus por muitos dias.

CAPÍTULO 22

Abraão ordenou oferecer Isaque – Sua vontade aceita – Aliviado pela interposição divina – Nomes dos filhos de Naor.

1 E aconteceu depois destas coisas que Deus provou a Abraão e disse-lhe: Abraão; e Abraão disse: Eis-me aqui.

2 E o Senhor disse: Toma agora teu filho, teu único Isaque, a quem amas, e vai para a terra de Moriá; e oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes que eu te disser.

3 E Abraão levantou-se de manhã cedo e selou seu jumento, e levou consigo dois de seus jovens, e seu filho Isaac,

4 E corte a lenha para o holocausto; e levantou-se, e foi para o lugar que Deus lhe havia dito.

5 Então, no terceiro dia, Abraão levantou os olhos e viu o lugar de longe.

6 E Abraão disse a seus jovens: Fiquem aqui com o jumento, e eu e o rapaz iremos além e adoraremos, e voltaremos a vocês.

7 E Abraão tomou a lenha do holocausto, e a pôs sobre suas costas; e ele tomou o fogo em sua mão, e uma faca, e seu filho Isaac; e foram os dois juntos.

8 E Isaque falou a Abraão seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Aqui estou, meu filho.

9 E ele disse: Eis o fogo e a lenha; mas onde está o cordeiro para holocausto?

10 E Abraão disse: Meu filho, Deus proverá para si um cordeiro para holocausto. Então eles foram os dois juntos; e chegaram ao lugar que Deus lhe havia dito.

11 E Abraão edificou ali um altar, e pôs a lenha em ordem, e amarrou a Isaac seu filho, e o deitou sobre o altar, sobre a lenha.

12 E Abraão estendeu a mão e pegou a faca para matar seu filho.

13 E o anjo do Senhor o chamou do céu, e disse: Abraão! Abraão! E Abraão disse: Aqui estou eu.

14 E o anjo disse: Não estendas a mão sobre o rapaz, nem lhe faças coisa alguma;

15 Pois agora sei que temes a Deus, visto que não me negaste teu filho, teu único Isaque.

16 E Abraão levantou os olhos e olhou, e eis que atrás de uma moita havia um carneiro preso por seus chifres.

17 E foi Abraão e tomou o carneiro, e o ofereceu em holocausto, em lugar de seu filho.

18 E Abraão chamou o nome daquele lugar Jeová-Jiré; como se diz até hoje: No monte do Senhor se verá.

19 E o anjo do Senhor chamou a Abraão do céu pela segunda vez, e disse:

20 Assim diz o Senhor: Jurei por mim mesmo que, porque fizeste isto, e não me negaste teu filho, teu único Isaque;

21 Que em bênção eu te abençoarei; e multiplicando eu multiplicarei a tua descendência como as estrelas do céu, e como a areia que está na praia do mar.

22 E a tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos; e em tua descendência serão abençoadas todas as nações da terra; porque obedeceste à minha voz.

23 Então Abraão voltou para seus mancebos, e eles se levantaram e foram para Berseba; e Abraão habitou em Berseba.

24 E aconteceu depois destas coisas que foi dito a Abraão, dizendo:

25 Eis que Milca também deu à luz filhos a teu irmão Naor; Huz é seu primogênito e Buz é seu irmão.

26 E Kemuel é o pai de Aram, e Chesed, e Haza, e Bildash, e Jidlaph, e Betuel;

27 E Betuel gerou Rebeca.

28 Estes oito Milca deu à luz a Naor, irmão de Abraão; e sua concubina, cujo nome era Reumah, ela também deu à luz Tebá, e Gaham, Thaás e Maaca.

CAPÍTULO 23

A morte e o enterro de Sara – Compra do campo de Efrom.

1 E Sara tinha cento e vinte e sete anos, e ela morreu; e assim terminaram os anos da vida de Sara.

2 E Sarah morreu em Kirjatharba; o mesmo é agora chamado Hebron, na terra de Canaã.

3 E veio Abraão chorar por Sara, e chorar por ela, sua mulher que estava morta.

4 E Abraão levantou-se de diante de sua morte, e falou aos filhos de Hete, dizendo: Sou estrangeiro e peregrino convosco; dá-me posse de um sepulcro contigo, para que eu possa enterrar os meus mortos longe da minha vista.

5 E os filhos de Hete responderam a Abraão, dizendo-lhe: Ouve-nos, meu senhor; tu és um poderoso príncipe entre nós; no mais escolhido de nossos sepulcros enterra teus mortos; nenhum de nós te negará o seu sepulcro, mas para que possas enterrar os teus mortos.

6 E Abraão levantou-se, e inclinou-se para o povo da terra, e para os filhos de Hete; e comungava com eles, dizendo:

7 Se quer que eu enterre o meu morto longe da minha vista, ouve-me e suplica a Efrom, filho de Zohar, por mim, para que me dê a caverna de Macpela, que ele tem na extremidade do seu campo;

8 Pois, tanto dinheiro quanto valer ele terá, se ele me der como propriedade de um sepulcro entre vocês.

9 E Efrom habitou entre os filhos de Hete.

10 E Efrom, o heteu, respondeu a Abraão na audiência dos filhos de Hete, entre todos os que entravam pelas portas da cidade, dizendo:

11 Ouve, meu senhor, e ouve-me; o campo eu te dou, e a caverna que está nele; eu te dou na presença dos filhos do meu povo; e eu te dou; portanto, enterra teus mortos.

12 E Abraão inclinou-se diante do povo da terra, e falou a Efrom na audiência do povo da terra, dizendo: Rogo-te, ouve-me;

13 Se de mim tomá-lo, eu te darei dinheiro pelo campo, e enterrarei minha morta ali, mas te darei dinheiro por isso.

14 E Efrom respondeu a Abraão, dizendo-lhe: Meu senhor, ouve-me; a terra terás por quatrocentos siclos de prata; o que será isso entre mim e ti? Enterra, portanto, teus mortos.

15 E Abraão deu ouvidos a Efrom; e Abraão pesou a Efrom a prata que ele havia mencionado na audiência dos filhos de Hete, quatrocentos siclos de prata, que estava com o mercador.

16 E o campo de Efrom, que estava em Macpela, que estava diante de Manre; o campo, e a cova que havia nele, e todas as árvores que havia no campo, e que havia em todos os limites ao redor, foram dados a Abraão por possessão, na presença dos filhos de Hete, diante de todos. que entrou pela porta da cidade.

17 E depois disso, Abraão sepultou Sara, sua mulher, na cova do campo de Macpela, que está diante de Manre; o mesmo se chama Hebron, na terra de Canaã.

18 E o campo e a cova que estava nele foram dados a Abraão como propriedade de uma sepultura pelos filhos de Hete.

CAPÍTULO 24

Juramento do servo de Abraão – História do noivado e casamento de Isaque e Rebeca.

1 E agora Abraão era velho, bem avançado em idade; e o Senhor havia abençoado a Abraão em todas as coisas.

2 E Abraão disse ao seu servo mais velho de sua casa, que governava tudo o que ele tinha; Estende, peço-te, a tua mão debaixo da minha mão, e eu te farei jurar perante o Senhor, o Deus dos céus e o Deus da terra, que não tomarás mulher para meu filho, das filhas dos cananeus entre os quais habito; mas tu irás à minha terra, e à minha parentela, e tomarás uma mulher para meu filho Isaac.

3 E o servo disse-lhe: Talvez a mulher não queira seguir-me até esta terra, então devo trazer teu filho novamente para a terra de onde vieste.

4 E disse-lhe Abraão: Guarda-te que não tornes a trazer para lá o meu filho.

5 O Senhor Deus do céu, que me tirou da casa de meu pai e da terra de minha parentela, e que me falou e me jurou, dizendo: A ti darei esta terra;

6 Ele enviará o seu anjo adiante de ti, e dali tomarás uma mulher para meu filho.

7 E se a mulher não estiver disposta a seguir-te, então ficarás livre deste teu juramento, apenas não tragas meu filho para lá novamente.

8 E o servo pôs a mão sob a mão de Abraão, seu senhor, e jurou-lhe sobre esse assunto.

9 E o servo tomou dez camelos de seu senhor, e partiu; pois todos os bens de seu senhor estavam em suas mãos.

10 E ele se levantou e foi para a Mesopotâmia, para a cidade de Naor.

11 E fez os seus camelos ajoelharem-se fora da cidade, junto a um poço de água, à tarde, hora em que as mulheres saem para tirar água.

12 E ele disse: Ó Senhor Deus de meu senhor Abraão, rogo-te hoje que faças benevolência para com meu senhor Abraão, e me envies boa velocidade.

13 Eis que estou junto ao poço de água, e as filhas dos homens da cidade saem para tirar água;

14 E aconteça que a donzela a quem eu disser: Abaixa o teu cântaro, peço-te, para que eu beba; e ela dirá: Bebe, e darei de beber também aos teus camelos; seja ela a que designaste para o teu servo Isaque; e assim saberei que mostraste bondade para com meu senhor.

15 E aconteceu que, antes que ele acabasse de falar, eis que saiu Rebeca, a nascida de Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, com seu cântaro sobre o ombro.

16 E sendo a donzela uma virgem, muito formosa de se ver, tal como o servo de Abraão não tinha visto, nem homem algum a conhecera semelhante; e ela desceu ao poço, encheu o seu cântaro e subiu.

17 E o servo correu ao seu encontro e disse: Deixa-me, peço-te, beber um pouco de água do teu cântaro.

18 E ela disse: Bebe, meu senhor; e ela apressou-se e baixou o seu cântaro na mão, e deu-lhe de beber.

19 E, acabando ela de lhe dar de beber, disse: Trarei também para os teus camelos, até que terminem de beber.

20 E ela se apressou, e esvaziou seu cântaro no cocho, e correu novamente ao poço para tirar, e tirou para todos os seus camelos.

21 E o homem, maravilhando-se com ela, calou-se, pensando em seu coração se o Senhor havia feito sua jornada próspera ou não.

22 E aconteceu que, enquanto os camelos bebiam, o homem tomou um brinco de ouro do peso de meio siclo, e duas pulseiras para as mãos dela de dez siclos de peso de ouro, e disse: De quem és filha? diga-me, peço-te; e há lugar na casa de teu pai para nos hospedarmos?

23 E ela lhe disse: Eu sou filha de Betuel, filho de Milca, que ela deu a Naor.

24 Ela disse-lhe ainda: Temos bastante palha e forragem, e lugar para nos alojar.

25 E o homem inclinou a cabeça e adorou ao Senhor.

26 E disse: Bendito é o Senhor Deus de meu senhor Abraão, que não deixou meu senhor destituído de sua misericórdia e de sua fidelidade; e quando eu estava no caminho, o Senhor me conduziu à casa dos irmãos de meu senhor.

27 E a donzela correu para a casa, e contou estas coisas a sua mãe.

28 E Rebeca tinha um irmão, cujo nome era Labão; e Labão correu para o homem, para o poço.

29 E aconteceu que quando ele viu os brincos e braceletes nas mãos de sua irmã, e quando ele ouviu a palavra de Rebeca, sua irmã, dizendo: Assim me falou o homem, e eu fui ao homem, e eis que ele ficou ao lado dos camelos no poço.

30 E disse: Entra, bendito do Senhor; por que estás sem? pois preparei a casa e lugar para os camelos.

31 E o homem entrou na casa.

32 E ele descarregou seus camelos, e deu palha e forragem para os camelos, e água para lavar seus pés, e os pés dos homens que vinham com ele.

33 E foi colocado diante dele comida para comer; mas ele disse, eu não vou comer até que eu tenha dito minha missão.

34 E Labão disse: Fale. E ele disse: Eu sou servo de Abraão;

35 E o Senhor abençoou grandemente meu senhor, e ele se tornou grande, e deu-lhe rebanhos e gado, e prata e ouro; e servos, e servas, e camelos, e jumentos.

36 E Sara, mulher do meu senhor, deu à luz um filho ao meu senhor quando já era velha; e a ele deu tudo o que tem.

37 E meu senhor me fez jurar, dizendo: Não tomarás mulher para meu filho das filhas dos cananeus, em cuja terra habito;

38 Mas irás à casa de meu pai, e à minha parentela, e tomarás mulher para meu filho.

39 E eu disse ao meu senhor: Talvez a mulher não me siga.

40 E ele me disse: O Senhor, em cuja presença tenho andado, enviará o seu anjo contigo, e ele fará prosperar o teu caminho;

41 E tomarás uma mulher para meu filho, da minha parentela e da casa de meu pai; então estarás livre do meu juramento.

42 Quando vieres à minha parentela, e se não te derem mulher para meu filho, ficarás livre do meu juramento.

43 E cheguei hoje ao poço e disse: Ó Senhor Deus de meu senhor Abraão, se agora fizeres prosperar o meu caminho que vou;

44 Eis que estou junto à fonte de água; e acontecerá que, quando a virgem sair para tirar água, e eu lhe disser: Dá-me, peço-te, um pouco de água do teu cântaro para beber;

45 E se ela me disser: Bebe tu, e também tirarei para os teus camelos; esta é a mulher que o Senhor designou para o filho de meu senhor.

46 E antes que eu acabasse de falar em meu coração, eis que Rebeca saiu com seu cântaro no ombro, e desceu ao poço e tirou água.

47 E eu disse-lhe: Deixa-me beber, peço-te;

48 E ela se apressou, e desceu o cântaro do ombro, e disse: Bebe, e darei de beber também aos teus camelos; então eu bebi, e ela fez beber também os camelos.

49 E eu perguntei a ela e disse: De quem és filha?

50 E ela disse: A filha de Betuel, filho de Naor, que Milca lhe deu.

51 E dei-lhe os brincos, para lhe pôr nas orelhas, e as pulseiras nas suas mãos.

52 E eu abaixei minha cabeça, e adorei o Senhor, e abençoou o Senhor Deus de meu senhor Abraão, que me guiou no caminho certo para levar a filha do irmão de meu senhor para seu filho.

53 E agora, se você tratar bondosamente e verdadeiramente com meu mestre, diga-me; e se não, diga-me; para que eu me volte para a direita ou para a esquerda.

54 Responderam Labão e Betuel, dizendo: Isto procede do Senhor; não podemos falar-te mal ou bem.

55 Eis que Rebeca está diante de ti, toma-a e vai, e seja ela a mulher do filho de teu senhor, como o Senhor tem falado.

56 E aconteceu que, quando o servo de Abraão ouviu estas palavras, adorou ao Senhor, curvando-se em terra.

57 E o servo tirou jóias de prata, e jóias de ouro, e roupas, e deu a Rebeca. Deu também ao irmão dela e à mãe dela coisas preciosas.

58 E comeram e beberam, ele e os homens que estavam com ele, e passaram a noite toda.

59 E eles se levantaram pela manhã, e ele disse: Manda-me embora para meu senhor.

60 E seu irmão e sua mãe disseram: Que a donzela fique conosco pelo menos dez dias; depois disso ela irá.

61 E disse-lhes: Não me impeçais, visto que o Senhor prosperou o meu caminho; manda-me embora, para que eu vá ao meu senhor.

62 E eles disseram: Chamaremos a donzela e inquiriremos em sua boca.

63 E chamaram Rebeca, e disseram-lhe: Irás tu com este homem?

64 E ela disse, eu irei. E despediram Rebeca, sua irmã, e sua ama, e o servo de Abraão, e seus homens.

65 E eles abençoaram Rebeca, e disseram-lhe: Ó tu, nossa irmã, sejas bendita de milhares — de milhões; e que tua semente possua a porta daqueles que os odeiam.

66 E Rebeca se levantou, e suas donzelas, e eles montaram em camelos, e seguiram o homem; e o servo tomou Rebeca e partiu.

67 E Isaac veio do caminho do poço La-hai-roi; pois ele morava no país do sul.

68 E Isaque saiu para meditar no campo ao entardecer; e levantou os olhos, e viu, e eis que vinham os camelos.

69 E Rebeca levantou os olhos, e quando ela viu Isaac, ela desligou o camelo; porque disse ao servo: Que homem é este que vem ao nosso encontro no campo?

70 E o servo disse: É meu senhor; por isso ela pegou um véu e se cobriu.

71 E o servo contou a Isaque todas as coisas que ele havia feito.

72 E Isaac a trouxe para a tenda de sua mãe Sarah, e tomou Rebeca, e ela se tornou sua esposa; e ele a amava.

73 E Isaque foi consolado após a morte de sua mãe.

CAPÍTULO 25

Abraão se casa com Quetura – Sua morte – As gerações de Ismael – Sua morte – O nascimento de Esaú e Jacó – Esaú vende seu direito de primogenitura.

1 Então, novamente Abraão tomou uma esposa, e o nome dela era Quetura.

2 E ela deu à luz Zimran, e Jokshan, e Medan, e Midian, e Ishbak, e Shuah.

3 E Jokshan gerou Sheba, e Dedan. E os filhos de Dedã foram Assurim, Letusim e Leumim.

4 E os filhos de Midiã; Efa, e Efer, e Hanoch, e Abidah, e Eldaah. Todos estes eram filhos de Quetura.

5 E Abraão deu tudo o que tinha a Isaque.

6 Mas aos filhos das concubinas que Abraão tinha, Abraão deu presentes, e os despediu de seu filho Isaque, enquanto ele ainda vivia, para o oriente, para a terra do oriente.

7 E estes são o número dos anos da vida de Abraão, que ele viveu, cento e sessenta e quinze anos.

8 Então Abraão entregou o espírito e morreu em boa velhice, velho e farto de anos; e foi reunido ao seu povo.

9 E seus filhos Isaque e Ismael o sepultaram na caverna de Macpela, no campo de Efrom, filho de Zoar, o heteu, que está diante de Manre;

10 O campo que Abraão comprou dos filhos de Hete; ali foi sepultado Abraão, e Sara, sua mulher.

11 E aconteceu depois da morte de Abraão, que Deus abençoou seu filho Isaque, e Isaque habitou junto ao poço La-hai-roi.

12 Estas são as gerações de Ismael, filho de Abraão, que Agar, a egípcia, serva de Sara, deu à luz a Abraão;

13 E estes são os nomes dos filhos de Ismael, por seus nomes, de acordo com suas gerações; o primogênito de Ismael, Nebajoth; e Quedar, e Adbeel, e Mibsam.

14 E Mishma, e Dumah, e Massa.

15 Hadar, Tema, Jetur, Nafis e Quedemá;

16 Estes são os filhos de Ismael, e estes são os seus nomes, segundo as suas cidades e os seus castelos; doze príncipes segundo as suas nações.

17 E estes são o número dos anos da vida de Ismael, cento e trinta e sete anos; e ele entregou o espírito e morreu, e foi reunido ao seu povo.

18 E habitaram desde Havilá até Sur, que está defronte do Egito, enquanto tu vais para a Assíria; e morreu na presença de todos os seus irmãos.

19 E estas são as gerações de Isaac, filho de Abraão; Abraão gerou Isaque;

20 E Isaac tinha quarenta anos quando tomou por mulher Rebeca, filha de Betuel, o sírio de Padan-aram, irmã de Labão, o sírio.

21 E Isaque suplicou ao Senhor por sua esposa, para que ela pudesse gerar filhos, porque ela era estéril. E o Senhor se agradou dele, e Rebeca, sua mulher, concebeu.

22 E os filhos lutavam juntos dentro de seu ventre; e ela disse: Se estou grávida, por que é assim comigo? E ela foi consultar ao Senhor.

23 E o Senhor lhe disse: Duas nações estão no teu ventre, e dois tipos de povos serão separados das tuas entranhas; e um povo será mais forte do que o outro povo; e o mais velho servirá ao mais novo.

24 E quando se cumpriram os seus dias para dar à luz, eis que havia gêmeos em seu ventre.

25 E o primeiro saiu ruivo, todo como uma roupa peluda; e chamaram o seu nome Esaú.

26 E depois disso saiu seu irmão, e sua mão segurou o calcanhar de Esaú; e seu nome foi chamado Jacó; e Isaac tinha sessenta anos quando ela os deu à luz.

27 E os meninos cresceram; e Esaú era um caçador astuto, um homem do campo; e Jacó era um homem simples, morando em tendas.

28 E Isaque amou Esaú, porque ele comeu de sua caça; mas Rebeca amava Jacó.

29 E o caldo de relva de Jacob; e Esaú veio do campo, e estava desfalecido;

30 E Esaú disse a Jacó: Alimenta-me, peço-te, com aquele mesmo guisado vermelho; pois estou desmaiado; por isso seu nome foi chamado Edom.

31 E Jacó disse: Vende-me hoje a tua primogenitura.

32 E Esaú disse: Eis que estou a ponto de morrer; e que me aproveitará esta primogenitura?

33 And Jacob said, Swear to me this day; and he swore unto him; and he sold his birthright unto Jacob.

34 Then Jacob gave Esau bread and pottage of lentiles; and he did eat and drink, and rose up, and went his way. Thus Esau despised his birthright.

CAPÍTULO 26

Isaac goeth to Gerar — God blesseth him — He denieth his wife — Esau marrieth.

1 And there was a famine in the land, besides the first famine that was in the days of Abraham. And Isaac went unto Abimelech king of the Philistines unto Gerar.

2 And the Lord appeared unto him, and said, Go not down into Egypt; dwell in the land which I shall tell thee of.

3 Sojourn in this land, and I will be with thee, and will bless thee; for unto thee, and unto thy seed, I will give all these countries, and I will perform the oath which I sware unto Abraham thy father;

4 And I will make thy seed to multiply as the stars of heaven, and will give unto thy seed all these countries; and in thy seed shall all the nations of the earth be blessed;

5 Because that Abraham obeyed my voice, and kept my charge, my commandments, my statutes, and my laws.

6 And Isaac dwelt in Gerar.

7 And the men of the place asked him concerning his wife; and he said, She is my sister; for he feared to say, She in my wife; lest, the men of the place should kill him for to get Rebekah; because she was fair to look upon.

8 And it came to pass, when he had been there a long time, that Abimelech king of the Philistines looked out at a window, and saw, and, behold, Isaac was sporting with Rebekah his wife.

9 And Abimelech called Isaac, and said, Behold, of a surety Rebekah is thy wife; and how saidst thou she is thy sister? And Isaac said unto him, I said it because I feared lest I die for her.

10 And Abimelech said, What is this thou hast done unto us? one of the people might lightly have lain with thy wife, and thou shouldest have brought guiltiness upon us.

11 And Abimelech charged all his people, saying, He that thoucheth this man or his wife shall surely be put to death.

12 Then Isaac sowed in that land, and received in the same year a hundredfold; and the Lord blessed him.

13 And the man waxed great, and went forward, and grew until he became very great;

14 For he had possession of flocks, and possession of herds, and great store of servants; and the Philistines envied him.

15 For all the wells which his father’s servants had digged in the days of Abraham his father, the Philistines had stopped them, and filled them with earth.

16 And Abimelech said unto Isaac, Go from us; for thou art much mightier than we.

17 And Isaac departed thence, and pitched his tent in the valley of Gerar, and dwelt there.

18 And Isaac digged again the wells of water, which they had digged in the days of Abraham his father; for the Philistines had stopped them after the death of Abraham, and he called their names after the names by which his father had called them.

19 And Isaac’s servants digged in the valley, and found there a well of springing water.

20 And the herdman of Gerar did strive with Isaac’s herdmen, saying, The water is ours; and he called the name of the well Esek; because they strove with him.

21 And they digged another well, and strove for that also; and he called the name of it Sitnah.

22 And he removed from thence, and digged another well; and for that they strove not; and he called the name of it Rehoboth; and he said, For now the Lord hath made room for us, and we shall be fruitful in the land.

23 And he went up from thence to Beer-sheba.

24 And the Lord appeared unto him the same night, and said, I am the God of Abraham thy father; fear not, for I am with thee, and will bless thee, and multiply thy seed for my servant Abraham’s sake.

25 And he builded an altar there, and called upon the name of the Lord, and pitched his tent there; and there Isaac’s servants digged a well.

26 Then Abimelech went to him from Gerar, and Ahuzzath one of his friends, and Phichol the chief captain of his army.

27 And Isaac said unto them, Wherefore come ye to me, seeing ye hate me, and have sent me away from you?

28 And they said, We saw certainly that the Lord was with thee; and we said, Let there be now an oath betwixt us, even betwixt us and thee, and let us make a covenant with thee;

29 That thou wilt do us no hurt, as we have not touched thee, and as we have done unto thee nothing but good, and have sent thee away in peace; thou art now the blessed of the Lord.

30 And he made them a feast, and they did eat and drink.

31 And they rose up betimes in the morning, and sware one to another; and Isaac sent them away, and they departed from him in peace.

32 And it came to pass the same day, That Isaac’s servants came, and told him concerning the well which they had digged, and said unto him, We have found water.

33 And he called it Sheba; therefore the name of the city is Beer-sheba unto this day.

34 And Esau was forty years old when he took to wife Judith the daughter of Beeri the Hittite, and Bashemath the daughter of Elon the Hittite;

35 Which was a grief of mind unto Isaac and to Rebekah.

CAPÍTULO 27

Jacob by stratagem obtaineth the blessing.

1 And it came to pass, that when Isaac was old, and his eyes were dim, so that he could not see, he called Esau his eldest son, and said unto him, My son; and he said unto him, Behold, here am I.

2 And he said, Behold, now, I am old, I know not the day of my death;

3 Now therefore take, I pray thee, thy weapons, thy quiver and thy bow, and go out to the field, and take me some venison;

4 And make me savory meat, such as I love, and bring it to me, that I may eat; that my soul may bless thee before I die.

5 And Rebekah heard when Isaac spake to Esau his son. And Esau went to the field to hunt for venison, and to bring it.

6 And Rebekah spake unto Jacob her son, saying, Behold, I heard thy father speak unto Esau thy brother, saying,

7 Bring me venison, and make me savory meat, that I may eat, and bless thee before the Lord before my death.

8 Now therefore, my son, obey my voice according to that which I command thee.

9 Go now to the flock, and fetch me from thence two good kids of the goats; and I will make them savory meat for thy father, such as he loveth;

10 And thou shalt bring it to thy father, that he may eat, and that he may bless thee before his death.

11 And Jacob said to Rebekah his mother, Behold, Esau my brother is a hairy man, and I am a smooth man;

12 My father peradventure will feel me, and I shall seem to him as a deceiver; and I shall bring a curse upon me, and not a blessing.

13 And his mother said unto him, Upon me be thy curse, my son; only obey my voice, and go fetch me them.

14 And he went, and fetched, and brought them to his mother; and his mother made savory meat, such as his father loved.

15 And Rebekah took goodly raiment of her eldest son Esau, which were with her in the house, and put them upon Jacob her younger son;

16 And she put the skins of the kids of the goats upon his hands, and upon the smooth of his neck;

17 And she gave the savory meat and the bread, which she had prepared, into the hand of her son Jacob.

18 And he came unto his father, and said, My father; and he said, Here am I; who art thou, my son?

19 And Jacob said unto his father, I am Esau thy firstborn; I have done according as thou badest me; arise, I pray thee, sit and eat of my venison, that thy soul may bless me.

20 And Isaac said unto his son, How is it that thou hast found it so quickly, my son? And he said, Because the Lord thy God brought it to me.

21 And Isaac said unto Jacob, Come near, I pray thee, that I may feel thee, my son, whether thou be my very son Esau or not.

22 And Jacob went near unto Isaac his father; and he felt him and said, The voice is Jacob’s voice, but the hands are the hands of Esau.

23 And he discerned him not, because his hands were hairy, as his brother Esau’s hands; so he blessed him.

24 And he said, Art thou my very son Esau? And he said, I am.

25 And he said, Bring it near to me, and I will eat of my son’s venison, that my soul may bless thee. And he brought it near to him, and he did eat; and he brought him wine, and he drank.

26 And his father Isaac said unto him, Come near now, and kiss me, my son.

27 And he came near, and kissed him; and he smelled the smell of his raiment, and blessed him, and said, See, the smell of my son is as the smell of a field which the Lord hath blessed;

28 Therefore God give thee of the dew of heaven, and the fatness of the earth, and plenty of corn and wine;

29 Let people serve thee, and nations bow down to thee; be lord over thy brethren, and let thy mother’s sons bow down to thee; cursed be every one that curseth thee, and blessed be he that blesseth thee.

30 And it came to pass, as soon as Isaac had made an end of blessing Jacob, and Jacob was yet scarce gone out from the presence of Isaac his father, that Esau his brother came in from his hunting.

31 And he also had made savory meat, and brought it unto his father, and said unto his father, Let my father arise, and eat of his son’s venison, that thy soul may bless me.

32 And Isaac his father said unto him, Who art thou? And he said, I am thy son, thy firstborn, Esau.

33 And Isaac trembled very exceedingly, and said, Who? where is he that hath taken venison, and brought it me, and I have eaten of all before thou camest, and have blessed him? yea, and he shall be blessed.

34 And when Esau heard the words of his father, he cried with a great and exceeding bitter cry, and said unto his father, Bless me, even me also, O my father.

35 And he said, Thy brother came with subtilty, and hath taken away thy blessing.

36 And he said, Is not he rightly named Jacob? for he hath supplanted me these two times; he took away my birthright; and, behold, now he hath taken away my blessing. And he said, Hast thou not reserved a blessing for me?

37 And Isaac answered and said unto Esau, Behold, I have made him thy lord, and all his brethren have I given to him for servants; and with corn and wine have I sustained him; and what shall I do now unto thee, my son?

38 And Esau said unto his father, Hast thou but one blessing, my father? bless me, even me also, O my father. And Esau lifted up his voice, and wept.

39 And Isaac his father answered and said unto him, Behold, thy dwelling shall be the fatness of the earth, and of the dew of heaven from above;

40 And by thy sword shalt thou live, and shalt serve thy brother; and it shall come to pass when thou shalt have the dominion, that thou shalt break his yoke from off thy neck.

41 And Esau hated Jacob because of the blessing wherewith his father blessed him; and Esau said in his heart, The days of mourning for my father are at hand; then will I slay my brother Jacob.

42 And these words of Esau her elder son were told to Rebekah; and she sent and called Jacob her younger son, and said unto him, Behold, thy brother Esau, as touching thee, doth comfort himself, purposing to kill thee.

43 Now therefore, my son, obey my voice; and arise, flee thou to Laban my brother, to Haran;

44 And tarry with him a few days, until thy brother’s fury turn away;

45 Until thy brother’s anger turn away from thee, and he forget that which thou hast done to him; then I will send, and fetch thee from thence; why should I be deprived also of you both in one day?

46 And Rebekah said to Isaac, I am weary of my life because of the daughters of Heth; if Jacob take a wife of the daughters of Heth, such as these which are of the daughters of the land, what good shall my life do me?

CAPÍTULO 28

Isaac blesseth Jacob — Esau marrieth Mahalath — The vision of Jacob’s ladder — The stone of Beth-el — Jacob’s vow.

1 And Isaac called Jacob, and blessed him, and charged him, and said unto him, Thou shalt not take a wife of the daughters of Canaan.

2 Arise, go to Padan-aram, to the house of Bethuel thy mother’s father; and take thee a wife from thence of the daughters of Laban thy mother’s brother.

3 And God Almighty bless thee, and make thee fruitful, and multiply thee, that thou mayest be a multitude of people;

4 And give thee the blessing of Abraham, to thee, and to thy seed with thee; that thou mayest inherit the land wherein thou art a stranger, which God gave unto Abraham.

5 And Isaac sent away Jacob; and he went to Padan-aram unto Laban, son of Bethuel the Syrian, the brother of Rebekah, Jacob’s and Esau’s mother.

6 When Esau saw that Isaac had blessed Jacob, and sent him away to Padan-aram, to take him a wife from thence; and that as he blessed him he gave him a charge, saying, Thou shalt not take a wife of the daughters of Canaan;

7 And that Jacob obeyed his father and his mother, and was gone to Padan-aram;

8 And Esau seeing that the daughters of Canaan pleased not Isaac his father;

9 Then went Esau unto Ishmael, and took unto the wives which he had Mahalath the daughter of Ishmael Abraham’s son, the sister of Nebajoth, to be his wife.

10 And Jacob went out from Beer-sheba, and went toward Haran.

11 And he lighted upon a certain place, and tarried there all night, because the sun was set; and he took of the stones of that place, and put them for his pillows, and lay down in that place to sleep.

12 And he dreamed, and behold a ladder set up on the earth, and the top of it reached to heaven; and behold the angels of God ascending and descending upon it.

13 And, behold, the Lord stood above it, and said, I am the Lord God of Abraham thy father, and the God of Isaac; the land whereon thou liest, to thee will I give it, and to thy seed;

14 And thy seed shall be as the dust of the earth; and thou shalt spread abroad to the west, and to the east, and to the north, and to the south; and in thee and in thy seed shall all the families of the earth be blessed.

15 And, behold, I am with thee, and will keep thee in all places whither thou goest, and will bring thee again into this land; for I will not leave thee, until I have done that which I have spoken to thee of.

16 And Jacob awaked out of his sleep, and he said, Surely the Lord is in this place; and I knew it not.

17 And he was afraid, and said, How dreadful is this place! this is none other but the house of God, and this is the gate of heaven.

18 And Jacob rose up early in the morning, and took the stone that he had put for his pillows, and set it up for a pillar, and poured oil upon the top of it.

19 And he called the name of that place Beth-el; but the name of that city was called Luz at the first.

20 And Jacob vowed a vow, saying, If God will be with me, and will keep me in this way that I go, and will give me bread to eat, and raiment to put on,

21 So that I come again to my father’s house in peace; then shall the Lord be my God;

22 And the place of this stone which I have set for a pillar, shall be the place of God’s house; and of all that thou shalt give me I will surely give the tenth unto thee.

CAPÍTULO 29

Jacob cometh to Haran — Jacob covenanteth for Rachel — He is deceived with Leah — He marrieth Rachel.

1 Then Jacob went on his journey, and came into the land of the people of the east.

2 And he looked, and behold a well in the field, and, lo, there were three flocks of sheep lying by it; for out of that well they watered the flocks; and a great stone was upon the well’s mouth.

3 And thither were all the flocks gathered; and they rolled the stone from the well’s mouth, and watered the sheep, and put the stone again upon the well’s mouth in his place.

4 And Jacob said unto them, My brethren, from whence are ye? And they said, From Haran.

5 And he said unto them, Know ye Laban the son of Nahor? And they said, We know him.

6 And he said unto them, Is he well? And they said, He is well; and, behold, Rachel, his daughter cometh with the sheep.

7 And he said, Lo, it is yet high day, neither is it time that the cattle should be gathered together; water ye the sheep, and go and feed them.

8 And they said, We cannot, until all the flocks be gathered together, and till they roll the stone from the well’s mouth; then we water the sheep.

9 And while he yet spake with them, Rachel came with her father’s sheep; for she kept them.

10 And it came to pass, when Jacob saw Rachel the daughter of Laban his mother’s brother, and the sheep of Laban his mother’s brother, that Jacob went near, and rolled the stone from the well’s mouth, and watered the flock of Laban his mother’s brother.

11 And Jacob kissed Rachel, and lifted up his voice, and wept.

12 And Jacob told Rachel that he was her father’s brother, and that he was Rebekah’s son; and she ran and told her father.

13 And it came to pass, when Laban heard the tidings of Jacob his sister’s son, that he ran to meet him, and embraced him, and kissed him, and brought him to his house. And he told Laban all these things.

14 And Laban said to him, Surely thou art my bone and my flesh. And he abode with him the space of a month.

15 And Laban said unto Jacob, Because thou art my brother, shouldest thou therefore serve me for naught? tell me, what shall thy wages be?

16 And Laban had two daughters; the name of the elder was Leah, and the name of the younger was Rachel.

17 Leah was tender-eyed; but Rachel was beautiful and well-favored.

18 And Jacob loved Rachel; and said, I will serve thee seven years for Rachel thy younger daughter.

19 And Laban said, It is better that I give her to thee, than that I should give her to another man; abide with me.

20 And Jacob served seven years for Rachel; and they seemed unto him but a few days, for the love he had to her.

21 And Jacob said unto Laban, Give unto me my wife, that I may go and take her, for my days of serving thee are fulfilled.

22 And Laban gave her to Jacob, and gathered together all the men of the place, and made a feast.

23 And it came to pass in the evening, that he took Leah his daughter, and brought her to Jacob, and she went in and slept with him.

24 And Laban gave unto his daughter Leah, Zilpah, his handmaid, to be a handmaid for her.

25 And it came to pass, that in the morning, behold, it was Leah; and he said to Laban, What is this thou hast done unto me? did not I serve with thee for Rachel? wherefore then hast thou beguiled me?

26 And Laban said, It must not be so done in our country, to give the younger before the firstborn.

27 Fulfill her week, and we will give thee this also for the service which thou shalt serve with me yet seven other years.

28 And Jacob did so, and fulfilled her week; and he gave him Rachel his daughter to wife also.

29 And Laban gave to Rachel his daughter, Bilhah, his handmaid, to be her maid.

30 And he went in also and slept with Rachel, and he loved Rachel also, more than Leah, and served with Laban yet seven other years.

31 And when the Lord saw that Leah was hated, he opened her womb; but Rachel was barren.

32 And Leah conceived, and bare a son; and she called his name Reuben; for she said, Surely the Lord hath looked upon my affliction; now therefore my husband will love me.

33 And she conceived again, and bare a son; and said, Because the Lord hath heard that I was hated, he hath therefore given me this son also; and she called his name Simeon.

34 And she conceived again, and bare a son; and said, Now this time will my husband be joined unto me, because I have borne him three sons; therefore was his name called Levi.

35 And she conceived again, and bare a son; and she said, Now will I praise the Lord; therefore she called his name Judah; and left bearing.

CAPÍTULO 30

Rachel giveth her maid unto Jacob — Leah giveth her maid — Rachel beareth Joseph — Jacob’s policy.

1 And when Rachel saw that she bare Jacob no children, Rachel envied her sister; and said unto Jacob, Give me children, or else I die.

2 And Jacob’s anger was kindled against Rachel; and he said, Am I in God’s stead, who hath withheld from thee the fruit of the womb?

3 And she said, Behold my maid Bilhah, go in and lie with her; and she shall bear upon my knees, that I may also have children by her.

4 And she gave him Bilhah her handmaid to wife; and Jacob went and lay with her.

5 And Bilhah conceived, and bare Jacob a son.

6 And Rachel said, God hath judged me, and hath also heard my voice, and hath given me a son; therefore called she his name Dan.

7 And Bilhah Rachel’s maid conceived again, and bare Jacob a second son.

8 And Rachel said, With great wrestlings have I wrestled with my sister, and I have prevailed; and she called his name Naphtali.

9 When Leah saw that she had left bearing, she took Zilpah her maid, and gave her unto Jacob to wife.

10 And Zilpah Leah’s maid bare Jacob a son.

11 And Leah said, A troop cometh; and she called his name Gad.

12 And Zilpah Leah’s maid bare Jacob a second son.

13 And Leah said, Happy am I, for the daughters will call me blessed; and she called his name Asher.

14 And Reuben went in the days of wheat harvest, and found mandrakes in the field, and brought them unto his mother Leah. Then Rachel said to Leah, Give me, I pray thee, of thy son’s mandrakes.

15 And she said unto her, Is it a small matter that thou hast taken my husband? and wouldest thou take away my son’s mandrakes also? And Rachel said, Therefore he shall lie with thee tonight for thy son’s mandrakes.

16 And Jacob came out of the field in the evening, and Leah went out to meet him, and said, Thou must come in and lie with me; for surely I have hired thee with my son’s mandrakes. And he lay with her that night.

17 And God hearkened unto Leah, and she conceived, and bare Jacob the fifth son.

18 And Leah said, God hath given me my hire, because I have given my maiden to my husband; and she called his name Issachar.

19 And Leah conceived again, and bare Jacob the sixth son.

20 And Leah said, God hath endued me with a good dowry; now will my husband dwell with me, because I have borne him six sons; and she called his name Zebulun.

21 And afterwards she bare a daughter, and called her name Dinah.

22 And God remembered Rachel, and God hearkened to her, and opened her womb.

23 And she conceived, and bare a son; and said, God hath taken away my reproach;

24 And she called his name Joseph; and said, The Lord shall add to me another son.

25 And it came to pass, when Rachel had borne Joseph, that Jacob said unto Laban, Send me away, that I may go unto mine own place, and to my country.

26 Give me my wives and my children, for whom I have served thee, and let me go; for thou knowest my service which I have done thee.

27 And Laban said unto him, I pray thee, if I have found favor in thine eyes, tarry; for I have learned by experience that the Lord hath blessed me for thy sake.

28 And he said, Appoint me thy wages, and I will give it.

29 And he said unto him, Thou knowest how I have served thee and how thy cattle was with me.

30 For it was little which thou hadst before I came, and it is now increased unto a multitude; and the Lord hath blessed thee since my coming; and now, when shall I provide for mine own house also?

31 And he said, What shall I give thee? And Jacob said, Thou shalt not give me anything; if thou wilt do this thing for me, I will again feed and keep thy flock.

32 I will pass through all thy flock today, removing from thence all the speckled and spotted cattle, and all the brown cattle among the sheep, and the spotted and speckled among the goats; and of such shall be my hire.

33 So shall my righteousness answer for me in time to come, when it shall come for my hire before thy face; every one that is not speckled and spotted among the goats, and brown among the sheep, that shall be counted stolen with me.

34 And Laban said, Behold, I would it might be according to thy word.

35 And he removed that day the he goats that were ringstreaked and spotted, and all the she goats that were speckled and spotted, and every one that had some white in it, and all the brown among the sheep, and gave them into the hand of his sons.

36 And he set three days’ journey betwixt himself and Jacob; and Jacob fed the rest of Laban’s flocks.

37 And Jacob took him rods of green poplar, and of the hazel and chestnut tree; and pilled white streaks in them, and made the white appear which was in the rods.

38 And he set the rods which he had pilled before the flocks in the gutters in the watering troughs when the flocks came to drink, that they should conceive when they came to drink.

39 And the flocks conceived before the rods, and brought forth cattle ringstreaked, speckled, and spotted.

40 And Jacob did separate the lambs, and set the faces of the flocks toward the ringstreaked, and all the brown in the flock of Laban; and he put his own flocks by themselves, and put them not unto Laban’s cattle.

41 And it came to pass, whensoever the stronger cattle did conceive, that Jacob laid the rods before the eyes of the cattle in the gutters, that they might conceive among the rods.

42 But when the cattle were feeble, he put them not in; so the feebler were Laban’s, and the stronger Jacob’s.

43 And the man increased exceedingly, and had much cattle, and maidservants, and menservants, and camels, and asses.

CAPÍTULO 31

Jacob departeth secretly — Laban pursueth him — The covenant at Galeed.

1 And he heard the words of Laban’s sons, saying, Jacob hath taken away all that was our father’s; and of that which was our father’s hath he gotten all this glory.

2 And Jacob beheld the countenance of Laban, and, behold, it was not toward him as before.

3 And the Lord said unto Jacob, Return unto the land of thy fathers, and to thy kindred; and I will be with thee.

4 And Jacob sent and called Rachel and Leah to the field unto his flock,

5 And said unto them, I see your father’s countenance, that it is not toward me as before; but the God of my father hath been with me.

6 And ye know that with all my power I have served your father.

7 And your father hath deceived me, and changed my wages ten times; but God suffered him not to hurt me.

8 If he said thus, The speckled shall be thy wages; then all the cattle bare speckled; and it he said thus, The ringstreaked shall be thy hire; then bare all the cattle ringstreaked.

9 Thus God hath taken away the cattle of your father, and given them to me.

10 And it came to pass at the time that the cattle conceived, that I lifted up mine eyes, and saw in a dream, and, behold, the rams which leaped upon the cattle were ringstreaked, speckled, and grizzled.

11 And the angel of God spake unto me in a dream, saying, Jacob; and I said, Here am I.

12 And he said, Lift up now thine eyes, and see, all the rams which leap upon the cattle are ringstreaked, speckled, and grizzled; for I have seen all that Laban doeth unto thee.

13 I am the God of Beth-el, where thou anointedst the pillar, and where thou vowedst a vow unto me; now arise, get thee out from this land, and return unto the land of thy kindred.

14 And Rachel and Leah answered and said unto him, Is there yet any portion or inheritance for us in our father’s house?

15 Are we not counted of him strangers? for he hath sold us, and hath quite devoured also our money.

16 For all the riches which God hath taken from our father, that is ours, and our children’s; now then whatsoever God hath said unto thee, do.

17 Then Jacob rose up, and set his sons and his wives upon camels;

18 And he carried away all his cattle, and all his goods which he had gotten, the cattle of his getting, which he had gotten in Padan- aram, for to go to Isaac his father in the land of Canaan.

19 And Laban went to shear his sheep; and Rachel had stolen the images that were her father’s.

20 And Jacob stole away unawares to Laban the Syrian, in that he told him not that he fled.

21 So he fled with all that he had; and he rose up, and passed over the river, and set his face toward the mount Gilead.

22 And it was told Laban on the third day, that Jacob had fled.

23 And he took his brethren with him, and pursued after him seven days’ journey; and they overtook him in the mount Gilead.

24 And God came to Laban the Syrian in a dream by night, and said unto him, Take heed that thou speak not to Jacob either good or bad.

25 Then Laban overtook Jacob. Now Jacob had pitched his tent in the mount; and Laban with his brethren pitched in the mount of Gilead.

26 And Laban said to Jacob, What hast thou done, that thou hast stolen away unawares to me, and carried away my daughters, as captives taken with the sword?

27 Wherefore didst thou flee away secretly, and steal away from me; and didst not tell me, that I might have sent thee away with mirth, and with songs, with tabret, and with harp?

28 And hast not suffered me to kiss my sons and my daughters? thou hast now done foolishly in so doing.

29 It is in the power of my hand to do you hurt; but the God of your father spake unto me yesternight, saying, Take thou heed that thou speak not to Jacob either good or bad.

30 And now, though thou wouldest needs be gone, because thou sore longedst after thy father’s house, yet wherefore hast thou stolen my gods?

31 And Jacob answered and said to Laban, Because I was afraid; for I said, Peradventure thou wouldest take by force thy daughters from me.

32 With whomsoever thou findest thy gods, let him not live; before our brethren discern thou what is thine with me, and take it to thee. For Jacob knew not that Rachel had stolen them.

33 And Laban went into Jacob’s tent, and into Leah’s tent, and into the two maidservants’ tents; but he found them not. Then went he out of Leah’s tent, and entered into Rachel’s tent.

34 Now Rachel had taken the images, and put them in the camel’s furniture, and sat upon them. And Laban searched all the tent, but found them not.

35 And she said to her father, Let it not displease my lord that I cannot rise up before thee; for the custom of women is upon me. And he searched, but found not the images.

36 And Jacob was wroth, and chode with Laban; and Jacob answered and said to Laban, What is my trespass? what is my sin, that thou hast so hotly pursued after me?

37 Whereas thou hast searched all my stuff, what hast thou found of all thy household stuff? set it here before my brethren and thy brethren, that they may judge betwixt us both.

38 This twenty years have I been with thee; thy ewes and thy she goats have not cast their young, and the rams of thy flock have I not eaten.

39 That which was torn of beasts I brought not unto thee; I bare the loss of it; of my hand didst thou require it, whether stolen by day, or stolen by night.

40 Thus I was; in the day the drought consumed me, and the frost by night; and my sleep departed from mine eyes.

41 Thus have I been twenty years in thy house; I served thee fourteen years for thy two daughters, and six years for thy cattle; and thou hast changed my wages ten times.

42 Except the God of my father, the God of Abraham, and the fear of Isaac, had been with me, surely thou hadst sent me away now empty. God hath seen my affliction and the labor of my hands, and rebuked thee yesternight.

43 And Laban answered and said unto Jacob, These daughters are my daughters, and these children are my children, and these cattle are my cattle, and all that thou seest is mine; and what can I do this day unto these my daughters, or unto their children which they have borne?

44 Now therefore come thou, let us make a covenant, I and thou; and let it be for a witness between me and thee.

45 And Jacob took a stone, and set it up for a pillar.

46 And Jacob said unto his brethren, Gather stones; and they took stones, and made a heap; and they did eat there upon the heap.

47 And Laban called it Jegarsahadutha; but Jacob called it Galeed.

48 And Laban said, This heap is a witness between me and thee this day. Therefore was the name of it called Galeed,

49 And Mizpah; for he said, The Lord watch between me and thee, when we are absent one from another.

50 It thou shalt afflict my daughters, or if thou shalt take other wives beside my daughters, no man is with us; see, God is witness betwixt me and thee.

51 And Laban said to Jacob, Behold this heap, and behold this pillar, which I have cast betwixt me and thee;

52 This heap be witness, and this pillar be witness, that I will not pass over this heap to thee, and that thou shalt not pass over this heap and this pillar unto me, for harm.

53 The God of Abraham, and the God of Nahor, the God of their father, judge betwixt us. And Jacob sware by the fear of his father Isaac.

54 Then Jacob offered sacrifice upon the mount, and called his brethren to eat bread; and they did eat bread, and tarried all night in the mount.

55 And early in the morning Laban rose up, and kissed his sons and his daughters, and blessed them; and Laban departed, and returned unto his place.

CAPÍTULO 32

Jacob’s vision — He sendeth a present to Esau — He wrestleth with an angel at Peniel — He is called Israel.

1 And Jacob went on his way, and the angels of God met him.

2 And when Jacob saw them, he said, This is God’s host; and he called the name of that place Mahanaim.

3 And Jacob sent messengers before him to Esau his brother unto the land of Seir, the country of Edom.

4 And he commanded them, saying, Thus shall ye speak unto my lord Esau; Thy servant Jacob saith thus, I have sojourned with Laban, and stayed there until now;

5 And I have oxen, and asses, flocks, and menservants, and womenservants; and I have sent to tell my lord, that I may find grace in thy sight.

6 And the messengers returned to Jacob, saying, We came to thy brother Esau, and also he cometh to meet thee, and four hundred men with him.

7 Then Jacob was greatly afraid and distressed; and he divided the people that

was with him, and the flocks, and herds, and the camels, into two bands;

8 And said, If Esau come to the one company, and smite it, then the other company which is left shall escape.

9 And Jacob said, O God of my father Abraham, and God of my father Isaac, the Lord which saidst unto me, Return unto thy country, and to thy kindred, and I will deal well with thee;

10 I am not worthy of the least of all the mercies, and of all the truth, which thou hast showed unto thy servant; for with my staff I passed over this Jordan; and now I am become two bands.

11 Deliver me, I pray thee, from the hand of my brother, from the hand of Esau; for I fear him, lest he will come and smite me, and the mothers with the children.

12 And thou saidst, I will surely do thee good, and make thy seed as the sand of the sea, which cannot be numbered for multitude.

13 And he lodged there that same night; and took of that which came to his hand a present for Esau his brother;

14 Two hundred she goats and twenty he goats, two hundred ewes and twenty rams,

15 Thirty milch camels with their colts, forty kine and ten bulls, twenty she asses and ten foals.

16 And he delivered them into the hand of his servants, every drove by themselves; and said unto his servants, Pass over before me, and put a space betwixt drove and drove.

17 And he commanded the foremost, saying, When Esau my brother meeteth thee, and asketh thee, saying, Whose art thou? and whither goest thou? and whose are these before thee?

18 And thou shalt say, They be thy servant Jacob’s; it is a present sent unto my lord Esau; and, behold, also he is behind us.

19 And so commanded he the second and the third, and all that followed the droves, saying, On this manner shall ye speak unto Esau, when ye find him.

20 And say ye moreover, Behold, thy servant Jacob is behind us. For he said I will appease him with the present that goeth before me, and afterward I will see his face; peradventure he will accept of me.

21 So went the present over before him; and himself lodged that night in the company.

22 And he rose up that night, and took his two wives, and his two womenservants, and his eleven sons, and passed over the ford Jabbok.

23 And he took them, and sent them over the brook, and sent over that he had.

24 And Jacob was left alone; and there wrestled a man with him until the breaking of the day.

25 And when he saw that he prevailed not against him, he touched the hollow of his thigh; and the hollow of Jacob’s thigh was out of joint, as he wrestled with him.

26 And he said, Let me go, for the day breaketh. And he said, I will not let thee go, except thou bless me.

27 And he said unto him, What is thy name? And he said, Jacob.

28 And he said, Thy name shall be called no more Jacob, but Israel; for as a prince hast thou power with God and with men, and hast prevailed.

29 And Jacob asked him, and said, Tell me, I pray thee, thy name. And he said, Wherefore is it that thou dost ask after my name? And he blessed him there.

30 And Jacob called the name of the place Peniel; for I have seen God face to face, and my life is preserved.

31 And as he passed over Penuel the sun rose upon him, and he halted upon his thigh.

32 Therefore the children of Israel eat not of the sinew which shrank, which is upon the hollow of the thigh, unto this day; because he touched the hollow of Jacob’s thigh in the sinew that shrank.

CAPÍTULO 33

The kindness of Jacob and Esau at their meeting — Jacob buildeth an altar called El-Elohe-Israel.

1 And Jacob lifted up his eyes, and looked, and, behold, Esau came, and with him four hundred men. And he divided the children unto Leah, and unto Rachel, and unto the two handmaids.

2 And he put the handmaids and their children foremost, and Leah and her children after, and Rachel and Joseph hindermost.

3 And he passed over before them, and bowed himself to the ground seven times, until he came near to his brother.

4 And Esau ran to meet him, and embraced him, and fell on his neck, and kissed him; and they wept.

5 And he lifted up his eyes, and saw the women and the children, and said, Who are those with thee? And he said, The children which God hath graciously given thy servant.

6 Then the handmaidens came near, they and their children, and they bowed themselves.

7 And Leah also with her children came near, and bowed themselves; and after came Joseph near and Rachel, and they bowed themselves.

8 And he said, What meanest thou by all this drove which I met? And he said, These are to find grace in the sight of my lord.

9 And Esau said, I have enough, my brother; keep that thou hast unto thyself.

10 And Jacob said, Nay, I pray thee, if now I have found grace in thy sight, then receive my present at my hand; for therefore I have seen thy face, as though I had seen the face of God, and thou wast pleased with me.

11 Take, I pray thee, my blessing that is brought to thee; because God hath dealt graciously with me, and because I have enough. And he urged him, and he took it.

12 And he said, Let us take our journey, and let us go, and I will go before thee.

13 And he said unto him, My lord knoweth that the children are tender, and the flocks and herds with young are with me; and if men should overdrive them one day, all the flock will die.

14 Let my lord, I pray thee, pass over before his servant; and I will lead on softly, according as the cattle that goeth before me and the children be able to endure, until I come unto my lord unto Seir.

15 And Esau said, Let me now leave with thee some of the folk that are with me. And he said, What needeth it? let me find grace in the sight of my lord.

16 So Esau returned that day on his way unto Seir.

17 And Jacob journeyed to Succoth, and built him a house, and made booths for his cattle; therefore the name of the place is called Succoth.

18 And Jacob came to Shalem, a city of Shechem, which is in the land of Canaan, when he came from Padan-aram; and pitched his tent before the city.

19 And he bought a parcel of a field, where he had spread his tent, at the hand of the children of Hamor, Shechem’s father, for a hundred pieces of money.

20 And he erected there an altar, and called it El-Elohe-Israel.

CAPÍTULO 34

Dinah is ravished by Shechem — Circumcision of the Shechemites — The sons of Jacob slay them, and spoil their city — Jacob reproveth Simeon and Levi.

1 And Dinah the daughter of Leah, which she bare unto Jacob, went out to see the daughters of the land.

2 And when Shechem the son of Hamor the Hivite, prince of the country, saw her, he took her, and lay with her, and defiled her.

3 And his soul clave unto Dinah the daughter of Jacob, and he loved the damsel, and spake kindly unto the damsel.

4 And Shechem spake unto his father Hamor, saying, Get me this damsel to wife.

5 And Jacob heard that he had defiled Dinah his daughter; now his sons were with his cattle in the field; and Jacob held his peace until they were come.

6 And Hamor the father of Shechem went out unto Jacob to commune with him.

7 And the sons of Jacob came out of the field when they heard it; and the men were grieved, and they were very wroth, because he had wrought folly in Israel in lying with Jacob’s daughter; which thing ought not to be done.

8 And Hamor communed with them, saying, The soul of my son Shechem longeth for your daughter; I pray you give her him to wife.

9 And make ye marriages with us, and give your daughters unto us, and take our daughters unto you.

10 And ye shall dwell with us; and the land shall be before you; dwell and trade ye therein, and get you possessions therein.

11 And Shechem said unto her father and unto her brethren, Let me find grace in your eyes, and what ye shall say unto me I will give.

12 Ask me never so much dowry and gift, and I will give according as ye shall say unto me; but give me the damsel to wife.

13 And the sons of Jacob answered Shechem and Hamor his father deceitfully, and said, because he had defiled Dinah their sister;

14 And they said unto them, We cannot do this thing, to give our sister to one that is uncircumcised; for that were a reproach unto us;

15 But in this will we consent unto you; If ye will be as we be, that every male of you be circumcised;

16 Then will we give our daughters unto you, and we will take your daughters to us, and we will dwell with you, and we will become one people.

17 But if ye will not hearken unto us, to be circumcised; then will we take our daughter, and we will be gone.

18 And their words pleased Hamor and Shechem Hamor’s son.

19 And the young man deferred not to do the thing, because he had delight in Jacob’s daughter; and he was more honorable than all the house of his father.

20 And Hamor and Shechem his son came unto the gate of their city, and communed with the men of their city, saying,

21 These men are peaceable with us; therefore let them dwell in the land, and trade therein; for the land, behold, it is large enough for them; let us take their daughters to us for wives, and let us give them our daughters.

22 Only herein will the men consent unto us for to dwell with us, to be one people, if every male among us be circumcised, as they are circumcised.

23 Shall not their cattle and their substance and every beast of theirs be ours? only let us consent unto them, and they will dwell with us.

24 And unto Hamor and unto Shechem his son hearkened all that went out of the gate of his city; and every male was circumcised, all that went out of the gate of his city.

25 And it came to pass on the third day, when they were sore, that two of the sons of Jacob, Simeon and Levi, Dinah’s brethren, took each man his sword, and came upon the city boldly, and slew all the males.

26 And they slew Hamor and Shechem his son with the edge of the sword, and took Dinah out of Shechem’s house, and went out.

27 The sons of Jacob came upon the slain, and spoiled the city, because they had defiled their sister.

28 They took their sheep, and their oxen, and their asses, and that which was in the city, and that which was in the field,

29 And all their wealth, and all their little ones, and their wives took they captive, and spoiled even all that was in the house.

30 And Jacob said to Simeon and Levi, Ye have troubled me to make me to stink among the inhabitants of the land, among the Canaanites and the Perizzites; and I being few in number, they shall gather themselves together against me, and slay me; and I shall be destroyed, I and my house.

31 And they said, Should he deal with our sister as with a harlot?

CAPÍTULO 35

God sendeth Jacob to Beth-el — He purgeth his house of idols — He buildeth an altar at Beth-el — God blesseth Jacob at Beth-el — Rachel dieth — Reuben lieth with Bilhah — The sons of Jacob — Jacob cometh to Isaac at Hebren — The death of Isaac.

1 And God said unto Jacob, Arise, go up to Beth-el, and dwell there; and make there an altar unto God, that appeared unto thee when thou fleddest from the face of Esau thy brother.

2 Then Jacob said unto his household, and to all that were with him, Put away the strange gods that are among you, and be clean, and change your garments;

3 And let us arise, and go up to Beth-el; and I will make there an altar unto God, who answered me in the day of my distress, and was with me in the way which I went.

4 And they gave unto Jacob all the strange gods which were in their hand, and all their earrings which were in their ears; and Jacob hid them under the oak which was by Shechem.

5 And they journeyed; and the terror of God was upon the cities that were round about them, and they did not pursue after the sons of Jacob.

6 So Jacob came to Luz which is in the land of Canaan, that is, Beth-el, he and all the people that were with him.

7 And he built there an altar, and called the place El-beth-el; because there God appeared unto him, when he fled from the face of his brother.

8 But Deborah Rebekah’s nurse died, and she was buried beneath Beth-el under an oak; and the name of it was called Allonbachuth.

9 And God appeared unto Jacob again, when he came out of Padanaram, and blessed him.

10 And God said unto him, Thy name is Jacob; thy name shall not be called any more Jacob, but Israel shall be thy name; and he called his name Israel.

11 And God said unto him, I am God Almighty; be fruitful and multiply; a nation and a company of nations shall be of thee, and kings shall come out of thy loins;

12 And the land which I gave Abraham and Isaac, to thee I will give it, and to thy seed after thee will I give the land.

13 And God went up from him in the place where he talked with him.

14 And Jacob set up a pillar in the place where he talked with him, even a pillar of stone; and he poured a drink offering thereon, and he poured oil thereon.

15 And Jacob called the name of the place where God spake with him, Beth-el.

16 And they journeyed from Beth-el; and there was but a little way to come to Ephrath; and Rachel travailed, and she had hard labor.

17 And it came to pass, when she was in hard labor, that the midwife said unto her, Fear not; thou shalt have this son also.

18 And it came to pass, as her soul was in departing, (for she died,) that she called his name Ben-oni; but his father called him Benjamin.

19 And Rachel died, and was buried in the way to Ephrath, which is Bethlehem.

20 And Jacob set a pillar upon her grave; that is the pillar of Rachel’s grave unto this day.

21 And Israel journeyed, and spread his tent beyond the tower of Edar.

22 And it came to pass, when Israel dwelt in that land, that Reuben went and lay with Bilhah his father’s concubine; and Israel heard it. Now the sons of Jacob were twelve;

23 The sons of Leah; Reuben, Jacob’s firstborn, and Simeon, and Levi, and Judah, and Issachar, and Zebulun;

24 The sons of Rachel; Joseph, and Benjamin;

25 And the sons of Bilhah, Rachel’s handmaid; Dan, and Naphtali;

26 And the sons of Zilpah, Leah’s handmaid; Gad, and Asher. These are the sons of Jacob, which were born to him in Padan-aram.

27 And Jacob came unto Isaac his father unto Mamre, unto the city of Arba, which is Hebron, where Abraham and Isaac sojourned.

28 And the days of Isaac were a hundred and fourscore years.

29 And Isaac gave up the ghost, and died, and was gathered unto his people, being old and full of days; and his sons Esau and Jacob buried him.

CAPÍTULO 36

Esau’s three wives — His sons.

1 Now these are the generations of Esau, who is Edom.

2 Esau took his wives of the daughters of Canaan; Adah the daughter of Elon the Hittite, and Aholibamah the daughter of Anah the daughter of Zibeon the Hivite;

3 And Bashemath Ishmael’s daughter, sister of Nebajoth.

4 And Adah bare to Esau Eliphaz; and Bashemath bare Reuel;

5 And Aholibamah bare Jeush, and Jaalam, and Korah; these are the sons of Esau, which were born unto him in the land of Canaan.

6 And Esau took his wives, and his sons, and his daughters, and all the persons of his house, and his cattle, and all his beasts, and all his substance, which he had got in the land of Canaan; and went into the country from the face of his brother Jacob.

7 For their riches were more than that they might dwell together; and the land wherin they were strangers could not bear them because of their cattle.

8 Thus dwelt Esau in mount Seir; Esau is Edom.

9 And these are the generations of Esau the father of the Edomites in mount Seir;

10 These are the names of Esau’s sons; Eliphaz the son of Adah the wife of Esau, Reuel the son of Bashemath the wife of Esau.

11 And the sons of Eliphaz were Teman, Omar, Zepho, and Gatam, and Kenaz.

12 And Timna was concubine to Eliphaz Esau’s son; and she bare to Eliphaz Amalek; these were the sons of Adah Esau’s wife.

13 And these are the sons of Reuel; Nahath, and Zerah, Shammah, and Mizzah; these were the sons of Bashemath Esau’s wife.

14 And these were the sons of Aholibamah, the daughter of Anah the daughter of Zibeon, Esau’s wife; and she bare to Esau Jeush, and Jaalam, and Korah.

15 These were dukes of the sons of Esau; the sons of Eliphaz the firstborn son of Esau; duke Teman, duke Omar, duke Zepho, duke Kenaz,

16 Duke Korah, duke Gatam, and duke Amalek; these are the dukes that came of Eliphaz in the land of Edom; these were the sons of Adah.

17 And these are the sons of Reuel Esau’s son; duke Nahath, duke Zerah, duke Shammah, duke Mizzah; these are the dukes that came of Reuel in the land of Edom; these are the sons of Bashemath Esau’s wife.

18 And these are the sons of Aholibamah Esau’s wife; duke Jeush, duke Jaalam, duke Korah; these were the dukes that came of Aholibamah the daughter of Anah, Esau’s wife.

19 These are the sons of Esau, who is Edom, and these are their dukes.

20 These are the sons of Seir the Horite, who inhabited the land; Lotan, and Shobal, and Zibeon, and Anah,

21 And Dishon, and Ezer, and Dishan; these are the dukes of the Horites, the children of Seir in the land of Edom.

22 And the children of Lotan were Hori and Hemam; and Lotan’s sister was Timna.

23 And the children of Shobal were these; Alvan, and Manahath, and Ebal, Shepho, and Onam.

24 And these are the children of Zibeon; both Ajah, and Anah; this was that Anah that found the mules in the wilderness, as he fed the asses of Zibeon his father.

25 And the children of Anah were these; Dishon, and Abholibamah the daughter of Anah.

26 And these are the children of Dishon; Hemdan, and Eshban, and Ithran, and Cheran.

27 The children of Ezer are these; Bilhan, and Zaavan, and Akan.

28 The children of Dishan are these; Uz, and Aran.

29 These are the dukes that came of the Horites; duke Lotan, duke Shobal, duke Zibeon, duke Anah,

30 Duke Dishon, duke Ezer, duke Dishan; these are the dukes that came of Hori, among their dukes in the land of Seir.

31 And these are the kings that reigned in the land of Edom, before there reigned any king over the children of Israel.

32 And Bela the son of Beor reigned in Edom; and the name of his city was Dinhabah.

33 And Bela died, and Jobab the son of Zerah of Bozrah reigned in his stead.

34 And Jobab died, and Husham of the land of Temani reigned in his stead.

35 And Husham died, and Hadad the son of Bedad, who smote Midian in the field of Moab, reigned in his stead; and the name of his city was Avith.

36 And Hadad died, and Samlah of Masrekah reigned in his stead.

37 And Samlah died, and Saul of Rehoboth by the river reigned in his stead.

38 And Saul died, and Baal-hanan the son of Achbor reigned in his stead.

39 And Baal-hanan the son of Achbor died, and Hadar reigned in his stead; and the name of his city was Pau; and his wife’s name was Mehetabel, the daughter of Matred, the daughter of Mezahab.

40 And these are the names of the dukes that came of Esau, according to their families, after their places, by their names; duke Timnah, duke Alvah, duke Jetheth,

41 Duke Aholibamah, duke Elah, duke Pinon,

42 Duke Kenaz, duke Teman, duke Mibzar,

43 Duke Magdiel, duke Iram; these be the dukes of Edom, according to their habitations in the land of their possession; he is Esau the father of the Edomites.

CAPÍTULO 37

Joseph hated of his brethren — His two dreams — Is sold to the Ishmaelites — He is sold to Potiphar.

1 And Jacob dwelt in the land wherein his father was a stranger, in the land of Canaan.

2 And this is the history of the generations of Jacob. Joseph, being seventeen years old, was feeding the flock with his brethren; and the lad was with the sons of Bilhah, and with the sons of Zilpah, his father’s wives; and Joseph brought unto his father their evil report.

3 Now Israel loved Joseph more than all his children, because he was the son of his old age; and he made him a coat of many colors.

4 And when his brethren saw that their father loved him more than all his brethren, they hated him, and could not speak peaceably unto him.

5 And Joseph dreamed a dream, and he told it his brethren; and they hated him yet the more.

6 And he said unto them, Hear, I pray you, this dream which I have dreamed;

7 For, behold, we were binding sheaves in the field, and, lo, my sheaf arose, and also stood upright; and, behold, your sheaves stood round about, and made obeisance to my sheaf.

8 And his brethren said to him, Shalt thou indeed reign over us? or shalt thou indeed have dominion over us? And they hated him yet the more for his dreams, and for his words.

9 And he dreamed yet another dream, and told it his brethren, and said, Behold, I have dreamed a dream more; and behold, the sun and the moon and the eleven stars made obeisance to me.

10 And he told it to his father, and to his brethren; and his father rebuked him, and said unto him, What is this dream that thou hast dreamed? Shall I and thy mother and thy brethren indeed come to bow down ourselves to thee to the earth?

11 And his brethren envied him; but his father observed the saying.

12 And his brethren went to feed their father’s flock in Shechem.

13 And Israel said unto Joseph, Do not thy brethren feed the flock in Shechem? come, and I will send thee unto them. And he said to him, Here am I.

14 And he said to him, Go, I pray thee, see whether it be well with thy brethren, and well with the flocks; and bring me word again. So he sent him out of the vale of Hebron, and he came to Shechem.

15 And a certain man found him, and, behold, he was wandering in the field; and the man asked him, saying, What seekest thou?

16 And he said, I seek my brethren; tell me, I pray thee, where they feed their flocks.

17 And the man said, They are departed hence; for I heard them say, Let us go to Dothan. And Joseph went after his brethren and found them in Dothan.

18 And when they saw him afar off, even before he came near unto them, they conspired against him to slay him.

19 And they said one to another, Behold, this dreamer cometh.

20 Come now therefore, and let us slay him, and cast him into some pit, and we will say, Some evil beast hath devoured him; and we shall see what will become of his dreams.

21 And Reuben heard it, and he delivered him out of their hands; and said, Let us not kill him.

22 And Reuben said unto them, Shed no blood, but cast him into this pit that is in the wilderness, and lay no hand upon him; that he might rid him out of their hands, to deliver him to his father again.

23 And it came to pass, when Joseph was come unto his brethren, that they stripped Joseph out of his coat, his coat of many colors that was on him;

24 And they took him, and cast him into a pit; and the pit was empty, there was no water in it.

25 And they sat down to eat bread; and they lifted up their eyes and looked, and, behold, a company of Ishmaelites came from Gilead, with their camels bearing spicery and balm and myrrh, going to carry it down to Egypt.

26 And Judah said unto his brethren, What profit is it if we slay our brother, and conceal his blood?

27 Come, and let us sell him to the Ishmaelites, and let not our hand be upon him; for he is our brother and our flesh; and his brethren were content.

28 Then there passed by Midianites merchantmen; and they drew and lifted up Joseph out of the pit, and sold Joseph to the Ishmaelites for twenty pieces of silver; and they brought Joseph into Egypt.

29 And Reuben returned unto the pit; and, behold, Joseph was not in the pit; and he rent his clothes.

30 And he returned unto his brethren, and said, The child is not; and I, whither shall I go?

31 And they took Joseph’s coat, and killed a kid of the goats, and dipped the coat in the blood;

32 And they sent the coat of many colors, and they brought it to their father; and said, This have we found; know now whether it be thy son’s coat or no.

33 And he knew it, and said, It is my son’s coat; an evil beast hath devoured him; Joseph is without doubt rent in pieces.

34 And Jacob rent his clothes, and put sackcloth upon his loins, and mourned for his son many days.

35 And all his sons and all his daughters rose up to comfort him; but he refused to be comforted; and he said, For I will go down into the grave unto my son mourning. Thus his father wept for him.

36 And the Midianites sold him into Egypt unto Potiphar, an officer of Pharaoh’s, and captain of the guard.

CAPÍTULO 38

Birth of Er, Onan, and Shelah — Er marrieth Tamar — She deceiveth Judah.

1 And it came to pass at that time, that Judah went down from his brethren, and turned into a certain Adullamite, whose name was Hirah.

2 And Judah saw there a daughter of a certain Canaanite, whose name was Shuah; and he took her, and went in and lay with her.

3 And she conceived, and bare a son; and he called his name Er.

4 And she conceived again, and bare a son; and she called his name Onan.

5 And she yet again conceived, and bare a son; and called his name Shelah; and he was at Chezib, when she bare him.

6 And Judah took a wife for Er his firstborn, whose name was Tamar.

7 And Er, Judah’s firstborn, was wicked in the sight of the Lord; and the Lord slew him.

8 And Judah said unto Onan, Go and marry thy brother’s wife, and raise up seed unto thy brother.

9 And Onan knew that the seed should not be his; and it came to pass, when he married his brother’s wife, that he would not lie with her, lest he should raise up seed unto his brother.

10 And the thing which he did displeased the Lord; wherefore he slew him also.

11 Then said Judah to Tamar his daughter-in-law, Remain a widow at thy father’s house, till Shelah my son be grown; for he said, Lest peradventure he die also, as his brethren did. And Tamar went and dwelt in her father’s house.

12 And in process of time the daughter of Shuah Judah’s wife died; and Judah was comforted, and went up unto his sheepshearers to Timnath, he and his friend Hirah the Adullamite.

13 And it was told Tamar, saying, Behold, thy father-in-law goeth up to Timnath to shear his sheep.

14 And she put her widow’s garments off from her, and covered her with a veil, and wrapped herself, and sat in an open place, which is by the way to Timnath; for she saw that Shelah was grown, and she was not given unto him to wife.

15 When Judah saw her, he thought her to be a harlot; because she had covered her face.

16 And he turned unto her by the way, and said, Go to, I pray thee, let me come in and lie with thee; (for he knew not that she was his daughter-in-law;) and she said, What wilt thou give me, that thou mayest come in and lie with me?

17 And he said, I will send thee a kid from the flock. And she said, Wilt thou give me a pledge, till thou send it?

18 And he said, What pledge shall I give thee? And she said, Thy signet, and thy bracelets, and thy staff that is in thine hand. And he gave it her, and came in and slept with her, and she conceived by him.

19 And she arose, and went away, and laid by her veil from her, and put on the garments of her widowhood.

20 And Judah sent the kid by the hand of his friend the Adullamite, to receive his pledge from the woman’s hand; but he found her not.

21 Then he asked the men of that place, saying, Where is the harlot, that was openly by the wayside? And they said, There was no harlot in this place.

22 And he returned to Judah, and said, I cannot find her; and also the men of the place said, that there was no harlot in this place.

23 And Judah said, Let her take it to her, lest we be shamed; behold, I sent this kid, and thou hast not found her.

24 And it came to pass about three months after, that it was told Judah, saying, Tamar thy daughter-in-law hath played the harlot; and also, behold, she is with child by whoredom. And Judah said, Bring her forth, and let her be burnt.

25 When she was brought forth, she sent to her father-in-law, saying, Buy the man, whose these are, am I with child; and she said, Discern, I pray thee, whose are these, the signet, and bracelets, and staff.

26 And Judah acknowledged them, and said, She hath been more righteous than I; because that I gave her not to Shelah my son. And he knew her again no more.

27 And it came to pass in the time of her travail, that, behold, twins were in her womb.

28 And it came to pass, when she travailed, that the one put out his hand; and the midwife took and bound upon his hand a scarlet thread saying, This came out first.

29 And it came to pass, as he drew back his hand, that, behold, his brother came out; and she said, How hast thou broken forth? this breach be upon thee; therefore his name was called Pharez.

30 And afterward came out his brother, that had the scarlet thread upon his hand; and his name was called Zarah.

CAPÍTULO 39

Joseph advanced in Potiphar’s house — He is cast in prison.

1 And Joseph was brought down to Egypt; and Potiphar, an officer of Pharaoh, captain of the guard, an Egyptian, bought him of the hands of the Ishmaelites, which had brought him down thither.

2 And the Lord was with Joseph, and he was a prosperous man; and he was in the house of his master the Egyptian.

3 And his master saw that the Lord was with him, and that the Lord made all that he did to prosper in his hand.

4 And Joseph found grace in his sight, and he served him; and he made him overseer over his house, and all that he had he put into his hand.

5 And it came to pass from the time that he had made him overseer in his house, and over all that he had, that the Lord blessed the Egyptian’s house for Joseph’s sake; and the blessing of the Lord was upon all that he had in the house, and in the field.

6 And he left all that he had in Joseph’s hand; and he knew not aught he had, save the bread which he did eat. And Joseph was a goodly person, and well favored.

7 And it came to pass after these things, that his master’s wife cast her eyes upon Joseph; and she said, Lie with me.

8 But he refused, and said unto his master’s wife, Behold, my master knoweth not what is with me in the house, and he hath committed all that he hath to my hand;

9 There is none greater in this house than I; neither hath he kept back anything from me but thee, because thou art his wife; how then can I do this great wickedness, and sin against God?

10 And it came to pass, as she spake to Joseph day by day, that he hearkened not unto her, to lie by her, or to be with her.

11 And it came to pass about this time, that Joseph went into the house to do his business; and there was none of the men of the house there within.

12 And she caught him by his garment, saying, Lie with me; and he left his garment in her hand, and fled, and got him out.

13 And it came to pass, when she saw that he had left his garment in her hand, and was fled forth,

14 That she called unto the men of her house, and spake unto them, saying, See, he hath brought in a Hebrew unto us to mock us; he came in unto me to lie with me, and I cried with a loud voice;

15 And it came to pass, when he heard that I lifted up my voice and cried, that he left his garment with me, and fled, and got him out.

16 And she laid up his garment by her, until his lord came home.

17 And she spake unto him according to these words, saying, The Hebrew servant, which thou hast brought unto us, came in unto me to mock me;

18 And it came to pass, as I lifted up my voice and cried, that he left his garment with me, and fled out.

19 And it came to pass, when his master heard the words of his wife, which she spake unto him, saying, After this manner did thy servant to me; that his wrath was kindled.

20 And Joseph’s master took him, and put him into the prison, a place where the king’s prisoners were bound; and he was there in the prison.

21 But the Lord was with Joseph, and showed him mercy, and gave him favor in the sight of the keeper of the prison.

22 And the keeper of the prison committed to Joseph’s hand all the prisoners that were in the prison; and whatsoever they did there, he was the overseer of it.

23 The keeper of the prison looked not to anything that was under his hand; because the Lord was with him, and that which he did, the Lord made it to prosper.

CAPÍTULO 40

The butler and baker of Pharaoh — Joseph interpreteth their dreams.

1 And it came to pass after these things, that the butler of the king of Egypt and his baker had offended their lord the king of Egypt.

2 And Pharaoh was wroth against two of his officers, against the chief of the butlers, and against the chief of the bakers.

3 And he put them in ward in the house of the captain of the guard, into the prison, the place where Joseph was bound.

4 And the captain of the guard charged Joseph with them, and he served them; and they continued a season in ward.

5 And they dreamed a dream both of them, each man his dream in one night, each man according to the interpretation of his dream, the butler and the baker of the king of Egypt, which were bound in the prison.

6 And Joseph came in unto them in the morning, and looked upon them, and, behold, they were sad.

7 And he asked Pharaoh’s officers that were with him in the ward of his lord’s house, saying, Wherefore look ye so sadly today?

8 And they said unto him, We have dreamed a dream, and there is no interpreter of it. And Joseph said unto them, Do not interpretations belong to God? Tell me them, I pray you.

9 And the chief butler told his dream to Joseph, and said to him, In my dream, behold, a vine was before me;

10 And in the vine were three branches; and it was as though it budded, and her blossoms shot forth; and the clusters thereof brought forth ripe grapes;

11 And Pharaoh’s cup was in my hand; and I took the grapes, and pressed them into Pharaoh’s cup, and I gave the cup into Pharaoh’s hand.

12 And Joseph said unto him, This is the interpretation of it; The three branches are three days;

13 Yet within three days shall Pharaoh lift up thine head, and restore thee unto thy place; and thou shalt deliver Pharaoh’s cup into his hand, after the former manner when thou wast his butler.

14 But think on me when it shall be well with thee, and show kindness, I pray thee, unto me, and make mention of me unto Pharaoh, and bring me out of this house;

15 For indeed I was stolen away out of the land of the Hebrews; and here also have I done nothing that they should put me into the dungeon.

16 When the chief baker saw that the interpretation was good, he said unto Joseph, I also was in my dream, and, behold, I had three white baskets on my head;

17 And in the uppermost basket there was of all manner of bakemeats for Pharaoh; and the birds did eat them out of the basket upon my head.

18 And Joseph answered and said, This is the interpretation thereof; The three baskets are three days;

19 Yet within three days shall Pharaoh lift up thy head from off thee, and shall hang thee on a tree; and the birds shall eat thy flesh from off thee.

20 And it came to pass the third day, which was Pharaoh’s birthday, that he made a feast unto all his servants; and he lifted up the head of the chief butler and of the chief baker among his servants.

21 And he restored the chief butler unto his butlership again; and he gave the cup into Pharaoh’s hand;

22 But he hanged the chief baker; as Joseph had interpreted to them.

23 Yet did not the chief butler remember Joseph, but forgat him.

CAPÍTULO 41

Pharaoh’s two dreams — Joseph giveth Pharaoh counsel — Manasseh and Ephraim.

1 And it came to pass at the end of two full years, that Pharaoh dreamed; and, behold, he stood by the river.

2 And, behold, there came up out of the river seven well-favored kine and fat-fleshed; and they fed in a meadow.

3 And, behold, seven other kine came up after them out of the river, ill-favored and lean-fleshed; and stood by the other kine upon the brink of the river.

4 And the ill-favored and lean-fleshed kine did eat up the seven well-favored and fat kine. So Pharaoh awoke.

5 And he slept and dreamed the second time; and, behold, seven ears of corn came up upon one stalk, rank and good.

6 And, behold, seven thin ears and blasted with the east wind sprung up after them.

7 And the seven thin ears devoured the seven rank and full ears. And Pharaoh awoke, and, behold, it was a dream.

8 And it came to pass in the morning that his spirit was troubled; and he sent and called for all the magicians of Egypt, and all the wise men thereof; and Pharaoh told them his dream; but there was none that could interpret them unto Pharaoh.

9 Then spake the chief butler unto Pharaoh, saying, I do remember my faults this day;

10 Pharaoh was wroth with his servants, and put me in ward in the captain of the guard’s house, both me and the chief baker;

11 And we dreamed a dream in one night, I and he; we dreamed each man according to the interpretation of his dream.

12 And there was there with us a young man, a Hebrew, servant to the captain of the guard; and we told him, and he interpreted to us our dreams; to each man according to his dream he did interpret.

13 And it came to pass, as he interpreted to us, so it was; me he restored unto mine office, and him he hanged.

14 Then Pharaoh sent and called Joseph, and they brought him hastily out of the dungeon; and he shaved himself, and changed his raiment, and came in unto Pharaoh.

15 And Pharaoh said unto Joseph, I have dreamed a dream, and there is none that can interpret it; and I have heard say of thee that thou canst understand a dream to interpret it.

16 And Joseph answered Pharaoh, saying, It is not in me; God shall give Pharaoh an answer of peace.

17 And Pharaoh said unto Joseph, In my dream, behold, I stood upon the bank of the river;

18 And, behold, there came up out of the river seven kine, fat- fleshed and well-favored; and they fed in a meadow;

19 And, behold, seven other kine came up after them, poor and very ill-favored and lean-fleshed, such as I never saw in all the land of Egypt for badness;

20 And the lean in the ill-favored kine did eat up the first seven fat kine;

21 And when they had eaten them up, it could not be known that they had eaten them; but they were still ill-favored, as at the beginning. So I awoke.

22 And I saw in my dream, and, behold, seven ears came up in one stalk, full and good;

23 And, behold, seven ears, withered, thin, and blasted with the east wind, sprung up after them;

24 And the thin ears devoured the seven good ears; and I told this unto the magicians; but there was none that could declare it to me.

25 And Joseph said unto Pharaoh, The dream of Pharaoh is one; God hath showed Pharaoh what he is about to do.

26 The seven good kine are seven years; and the seven good ears are seven years; the dream is one.

27 And the seven thin and ill-favored kine that came up after them are seven years; and the seven empty ears blasted with the east wind shall be seven years of famine.

28 This is the thing which I have spoken unto Pharaoh; What God is about to do he showeth unto Pharaoh.

29 Behold, there come seven years of great plenty throughout all the land of Egypt;

30 And there shall arise after them seven years of famine; and all the plenty shall be forgotten in the land of Egypt; and the famine shall consume the land;

31 And the plenty shall not be known in the land by reason of that famine following; for it shall be very grievous.

32 And for that the dream was doubled unto Pharaoh twice; it is because the thing is established by God, and God will shortly bring it to pass.

33 Now therefore let Pharaoh look out a man discreet and wise, and set him over the land of Egypt.

34 Let Pharaoh do this, and let him appoint officers over the land, and take up the fifth part of the land of Egypt in the seven plenteous years.

35 And let them gather all the food of those good years that come, and lay up corn under the hand of Pharaoh, and let them keep food in the cities.

36 And that food shall be for store to the land against the seven years of famine, which shall be in the land of Egypt; that the land perish not through the famine.

37 And the thing was good in the eyes of Pharaoh, and in the eyes of all his servants.

38 And Pharaoh said unto his servants, Can we find such a one as this is, a man in whom the Spirit of God is?

39 And Pharaoh said unto Joseph, Forasmuch as God hath showed thee all this, there in none so discreet and wise as thou art;

40 Thou shalt be over my house, and according unto thy word shall all my people be ruled; only in the throne will I be greater than thou.

41 And Pharaoh said unto Joseph, See, I have set thee over all the land of Egypt.

42 And Pharaoh took off his ring from his hand, and put it upon Joseph’s hand, and arrayed him in vestures of fine linen, and put a gold chain about his neck;

43 And he made him to ride in the second chariot which he had; and they cried before him, Bow the knee; and he made him ruler over all the land of Egypt.

44 And Pharaoh said unto Joseph, I am Pharaoh, and without thee shall no man lift up his hand or foot in all the land of Egypt.

45 And Pharaoh called Joseph’s name Zaphnath-paaneah; and he gave him to wife Asenath the daughter of Poti-pherah priest of On. And Joseph went out over all the land of Egypt.

46 And Joseph was thirty years old when he stood before Pharaoh king of Egypt. And Joseph went out from the presence of Pharaoh, and went throughout all the land of Egypt.

47 And in the seven plenteous years the earth brought forth by handfuls.

48 And he gathered up all the food of the seven years, which were in the land of Egypt, and laid up the food in the cities; the food of the field, which was round about every city, laid he up in the same.

49 And Joseph gathered corn as the sand of the sea, very much, until he left numbering; for it was without number.

50 And unto Joseph were born two sons, before the years of famine came; which Asenath the daughter of Poti-pherah priest of On bare unto him.

51 And Joseph called the name of the firstborn Manasseh; For God, said he, hath made me forget all my toil, and all my father’s house.

52 And the name of the second called he Ephraim; For God hath caused me to be fruitful in the land of my affliction.

53 And the seven years of plenteousness, that was in the land of Egypt, were ended.

54 And the seven years of dearth began to come, according as Joseph had said; and the dearth was in all lands; but in all the land of Egypt there was bread.

55 And when all the land of Egypt was famished, the people cried to Pharaoh for bread; and Pharaoh said unto all the Egyptians, Go unto Joseph; what he saith to you, do.

56 And the famine was over all the face of the earth; and Joseph opened all the storehouses, and sold unto the Egyptians; and the famine waxed sore in the land of Egypt.

57 And all the countries came into Egypt to Joseph for to buy corn; because that the famine was so sore in all lands.

CAPÍTULO 42

Jacob sendeth his ten sons to buy corn in Egypt — They are imprisoned by Joseph.

1 Now when Jacob saw that there was corn in Egypt, Jacob said unto his sons, Why do ye look one upon another?

2 And he said, behold, I have heard that there is corn in Egypt; get you down thither, and buy for us from thence; that we may live, and not die.

3 And Joseph’s ten brethren went down to buy corn in Egypt.

4 But Benjamin, Joseph’s brother, Jacob sent not with his brethren; for he said, Lest peradventure mischief befall him.

5 And the sons of Israel came to buy corn among those that came; for the famine was in the land of Canaan.

6 And Joseph was the governor over the land, and he it was that sold to all the people of the land; and Joseph’s brethren came, and bowed down themselves before him with their faces to the earth.

7 And Joseph saw his brethren, and he knew them, but made himself strange unto them, and spake roughly unto them; and he said unto them, Whence come ye? And they said, From the land of Canaan to buy food.

8 And Joseph knew his brethren, but they knew not him.

9 And Joseph remembered the dreams which he dreamed of them, and said unto them, Ye are spies; to see the nakedness of the land ye are come.

10 And they said unto him, Nay my lord, but to buy food are thy servants come.

11 We are all one man’s sons; we are true men; thy servants are no spies.

12 And he said unto them, Nay, but to see the nakedness of the land ye are come.

13 And they said, Thy servants are twelve brethren, the sons of one man in the land of Canaan; and, behold, the youngest is this day with our father, and one is not.

14 And Joseph said unto them, That is it that I spake unto you, saying, Ye are spies;

15 Hereby ye shall be proved; By the life of Pharaoh ye shall not go forth hence, except your youngest brother come hither.

16 Send one of you, and let him fetch your brother, and ye shall be kept in prison, that your words may be proved, whether there be any truth in you; or else by the life of Pharaoh surely ye are spies.

17 And he put them all together into ward three days.

18 And Joseph said unto them the third day, This do, and live; for I fear God;

19 If ye be true men, let one of your brethren be bound in the house of your prison; go ye, carry corn for the famine of your houses;

20 But bring your youngest brother unto me; so shall your words be verified, and ye shall not die. And they did so.

21 And they said, one to another, We are verily guilty concerning our brother, in that we saw the anguish of his soul, when he besought us, and we would not hear; therefore is this distress come upon us.

22 And Reuben answered them, saying, Spake I not unto you, saying, Do not sin against the child; and ye would not hear? therefore, behold, also his blood is required.

23 And they knew not that Joseph understood them; for he spake unto them by an interpreter.

24 And he turned himself about from them, and wept; and returned to them again, and communed with them, and took from them Simeon, and bound him before their eyes.

25 Then Joseph commanded to fill their sacks with corn, and to restore every man’s money into his sack, and to give them provision for the way; and thus did he unto them.

26 And they laded their asses with the corn, and departed thence.

27 And as one of them opened his sack to give his ass provender in the inn, he espied his money; for, behold, it was in his sack’s mouth.

28 And he said unto his brethren, My money is restored; and, lo, it is even in my sack; and their heart failed them, and they were afraid, saying one to another, What is this that God hath done unto us?

29 And they came unto Jacob their father unto the land of Canaan; and told him all that befell unto them; saying,

30 The man, who is the lord of the land, spake roughly to us, and took us for spies of the country.

31 And we said unto him, We are true men; we are no spies;

32 We be twelve brethren, sons of our father; one is not, and the youngest is this day with our father in the land of Canaan.

33 And the man, the lord of the country, said unto us, Hereby shall I know that ye are true men; leave one of your brethren here with me, and take food for the famine of your households, and be gone;

34 And bring your youngest brother unto me; then shall I know that ye are no spies, but that ye are true men; so will I deliver you your brother, and ye shall traffic in the land.

35 And it came to pass as they emptied their sacks, that, behold, every man’s bundle of money was in his sack; and when both they and their father saw the bundles of money, they were afraid.

36 And Jacob their father said unto them, Me have ye bereaved of my children; Joseph is not, and Simeon is not, and ye will take Benjamin away; all these things are against me.

37 And Reuben spake unto his father, saying, Slay my two sons, if I bring him not to thee; deliver him into my hand, and I will bring him to thee again.

38 And he said, My son shall not go down with you; for his brother is dead, and he is left alone; if mischief befall him by the way in the which ye go, then shall ye bring down my gray hairs with sorrow to the grave.

CAPÍTULO 43

Joseph maketh his brethren a feast.

1 And the famine was sore in the land.

2 And it came to pass, when they had eaten up the corn which they had brought out of Egypt, their father said unto them, Go again, buy us a little food.

3 And Judah spake unto him, saying, The man did solemnly protest unto us, saying, Ye shall not see my face, except your brother be with you.

4 If thou wilt send our brother with us, we will go down and buy thee food;

5 But if thou wilt not send him, we will not go down; for the man said unto us, Ye shall not see my face, except your brother be with you.

6 And Israel said, Wherefore dealt ye so ill with me, as to tell the man whether ye had yet a brother?

7 And they said, The man asked us straitly of our state, and of our kindred, saying, Is your father yet alive? have ye another brother? and we told him according to the tenor of these words; Could we certainly know that he would say, Bring your brother down?

8 And Judah said unto Israel his father, Send the lad with me, and we will arise and go; that we may live, and not die, both we, and thou, and also our little ones.

9 I will be surety for him; of my hand shalt thou require him; if I bring him not unto thee, and set him before thee, then let me bear the blame forever.

10 For except we have lingered, surely now we had returned this second time.

11 And their father Israel said unto them, If it must be so now, do this; take of the best fruits in the land in your vessels, and carry down the man a present, a little balm, and a little honey, spices and myrrh, nuts and almonds;

12 And take double money in your hand; and the money that was brought again in the mouth of your sacks, carry it again in your hand; peradventure it was an oversight.

13 Take also your brother, and arise, go again unto the man;

14 And God Almighty give you mercy before the man, that he may send away your other brother, and Benjamin. If I be bereaved of my children, I am bereaved.

15 And the men took that present, and they took double money in their hand, and Benjamin; and rose up, and went down to Egypt, and stood before Joseph.

16 And when Joseph saw Benjamin with them, he said to the ruler of his house, Bring these men home, and slay, and make ready; for these men shall dine with me at noon.

17 And the man did as Joseph bade; and the man brought the men into Joseph’s house.

18 And the men were afraid, because they were brought into Joseph’s house; and they said, Because of the money that was returned in our sacks at the first time are we brought in; that he may seek occasion against us, and fall upon us, and take us for bondmen, and our asses.

19 And they came near to the steward of Joseph’s house, and they communed with him, at the door of the house,

20 And said, O sir, we came indeed down at the first time to buy food;

21 And it came to pass, when we came to the inn, that we opened our sacks, and, behold, every man’s money was in the mouth of his sack, our money in full weight; and we have brought it again in our hand.

22 And other money have we brought down in our hands to buy food; we cannot tell who put our money in our sacks.

23 And he said, Peace be to you, fear not; your God, and the God of your father, hath given you treasure in your sacks; I had your money. And he brought Simeon out unto them.

24 And the man brought the men into Joseph’s house, and gave them water, and they washed their feet; and he gave their asses provender.

25 And they made ready the present against Joseph came at noon; for they heard that they should eat bread there.

26 And when Joseph came home, they brought him the present which was in their hand into the house, and bowed themselves to him to the earth.

27 And he asked them of their welfare, and said, Is your father well, the old man of whom ye spake? Is he yet alive?

28 And they answered, Thy servant our father is in good health, he is yet alive. And they bowed down their heads, and made obeisance.

29 And he lifted up his eyes, and saw his brother Benjamin, his mother’s son, and said, Is this your younger brother, of whom ye spake unto me? And he said, God be gracious unto thee, my son.

30 And Joseph made haste; for his bowels did yearn upon his brother; and he sought where to weep; and he entered into his chamber, and wept there.

31 And he washed his face, and went out, and refrained himself, and said, Set on bread.

32 And they set on for him by himself, and for them by themselves, and for the Egyptians, which did eat with him, by themselves; because the Egyptians might not eat bread with the Hebrews; for that is an abomination unto the Egyptians.

33 And they sat before him, the firstborn according to his birthright, and the youngest according to his youth; and the men marveled one at another.

34 And he took and sent messes unto them from before him; but Benjamin’s mess was five times so much as any of theirs. And they drank, and were merry with him.

CAPÍTULO 44

Joseph’s policy.

1 And he commanded the steward of his house, saying, Fill the men’s sacks with food, as much as they can carry, and put every man’s money in his sack’s mouth,

2 And put my cup, the silver cup, in the sack’s mouth of the youngest, and his corn money. And he did according to the word that Joseph had spoken.

3 As soon as the morning was light, the men were sent away, they and their asses.

4 And when they were gone out of the city, and not yet far off Joseph said unto his steward, Up, follow after the men; and when thou dost overtake them, say unto them, Wherefore have ye rewarded evil for good?

5 Is not this it in which my lord drinketh, and whereby indeed he divineth? ye have done evil in so doing.

6 And he overtook them, and he spake unto them these same words.

7 And they said unto him, Wherefore saith my lord these words? God forbid that thy servants should do according to this thing;

8 Behold, the money, which we found in our sacks’ mouths, we brought again unto thee of the land of Canaan; how then should we steal out of thy lord’s house sliver or gold?

9 With whomsoever of thy servants it be found, both let him die, and we also will be my lord’s bondmen.

10 And he said, Now also let it be according unto your words; he with whom it is found shall be my servant; and ye shall be blameless.

11 Then they speedily took down every man his sack to the ground, and opened every man his sack.

12 And he searched, and began at the eldest, and left at the youngest; and the cup was found in Benjamin’s sack.

13 Then they rent their clothes, and laded every man his ass, and returned to the city.

14 And Judah and his brethren came to Joseph’s house; for he was yet there; and they fell before him on the ground.

15 And Joseph said unto them, What deed is this that ye have done? knew ye not that such a man as I can certainly divine?

16 And Judah said, What shall we say unto my lord? what shall we speak? or how shall we clear ourselves? God hath found out the iniquity of thy servants; behold, we are my lord’s servants, both we, and he also with whom the cup is found.

17 And he said, God forbid that I should do so; but the man in whose hand the cup is found, he shall be my servant; and as for you, get you up in peace unto your father.

18 Then Judah came near unto him, and said, O my lord, let thy servant, I pray thee, speak a word in my lord’s ears, and let not thine anger burn against thy servant; for thou art even as Pharaoh.

19 My lord asked his servants, saying, Have ye a father, or a brother?

20 And we said unto my lord, We have a father, an old man, and a child of his old age, a little one; and his brother is dead, and he alone is left of his mother, and his father loveth him.

21 And thou saidst unto thy servants, Bring him down unto me, that I may set mine eyes upon him.

22 And we said unto my lord, The lad cannot leave his father; for if he should leave his father, his father would die.

23 And thou saidst unto thy servants, Except your youngest brother come down with you, ye shall see my face no more.

24 And it came to pass when we came up unto thy servant my father, we told him the words of my lord.

25 And our father said, Go again, and buy us a little food.

26 And we said, We cannot go down; if our youngest brother be with us, then will we go down; for we may not see the man’s face, except our youngest brother be with us.

27 And thy servant my father said unto us, Ye know that my wife bare me two sons;

28 And the one went out from me, and I said, Surely he is torn in pieces; and I saw him not since:

29 And if ye take this also from me, and mischief befall him, ye shall bring down my gray hairs with sorrow to the grave.

30 Now therefore when I come to thy servant my father, and the lad be not with us; seeing that his life is bound up in the lad’s life;

31 It shall come to pass, when he seeth that the lad is not with us, that he will die; and thy servants shall bring down the gray hairs of thy servant our father with sorrow to the grave.

32 For thy servant became surety for the lad unto my father, saying, If I bring him not unto thee, then I shall bear the blame to my father forever.

33 Now therefore, I pray thee, let thy servant abide instead of the lad a bondman to my lord; and let the lad go up with his brethren.

34 For how shall I go up to my father, and the lad be not with me? lest peradventure I see the evil that shall come on my father.

CAPÍTULO 45

Joseph is known of his brethren — He sendeth for his father — Jacob is revived with the news.

1 Then Joseph could not refrain himself before them all that stood by him; and he cried, Cause every man to go out from me. And there stood no man with him, while Joseph made himself known unto his brethren.

2 And he wept aloud; and the Egyptians and the house of Pharaoh heard.

3 And Joseph said unto his brethren, I am Joseph; doth my father yet live? And his brethren could not answer him; for they were troubled at his presence.

4 And Joseph said unto his brethren, Come near to me, I pray you. And they came near. And he said, I am Joseph your brother, whom ye sold into Egypt.

5 Now therefore be not grieved, nor angry with yourselves, that ye sold me hither; for God did send me before you to preserve life.

6 For these two years hath the famine been in the land; and yet there are five years, in the which there shall neither be earing nor harvest.

7 And God sent me before you to preserve you a posterity in the earth, and to save your lives by a great deliverance.

8 So now it was not you that sent me hither, but God; and he hath made me a father to Pharaoh, and lord of all his house, and a ruler throughout all the land of Egypt.

9 Haste ye, and go up to my father, and say unto him, Thus saith thy son Joseph, God hath made me lord of all Egypt; come down unto me, tarry not;

10 And thou shalt dwell in the land of Goshen, and thou shalt be near unto me, thou, and thy children, and thy children’s children, and thy flocks, and thy herds, and all that thou hast;

11 And there will I nourish thee; for yet there are five years of famine; lest thou, and thy household, and all that thou hast, come to poverty.

12 And, behold, your eyes see, and the eyes of my brother Benjamin, that it is my mouth that speaketh unto you.

13 And ye shall tell my father of all my glory in Egypt, and of all that ye have seen; and ye shall haste and bring down my father hither.

14 And he fell upon his brother Benjamin’s neck, and wept; and Benjamin wept upon his neck.

15 Moreover he kissed all his brethren, and wept upon them; and after that his brethren talked with him.

16 And the fame thereof was heard in Pharaoh’s house, saying, Joseph’s brethren are come; and it pleased Pharaoh well, and his servants.

17 And Pharaoh said unto Joseph, Say unto thy brethren, This do ye; lade your beasts, and go, get you unto the land of Canaan;

18 And take your father and your households, and come unto me; and I will give you the good of the land of Egypt, and ye shall eat the fat of the land.

19 Now thou art commanded, this do ye; take you wagons out of the land of Egypt for your little ones, and for your wives, and bring your father, and come.

20 Also regard not your stuff; for the good of all the land of Egypt is yours.

21 And the children of Israel did so; and Joseph gave them wagons, according to the commandment of Pharaoh, and gave them provision for the way.

22 To all of them he gave each man changes of raiment; but to Benjamin he gave three hundred pieces of silver, and five changes of raiment.

23 And to his father he sent after this manner; ten asses laden with the good things of Egypt, and ten she asses laden with corn and bread and meat for his father by the way.

24 So he sent his brethren away, and they departed; and he said unto them, See that ye fall not out by the way.

25 And they went up out of Egypt, and came into the land of Canaan unto Jacob their father,

26 And told him saying, Joseph is yet alive, and he is governor over all the land of Egypt. And Jacob’s heart fainted, for he believed them not.

27 And they told him all the words of Joseph, which he had said unto them; and when he saw the wagons which Joseph had sent to carry him, the spirit of Jacob their father revived.

28 And Israel said, It is enough; Joseph my son is yet alive; I will go and see him before I die.

CAPÍTULO 46

Jacob is comforted — He goeth into Egypt — The number of his family — Rachel only called Jacob’s wife — Joseph meeteth Jacob.

1 And Israel took his journey with all that he had, and came to Beer-sheba, and offered sacrifices unto the God of his father Isaac.

2 And God spake unto Israel in the visions of the night, and said, Jacob, Jacob. And he said, Here am I.

3 And he said, I am God, the God of thy father; fear not to go down into Egypt; for I will there make of thee a great nation.

4 I will go down with thee into Egypt; and I will also surely bring thee up again; and Joseph shall put his hand upon thine eyes.

5 And Jacob rose up from Beer-sheba; and the sons of Israel carried Jacob their father, and their little ones, and their wives, in the wagons which Pharaoh had sent to carry him.

6 And they took their cattle, and their goods, which they had gotten in the land of Canaan, and came into Egypt, Jacob, and all his seed with him;

7 His sons, and his sons’ sons with him, his daughters, and his sons’ daughters, and all his seed brought he with him into Egypt.

8 And these are the names of the children of Israel, which came into Egypt, Jacob and his sons; Reuben, Jacob’s firstborn.

9 And the sons of Reuben; Hanoch, and Phallu, and Hezron, and Carmi.

10 And the sons of Simeon; Jemuel, and Jamin, and Ohad, and Jachin, and Zohar, and Shaul the son of a Canaanitish woman.

11 And the sons of Levi; Gershon, Kohath, and Merari.

12 And the sons of Judah; Er, and Onan, and Shelah, and Pharez, and Zarah; but Er and Onan died in the land of Canaan. And the son of Pharez were Hezron and Hamul.

13 And the sons of Issachar; Tola, and Phuvah, and Job, and Shimron.

14 And the sons of Zebulun; Sered, and Elon, and Jahleel.

15 These be the sons of Leah, which she bare unto Jacob in Padanaram, with his daughter Dinah; all the souls of his sons and his daughters were thirty and three.

16 And the sons of Gad; Ziphion, and Haggi, Shuni, and Ezbon, Eri, and Arodi, and Areli.

17 And the sons of Asher; Jimnah, and Ishuah, and Isui, and Beriah, and Serah their sister; and the sons of Beriah; Heber, and Malchiel.

18 These are the sons of Zilpah, whom Laban gave to Leah his daughter; and these she bare unto Jacob, even sixteen souls.

19 The sons of Rachel Jacob’s wife; Joseph and Benjamin.

20 And unto Joseph in the land of Egypt were born Manasseh and Ephraim, which Asenath the daughter of Poti-pherah priest of On bare unto him.

21 And the sons of Benjamin were Belah, and Becher, and Ashbel, Gera, and Naaman, Ehi, and Rosh, Muppim, and Huppim, and Ard.

22 These are the sons of Rachel, which were born to Jacob; all the souls were fourteen.

23 And the sons of Dan; Hushim.

24 And the sons of Naphtali; Jahzeel, and Guni, and Jezer, and Shillem.

25 These are the sons of Bilhah, which Laban gave unto Rachel his daughter, and she bare these unto Jacob; all the souls were seven.

26 All the souls that came with Jacob into Egypt, which came out of his loins, besides Jacob’s sons’ wives, all the souls were threescore and six;

27 And the sons of Joseph, which were borne him in Egypt, were two souls; all the souls of the house of Jacob, which came into Egypt, were threescore and ten.

28 And he sent Judah before him unto Joseph, to direct his face unto Goshen; and they came into the land of Goshen.

29 And Joseph made ready his chariot, and went up to meet Israel his father, to Goshen, and presented himself unto him; and he fell on his neck, and wept on his neck a good while.

30 And Israel said unto Joseph, Now let me die, since I have seen thy face, because thou art yet alive.

31 And Joseph said unto his brethren, and unto his father’s house, I will go up, and show Pharaoh, and say unto him, My brethren, and my father’s house, which were in the land of Canaan, are come unto me;

32 And the men are shepherds, for their trade hath been to feed cattle; and they have brought their flocks, and their herds, and all that they have.

33 And it shall come to pass, when Pharaoh shall call you, and shall say, What is your occupation?

34 That ye shall say, Thy servants’ trade hath been about cattle from our youth even until now, both we, and also our fathers; that ye may dwell in the land of Goshen; for every shepherd is an abomination unto the Egyptians.

CAPÍTULO 47

Joseph presenteth five of his brethren, and his father, before Pharaoh — Jacob’s age — He sweareth Joseph to bury him with his fathers.

1 Then Joseph came and told Pharaoh, and said, My father and my brethren, and their flocks, and their herds, and all that they have, are come out of the land of Canaan; and, behold, they are in the land of Goshen.

2 And he took some of his brethren, even five men, and presented them unto Pharaoh.

3 And Pharaoh said unto his brethren, What is your occupation? And they said unto Pharaoh, Thy servants are shepherds, both we, and also our fathers.

4 They said moreover unto Pharaoh, For to sojourn in the land are we come; for thy servants have no pasture for their flocks; for the famine is sore in the land of Canaan; now therefore, we pray thee, let thy servants dwell in the land of Goshen.

5 And Pharaoh spake unto Joseph, saying, Thy father and thy brethren are come unto thee;

6 The land of Egypt is before thee; in the best of the land make thy father and brethren to dwell; in the land of Goshen let them dwell; and if thou knowest any men of activity among them, then make them rulers over my cattle.

7 And Joseph brought in Jacob his father, and set him before Pharaoh; and Jacob blessed Pharaoh.

8 And Pharaoh said unto Jacob, How old art thou?

9 And Jacob said unto Pharaoh, The days of the years of my pilgrimage are a hundred and thirty years; few and evil have the days of the years of my life been, and have not attained unto the days of the years of the life of my fathers in the days of their pilgrimage.

10 And Jacob blessed Pharaoh, and went out from before Pharaoh.

11 And Joseph placed his father and his brethren, and gave them a possession in the land of Egypt, in the best of the land, in the land of Rameses, as Pharaoh had commanded.

12 And Joseph nourished his father, and his brethren, and all his father’s household, with bread, according to their families.

13 And there was no bread in all the land; for the famine was very sore, so that the land of Egypt and all the land of Canaan fainted by reason of the famine.

14 And Joseph gathered up all the money that was found in the land of Egypt, and in the land of Canaan, for the corn which they bought; and Joseph brought the money into Pharaoh’s house.

15 And when money failed in the land of Egypt, and in the land of Canaan, all the Egyptians came unto Joseph, and said, Give us bread; for why should we die in thy presence? for the money faileth.

16 And Joseph said, Give your cattle; and I will give you for your cattle, if money fail.

17 And they brought their cattle unto Joseph; and Joseph gave them bread in exchange for horses, and for the flocks, and for the cattle of the herds, and for the asses; and he fed them with bread for all their cattle for that year.

18 When that year was ended, they came unto him the second year, and said unto him, We will not hide it from my lord, how that our money is spent; my lord also hath our herds of cattle; there is not aught left in the sight of my lord, but our bodies and our lands;

19 Wherefore shall we die before thine eyes, both we and our land? buy us and our land for bread, and we and our land will be servants unto Pharaoh; and give us seed, that we may live, and not die, that the land be not desolate.

20 And Joseph bought all the land of Egypt for Pharaoh; for the Egyptians sold every man his field, because the famine prevailed over them; so the land became Pharaoh’s.

21 And as for the people, he removed them to cities from one end of the borders of Egypt even to the other end thereof.

22 Only the land of the priests bought he not; for the priests had a portion assigned them of Pharaoh, and did eat their portion which Pharaoh gave them; wherefore they sold not their lands.

23 Then Joseph said unto the people, Behold, I have bought you this day and your land for Pharaoh; lo, here is seed for you, and ye shall sow the land.

24 And it shall come to pass in the increase, that ye shall give the fifth part unto Pharaoh, and four parts shall be your own, for seed of the field, and for your food, and for them of your households, and for food for your little ones.

25 And they said, Thou hast saved our lives; let us find grace in the sight of my lord, and we will be Pharaoh’s servants.

26 And Joseph made it a law over the land of Egypt unto this day, that Pharaoh should have the fifth part; except the land of the priests only, which became not Pharaoh’s.

27 And Israel dwelt in the land of Egypt, in the country of Goshen; and they had possessions therein, and grew, and multiplied exceedingly.

28 And Jacob lived in the land of Egypt seventeen years; so the whole age of Jacob was a hundred forty and seven years.

29 And the time drew nigh that Israel must die; and he called his son Joseph, and said unto him, If now I have found grace in thy sight, put, I pray thee, thy hand under my thigh, and deal kindly and truly with me; bury me not, I pray thee, in Egypt;

30 But I will lie with my fathers, and thou shalt carry me out of Egypt, and bury me in their burying-place. And he said, I will do as thou hast said.

31 And he said, Swear unto me. And he sware unto him. And Israel bowed himself upon the bed’s head.

CAPÍTULO 48

Joseph visiteth his sick father — Jacob blesseth Ephraim and Manasseh — He prophesieth their return to Canaan.

1 And it came to pass after these things, that it was told Joseph, saying, Behold, thy father is sick; and he took with him his two sons, Manasseh and Ephraim.

2 And it was told Jacob, saying, Look, and behold, thy son Joseph cometh unto thee; and Israel strengthened himself, and sat upon the bed.

3 And Jacob said unto Joseph, God Almighty appeared unto me at Luz in the land of Canaan, and blessed me,

4 And said unto me, Behold, I will make thee fruitful, and multiply thee, saith the Lord, and I will make of thee a multitude of people; and will give this land to thy seed after thee, for an everlasting possession.

5 And now, of thy two sons, Ephraim and Manasseh, which were born unto thee in the land of Egypt, before I came unto thee into Egypt; behold, they are mine, and the God of my fathers shall bless them; even as Reuben and Simeon they shall be blessed, for they are mine; wherefore they shall be called after my name. (Therefore they were called Israel.)

6 And thy issue which thou begettest after them, shall be thine, and shall be called after the name of their brethren in their inheritance, in the tribes; therefore they were called the tribes of Manasseh and of Ephraim.

7 And Jacob said unto Joseph, When the God of my fathers appeared unto me in Luz, in the land of Canaan; he sware unto me, that he would give unto me, and unto my seed, the land for an everlasting possession.

8 Therefore, O my son, he hath blessed me in raising thee up to be a servant unto me, in saving my house from death;

9 In delivering my people, thy brethren, from famine which was sore in the land; wherefore the God of thy fathers shall bless thee, and the fruit of thy loins, that they shall be blessed above thy brethren, and above thy father’s house;

10 For thou hast prevailed, and thy father’s house hath bowed down unto thee, even as it was shown unto thee, before thou wast sold into Egypt by the hands of thy brethren; wherefore thy brethren shall bow down unto thee, from generation to generation, unto the fruit of thy loins forever;

11 For thou shalt be a light unto my people, to deliver them in the days of their captivity, from bondage; and to bring salvation unto them, when they are altogether bowed down under sin.

12 And therefore, as for me, when I came from Padan, Rachel died by me in the land of Canaan, in the way when we were yet but a little way to come unto Ephrath; and I buried her there in the way of Ephrath; the same is called Bethlehem.

13 And Israel beheld Joseph’s sons, and said, Who are these?

14 And Joseph said unto his father, They are my sons, whom God hath given me in this land.

15 And he said, Bring them, I pray thee, unto me, and I will bless them.

16 Now the eyes of Israel were dim for age, so that he could not see well. And he brought them near unto him; and he kissed them, and embraced them.

17 And Israel said unto Joseph, I had not thought to see thy face; and lo, God hath showed me also thy seed.

18 And Joseph brought them out from between his knees, and he bowed himself with his face to the earth.

19 And Joseph took them both, Ephraim in his right hand toward Israel’s left hand, and Manasseh in his left hand toward Israel’s right hand, and brought them near unto him.

20 And Israel stretched out his right hand, and laid it upon Ephraim’s head, who was the younger, and his left hand upon Manasseh’s head, guiding his hands wittingly; for Manasseh was the firstborn.

21 And he blessed Joseph, and said, God, before whom my fathers Abraham and Isaac did walk, the God which fed me all my life long unto this day,

22 The Angel which redeemed me from all evil, bless the lads; and let my name be named on them, and the name of my fathers Abraham and Isaac; and let them grow into a multitude in the midst of the earth.

23 And when Joseph saw that his father laid his right hand upon the head of Ephraim, it displeased him; and he held up his father’s hand, to remove it from Ephraim’s head unto Manasseh’s head.

24 And Joseph said unto his father, Not so, my father; for this is the firstborn; put thy right hand upon his head.

25 And his father refused, and said, I know it, my son, I know it; he also shall become a people, and he also shall be great; but truly his younger brother shall be greater than he, and his seed shall become a multitude of nations.

26 And he blessed them, that day, saying, In thee shall Israel bless, saying, God make thee as Ephraim and as Manasseh; and he set Ephraim before Manasseh.

27 And Israel said unto Joseph, Behold, I die; but God shall be with you, and bring you again unto the land of your fathers.

28 Moreover I have given to thee one portion above thy brethren, which I took out of the hand of the Amorite with my sword and with my bow.

CAPÍTULO 49

Jacob blesseth his sons — he dieth.

1 And Jacob called unto his sons, and said, Gather yourselves together, that I may tell you what shall befall you in the last days.

2 Gather yourselves together, and hear, ye sons of Jacob; and hearken unto Israel your father.

3 Reuben, thou art my firstborn, my might, and the beginning of my strength, the excellency of dignity, and the excellency of power;

4 Unstable as water, thou shalt not excel; because thou wentest up to thy father’s bed; then defiledst thou it; he went up to my couch.

5 Simeon and Levi are brethren; instruments of cruelty are in their habitations.

6 O my soul, come not thou into their secret; unto their assembly, mine honor, be not thou united; for in their anger they slew a man, and in their self-will they digged down a wall.

7 Cursed be their anger, for it was fierce; and their wrath, for it was cruel; I will divide them in Jacob and scatter them in Israel.

8 Judah, thou art he whom thy brethren shall praise; thy hand shall be in the neck of thine enemies; thy father’s children shall bow down before thee.

9 Judah is a lion’s whelp; from the prey, my son, thou art gone up; he stooped down, he couched as a lion, and as an old lion, who shall rouse him up?

10 The sceptre shall not depart from Judah, nor a lawgiver from between his feet, until Shiloh come; and unto him shall the gathering of the people be.

11 Binding his foal unto the vine, and has ass’s colt unto the choice vine; he washed his garments in wine, and his clothes in the blood of grapes;

12 His eyes shall be red with wine, and his teeth white with milk.

13 Zebulun shall dwell at the haven of the sea; and shall be for a haven of ships; and his border shall be unto Zidon.

14 Issachar is a strong ass couching down between two burdens;

15 And he saw that rest was good, and the land that it was pleasant; and bowed his shoulder to bear, and became a servant unto tribute.

16 Dan shall judge his people, as one of the tribes of Israel.

17 Dan shall be a serpent by the way, an adder in the path that biteth the horse heels, so that his rider shall fall backward.

18 I have waited for thy salvation, O Lord.

19 Gad, a troop shall overcome him; but he shall overcome at the last.

20 Out of Asher his bread shall be fat, and he shall yield royal dainties.

21 Naphtali is a hind let loose; he giveth goodly words.

22 Joseph is a fruitful bough, even a fruitful bough by a well; whose branches run over the wall;

23 The archers have sorely grieved him, and shot at him, and hated him,

24 But his bow abode in strength, and the arms of his hands were made strong by the hands of the mighty God of Jacob; (from thence is the shepherd, the stone of Israel;)

25 Even by the God of thy father, who shall help thee; and by the Almighty, who shall bless thee with blessings of heaven above, blessings of the deep that lieth under, blessings of the breasts, and of the womb;

26 The blessings of thy father have prevailed above the blessings of my progenitors unto the utmost bound of the everlasting hills; they shall be on the head of Joseph, and on the crown of the head of him that was separate from his brethren.

27 Benjamin shall raven as a wolf; in the morning he shall devour the prey, and at night he shall divide the spoil.

28 All these are the twelve tribes of Israel; and this is it that their father spake unto them, and blessed them; every one according to his blessing he blessed them.

29 And he charged them, and said unto them, I am to be gathered unto my people; bury me with my fathers in the cave that is in the field of Ephron the Hittite,

30 In the cave that is in the field of Machpelah, which is before Mamre, in the land of Canaan, which Abraham bought with the field of Ephron the Hittite for a possession of a burying-place.

31 There they buried Abraham and Sarah his wife; there they buried Isaac and Rebekah his wife; and there I buried Leah.

32 The purchase of the field and of the cave that is therein was from the children of Heth.

33 And when Jacob had made an end of commanding his sons, he gathered up his feet into the bed, and yielded up the ghost, and was gathered unto his people.

CAPÍTULO 50

The mourning for Jacob — The funeral — Joseph comforteth his brethren — He prophesieth — He dieth.

1 And Joseph fell upon his father’s face, and wept upon him, and kissed him.

2 And Joseph commanded his servants the physicians to embalm his father; and the physicians embalmed Israel.

3 And forty days were fulfilled for him; for so are fulfilled the days of those which are embalmed; and the Egyptians mourned for him threescore and ten days.

4 And when the days of his mourning were past, Joseph spake unto the house of Pharaoh, saying, If now I have found grace in your eyes, speak, I pray you, in the ears of Pharaoh, saying,

5 My father made me swear, saying, Lo, I die; in my grave which I have digged for me in the land of Canaan, there shalt thou bury me. Now therefore let me go up, I pray thee, and bury my father, and I will come again.

6 And Pharaoh said, Go up, and bury thy father, according as he made thee swear.

7 And Joseph went up to bury his father; and with him went up all the servants of Pharaoh, the elders of his house, and all the elders of the land of Egypt,

8 And all the house of Joseph, and his brethren, and his father’s house; only their little ones, and their flocks, and their herds, they left in the land of Goshen.

9 And there went up with him both chariots and horsemen; and it was a very great company.

10 And they came to the threshing floor of Atad, which is beyond Jordan; and there thy mourned with a great and very sore lamentation; and he made a mourning for his father seven days.

11 And when the inhabitants of the land, the Canaanites, saw the mourning in the floor of Atad, they said, This is a grievous mourning to the Egyptians; wherefore the name of it was called Abel-mizraim, which is beyond Jordan.

12 And his sons did unto him according as he commanded them;

13 For his sons carried him into the land of Canaan, and buried him in the cave of the field of Machpelah, which Abraham bought with the field for a possession of a burying-place of Ephron the Hittite, before Mamre.

14 And Joseph returned into Egypt, he, and his brethren, and all that went up with him to bury his father, after he had buried his father.

15 And when Joseph’s brethren saw that their father was dead, they said, Joseph will peradventure hate us, and will certainly requite us all the evil which we did unto him.

16 And they sent a messenger unto Joseph, saying, Thy father did command before he died, saying,

17 So shall ye say unto Joseph, Forgive, I pray thee now, the trespass of thy brethren, and their sin; for they did unto thee evil; and now we pray thee, forgive the trespass of the servants of the God of thy father. And Joseph wept when they spake unto him.

18 And his brethren also went and fell down before his face; and they said, Behold, we be thy servants.

19 And Joseph said unto them, Fear not; for am I in the place of God?

20 But as for you, ye thought evil against me; but God meant it unto good, to bring to pass, as it is this day, to save much people alive.

21 Now therefore fear ye not; I will nourish you, and your little ones. And he comforted them, and spake kindly unto them.

22 And Joseph dwelt in Egypt, he, and his father’s house; and Joseph lived a hundred and ten years.

23 And Joseph saw Ephraim’s children of the third generation; the children also of Machir the son of Manasseh were brought up upon Joseph’s knees.

24 And Joseph said unto his brethren, I die, and go unto my fathers; and I go down to my grave with joy. The God of my father Jacob be with you, to deliver you out of affliction in the days of your bondage; for the Lord hath visited me, and I have obtained a promise of the Lord, that out of the fruit of my loins, the Lord God will raise up a righteous branch out of my loins; and unto thee, whom my father Jacob hath named Israel, a prophet; (not the Messiah who is called Shilo;) and this prophet shall deliver my people out of Egypt in the days of thy bondage.

25 And it shall come to pass that they shall be scattered again; and a branch shall be broken off, and shall be carried into a far country; nevertheless they shall be remembered in the covenants of the Lord, when the Messiah cometh; for he shall be made manifest unto them in the latter days, in the Spirit of power; and shall bring them out of darkness into light; out of hidden darkness, and out of captivity unto freedom.

26 A seer shall the Lord my God raise up, who shall be a choice seer unto the fruit of my loins.

27 Thus saith the Lord God of my fathers unto me, A choice seer will I raise up out of the fruit of thy loins, and he shall be esteemed highly among the fruit of thy loins; and unto him will I give commandment that he shall do a work for the fruit of thy loins, his brethren.

28 And he shall bring them to the knowledge of the covenants which I have made with thy fathers; and he shall do whatsoever work I shall command him.

29 And I will make him great in mine eyes, for he shall do my work; and he shall be great like unto him whom I have said I would raise up unto you, to deliver my people, O house of Israel, out of the land of Egypt; for a seer will I raise up to deliver my people out of the land of Egypt; and he shall be called Moses. And by this name he shall know that he is of thy house; for he shall be nursed by the king’s daughter, and shall be called her son.

30 And again, a seer will I raise up out of the fruit of thy loins, and unto him will I give power to bring forth my word unto the seed of thy loins; and not to the bringing forth of my word only, saith the Lord, but to the convincing them of my word, which shall have already gone forth among them in the last days;

31 Wherefore the fruit of thy loins shall write, and the fruit of the loins of Judah shall write; and that which shall be written by the fruit of thy loins, and also that which shall be written by the fruit of the loins of Judah, shall grow together unto the confounding of false doctrines, and laying down of contentions, and establishing peace among the fruit of thy loins, and bringing them to a knowledge of their fathers in the latter days; and also to the knowledge of my covenants, saith the Lord.

32 And out of weakness shall he be made strong, in that day when my work shall go forth among all my people, which shall restore them, who are of the house of Israel, in the last days.

33 And that seer will I bless, and they that seek to destroy him shall be confounded; for this promise I give unto you; for I will remember you from generation to generation; and his name shall be called Joseph, and it shall be after the name of his father; and he shall be like unto you; for the thing which the Lord shall bring forth by his hand shall bring my people unto salvation.

34 And the Lord sware unto Joseph that he would preserve his seed forever, saying, I will raise up Moses, and a rod shall be in his hand, and he shall gather together my people, and he shall lead them as a flock, and he shall smite the waters of the Red Sea with his rod.

35 And he shall have judgment, and shall write the word of the Lord. And he shall not speak many words, for I will write unto him my law by the finger of mine own hand. And I will make a spokesman for him, and his name shall be called Aaron.

36 And it shall be done unto thee in the last days also, even as I have sworn. Therefore, Joseph said unto his brethren, God will surely visit you, and bring you out of this land, unto the land which he sware unto Abraham, and unto Isaac, and to Jacob.

37 And Joseph confirmed many other things unto his brethren, and took an oath of the children of Israel, saying unto them, God will surely visit you, and ye shall carry up my bones from hence.

38 So Joseph died when he was an hundred and ten years old; and they embalmed him, and they put him in a coffin in Egypt; and he was kept from burial by the children of Israel, that he might be carried up and laid in the sepulcher with his father. And thus they remembered the oath which they sware unto him.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

scripture

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.