Salmos

O Livro dos Salmos

 

CAPÍTULO 1

A felicidade dos piedosos.

1 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.

2 Mas o seu prazer está na lei do Senhor; e na sua lei medita dia e noite.

3 E será como a árvore plantada junto aos ribeiros de águas, que dá o seu fruto a seu tempo; sua folha também não murchará; e tudo o que ele fizer prosperará.

4 Os ímpios não são assim; mas são como a palha que o vento leva.

5 Portanto, os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.

6 Pois o Senhor conhece o caminho dos justos; mas o caminho dos ímpios perecerá.


CAPÍTULO 2

Reis disseram para aceitar o reino de Cristo.

1 Por que os gentios se enfurecem e o povo imagina coisas vãs?

2 Os reis da terra se levantam, e os príncipes conspiram juntos contra o Senhor e contra o seu Ungido, dizendo:

3 Rompamos as suas ataduras e lancemos de nós as suas cordas.

4 Aquele que está sentado nos céus rirá; o Senhor os ridicularizará.

5 Então falará com eles em sua ira, e os afligirá em seu desagrado.

6 No entanto, pus o meu Rei no meu santo monte de Sião.

7 Declararei o decreto; o Senhor me disse: Tu és meu Filho; neste dia eu te gerei.

8 Pede-me, e eu te darei as nações por herança, e os confins da terra por tua possessão.

9 Tu os quebrarás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como um vaso de oleiro.

10 Sede sábios agora, ó reis; sejam instruídos, ó juízes da terra.

11 Servi ao Senhor com temor e regozijai-vos com tremor.

12 Beijai o Filho, para que não se ira, e pereçais no caminho, quando a sua ira se acender um pouco. Bem-aventurados todos os que nele confiam.


CAPÍTULO 3

A segurança da proteção de Deus. (Um Salmo de Davi, quando ele fugiu de Absalão, seu filho.)

1 Senhor, como aumentaram os que me incomodam! muitos são os que se levantam contra mim.

2 Muitos são os que dizem da minha alma: Não há socorro para ele em Deus. Selá.

3 Mas tu, Senhor, és um escudo para mim; minha glória e o levantador da minha cabeça.

4 Clamei ao Senhor com a minha voz, e ele me ouviu do seu santo monte. Selá.

5 Deitei-me e dormi; eu acordei; porque o Senhor me sustentou.

6 Não temerei dez milhares de pessoas que se levantaram contra mim ao redor.

7 Levanta-te, Senhor; salva-me, ó meu Deus; pois feriu todos os meus inimigos na bochecha; quebraste os dentes do ímpio.

8 A salvação pertence ao Senhor; a tua bênção está sobre o teu povo. Selá.


CAPÍTULO 4

Davi repreende seus inimigos. (Para o músico-chefe em Neginoth.)

1 Ouve-me quando clamo, ó Deus da minha justiça; tu me engrandeceste quando eu estava angustiado; tem misericórdia de mim, e ouve a minha oração.

2 Ó filhos dos homens, até quando tornareis a minha glória em vergonha? até quando amareis a vaidade e procurareis o arrendamento? Selá.

3 Mas saibam que o Senhor separou para si aquele que é piedoso; o Senhor ouvirá quando eu o chamar.

4 Teme e não peques; comungar com seu próprio coração em sua cama, e ficar quieto. Selá.

5 Oferece sacrifícios de justiça e confia no Senhor.

6 Há muitos que dizem: Quem nos mostrará alguma coisa boa? Senhor, eleva sobre nós a luz do teu semblante.

7 Tu puseste alegria no meu coração, mais do que no tempo em que o seu trigo e o seu vinho aumentaram.

8 Em paz me deitarei e dormirei; pois tu, Senhor, somente me fazes habitar em segurança.


CAPÍTULO 5

Deus não favorece os ímpios. (Para o principal músico sobre Nehiloth, Um Salmo de Davi.)

1 Dá ouvidos às minhas palavras, ó Senhor; considere minha meditação.

2 Ouvi a voz do meu clamor, meu Rei e meu Deus; pois a ti orarei.

3 A minha voz ouvirás pela manhã, ó Senhor; pela manhã dirigirei minha oração a ti, e olharei para cima.

4 Pois tu não és um Deus que tem prazer na impiedade; nem o mal habitará contigo.

5 Os insensatos não ficarão à tua vista; aborreces todos os que praticam a iniqüidade.

6 Destruirás os que falam de arrendamento; o Senhor abominará o homem sanguinário e enganador.

7 Mas quanto a mim, entrarei em tua casa na multidão da tua misericórdia; e em teu temor adorarei em direção ao teu santo templo.

8 Guia-me, Senhor, na tua justiça por causa dos meus inimigos; faz teu caminho direto diante de minha face.

9 Porque não há fidelidade na sua boca; sua parte interior é muito maldade; sua garganta é um sepulcro aberto; bajulam com a língua.

10 Destrua-os, ó Deus; deixe-os cair por seus próprios conselhos; lança-os fora na multidão das suas transgressões; porque se rebelaram contra ti.

11 Mas regozijem-se todos os que confiam em ti; que eles sempre gritem de alegria, porque tu os defendes; que também os que amam o teu nome se regozijem em ti.

12 Pois tu, Senhor, abençoarás os justos; com favor o cercarás como com um escudo.


CAPÍTULO 6

Davi, pela fé, triunfa. (Para o músico-chefe em Neginoth sobre Sheminith, A Psalm of David.)

1 Senhor, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor.

2 Tem misericórdia de mim, ó Senhor; pois sou fraco; Ó Senhor, cura-me; pois meus ossos estão aflitos.

3 A minha alma também está aflita; mas tu, ó Senhor, até quando?

4 Volta, Senhor, livra a minha alma; oh salva-me por amor de tuas misericórdias.

5 Pois na morte não há lembrança de ti; na sepultura quem te dará graças?

6 Estou cansado do meu gemido; toda a noite faço minha cama para nadar; Eu rego meu sofá com minhas lágrimas.

7 Meus olhos estão consumidos de tristeza; envelhece por causa de todos os meus inimigos.

8 Apartai-vos de mim, todos vós que praticais a iniqüidade; porque o Senhor ouviu a voz do meu choro.

9 O Senhor ouviu a minha súplica; o Senhor receberá minha oração.

10 Que todos os meus inimigos fiquem envergonhados e aflitos; que eles voltem e se envergonhem de repente.


CAPÍTULO 7

Davi ora contra a malícia de seus inimigos, professando sua inocência. (Shiggaion de Davi, que ele cantou ao Senhor, a respeito das palavras de Cush, o benjamita.)

1 Senhor meu Deus, em ti confio; salva-me de todos os que me perseguem, e livra-me;

2 Para que não rasgue a minha alma como um leão, despedaçando-a, sem que haja quem a livre.

3 Ó Senhor meu Deus, se eu fiz isso; se houver iniqüidade em minhas mãos;

4 Se paguei mal ao que tinha paz comigo; (sim, eu libertei aquele que sem causa é meu inimigo;)

5 Persiga o inimigo a minha alma, e tome-a; sim, que ele pise minha vida na terra e coloque minha honra no pó. Selá.

6 Levanta-te, Senhor, na tua ira, levanta-te por causa da ira dos meus inimigos; e desperta-me para o juízo que ordenaste.

7 Assim a congregação do povo te cercará; por causa deles, portanto, volte para o alto.

8 O Senhor julgará o povo; julga-me, Senhor, segundo a minha justiça e segundo a integridade que há em mim.

9 Acabe a maldade dos ímpios; mas estabelece o justo; pois o Deus justo prova os corações e as rédeas.

10 A minha defesa vem de Deus, que salva os retos de coração.

11 Deus julga os justos, e Deus se zanga com os ímpios todos os dias.

12 Se não se voltar, afiará a sua espada; ele dobrou seu arco e o preparou.

13 Ele também preparou para ele os instrumentos de morte; ele ordena suas flechas contra os perseguidores.

14 Eis que ele está com as dores da iniqüidade, e concebeu o mal, e deu à luz a falsidade.

15 Fez uma cova, cavou-a, e caiu na vala que fez.

16 A sua maldade recairá sobre a sua cabeça, e a sua violência cairá sobre a sua cabeça.

17 Louvarei ao Senhor segundo a sua justiça; e cantarão louvores ao nome do Senhor Altíssimo.


CAPÍTULO 8

A glória de Deus ampliada por suas obras e amor ao homem. (Para o principal músico em Gittith, Um Salmo de Davi.)

1 Ó Senhor nosso Senhor, quão admirável é o teu nome em toda a terra! que puseste a tua glória acima dos céus.

2 Da boca dos pequeninos e dos recém-nascidos tiraste força por causa dos teus inimigos, para acalmares o inimigo e o vingador.

3 Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste;

4 O que é o homem, para que te lembres dele? e o filho do homem, para que o visites?

5 Pois tu o fizeste um pouco menor do que os anjos, e de glória e de honra o coroaste.

6 Tu o fizeste ter domínio sobre as obras das tuas mãos; tudo puseste debaixo de seus pés;

7 Todas as ovelhas e bois, sim, e os animais do campo;

8 As aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que passa pelas veredas dos mares.

9 Ó Senhor nosso Senhor, quão admirável é o teu nome em toda a terra!


CAPÍTULO 9

Davi louva a Deus por executar o julgamento. (Para o principal músico sobre Muthlabben, Um Salmo de Davi.)

1 Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; Mostrarei todas as tuas maravilhas.

2 Eu me alegrarei e me alegrarei em ti; Cantarei louvores ao teu nome, ó Altíssimo.

3 Quando meus inimigos recuarem, eles cairão e perecerão na tua presença.

4 Pois tu sustentaste meu direito e minha causa; tu estás sentado no trono julgando com justiça.

5 Tu repreendeste os gentios, destruíste os ímpios, puseste o nome deles para todo o sempre.

6 Ó inimigo, as destruições chegaram a um fim perpétuo; e destruíste cidades; seu memorial pereceu com eles.

7 Mas o Senhor durará para sempre; ele preparou o seu trono para o julgamento.

8 E ele julgará o mundo com justiça, ele ministrará julgamento ao povo com retidão.

9 O Senhor também será um refúgio para os oprimidos, um refúgio em tempos de angústia.

10 E os que conhecem o teu nome confiarão em ti; porque tu, Senhor, não abandonas os que te buscam.

11 Cantem louvores ao Senhor, que habita em Sião; declarar entre o povo os seus feitos.

12 Quando ele faz inquisição por sangue, ele se lembra deles; ele não se esquece do clamor dos humildes.

13 Tem misericórdia de mim, ó Senhor; considera a minha angústia que sofro dos que me odeiam, tu que me levantas das portas da morte;

14 para que eu anuncie todo o teu louvor nas portas da filha de Sião; regozijar-me-ei na tua salvação.

15 Os gentios são afundados na cova que eles fizeram; na rede que esconderam é apanhado o seu próprio pé.

16 O Senhor é conhecido pelo juízo que executa; o ímpio está enlaçado na obra de suas próprias mãos. Higgaion. Selá.

17 Os ímpios serão lançados no inferno, e todas as nações que se esquecem de Deus.

18 Pois o necessitado nem sempre será esquecido; a expectativa dos pobres não perecerá para sempre.

19 Levanta-te, Senhor; não prevaleça o homem; sejam os gentios julgados à tua vista.

20 Teme-os, ó Senhor; para que as nações saibam que são apenas homens. Selá.


CAPÍTULO 10

Davi professa sua fé em Deus.

1 Por que estás tão longe, ó Senhor? por que te escondes em tempos de angústia?

2 O ímpio na sua soberba persegue o pobre; deixe-os ser levados nos dispositivos que eles imaginaram.

3 Pois o ímpio se gloria do desejo do seu coração e abençoa o avarento, a quem o Senhor abomina.

4 O ímpio, pela soberba do seu semblante, não buscará a Deus; Deus não está em todos os seus pensamentos.

5 Seus caminhos são sempre penosos; teus julgamentos estão muito acima de sua vista; quanto a todos os seus inimigos, ele bufa para eles.

6 Pois ele disse em seu coração: Não serei abalado; nunca na adversidade.

7 A sua boca está cheia de maldição e engano; e seu coração está cheio de fraude; e debaixo da sua língua há maldade e vaidade.

8 Ele se assenta nos esconderijos das aldeias; nos lugares secretos ele mata o inocente; seus olhos estão em segredo contra os pobres.

9 Ele está à espreita como um leão na sua cova; ele fica à espreita para apanhar os pobres; ele apanha o pobre, quando o puxa para a sua rede.

10 Ele se agacha para os fortes e se humilha, para que os pobres caiam por seus ardis.

11 Ele disse em seu coração: Deus se esqueceu; ele esconde seu rosto; ele nunca vai ver.

12 Levanta-te, Senhor; Ó Deus, levante a mão; não se esqueça dos humildes.

13 Os ímpios condenam a Deus; por isso diz em seu coração: Não exigirás iniqüidade da minha mão.

14 Ó Senhor, tu tens visto tudo isso, pois vês maldade e maldade, para retribuir com a tua mão. O pobre se entrega a ti; tu és o ajudante dos órfãos.

15 Ó Senhor, tu quebrarás o braço do ímpio e do mal; e procura a sua maldade até que não encontres quem permaneça.

16 E o Senhor será rei para todo o sempre sobre o seu povo; porque os ímpios perecerão da sua terra.

17 Senhor, ouviste o desejo dos humildes; prepararás o coração deles, farás ouvir o teu ouvido;

18 Para julgar os órfãos e os oprimidos, para que os homens da terra não mais oprimam.


CAPÍTULO 11

A providência e a justiça de Deus. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Naquele dia virás, ó Senhor; e confiarei em ti. Dirás ao teu povo, porque os meus ouvidos ouviram a tua voz; dirás a cada alma: Foge para o meu monte; e os justos fugirão como ave que se solta do laço do passarinheiro.

2 Pois os ímpios dobram o arco; eis que eles preparam sua flecha na corda, para que possam atirar secretamente nos retos de coração, para destruir seus fundamentos.

3 Mas os fundamentos dos ímpios serão destruídos, e o que eles podem fazer?

4 Pois o Senhor, quando entrar no seu santo templo, assentado no trono de Deus no céu, seus olhos traspassarão os ímpios.

5 Eis que as suas pálpebras provarão os filhos dos homens, e ele redimirá os justos, e eles serão provados. O Senhor ama o justo, mas o ímpio, e aquele que ama a violência, a sua alma odeia.

6 Sobre os ímpios fará chover laços, fogo e enxofre, e uma terrível tempestade, a porção do seu copo.

7 Porque o justo Senhor ama a justiça; seu semblante contempla os retos.


CAPÍTULO 12

Davi é consolado com as promessas provadas de Deus.

1 Naquele dia ajudarás, ó Senhor, os pobres e mansos da terra. Pois o homem piedoso deixará de ser encontrado, e os fiéis desfalecerão entre os filhos dos homens.

2 Falarão vaidade cada um com o seu próximo; com lábios lisonjeiros, com coração duplo falam.

3 Mas o Senhor cortará todos os lábios lisonjeiros, a língua que fala soberbamente,

4 Quem disse: Com a nossa língua prevaleceremos, os nossos lábios são nossos, quem será o Senhor sobre nós?

5 Portanto, assim diz o Senhor: Naquele dia me levantarei, estarei sobre a terra e julgarei a terra pela opressão dos pobres, pelo gemido dos necessitados; e o seu clamor chegou ao meu ouvido.

6 Portanto, o Senhor se assentará para julgar todos os que dizem em seus corações: Todos nós nos sentamos em segurança; e bufa para ele. Estas são as palavras do Senhor; sim, palavras puras, como prata provada em fornalha de terra, purificada sete vezes.

7 Tu salvarás o teu povo, ó Senhor; tu os guardarás; tu os preservarás da maldade de suas gerações para sempre.

8 Os ímpios andam por todos os lados, e os mais vis são exaltados; mas no dia da sua soberba os visitarás.


CAPÍTULO 13

A graça e misericórdia de Deus.

1 Até quando, Senhor, te afastarás de mim? Até quando esconderás de mim o teu rosto, para que eu não te veja? Você me esquecerá e me expulsará de sua presença para sempre?

2 Até quando tomarei conselho em minha alma, sofrendo diariamente em meu coração? Até quando meu inimigo será exaltado sobre mim?

3 Considera-me, Senhor; e ouve o meu clamor, ó meu Deus; e ilumina meus olhos, para que eu não durma a morte dos ímpios; para que o meu inimigo não diga, venci contra ele.

4 Os que me incomodam, alegram-se quando sou comovido;

5 Mas eu confiei na tua misericórdia, o meu coração se alegrará na tua salvação.

6 Cantarei ao Senhor, porque me tratou generosamente.


CAPÍTULO 14

Corrupção do homem – Luz da consciência. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 O insensato disse em seu coração: Ninguém há que tenha visto a Deus. Porque ele não se mostra a nós, portanto não há Deus. Eis que eles são corruptos; tuas obras abomináveis, e nenhuma delas faz o bem.

2 Porque o Senhor olhou do céu para os filhos dos homens e, por sua voz, disse ao seu servo: Procura entre os filhos dos homens, para ver se há algum que entenda a Deus. E abriu a boca ao Senhor, e disse: Eis todos estes que dizem ser teus.

3 O Senhor respondeu, e disse: Todos eles se foram, eles juntos se tornaram imundos, você não pode ver nenhum deles que está fazendo o bem, não, nem um.

4 Todos os que têm como mestres são praticantes de iniqüidade, e neles não há conhecimento. São eles que comem o meu povo. Eles comem pão e não invocam o Senhor.

5 Eles estão com grande temor, porque Deus habita na geração dos justos. Ele é o conselho dos pobres, porque eles se envergonham dos ímpios e fogem para o Senhor, para seu refúgio.

6 Envergonham-se do conselho dos pobres, porque o Senhor é o seu refúgio.

7 Oh, que Sião fosse estabelecida do céu, a salvação de Israel. Ó Senhor, quando estabelecerás Sião? Quando o Senhor trouxer de volta o cativeiro do seu povo, Jacó se regozijará, Israel se alegrará.


CAPÍTULO 15

A justiça dos filhos de Sião. (Um Salmo de Davi.)

1 Senhor, quem habitará no teu tabernáculo? quem habitará no santo monte de Sião?

2 Aquele que anda em retidão, e pratica a justiça, e fala a verdade em seu coração.

3 Aquele que não calunia com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo, nem leva o vitupério contra o seu próximo.

4 A cujos olhos o vil é condenado; mas ele honra os que temem ao Senhor; não jura falsamente fazer mal a ninguém, e não muda.

5 Aquele que não dá o seu dinheiro com usura, nem recebe recompensa contra o inocente. Aquele que faz essas coisas jamais será abalado.


CAPÍTULO 16

Davi mostra a esperança da vida eterna. (Michtam de David.)

1 Guarda-me, ó Deus; pois em ti confio.

2 Tu me disseste que tu és o Senhor meu Deus, e que a minha bondade se estende a ti;

3 E a todos os santos que habitam na terra, e os excelentes, em quem está todo o meu prazer.

4 E os ímpios, não há prazer neles; suas tristezas serão multiplicadas sobre todos aqueles que se apressam em buscar outro deus; suas libações de sangue não aceitarei, nem levarei seus nomes em meus lábios.

5 Portanto tu, Senhor, és a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte.

6 As linhas caíram para mim em lugares agradáveis; sim, eu tenho uma herança boa.

7 Bendirei o Senhor, que me aconselhou; minhas rédeas também me instruem nas estações da noite.

8 Sempre pus o Senhor diante de mim; porque ele está à minha direita, não serei abalado.

9 Por isso o meu coração se alegra, e a minha glória se regozija; minha carne também descansará em esperança.

10 Pois não deixarás a minha alma no inferno; nem permitirás que teu Santo veja corrupção.

11 Tu me farás ver o caminho da vida; na tua presença há plenitude de alegria; à tua destra há delícias perpetuamente.


CAPÍTULO 17

Deus a defesa dos justos. (Uma Oração de Davi.)

1 Dá-me palavras certas, ó Senhor; fala e teu servo te ouvirá; atende ao meu clamor e ouve a minha oração. Não venho a ti com lábios fingidos.

2 Que a minha sentença saia da tua presença; que teus olhos vejam as coisas que são iguais.

3 Tu provaste o meu coração; tu me visitaste à noite; tu me provaste; nada de mal acharás em mim, pois estou determinado que minha boca não transgredirá no que diz respeito às obras dos homens.

4 Pela palavra dos teus lábios me guardei das veredas do destruidor.

5 Sustenta os meus passos nas tuas veredas, para que os meus passos não resvalem.

6 Eu te invoquei, porque tu ouvirás, ó Deus, a minha palavra, e inclinarás os teus ouvidos para mim.

7 Mostra a tua maravilhosa benevolência, ó tu que salvas os que confiam em ti, pela tua destra dos que se levantam.

8 Mantenha-me como a menina dos olhos. Esconde-me à sombra das tuas asas dos ímpios que me oprimem.

9 Meus inimigos mortais me cercam;

10 Estão encerrados na sua própria gordura; com a boca falam com orgulho.

11 Eles agora nos cercaram em nossos passos; eles fixaram seus olhos, curvando-se para a terra;

12 Como um leão ávido de sua presa, e como um leãozinho que espreita em esconderijos.

13 Levanta-te, Senhor, decepciona-o, derruba-o.

14 Livra a minha alma dos ímpios pela tua espada; dos homens por tua mão forte. Sim, ó Senhor, dos homens do mundo; porque a sua porção está na sua vida, e cujo ventre enches com os teus bens; eles estão cheios de filhos, e eles morrem e deixam o resto de sua herança para seus bebês.

15 Quanto a mim, contemplarei a tua face em justiça; Estarei satisfeito, quando acordar, com a tua semelhança.


CAPÍTULO 18

As múltiplas bênçãos de Deus. (Ao chefe dos músicos, Salmo de Davi, servo do Senhor, que falou ao Senhor as palavras deste cântico no dia em que o Senhor o livrou das mãos de todos os seus inimigos e das mãos de Saul; E ele disse,)

1 Eu te amarei, ó Senhor, minha força.

2 O Senhor é a minha rocha, e a minha fortaleza, e o meu libertador; meu Deus, minha força, em quem confiarei; meu broquel, e a força da minha salvação, e minha alta torre.

3 Invocarei o Senhor, pois ele é digno de louvor; assim serei salvo dos meus inimigos.

4 As dores da morte me cercaram, e as torrentes dos ímpios me amedrontaram.

5 As dores do inferno me cercaram; as armadilhas da morte me impediram.

6 Na minha angústia invoquei o Senhor, e clamei ao meu Deus; ele ouviu minha voz de seu templo, e meu clamor chegou até ele, até mesmo em seus ouvidos.

7 Então a terra tremeu e estremeceu; também os fundamentos dos montes se moveram e foram abalados, porque ele se indignou.

8 Saiu fumaça de suas narinas, e fogo de sua boca devorou; carvões foram acesos por ele.

9 Inclinou também os céus e desceu; e a escuridão estava sob seus pés.

10 E ele montou em um querubim, e voou; sim, ele voou nas asas do vento.

11 Ele fez das trevas o seu esconderijo; seu pavilhão ao redor dele eram águas escuras e nuvens espessas do céu.

12 No resplendor que estava diante dele, suas nuvens espessas passaram, pedras de granizo e brasas de fogo.

13 Também o Senhor trovejou nos céus, e o Altíssimo deu a sua voz; granizo e brasas de fogo.

14 Sim, ele enviou suas flechas e os dispersou; e ele disparou relâmpagos, e os desconcertou.

15 Então os canais das águas foram vistos, e os fundamentos do mundo foram descobertos pela tua repreensão, ó Senhor, pelo sopro do sopro das tuas narinas.

16 Ele enviou de cima, ele me levou, ele me tirou de muitas águas.

17 Ele me livrou do meu forte inimigo e daqueles que me odiavam; pois eles eram fortes demais para mim.

18 Eles me impediram no dia da minha calamidade; mas o Senhor foi a minha estadia.

19 Também me trouxe para um lugar espaçoso; ele me livrou, porque se deleitou em mim.

20 O Senhor me recompensou conforme a minha justiça; conforme a pureza das minhas mãos ele me recompensou.

21 Pois guardei os caminhos do Senhor, e não me afastei impiamente do meu Deus.

22 Porque todos os seus juízos estavam diante de mim, e eu não rejeitei de mim os seus estatutos.

23 Também fui reto diante dele, e guardei-me da minha iniqüidade.

24 Por isso o Senhor me recompensou conforme a minha justiça, conforme a pureza das minhas mãos diante dos seus olhos.

25 Com os misericordiosos te mostrarás misericordioso; com um homem reto te mostrarás reto;

26 Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás perverso.

27 Pois tu salvarás o povo aflito; mas vai derrubar olhares altos.

28 Pois tu acenderás a minha vela; o Senhor meu Deus iluminará minhas trevas.

29 Pois por ti atravessei uma tropa; e por meu Deus eu pulei um muro.

30 Ó Deus, os teus caminhos são perfeitos; a palavra do Senhor é provada; ele é um escudo para todos os que nele confiam.

31 Pois quem é Deus senão o Senhor? ou quem é uma rocha senão o nosso Deus,

32 Deus nosso que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho?

33 Ele faz os meus pés como os da corça, e me põe nos meus lugares altos.

34 Ele ensina minhas mãos à guerra, de modo que um arco de aço é quebrado por meus braços.

35 Tu também me deste o escudo da tua salvação; e a tua destra me susteve, e a tua mansidão me engrandeceu.

36 Alargaste os meus passos debaixo de mim, para que os meus pés não vacilassem.

37 Persegui os meus inimigos e os alcancei; nem tornei a me virar até que fossem consumidos.

38 Eu os feri para que não pudessem se levantar; eles estão caídos sob meus pés.

39 Pois tu me cingiste de força para a batalha; subjugaste debaixo de mim os que se levantaram contra mim.

40 Também me deste os pescoços dos meus inimigos; para que eu destrua os que me odeiam.

41 Clamaram, mas não encontraram quem os salvasse; ao Senhor, mas ele não lhes respondeu.

42 Então os esmaguei como o pó diante do vento; Eu os expulsei como a sujeira nas ruas.

43 Tu me livraste das lutas do povo; e tu me fizeste cabeça dos gentios; um povo que não conheci me servirá.

44 Assim que me ouvirem, me obedecerão; os estranhos se submeterão a mim.

45 Os estranhos desaparecerão, e terão medo de seus esconderijos.

46 O Senhor vive; e bendita seja minha Rocha; e seja exaltado o Deus da minha salvação.

47 É Deus quem me vinga e subjuga o povo debaixo de mim.

48 Ele me livra dos meus inimigos; sim, tu me elevas acima dos que se levantam contra mim; tu me livraste do homem violento.

49 Por isso te darei graças, ó Senhor, entre os gentios, e cantarei louvores ao teu nome.

50 Grande livramento ele dá ao seu rei; e mostra misericórdia ao seu ungido, a Davi e à sua descendência para sempre.


CAPÍTULO 19

A criação mostra a glória de Deus – Oração por graça. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Os céus declaram a glória de Deus; e o firmamento mostra sua obra.

2 Dia a dia fala, e noite a noite mostra conhecimento.

3 Nenhuma fala nem linguagem pode existir, se sua voz não for ouvida.

4 A sua linhagem se estendeu por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs um tabernáculo para o sol,

5 Que é como um noivo que sai do seu quarto, e se alegra como um homem forte em uma corrida.

6 A sua saída é desde a extremidade do céu, e o seu percurso até às extremidades dele; e nada se esconde do seu calor.

7 A lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, tornando sábios os simples.

8 Os estatutos do Senhor são retos, alegrando o coração; o mandamento do Senhor é puro, iluminando os olhos.

9 O temor do Senhor é puro e dura para sempre; os juízos do Senhor são totalmente verdadeiros e justos.

10 Mais desejáveis são eles do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; mais doce também do que o mel e o favo de mel.

11 Além disso, por eles é advertido o teu servo; e em mantê-los há grande recompensa.

12 Quem pode entender seus erros? purifica-me das faltas secretas.

13 Afasta também o teu servo de atos de presunção; que eles não tenham domínio sobre mim; então serei justo, e serei inocente da grande transgressão.

14 Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis aos teus olhos, ó Senhor, minha força e meu redentor.


CAPÍTULO 20

Confiança no socorro de Deus. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 O Senhor te ouça no dia da angústia; o nome do Deus de Jacó te defenda;

2 Envia-te socorro do santuário, e te fortalece desde Sião;

3 Lembra-te de todas as tuas ofertas e aceita o teu holocausto; Selá.

4 Concede-te segundo o teu coração, e cumpre todo o teu conselho.

5 Regozijar-nos-emos na tua salvação, e em nome do nosso Deus levantaremos as nossas bandeiras; o Senhor cumpra todas as tuas petições.

6 Agora sei que o Senhor salva o seu ungido; ele o ouvirá do seu santo céu com a força salvadora de sua destra.

7 Uns confiam em carros, outros em cavalos; mas nos lembraremos do nome do Senhor nosso Deus.

8 Eles são derrubados e caídos; mas nós ressuscitamos e estamos de pé.

9 Salve, Senhor; que o rei nos ouça quando chamarmos.


CAPÍTULO 21

Uma ação de graças pelas bênçãos. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 O rei se alegrará na tua força, ó Senhor; e na tua salvação quão grandemente ele se regozijará!

2 Tu lhe concedeste o desejo de seu coração, e não negaste o pedido de seus lábios. Selá.

3 Pois tu o prevines com as bênçãos do bem; tu puseste uma coroa de ouro puro em sua cabeça.

4 Ele te pediu a vida, e tu a deste a ele, até a extensão de dias para todo o sempre.

5 Grande é a sua glória na tua salvação; honra e majestade puseste sobre ele.

6 Pois tu o fizeste para sempre bem-aventurado; tu o alegraste muito com o teu semblante.

7 Porque o rei confia no Senhor, e pela misericórdia do Altíssimo não será abalado.

8 A tua mão descobrirá todos os teus inimigos; a tua destra descobrirá os que te odeiam.

9 Tu os farás como um forno ardente no tempo da tua ira; o Senhor os devorará em sua ira, e o fogo os consumirá.

10 O seu fruto destruirás da terra, e a sua semente do meio dos filhos dos homens.

11 Pois eles intentaram o mal contra ti; eles imaginaram um dispositivo malicioso, que eles não são capazes de executar.

12 Por isso os farás virar as costas, quando preparares as tuas flechas nas tuas cordas contra a face deles.

13 Sê exaltado, Senhor, na tua própria força; assim cantaremos e louvaremos o teu poder.


CAPÍTULO 22

Davi ora em grande angústia, mas louva a Deus. (Para o Músico Chefe sobre Aijeleth Shahar, Um Salmo de Davi.)

1 Meu Deus, por que me abandonaste? Meu Deus, ouça as palavras do meu rugido; estás longe de me ajudar.

2 Ó meu Deus, clamo de dia, mas tu não respondes; e na estação da noite, e não me calo.

3 Mas tu és santo que habitas nos céus; tu és digno dos louvores de Israel.

4 Nossos pais confiaram em ti; confiaram, e tu os livraste.

5 Clamaram a ti, e foram salvos; confiaram em ti e não foram confundidos.

6 Mas eu, verme, não sou amado por homem algum; opróbrio dos homens e desprezado pelo povo.

7 Todos os que me vêem zombam de mim; eles atiram para fora do lábio, eles balançam a cabeça, dizendo:

8 Ele confiou no Senhor que o livraria; que o livre, visto que se deleitou nele.

9 Mas tu és aquele que me tirou do ventre; tu me fizeste ter esperança quando eu estava nos seios de minha mãe.

10 Sobre ti fui lançado desde o ventre; tu eras meu Deus desde os seios de minha mãe.

11 Não fique longe de mim; pois o problema está próximo; pois não há ninguém para ajudar.

12 Muitos exércitos me cercaram; exércitos fortes de Basã me cercaram.

13 Abriram-me a boca como um leão que despedaça e que ruge.

14 Como água me derramei, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração é como cera; derrete-se no meio das minhas entranhas.

15 A minha força secou-se como um caco de barro; e minha língua se apega às minhas mandíbulas; e tu me trouxeste ao pó da morte.

16 Pois cães me cercaram; a assembléia dos ímpios me cercou; perfuraram minhas mãos e meus pés.

17 Posso contar todos os meus ossos; eles olham e olham para mim.

18 Repartiram entre si as minhas vestes e lançaram sortes sobre a minha vestimenta.

19 Mas não te afastes de mim, ó Senhor; Ó minha força, apressa-te a ajudar-me.

20 Livra a minha alma da espada; minha querida do poder do cão.

21 Salva-me da boca do leão, pois me ouviste falar dos lugares secretos do deserto, pelos chifres dos unicórnios.

22 Anunciarei o teu nome a meus irmãos; no meio da congregação eu te louvarei.

23 Vós que temeis ao Senhor; elogie-o; todos vós, descendência de Jacó, glorificai-o; e temei-o, todos vós, descendência de Israel.

24 Porque não desprezou nem abominou a aflição do aflito; nem escondeu dele o seu rosto; mas quando ele clamou a ele, ele ouviu.

25 Meu louvor será de ti na grande congregação; Pagarei meus votos diante daqueles que o temem.

26 Os mansos comerão e se fartarão; louvarão ao Senhor que o buscam; seu coração viverá para sempre.

27 Todos os confins do mundo se lembrarão e se voltarão para o Senhor; e todas as famílias das nações adorarão diante de ti.

28 Pois o reino é do Senhor; e ele é o governador entre as nações.

29 Todos os gordos da terra comerão e adorarão; todos os que descem ao pó se curvarão diante dele; e ninguém pode manter viva sua própria alma.

30 Uma semente o servirá; será contado ao Senhor por uma geração.

31 Eles virão e anunciarão a sua justiça ao povo que há de nascer, o que ele fez.


CAPÍTULO 23

Confiança na graça de Deus. (Um Salmo de Davi.)

1 O Senhor é meu pastor; não vou querer.

2 Ele me faz deitar em verdes pastagens; ele me conduz para as águas tranquilas.

3 Ele restaura a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça por amor do seu nome.

4 Sim, ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum; porque tu estás comigo; A tua vara eo teu cajado me consolam.

5 Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos; tu unges minha cabeça com óleo; meu cálice transborda.

6 Certamente bondade e misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor para sempre.


CAPÍTULO 24

Do reino de Deus. (Um Salmo de Davi.)

1 Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e os que nele habitam.

2 Pois ele a fundou sobre os mares, e a firmou sobre os rios.

3 Quem subirá ao monte do Senhor? ou quem estará no seu lugar santo?

4 Aquele que é limpo de mãos e puro de coração; que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente.

5 Ele receberá a bênção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação.

6 Esta é a geração dos que o buscam, que buscam a tua face, ó Jacó. Selá.

7 Levantai as vossas cabeças, ó gerações de Jacó; e elevai-vos; e o Senhor forte e poderoso; o Senhor poderoso na batalha, que é o rei da glória, te confirmará para sempre.

8 E ele rolará os céus; e descerá para redimir o povo; para fazer de você um nome eterno; para te estabelecer na sua rocha eterna.

9 Levantai as vossas cabeças, ó gerações de Jacó; levantai as vossas cabeças, ó gerações eternas, e o Senhor dos Exércitos, o Rei dos reis;

10 Até o rei da glória virá a ti; e redimirá o seu povo, e o estabelecerá em justiça. Selá.


CAPÍTULO 25

A oração de Davi pela remissão dos pecados e por ajuda na aflição. (Um Salmo de Davi.)

1 A ti, Senhor, elevo a minha alma.

2 Ó meu Deus, em ti confio; que eu não me envergonhe, que meus inimigos não triunfem sobre mim.

3 Sim, não se envergonhe quem espera em ti; sejam envergonhados os que transgridem sem causa.

4 Mostra-me os teus caminhos, Senhor; ensina-me os teus caminhos.

5 Guia-me na tua verdade, e ensina-me; porque tu és o Deus da minha salvação; em ti espero todo o dia.

6 Lembra-te, Senhor, das tuas ternas misericórdias e das tuas benignidades; pois eles sempre foram antigos.

7 Não te lembres dos pecados da minha juventude, nem das minhas transgressões; segundo a tua misericórdia lembra-te de mim por amor da tua bondade, ó Senhor.

8 Bom e reto é o Senhor; portanto, ele ensinará os pecadores no caminho.

9 Os mansos ele guiará no julgamento; e os mansos ensinará o seu caminho.

10 Todas as veredas do Senhor são misericórdia e verdade para os que guardam seu convênio e seus testemunhos.

11 Por amor do teu nome, Senhor, perdoa a minha iniqüidade; pois é ótimo.

12 Qual é o homem que teme ao Senhor? ele o ensinará no caminho que ele escolher.

13 Sua alma habitará tranquila; e a sua descendência herdará a terra.

14 O segredo do Senhor está com os que o temem; e ele lhes mostrará sua aliança.

15 Meus olhos estão sempre voltados para o Senhor; pois ele arrancará meus pés da rede.

16 Volta-te para mim, e tem misericórdia de mim; porque estou desolado e aflito.

17 Aumentam-se as angústias do meu coração; oh, tira-me das minhas angústias.

18 Olha para a minha aflição e para a minha dor; e perdoe todos os meus pecados.

19 Considere meus inimigos; pois são muitos; e eles me odeiam com ódio cruel.

20 Guarda a minha alma, e livra-me; não me envergonhe; pois em ti confio.

21 Que a integridade e a retidão me preservem; pois eu espero em ti.

22 Resgata Israel, ó Deus, de todas as suas tribulações.


CAPÍTULO 26

Davi professa a Deus sua integridade. (Um Salmo de Davi.)

1 Julga-me, Senhor; pois tenho andado na minha integridade; também confiei no Senhor; portanto, não vou escorregar.

2 Examina-me, Senhor, e prova-me; tente minhas rédeas e meu coração.

3 Pois a tua benignidade está diante dos meus olhos; e tenho andado na tua verdade.

4 Não me sentei com os vaidosos, nem entrarei com os dissimulados.

5 Odiei a congregação dos malfeitores; e não se sentará com os ímpios.

6 Lavarei as mãos na inocência; assim circundarei o teu altar, ó Senhor;

7 Para que eu publique com voz de ação de graças, e conte todas as tuas maravilhas.

8 Senhor, tenho amado a habitação da tua casa e o lugar onde habita a tua honra.

9 Não juntes a minha alma com os pecadores, nem a minha vida com os sanguinários;

10 Em cujas mãos há maldade, e sua mão direita está cheia de subornos.

11 Mas, quanto a mim, andarei na minha integridade; redime-me e tenha misericórdia de mim.

12 O meu pé está firme; nas congregações bendirei ao Senhor.


CAPÍTULO 27

Davi sustenta sua fé pela oração. (Um Salmo de Davi.)

1 O Senhor é minha luz e minha salvação; quem devo temer? o Senhor é a força da minha vida; de quem terei medo?

2 Quando os ímpios, meus inimigos e meus inimigos, vieram sobre mim para comer minha carne, eles tropeçaram e caíram.

3 Ainda que um exército acampe contra mim, meu coração não temerá; ainda que a guerra se levante contra mim, nisso estou confiante.

4 Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei; para que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor e inquirir no seu templo.

5 Pois no tempo da angústia ele me esconderá no seu pavilhão; no segredo do seu tabernáculo ele me esconderá; ele me porá sobre uma rocha.

6 E agora a minha cabeça será erguida acima dos meus inimigos ao meu redor; por isso oferecerei em seu tabernáculo sacrifícios de alegria; Cantarei, sim, assinarei louvores ao Senhor.

7 Ouve, Senhor, quando clamo com a minha voz; compadece-te também de mim, e responde-me.

8 Quando disseste: Buscai a minha face; meu coração te disse: Tua face, Senhor, buscarei.

9 Não escondas o teu rosto longe de mim; não rejeites o teu servo com ira; tu tens sido minha ajuda; não me deixes, nem me desampares, ó Deus da minha salvação.

10 Quando meu pai e minha mãe me abandonarem, o Senhor me acolherá.

11 Ensina-me o teu caminho, ó Senhor, e guia-me por uma vereda plana, por causa dos meus inimigos.

12 Não me entregue à vontade dos meus inimigos; porque se levantam contra mim falsas testemunhas, que exalam crueldade.

13 Se eu não acreditasse ver a bondade do Senhor na terra dos vivos, tu entregarias a minha alma ao inferno.

14 Tu me disseste: Espera no Senhor, tem bom ânimo, e ele fortalecerá o teu coração; espere, eu digo, no Senhor.


CAPÍTULO 28

Davi ora pelo povo. (Um Salmo de Davi.)

1 A ti clamarei, ó Senhor, minha rocha; não se cale comigo; para que, se me calares, não me torne como os que descem à cova.

2 Ouve a voz das minhas súplicas, quando clamo a ti, quando levanto as mãos para o teu santo oráculo.

3 Não me arrastes com os ímpios e com os que praticam a iniqüidade, que falam de paz aos seus vizinhos, mas há maldade em seus corações.

4 Dá-lhes segundo as suas obras e segundo a maldade dos seus esforços; dê-lhes segundo a obra das suas mãos; render-lhes o seu deserto.

5 Porque não atentam para as obras do Senhor, nem para a obra das suas mãos, ele os destruirá, e não os reedificará.

6 Bendito seja o Senhor, porque ouviu a voz das minhas súplicas.

7 O Senhor é minha força e meu escudo; meu coração confiou nele, e sou ajudado; por isso meu coração se alegra muito; e com o meu cântico o louvarei.

8 O Senhor é a força deles, e ele é a força salvadora do seu ungido.

9 Salva o teu povo e abençoa a tua herança; alimente-os também, e levante-os para sempre.


CAPÍTULO 29

Príncipes exortados a dar glória a Deus. (Um Salmo de Davi.)

1 Dai ao Senhor, ó poderosos, dai ao Senhor glória e força.

2 Dê ao Senhor a glória devida ao seu nome; adore o Senhor na beleza da santidade.

3 A voz do Senhor está sobre as águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre muitas águas.

4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.

5 A voz do Senhor quebra os cedros; sim, o Senhor quebra os cedros do Líbano.

6 Ele também os faz saltar como um bezerro; Líbano e Sirion como um jovem unicórnio.

7 A voz do Senhor divide as chamas de fogo.

8 A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.

9 A voz do Senhor faz parir as cervas, e descobre as florestas; e no seu templo todos falam da sua glória.

10 O Senhor está assentado sobre o dilúvio; sim, o Senhor se assenta rei para sempre.

11 O Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará seu povo com paz.


CAPÍTULO 30

Davi louva a Deus por sua libertação. (Um Salmo e Cântico na dedicação da casa de Davi.)

1 Eu te exaltarei, ó Senhor; porque tu me levantaste, e não fizeste os meus adversários regozijarem-se por mim.

2 Ó Senhor meu Deus, clamei a ti, e tu me curaste.

3 Senhor, tiraste a minha alma da sepultura; tu me conservaste vivo, para que eu não descesse à cova.

4 Cantai ao Senhor, ó seus santos, e dai graças pela lembrança da sua santidade.

5 Pois a sua ira se acende contra os ímpios; eles se arrependem, e em um momento é afastado, e eles estão em seu favor, e ele lhes dá vida; portanto, o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã.

6 E na minha prosperidade eu disse, nunca serei abalado.

7 Senhor, pelo teu favor fizeste forte o meu monte; escondeste o teu rosto, e fiquei perturbado.

8 Clamei a ti, Senhor; e ao Senhor supliquei.

9 Quando eu descer à cova, meu sangue voltará ao pó. Eu te louvarei; minha alma declarará a tua verdade; para que lucro sou eu, se não o faço?

10 Ouve, Senhor, e tem piedade de mim; Senhor, sê meu ajudante.

11 Transformaste para mim o meu pranto em dança; tiraste o meu pano de saco e me cingiste de alegria;

12 Para que minha alma dê glória ao teu nome, e te cante louvores, e não se cale. Ó Senhor meu Deus, eu te darei graças para sempre.


CAPÍTULO 31

Davi se regozija na misericórdia de Deus e o louva por sua bondade. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Em ti, Senhor, confio; que eu nunca me envergonhe; livra-me na tua justiça.

2 Curvem-me os ouvidos; livra-me rapidamente; sê minha rocha forte, para uma casa de defesa para me salvar.

3 Pois tu és minha rocha e minha fortaleza; portanto, por amor do teu nome, guia-me e guia-me.

4 Tira-me da rede que armaram secretamente para mim; porque tu és a minha força.

5 Nas tuas mãos entrego o meu espírito; tu me remiste, ó Senhor Deus da verdade.

6 Odiei os que consideram vaidades mentirosas; mas eu confio no Senhor.

7 Alegrarei-me e exultarei na tua misericórdia; porque consideraste o meu problema; conheceste a minha alma nas adversidades;

8 E não me entregaste nas mãos do inimigo; puseste os meus pés numa grande sala.

9 Compadece-te de mim, Senhor, porque estou angustiado; meus olhos estão consumidos de tristeza, sim, minha alma e meu ventre.

10 Pois a minha vida se consome em tristezas, e os meus anos em gemidos; a minha força desfalece por causa da minha iniqüidade, e os meus ossos se consomem.

11 Fui opróbrio entre todos os meus inimigos, mas principalmente entre os meus vizinhos, e temor para os meus conhecidos; os que me viram sem fugir de mim.

12 Estou esquecido como um morto louco; Eu sou como um vaso quebrado.

13 Pois tenho ouvido a calúnia de muitos; o medo estava por todos os lados; enquanto se juntavam em conselho contra mim, planejaram tirar-me a vida.

14 Mas em ti confiei, ó Senhor; Eu disse: Tu és meu Deus.

15 Meus tempos estão em tuas mãos; livra-me das mãos dos meus inimigos e dos que me perseguem.

16 Faz resplandecer o teu rosto sobre o teu servo; salva-me por tuas misericórdias.

17 Não me envergonhe, ó Senhor; pois eu te invoquei; sejam envergonhados os ímpios, e calados na sepultura.

18 Emudeçam os lábios mentirosos; que falam coisas pesadas com orgulho e desprezo contra os justos.

19 Oh, quão grande é a tua bondade, que guardaste para os que te temem; que fizeste para os que confiam em ti diante dos filhos dos homens!

20 Tu os esconderás no segredo da tua presença da soberba do homem; tu os guardarás secretamente em um pavilhão da contenda de línguas.

21 Bendito seja o Senhor; porque ele me mostrou sua maravilhosa bondade em uma cidade forte.

22 Pois eu disse na minha pressa, estou cortado de diante dos teus olhos; não obstante, ouviste a voz de minhas súplicas quando clamei a ti.

23 Amem o Senhor, todos os seus santos; pois o Senhor preserva os fiéis e recompensa abundantemente o soberbo.

24 Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, todos vós que esperais no Senhor.


CAPÍTULO 32

Confissão e remissão de pecados. (Um Salmo de Davi, Masquil.)

1 Bem-aventurados aqueles cujas transgressões são perdoadas e que não têm pecados a serem cobertos.

2 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não atribui iniqüidade, e em cujo espírito não há dolo.

3 Quando me calei, meu espírito desfaleceu dentro de mim; quando abri minha boca, meus ossos envelheceram por causa do meu falar o dia todo.

4 Pois dia e noite o teu Espírito pesava sobre mim; minha umidade se transforma na seca do verão. Selá.

5 Confessei-te o meu pecado, e a minha iniqüidade não escondi. Eu disse, confessarei minhas transgressões ao Senhor; e tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado. Selá.

6 Pois isso todo aquele que é piedoso orará a ti no tempo em que fores achado; certamente nas torrentes das grandes águas não se chegarão a ele.

7 Tu és o meu esconderijo; tu me preservarás da angústia; tu me cercarás com cânticos de libertação. Selá.

8 Tu disseste: Eu te instruirei e te ensinarei o caminho que deves seguir; Eu te guiarei com meus olhos.

9 Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento; cuja boca deve ser fechada com cabresto e freio, para que não se cheguem a ti.

10 Muitas dores serão para os ímpios; mas aquele que confia no Senhor, a misericórdia o cercará.

11 Alegrai-vos no Senhor e regozijai-vos, ó justos; e exultai, todos vós que sois retos de coração.


CAPÍTULO 33

A bondade, o poder e a providência de Deus. 

1 Alegrai-vos no Senhor, ó justos; louvar ao Senhor é bonito para os retos de coração.

2 Louva ao Senhor com a tua voz; cantai-lhe com saltério e harpa, instrumento de dez cordas.

3 Cantai-lhe um novo cântico; jogar habilmente com um barulho alto.

4 Porque a palavra do Senhor é dada aos retos, e todas as suas obras são feitas com fidelidade.

5 Ele ama a justiça e o juízo; a terra está cheia da bondade do Senhor.

6 Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles pelo sopro de sua boca.

7 Ele ajunta as águas do mar como um montão; aprofunda em depósitos.

8 Toda a terra tema ao Senhor; que todos os habitantes do mundo o admirem.

9 Pois ele falou, e tudo se cumpriu; ele ordenou, e ela parou.

10 O Senhor anula o conselho dos gentios; ele torna os dispositivos do povo sem efeito.

11 O conselho do Senhor permanece para sempre, os pensamentos do seu coração de geração em geração.

12 Bem-aventurados as nações e o povo que o Senhor Deus escolheu para sua herança.

13 O Senhor olha do céu; ele vê todos os filhos dos homens.

14 Do lugar da sua habitação contempla todos os habitantes da terra.

15 Ele molda seus corações igualmente; ele considera todas as suas obras.

16 Não há rei salvo pela multidão do exército; um homem poderoso não é libertado por muita força.

17 Um cavalo é coisa vã para segurança; nem livrará ele por sua grande força.

18 Eis que os olhos do Senhor estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia;

19 Para livrar a sua alma da morte, e para mantê-los vivos no tempo da fome.

20 A nossa alma espera no Senhor; ele é nossa ajuda e nosso escudo.

21 Pois nosso coração se alegrará nele, porque confiamos em seu santo nome.

22 Seja sobre nós a tua misericórdia, ó Senhor, conforme esperamos em ti.


CAPÍTULO 34

A experiência de Davi – Confie em Deus – O temor de Deus. (Um Salmo de Davi, quando ele mudou seu comportamento diante de Abimeleque; que o expulsou e ele partiu.)

1 Bendirei o Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca.

2 Minha alma se gloriará no Senhor; os humildes o ouvirão e se alegrarão.

3 Engrandece comigo o Senhor, e juntos exaltemos o seu nome.

4 Busquei ao Senhor, e ele me ouviu, e me livrou de todos os meus temores.

5 Eles olharam para ele e foram iluminados; e seus rostos não se envergonhavam.

6 Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu e o livrou de todas as suas tribulações.

7 O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra.

8 Prove e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia.

9 Temei ao Senhor, vós seus santos; pois não há necessidade para os que o temem.

10 Os leõezinhos carecem e passam fome; mas aos que buscam ao Senhor não faltará bem algum.

11 Vinde, filhos, ouvi-me; Eu te ensinarei o temor do Senhor.

12 Que homem é aquele que deseja a vida e ama muitos dias, para que veja o bem.

13 Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios da falsidade.

14 Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz e persiga-a.

15 Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e seus ouvidos estão atentos ao seu clamor.

16 A face do Senhor está contra os que praticam o mal, para desarraigar da terra a memória deles.

17 Clamam os justos, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas tribulações.

18 Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado; e salva os contritos de espírito.

19 Muitas são as aflições do justo; mas o Senhor o livra de todos eles.

20 Ele guarda todos os seus ossos; nenhum deles está quebrado.

21 O mal matará o ímpio; e os que odeiam os justos serão desolados.

22 O Senhor redime a alma dos seus servos; e nenhum dos que nele confiam será desolado.


CAPÍTULO 35

Davi ora por segurança. (Um Salmo de Davi.)

1 Pleiteia minha causa, ó Senhor, com os que contendem comigo; lutar contra os que lutam contra mim.

2 Segure o escudo e o broquel e levante-se para me ajudar.

3 Tira também a lança, e detenha o caminho contra os que me perseguem; diga à minha alma: Eu sou a tua salvação.

4 Sejam confundidos e envergonhados os que buscam a minha alma; que eles sejam devolvidos e trazidos à confusão que inventam minha mágoa.

5 Sejam como palha ao vento; e que o anjo do Senhor os persiga.

6 Seja o seu caminho escuro e escorregadio; e que o anjo do Senhor os persiga.

7 Pois sem causa esconderam para mim a sua rede numa cova, que sem causa cavaram para a minha alma.

8 Que a destruição venha sobre ele desprevenida; e apanhe-se a rede que escondeu; nessa mesma destruição deixá-lo cair.

9 E a minha alma se alegrará no Senhor; se regozijará em sua salvação.

10 Todos os meus ossos dirão: Senhor, quem é semelhante a ti, que livras o pobre daquele que é forte demais para ele, sim, o pobre e o necessitado daquele que o despoja?

11 Levantaram-se falsas testemunhas; puseram a meu cargo coisas que eu não sabia.

12 Recompensaram-me o bem com o mal, para estragar a minha alma.

13 Mas, quanto a mim, quando eles estavam doentes, minha roupa era de pano de saco; Eu humilhei minha alma com jejum; e minha oração voltou ao meu próprio seio.

14 Comportei-me como se ele fosse meu amigo ou irmão; Inclinei-me pesadamente, como quem chora por sua mãe.

15 Mas na minha adversidade eles se alegraram e se reuniram; sim, os abjetos se reuniram contra mim, e eu não sabia; eles me rasgaram e não cessaram;

16 Com zombadores hipócritas nas festas, eles rangiam os dentes contra mim.

17 Senhor, até quando olharás? salva minha alma de suas destruições, minha querida dos leões.

18 Eu te darei graças na grande congregação; Eu te louvarei entre muita gente.

19 Não se alegrem injustamente sobre mim os meus inimigos; nem que pisquem com os olhos que me odeiam sem causa.

20 Pois não falam de paz; mas inventam enganos contra os quietos da terra.

21 Sim, abriram bem a boca contra mim e disseram: Aha, aha, os nossos olhos o viram.

22 Isto tu viste, ó Senhor; não fique calado; Ó Senhor, não fique longe de mim.

23 Desperta-te e desperta para o meu julgamento, sim, para a minha causa, meu Deus e meu Senhor.

24 Julga-me, Senhor meu Deus, segundo a tua justiça; e não se alegrem por mim.

25 Não digam em seus corações: Ah, assim o desejaríamos; não digam: Nós o engolimos.

26 Envergonhem-se e confundam-se juntos os que se alegram com o meu mal; que se vistam de vergonha e desonra os que se engrandecem contra mim.

27 Alegrem-se e alegrem-se os que favorecem a minha causa justa; sim, digam continuamente: Engrandecido seja o Senhor, que se compraz na prosperidade do seu servo.

28 E a minha língua falará da tua justiça e do teu louvor todo o dia.


CAPÍTULO 36

Propriedade dos ímpios – Excelência da misericórdia de Deus. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi, o servo do Senhor.)

1 O ímpio, que vive em transgressão, diz em seus corações: Não há condenação; pois não há temor de Deus diante de seus olhos.

2 Pois eles se lisonjeiam aos seus próprios olhos, até que suas iniquidades se tornassem odiosas.

3 As palavras da sua boca estão cheias de iniqüidade e engano. O ímpio deixou de ser sábio e de fazer o bem;

4 Ele maquina o mal na sua cama; ele se estabelece de uma maneira que não é boa.

5 Ó Senhor, tu estás nos céus; eles estão cheios de tua misericórdia. E os pensamentos de um homem justo sobem a ti, cujo trono está muito acima das nuvens.

6 Ele está cheio da tua justiça como os grandes montes, e dos teus juízos como um grande abismo. Ó Senhor, tu preservas o homem e o animal.

7 Quão excelente é a tua benignidade, ó Deus! por isso os filhos dos homens confiam à sombra das tuas asas.

8 Eles se fartarão da gordura da tua casa; e os farás beber do rio dos teus prazeres.

9 Pois contigo está a fonte da vida; na tua luz veremos a luz.

10 Continua a tua benignidade para com os que te conhecem; e a tua justiça aos retos de coração.

11 Não venha contra mim o pé da soberba, nem a mão dos ímpios me afaste.

12 Eles são os que praticam a iniqüidade e cairão; serão abatidos e não poderão se levantar.


CAPÍTULO 37

Davi convence à paciência e confiança em Deus, pelo estado diferente dos piedosos e dos ímpios. (Um Salmo de Davi.)

1 Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniqüidade.

2 Pois logo serão cortados como a erva, e murcharão como a erva verde.

3 Confia no Senhor e faz o bem; assim habitarás na terra, e em verdade serás alimentado.

4 Deleita-te também no Senhor; e ele te concederá os desejos do teu coração.

5 Entrega o teu caminho ao Senhor; confie também nele; e ele o fará acontecer.

6 E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia.

7 Descansa no Senhor e espera nele com paciência; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa maquinações perversas.

8 Deixa a ira e abandona o furor; não te indignes de modo algum para fazeres o mal.

9 Pois os malfeitores serão exterminados; mas os que esperam no Senhor herdarão a terra.

10 Ainda um pouco, e os ímpios não existirão; sim, você deve considerar diligentemente o seu lugar, e não será.

11 Mas os mansos herdarão a terra; e se deleitarão na abundância de paz.

12 O ímpio trama contra o justo, e contra ele range os dentes.

13 O Senhor se rirá dele; pois ele vê que seu dia está chegando.

14 Os ímpios desembainharam a espada e armaram o arco para derrubar o pobre e o necessitado, e para matar os de bom trato.

15 A sua espada entrará no seu coração, e os seus arcos serão quebrados.

16 O pouco que um justo tem é melhor do que as riquezas de muitos ímpios.

17 Pois os braços dos ímpios serão quebrados; mas o Senhor sustenta os justos.

18 O Senhor conhece os dias dos justos; e sua herança será para sempre.

19 Não serão envergonhados no tempo mau; e nos dias de fome serão saciados.

20 Mas os ímpios perecerão, e os inimigos do Senhor serão como a gordura dos cordeiros; eles consumirão; em fumaça eles se consumirão.

21 O ímpio toma emprestado e não paga; mas o justo se compadece e dá.

22 Pois os que forem abençoados por ele herdarão a terra; e os que por ele forem amaldiçoados serão exterminados.

23 Os passos de um homem bom são ordenados pelo Senhor; e ele se deleita em seu caminho.

24 Ainda que caia, não será de todo abatido; porque o Senhor o sustenta com a sua mão.

25 Fui jovem e agora sou velho; mas não vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão.

26 Ele é sempre misericordioso e empresta; e sua semente é abençoada.

27 Afaste-se do mal e faça o bem; e habitar para sempre.

28 Porque o Senhor ama o juízo e não desampara os seus santos; eles são preservados para sempre; mas a semente dos ímpios será exterminada.

29 Os justos herdarão a terra e nela habitarão para sempre.

30 A boca do justo fala sabedoria, e sua língua fala de juízo.

31 A lei do seu Deus está no seu coração; nenhum de seus passos deve deslizar.

32 O ímpio vigia o justo e procura matá-lo.

33 O Senhor não o deixará em suas mãos, nem o condenará quando for julgado.

34 Espera no Senhor, e guarda o seu caminho, e ele te exaltará para herdares a terra; quando os ímpios forem exterminados, tu o verás.

35 Eu vi o ímpio em grande poder, e se espalhando como um louro verde.

36 No entanto, ele faleceu, e eis que não existia; sim, eu o procurei, mas ele não pôde ser encontrado.

37 Marca o homem perfeito, e eis o justo; pois o fim desse homem é a paz.

38 Mas os transgressores serão destruídos juntamente; virá o fim dos ímpios, e serão exterminados.

39 Mas a salvação dos justos vem do Senhor; ele é a sua força na hora da angústia.

40 E o Senhor os ajudará e os livrará; ele os livrará dos ímpios e os salvará, porque nele confiam.


CAPÍTULO 38

Davi move Deus à compaixão. (Um Salmo de Davi, para trazer à memória.)

1 Senhor, não me repreendas na tua ira; nem me castigues em teu ardente desagrado.

2 Pois as tuas flechas cravam-se em mim, e a tua mão me aperta muito.

3 Não há sanidade na minha carne por causa da tua ira; nem há descanso nos meus ossos por causa do meu pecado.

4 Pois as minhas iniqüidades passaram por cima da minha cabeça; como um fardo pesado, eles são pesados demais para mim.

5 Minhas feridas fedem e estão corrompidas por causa da minha tolice.

6 Estou perturbado; Estou muito curvado; Ando de luto o dia todo.

7 Pois meus lombos estão cheios de uma angústia repugnante; e nenhuma saúde é encontrada em minha carne.

8 Estou fraco, quebrado e muito dolorido. Chorei por causa da inquietação do meu coração.

9 Senhor, todo o meu desejo está diante de ti; e o meu gemido não te é encoberto.

10 O meu coração suspira, as minhas forças me desfalecem; quanto à luz dos meus olhos, também se foi de mim.

11 Meus amantes e meus amigos estão distantes por causa da minha chaga; e meus parentes estão de longe.

12 Também os que buscam a minha vida armam-me laços; e os que procuram o meu mal falam maldades e imaginam enganos todo o dia.

13 Mas eu, como surdo, não ouvi; e eu era como um mudo que não abre a boca.

14 Assim eu era como um homem que não ouve e em cuja boca não há repreensão.

15 Pois em ti, Senhor, espero; ouvirás, ó Senhor meu Deus.

16 Pois eu disse: Ouve-me, para que não se regozijem por mim; quando meu pé escorrega, eles se engrandecem contra mim.

17 Pois estou prestes a parar, e minha tristeza está continuamente diante de mim.

18 Pois declararei a minha iniqüidade; Eu vou me arrepender do meu pecado.

19 Mas os meus inimigos são vivos e fortes; e os que me odeiam injustamente se multiplicam.

20 Também os que pagam o mal pelo bem são meus adversários; porque eu sigo a coisa que é bom.

21 Não me abandones, ó Senhor; Ó meu Deus, não fique longe de mim.

22 Apressa-te em ajudar-me, ó Senhor, minha salvação.


CAPÍTULO 39

O cuidado de David com seus pensamentos. (Para o principal músico, mesmo para Jedutum, um salmo de Davi.)

1 Eu disse: Cuidarei dos meus caminhos, para não pecar com a minha língua; porei freio na minha boca, enquanto o ímpio estiver diante de mim.

2 Fiquei mudo de silêncio, calei-me até do bem; e minha tristeza se agitou.

3 Meu coração estava quente dentro de mim; enquanto eu meditava, o fogo queimava; então falei com minha língua,

4 Senhor, faze-me conhecer o meu fim, e a medida dos meus dias, qual é; para que eu saiba quão frágil sou.

5 Eis que fizeste os meus dias como a largura de um palmo; e minha idade é como nada diante de ti; em verdade, todo homem em seu melhor estado é totalmente vaidade. Selá.

6 Certamente todo homem anda em vã ostentação; certamente eles estão inquietos em vão; amontoa riquezas e não sabe quem as recolherá.

7 E agora, Senhor, o que espero? minha esperança está em ti.

8 Livra-me de todas as minhas transgressões; não me faças o opróbrio dos insensatos.

9 Fiquei mudo e não abri a boca; porque tu me castigaste.

10 Afasta de mim o teu golpe, ou serei consumido pelo golpe da tua mão.

11 Quando com repreensão castigas o homem pela iniqüidade, fazes a sua formosura consumir-se como uma traça; certamente todo homem é vaidade. Selá.

12 Ouve, Senhor, a minha oração, e dá ouvidos ao meu clamor; não te cales com minhas lágrimas; porque sou estrangeiro contigo e peregrino, como foram todos os meus pais.

13 Oh, poupe-me, para que eu recupere as forças, antes que eu vá daqui e não seja mais.


CAPÍTULO 40

Obediência o melhor sacrifício. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Esperei com paciência no Senhor; e ele se inclinou para mim, e ouviu o meu clamor.

2 Também me tirou de uma cova horrível, do lodo de lodo, e pôs os meus pés sobre uma rocha, e firmou os meus atos.

3 E pôs na minha boca um novo cântico, sim, louvor ao nosso Deus; muitos o verão, e temerão, e confiarão no Senhor.

4 Bem-aventurado o homem que confia no Senhor e não respeita os soberbos, nem os que se desviam para a mentira.

5 Muitas são, ó Senhor meu Deus, as tuas maravilhas que tens feito, e os teus pensamentos que são para nós; eles não podem ser contados em ordem para ti; se eu declarasse e falasse deles, eles são mais do que podem ser numerados.

6 Sacrifício e oferta não quiseste; os meus ouvidos abriste; holocausto e oferta pelo pecado não pediste.

7 Então eu disse: Eis que venho; no volume do livro está escrito de mim.

8 Deleito-me em fazer a tua vontade, ó meu Deus; sim, a tua lei está dentro do meu coração.

9 Preguei a justiça na grande congregação; eis que não contive meus lábios, ó Senhor, tu sabes.

10 Não escondi a tua justiça no meu coração; Eu declarei tua fidelidade e tua salvação; Eu não escondi tua benevolência e tua verdade da grande congregação.

11 Não retires de mim as tuas misericórdias, ó Senhor; que a tua benignidade e a tua verdade me preservem continuamente.

12 Pois inúmeros males me cercaram; as minhas iniqüidades se apoderaram de mim, de modo que não posso olhar para cima; são mais do que os cabelos da minha cabeça; por isso meu coração me desfalece.

13 Agrada-te, ó Senhor, em livrar-me; Ó Senhor, apresse-se em me ajudar.

14 Envergonhem-se e confundam-se juntamente os que procuram a minha alma para a destruir; sejam rechaçados e envergonhados os que me desejam o mal.

15 Sejam assolados por recompensa da sua vergonha os que me dizem: Aha, aha.

16 Alegrem-se e regozijem-se em ti todos os que te buscam; os que amam a tua salvação digam continuamente: O Senhor seja engrandecido.

17 Mas eu sou pobre e necessitado; contudo o Senhor pensa em mim; tu és minha ajuda e meu libertador; não te demores, ó meu Deus.


CAPÍTULO 41

O cuidado de Deus com os pobres – Davi foge para Deus em busca de socorro. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Bem-aventurado aquele que considera os pobres; o Senhor o livrará na hora da angústia.

2 O Senhor o guardará e o conservará em vida; e ele será abençoado na terra; e tu não o entregarás à vontade de seus inimigos.

3 O Senhor o fortalecerá no leito de desfalecimento; farás cessar todas as suas dores, quando ele estiver deitado em seu leito de doença.

4 Eu disse: Senhor, tem misericórdia de mim; cura minha alma; porque pequei contra ti.

5 Meus inimigos falam mal de mim, quando ele morrerá, e seu nome perecerá?

6 E se ele vem me ver, fala vaidade; seu coração ajunta a iniqüidade para si; quando ele vai para o exterior, ele o conta.

7 Todos os que me odeiam sussurram contra mim; contra mim eles inventam minha dor.

8 Uma doença maligna, dizem eles, se apega a ele; e agora que jaz, não se levantará mais.

9 Sim, meu próprio amigo íntimo, em quem eu confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o calcanhar.

10 Mas tu, Senhor, tem misericórdia de mim, e levanta-me, para que eu os pague.

11 Nisto sei que me favoreces, porque o meu inimigo não triunfa sobre mim.

12 Quanto a mim, tu me sustentas na minha integridade, e me pões diante de ti para sempre.

13 Bendito seja o Senhor Deus de Israel de eternidade a eternidade. Amém, e Amém.


CAPÍTULO 42

O zelo de Davi para servir a Deus – Sua confiança em Deus. (Ao principal músico, Maschil, pelos filhos de Corá.)

1 Como o cervo suspira pelas correntes das águas, assim suspira a minha alma por ti; Ó Deus.

2 A minha alma tem sede de ver a Deus, de ver o Deus vivo; quando virei e aparecerei diante de ti, ó Deus?

3 Minhas lágrimas têm sido derramadas sobre ti dia e noite, enquanto meus inimigos continuamente me dizem: Onde está o teu Deus?

4 Quando me lembro desses meus inimigos, derramo a minha alma a ti; porque eu tinha ido com a multidão; Também fui com eles à casa de Deus, com voz de júbilo e louvor, com a multidão que festejava.

5 Por que estás abatida, ó minha alma? e por que estás inquieta em mim? espera em Deus; pois ainda o louvarei pela ajuda de seu semblante.

6 Ó meu Deus, a minha alma está abatida dentro de mim; por isso me lembrarei de ti desde a terra do Jordão, e dos hermonitas, desde o monte Mizar.

7 Um abismo chama outro abismo ao ruído das tuas bicas; todas as tuas ondas e as tuas vagas passaram sobre mim.

8 No entanto, o Senhor ordenará a sua benignidade durante o dia, e à noite o seu cântico estará comigo e a minha oração ao Deus da minha vida.

9 Direi a Deus minha rocha: Por que te esqueceste de mim? por que vou lamentando por causa da opressão do inimigo?

10 Como com uma espada em meus ossos, meus inimigos me afrontam; enquanto me dizem diariamente: Onde está o teu Deus?

11 Por que estás abatida, ó minha alma? e por que estás inquieta dentro de mim? espera em Deus; pois ainda o louvarei, que é a saúde do meu rosto e meu Deus.


CAPÍTULO 43

Davi promete servir a Deus com alegria. 

1 Julga-me, ó Deus, e pleiteia minha causa contra uma nação ímpia; oh livra-me do homem enganoso e injusto.

2 Pois tu és o Deus da minha força; por que me rejeitas; por que vou lamentando por causa da opressão do inimigo?

3 Oh, envia tua luz e tua verdade; que eles me conduzam; que me levem ao teu santo monte e aos teus tabernáculos.

4 Então irei ao altar de Deus, a Deus minha grande alegria; sim, sobre a harpa te louvarei, ó Deus meu Deus.

5 Por que estás abatida, ó minha alma? e por que estás inquieta dentro de mim? esperança em Deus; pois ainda o louvarei, que é a saúde do meu rosto e meu Deus.


CAPÍTULO 44

Antigo favor e males contrastados. (Para os principais músicos, para os filhos de Corá, Maschil.)

1 Nós ouvimos com nossos ouvidos, ó Deus, nossos pais nos contaram, que obra fizeste em seus dias, nos tempos antigos.

2 Como expulsaste os gentios com a tua mão, e os plantaste; como afligiste o povo e o expulsaste.

3 Pois não conquistaram a terra pela sua própria espada, nem o seu próprio braço os salvou; mas a tua destra, e o teu braço, e a luz do teu rosto, porque os favoreceste.

4 Tu és meu Rei, ó Deus; ordenar livramentos para Jacó.

5 Por ti derrubaremos os nossos inimigos; pelo teu nome os pisaremos debaixo dos que se levantam contra nós.

6 Pois não confiarei no meu arco, nem a minha espada me salvará.

7 Mas tu nos salvaste dos nossos inimigos, e envergonhaste aqueles que nos odiavam.

8 Em Deus nos gloriamos todo o dia, e louvamos o teu nome para sempre. Selá.

9 Mas tu nos rejeitaste e nos envergonhaste; e não sai com nossos exércitos.

10 Tu nos fazes recuar do inimigo; e aqueles que nos odeiam estragam para si mesmos.

11 Tu nos deste como ovelhas destinadas à alimentação; e nos espalhaste entre os gentios.

12 Vendes o teu povo por nada, e não aumentas a tua riqueza pelo seu preço.

13 Tu nos tornas opróbrio para os nossos vizinhos, escárnio e escárnio para os que estão ao nosso redor.

14 Tu nos tornas um provérbio entre os gentios, um aceno de cabeça entre os povos.

15 A minha confusão está continuamente diante de mim, e a vergonha do meu rosto me cobriu,

16 Por causa da voz daquele que afronta e blasfema; por causa do inimigo e vingador.

17 Tudo isso nos sobreveio; mas não nos esquecemos de ti, nem procedemos falsamente na tua aliança.

18 O nosso coração não voltou atrás, nem os nossos passos se desviaram do teu caminho;

19 Ainda que nos quebraste em lugar de dragões, e nos cobriste com a sombra da morte.

20 Se nos esquecemos do nome do nosso Deus, ou estendemos as mãos a um deus estranho;

21 Não deve Deus investigar isso? pois ele conhece os segredos do coração.

22 Sim, por amor de ti somos mortos todo o dia; somos contados como ovelhas para o matadouro.

23 Desperta, por que dormes, Senhor? levante, não nos rejeite para sempre.

24 Por que escondes o teu rosto, e te esqueces da nossa aflição e da nossa opressão?

25 Porque a nossa alma está prostrada ao pó; nosso ventre se apega à terra.

26 Levanta-te em nosso socorro, e resgata-nos por amor das tuas misericórdias.


CAPÍTULO 45

Cristo e seu reino descritos. (Ao principal Músico em Shoshannim, para o filho de Corá, Maschil, Uma Canção de Amores.)

1 Meu coração está indicando um bom assunto; Falo das coisas que fiz tocando o Rei; minha língua é a pena de um escritor pronto.

2 Tu és mais formoso do que os filhos dos homens; graça é derramada em teus lábios; por isso Deus te abençoou para sempre.

3 Cinge a tua espada sobre a tua coxa, ó Poderoso, com a tua glória e a tua majestade.

4 E em tua majestade cavalga prosperamente, por causa da verdade, mansidão e justiça; e a tua destra te ensinará coisas terríveis.

5 As tuas flechas são afiadas no coração dos inimigos do rei; pelo qual as pessoas caem debaixo de ti.

6 O teu trono, ó Deus, é para todo o sempre; o cetro do teu reino é um cetro certo.

7 Tu amas a justiça e odeias a maldade; por isso Deus, teu Deus, te ungiu com óleo de alegria mais do que a teus companheiros.

8 Todas as tuas vestes cheiram a mirra, aloés e cássia, dos palácios de marfim, com que te alegraram.

9 Filhas de reis estavam entre as tuas mulheres nobres; à tua direita estava a rainha em ouro de Ofir.

10 Ouve, ó filha, e considera, e inclina o teu ouvido; esquece também o teu povo e a casa de teu pai;

11 Assim o Rei desejará grandemente a tua formosura; porque ele é teu Senhor; e adora-o.

12 E a filha de Tiro estará ali com um presente; até os ricos do povo suplicarão o teu favor.

13 A filha do rei é toda gloriosa por dentro; sua roupa é de ouro forjado.

14 Ela será trazida ao rei em trajes de bordado; as virgens, suas companheiras que a seguem, serão trazidas a ti.

15 Com alegria e regozijo serão trazidos; eles entrarão no palácio do rei.

16 Em lugar de teus pais serão teus filhos, a quem farás príncipes em toda a terra.

17 Farei que o teu nome seja lembrado de geração em geração; por isso o povo te louvará para todo o sempre.


CAPÍTULO 46

Deus o refúgio do seu povo. (Ao principal Músico dos filhos de Corá, Uma Canção sobre Alamote.)

1 Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.

2 Portanto, não temeremos, ainda que a terra seja removida, e ainda que os montes sejam levados para o meio do mar;

3 E as suas águas bramem, agitadas, e os montes estremecem com o seu inchaço.

4 No entanto, haverá um rio, cujas correntes alegrarão a cidade de Deus, o lugar santo do tabernáculo do Altíssimo.

5 Porque Sião virá, e Deus estará no meio dela; ela não será movida; Deus a ajudará bem cedo.

6 Os gentios se enfurecerão, e seus reinos serão abalados, e o Senhor emitirá sua voz, e a terra se derreterá.

7 O Senhor dos Exércitos que estará conosco, o Deus de Jacó nosso refúgio. Selá.

8 Vinde, eis as obras do Senhor, que desolações fará na terra nos últimos dias.

9 Ele faz cessar as guerras até os confins da terra; ele quebra o arco e despedaça a lança; ele queima o carro no fogo, e diz às nações:

10 Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus; Serei exaltado entre os gentios, serei exaltado na terra.

11 O Senhor dos exércitos estará conosco, o Deus de Jacó nosso refúgio. Selá.


CAPÍTULO 47

reino de Cristo na terra. (Para o Músico Chefe, Um Salmo para os filhos de Coré.)

1 Oh, batam palmas, todos vocês; clamar a Deus com voz de triunfo.

2 Pois o Senhor Altíssimo é terrível; ele é um grande Rei sobre toda a terra.

3 Ele sujeitará os povos debaixo de nós, e as nações debaixo de nossos pés.

4 Ele escolherá para nós a nossa herança, a excelência de Jacó, a quem ele amou. Selá.

5 Deus subiu com alarido, o Senhor com som de trombeta.

6 Cantem louvores a Deus, cantem louvores; cante louvores ao nosso Rei, cante louvores.

7 Porque Deus é o Rei de toda a terra; cantai louvores com entendimento.

8 Deus reina sobre os gentios; Deus está assentado no trono de sua santidade.

9 Os príncipes do povo estão reunidos, sim, o povo do Deus de Abraão; pois os escudos da terra pertencem a Deus; ele é grandemente exaltado.


CAPÍTULO 48

A situação e glória de Sião. (Um Cântico e Salmo para os filhos de Coré.)

1 Grande é o Senhor e mui digno de louvor na cidade do nosso Deus, no monte da sua santidade.

2 Bonito para a situação, a alegria de toda a terra, é o monte Sião, nos lados do norte, a cidade do grande Rei.

3 Deus é conhecido em seus palácios como refúgio.

4 Pois, eis que os reis estavam reunidos, eles passavam juntos.

5 Eles viram isso e ficaram maravilhados; eles ficaram perturbados e se apressaram.

6 O medo se apoderou deles ali, e a dor, como de uma mulher de parto.

7 Tu quebras os navios de Társis com um vento oriental.

8 Como ouvimos, assim vimos na cidade do Senhor dos Exércitos, na cidade do nosso Deus; Deus o estabelecerá para sempre. Selá.

9 Pensamos na tua benignidade, ó Deus, no meio do teu templo.

10 Conforme o teu nome, ó Deus, assim é o teu louvor até os confins da terra; a tua destra está cheia de justiça.

11 Alegre-se o monte Sião, regozijem-se as filhas de Judá, por causa dos teus juízos.

12 Andai ao redor de Sião, e rodei-a; diga isso às torres.

13 Marcai bem os seus baluartes, considerai os seus palácios; para que o contes à geração seguinte.

14 Pois este Deus é o nosso Deus para todo o sempre; ele será nosso guia até a morte.


CAPÍTULO 49

Ressurreição dos mortos. (Para o Músico Chefe, Um Salmo para os filhos de Coré.)

1 Ouvi isto, todos vós; dai ouvidos, todos vós, habitantes do mundo;

2 Baixo e alto, rico e pobre, juntos.

3 Minha boca falará de sabedoria; e a meditação do meu coração será de entendimento.

4 Inclinarei meus ouvidos para uma parábola; Abrirei meu dito obscuro sobre a harpa.

5 Por que temerei nos dias do mal, quando a iniqüidade dos meus calcanhares me cercar?

6 Os que confiam nas suas riquezas e se gloriam na multidão das suas riquezas;

7 Ninguém pode de modo algum redimir seu irmão;

8 Nem dê a Deus um resgate por ele, para que ainda viva para sempre, para que não cesse para sempre a corrupção.

9 Pois a redenção de suas almas é por meio de Deus, e preciosa.

10 Pois ele vê os sábios morrerem; da mesma forma, o tolo e o bruto perecem e deixam seus bens para outros;

11 Seu pensamento íntimo de suas casas para sempre; suas moradas, por todas as gerações. Terras que eles chamaram de seus próprios nomes, e eles são honrosos.

12 No entanto, o homem em honra não permanece, ele também é como os animais que perecem.

13 Isto falo dos que andam nos seus caminhos, e abandonam o Todo-Poderoso na sua loucura; ainda assim, sua posteridade aprova suas palavras. Selá.

14 Como ovelhas são colocados na sepultura; a morte se alimentará deles; e os retos terão domínio sobre eles pela manhã; e sua formosura se consumirá na sepultura de sua habitação.

15 Mas Deus redimirá a minha alma do poder da sepultura, porque me receberá. Selá.

16 Não temas quando alguém enriquece; quando a glória de sua casa for aumentada;

17 Pois, quando ele morrer, não levará nada; sua glória não descerá após ele.

18 Embora em vida tenha abençoado a sua alma, (e os homens te louvarão quando te fizeres bem)

19 Irá à geração de seus pais; eles nunca verão a luz.

20 O homem que tem honra e não entende é como os animais que perecem.


CAPÍTULO 50

A reunião dos santos – Obediência ordenada. (Um Salmo de Asafe.)

1 Falou o poderoso Deus, o Senhor, e chamou a terra desde o nascente do sol até o poente.

2 De Sião, a perfeição da beleza, Deus brilhou.

3 Nosso Deus virá, e não se calará; um fogo devorará diante dele, e será muito tempestuoso ao redor dele.

4 Ele chamará os céus de cima e a terra para julgar o seu povo.

5 Ajunta os meus santos a mim; aqueles que fizeram aliança comigo por meio de sacrifícios.

6 E os céus anunciarão a sua justiça; pois Deus é o próprio juiz. Selá.

7 Ouve, povo meu, e falarei; ó Israel, e eu testemunharei contra ti; Eu sou Deus, sim, teu Deus.

8 Não te repreenderei por teus sacrifícios ou holocaustos, que estão continuamente diante de mim.

9 Da tua casa não tomarei novilho, nem bodes do teu aprisco;

10 Pois todo animal da floresta é meu, e o gado sobre mil colinas.

11 Conheço todas as aves dos montes; e as feras do campo são minhas.

12 Se eu tivesse fome, não te diria; porque meu é o mundo e a sua plenitude.

13 Comerei a carne dos touros ou beberei o sangue dos bodes?

14 Oferece a Deus ações de graças, e cumpre os teus votos ao Altíssimo;

15 E invoca-me no dia da angústia; Eu te livrarei, e tu me glorificarás.

16 Mas ao ímpio Deus diz: Que tens que fazer para declarar os meus estatutos, ou para que tomes a minha aliança na tua boca?

17 Visto que aborreces a instrução, e lanças as minhas palavras para trás de ti.

18 Quando viste um ladrão, consentiste com ele, e participaste com adúlteros.

19 Dás a tua boca ao mal, e a tua língua trama o engano.

20 Assenta-te e falas contra teu irmão; tu calunias o filho de tua própria mãe.

21 Estas coisas fizeste, e eu me calei; tu pensavas que eu era inteiramente igual a ti; mas eu te repreenderei e porei em ordem as alianças diante dos teus olhos.

22 Agora considerai isto, vós que vos esqueceis de Deus, para que eu não vos despedaçarei, e não haja quem vos possa livrar.

23 Quem oferece louvores me glorifica; e para aquele que ordena sua conversa corretamente mostrarei a salvação de Deus.


CAPÍTULO 51

Oração pela remissão dos pecados e pela renovação do Espírito Santo. (Para o músico principal, Um Salmo de Davi, quando o profeta Natã veio a ele, depois que ele entrou em Bate-Seba.)

1 Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; conforme a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões.

2 Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado.

3 Pois eu reconheço as minhas transgressões; e meu pecado está sempre diante de mim.

4 Contra ti, somente contra ti, pequei, e fiz este mal aos teus olhos; para que sejas justificado quando falares, e claro quando julgares.

5 Eis que em iniqüidade fui formado; e em pecado minha mãe me concebeu.

6 Eis que desejas a verdade no íntimo; e no oculto me farás conhecer a sabedoria.

7 Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais branco que a neve.

8 Faze-me ouvir gozo e alegria; para que se regozijem os ossos que quebraste.

9 Esconde o teu rosto dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniqüidades.

10 Cria em mim um coração puro, ó Deus; e renove dentro de mim um espírito reto.

11 Não me lances fora da tua presença; e não retires de mim o teu Espírito Santo.

12 Devolve-me a alegria da tua salvação; e sustenta-me com o teu Espírito livre.

13 Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos; e os pecadores se converterão a ti.

14 Livra-me da culpa de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação; e minha língua cantará em alta voz a tua justiça.

15 Ó Senhor, abre os meus lábios; e a minha boca anunciará o teu louvor.

16 Porque não desejas sacrifícios; senão eu daria; não te deleitas em holocaustos.

17 Os sacrifícios de Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás.

18 Faz o bem em tua boa vontade a Sião; edifica os muros de Jerusalém.

19 Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, com holocausto e holocausto; então oferecerão novilhos sobre o teu altar.


CAPÍTULO 52

Davi profetiza a destruição de Doegue. (Ao principal músico, Maschil, Um Salmo de Davi, quando Doeg, o edomita, veio e contou a Saul, e disse-lhe: Davi chegou à casa de Aimeleque.)

1 Por que te glorias no mal, ó homem poderoso? a bondade de Deus permanece continuamente.

2 A tua língua maquina maldades; como uma navalha afiada, trabalhando enganosamente.

3 Tu amas o mal mais do que o bem; e mentindo em vez de falar justiça. Selá.

4 Tu amas todas as palavras devoradoras, ó língua enganosa.

5 Deus também te destruirá para sempre, ele te tirará, e te arrancará da tua habitação, e te arrancará da terra dos viventes. Selá.

6 Os justos também o verão, e temerão, e dele se rirão.

7 Eis o homem que não fez de Deus a sua força; mas confiou na abundância de suas riquezas e se fortaleceu em sua maldade.

8 Mas eu sou como a oliveira verde na casa de Deus; Eu confio na misericórdia de Deus para todo o sempre.

9 Eu te louvarei para sempre, porque fizeste maravilhas; Eu esperarei em teu nome; porque és bom perante os teus santos.


CAPÍTULO 53

A corrupção do homem natural. Ao principal músico de Mahalath, Maschil, Um Salmo de Davi.)

1 O tolo disse em seu coração: Não há Deus. Esses são corruptos e cometeram abominável iniqüidade. Não há quem faça o bem.

2 Deus olhou do céu para os filhos dos homens, para ver se havia algum que entendesse, que buscasse a Deus.

3 Cada um deles voltou; eles estão completamente sujos.

4 Os que praticam a iniqüidade não têm conhecimento; eles comem o meu povo como comem o pão; eles não invocaram a Deus.

5 Não há quem faça o bem, nem ninguém. Eles ficaram com grande temor, porque Deus espalhou os ossos daquele que acampa contra ele.

6 Ó Senhor, tu envergonhaste aqueles que diziam em seus corações que não havia medo, porque tu os desprezaste.

7 Ah, se viesse Sião, a salvação de Israel; pois de Sião eles serão julgados, quando Deus trouxer de volta o cativeiro de seu povo. E Jacó se regozijará; Israel se alegrará.


CAPÍTULO 54

Orando por salvação, prometemos sacrifício. (Para o principal músico em Neginoth, Maschil, Um Salmo de Davi, quando o Zifim veio e disse a Saul: Davi não se esconde conosco?)

1 Salva-me, ó Deus, pelo teu nome, e julga-me pela tua força.

2 Ouve a minha oração, ó Deus; dá ouvidos às palavras da minha boca.

3 Pois estranhos se levantam contra mim, e opressores buscam a minha alma; eles não colocaram Deus diante deles. Selá.

4 Eis que Deus é meu ajudador; o Senhor está com os que sustentam a minha alma.

5 Retribuirá o mal aos meus inimigos; corta-os na tua verdade.

6 Eu te oferecerei sacrifícios gratuitos; Eu louvarei o teu nome, ó Senhor; pois é bom.

7 Pois ele me livrou de toda angústia; e meus olhos viram seu desejo sobre meus inimigos.


CAPÍTULO 55

A reclamação de David e a oração por preservação. (Para o músico-chefe em Neginoth, Maschil, A Psalm of David.)

1 Dá ouvidos à minha oração, ó Deus, e não te escondas da minha súplica.

2 Atende-me e ouve-me; Choro na minha queixa e faço barulho;

3 Por causa da voz do inimigo, por causa da opressão dos ímpios; porque lançam sobre mim a iniqüidade, e com ira me odeiam.

4 Meu coração está dolorido dentro de mim; e os terrores da morte caem sobre mim.

5 Temor e tremor me sobrevieram, e o horror me abateu.

6 E eu disse: Oh, se eu tivesse asas como uma pomba! pois então eu voaria para longe e ficaria em repouso.

7 Eis que eu vagaria para longe e permaneceria no deserto. Selá.

8 Eu apressaria minha fuga do vento e da tempestade.

9 Destrua, ó Senhor, e divida suas línguas; pois tenho visto violência e contenda na cidade.

10 Dia e noite andam por ela sobre os seus muros; também o mal e a tristeza estão no meio dela.

11 A maldade está no meio dela; engano e astúcia não se afastam de suas ruas.

12 Pois não foi um inimigo que me afrontou, nem aquele que me odiou que se engrandeceu contra mim; se sim, então eu poderia tê-lo suportado; Eu teria me escondido dele;

13 Mas era um homem meu igual, meu guia e meu conhecido.

14 Reunimo-nos juntos em doce conselho e caminhamos em companhia para a casa de Deus.

15 Que a morte os apanhe, e desça rapidamente ao inferno; porque há maldade nas suas habitações e entre eles.

16 Quanto a mim, invocarei a Deus; e o Senhor me salvará.

17 À tarde, e pela manhã, e ao meio-dia, orarei e clamarei; e ele ouvirá a minha voz.

18 Em paz livrou a minha alma da peleja que havia contra mim; pois havia muitos comigo.

19 Deus os ouvirá e os afligirá, mesmo aquele que permanece na antiguidade. Selá. Porque eles não têm mudanças, portanto eles não temem a Deus.

20 Eles estenderam as mãos contra os que têm paz com eles; eles quebraram a aliança do Senhor.

21 As palavras de sua boca eram mais suaves que manteiga, mas a guerra estava em seu coração. Suas palavras eram mais suaves que óleo, mas eles desembainharam espadas.

22 Lança o teu fardo sobre o Senhor, e ele te susterá; ele nunca permitirá que o justo seja abalado.

23 Mas tu, ó Deus, os farás descer à cova da perdição; homens sanguinários e enganosos não viverão metade de seus dias; mas eu confiarei em ti.


CAPÍTULO 56

Davi reclama de seus inimigos – Sua confiança na palavra de Deus. (Ao principal músico sobre Jonathemrechokim, Michtam de David, quando os filisteus o levaram em Gate.)

1 Tem misericórdia de mim, ó Deus; pois o homem me engoliria; ele lutando diariamente me oprime.

2 Meus inimigos diariamente me engoliriam; pois são muitos os que lutam contra mim, ó tu Altíssimo.

3 O quê! estou com medo? Eu confiarei em ti.

4 Em Deus louvarei a sua palavra, em Deus pus a minha confiança; Não temerei o que a carne pode fazer comigo.

5 Todos os dias torcem as minhas palavras; todos os seus pensamentos são contra mim para o mal.

6 Ajuntam-se, escondem-se, marcam os meus passos, enquanto esperam a minha alma.

7 Porventura escaparão pela iniqüidade? na tua ira derruba o povo, ó Deus.

8 Tu contas as minhas andanças; coloca minhas lágrimas em tua garrafa; não estão no teu livro?

9 Quando eu clamar a ti, então os meus inimigos recuarão; disso eu sei; pois Deus é para mim.

10 Em Deus louvarei a sua palavra; no Senhor louvarei a sua palavra.

11 Em Deus pus a minha confiança; Não temerei o que o homem possa fazer comigo.

12 Os teus votos estão sobre mim, ó Deus; Eu te renderei louvores.

13 Pois tu livraste a minha alma da morte; não livrarás os meus pés da queda, para que eu ande diante de Deus na luz dos vivos?


CAPÍTULO 57

A confiança de Davi em Deus. (Para o músico-chefe, Al-taschith, Michtam de David, quando ele fugiu de Saul na caverna.)

1 Tem misericórdia de mim, ó Deus, tem misericórdia de mim, porque a minha alma confia em ti; sim, à sombra de tuas asas farei meu refúgio, até que estas calamidades passem.

2 Clamarei ao Deus Altíssimo; a Deus que tudo faz por mim.

3 Ele enviará do céu e me salvará do opróbrio daquele que me devoraria. Selá. Deus enviará sua misericórdia e sua verdade.

4 Minha alma está entre os leões; e me deito entre aqueles que são incendiados, filhos dos homens, cujos dentes são lanças e flechas, e sua língua uma espada afiada.

5 Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus; que a tua glória esteja acima de toda a terra.

6 Armaram uma rede para os meus passos; minha alma está prostrada; cavaram uma cova diante de mim, no meio da qual eles mesmos caíram. Selá.

7 Meu coração está firme, ó Deus, meu coração está firme; Vou cantar e louvar.

8 Desperta, glória minha; acordado, saltério e harpa; Eu mesmo vou acordar cedo.

9 Eu te louvarei, ó Senhor, no meio do povo; cantar-te-ei entre as nações.

10 Porque a tua benignidade é grande até os céus, e a tua fidelidade até as nuvens.

11 Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus; que a tua glória esteja acima de toda a terra.


CAPÍTULO 58

Juízes iníquos reprovados – Julgamento dos iníquos. (Para o músico-chefe, Al-taschith, Michtam de David.)

1 Falas realmente justiça, ó congregação? julgais com retidão, ó filhos dos homens?

2 Sim, no coração praticais o mal; pesais a violência de vossas mãos na terra.

3 Os ímpios são alienados desde o ventre; eles se extraviam assim que nascem, falando mentiras.

4 Seu veneno é como o veneno de uma serpente; são como a víbora surda que tapa o ouvido;

5 Que não dá ouvidos à voz dos encantadores, nunca encantando tão sabiamente.

6 Quebra-lhes os dentes, ó Deus, na boca; rompe os grandes dentes dos leõezinhos, ó Senhor.

7 Deixe-os derreter como águas que correm continuamente; quando ele inclinar seu arco para atirar suas flechas, que sejam cortadas em pedaços.

8 Como caracol que derrete, passe cada um deles; como o nascimento prematuro de uma mulher, para que não vejam o sol.

9 Antes que suas panelas possam sentir os espinhos, ele os tirará como um redemoinho, tanto vivos quanto em sua ira.

10 O justo se alegrará ao ver a vingança; lavará os pés no sangue dos ímpios.

11 Para que alguém diga: Em verdade, há galardão para o justo; em verdade, ele é um Deus que julga na terra.


CAPÍTULO 59

Davi ora para ser libertado de seus inimigos. (Ao principal músico, Al-taschith, Michtam de David; quando Saul enviou, e eles vigiaram a casa para matá-lo.)

1 Livra-me dos meus inimigos, ó meu Deus; defenda-me dos que se levantam contra mim.

2 Livra-me dos que praticam a iniqüidade, e livra-me dos homens sanguinários.

3 Pois eis que armam ciladas à minha alma; os poderosos estão reunidos contra mim; não por minha transgressão, nem por meu pecado, ó Senhor.

4 Eles correm e se preparam sem minha culpa; desperte para me ajudar, e eis.

5 Tu, pois, ó Senhor Deus dos exércitos, Deus de Israel, desperta para visitar todos os gentios; não seja misericordioso com nenhum transgressor ímpio. Selá.

6 Eles voltam à tarde; eles fazem barulho como um cachorro, e circulam pela cidade.

7 Eis que eles arrotam com a boca; espadas estão em seus lábios; pois quem, dizem eles, ouve?

8 Mas tu, Senhor, rirás deles; tu terás todos os pagãos em escárnio.

9 Por causa da sua força eu te esperarei; pois Deus é minha defesa.

10 O Deus da minha misericórdia me impedirá; Deus me fará ver meu desejo sobre meus inimigos.

11 Não os mate, para que o meu povo não se esqueça; espalhe-os pelo teu poder; e derrube-os, ó Senhor, nosso escudo.

12 Pelo pecado da sua boca e pelas palavras dos seus lábios, sejam até mesmo apanhados na sua soberba; e por amaldiçoar e mentir que falam.

13 Consuma-os com ira, consuma-os, para que não sejam; e que eles saibam que Deus governa em Jacó até os confins da terra. Selá.

14 E à tarde voltem; e que façam barulho como um cão, e rodem a cidade.

15 Deixe-os vagar para cima e para baixo em busca de comida, e resmungue se não estiverem satisfeitos.

16 Mas cantarei o teu poder; sim, cantarei em voz alta a tua misericórdia pela manhã; porque tu tens sido minha defesa e refúgio no dia da minha angústia.

17 A ti, ó minha força, cantarei; porque Deus é a minha defesa, e o Deus da minha misericórdia.


CAPÍTULO 60

Davi, com melhor esperança, ora por libertação. (Ao principal músico em Sushane-duth, Michtam de David, para ensinar; quando ele lutou com Aram-naharaim e com Aram-zobah, quando Joab voltou, e feriu de Edom no vale de sal doze mil.)

1 Ó Deus, tu nos rejeitaste, tu nos espalhaste, tu te aborreceste; oh, volte-se para nós novamente.

2 Tu fizeste tremer a terra; tu o quebraste; curar as suas brechas; pois treme.

3 Mostraste coisas difíceis ao teu povo; tu nos fizeste beber o vinho da admiração.

4 Tu deste um estandarte aos que te temem, para que seja exibido por causa da verdade. Selá.

5 Para que o teu amado seja libertado; salva com a tua destra, e ouve-me.

6 Deus falou em sua santidade; Regozijar-me-ei, dividirei Siquém e recortarei o vale de Sucote.

7 Gileade é minha, e Manassés é meu; Efraim também é a força da minha cabeça; Judá é meu legislador;

8 Moabe é minha vasilha; sobre Edom lançarei fora o meu sapato; Filístia, triunfe por minha causa.

9 Quem me levará à cidade forte? quem me conduzirá a Edom?

10 Não queres tu, ó Deus, que nos rejeitaste? e tu, ó Deus, que não saíste com os nossos exércitos?

11 Ajuda-nos na angústia; pois vã é a ajuda do homem.

12 Por meio de Deus faremos proezas; pois ele é que pisará nossos inimigos.


CAPÍTULO 61

O serviço de Davi a Deus baseado em sua experiência nas promessas. (Para o principal músico sobre Neginah, um Salmo de Davi.)

1 Ouve o meu clamor, ó Deus; atende a minha oração.

2 Desde os confins da terra clamarei a ti, quando meu coração estiver sobrecarregado; conduza-me à rocha que é mais alta do que eu.

3 Pois tu tens sido um refúgio para mim e uma torre forte contra o inimigo.

4 habitarei no teu tabernáculo para sempre; Eu confiarei no esconderijo das tuas asas. Selá.

5 Pois tu, ó Deus, ouviste os meus votos; tu me deste a herança daqueles que temem o teu nome.

6 Tu prolongarás a vida do rei; e seus anos como muitas gerações.

7 Ele permanecerá diante de Deus para sempre; oh prepare misericórdia e verdade, que podem preservá-lo.

8 Assim cantarei louvores ao teu nome para sempre, para cumprir todos os dias os meus votos.


CAPÍTULO 62

Somente em Deus está a salvação. (Ao Músico Chefe, a Jedutum, Um Salmo de Davi.)

1 Verdadeiramente a minha alma espera em Deus; dele vem a minha salvação.

2 Somente ele é minha rocha e minha salvação; ele é minha defesa; Não me comoverei muito.

3 Até quando ele imaginará o mal contra um homem? todos vós sereis mortos; como um muro curvado sereis, e como uma cerca cambaleante.

4 Eles apenas consultam para derrubá-lo de sua excelência; eles se deleitam com mentiras; abençoam com a boca, mas no íntimo amaldiçoam. Selá.

5 Minha alma, espera somente em Deus; pois minha expectativa é dele.

6 Somente ele é minha rocha e minha salvação; ele é minha defesa; Eu não serei movido.

7 Em Deus está a minha salvação e a minha glória; a rocha da minha força e o meu refúgio está em Deus.

8 Confie nele o tempo todo; ó povo, derrame seu coração diante dele; Deus é um refúgio para nós. Selá.

9 Certamente os homens de baixo grau são vaidade, e os homens de alto grau são mentira; para ser colocado na balança, eles são totalmente mais leves que a vaidade.

10 Não confies na opressão, e não te tornes vaidoso no roubo; se as riquezas aumentam, não ponhas o teu coração nelas.

11 Deus falou uma vez; duas vezes ouvi isso; esse poder pertence a Deus.

12 Também a ti, Senhor, pertence a misericórdia; porque tu retribuis a cada um segundo a sua obra.


CAPÍTULO 63

O desejo de Davi por Deus. (Salmo de Davi no deserto de Judá.)

1 Ó Deus, tu és o meu Deus; cedo te buscarei; minha alma tem sede de ti, minha carne te deseja em uma terra seca e sedenta, onde não há água;

2 Para ver o teu poder e a tua glória, como te vi no santuário.

3 Porque a tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios te louvarão.

4 Assim te bendirei enquanto viver; Eu levantarei minhas mãos em teu nome.

5 A minha alma se fartará de tutano e gordura; e minha boca te louvará com alegres lábios;

6 Quando me lembro de ti na minha cama, e medito em ti nas vigílias da noite.

7 Porque tu tens sido o meu auxílio, por isso me alegrarei à sombra das tuas asas.

8 A minha alma segue-te duramente; a tua destra me sustenta.

9 Mas os que buscam a minha alma, para destruí-la, irão para as partes mais baixas da terra.

10 Eles cairão à espada; eles serão uma porção para as raposas.

11 Mas o rei se alegrará em Deus; todo aquele que jurar por ele se gloriará; mas a boca dos que falam mentiras será tapada.


CAPÍTULO 64

A oração de Davi por libertação e confiança em Deus. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Ouve a minha voz, ó Deus, na minha oração; preserva minha vida do medo do inimigo.

2 Esconde-me do conselho secreto dos ímpios; da insurreição dos trabalhadores da iniqüidade;

3 Que afiam a língua como uma espada, e dobram o arco para disparar suas flechas, até mesmo palavras amargas;

4 Para que atirem em segredo no perfeito; de repente atiram nele, e não temam.

5 Eles se encorajam em um assunto mau; eles comungam de armar laços em segredo; dizem: Quem os verá?

6 Examinam as iniqüidades; realizam uma busca diligente; tanto o pensamento interior de cada um deles, como o coração, são profundos.

7 Mas Deus atirará neles com uma flecha; de repente eles serão feridos.

8 Assim farão cair sobre si a sua própria língua; todos os que os virem fugirão.

9 E todos os homens temerão e anunciarão a obra de Deus; pois eles considerarão sabiamente o que ele fez.

10 Os justos se alegrarão no Senhor, e nele confiarão; e todos os retos de coração se gloriarão.


CAPÍTULO 65

A bem-aventurança dos escolhidos de Deus. (Ao Músico Chefe, Um Salmo e Cântico de Davi.) 

1 Louvor te espera, ó Deus, em Sião; e a ti se cumprirá o voto.

2 Ó tu que ouves a oração, a ti virá toda a carne.

3 As iniquidades prevalecem contra mim; quanto às nossas transgressões, tu as expurgarás.

4 Bem-aventurado o homem a quem tu escolhes e fazes chegar a ti, para que habite nos teus átrios; ficaremos satisfeitos com a bondade de tua casa, mesmo de teu santo templo.

5 Com coisas terríveis em justiça nos responderás, ó Deus da nossa salvação; que são a confiança de todos os confins da terra e dos que estão longe no mar;

6 Que pela sua força firma os montes; sendo cingido com poder;

7 Que acalma o ruído dos mares, o ruído das suas ondas e o tumulto dos povos.

8 Também os que habitam nos confins têm medo dos teus sinais; tu alegras as saídas da manhã e da tarde.

9 Tu visitas a terra e a regas; tu a enriqueces grandemente com o rio de Deus, que está cheio de água; tu lhes preparas o milho, quando assim o tens provido.

10 Tu regas abundantemente os seus cumes; tu estabeleces os seus sulcos; tu o tornas macio com chuvas; tu abençoas o seu nascimento.

11 Tu coroas o ano com a tua bondade; e teus caminhos destilam gordura.

12 Caem nas pastagens do deserto; e as pequenas colinas se alegram por todos os lados.

13 Os pastos estão vestidos de rebanhos; os vales também estão cobertos de milho; gritam de alegria, também cantam.


CAPÍTULO 66

Deus deve ser louvado – Razões para isso. (Para o Músico Chefe, Uma Canção ou Salmo.)

1 Louvai com júbilo a Deus, todas as terras;

2 Cante a honra do seu nome; tornar glorioso o seu louvor.

3 Diz a Deus: Quão terrível és tu nas tuas obras! pela grandeza do teu poder os teus inimigos se submeterão a ti.

4 Toda a terra te adorará e te cantará louvores; cantarão ao teu nome. Selá.

5 Venha e veja as obras de Deus; ele é terrível em suas ações para com os filhos dos homens.

6 Ele transformou o mar em terra seca; atravessaram o dilúvio a pé; ali nos regozijamos nele.

7 Ele governa pelo seu poder para sempre; seus olhos contemplam as nações; não se exaltem os rebeldes. Selá.

8 Bendigam, ó povo, o nosso Deus, e façam ouvir a voz do seu louvor;

9 Que mantém a nossa alma em vida, e não permite que os nossos pés vacilem.

10 Pois tu, ó Deus, nos provaste; tu nos provaste, como a prata é provada.

11 Tu nos trouxeste para a rede; tu puseste aflição sobre nossos lombos.

12 Tu fizeste os homens cavalgarem sobre nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água; mas tu nos trouxeste para um lugar rico.

13 Entrarei em tua casa com holocaustos; Eu te pagarei meus votos,

14 Que meus lábios proferiram, e minha boca falou, quando eu estava na angústia.

16 Vinde e ouvi, todos os que temeis a Deus, e contarei o que ele fez por minha alma.

17 Clamei a ele com a minha boca, e ele foi exaltado com a minha língua.

18 Se eu atentar para a iniqüidade em meu coração, o Senhor não me ouvirá;

19 Mas em verdade Deus me ouviu; ele atendeu à voz da minha oração.

20 Bendito seja Deus, que não desviou a minha oração, nem a sua misericórdia de mim.


CAPÍTULO 67

Uma oração para o estabelecimento universal do reino de Deus. (Para o músico-chefe em Neginoth, um salmo ou canção.)

1 Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós; Selá;

2 Para que o teu caminho seja conhecido na terra, a tua saúde salvadora entre todas as nações.

3 Que o povo te louve, ó Deus; que todo o povo te louve.

4 Alegrem-se e cantem de alegria as nações; porque tu julgarás os povos com justiça, e governarás as nações sobre a terra. Selá.

5 Que o povo te louve, ó Deus; que todo o povo te louve.

6 Então a terra dará a sua colheita; e Deus, mesmo nosso próprio Deus, nos abençoará.

7 Deus nos abençoará; e todos os confins da terra o temerão.


CAPÍTULO 68

Uma exortação para louvar a Deus por suas misericórdias e suas grandes obras. (Para o Músico Chefe, Um Salmo ou Cântico de Davi.)

1 Levante-se Deus, dispersem-se os seus inimigos; também os que o odeiam fujam diante dele.

2 Assim como a fumaça é afastada, afugenta-os; como a cera se derrete diante do fogo, assim pereçam os ímpios na presença de Deus.

3 Mas alegrem-se os justos; regozijem-se diante de Deus; sim, regozijem-se muito.

4 Cantai a Deus, cantai louvores ao seu nome; exaltai aquele que cavalga sobre os céus pelo seu nome JAH, e regozijai-vos diante dele.

5 Pai dos órfãos e juiz das viúvas é Deus na sua santa habitação.

6 Deus estabelece o solitário em família; ele tira os que estão presos com cadeias; mas os rebeldes habitam em terra seca.

7 Ó Deus, quando saíste adiante do teu povo, quando marchaste pelo deserto; Selá;

8 A terra tremeu, os céus também caíram na presença de Deus; até o próprio Sinai se comoveu na presença de Deus, o Deus de Israel.

9 Tu, ó Deus, enviaste uma chuva abundante, pela qual confirmaste a tua herança, quando ela se cansou.

10 A tua congregação tem habitado nela; tu, ó Deus, preparaste da tua bondade para os pobres.

11 O Senhor deu a palavra; grande foi a companhia de quem o publicou.

12 Reis de exércitos fugiram rapidamente; e a que ficou em casa repartiu o despojo.

13 Ainda que vos deiteis entre as panelas, sereis como as asas de uma pomba cobertas de prata, e as suas penas de ouro amarelo.

14 Quando o Todo-Poderoso espalhou reis nela, ficou branca como a neve no salmão.

15 O monte de Deus é como o monte de Basã; um monte alto como o monte de Basã.

16 Por que saltais, ó montes altos? esta é a colina na qual Deus deseja habitar; sim, o Senhor habitará nela para sempre.

17 Os carros de Deus são vinte mil, sim, milhares de anjos; o Senhor está no meio deles, como no Sinai, no lugar santo.

18 Subiste ao alto, levaste cativo o cativeiro; recebeste presentes para os homens; sim, também para os rebeldes, para que o Senhor Deus habite no meio deles.

19 Bendito seja o Senhor, que diariamente nos carrega de benefícios, o Deus da nossa salvação. Selá.

20 Aquele que é nosso Deus é o Deus da salvação; e a Deus, o Senhor, pertencem os resultados da morte.

21 Mas Deus ferirá a cabeça dos seus inimigos, e o couro cabeludo do que ainda estiver em suas transgressões.

22 O Senhor disse: Trarei novamente de Basã, trarei meu povo novamente das profundezas do mar;

23 Para que o teu pé mergulhe no sangue dos teus inimigos, e a língua dos teus cães no mesmo.

24 Eles viram os teus passos, ó Deus; até as idas do meu Deus, meu Rei, no santuário.

25 Os cantores foram antes, os instrumentistas seguiram; entre eles estavam as donzelas brincando com adufes.

26 Bendizei a Deus nas congregações, o Senhor, desde a fonte de Israel.

27 Ali está o pequeno Benjamim com seu príncipe, os príncipes de Judá e seu conselho, os príncipes de Zebulom e os príncipes de Naftali.

28 O teu Deus ordenou a tua força; fortalece, ó Deus, o que tens feito por nós.

29 Por causa do teu templo em Jerusalém os reis te trarão presentes.

30 Repreende a companhia dos lanceiros, a multidão dos touros, com os bezerros do povo, até que cada um se submeta com moedas de prata; dispersa o povo que se deleita na guerra.

31 Príncipes sairão do Egito; A Etiópia em breve estenderá as mãos para Deus.

32 Cantai a Deus, ó reinos da terra; oh cante louvores ao Senhor; Selá.

33 Àquele que cavalga sobre os céus dos céus, que foram da antiguidade; eis que ele envia a sua voz, e essa voz poderosa.

34 Dá forças a Deus; a sua excelência está sobre Israel, e a sua força está nas nuvens.

35 Ó Deus, tu és terrível fora dos teus lugares santos; o Deus de Israel é aquele que dá força e poder ao seu povo. Bendito seja Deus


CAPÍTULO 69

A aflição de Davi – Sua oração por libertação. (Para o principal músico sobre Shoshannim, Um Salmo de Davi.)

1 Salva-me, ó Deus; porque as águas chegaram à minha alma.

2 Afundo-me no lodo profundo, onde não há apoio; Cheguei em águas profundas, onde as inundações me transbordam.

3 Estou cansado de chorar; minha garganta está seca; meus olhos desfalecem enquanto espero pelo meu Deus.

4 Aqueles que me odeiam sem causa são mais do que os cabelos da minha cabeça; aqueles que querem me destruir, sendo meus inimigos injustamente, são poderosos; então restaurei o que não tirei.

5 Ó Deus, tu conheces a minha loucura; e meus pecados não estão escondidos de ti.

6 Não sejam envergonhados por minha causa os que esperam em ti, ó Senhor Deus dos exércitos; não sejam confundidos por minha causa os que te buscam, ó Deus de Israel.

7 Porque por amor de ti levei opróbrio; vergonha cobriu meu rosto.

8 Tornei-me um estranho para meus irmãos e um estranho para os filhos de minha mãe.

9 Porque o zelo da tua casa me devorou; e as injúrias dos que te injuriaram caíram sobre mim.

10 Quando eu chorava e castigava a minha alma com jejum, isso era para meu opróbrio.

11 Também fiz de saco a minha vestimenta; e eu me tornei um provérbio para eles.

12 Os que estão sentados à porta falam contra mim, e eu era o canto dos bêbados.

13 Mas quanto a mim, minha oração é a ti, ó Senhor, em um tempo aceitável; Ó Deus, na multidão da tua misericórdia ouve-me, na verdade da tua salvação.

14 Livra-me da lama, e não me deixes afundar; deixe-me ser liberto dos que me odeiam, e das águas profundas.

15 Que as águas não me inundem, nem o abismo me engula, nem a cova feche a boca sobre mim.

16 Eis-me aqui, Senhor; porque a tua benignidade é boa; volta-te para mim segundo a multidão das tuas misericórdias.

17 E não escondas o teu rosto do teu servo; pois estou em apuros; ouça-me rapidamente.

18 Aproxima-te da minha alma e resgata-a; livra-me por causa dos meus inimigos.

19 Conheces o meu opróbrio, e a minha vergonha, e a minha desonra; meus adversários estão todos diante de ti.

20 O opróbrio quebrou meu coração; e estou cheio de peso; e procurei alguns para ter pena, mas não havia nenhum; e para consoladores, mas não encontrei nenhum.

21 Também me deram fel como alimento; e na minha sede deram-me a beber vinagre.

22 Torne-se a sua mesa um laço diante deles; e o que deveria ter sido para seu bem-estar, que se torne uma armadilha.

23 Escureçam-se os seus olhos, para que não vejam; e fazem seus lombos tremer continuamente.

24 Derrama sobre eles a tua indignação, e apodera-se deles o teu furor.

25 Seja assolada a sua habitação; e que ninguém habite nas suas tendas.

26 Pois perseguem aquele a quem feriu; e eles falam com a dor daqueles a quem você feriu.

27 Acrescentai iniqüidade à iniqüidade deles; e não entrem na tua justiça.

28 Sejam riscados do livro dos vivos, e não sejam inscritos com os justos.

29 Mas eu sou pobre e triste; que a tua salvação, ó Deus, me ponha no alto.

30 Com cânticos louvarei o nome de Deus e o engrandecerei com ações de graças.

31 Isso também agradará ao Senhor melhor do que um boi ou um novilho que tem chifres e cascos.

32 Os humildes verão isso e se alegrarão; e viverá o vosso coração que busca a Deus.

33 Porque o Senhor ouve o pobre, e não despreza os seus presos.

34 Louvem-no o céu e a terra, os mares e tudo o que neles se move.

35 Porque Deus salvará Sião e edificará as cidades de Judá; para que ali habitem e a possuam.

36 Também a descendência dos seus servos a herdará; e os que amam o seu nome habitarão nela.


CAPÍTULO 70

Davi ora a Deus pela rápida destruição dos ímpios e preservação dos piedosos. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi, para trazer à memória.)

1 Apressa-te, ó Deus, em livrar-me; apresse-se em me ajudar, ó Senhor.

2 Sejam envergonhados e confundidos os que buscam a minha alma; que sejam virados para trás, e confundidos, aqueles que desejam minha dor.

3 Retornem para recompensa da sua vergonha os que dizem: Aha, aha.

4 Alegrem-se e regozijem-se em ti todos os que te buscam; e os que amam a tua salvação digam continuamente: Deus seja engrandecido.

5 Mas eu sou pobre e necessitado; apressa-te a mim, ó Deus; tu és minha ajuda e meu libertador; Ó Senhor, não te demores.


CAPÍTULO 71

Davi, com fé, ora por si mesmo e contra os inimigos de sua alma – Ele promete constância.

1 Em ti, Senhor, confio; que eu nunca seja confundido.

2 Livra-me na tua justiça, e faze-me escapar; inclina para mim os teus ouvidos e salva-me.

3 Sê tu a minha habitação forte, à qual recorrer continuamente; tu deste mandamento para me salvar; pois tu és minha rocha e minha fortaleza.

4 Livra-me, ó meu Deus, da mão do ímpio, da mão do homem injusto e cruel.

5 Pois tu és a minha esperança, ó Senhor Deus; tu és a minha confiança desde a minha juventude.

6 Por ti fui sustentado desde o ventre; tu és aquele que me tirou das entranhas de minha mãe; meu louvor será continuamente de ti.

7 Sou como um assombro para muitos; mas tu és meu forte refúgio.

8 Que minha boca se encha do teu louvor e da tua honra todo o dia.

9 Não me rejeites na velhice; não me desampares quando as minhas forças desfalecerem.

10 Pois meus inimigos falam contra mim; e os que espreitam a minha alma consultam juntos,

11 Dizendo: Deus o desamparou; persegui-lo e levá-lo; pois não há quem o livre.

12 Ó Deus, não fiques longe de mim; Ó meu Deus, apresse-se em meu socorro.

13 Sejam confundidos e consumidos os que são adversários da minha alma; cubram-se de opróbrio e desonra os que procuram o meu mal.

14 Mas eu esperarei continuamente, e ainda te louvarei mais e mais.

15 A minha boca anunciará a tua justiça e a tua salvação todo o dia; porque não sei os seus números.

16 Irei na força do Senhor Deus; Farei menção da tua justiça, mesmo só da tua.

17 Ó Deus, tu me ensinaste desde a minha juventude; e até agora tenho declarado tuas maravilhas.

18 Agora também, quando eu for velho e grisalho, ó Deus, não me abandones; até que eu mostre a tua força a esta geração, e o teu poder a todos os que estão por vir.

19 Altíssimo é a tua justiça, ó Deus, que fizeste grandes coisas; Ó Deus, quem é semelhante a ti!

20 Tu, que me mostraste grandes e dolorosas angústias, me vivificarás novamente e me farás subir das profundezas da terra.

21 Aumentarás a minha grandeza e me consolarás de todos os lados.

22 Também te louvarei com o saltério, sim, a tua verdade, ó Deus meu; a ti cantarei com a harpa, ó Santo de Israel.

23 Meus lábios se regozijarão muito quando eu cantar para ti; e a minha alma, que remiste.

24 Também a minha língua falará da tua justiça todo o dia; porque estão confundidos, porque são envergonhados os que procuram o meu mal.


CAPÍTULO 72

Davi mostra a glória do reino de Cristo. (Um Salmo para Salomão.) 

1 Dá ao rei os teus juízos, ó Deus, e a tua justiça ao filho do rei.

2 Ele julgará o teu povo com justiça, e os teus pobres com juízo.

3 Os montes trarão paz ao povo, e os outeiros, pela justiça.

4 Ele julgará os pobres do povo, salvará os filhos dos necessitados e despedaçará o opressor.

5 Eles te temerão enquanto durarem o sol e a lua, por todas as gerações.

6 Descerá como chuva sobre a relva cortada; como chuveiros que regam a terra.

7 Nos seus dias florescerá o justo; e abundância de paz enquanto durar a lua.

8 Ele terá domínio também de mar a mar, e desde o rio até os confins da terra.

9 Os que habitam no deserto se curvarão diante dele; e os seus inimigos lamberão o pó.

10 Os reis de Társis e das ilhas trarão presentes; os reis de Sabá e Sebá oferecerão presentes.

11 Sim, todos os reis se prostrarão diante dele; todas as nações o servirão.

12 Pois ele livrará o necessitado quando clamar; também o pobre, e aquele que não tem ajudador.

13 Ele poupará os pobres e necessitados, e salvará as almas dos necessitados.

14 Ele redimirá a sua alma do engano e da violência; e precioso será o seu sangue aos seus olhos.

15 E ele viverá, e a ele se dará do ouro de Sabá; oração também será feita por ele continuamente; e diariamente ele será louvado.

16 Haverá um punhado de trigo na terra sobre o cume dos montes; o seu fruto tremerá como o Líbano; e os da cidade florescerão como a erva da terra.

17 Seu nome durará para sempre; seu nome será continuado enquanto o sol; e os homens serão abençoados nele; todas as nações o chamarão bem-aventurado.

18 Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, que só faz maravilhas.

19 E bendito seja o seu glorioso nome para sempre; e que toda a terra se encha da sua glória. Amém, e Amém.

20 Terminaram as orações de Davi, filho de Jessé.


CAPÍTULO 73

A libertação do profeta da tentação – o propósito de Deus de destruir os ímpios e sustentar os justos. (Um Salmo de Asafe.)

1 Verdadeiramente Deus é bom para com Israel, mesmo para os puros de coração.

2 Mas, quanto a mim, meus pés quase se foram; meus passos quase escorregaram.

3 Pois eu tinha inveja dos insensatos, quando via a prosperidade dos ímpios.

4 Pois não há bandos em sua morte; mas sua força é firme.

5 Eles não estão em apuros como os outros homens; nem são atormentados como outros homens.

6 Por isso a soberba os cerca como uma cadeia; a violência os cobre como uma vestimenta.

7 Seus olhos brilham de gordura; eles têm mais do que o coração poderia desejar.

8 Eles são corruptos e falam mal da opressão; eles falam alto.

9 Põem a boca contra os céus, e a sua língua anda pela terra.

10 Por isso o seu povo volta para cá; e as águas de um copo cheio são espremidas para eles.

11 E eles dizem: Como Deus sabe? e há conhecimento no Altíssimo?

12 Eis que estes são os ímpios que prosperam no mundo; eles aumentam em riquezas.

13 Na verdade, em vão limpei o meu coração, e na inocência lavei as minhas mãos.

14 Pois todo o dia tenho sido atormentado e castigado todas as manhãs.

15 Se digo, assim falarei; eis que ofenderei a geração de teus filhos.

16 Quando pensei em saber isso, foi muito doloroso para mim;

17 Até que entrei no santuário de Deus; então entendi o fim deles.

18 Certamente tu os puseste em lugares escorregadios; tu os lançaste na destruição.

19 Como são levados à desolação, como num momento! eles são totalmente consumidos com terrores.

20 Como um sonho ao acordar; assim, ó Senhor, quando acordares, desprezarás a sua imagem.

21 Assim meu coração se afligiu, e minhas rédeas foram picadas.

22 Tão insensato fui eu, e ignorante; Eu era como uma besta diante de ti.

23 Não obstante, estou continuamente contigo; tu me seguraste pela minha mão direita.

24 Tu me guiarás com o teu conselho, e depois me receberás na glória.

25 A quem tenho no céu senão a ti? e não há ninguém na terra que eu deseje além de ti.

26 Minha carne e meu coração desfalecem; mas Deus é a força do meu coração e a minha porção para sempre.

27 Pois eis que os que estão longe de ti perecerão; destruíste todos os que se prostituíram de ti.

28 Mas é bom para mim aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor Deus, para anunciar todas as tuas obras.


CAPÍTULO 74

O profeta reclama da desolação do santuário – Ele move Deus para ajudar. (Masquil de Asafe.)

1 Ó Deus, por que nos rejeitaste para sempre? por que fumega a tua ira contra as ovelhas do teu pasto?

2 Lembra-te da tua congregação, que compraste desde a antiguidade; a vara da tua herança, que remiste; este monte Sião, onde habitaste.

3 Levanta os teus pés para as desolações perpétuas; mesmo tudo o que o inimigo fez impiamente no santuário.

4 Os teus inimigos rugem no meio das tuas congregações; eles estabeleceram suas insígnias para sinais.

5 Um homem era famoso por ter levantado machados sobre as árvores grossas.

6 Mas agora eles quebram a sua obra esculpida de uma vez com machados e martelos.

7 Lançaram fogo no teu santuário, contaminaram, deitando por terra a morada do teu nome.

8 Eles disseram em seus corações: Vamos destruí-los juntos; queimaram todas as sinagogas de Deus na terra.

9 Não vemos os nossos sinais; não há mais profeta; nem há entre nós quem saiba por quanto tempo.

10 Ó Deus, até quando o adversário reprovará? o inimigo blasfemará o teu nome para sempre?

11 Por que retiras a tua mão, sim a tua destra? arranca-o do teu seio.

12 Porque Deus é o meu Rei desde a antiguidade, operando a salvação no meio da terra.

13 Tu dividiste o mar pela tua força; tu quebraste as cabeças dos dragões nas águas.

14 Despedaces as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento ao povo que habita no deserto.

15 Fendeste a fonte e o dilúvio; tu secaste rios poderosos.

16 O dia é teu, a noite também é tua; preparaste a luz e o sol.

17 Tu fixaste todos os limites da terra; tu fizeste o verão e o inverno.

18 Lembra-te disto, que o inimigo afrontou, ó Senhor, e que os insensatos blasfemaram do teu nome.

19 Não entregue a alma da tua rola à multidão dos ímpios; não te esqueças da congregação dos teus pobres para sempre.

20 Respeita o convênio; pois os lugares escuros da terra estão cheios de habitações de crueldade.

21 Não voltem envergonhados os oprimidos; que os pobres e necessitados louvem o teu nome.

22 Levanta-te, ó Deus, pleiteia a tua própria causa; lembra-te de como o insensato te repreende diariamente.

23 Não te esqueças da voz dos teus inimigos; o tumulto dos que se levantam contra ti aumenta continuamente.


CAPÍTULO 75

O profeta louva a Deus e promete executar a justiça. (Ao Músico Principal, Al-taschith, Um Salmo ou Cântico de Asafe.)

1 A ti, ó Deus, damos graças, a ti damos graças; pois que teu nome está próximo, declaram tuas maravilhas.

2 Quando eu receber a congregação, julgarei com retidão.

3 A terra e todos os seus habitantes estão dissolvidos; Eu carrego os pilares dela. Selá.

4 Eu disse aos tolos: Não façais tolices; e para os ímpios, não levante o chifre;

5 Não levante o seu chifre no alto; não fale com um torcicolo.

6 Pois a promoção não vem do oriente, nem do ocidente, nem do sul.

7 Mas Deus é o juiz; ele abate um, e estabelece outro.

8 Porque na mão do Senhor há um cálice, e o vinho é tinto; está cheio de mistura; e ele derrama do mesmo; mas os seus resíduos, todos os ímpios da terra os espremerão e os beberão.

9 Mas eu declararei para sempre; cantarei louvores ao Deus de Jacó.

10 Também cortarei todos os chifres dos ímpios; mas os chifres dos justos serão exaltados.


CAPÍTULO 76

A majestade de Deus na igreja – Exortação para servi-lo com reverência. (Para o principal músico em Neginoth, Um Salmo ou Cântico de Asafe.)

1 Em Judá Deus é conhecido; seu nome é grande em Israel.

2 Em Salém também está o seu tabernáculo e a sua morada em Sião.

3 Ali ele quebra as flechas do arco, o escudo, e a espada, e a batalha. Selá.

4 Tu és mais glorioso e excelente do que os montes de rapina.

5 Os corajosos estão estragados, dormiram o seu sono; e nenhum dos homens de poder encontrou suas mãos.

6 À tua repreensão, ó Deus de Jacó, tanto o carro como o cavalo são lançados num sono profundo.

7 Tu, tu mesmo, deves ser temido; e quem pode estar à sua vista quando uma vez você estiver com raiva?

8 Tu fizeste ouvir o julgamento do céu; a terra temeu, e se aquietou,

9 Quando Deus se levantou para julgar, para salvar todos os mansos da terra. Selá.

10 Certamente a ira do homem te louvará; o restante da ira conterás.

11 Vota e paga ao Senhor teu Deus; que todos os que estiverem ao redor dele tragam presentes para ele que devem ser temidos.

12 Ele exterminará o espírito dos príncipes; ele é terrível para os reis da terra.


CAPÍTULO 77

As meditações do salmista – as grandes e graciosas obras de Deus. (Ao Músico Chefe, a Jedutum, Um Salmo de Asafe.)

1 Clamei a Deus com a minha voz, sim, a Deus com a minha voz, e ele me deu ouvidos.

2 No dia da minha angústia busquei ao Senhor; minha chaga correu durante a noite e não cessou; minha alma se recusou a ser consolada.

3 Lembrei-me de Deus e fiquei perturbado; Eu reclamei, e meu espírito ficou sobrecarregado. Selá.

4 Tu mantém meus olhos acordados; Estou tão perturbado que não consigo falar.

5 Eu considerei os dias da antiguidade, os anos dos tempos antigos.

6 Chamo à memória o meu cântico de noite; comungo com meu próprio coração; e meu espírito fez uma busca diligente.

7 O Senhor rejeitará para sempre? e ele não será mais favorável?

8 Sua misericórdia se foi para sempre? sua promessa falhará para sempre?

9 Deus se esqueceu de ser misericordioso? calou com ira as suas ternas misericórdias? Selá.

10 E eu disse: Esta é a minha enfermidade; mas eu me lembrarei dos anos da destra do Altíssimo.

11 Eu me lembrarei das obras do Senhor; certamente me lembrarei das tuas maravilhas de outrora.

12 Meditarei também em todas as tuas obras, e falarei das tuas obras.

13 O teu caminho, ó Deus, está no santuário; quem é um Deus tão grande como o nosso Deus?

14 Tu és o Deus que fazes maravilhas; declaraste a tua força entre o povo.

15 Com o teu braço resgataste o teu povo, os filhos de Jacó e José. Selá.

16 As águas te viram, ó Deus, as águas te viram; Eles estavam com medo; as profundezas também foram perturbadas.

17 As nuvens derramaram água; os céus emitiram um som; tuas flechas também foram para o exterior.

18 A voz do teu trovão estava no céu; os relâmpagos iluminaram o mundo; a terra tremeu e tremeu.

19 O teu caminho está no mar, e a tua vereda nas grandes águas, e os teus passos não são conhecidos.

20 Tu conduziste o teu povo como um rebanho pela mão de Moisés e Arão.


CAPÍTULO 78

Uma exortação para aprender e ensinar a lei de Deus – a ira de Deus contra os desobedientes. (Masquil de Asafe.)

1 Dá ouvidos, ó povo meu, à minha lei; inclina os teus ouvidos às palavras da minha boca.

2 Abrirei a minha boca em parábola; Proferirei ditos obscuros de outrora;

3 O que ouvimos e conhecemos, e nossos pais nos contaram.

4 Não os esconderemos de seus filhos, mostrando à geração vindoura os louvores do Senhor, e sua força, e suas maravilhas que ele tem feito.

5 Pois ele estabeleceu um testemunho em Jacó, e estabeleceu uma lei em Israel, a qual ordenou a nossos pais, para que a dessem a conhecer a seus filhos;

6 Para que a geração futura os conheça, sim, os filhos que há de nascer; quem deve se levantar e declará-los a seus filhos;

7 Para que ponham a sua esperança em Deus, e não se esqueçam das obras de Deus, mas guardem os seus mandamentos;

8 E não fossem como seus pais, geração obstinada e rebelde; uma geração que não colocou seu coração corretamente, e cujo espírito não foi fiel a Deus.

9 Os filhos de Efraim, armados e com arcos, voltaram no dia da batalha.

10 Não guardaram a aliança de Deus e recusaram andar na sua lei;

11 E esqueceu as suas obras e as suas maravilhas que lhes tinha mostrado.

12 Coisas maravilhosas fez ele à vista de seus pais, na terra do Egito, no campo de Zoã.

13 Ele dividiu o mar e os fez passar; e ele fez as águas ficarem como um montão.

14 De dia também os guiou com uma nuvem, e toda a noite com uma luz de fogo.

15 Fendeu os rochedos no deserto, e deu-lhes de beber como de grandes profundezas.

16 Ele também fez brotar correntes da rocha, e fez as águas correrem como rios.

17 E pecaram ainda mais contra ele, provocando o Altíssimo no deserto.

18 E eles tentaram a Deus em seu coração pedindo comida para sua concupiscência.

19 Sim, eles falaram contra Deus; eles disseram: Deus pode fornecer uma mesa no deserto?

20 Eis que ele feriu a rocha, e as águas jorraram, e os rios transbordaram; ele pode dar pão também? ele pode fornecer carne para o seu povo?

21 Por isso o Senhor ouviu isso e se indignou; então um fogo se acendeu contra Jacó, e a ira também subiu contra Israel;

22 Porque não creram em Deus e não confiaram na sua salvação;

23 Ainda que ele tivesse ordenado às nuvens de cima, e aberto as portas do céu,

24 E fez chover maná sobre eles para comer, e deu-lhes do trigo do céu.

25 O homem comeu a comida dos anjos; ele lhes enviou carne em abundância.

26 Ele fez soprar no céu um vento oriental; e por seu poder ele trouxe o vento sul.

27 Também sobre eles fez chover carne como pó, e aves emplumadas como a areia do mar;

28 E deixou-o cair no meio do acampamento deles, ao redor das suas habitações.

29 Assim comeram e ficaram fartos; pois ele lhes deu seu próprio desejo;

30 Eles não se afastaram de sua concupiscência; mas enquanto a comida ainda estava em suas bocas,

31 A ira de Deus veio sobre eles, e matou o mais gordo deles, e feriu os escolhidos de Israel.

32 Por tudo isso ainda pecaram, e não creram nas suas maravilhas.

33 Por isso consumiu os seus dias em vaidade, e os seus anos em angústia.

34 Quando ele os matava, eles o procuravam; e eles voltaram e perguntaram cedo sobre Deus.

35 E eles se lembraram de que Deus era sua Rocha, e o Deus Altíssimo seu Redentor.

36 No entanto, eles o lisonjearam com a boca, e mentiram para ele com a língua.

37 Pois o coração deles não estava bem para com ele, nem eles foram firmes em sua aliança.

38 Mas ele, cheio de compaixão, perdoou a iniqüidade deles, e não os destruiu; sim, muitas vezes ele desviou sua ira e não despertou toda a sua ira.

39 Pois ele se lembrou de que eles eram apenas carne; vento que passa e não volta.

40 Quantas vezes o provocaram no deserto e o entristeceram no deserto!

41 Sim, eles voltaram e tentaram a Deus, e limitaram o Santo de Israel.

42 Não se lembraram da sua mão, nem do dia em que os livrou do inimigo;

43 Como fizera os seus sinais no Egito e as suas maravilhas no campo de Zoã;

44 E transformaram seus rios em sangue; e suas enchentes, que não podiam beber.

45 Enviou entre eles diversas espécies de moscas, que os devoraram; e rãs, que os destruíram.

46 Deu também o seu crescimento à lagarta, e o seu trabalho ao gafanhoto.

47 Ele destruiu suas videiras com granizo, e seus sicômoros com geada.

48 Deu também o seu gado ao granizo, e os seus rebanhos aos raios quentes.

49 Ele lançou sobre eles o ardor da sua ira, ira, indignação e angústia, enviando anjos maus entre eles.

50 Abriu caminho para a sua ira; ele não poupou sua alma da morte, mas entregou sua vida à peste;

51 E feriu todos os primogênitos no Egito; o chefe de sua força nos tabernáculos de Cam;

52 Mas fez o seu próprio povo sair como ovelhas, e os guiou pelo deserto como um rebanho.

53 E ele os conduziu com segurança, para que não temeram; mas o mar subjugou seus inimigos.

54 E ele os trouxe até a fronteira do seu santuário, até este monte, que a sua destra havia comprado.

55 Também expulsou os gentios de diante deles, e os repartiu por herança por linhagens, e fez habitar as tribos de Israel nas suas tendas.

56 Contudo, tentaram e provocaram o Deus Altíssimo, e não guardaram os seus testemunhos;

57 Mas voltaram atrás, e procederam infielmente como seus pais; foram desviados como um arco enganoso.

58 Porque o provocaram à ira com os seus altos, e o incitaram ao ciúme com as suas imagens esculpidas.

59 Quando Deus ouviu isso, indignou-se e abominou muito a Israel.

60 De modo que abandonou o tabernáculo de Siló, a tenda que pôs entre os homens;

61 E entregou em cativeiro a sua força, e a sua glória nas mãos do inimigo.

62 Ele entregou o seu povo também à espada; e se indignou com a sua herança,

63 O fogo consumiu seus jovens; e suas donzelas não foram dadas ao casamento.

64 Seus sacerdotes caíram à espada; e as suas viúvas não se lamentaram.

65 Então o Senhor despertou como de um sono, e como um valente que grita por causa do vinho.

66 E ele feriu seus inimigos nas partes de trás; colocou-os em perpétuo opróbrio.

67 Além disso, recusou o tabernáculo de José, e não escolheu a tribo de Efraim;

68 Mas escolheu a tribo de Judá, o monte Sião que ele amava.

69 E edificou o seu santuário como altos palácios, como a terra que estabeleceu para sempre.

70 Escolheu também a Davi, seu servo, e o tirou dos currais;

71 De seguir as ovelhas grandes com crias, ele o trouxe para alimentar Jacó seu povo, e Israel sua herança.

72 Assim os alimentou segundo a integridade do seu coração; e os guiou pela habilidade de suas mãos.


CAPÍTULO 79

A desolação de Jerusalém – Davi ora por sua libertação. (Um Salmo de Asafe.)

1 Ó Deus, os gentios entraram na tua herança; contaminaram o teu santo templo; puseram Jerusalém em montões.

2 Os cadáveres dos teus servos deram por pasto às aves do céu, e a carne dos teus santos às feras da terra.

3 Derramaram o seu sangue como água ao redor de Jerusalém; e não havia quem os enterrasse.

4 Nos tornamos opróbrio para os nossos vizinhos, escárnio e escárnio para os que estão ao nosso redor.

5 Até quando, Senhor? ficarás irado para sempre? deve teu ciúme queimar como fogo?

6 Derrama a tua ira sobre os gentios que não te conheceram e sobre os reinos que não invocaram o teu nome.

7 Pois eles devoraram a Jacó, e assolaram a sua morada.

8 Oh, não te lembres contra nós das antigas iniqüidades; que tuas ternas misericórdias nos impeçam rapidamente; pois somos rebaixados muito.

9 Ajuda-nos, ó Deus da nossa salvação, para a glória do teu nome; e livra-nos, e purifica os nossos pecados, por amor do teu nome.

10 Por que diriam os gentios: Onde está o seu Deus? seja conhecido entre os gentios diante de nós pela vingança do sangue dos teus servos, que é derramado.

11 Chegue a ti o suspiro do preso; de acordo com a grandeza do teu poder, preserva aqueles que são designados para morrer;

12 E retribui sete vezes mais em seu seio o opróbrio com que te injuriaram, ó Senhor.

13 Assim nós, teu povo, e ovelhas do teu pasto, te louvaremos para sempre; anunciaremos o teu louvor a todas as gerações.


CAPÍTULO 80

Uma reclamação para Israel – Davi ora por libertação. (Para o principal músico sobre Shoshannim-Eduth, Um Salmo de Asafe.)

1 Dá ouvidos, ó Pastor de Israel, tu que conduzes a José como um rebanho; tu que habitas entre os querubins, resplandece.

2 Diante de Efraim, de Benjamim e de Manassés, desperte as tuas forças, e venha salvar-nos.

3 Converte-nos, ó Deus, e faze resplandecer o teu rosto; e seremos salvos.

4 Ó Senhor Deus dos Exércitos, até quando te indignarás contra a oração do teu povo?

5 Tu os alimentas com pão de lágrimas; e dá-lhes lágrimas para beber em grande quantidade.

6 Tu nos pões em contenda com o nosso próximo; e nossos inimigos riem entre si.

7 Converte-nos, ó Deus dos exércitos, e faz resplandecer o teu rosto; e seremos salvos.

8 Trouxe uma videira do Egito; expulsaste os gentios, e a plantaste.

9 Preparaste lugar diante dele, e o fizeste lançar raízes profundas, e encheu a terra.

10 Os montes estavam cobertos com a sua sombra, e os seus ramos eram como os belos cedros.

11 Ela estendeu seus ramos até o mar, e seus ramos até o rio.

12 Por que derrubaste então as suas cercas, para que todos os que passam pelo caminho a arrebatem?

13 O javali do bosque o devora, e a fera do campo o devora.

14 Volta, nós te rogamos, ó Deus dos exércitos; olhe para baixo do céu, e veja, e visite esta videira;

15 E a vinha que a tua destra plantou, e o ramo que fortaleceste para ti.

16 É queimado com fogo, é cortado; eles perecem pela repreensão do teu semblante.

17 Seja a tua mão sobre o homem da tua destra, sobre o filho do homem que fortaleceste para ti.

18 Assim não nos afastaremos de ti; vivifica-nos, e invocaremos o teu nome.

19 Converte-nos, ó Senhor Deus dos exércitos, faz resplandecer o teu rosto; e seremos salvos.


CAPÍTULO 81

Uma exortação para louvar a Deus – Deus exorta à obediência. (Para o principal músico em Gittith, Um Salmo de Asafe.)

1 Cantai a Deus, nossa força; exultai com júbilo ao Deus de Jacó.

2 Toma um salmo e traz aqui o tamboril, a harpa agradável com o saltério.

3 Toque a trombeta na lua nova, no tempo determinado, em nosso dia de festa solene.

4 Pois isso era um estatuto para Israel e uma lei do Deus de Jacó.

5 Isto ele ordenou em José para testemunho, quando ele saía pela terra do Egito; onde ouvi uma língua que não entendia.

6 Tirei seu ombro do fardo; suas mãos foram libertadas das panelas.

7 Tu chamaste na angústia, e eu te livrei; Eu te respondi no lugar secreto do trovão; Eu te provei nas águas de Merribá. Selá.

8 Ouve, povo meu, e eu te darei testemunho; Ó Israel, se me ouvires;

9 Nenhum deus estranho estará em ti; nem adorarás nenhum deus estranho.

10 Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito; abre bem a tua boca, e eu a encherei.

11 Mas o meu povo não deu ouvidos à minha voz; e Israel não quis nada de mim.

12 Então eu os entreguei à concupiscência de seus próprios corações; e andaram em seus próprios conselhos.

13 Oh, se o meu povo me tivesse ouvido, e Israel andasse nos meus caminhos!

14 Em breve eu teria subjugado seus inimigos e voltado minha mão contra seus adversários.

15 Os odiadores do Senhor deveriam ter-se submetido a ele; mas o tempo deles deveria durar para sempre.

16 Deveria tê-los alimentado também com o melhor trigo; e com mel da rocha eu te satisfaria.


CAPÍTULO 82

Uma oração para julgamento. (Um Salmo de Asafe.)

1 Deus está na congregação dos poderosos; ele julga entre os deuses.

2 Até quando permitireis que julguem injustamente e aceitem as pessoas dos ímpios? Selá.

3 Defenda os pobres e os órfãos; fazer justiça aos aflitos e necessitados.

4 Livrai os pobres e necessitados; livrá-los da mão dos ímpios.

5 Eles não sabem, nem entenderão; eles andam na escuridão; todos os fundamentos da terra estão fora de curso.

6 Eu disse: Vós sois deuses; e todos vocês são filhos do Altíssimo.

7 Mas vós morrereis como homens, e caireis como um dos príncipes.

8 Levanta-te, ó Deus, julga a terra; porque herdarás todas as nações.


CAPÍTULO 83

Uma oração contra aqueles que oprimem. (Um Cântico ou Salmo de Asafe.)

1 Não te cales, ó Deus; não te cales, nem te cales, ó Deus.

2 Pois, eis que os teus inimigos fazem um tumulto; e os que te odeiam levantam a cabeça.

3 Deliberaram astuciosamente contra o teu povo, e consultaram os teus ocultos.

4 Eles disseram: Vinde, e acabemos com eles para que não sejam uma nação; para que o nome de Israel não seja mais lembrado.

5 Pois eles consultaram juntos com um consentimento; eles são aliados contra ti;

6 Os tabernáculos de Edom e os ismaelitas; de Moabe e dos agarenos;

7 Gebal, e Amon, e Amaleque; os filisteus com os habitantes de Tiro;

8 Assur também se juntou a eles; eles ajudaram os filhos de Ló. Selá.

9 Faça a eles como aos midianitas; quanto a Sísera, quanto a Jabin, junto ao ribeiro de Quisom;

10 Que pereceu em En-dor; tornaram-se como esterco para a terra.

11 Faça seus nobres como Oreb e como Zeeb; sim, todos os seus príncipes como Zeba e como Zalmuna;

12 Quem disse: Tomemos para nós as casas de Deus em possessão.

13 Ó meu Deus, faça-os como uma roda; como o restolho diante do vento.

14 Como o fogo queima a lenha, e como a chama incendeia os montes;

15 Assim, persegue-os com a tua tempestade, e atemoriza-os com a tua tempestade.

16 Encha seus rostos de vergonha; para que busquem o teu nome, ó Senhor.

17 Sejam eles confundidos e perturbados para sempre; sim, sejam envergonhados e pereçam.

18 Para que saibam que tu, cujo único nome é JEOVÁ, és o Altíssimo sobre toda a terra.


CAPÍTULO 84

Bem-aventurança da comunhão com Deus. (Para o principal músico em Gittith, Um Salmo para os filhos de Coré.)

1 Quão amáveis são os teus tabernáculos, ó Senhor dos exércitos!

2 Minha alma anseia, sim, até desmaia pelos átrios do Senhor; meu coração e minha carne clamam pelo Deus vivo.

3 Sim, o pardal encontrou uma casa, e a andorinha um ninho para si, onde pousará seus filhotes, sim, os teus altares, ó Senhor dos Exércitos, Rei meu e Deus meu.

4 Bem-aventurados os que habitam em tua casa; eles ainda estarão te louvando. Selá.

5 Bem-aventurado o homem cuja força está em ti; em cujo coração estão os caminhos deles.

6 Quem passa pelo vale de Baca faz dele um poço; a chuva também enche as piscinas.

7 Eles vão de força em força, cada um deles em Sião aparece diante de Deus.

8 Ó Senhor Deus dos Exércitos, ouve a minha oração; dá ouvidos, ó Deus de Jacó. Selá.

9 Eis, ó Deus nosso escudo, e contempla a face do teu ungido.

10 Pois um dia nos teus átrios vale mais do que mil. Prefiro ser porteiro na casa do meu Deus, do que habitar nas tendas da maldade.

11 Porque o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dará graça e glória; nada de bom ele negará aos que andam em retidão.

12 Ó Senhor dos exércitos, bem-aventurado o homem que em ti confia.


CAPÍTULO 85

Retorno do cativeiro predito – Reinado de justiça. (Para o Músico Chefe, Um Salmo para os filhos de Coré.)

1 Senhor, tu tens sido favorável à tua terra; trouxeste de volta o cativeiro de Jacó.

2 Tu perdoaste a iniqüidade do teu povo; tu cobriste todos os seus pecados. Selá.

3 Tiraste toda a tua ira; desviaste-te do furor da tua ira.

4 Converte-nos, ó Deus da nossa salvação, e faz cessar a tua ira contra nós.

5 Queres ficar com raiva de nós para sempre? estenderás a tua ira por todas as gerações?

6 Não nos farás reviver; para que o teu povo se regozije em ti?

7 Mostra-nos a tua misericórdia, ó Senhor, e concede-nos a tua salvação.

8 Eu ouvirei o que Deus, o Senhor, falará; porque ele falará de paz ao seu povo e aos seus santos; mas que não voltem à loucura.

9 Certamente a sua salvação está perto dos que o temem; que a glória habite em nossa terra.

10 Misericórdia e verdade se encontram; justiça e paz se beijaram.

11 A verdade brotará da terra; e a justiça olhará do céu.

12 Sim, o Senhor dará o que é bom; e a nossa terra dará a sua colheita.

13 A justiça irá adiante dele; e nos porá no caminho de seus passos.


CAPÍTULO 86

Triunfo final do governo de Deus. (Uma Oração de Davi.)

1 Inclina o teu ouvido, Senhor, ouve-me; pois sou pobre e necessitado.

2 Preserva minha alma; porque eu sou santo; Ó tu meu Deus, salva o teu servo que confia em ti.

3 Tem misericórdia de mim, ó Senhor; pois clamo a ti diariamente.

4 Alegra a alma do teu servo; porque a ti, Senhor, elevo a minha alma.

5 Pois tu, Senhor, és bom e pronto a perdoar; e abundante em misericórdia para com todos os que te invocam.

6 Dá ouvidos, ó Senhor, à minha oração; e atende à voz das minhas súplicas.

7 No dia da minha angústia, eu te invocarei; pois tu me responderás.

8 Entre os deuses não há nenhum semelhante a ti, ó Senhor; nem há obras semelhantes às tuas.

9 Todas as nações que fizeste virão e te adorarão, ó Senhor; e glorificará o teu nome.

10 Pois tu és grande e fazes maravilhas; tu és Deus sozinho.

11 Ensina-me o teu caminho, ó Senhor; andarei na tua verdade; une meu coração para temer o teu nome.

12 Eu te louvarei, Senhor meu Deus, de todo o meu coração; e glorificarei o teu nome para sempre.

13 Pois grande é a tua misericórdia para comigo; e tu livraste minha alma do inferno mais baixo.

14 Ó Deus, os soberbos se levantam contra mim, e as assembleias de homens violentos buscam a minha alma; e não te pus diante deles.

15 Mas tu, Senhor, és um Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em misericórdia e fidelidade.

16 Volta-te para mim, e tem misericórdia de mim; dá a tua força ao teu servo, e salva o filho da tua serva.

17 Mostra-me um sinal para o bem; para que o vejam os que me odeiam e se envergonhem; porque tu, Senhor, me socorreste e me consolaste.


CAPÍTULO 87

A glória de Sião. (Um Salmo ou Cântico para os filhos de Coré.)

1 Seu fundamento está nos montes santos.

2 O Senhor ama as portas de Sião mais do que todas as habitações de Jacó.

3 Coisas gloriosas são ditas de ti, ó cidade de Deus. Selá.

4 Farei menção de Raabe e Babilônia aos que me conhecem; eis a Filístia e Tiro com a Etiópia; este homem nasceu lá.

5 E de Sião se dirá: Este e aquele homem nasceu nela; e o próprio Altíssimo a estabelecerá.

6 O Senhor contará, quando escrever ao povo, que este homem nasceu ali. Selá.

7 Ali estarão os cantores e os tocadores de instrumentos; todas as minhas fontes estão em ti.


CAPÍTULO 88

Uma oração de reclamação. (Um Cântico ou Salmo para os filhos de Coré, para o principal Músico sobre Mahalath Leannoth, Maschil de Heman, o Ezraíta.)

1 Ó Senhor Deus da minha salvação, dia e noite clamo diante de ti;

2 Que minha oração chegue a ti; inclina o teu ouvido ao meu clamor;

3 Pois a minha alma está cheia de angústias; e minha vida se aproxima da sepultura.

4 Estou contado com os que descem à cova; sou como um homem que não tem força;

5 Livre entre os mortos, como os mortos que jazem na sepultura, dos quais não te lembras mais; e eles são cortados da tua mão.

6 Tu me puseste na cova mais profunda, nas trevas, nas profundezas.

7 A tua ira está dura sobre mim, e tu me afligiste com todas as tuas ondas. Selá.

8 Afastaste de mim o meu conhecido; tu me fizeste uma abominação para eles; Estou calado e não posso sair.

9 Meus olhos choram por causa da tribulação; Senhor, eu te invoco todos os dias, eu estendo minhas mãos para ti.

10 Queres fazer maravilhas aos mortos? os mortos se levantarão e te louvarão? Selá.

11 A tua benignidade será declarada na sepultura? ou tua fidelidade na destruição?

12 As tuas maravilhas serão conhecidas nas trevas? e a tua justiça na terra do esquecimento?

13 Mas a ti clamei, ó Senhor; e pela manhã minha oração te impedirá.

14 Senhor, por que rejeitas a minha alma? por que escondes de mim o teu rosto?

15 Estou aflito e pronto para morrer desde a minha juventude; enquanto sofro teus terrores estou distraído.

16 O furor da tua ira está sobre mim; teus terrores me cortaram.

17 Todos os dias me cercavam como água; eles me cercaram juntos.

18 Amante e amigo afastaste de mim, e o meu conhecido nas trevas.


CAPÍTULO 89

Deus louvou pelo estabelecimento de sua aliança. (Masquil de Etã, o Ezraíta.) 

1 Cantarei eternamente as misericórdias do Senhor, com a minha boca darei a conhecer a tua fidelidade de geração em geração.

2 Pois eu disse: A misericórdia será edificada para sempre; a tua fidelidade estabelecerás nos próprios céus.

3 Fiz aliança com o meu escolhido, jurei a Davi, meu servo.

4 A tua descendência estabelecerei para sempre, e edificarei o teu trono de geração em geração. Selá.

5 E os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor; tua fidelidade também na congregação dos santos.

6 Pois quem no céu pode ser comparado ao Senhor? Quem entre os filhos dos poderosos pode ser comparado ao Senhor?

7 Deus deve ser muito temido na assembléia dos santos e reverenciado por todos os que o cercam.

8 Ó Senhor Deus dos Exércitos, quem é um Senhor forte como tu? ou à tua fidelidade ao teu redor?

9 Tu dominas a fúria do mar; quando as suas ondas se levantam, tu as acalmas.

10 Despedaçaste a Raabe, como quem foi morto; dispersaste os teus inimigos com o teu braço forte.

11 Os céus são teus, a terra também é tua; quanto ao mundo e à sua plenitude, tu os fundaste.

12 O norte e o sul tu os criaste; Tabor e Hermon se regozijarão em teu nome.

13 Tu tens um braço poderoso; forte é a tua mão, e alta é a tua destra.

14 Justiça e juízo são a habitação do teu trono; misericórdia e verdade irão adiante de tua face.

15 Bem-aventurado o povo que conhece o som alegre; eles andarão, ó Senhor, na luz do teu semblante.

16 Em teu nome se regozijarão todo o dia; e na tua justiça serão exaltados.

17 Pois tu és a glória da sua força; e em teu favor nosso chifre será exaltado.

18 Pois o Senhor é a nossa defesa; e o Santo de Israel é nosso Rei.

19 Então falaste em visão ao teu Santo, e disseste: Auxiliei o poderoso; Eu exaltei um escolhido dentre o povo.

20 Achei Davi, meu servo; com o meu santo óleo o ungi;

21 Com quem minha mão será firmada; meu braço também o fortalecerá.

22 O inimigo não o exigirá; nem o filho da maldade o afligirá.

23 E derrotarei seus inimigos diante de sua face, e castigarei os que o odeiam.

24 Mas a minha fidelidade e a minha misericórdia estarão com ele; e em meu nome será exaltado o seu chifre.

25 Porei também a sua mão no mar, e a sua destra nos rios.

26 Ele clamará a mim: Tu és meu Pai, meu Deus, e a Rocha da minha salvação.

27 Também o farei meu primogênito, mais alto do que os reis da terra.

28 Minha misericórdia guardarei para sempre com ele, e minha aliança permanecerá firme com ele.

29 Também a sua descendência farei durar para sempre, e o seu trono como os dias do céu.

30 Se seus filhos abandonarem a minha lei e não andarem nos meus juízos;

31 Se violarem os meus estatutos e não guardarem os meus mandamentos;

32 Então castigarei a sua transgressão com vara, e a sua iniqüidade com açoites.

33 Não obstante, não tirarei dele totalmente a minha benignidade, nem permitirei que a minha fidelidade falhe.

34 Não quebrarei a minha aliança, nem alterarei o que saiu dos meus lábios.

35 Uma vez jurei pela minha santidade que não mentirei a Davi.

36 Sua descendência durará para sempre, e seu trono como o sol diante de mim.

37 Será estabelecido para sempre como a lua, e como fiel testemunha no céu. Selá.

38 Mas tu rejeitaste e abominaste, te indignaste com o teu ungido.

39 Anulaste a aliança do teu servo; profanaste a sua coroa, lançando-a por terra.

40 Derrubou todas as suas cercas; arruinaste as suas fortalezas.

41 Todos os que passam pelo caminho o estragam; ele é um opróbrio para seus vizinhos.

42 Tu levantaste a destra dos seus adversários; fizeste regozijar todos os seus inimigos.

43 Tu também viraste o fio da sua espada, e não o puseste em pé na peleja.

44 Fizeste cessar a sua glória, e lançaste por terra o seu trono.

45 Abreviaste os dias da sua mocidade; tu o cobriste de vergonha. Selá.

46 Quanto tempo, Senhor? te esconderás para sempre? a tua ira queimará como fogo?

47 Lembre-se de quão curto é o meu tempo; por que fizeste todos os homens em vão?

48 Que homem é aquele que vive e não verá a morte? ele livrará sua alma da mão da sepultura? Selá.

49 Senhor, onde estão as tuas antigas benignidades, que juraste a Davi na tua verdade?

50 Lembra-te, Senhor, do opróbrio dos teus servos; como carrego no meu seio o opróbrio de todos os poderosos;

51 Com que os teus inimigos afrontam, ó Senhor; com que têm afrontado as pegadas do teu ungido.

52 Bendito seja o Senhor para sempre. Amém, e Amém.


CAPÍTULO 90

A oração de Moisés. (Oração de Moisés, o homem de Deus.)

1 Senhor, tu tens sido a nossa morada de geração em geração.

2 Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus.

3 Tu transformas o homem em perdição; e dizes: Voltai, filhos dos homens.

4 Pois mil anos aos teus olhos são como o ontem passado, e como a vigília da noite.

5 Tu os levas como uma torrente; são como um sono; pela manhã são como a erva que cresce.

6 De manhã floresce e cresce; à tarde é cortada e seca.

7 Pois somos consumidos pela tua ira, e pela tua ira somos perturbados.

8 Tu puseste diante de ti as nossas iniquidades, os nossos pecados secretos à luz do teu semblante.

9 Pois todos os nossos dias se passaram na tua ira; passamos nossos anos como um conto que é contado.

10 Os dias de nossos anos são sessenta e dez anos; e se por causa da força eles são oitenta anos, ainda assim sua força é trabalho e tristeza; pois logo é cortado, e nós voamos para longe.

11 Quem conhece o poder da tua ira? mesmo de acordo com o teu medo, assim é a tua ira.

12 Ensina-nos, pois, a contar os nossos dias, de modo a aplicarmos o nosso coração à sabedoria.

13 Retorne-nos, ó Senhor. Até quando esconderás teu rosto de teus servos? e que se arrependam de todas as palavras duras que falaram a seu respeito.

14 Oh, satisfaz-nos cedo com a tua misericórdia; para que nos regozijemos e nos alegremos todos os nossos dias.

15 Alegra-nos pelos dias em que nos afligiste e nos anos em que vimos o mal.

16 Apareça a tua obra aos teus servos, e a tua glória a seus filhos.

17 E seja sobre nós a formosura do Senhor nosso Deus; e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim, o trabalho de nossas mãos o confirma.


CAPÍTULO 91

A segurança dos piedosos.

1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do Todo-Poderoso repousará.

2 Direi do Senhor: Ele é meu refúgio e minha fortaleza; meu Deus; nele confiarei.

3 Certamente ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa.

4 Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas estarás seguro; a sua verdade será o teu escudo e broquel.

5 Não temerás o terror noturno; nem para a flecha que voa de dia;

6 Nem da peste que anda nas trevas; nem pela destruição que assola ao meio-dia.

7 Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas não chegará perto de ti.

8 Somente com os teus olhos contemplarás e verás a recompensa dos ímpios.

9 Porque fizeste do Senhor, que é o meu refúgio, o Altíssimo, a tua habitação;

10 Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.

11 Porque aos seus anjos dará ordens a teu respeito, para que te guardem em todos os teus caminhos.

12 Eles te sustentarão em suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.

13 Pisarás o leão e a víbora; o leão novo e o dragão pisarás com os pés.

14 Porque ele se afeiçoou a mim, por isso eu o livrarei; Eu o colocarei no alto, porque ele conhece o meu nome.

15 Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; Eu o livrarei e o honrarei.

16 Com longa vida o satisfarei e lhe mostrarei a minha salvação.


CAPÍTULO 92

A bondade de Deus retratada. (Um Salmo ou Cântico para o Dia de Sábado.)

1 Bom é dar graças ao Senhor e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo;

2 Para manifestar a tua benignidade pela manhã e a tua fidelidade todas as noites,

3 Sobre um instrumento de dez cordas e sobre o saltério; sobre a harpa com um som solene.

4 Pois tu, Senhor, me alegraste com a tua obra; Eu triunfarei nas obras das tuas mãos.

5 Ó Senhor, quão grandes são as tuas obras! e teus pensamentos são muito profundos.

6 O homem bruto não sabe; nem um tolo entende isso.

7 Quando os ímpios brotarem como a erva, e quando todos os que praticam a iniqüidade florescerem; é que eles serão destruídos para sempre;

8 Mas tu, Senhor, és o Altíssimo para sempre.

9 Pois eis que os teus inimigos, ó Senhor, porque eis que os teus inimigos perecerão; todos os que praticam a iniqüidade serão dispersos.

10 Mas o meu chifre exaltarás como o chifre de um unicórnio; Serei ungido com óleo fresco.

11 Os meus olhos também verão o meu desejo sobre os meus inimigos, e os meus ouvidos ouvirão o meu desejo dos ímpios que se levantam contra mim.

12 O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro no Líbano.

13 Os que ele plantou na casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus.

14 Ainda na velhice darão frutos; eles serão gordos e florescentes;

15 Para mostrar que o Senhor é reto; ele é a minha rocha, e nele não há injustiça.


CAPÍTULO 93

A majestade e o poder de Deus.

1 O Senhor reina, ele está vestido de majestade; o Senhor está vestido de força, com que se cingiu; o mundo também está estabelecido, que não pode ser movido.

2 O teu trono está estabelecido desde a antiguidade; tu és desde a eternidade.

3 Os rios levantaram, ó Senhor, os rios levantaram a sua voz; as inundações levantam suas ondas.

4 O Senhor nas alturas é mais poderoso do que o ruído de muitas águas, sim, do que as poderosas ondas do mar.

5 Os teus testemunhos são muito seguros; a santidade convém à tua casa, ó Senhor, para sempre.


CAPÍTULO 94

O profeta, pedindo justiça, ensina a providência de Deus – A bem-aventurança da aflição.

1 Ó Senhor Deus, a quem pertence a vingança; Ó Deus, a quem a vingança pertence, mostra-te.

2 Levanta-te, ó Juiz da terra; dar uma recompensa aos orgulhosos.

3 Senhor, até quando os ímpios, até quando os ímpios triunfarão?

4 Até quando falarão e falarão coisas duras? e todos os que praticam a iniqüidade se vangloriam?

5 Despedaçam o teu povo, ó Senhor, e afligem a tua herança.

6 Matam a viúva e o estrangeiro, e assassinam o órfão.

7 Mas eles dizem: O Senhor não verá, nem o Deus de Jacó fará caso disso.

8 Compreendam, brutais entre o povo; e tolos, quando sereis sábios?

9 Quem planta a orelha, não ouvirá? aquele que formou o olho, não verá?

10 Aquele que castiga os gentios, não corrigirá? aquele que ensina conhecimento ao homem, não conhecerá?

11 O Senhor conhece os pensamentos do homem, que são vaidade.

12 Bem-aventurado o homem a quem tu castigas, ó Senhor, e o ensinas na tua lei;

13 Para que lhe dês descanso dos dias de adversidade, até que se abra a cova para os ímpios.

14 Pois o Senhor não rejeitará o seu povo; nem abandonará sua herança.

15 Mas o juízo retornará em justiça; e todos os retos de coração a seguirão.

16 Quem se levantará a meu favor contra os malfeitores? ou quem me defenderá contra os que praticam a iniqüidade?

17 A menos que o Senhor me ajudasse, minha alma quase permanecia em silêncio.

18 Quando eu disse: Meu pé escorrega; tua misericórdia, ó Senhor, me sustentou.

19 Na multidão dos meus pensamentos dentro de mim, as tuas consolações alegram a minha alma.

20 Terá comunhão contigo o trono da iniqüidade, que por lei forja o mal?

21 Eles se ajuntam contra a alma do justo e condenam o sangue inocente.

22 Mas o Senhor é a minha defesa; e meu Deus é a rocha do meu refúgio.

23 E trará sobre eles a sua própria iniqüidade, e os exterminará na sua própria maldade; sim, o Senhor nosso Deus os exterminará.


CAPÍTULO 95

Uma exortação para louvar a Deus.

1 Vinde, cantemos ao Senhor; vamos fazer um barulho jubiloso para a Rocha da nossa salvação.

2 Apresentemo-nos diante dele com ações de graças, e aclamemos-lhe com júbilo com salmos.

3 Pois o Senhor é um grande Deus e um grande Rei acima de todos os deuses.

4 Em sua mão estão as profundezas da terra; a força das colinas é dele também.

5 O mar é dele, e ele o fez; e sua mão formou a terra seca.

6 Oh, venham, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemo-nos diante do Senhor nosso criador.

7 Pois ele é o nosso Deus; e nós somos o povo do seu pasto e as ovelhas da sua mão. Hoje, se ouvirdes a sua voz,

8 Não endureçais o vosso coração, como na provocação, e como no dia da tentação no deserto;

9 Quando seus pais me tentaram, me provaram e viram minha obra.

10 Por quarenta anos fiquei triste com esta geração, e disse: É um povo que erra em seu coração, e não conhece os meus caminhos;

11 A quem jurei na minha ira que não entrariam no meu descanso.


CAPÍTULO 96

Uma exortação para louvar a Deus.

1 Oh, cante ao Senhor um novo cântico; cantai ao Senhor, toda a terra.

2 Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; mostrar sua salvação dia a dia.

3 Anunciem sua glória entre os gentios, suas maravilhas entre todos os povos.

4 Porque o Senhor é grande e digno de louvor; ele deve ser temido acima de todos os deuses.

5 Pois todos os deuses das nações são ídolos; mas o Senhor fez os céus.

6 Honra e majestade estão diante dele; força e beleza estão em seu santuário.

7 Dai ao Senhor, ó tribos do povo, dai ao Senhor glória e força.

8 Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazer uma oferta, e entrar em seus átrios.

9 Adore o Senhor na beleza da santidade; temer diante dele, toda a terra.

10 Dizei entre os gentios que o Senhor reina; o mundo também será

estabelecido que não será movido; ele julgará o povo com justiça.

11 Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; brame o mar e a sua plenitude.

12 Alegre-se o campo e tudo o que nele há; então se regozijarão todas as árvores do bosque.

13 Diante do Senhor; porque ele vem, porque ele vem julgar a terra; ele julgará o mundo com justiça, e os povos com a sua verdade.


CAPÍTULO 97

A majestade do poder de Deus.

1 O Senhor reina; regozije-se a terra; regozije-se com isso a multidão das ilhas.

2 Nuvens e trevas estão ao redor dele; justiça e juízo são a habitação do seu trono.

3 Um fogo vai adiante dele, e queima seus inimigos ao redor.

4 Seus relâmpagos iluminaram o mundo; a terra viu e estremeceu.

5 Os montes derreteram-se como cera na presença do Senhor, na presença do Senhor de toda a terra.

6 Os céus declaram a sua justiça, e todo o povo vê a sua glória.

7 Confundidos sejam todos os que servem imagens de escultura, que se gabam de ídolos; adorai-o, todos os deuses.

8 Sião ouviu e se alegrou; e as filhas de Judá se alegraram por causa dos teus juízos, ó Senhor.

9 Pois tu, Senhor, estás acima de toda a terra; tu és exaltado muito acima de todos os deuses.

10 Vós que amais o Senhor, detestai o mal; ele preserva as almas de seus santos; ele os livra das mãos dos ímpios.

11 Semeia-se luz para os justos e alegria para os retos de coração.

12 Alegrai-vos no Senhor, ó justos; e dar graças na lembrança de sua santidade.


CAPÍTULO 98

Todas as criaturas exortadas a louvar a Deus. (Um Salmo.)

1 Oh, cante ao Senhor um novo cântico; porque ele fez coisas maravilhosas; a sua destra e o seu braço santo lhe deram a vitória.

2 O Senhor deu a conhecer a sua salvação; sua justiça ele mostrou abertamente aos olhos dos pagãos.

3 Lembrou-se da sua misericórdia e da sua fidelidade para com a casa de Israel; todos os confins da terra viram a salvação do nosso Deus.

4 Clamem com júbilo ao Senhor, toda a terra; façam barulho, regozijem-se e cantem louvores.

5 Cantem ao Senhor com a harpa; com a harpa e a voz de um salmo.

6 Com trombetas e som de corneta, façam um barulho de júbilo perante o Senhor, o Rei.

7 Rume o mar e a sua plenitude; o mundo e os que nele habitam.

8 Batam palmas os rios; deixe as colinas serem alegres juntas

9 Diante do Senhor; pois ele vem para julgar a terra; com justiça julgará o mundo, e os povos com eqüidade.


CAPÍTULO 99

Deus seja louvado em Sião.

1 O Senhor reina; deixe o povo tremer; ele está sentado entre os querubins; que a terra se mova.

2 Grande é o Senhor em Sião; e ele está acima de todas as pessoas.

3 Louvem o teu grande e terrível nome; pois é santo.

4 A força do rei também ama o julgamento; tu estabeleces a equidade, executas juízo e justiça em Jacó.

5 Exaltai ao Senhor nosso Deus, e adorai-o ao escabelo de seus pés; pois ele é santo.

6 Moisés e Arão entre os seus sacerdotes, e Samuel entre os que invocam o seu nome; invocaram o Senhor, e ele lhes respondeu.

7 Falou-lhes na coluna de nuvem; guardaram os seus testemunhos e a ordenança que lhes deu.

8 Tu lhes respondeste, ó Senhor nosso Deus; foste um Deus que os perdoou, embora te vingasses de suas invenções.

9 Exaltai o Senhor nosso Deus, e adorai no seu santo monte, porque o Senhor nosso Deus é santo.


CAPÍTULO 100

Uma exortação para louvar a Deus com alegria. (Um Salmo de louvor.)

1 Louvai com júbilo ao Senhor, todas as terras.

2 Servi ao Senhor com alegria; venha antes de sua presença com canto.

3 Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós mesmos; somos o seu povo e as ovelhas do seu pasto.

4 Entrem nas suas portas com ação de graças, e nos seus átrios com louvor; seja grato a ele, e bendiga o seu nome.

5 Pois o Senhor é bom; sua misericórdia é eterna; e a sua verdade dura de geração em geração.


CAPÍTULO 101

Davi faz profissão de piedade. (Um Salmo de Davi.)

1 Cantarei a misericórdia e o juízo; a ti, Senhor, cantarei.

2 Eu me comportarei com sabedoria de maneira perfeita. Oh, quando você virá a mim? Eu vou andar dentro da minha casa com um coração perfeito.

3 Não porei nenhum mal diante dos meus olhos; Eu odeio o trabalho dos que se desviam; não se apegará a mim.

4 Um coração perverso se apartará de mim; Eu não conhecerei uma pessoa má.

5 Quem caluniar secretamente o seu próximo, eu o exterminarei; aquele que tem olhar altivo e coração orgulhoso não o sofrerei.

6 Os meus olhos estarão sobre os fiéis da terra, para que habitem comigo; aquele que anda no caminho perfeito, esse me servirá.

7 Quem pratica o engano não habitará em minha casa; aquele que conta mentiras não tardará diante de mim.

8 Destruirei cedo todos os ímpios da terra; para que eu possa exterminar todos os malfeitores da cidade do Senhor.


CAPÍTULO 102

Conforto na eternidade e misericórdia de Deus. (Uma oração do aflito, quando ele está sobrecarregado, e derrama sua queixa diante do Senhor.)

1 Ouve a minha oração, ó Senhor, e deixa que o meu clamor chegue a ti.

2 Não escondas de mim o teu rosto no dia em que estiver na angústia; inclina os teus ouvidos para mim; no dia em que eu chamo atende-me rapidamente.

3 Pois os meus dias se consomem como fumaça, e os meus ossos são queimados como uma lareira.

4 Meu coração está ferido e secou como a erva; para que eu me esqueça de comer o meu pão.

5 Por causa da voz do meu gemido, meus ossos se apegam à minha pele.

6 Sou como o pelicano do deserto; Sou como uma coruja do deserto.

7 Eu observo e sou como um pardal sozinho no telhado.

8 Meus inimigos me zombam o dia todo; e os que estão loucos contra mim juram contra mim.

9 Pois comi cinza como pão, e misturei minha bebida com choro,

10 Por causa da tua indignação e da tua ira; porque tu me levantaste e me derrubaste.

11 Os meus dias são como uma sombra que declina; e estou seco como a grama.

12 Mas tu, Senhor, durarás para sempre; e a tua memória de geração em geração.

13 Levantar-se-á e terá misericórdia de Sião; pois o tempo de favorecê-la, sim, o tempo estabelecido, chegou.

14 Porque os teus servos se comprazem nas suas pedras, e se comprazem com o seu pó.

15 Assim os gentios temerão o nome do Senhor, e todos os reis da terra a tua glória.

16 Quando o Senhor edificar a Sião, aparecerá na sua glória.

17 Ele atenderá à oração do necessitado, e não desprezará a sua oração.

18 Isto será escrito para a geração vindoura; e o povo que se ajuntar louvará ao Senhor.

19 Porque olhou do alto do seu santuário; do céu o Senhor contemplou a terra;

20 Para ouvir o gemido do preso; para soltar aqueles que são designados para a morte;

21 Para proclamar o nome do Senhor em Sião, e o seu louvor em Jerusalém;

22 Quando o povo estiver reunido e os reinos para servir ao Senhor.

23 Ele enfraqueceu minha força no caminho; ele encurtou meus dias.

24 Eu disse: ó meu Deus, não me leve embora no meio dos meus dias; os teus anos são por todas as gerações.

25 Desde a antiguidade fundaste a terra; e os céus são obra das tuas mãos.

26 Eles perecerão, mas tu perseverarás; sim, todos eles envelhecerão como uma vestimenta; como uma vestimenta os mudarás, e eles serão mudados;

27 Mas tu és o mesmo, e os teus anos não terão fim.

28 Os filhos dos teus servos continuarão, e a sua descendência será estabelecida diante de ti.


CAPÍTULO 103

Uma exortação para louvar a Deus por sua misericórdia. (Um Salmo de Davi.)

1 Bendizei ao Senhor, ó minha alma; e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome.

2 Bendizei ao Senhor, ó minha alma, e não vos esqueçais de todos os seus benefícios;

3 que perdoa todas as tuas iniqüidades; que cura todas as tuas doenças;

4 Quem redime a tua vida da destruição; que te coroa com benevolência e ternas misericórdias;

5 Quem farta a tua boca de coisas boas; para que a tua mocidade se renove como a da águia.

6 O Senhor executa justiça e juízo para todos os oprimidos.

7 Deu a conhecer os seus caminhos a Moisés, os seus atos aos filhos de Israel.

8 O Senhor é misericordioso e misericordioso, tardio em irar-se e grande em misericórdia.

9 Ele nem sempre repreenderá; nem guardará sua ira para sempre.

10 Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades.

11 Porque, como o céu se eleva acima da terra, tão grande é a sua misericórdia para com os que o temem.

12 Tanto quanto o oriente está do ocidente, tanto ele removeu nossas transgressões de nós.

13 Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece daqueles que o temem.

14 Pois ele conhece nossa estrutura; ele se lembra de que somos pó.

15 Quanto ao homem, seus dias são como a erva; como a flor do campo, assim floresce.

16 Porque o vento passa por ela, e se vai, e o seu lugar não a conhecerá mais.

17 Mas a misericórdia do Senhor é de eternidade a eternidade para os que o temem, e a sua justiça para os filhos dos filhos;

18 Aos que guardam a sua aliança e aos que se lembram dos seus mandamentos para os cumprir.

19 O Senhor preparou o seu trono nos céus; e o seu reino domina sobre todos.

20 Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que guardais os seus mandamentos, obedecendo à voz da sua palavra.

21 Bendizei ao Senhor, todos os seus exércitos; vós ministros dele que fazem o seu prazer.

22 Bendizei ao Senhor, todas as suas obras em todos os lugares do seu domínio; bendiga ao Senhor, ó minha alma.


CAPÍTULO 104

Meditações sobre o poder, providência e glória de Deus.

1 Bendizei ao Senhor, ó minha alma. Ó Senhor meu Deus, tu és muito grande; tu estás vestido de poder e majestade;

2 que te cobres de luz como de um manto; que estendes os céus como uma cortina;

3 Quem põe as vigas de seus aposentos nas águas; quem faz das nuvens sua carruagem; que anda nas asas do vento;

4 Quem faz seus anjos espíritos; seus ministros um fogo flamejante;

5 Quem lançou os fundamentos da terra, para que ela não fosse removida para sempre.

6 Tu o cobriste com o abismo como com um manto; as águas estavam acima das montanhas.

7 À tua repreensão fugiram, à voz do teu trovão se precipitaram.

8 Eles sobem pelos montes; eles descem pelos vales até o lugar que tu lhes fundaste.

9 Tu puseste um limite para que não passassem; que não voltem a cobrir a terra.

10 Ele envia as fontes para os vales, que correm entre as colinas.

11 Eles dão de beber a todos os animais do campo; os jumentos selvagens saciam sua sede.

12 Nelas habitarão as aves do céu, que cantam entre os ramos.

13 Ele rega os montes de seus aposentos; a terra se farta do fruto das tuas obras.

14 Faz crescer a erva para o gado, e a erva para o serviço do homem; para que faça brotar alimento da terra;

15 E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz resplandecer o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem.

16 As árvores do Senhor estão cheias de seiva; os cedros do Líbano, que ele plantou;

17 Onde os pássaros fazem seus ninhos; quanto à cegonha, os abetos são a sua casa.

18 Os altos montes são refúgio para os bodes selvagens; e as rochas para as pinhas.

19 Ele designou a lua para as estações; o sol sabe que ele se põe.

20 Tu fazes trevas, e é noite; onde todos os animais da floresta rastejam.

21 Os leõezinhos rugem atrás de sua presa, e buscam sua comida de Deus.

22 Nasce o sol, eles se ajuntam e os deitam em seus covis.

23 O homem sai para o seu trabalho e para o seu trabalho até a tarde.

24 Ó Senhor, quão múltiplas são as tuas obras! com sabedoria os fizeste a todos; a terra está cheia das tuas riquezas.

25 Assim é este grande e largo mar, onde se movem inumeráveis animais, tanto pequenos como grandes animais.

26 Lá vão os navios; e tu fizeste o leviatã para brincar nele.

27 Estes esperam tudo em ti; para que lhes dês o seu mantimento a seu tempo.

28 que tu os dás, eles ajuntam; abres a tua mão, eles estão cheios de coisas boas.

29 Escondes o teu rosto, eles estão perturbados; tiras-lhes o fôlego, morrem e voltam ao pó.

30 Envias o teu Espírito, eles são criados; e renovas a face da terra.

31 A glória do Senhor durará para sempre; o Senhor se regozijará em suas obras.

32 Ele olha para a terra, e ela treme; ele toca os montes, e eles fumegam.

33 Cantarei ao Senhor enquanto viver; Eu cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir.

34 Minha meditação nele será doce; me alegrarei no Senhor.

35 Sejam consumidos da terra os pecadores, e não existam mais os ímpios. Bendizei ao Senhor, ó minha alma. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 105

A providência de Deus sobre Israel.

1 Oh, dai graças ao Senhor; invocar o seu nome; dar a conhecer os seus feitos entre o povo.

2 Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; fale de todas as suas obras maravilhosas.

3 Gloriai-vos em seu santo nome; regozije-se o coração dos que buscam ao Senhor.

4 Buscai ao Senhor e à sua força; buscar seu rosto cada vez mais.

5 Lembrai-vos das maravilhas que ele fez; as suas maravilhas e os juízos da sua boca;

6 Vós, descendência de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seu escolhido.

7 Ele é o Senhor nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra.

8 Lembra-se para sempre da sua aliança, da palavra que prescreveu para mil gerações.

9 Aliança que fez com Abraão e seu juramento a Isaque;

10 E confirmou o mesmo a Jacó por lei, e a Israel por aliança perpétua;

11 Dizendo: A ti darei a terra de Canaã, a parte da tua herança;

12 Quando eram poucos homens em número; sim, muito poucos, e estranhos nele.

13 Quando passavam de uma nação para outra, de um reino para outro povo;

14 Ele não permitiu que ninguém os cometesse mal; sim, ele reprovou os reis por causa deles;

15 Dizendo: Não toque no meu ungido, e não faça mal aos meus profetas.

16 Além disso, chamou a fome sobre a terra; ele partiu todo o cajado de pão.

17 Enviou adiante deles um homem, José, que foi vendido como servo;

18 Cujos pés feriram com grilhões; ele foi colocado em ferro;

19 Até o tempo em que veio a sua palavra; a palavra do Senhor o provou.

20 O rei o mandou e o soltou; mesmo o governante do povo, e deixá-lo ir livre.

21 Ele o constituiu senhor de sua casa e governante de todos os seus bens;

22 Para amarrar seus príncipes a seu bel prazer; e ensinar sabedoria aos seus senadores.

23 Israel também entrou no Egito; e Jacó peregrinou na terra de Cam.

24 E ele aumentou muito o seu povo; e os fez mais fortes que seus inimigos.

25 Ele converteu o coração deles para odiar seu povo, para tratar sutilmente com seus servos.

26 Enviou a Moisés, seu servo; e Arão, a quem ele havia escolhido.

27 Mostraram entre eles os seus sinais e maravilhas na terra de Cam.

28 Ele enviou a escuridão, e a escureceu; e não se rebelaram contra a sua palavra.

29 Ele transformou suas águas em sangue, e matou seus peixes.

30 A sua terra produziu rãs em abundância, nas câmaras dos seus reis.

31 Ele falou, e vieram várias espécies de moscas e piolhos em todas as suas costas.

32 Deu-lhes saraiva por chuva e chamas de fogo na sua terra.

33 Feriu também as suas vinhas e as suas figueiras; e quebrar as árvores de suas costas.

34 Ele falou, e vieram gafanhotos, e lagartas, e isso sem número,

35 E comeram todas as ervas da sua terra, e devoraram o fruto da sua terra.

36 Feriu também todos os primogênitos da sua terra, os chefes de todas as suas forças.

37 Ele os trouxe também com prata e ouro; e não havia uma pessoa fraca entre suas tribos.

38 O Egito alegrou-se quando eles partiram; porque o medo deles caiu sobre eles.

39 Ele estendeu uma nuvem por cobertura; e fogo para iluminar a noite.

40 O povo pediu, e ele trouxe codornizes, e os saciou com o pão do céu.

41 Ele abriu a rocha, e as águas jorraram; corriam nos lugares secos como um rio.

42 Pois ele se lembrou de sua santa promessa a Abraão, seu servo.

43 E deu à luz o seu povo com alegria, e os seus escolhidos com alegria;

44 E deu-lhes as terras dos gentios; e herdaram o trabalho do povo;

45 Para que observem os seus estatutos e guardem as suas leis. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 106

A história da rebelião de Israel e a misericórdia de Deus.

1 Louvai ao Senhor. Oh, dê graças ao Senhor; porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre.

2 Quem pode proferir os atos poderosos do Senhor? quem pode mostrar todo o seu louvor?

3 Bem-aventurados os que guardam o juízo, e aquele que pratica a justiça em todo o tempo.

4 Lembra-te de mim, Senhor, com o favor do teu povo; oh visita-me com tua salvação;

5 Para que eu veja o bem dos teus escolhidos, para que me regozije com a alegria da tua nação, para que me glorie com a tua herança.

6 Pecamos com nossos pais, cometemos iniqüidade, procedemos mal.

7 Nossos pais não entenderam as tuas maravilhas no Egito; não se lembraram da multidão das tuas misericórdias; mas te provocou no mar, no mar Vermelho.

8 No entanto, ele os salvou por amor do seu nome, para tornar conhecido o seu grande poder.

9 Ele repreendeu também o mar Vermelho, e secou-se; assim os conduziu pelas profundezas, como pelo deserto.

10 E ele os salvou da mão daquele que os odiava, e os resgatou da mão do inimigo.

11 E as águas cobriram seus inimigos; não sobrou nenhum deles.

12 Então acreditaram nas suas palavras; eles cantaram seu louvor.

13 Eles logo esqueceram suas obras; eles não esperaram por seu conselho;

14 Mas cobiçou muito no deserto e tentou a Deus no ermo.

15 E atendeu-lhes o pedido; mas enviou magreza em sua alma.

16 Também invejaram Moisés no arraial, e Arão, o santo do Senhor.

17 A terra se abriu e engoliu Datã, e cobriu a companhia de Abirão.

18 E acendeu-se um fogo na companhia deles; a chama queimou os ímpios.

19 Fizeram um bezerro em Horebe e adoraram a imagem de fundição.

20 Assim eles mudaram a sua glória para a semelhança de um boi que come erva.

21 Esqueceram-se de Deus, seu salvador, que fizera grandes coisas no Egito;

22 Prodígios na terra de Cão, e coisas terríveis junto ao mar Vermelho.

23 Por isso ele disse que os destruiria, se Moisés, seu escolhido, não estivesse diante dele na brecha, para desviar sua ira, para que não os destruísse.

24 Sim, desprezaram a terra aprazível, não deram crédito à sua palavra;

25 Mas murmuraram nas suas tendas e não deram ouvidos à voz do Senhor.

26 Por isso levantou a mão contra eles, para derrubá-los no deserto;

27 Para derrubar também a sua descendência entre as nações, e espalhá-la pelas terras.

28 Ajuntaram-se também a Baal-Peor e comeram os sacrifícios dos mortos.

29 Assim o provocaram à ira com suas invenções; e a praga os atingiu.

30 Então se levantou Finéias e executou o julgamento; e assim a praga foi detida.

31 E isso lhe foi imputado como justiça de geração em geração para sempre.

32 Também o indignaram com as águas da contenda, de modo que foi mal a Moisés por causa deles;

33 Porque eles provocaram o seu espírito, de modo que ele falou imprudentemente com os seus lábios.

34 Eles não destruíram as nações, a respeito das quais o Senhor lhes ordenou;

35 Mas se misturaram com os gentios, e aprenderam as suas obras.

36 E serviram aos seus ídolos; que eram um laço para eles.

37 Sim, eles sacrificaram seus filhos e suas filhas a demônios,

38 E derramaram sangue inocente, sim, o sangue de seus filhos e de suas filhas, que sacrificaram aos ídolos de Canaã; e a terra foi poluída com sangue.

39 Assim se contaminaram com suas próprias obras, e se prostituíram com suas próprias invenções.

40 Por isso se acendeu a ira do Senhor contra o seu povo, de modo que abominou a sua própria herança.

41 E os entregou nas mãos dos gentios; e os que os odiavam dominavam sobre eles.

42 Seus inimigos também os oprimiram, e eles foram subjugados sob suas mãos.

43 Muitas vezes ele os livrou; mas eles o provocaram com seus conselhos e foram abatidos por sua iniqüidade.

44 No entanto, ele considerou a sua aflição, quando ouviu o seu clamor;

45 E lembrou-se por eles da sua aliança, e poupou o seu povo segundo a multidão das suas misericórdias.

46 Também os fez compadecidos de todos os que os levaram cativos.

47 Salva-nos, Senhor nosso Deus, e reúne-nos dentre os gentios, para darmos graças ao teu santo nome e triunfarmos no teu louvor.

48 Bendito seja o Senhor Deus de Israel de eternidade a eternidade; e que todo o povo diga: Amém. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 107

A multiforme providência de Deus ilustrada. 

1 Oh, dai graças ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre.

2 Assim o digam os remidos do Senhor, a quem ele remiu da mão do inimigo;

3 E os ajuntaram das terras do oriente e do ocidente, do norte e do sul.

4 Andaram solitários pelo deserto; não encontraram cidade para habitar.

5 Com fome e sede, sua alma desfaleceu neles.

6 Então clamaram ao Senhor na sua angústia, e ele os livrou das suas angústias.

7 E os conduziu pelo caminho certo, para que fossem a uma cidade de habitação.

8 Ah, se os homens louvassem ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

9 Pois ele sacia a alma sedenta e enche de bens a alma faminta.

10 Os que estão sentados nas trevas e na sombra da morte, presos em aflição e ferro;

11 Porque se rebelaram contra as obras de Deus e desprezaram o conselho do Altíssimo;

12 Por isso derribou-lhes o coração com trabalho; eles caíram, e não havia ninguém para ajudar.

13 Então clamaram ao Senhor na sua angústia, e ele os livrou das suas angústias.

14 Ele os tirou das trevas e da sombra da morte, e quebrou as suas ataduras.

15 Oh, se os homens louvassem ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

16 Porque quebrou as portas de bronze, e cortou os ferrolhos de ferro.

17 Tolos, por causa de sua transgressão e por causa de suas iniqüidades, são afligidos.

18 A sua alma abomina todo tipo de comida; e eles se aproximam das portas da morte.

19 Então clamam ao Senhor na sua angústia, e ele os livra das suas angústias.

20 Ele enviou a sua palavra, e os curou, e os livrou de sua destruição.

21 Ah, se os homens louvassem ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

22 E ofereçam sacrifícios de ação de graças, e anunciem com alegria as suas obras.

23 Os que descem ao mar em navios, que fazem negócios nas grandes águas;

24 Estes vêem as obras do Senhor e as suas maravilhas nas profundezas.

25 Porque ele manda, e levanta o vento tempestuoso, que levanta as suas ondas.

26 Eles sobem ao céu, descem novamente às profundezas; sua alma está derretida por causa de problemas.

27 Eles cambaleiam de um lado para o outro, cambaleiam como um bêbado, e ficam sem juízo.

28 Então clamam ao Senhor na sua angústia, e ele os livra das suas angústias.

29 Ele acalma a tempestade, para que suas ondas se acalmem.

30 Então eles se alegram porque estão quietos; assim ele os traz ao porto desejado.

31 Por isso os homens louvariam ao Senhor por sua bondade e por suas maravilhas para com os filhos dos homens!

32 Exaltem-no também na congregação do povo, e louvem-no na assembléia dos anciãos.

33 Ele converte os rios em deserto, e as fontes em terra seca;

34 Uma terra frutífera em esterilidade, por causa da maldade dos que nela habitam.

35 Ele transforma o deserto em águas paradas, e a terra seca em mananciais.

36 E ali faz habitar os famintos, para que preparem uma cidade para habitação;

37 E semeie os campos e plante vinhas, que dêem frutos abundantes.

38 Ele também os abençoa, de modo que eles se multiplicam grandemente; e não permite que seu gado diminua.

39 Novamente, eles são reduzidos e humilhados pela opressão, aflição e tristeza.

40 Ele lança desprezo sobre os príncipes, e os faz vaguear pelo deserto, onde não há caminho.

41 No entanto, ele tira o pobre da aflição, e faz dele famílias como um rebanho.

42 Os justos verão isso e se alegrarão; e toda a iniqüidade tapará a sua boca.

43 Quem é sábio, e observar estas coisas, entenderá a benignidade do Senhor.


CAPÍTULO 108

A confiança de Davi na ajuda de Deus. (Um Cântico ou Salmo de Davi.)

1 Ó Deus, meu coração está firme; Cantarei e louvarei, mesmo com a minha glória.

2 Despertai, saltério e harpa; Eu mesmo vou acordar cedo.

3 Eu te louvarei, ó Senhor, no meio do povo; e cantar-te-ei louvores entre as nações.

4 Pois a tua misericórdia é grande acima dos céus; e tua verdade chega até as nuvens.

5 Sê exaltado, ó Deus, acima dos céus; e tua glória sobre toda a terra;

6 Para que o teu amado seja libertado; salva com a tua mão direita, e responde-me.

7 Deus falou em sua santidade; Regozijar-me-ei, dividirei Siquém e recortarei o vale de Sucote.

8 Gileade é minha; Manassés é meu; Efraim também é a força da minha cabeça; Judá é meu legislador;

9 Moabe é minha vasilha; sobre Edom lançarei fora o meu sapato; sobre a Filístia triunfarei.

10 Quem me levará à cidade forte? quem me conduzirá a Edom?

11 Não queres tu, ó Deus, que nos rejeitaste? e não irás tu, ó Deus, com nossos exércitos?

12 Ajuda-nos na angústia; pois vã é a ajuda do homem.

13 Por meio de Deus faremos proezas; pois ele é que pisará nossos inimigos.


CAPÍTULO 109

Davi reclama dos inimigos de Deus – ora contra eles. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Não te cales, ó Deus do meu louvor;

2 Pois a boca do ímpio e a boca do enganoso estão abertas contra mim; falaram contra mim com língua mentirosa.

3 Cercaram-me; também falaram contra mim com palavras de ódio; e lutou contra mim sem causa.

4 E, apesar do meu amor, eles são meus adversários; mas continuarei em oração por eles.

5 E me deram o mal pelo bem, e o ódio pelo meu amor.

6 Põe sobre eles um ímpio; e que Satanás fique à sua direita.

7 Quando forem julgados, sejam condenados; e deixe sua oração se tornar pecado.

8 Sejam poucos os seus dias; deixe outro tomar seu escritório.

9 Que seus filhos sejam órfãos; e suas esposas viúvas.

10 Sejam seus filhos continuamente vagabundos e mendigam; procurem também nos seus lugares desertos.

11 Que o extorsionário pegue tudo o que eles têm; e deixe o estranho estragar seu trabalho.

12 Que não haja quem lhes seja misericordioso; nem haja quem favoreça seus filhos órfãos.

13 Que sua posteridade seja exterminada na geração seguinte; que seus nomes sejam apagados.

14 Que a iniqüidade de seus pais seja lembrada perante o Senhor; e não se apague o pecado de suas mães.

15 Estejam eles continuamente diante do Senhor, para que desapareça da terra a memória deles.

16 Porque eles se lembraram de não usar de misericórdia, mas perseguiram o pobre e o necessitado, para matarem os quebrantados de coração.

17 Como eles amavam amaldiçoar, assim venha sobre eles; como eles não se deleitavam em abençoar, que isso esteja longe deles.

18 Assim como se revestiram de maldição como de suas vestes, assim ela entre em suas entranhas como água, e como óleo em seus ossos.

19 Seja para eles como uma roupa que os cobre e como um cinto com que estão continuamente cingidos.

20 Esta será a recompensa dos meus adversários, da parte do Senhor; e daqueles que falam mal contra a minha alma.

21 Mas livra-me, Senhor meu Deus, por amor do teu nome; porque a tua misericórdia é boa, portanto, livra-me.

22 Pois sou pobre e necessitado, e meu coração está ferido dentro de mim.

23 Eu fui como a sombra quando declina; Sou jogado para cima e para baixo como o gafanhoto.

24 Meus joelhos estão fracos por causa do jejum; e minha carne desfalece de gordura.

25 Tornei-me também um opróbrio para eles; quando eles olharam para mim, eles balançaram a cabeça.

26 Ajuda-me, Senhor meu Deus; oh salva-me de acordo com tua misericórdia;

27 Para que saibam que esta é a tua mão; que tu, Senhor, o fizeste.

28 Que eles amaldiçoem, mas abençoe tu; quando se levantarem, sejam envergonhados; mas regozije-se o teu servo.

29 Vistam-se de vergonha os meus adversários; e que eles se cubram com sua própria confusão, como com um manto.

30 Louvarei grandemente ao Senhor com a minha boca; sim, eu o louvarei no meio da multidão.

31 Pois ele estará à direita do pobre, para salvá-lo daqueles que condenam a sua alma.


CAPÍTULO 110

O reino, sacerdócio e conquista de Cristo. (Um Salmo de Davi.)

1 Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés.

2 O Senhor enviará de Sião a vara da tua força; governa no meio dos teus inimigos.

3 O teu povo estará pronto no dia do teu poder, nas belezas da santidade desde o ventre da alva; tens o orvalho da tua mocidade.

4 Jurou o Senhor e não se arrependerá: Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.

5 O Senhor à tua direita ferirá os reis no dia da sua ira.

6 Ele julgará entre os gentios, encherá suas ruas com seus cadáveres; ele ferirá as cabeças sobre muitos países.

7 Beberá do ribeiro do caminho; por isso levantará a cabeça.


CAPÍTULO 111

Os homens devem louvar a Deus por suas obras gloriosas e graciosas.

1 Louvai ao Senhor. Eu louvarei ao Senhor de todo o meu coração, na assembleia dos justos e na congregação.

2 Grandes são as obras do Senhor, procuradas por todos os que nelas se comprazem.

3 Sua obra é honrosa e gloriosa; e a sua justiça dura para sempre.

4 Ele fez suas maravilhas serem lembradas; o Senhor é misericordioso e cheio de compaixão.

5 Deu mantimento aos que o temem; ele sempre se lembrará de sua aliança.

6 Mostrou ao seu povo o poder das suas obras, para lhes dar a herança dos gentios.

7 As obras das suas mãos são verdade e juízo; todos os seus mandamentos são certos.

8 Eles permanecem firmes para todo o sempre, e são feitos em verdade e retidão.

9 Ele enviou redenção ao seu povo; ele ordenou sua aliança para sempre; santo e reverendo é o seu nome.

10 O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; bom entendimento têm todos os que cumprem os seus mandamentos; o seu louvor dura para sempre.


CAPÍTULO 112

A piedade tem as promessas desta vida e da vida futura.

1 Louvai ao Senhor, bem-aventurado o homem que teme ao Senhor e se deleita muito em seus mandamentos.

2 Sua semente será poderosa na terra; a geração dos justos será abençoada.

3 Riquezas e riquezas haverá na sua casa; e a sua justiça dura para sempre.

4 Aos retos nasce luz nas trevas; ele é misericordioso, cheio de compaixão e justo.

5 O homem bom mostra graça e empresta; ele guiará seus negócios com discrição.

6 Certamente ele não será movido para sempre; os justos serão lembrados para sempre.

7 Ele não temerá as más notícias; seu coração está firme, confiando no Senhor.

8 Seu coração está firme, ele não temerá, até que veja o julgamento executado sobre seus inimigos.

9 Espalhou, deu aos pobres; a sua justiça dura para sempre; seu chifre será exaltado com honra.

10 Os ímpios o verão e se entristecerão; ele rangerá os dentes e se derreterá; o desejo dos ímpios perecerá.


CAPÍTULO 113

Uma exortação para louvar a Deus por sua excelência.

1 Louvai ao Senhor. Louvai, ó servos do Senhor, louvai o nome do Senhor.

2 Bendito seja o nome do Senhor desde agora e para sempre.

3 Desde o nascente do sol até o poente do mesmo seja louvado o nome do Senhor.

4 O Senhor está acima de todas as nações, e sua glória acima dos céus.

5 Quem é semelhante ao Senhor nosso Deus, que habita nas alturas,

6 Quem se humilha para ver as coisas que estão nos céus e na terra!

7 Ele levanta do pó o pobre, e do monturo ergue o necessitado;

8 Para que o ponha com os príncipes, sim, com os príncipes do seu povo.

9 Ele faz a mulher estéril cuidar da casa e ser uma alegre mãe de filhos. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 114

Uma exortação a temer a Deus.

1 Quando Israel saiu do Egito, a casa de Jacó de um povo de língua estranha;

2 Judá era seu santuário, e Israel seu domínio.

3 O mar viu e fugiu; Jordan foi expulso.

4 Os montes saltavam como carneiros, e as pequenas colinas como cordeiros.

5 O que te afligiu, ó mar, que fugiste? tu, Jordão, que foste rechaçado?

6 Vós, montes, que salteis como carneiros; e vós, pequenas colinas, como cordeiros?

7 Treme, ó terra, na presença do Senhor, na presença do Deus de Jacó;

8 Que transformou a rocha em água parada, a pederneira em fonte de águas.


CAPÍTULO 115

Deus é verdadeiramente glorioso, e os ídolos são vaidade.

1 Não a nós, Senhor, não a nós, mas ao teu nome seja a glória, por amor da tua misericórdia e da tua verdade.

2 Por que os gentios devem dizer: Onde está agora o seu Deus?

3 Mas o nosso Deus está nos céus; ele fez tudo o que lhe agradou.

4 Seus ídolos são prata e ouro, obra das mãos dos homens.

5 Eles têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem;

6 Eles têm ouvidos, mas não ouvem; narizes têm, mas não cheiram;

7 Eles têm mãos, mas não apalpam; pés têm, mas não andam; nem falam eles pela garganta.

8 Os que os fazem são semelhantes a eles; assim é todo aquele que neles confia.

9 Ó Israel, confia no Senhor; ele é teu auxílio e teu escudo.

10 Casa de Arão, confia no Senhor; ele é teu auxílio e teu escudo.

11 Vós que temeis ao Senhor, confiai no Senhor; ele é sua ajuda e seu escudo.

12 O Senhor se lembrou de nós; ele nos abençoará; ele abençoará a casa de Israel; ele abençoará a casa de Arão.

13 Ele abençoará os que temem ao Senhor, tanto pequenos como grandes.

14 O Senhor te fará crescer cada vez mais, você e seus filhos.

15 Bem-aventurados sois do Senhor que fez o céu e a terra.

16 Os céus, sim, os céus são do Senhor; mas a terra ele deu aos filhos dos homens.

17 Os mortos não louvam ao Senhor, nem os que descem ao silêncio.

18 Mas nós abençoaremos o Senhor desde agora e para sempre. Louve o Senhor.


CAPÍTULO 116

O salmista professa seu amor e dever para com Deus por sua libertação.

1 Amo o Senhor, porque ele ouviu a minha voz e as minhas súplicas.

2 Porque inclinou para mim os seus ouvidos, invocarei-o enquanto viver.

3 As dores da morte me cercaram, e as dores do inferno se apoderaram de mim; Encontrei problemas e tristezas.

4 Então invoquei o nome do Senhor; Ó Senhor, eu te suplico, livra minha alma.

5 Gracioso é o Senhor e justo; sim, nosso Deus é misericordioso.

6 O Senhor preserva os simples; Eu fui derrubado, e ele me ajudou.

7 Volta para o teu descanso, ó minha alma; porque o Senhor te tratou generosamente.

8 Pois tu livraste a minha alma da morte, os meus olhos das lágrimas e os meus pés da queda.

9 Andarei diante do Senhor na terra dos viventes.

10 Eu acreditei, por isso falei; Eu estava muito aflito;

11 Eu disse na minha pressa: Todos os homens são mentirosos.

12 O que darei ao Senhor por todos os seus benefícios para comigo?

13 Tomarei o cálice da salvação e invocarei o nome do Senhor.

14 Pagarei meus votos ao Senhor agora na presença de todo o seu povo.

15 Preciosa é aos olhos do Senhor a morte dos seus santos.

16 Ó Senhor, em verdade sou teu servo; sou teu servo e filho da tua serva; soltaste as minhas amarras.

17 Oferecer-te-ei sacrifício de ação de graças e invocarei o nome do Senhor.

18 Pagarei meus votos ao Senhor agora, na presença de todo o seu povo,

19 Nos átrios da casa do Senhor, no meio de ti, ó Jerusalém. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 117

Uma exortação para louvar a Deus.

1 Louvai ao Senhor, todas as nações; louvai-o todos vós.

2 Pois sua benignidade é grande para conosco; e a verdade do Senhor dura para sempre. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 118

O salmista mostra como é bom confiar em Deus – A vinda de Cristo.

1 Oh, dai graças ao Senhor; porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre.

2 Diga agora Israel que a sua misericórdia dura para sempre.

3 Diga agora a casa de Arão que a sua misericórdia dura para sempre.

4 Digam agora os que temem ao Senhor que a sua misericórdia dura para sempre.

5 Invoquei o Senhor na angústia; o Senhor me respondeu e me colocou em um lugar grande.

6 O Senhor está do meu lado; não temerei; o que o homem pode fazer comigo?

7 O Senhor toma parte com os que me ajudam; portanto, verei meu desejo sobre aqueles que me odeiam.

8 É melhor confiar no Senhor do que confiar no homem.

9 É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes.

10 Todas as nações me cercaram; mas em nome do Senhor os destruirei.

11 Cercaram-me; sim, eles me cercaram; mas em nome do Senhor os destruirei.

12 Cercaram-me como abelhas; eles são apagados como o fogo dos espinhos; pois em nome do Senhor os destruirei.

13 Tu me lançaste tão forte que eu poderia cair; mas o Senhor me ajudou.

14 O Senhor é a minha força e o meu cântico, e se tornou a minha salvação.

15 A voz da alegria e da salvação está nas tendas dos justos; a destra do Senhor faz proezas.

16 A destra do Senhor está exaltada; a destra do Senhor faz proezas.

17 Não morrerei, mas viverei, e anunciarei as obras do Senhor.

18 O Senhor castigou-me severamente; mas ele não me entregou à morte.

19 Abre-me as portas da justiça; entrarei neles e louvarei ao Senhor;

20 Esta porta do Senhor, por onde entrarão os justos.

21 Eu te louvarei; porque tu me ouviste, e te tornaste a minha salvação.

22 A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular da esquina.

23 Isso é obra do Senhor; é maravilhoso aos nossos olhos.

24 Este é o dia que o Senhor fez; nos regozijaremos e nos regozijaremos nele.

25 Salva-te agora, peço-te, Senhor; Ó Senhor, eu te suplico, envia agora prosperidade.

26 Bendito aquele que vem em nome do Senhor; nós os abençoamos fora da casa do Senhor.

27 Deus é o Senhor, que nos mostrou a luz; amarre o sacrifício com cordas até as pontas do altar.

28 Tu és o meu Deus, e eu te louvarei; tu és o meu Deus, eu te exaltarei.

29 Oh, dai graças ao Senhor; porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre.


CAPÍTULO 119

Diversas orações, louvores e profissões de obediência.

ALEF

1 Bem-aventurados os imaculados no caminho, que andam na lei do Senhor.

2 Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos e o buscam de todo o coração.

3 Eles também não cometem iniqüidade; eles andam em seus caminhos.

4 Tu nos ordenaste guardar diligentemente os teus preceitos.

5 Oh, se meus caminhos fossem dirigidos para guardar teus estatutos!

6 Então não me envergonharei, quando respeitar todos os teus mandamentos.

7 Eu te louvarei com retidão de coração, quando tiver aprendido os teus justos juízos.

8 Guardarei os teus estatutos; oh não me abandone totalmente.

BETH

9 Com que purificará o jovem o seu caminho? atendendo a isso de acordo com a tua palavra.

10 De todo o meu coração te busquei; oh, não me deixe desviar dos teus mandamentos.

11 Escondi a tua palavra no meu coração, para não pecar contra ti.

12 Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos.

13 Com os meus lábios anunciei todos os juízos da tua boca.

14 Regozijei-me no caminho dos teus testemunhos, tanto como em todas as riquezas.

15 Meditarei nos teus preceitos, e respeitarei os teus caminhos.

16 Deleitar-me-ei nos teus estatutos; Eu não vou esquecer a tua palavra.

GIMEL

17 Trata bem o teu servo, para que eu viva, e guarde a tua palavra.

18 Abre os meus olhos, para que eu veja as maravilhas da tua lei.

19 Sou estrangeiro na terra; não escondas de mim os teus mandamentos.

20 Meu coração está partido, pois minha alma anseia por teus juízos em todos os tempos.

21 Repreendeste os soberbos; malditos são os que erram dos teus mandamentos.

22 Tira de mim o opróbrio e o desprezo; porque guardei os teus testemunhos.

23 Príncipes também se sentaram e falaram contra mim; mas o teu servo meditou nos teus estatutos.

24 Os teus testemunhos também são o meu prazer e os meus conselheiros.

DALETH

25 A minha alma se apega ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.

26 Eu anunciei os meus caminhos, e tu me ouviste; ensina-me os teus estatutos.

27 Faze-me compreender o caminho dos teus preceitos; assim falarei de tuas maravilhas.

28 A minha alma desfalece de tristeza; fortalece-me segundo a tua palavra.

29 Afasta de mim o caminho da mentira; e concede-me a tua lei graciosamente.

30 Escolhi o caminho da verdade; os teus juízos ponho diante de mim.

31 Apeguei-me aos teus testemunhos; Ó Senhor, não me envergonhe.

32 Percorrerei o caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

ELE

33 Ensina-me, Senhor, o caminho dos teus estatutos; e vou mantê-lo até o fim.

34 Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; sim, devo observá-lo com todo o meu coração.

35 Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos; pois nisso me deleito.

36 Inclina o meu coração aos teus testemunhos, e não à avareza.

37 Desvia os meus olhos de contemplar a vaidade; e vivifica-me no teu caminho.

38 Confirma a tua palavra ao teu servo, que se dedica ao teu temor.

39 Afasta o meu opróbrio que temo; porque os teus juízos são bons.

40 Eis que tenho ansiado pelos teus preceitos; vivifica-me na tua justiça.

VAU

41 Venham também sobre mim as tuas misericórdias, ó Senhor, e a tua salvação, segundo a tua palavra.

42 Assim terei com que responder àquele que me insultar; pois confio na tua palavra.

43 E não retires totalmente da minha boca a palavra da verdade; pois esperei em teus juízos.

44 Assim guardarei a tua lei continuamente para todo o sempre.

45 E andarei em liberdade; pois busco os teus preceitos.

46 Também falarei dos teus testemunhos perante reis, e não me envergonharei.

47 E me deleitarei em teus mandamentos, que tenho amado.

48 Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amei; e meditarei nos teus estatutos.

ZAIN

49 Lembra-te da palavra ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

50 Este é o meu consolo na minha aflição; porque a tua palavra me vivificou.

51 Os soberbos têm me ridicularizado muito; ainda assim não me desviei da tua lei.

52 Lembrei-me dos teus juízos de outrora, ó Senhor; e tenho me consolado.

53 O horror se apoderou de mim por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

54 Os teus estatutos têm sido os meus cânticos na casa da minha peregrinação.

55 De noite me lembrei do teu nome, ó Senhor, e guardei a tua lei.

56 Isto eu tive, porque guardei os teus preceitos.  

CHETH

57 Tu és a minha porção, ó Senhor; Eu disse que guardaria tuas palavras.

58 Implorei o teu favor de todo o meu coração; tem misericórdia de mim segundo a tua palavra.

59 Pensei nos meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos.

60 Apressei-me e não demorei a guardar os teus mandamentos.

61 Os bandos dos ímpios me roubaram; mas não me esqueci da tua lei.

62 À meia-noite me levantarei para te dar graças por causa dos teus justos juízos.

63 Sou companheiro de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos.

64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua misericórdia; ensina-me os teus estatutos. 

TETH

65 Fizeste bem ao teu servo, ó Senhor, segundo a tua palavra.

66 Ensina-me bom senso e conhecimento; porque tenho crido nos teus mandamentos.

67 Antes de ser afligido, me desviei; mas agora guardei a tua palavra.

68 Tu és bom e fazes o bem; ensina-me os teus estatutos.

69 Os soberbos forjaram mentiras contra mim; mas guardarei os teus preceitos de todo o coração.

70 Seu coração é gordo como gordura; mas tenho prazer na tua lei.

71 É bom para mim ter sido afligido; para que eu aprendesse os teus estatutos.

72 A lei da tua boca é melhor para mim do que milhares de ouro e prata.

JOD

73 Tuas mãos me fizeram e me formaram; dá-me entendimento, para que eu aprenda os teus mandamentos.

74 Os que te temem se alegrarão quando me virem; porque esperei na tua palavra.

75 Eu sei, ó Senhor, que os teus juízos são justos, e que com fidelidade me afligiste.

76 Peço-te que a tua misericórdia seja para meu conforto, segundo a tua palavra para com o teu servo.

77 Venham sobre mim as tuas ternas misericórdias, para que eu viva; porque a tua lei é o meu prazer.

78 Envergonhem-se os soberbos; pois eles me trataram perversamente sem causa; mas meditarei nos teus preceitos.

79 Voltem-se para mim os que te temem e os que conheceram os teus testemunhos.

80 Seja meu coração são nos teus estatutos; que eu não tenha vergonha. 

CAPH

81 A minha alma desfalece pela tua salvação; mas espero em tua palavra.

82 Os meus olhos desfalecem a tua palavra, dizendo: Quando me consolarás?

83 Pois me tornei como uma garrafa na fumaça; contudo não me esqueço dos teus estatutos.

84 Quantos são os dias do teu servo? quando julgarás os que me perseguem?

85 Os soberbos cavaram para mim covas, que não seguem a tua lei.

86 Todos os teus mandamentos são fiéis; eles me perseguem injustamente; me ajude.

87 Eles quase me consumiram na terra; mas não abandonei os teus preceitos.

88 Vivifica-me segundo a tua benignidade; assim guardarei o testemunho da tua boca.

LAMED

89 Para sempre, ó Senhor, a tua palavra está firmada no céu.

90 A tua fidelidade é de geração em geração; tu estabeleceste a terra, e ela permanece.

91 Eles continuam neste dia de acordo com as tuas ordenanças; pois todos são teus servos.

92 A menos que tua lei tivesse sido meu deleite, eu teria perecido em minha aflição.

93 Jamais esquecerei teus preceitos; pois com eles me vivificou.

94 Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

95 Os ímpios esperam que eu me destrua; mas considerarei teus testemunhos.

96 Eu vi o fim de toda perfeição; mas o teu mandamento é muito amplo.

MEM

97 Oh, como amo a tua lei! é minha meditação o dia todo.

98 Tu, pelos teus mandamentos, me fizeste mais sábio do que os meus inimigos; pois eles estão sempre comigo.

99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres; pois teus testemunhos são minha meditação. 

100 Compreendo mais do que os antigos, porque guardo os teus preceitos. 

101 Desviei os meus pés de todo mau caminho, para guardar a tua palavra. 

102 Não me afastei dos teus juízos; porque tu me ensinaste. 

103 Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! sim, mais doce que o mel para minha boca. 

104 Através de teus preceitos eu recebo entendimento; portanto, odeio todo caminho falso.  

FREIRA 

105 A tua palavra é lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho. 

106 Jurei e o cumprirei, que guardarei os teus justos juízos. 

107 Estou muito aflito; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra. 

108 Aceita, peço-te, as ofertas voluntárias da minha boca, ó Senhor, e ensina-me os teus juízos. 

109 A minha alma está continuamente na tua mão; e não me esqueço da tua lei. 

110 Os ímpios armaram-me laços; contudo não errei de teus preceitos. 

111 Os teus testemunhos tomo por herança para sempre; porque eles são a alegria do meu coração. 

112 Inclinei o meu coração para cumprir sempre os teus estatutos, até o fim.  

SAMECH 

113 Detesto pensamentos vãos; mas a tua lei eu amo. 

114 Tu és meu esconderijo e meu escudo; espero em tua palavra. 

115 Apartai-vos de mim, malfeitores; porque guardarei os mandamentos do meu Deus. 

116 Sustenta-me segundo a tua palavra, para que eu viva; e que eu não me envergonhe da minha esperança.

117 Sustenta-me, e estarei seguro; e respeitarei continuamente os teus estatutos.

118 Pistaste todos os que se desviam dos teus estatutos; pois o engano deles é falsidade. 

119 Tu afastas todos os ímpios da terra como escória; por isso amo os teus testemunhos. 

120 A minha carne treme de medo de ti; e temo os teus juízos.  

AIN 

121 Fiz juízo e justiça; não me deixes com meus opressores. 

122 Seja fiador para o bem do teu servo; que os orgulhosos não me oprimam. 

123 Os meus olhos desfalecem para a tua salvação e para a palavra da tua justiça. 

124 Trata com o teu servo segundo a tua misericórdia, e ensina-me os teus estatutos. 

125 Eu sou teu servo; dá-me entendimento, para que eu conheça os teus testemunhos, 

126 E o tempo, ó Senhor, para eu trabalhar; porque anularam a tua lei. 

127 Por isso amo os teus mandamentos mais do que o ouro; sim, acima de ouro fino. 

128 Portanto, considero todos os teus preceitos concernentes a todas as coisas como teus direitos; e eu odeio todo caminho falso.  

EDUCAÇAO FISICA 

129 Teus testemunhos são maravilhosos; por isso minha alma os guarda. 

130 A explicação das tuas palavras dá luz; dão entendimento aos simples. 

131 Abri minha boca e ofeguei; pois ansiei por teus mandamentos. 

132 Olha para mim e tem misericórdia de mim, como costumas fazer com aqueles que amam o teu nome. 

133 Ordena meus passos em tua palavra; e que nenhuma iniqüidade domine sobre mim. 

134 Livra-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos. 

135 Faz resplandecer o teu rosto sobre o teu servo; e ensina-me os teus estatutos. 

136 Rios de água correm pelos meus olhos, porque não guardam a tua lei.  

TZADI 

137 Justo és tu, Senhor, e retos são os teus juízos. 

138 Os teus testemunhos que ordenaste são justos e muito fiéis. 

139 Meu zelo me consumiu, porque meus inimigos se esqueceram de tuas palavras. 

140 Tua palavra é muito pura; por isso o teu servo o ama. 

141 Sou pequeno e desprezado; mas não me esqueço dos teus preceitos. 

142 Tua justiça é uma justiça eterna, e tua lei é a verdade. 

143 Problemas e angústias se apoderaram de mim; contudo os teus mandamentos são as minhas delícias. 

144 A justiça de teus testemunhos é eterna; dá-me entendimento, e viverei.  

KOPH 

145 Chorei com todo o meu coração; ouve-me, ó Senhor; Eu guardarei tuas estátuas. 

146 Clamei a ti; salva-me, e guardarei os teus testemunhos. 

147 Impedi o raiar da manhã, e chorei; Eu esperei em tua palavra. 

148 Os meus olhos impedem as vigílias noturnas, para que eu medite na tua palavra. 

149 Ouve a minha voz segundo a tua benignidade; Ó Senhor, vivifica-me de acordo com o teu julgamento. 

150 Aproximam-se os que seguem o mal; estão longe da tua lei. 

151 Tu estás perto, ó Senhor; e todos os teus mandamentos são a verdade. 

152 Quanto aos teus testemunhos, eu sei desde a antiguidade que tu os fundaste para sempre.  

RESH 

153 Considera a minha aflição, e livra-me; pois não me esqueço da tua lei. 

154 Pleiteia minha causa, e livra-me; vivifica-me segundo a tua palavra. 

155 A salvação está longe dos ímpios; porque não procuram os teus estatutos. 

156 Grandes são as tuas misericórdias, ó Senhor; vivifica-me segundo os teus juízos. 

157 Muitos são meus perseguidores e meus inimigos; contudo, não declino dos teus testemunhos. 

158 Eu vi os transgressores, e fiquei triste; porque não guardaram a tua palavra. 

159 Considera como amo os teus preceitos; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua benignidade. 

160 Tua palavra é verdadeira desde o princípio; e cada um dos teus justos juízos dura para sempre.  

SCHIN 

161 Príncipes me perseguiram sem causa; mas o meu coração teme a tua palavra. 

162 Alegro-me com a tua palavra, como quem acha grande despojo. 

163 Eu odeio e abomino a mentira; mas a tua lei eu amo. 

164 Sete vezes por dia te louvo, por causa dos teus justos juízos. 

165 Muita paz têm os que amam a tua lei; e nada os ofenderá. 

166 Senhor, esperei pela tua salvação, e fiz os teus mandamentos. 

167 A minha alma tem guardado os teus testemunhos; e eu os amo excessivamente. 

168 Tenho guardado os teus preceitos e os teus testemunhos; pois todos os meus caminhos estão diante de ti.  

TAU 

169 Aproxime-se de ti o meu clamor, ó Senhor; dá-me entendimento segundo a tua palavra. 

170 Que minha súplica venha diante de ti; livra-me segundo a tua palavra. 

171 Meus lábios proferirão louvor, quando me ensinares os teus estatutos. 

172 Minha língua falará da tua palavra; porque todos os teus mandamentos são justiça. 

173 Que tua mão me ajude; pois escolhi os teus preceitos. 

174 Anseio pela tua salvação, ó Senhor; e a tua lei é o meu prazer. 

175 Viva a minha alma, e ela te louvará, e os teus juízos me ajudem. 

176 Eu me desgarrei como uma ovelha perdida; busca teu servo; porque não me esqueço dos teus mandamentos.


CAPÍTULO 120

Davi ora por libertação dos ímpios. (Uma canção de graus.)

1 Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me ouviu.

2 Livra a minha alma, Senhor, dos lábios mentirosos e da língua enganosa.

3 O que te será dado? ou que te será feito, ó língua falsa?

4 Flechas afiadas dos poderosos, com brasas de zimbro.

5 Ai de mim, que peregrino em Mesech, que habito nas tendas de Quedar!

6 A minha alma habitou por muito tempo com aquele que odeia a paz.

7 Sou pela paz; mas quando eu falo, eles são para a guerra.


CAPÍTULO 121

A grande segurança dos piedosos. (Uma canção de graus.)

1 Elevo os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro.

2 O meu socorro vem do Senhor, que fez o céu e a terra.

3 Eis que aquele que guarda a Israel não cochilará nem dormirá.

4 Ele não permitirá que o teu pé vacile; aquele que te guarda não dormirá.

5 O Senhor é o teu guardião; o Senhor é a tua sombra à tua destra.

6 O sol não te ferirá de dia, nem a lua de noite.

7 O Senhor te guardará de todo mal; ele preservará tua alma.

8 O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre.


CAPÍTULO 122

Davi ora pela paz de Jerusalém. (Um Cântico dos Graus de Davi.)

1 Alegrei-me quando me disseram: Vamos à casa do Senhor.

2 Os nossos pés estarão dentro das tuas portas, ó Jerusalém.

3 Jerusalém é edificada como uma cidade compacta;

4 Para onde sobem as tribos, as tribos do Senhor, em testemunho de Israel, para dar graças ao nome do Senhor.

5 Pois estão postos tronos de julgamento, os tronos da casa de Davi.

6 Ore pela paz de Jerusalém; prosperarão aqueles que te amam.

7 A paz esteja dentro dos teus muros, e a prosperidade dentro dos teus palácios.

8 Por amor de meus irmãos e companheiros, direi agora: A paz esteja em ti.

9 Por causa da casa do Senhor nosso Deus buscarei o teu bem.


CAPÍTULO 123

Oração por misericórdia. (Uma canção de graus.)

1 A ti elevo os meus olhos, ó tu que habitas nos céus.

2 Eis como os olhos dos servos se fixam nas mãos de seus senhores, e como os olhos da donzela se fixam na mão de sua senhora; assim os nossos olhos esperam no Senhor nosso Deus, até que ele tenha misericórdia de nós.

3 Tem misericórdia de nós, Senhor, tem misericórdia de nós; pois estamos extremamente cheios de desprezo.

4 Nossa alma está muito cheia do desprezo dos que estão tranquilos e do desprezo dos soberbos.


CAPÍTULO 124

Israel louva a Deus pela libertação. (Um Cântico dos Graus de Davi.)

1 Agora pode Israel dizer: Se o Senhor não estava do nosso lado quando os homens se levantaram contra nós, então eles nos devoraram rapidamente quando sua ira se acendeu contra nós.

2 Então as águas nos subjugaram, a corrente passou sobre a nossa alma;

3 Então as águas orgulhosas passaram sobre a nossa alma.

4 Bendito seja o Senhor, que não nos deu por presa aos seus dentes.

5 A nossa alma escapou como ave do laço dos passarinheiros; o laço está quebrado, e nós escapamos.

6 Nosso socorro está no nome do Senhor, que fez o céu e a terra.


CAPÍTULO 125

A segurança da confiança em Deus. (Uma canção de graus.)

1 Os que confiam no Senhor no monte Sião não podem ser removidos, mas permanecem para sempre.

2 Como os montes estão ao redor de Jerusalém, assim o Senhor está ao redor do seu povo desde agora e para sempre.

3 Pois a vara dos ímpios não repousará sobre a sorte dos justos; para que os justos não estendam as mãos para a iniqüidade.

4 Faze o bem, Senhor, aos bons e aos retos de coração.

5 Quanto aos que se desviam para os seus caminhos tortuosos, o Senhor os conduzirá com os que praticam a iniqüidade; mas a paz estará sobre Israel.


CAPÍTULO 126

Glória de Sião declarada. (Uma canção de graus.)

1 Quando o Senhor voltou o cativeiro de Sião, éramos como os que sonham.

2 Então nossa boca se encheu de riso, e nossa língua de canto; então eles disseram entre os gentios: O Senhor fez grandes coisas por eles.

3 Grandes coisas fez o Senhor por nós; de que estamos contentes.

4 Torna o nosso cativeiro, ó Senhor, como as correntes do sul.

5 Os que semeiam com lágrimas colherão com alegria.

6 Aquele que sai e chora, levando a preciosa semente, sem dúvida voltará com alegria, trazendo consigo os seus molhos.


CAPÍTULO 127

Virtude da bênção de Deus. (Um Cântico de graus para Salomão.) 

1 Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; a menos que o Senhor guarde a cidade, a sentinela acorda, mas em vão.

2 É inútil levantar-se cedo, sentar-se tarde, comer o pão das dores; pois assim ele dá sono ao seu amado.

3 Eis que os filhos são herança do Senhor; e o fruto do ventre é a sua recompensa.

4 Como flechas na mão de um valente; assim são os filhos da juventude.

5 Feliz é o homem que tem a sua aljava cheia deles; não serão envergonhados, mas falarão com os inimigos na porta.


CAPÍTULO 128

Diversas bênçãos que seguem aqueles que temem a Deus. (Uma canção de graus.)

1 Bem-aventurado todo aquele que teme ao Senhor; que anda em seus caminhos.

2 Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem.

3 A tua mulher será como a videira frutífera à beira da tua casa; teus filhos como plantas de oliveira ao redor de tua mesa.

4 Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor.

5 O Senhor te abençoará desde Sião; e verás o bem de Jerusalém todos os dias da tua vida.

6 Sim, verás os filhos de teus filhos, e paz sobre Israel.


CAPÍTULO 129

A segurança de Israel. (Uma canção de graus.)

1 Muitas vezes eles me afligiram desde a minha juventude, pode Israel agora dizer;

2 Muitas vezes me afligiram desde a minha juventude; mas eles não prevaleceram contra mim.

3 Os arados lavraram nas minhas costas; fizeram longos seus sulcos.

4 O Senhor é justo; ele cortou as cordas dos ímpios.

5 Confundam-se e retrocedam todos os que odeiam Sião.

6 Sejam como a erva dos telhados, que seca antes de crescer.

7 Com o que o ceifador não enche a mão; nem o que ata os feixes o seu seio.

8 Nem os que passam dizem: A bênção do Senhor esteja sobre vós; nós os abençoamos em nome do Senhor.

CAPÍTULO 130

Esperança paciente – Redenção certa. (Uma canção de graus.)

1 Das profundezas clamei a ti, Senhor.

2 Senhor, ouve a minha voz; que os teus ouvidos estejam atentos à voz das minhas súplicas.

3 Se tu, Senhor, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá?

4 Mas contigo está o perdão, para que sejas temido.

5 Espero no Senhor, a minha alma espera, e na sua palavra espero.

6 A minha alma espera no Senhor mais do que os que esperam pela manhã; Digo, mais do que eles que vigiam pela manhã.

7 Espere Israel no Senhor; pois com o Senhor há misericórdia, e com ele há abundante redenção.

8 E ele redimirá a Israel de todas as suas iniqüidades.


CAPÍTULO 131

Humildade a garantia da esperança. (Um Cântico dos Graus de Davi.)

1 Senhor, meu coração não é altivo, nem meus olhos altivos; nem me exercito em grandes coisas, ou em coisas muito altas para mim.

2 Certamente me comportei e me acalmei, como uma criança desmamada de sua mãe; minha alma é como uma criança desmamada.

3 Espere Israel no Senhor desde agora e para sempre.


CAPÍTULO 132

A aliança de Davi – as promessas de Deus ao seu povo. (Uma canção de graus.)

1 Senhor, lembra-te de Davi e de todas as suas aflições;

2 Como jurou ao Senhor e fez voto ao poderoso Deus de Jacó;

3 Certamente não entrarei no tabernáculo da minha casa, nem subirei à minha cama;

4 Não darei sono aos meus olhos, nem sono às minhas pálpebras,

5 Até que eu encontre um lugar para o Senhor, uma habitação para o poderoso Deus de Jacó.

6 Eis que ouvimos isso em Efrata; encontramos nos campos da floresta.

7 Entraremos nos seus tabernáculos, adoraremos junto ao seu escabelo.

8 Levanta-te, Senhor, para o teu descanso; tu e a arca da tua fortaleza.

9 Vistam-se os teus sacerdotes de justiça; e que teus santos gritem de alegria.

10 Por amor de Davi, teu servo, não desvies o rosto do teu ungido.

11 O Senhor jurou com verdade a Davi; ele não se desviará dele; Do fruto do teu corpo porei sobre o teu trono.

12 Se teus filhos guardarem minha aliança e meu testemunho que vou ensiná-los, seus filhos também se sentarão no teu trono para sempre.

13 Porque o Senhor escolheu a Sião; ele a desejou para sua habitação.

14 Este é o meu descanso para sempre; aqui habitarei; pois eu o desejei.

15 Abençoarei abundantemente a sua provisão; Satisfarei seus pobres com pão.

16 Também vestirei os seus sacerdotes de salvação; e os seus santos exultarão de alegria.

17 Ali farei brotar o poder de Davi; Ordenei uma lâmpada para o meu ungido.

18 Os seus inimigos vestirei de vergonha; mas sobre si mesmo florescerá sua coroa.


CAPÍTULO 133

A comunhão dos santos. (Um Cântico dos Graus de Davi.)

1 Eis como é bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!

2 É como o ungüento precioso sobre a cabeça, que desceu sobre a barba, a barba de Arão; que descia até as abas de suas vestes;

3 Como o orvalho do Hermon, e como o orvalho que desce sobre os montes de Sião; pois ali o Senhor ordenou a bênção, sim, a vida para sempre.


CAPÍTULO 134

Uma exortação para louvar a Deus. (Uma canção de graus.)

1 Eis que bendizei ao Senhor, todos vós, servos do Senhor, que de noite estais na casa do Senhor.

2 Erga as mãos no santuário e bendiga ao Senhor.

3 O Senhor que fez o céu e a terra te abençoe desde Sião.


CAPÍTULO 135

Uma exortação para louvar a Deus – A vaidade dos ídolos.

1 Louvai ao Senhor. Louvai o nome do Senhor; louvai-o, ó servos do Senhor.

2 Vós que estais na casa do Senhor, nos átrios da casa do nosso Deus,

3 Louvai ao Senhor; porque o Senhor é bom; cante louvores ao seu nome; pois é agradável.

4 Porque o Senhor escolheu para si a Jacó, e a Israel para o seu tesouro peculiar.

5 Pois eu sei que o Senhor é grande, e que nosso Senhor está acima de todos os deuses.

6 Tudo o que o Senhor quis, ele fez nos céus e na terra, nos mares e em todos os lugares profundos.

7 Ele faz subir os vapores das extremidades da terra; ele faz relâmpagos para a chuva; ele tira o vento dos seus tesouros.

8 Que feriram os primogênitos do Egito, tanto dos homens como dos animais.

9 Que enviou sinais e maravilhas no meio de ti, ó Egito, sobre Faraó e sobre todos os seus servos.

10 Que feriu grandes nações e matou reis poderosos;

11 Seom, rei dos amorreus, e Ogue, rei de Basã, e todos os reinos de Canaã;

12 E deram a sua terra em herança, em herança a Israel seu povo.

13 O teu nome, ó Senhor, dura para sempre; e o teu memorial, ó Senhor, por todas as gerações.

14 Porque o Senhor julgará o seu povo, e não se arrependerá a respeito dos seus servos.

15 Os ídolos dos gentios são prata e ouro, obra das mãos dos homens.

16 Eles têm boca, mas não falam; olhos têm, mas não vêem;

17 Eles têm ouvidos, mas não ouvem; nem há qualquer respiração em suas bocas.

18 Os que os fazem são semelhantes a eles; assim é todo aquele que neles confia.

19 Bendizei ao Senhor, ó casa de Israel; bendizei ao Senhor, ó casa de Arão;

20 Bendizei ao Senhor, ó casa de Levi; vós que temeis ao Senhor, bendizei o Senhor.

21 Bendito seja o Senhor de Sião; Bendito seja o Senhor de Jerusalém. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 136

Graças a Deus por suas misericórdias.

1 Oh, dai graças ao Senhor; porque ele é bom; porque a sua misericórdia dura para sempre.

2 Oh, dai graças ao Deus dos deuses; porque a sua misericórdia dura para sempre.

3 Oh, dai graças ao Senhor dos senhores; porque a sua misericórdia dura para sempre.

4 Àquele que só faz grandes maravilhas; porque a sua misericórdia dura para sempre.

5 Àquele que com sabedoria fez os céus; porque a sua misericórdia dura para sempre.

6 Àquele que estendeu a terra sobre as águas; porque a sua misericórdia dura para sempre.

7 Àquele que fez grandes luzes; porque a sua misericórdia dura para sempre;

8 O sol para governar de dia; porque a sua misericórdia dura para sempre;

9 A lua e as estrelas para governar à noite; porque a sua misericórdia dura para sempre.

10 Ao que feriu o Egito em seus primogênitos; porque a sua misericórdia dura para sempre;

11 E tirou Israel do meio deles; porque a sua misericórdia dura para sempre;

12 Com mão forte e braço estendido; porque a sua misericórdia dura para sempre.

13 Àquele que dividiu o mar Vermelho em partes; porque a sua misericórdia dura para sempre;

14 E fez Israel passar pelo meio dela; porque a sua misericórdia dura para sempre;

15 Mas derrubou Faraó e seu exército no mar Vermelho; porque a sua misericórdia dura para sempre.

16 Àquele que conduziu o seu povo pelo deserto; porque a sua misericórdia dura para sempre.

17 Àquele que feriu grandes reis; porque a sua misericórdia dura para sempre;

18 E matou reis famosos; porque a sua misericórdia dura para sempre;

19 Seom, rei dos amorreus; porque a sua misericórdia dura para sempre;

20 E Ogue, rei de Basã; porque a sua misericórdia dura para sempre;

21 E deram a sua terra em herança; porque a sua misericórdia dura para sempre;

22 Uma herança para Israel seu servo; porque a sua misericórdia dura para sempre.

23 Quem se lembrou de nós em nossa condição humilde; porque a sua misericórdia dura para sempre;

24 E nos resgatou de nossos inimigos; porque a sua misericórdia dura para sempre.

25 que dá comida a toda carne; porque a sua misericórdia dura para sempre.

26 Dai graças ao Deus do céu; porque a sua misericórdia dura para sempre.


CAPÍTULO 137

Constância em cativeiro. 

1 Junto aos rios da Babilônia, ali nos sentamos, sim, choramos, quando nos lembramos de Sião.

2 Penduramos nossas harpas nos salgueiros no meio dela.

3 Pois ali os que nos levaram cativos exigiram de nós uma canção; e os que nos desperdiçaram pediram-nos alegria, dizendo: Cantai-nos um dos cânticos de Sião.

4 Como cantaremos o cântico do Senhor em terra estranha?

5 Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça a minha mão direita da sua astúcia.

6 Se eu não me lembrar de ti, apegue-se a minha língua ao céu da boca; se não prefiro Jerusalém à minha alegria principal.

7 Lembra-te, Senhor, dos filhos de Edom nos dias de Jerusalém; que disse: Rase-lo, até o fundamento dela.

8 Ó filha de Babilônia, que hás de ser destruída; feliz será aquele que te recompensar como nos serviste.

9 Feliz será aquele que pegar e arremessar teus pequeninos contra as pedras.


CAPÍTULO 138

Davi louva a Deus pela verdade de sua palavra.

1 Eu te louvarei de todo o meu coração; diante dos deuses cantarei louvores a ti.

2 Eu adorarei no teu santo templo, e louvarei o teu nome pela tua benignidade e pela tua verdade; pois isso engrandeceu a tua palavra acima de todo o teu nome.

3 No dia em que clamei, respondeste-me e fortaleceste-me com força na minha alma.

4 Todos os reis da terra te louvarão, ó Senhor, quando ouvirem as palavras da tua boca.

5 Sim, eles cantarão nos caminhos do Senhor; porque grande é a glória do Senhor.

6 Embora o Senhor seja elevado, ainda assim respeita os humildes; mas o orgulhoso ele conhece de longe.

7 Ainda que eu ande no meio da angústia, tu me vivificarás; estenderás a mão contra a ira dos meus inimigos, e a tua destra me salvará.

8 O Senhor me aperfeiçoará no conhecimento do seu reino. Eu te louvarei, Senhor, para sempre; porque és misericordioso e não desampararás as obras das tuas mãos.


CAPÍTULO 139

O poder e o conhecimento de Deus estão presentes em todos os lugares. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Senhor, tu me sondas e me conheces.

2 Tu conheces minha queda e minha insurreição, tu entendes meu pensamento de longe.

3 Tu percorres o meu caminho e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos.

4 Pois não há uma palavra em minha língua, mas eis que, ó Senhor, tu a conheces completamente.

5 Tu me cercaste por trás e por diante, e puseste a tua mão sobre mim.

6 Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim; é alto, não posso alcançá-lo.

7 Para onde irei do teu Espírito? ou para onde fugirei da tua presença?

8 Se eu subir ao céu, lá estarás tu; se eu fizer minha cama no inferno, eis que tu estás lá.

9 Se eu tomar as asas da alva, e habitar nas extremidades do mar;

10 Até ali a tua mão me guiará, e a tua destra me susterá.

11 Se eu disser: Certamente as trevas me cobrirão; até a noite será clara sobre mim.

12 Sim, as trevas não te escondem; mas a noite brilha como o dia; as trevas e a luz são ambas iguais para ti.

13 Pois tu possuíste as minhas rédeas; me cobriste no ventre de minha mãe.

14 Eu te louvarei; pois fui feito de modo temível e maravilhoso; maravilhosas são as tuas obras; e que minha alma sabe muito bem.

15 Minha substância não foi escondida de ti, quando eu fui feito em segredo, e curiosamente forjado nas partes mais baixas da terra.

16 Os teus olhos viram a minha substância, ainda que imperfeita; e em teu livro foram escritos todos os meus membros, que em continuidade foram formados, quando eu ainda não conhecia nenhum deles.

17 Quão preciosos são também os teus pensamentos para mim, ó Deus! quão grande é a soma deles!

18 Se eu os contasse, seriam mais numerosos do que a areia; quando acordo, ainda estou contigo.

19 Certamente matarás o ímpio, ó Deus; afastem-se de mim, portanto, homens sanguinários.

20 Pois falam mal de ti, e os teus inimigos tomam o teu nome em vão.

21 Não odeio, ó Senhor, aqueles que te odeiam? e não estou triste com os que se levantam contra ti?

22 Eu os odeio com ódio perfeito; Eu os considero meus inimigos.

23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; experimente-me e conheça meus pensamentos;

24 E vede se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno.


CAPÍTULO 140

Davi ora para ser libertado dos ímpios. (Para o Músico Chefe, Um Salmo de Davi.)

1 Livra-me, Senhor, do homem mau; preserva-me do homem violento;

2 Que imaginam maldades em seus corações; continuamente eles estão reunidos para a guerra.

3 Afiam a língua como serpente; o veneno das víboras está sob seus lábios. Selá.

4 Guarda-me, Senhor, das mãos dos ímpios; preserva-me do homem violento; que se propuseram a derrubar meus passos.

5 Os soberbos me armaram um laço e cordas; estenderam uma rede à beira do caminho; eles prepararam gins para mim. Selá.

6 Eu disse ao Senhor: Tu és o meu Deus; ouve a voz das minhas súplicas, ó Senhor.

7 Ó Deus, o Senhor, força da minha salvação, cobriste a minha cabeça no dia da batalha.

8 Não concedas, ó Senhor, os desejos dos ímpios; mais não seu dispositivo perverso; para que não se exaltem. Selá.

9 Quanto à cabeça dos que me cercam, cubra-os a malícia dos seus próprios lábios.

10 Que sobre eles caiam brasas; sejam lançados no fogo; em covas profundas, para que não se levantem novamente.

11 Não se estabeleça na terra o que fala mal; o mal caçará o homem violento para derrubá-lo.

12 Eu sei que o Senhor manterá a causa dos aflitos e o direito dos pobres.

13 Certamente os justos darão graças ao teu nome; os retos habitarão na tua presença.


CAPÍTULO 141

Uma oração pela sinceridade e pela segurança das armadilhas. (Um Salmo de Davi.)

1 Senhor, eu clamo a ti; apressa-te a mim; dá ouvidos à minha voz, quando eu clamo a ti.

2 Seja minha oração apresentada diante de ti como incenso; e o levantar das minhas mãos como sacrifício da tarde.

3 Põe uma vigília, ó Senhor, diante da minha boca; guarde a porta dos meus lábios.

4 Não inclines o meu coração para o mal, para praticar obras más com homens que praticam a iniqüidade; e não me deixes comer das suas iguarias.

5 Quando o justo me fere com a palavra do Senhor, é uma bondade; e quando eles me repreenderem, será um excelente óleo, e não destruirá minha fé; pois ainda a minha oração também será por eles. Não me deleito em suas calamidades.

6 Quando seus juízes forem derrubados em lugares pedregosos, eles ouvirão minhas palavras; pois são doces.

7 Nossos ossos estão espalhados na boca da sepultura, como quando alguém corta e lasca lenha sobre a terra.

8 Mas os meus olhos te contemplam, ó Deus, o Senhor; em ti está minha confiança; não deixe minha alma desamparada.

9 Guarda-me dos laços que me armaram, e das garras dos que praticam a iniqüidade.

10 Caiam os ímpios nas suas próprias redes, enquanto eu também escapo.


CAPÍTULO 142

Há conforto na oração. (Maschil de David; Uma oração quando ele estava na caverna.)

1 Clamei ao Senhor com a minha voz; com a minha voz ao Senhor fiz a minha súplica.

2 Derramei minha queixa diante dele; Mostrei diante dele meu problema.

3 Quando meu espírito estava sobrecarregado dentro de mim, então tu conhecias meu caminho. No caminho em que andei, secretamente me armaram laços.

4 Olhei à minha direita, e eis que ninguém havia que me conhecesse; refúgio me falhou; nenhum homem se importou com minha alma.

5 Clamei a ti, Senhor; Eu disse: Tu és meu refúgio e minha porção na terra dos vivos.

6 Atende ao meu clamor; pois estou muito abatido; livra-me dos meus perseguidores; pois eles são mais fortes do que eu.

7 Tira a minha alma da prisão, para que eu louve o teu nome; os justos me cercarão; porque me farás bem.


CAPÍTULO 143

Fé fortalecida pela meditação e oração. (Um Salmo de Davi.)

1 Ouve a minha oração, Senhor, dá ouvidos às minhas súplicas; na tua fidelidade responde-me, e na tua justiça.

2 E não entres em juízo com o teu servo; porque à tua vista nenhum vivente será justificado.

3 Pois o inimigo perseguiu a minha alma; ele derrubou minha vida por terra; ele me fez habitar nas trevas, como aqueles que morreram há muito tempo.

4 Por isso o meu espírito está sobrecarregado dentro de mim; meu coração dentro de mim está desolado.

5 Lembro-me dos dias de outrora; medito em todas as tuas obras; Eu medito na obra das tuas mãos.

6 Estendo as minhas mãos para ti; minha alma tem sede de ti, como uma terra sedenta. Selá.

7 Ouve-me depressa, ó Senhor; meu espírito desfalece; não escondas de mim o teu rosto, para que eu não seja como os que descem à cova.

8 Faze-me ouvir a tua benignidade pela manhã; pois em ti confio; faze-me saber o caminho em que devo andar; porque a ti elevo a minha alma.

9 Livra-me, Senhor, dos meus inimigos; Eu fujo para ti para me esconder.

10 Ensina-me a fazer a tua vontade; porque tu és o meu Deus; teu Espírito é bom; conduza-me à terra da retidão.

11 vivifica-me, Senhor, por amor do teu nome; por amor da tua justiça tira a minha alma da angústia.

12 E por tua misericórdia extermina os meus inimigos, e destrói todos os que me afligem a alma; porque eu sou teu servo.


CAPÍTULO 144

Uma oração por várias bênçãos. (Um Salmo de Davi.)

1 Bendito seja o Senhor, minha força, que ensina minhas mãos a guerrear e meus dedos a guerrear;

2 Minha bondade e minha fortaleza; minha alta torre e meu libertador; meu escudo e aquele em quem confio; que subjuga o meu povo debaixo de mim.

3 Senhor, que é o homem, para que o conheças! ou o filho do homem, para que dês conta dele!

4 O homem é como a vaidade; os seus dias são como uma sombra que passa.

5 Inclina os teus céus, Senhor, e desce; tocar os montes, e fumegarão.

6 Lança relâmpagos e espalha-os; atire as suas flechas e destrua-os.

7 Envia tua mão de cima; livra-me e livra-me das grandes águas, das mãos de crianças estranhas;

8 Cuja boca fala vaidade, e a sua destra é destra de falsidade.

9 Cantarei um novo cântico para ti, ó Deus; sobre um saltério e um instrumento de dez cordas cantarei louvores a ti.

10 É ele que dá salvação aos reis; que livrou Davi, seu servo, da espada maligna.

11 Livra-me e livra-me da mão dos filhos estranhos, cuja boca fala vaidade, e a sua destra é a destra da falsidade;

12 Para que nossos filhos sejam como plantas crescidas em sua juventude; para que nossas filhas sejam como pedras angulares, polidas à semelhança de um palácio;

13 Para que nossos celeiros estejam cheios, fornecendo todo tipo de estoque; para que nossas ovelhas produzam milhares e dezenas de milhares em nossas ruas;

14 para que nossos bois sejam fortes para o trabalho; que não haja arrombamento nem saída; que não haja reclamações em nossas ruas.

15 Feliz é aquele povo, que está em tal caso; sim, feliz é aquele povo cujo Deus é o Senhor.


CAPÍTULO 145

Salmo de louvor de Davi.

1 Eu te exaltarei, meu Deus, ó Rei; e eu bendirei o teu nome para todo o sempre.

2 Todos os dias eu te bendirei; e louvarei o teu nome para todo o sempre.

3 Grande é o Senhor e mui digno de louvor; e sua grandeza é insondável.

4 Uma geração louvará as tuas obras à outra, e anunciará os teus feitos poderosos.

5 Falarei da gloriosa honra de tua majestade e de tuas maravilhas.

6 E os homens falarão do poder de teus atos terríveis; e declararei a tua grandeza.

7 Proferirão abundantemente a memória da tua grande bondade, e cantarão a tua justiça.

8 O Senhor é misericordioso e compassivo; vagaroso em irar-se e de grande misericórdia.

9 O Senhor é bom para todos; e suas ternas misericórdias estão sobre todas as suas obras.

10 Todas as tuas obras te louvarão, ó Senhor; e teus santos te abençoarão.

11 Falarão da glória do teu reino e falarão do teu poder;

12 Para dar a conhecer aos filhos dos homens as suas proezas e a gloriosa majestade do seu reino.

13 O teu reino é um reino eterno, e o teu domínio dura de geração em geração.

14 O Senhor sustenta todos os que caem e levanta todos os que estão prostrados.

15 Os olhos de todos esperam em ti; e tu lhes dás o seu mantimento a seu tempo.

16 Abres a tua mão e satisfazes o desejo de todo ser vivente.

17 O Senhor é justo em todos os seus caminhos e santo em todas as suas obras.

18 Perto está o Senhor de todos os que o invocam, de todos os que o invocam em verdade.

19 Ele cumprirá o desejo dos que o temem; ele também ouvirá o seu clamor e os salvará.

20 O Senhor preserva todos os que o amam; mas todos os ímpios ele destruirá.

21 Minha boca proclamará o louvor do Senhor; e que toda a carne bendiga o seu santo nome para todo o sempre.


CAPÍTULO 146

Somente Deus digno de ser louvado e confiável.

1 Louvai ao Senhor. Louvai ao Senhor, ó minha alma.

2 Enquanto eu viver, louvarei ao Senhor; Cantarei louvores ao meu Deus enquanto eu existir.

3 Não confieis em príncipes, nem em filho de homem, em quem não há socorro.

4 Seu fôlego sai, ele retorna à sua terra; naquele mesmo dia seus pensamentos perecem.

5 Feliz é aquele que tem o Deus de Jacó por sua ajuda, cuja esperança está no Senhor seu Deus.

6 Que fez o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há; que guarda a verdade para sempre;

7 Que julga os oprimidos; que dá comida aos famintos. O Senhor solta os presos;

8 O Senhor abre os olhos aos cegos; o Senhor levanta os encurvados; o Senhor ama os justos;

9 O Senhor guarda os estrangeiros; ele alivia o órfão e a viúva; mas o caminho dos ímpios ele vira de cabeça para baixo.

10 O Senhor reinará para sempre, o teu Deus, ó Sião, de geração em geração. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 147

Relata muitas razões para louvar a Deus. 

1 Louvai ao Senhor; porque é bom cantar louvores ao nosso Deus; pois é agradável; e o louvor é bonito.

2 O Senhor edifica Jerusalém; ele ajunta os desterrados de Israel.

3 Ele sara os quebrantados de coração e ata suas feridas.

4 Ele conta o número das estrelas; ele chama todos eles por seus nomes.

5 Grande é o nosso Senhor e de grande poder; seu entendimento é infinito.

6 O Senhor levanta os mansos, lança por terra os ímpios.

7 Cantem ao Senhor com ações de graças; cante louvores ao som da harpa ao nosso Deus;

8 Quem cobre o céu de nuvens, quem prepara a chuva para a terra, quem faz crescer a erva sobre os montes.

9 Ele dá ao animal a sua comida, e aos corvos que choram.

10 Ele não se agrada da força do cavalo; ele não sente prazer nas pernas de um homem.

11 O Senhor se compraz nos que o temem, nos que esperam na sua misericórdia.

12 Louva ao Senhor, ó Jerusalém; louva o teu Deus, ó Sião.

13 Pois ele fortaleceu os ferrolhos das tuas portas; ele abençoou teus filhos dentro de ti.

14 Ele faz a paz nos teus termos, e te enche com o melhor do trigo.

15 Ele envia seu mandamento sobre a terra; sua palavra corre muito rapidamente.

16 Ele dá neve como lã; ele espalha a geada como cinzas.

17 Ele lança o seu gelo como bocados; quem pode ficar diante de seu frio?

18 Ele envia a sua palavra, e os derrete; ele faz soprar o seu vento, e as águas correm.

19 Ele mostra a sua palavra a Jacó, seus estatutos e seus juízos a Israel.

20 Não fez assim com nenhuma nação; e quanto aos seus juízos, eles não os conheceram. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 148

Toda a criação exortada a louvar a Deus.

1 Louvai ao Senhor. Louvai ao Senhor desde os céus; louvai-o nas alturas.

2 Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos.

3 Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas de luz.

4 Louvai-o, ó céus dos céus, e ó águas que estão acima dos céus.

5 Louvem o nome do Senhor, porque ele ordenou, e eles foram criados.

6 Ele também os estabeleceu para todo o sempre; ele fez um decreto que não passará.

7 Louvai ao Senhor desde a terra, ó dragões, e todos os abismos.

8 Fogo e granizo; neve e vapor; vento tempestuoso cumprindo sua palavra;

9 Montanhas e todas as colinas; árvores frutíferas e todos os cedros;

10 Bestas e todo o gado; coisas rastejantes e aves voadoras;

11 Reis da terra e todos os povos; príncipes e todos os juízes da terra;

12 Tanto jovens como donzelas; velhos e crianças;

13 Louvem eles o nome do Senhor; pois somente seu nome é excelente; sua glória está acima da terra e do céu.

14 Ele também exalta o poder do seu povo, o louvor de todos os seus santos; sim dos filhos de Israel, um povo próximo a ele. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 149

Deus seja louvado.

1 Louvai ao Senhor. Cantai ao Senhor um cântico novo, e o seu louvor na congregação dos santos.

2 Alegre-se Israel naquele que o criou; alegrem-se os filhos de Sião no seu Rei.

3 Louvem o seu nome na dança; cantem-lhe louvores com adufe e harpa.

4 Porque o Senhor se agrada do seu povo; ele embelezará os mansos com a salvação.

5 Alegrem-se os santos na glória; deixe-os cantar em voz alta em suas camas.

6 Estejam na sua boca os altos louvores de Deus, e espada de dois gumes nas suas mãos;

7 Para executar vingança sobre os gentios, e castigos sobre o povo;

8 Para prender os seus reis com cadeias, e os seus nobres com grilhões de ferro;

9 Para executar sobre eles a sentença escrita; esta honra tem todos os seus santos. Louvai ao Senhor.


CAPÍTULO 150

Uma exortação para louvar a Deus com música instrumental.

1 Louvai ao Senhor. Louve a Deus em seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder.

2 Louvai-o por seus atos poderosos; louvai-o segundo a sua excelente grandeza.

3 Louvai-o ao som da trombeta; louvai-o com saltério e harpa.

4 Louvai-o com adufe e dança; louvá-lo com instrumentos de cordas e órgãos.

5 Louvai-o com címbalos altos; louvai-o nos címbalos de alto som.

6 Tudo o que tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

scripture

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.