Romanos

A Epístola de Paulo Apóstolo aos Romanos

 

CAPÍTULO 1

Paulo declara o evangelho aos romanos.

1 Paulo, apóstolo, servo de Deus, chamado por Jesus Cristo e separado para pregar o evangelho,

2 (O que ele havia prometido antes por seus profetas nas sagradas escrituras,)

3 Quanto a seu filho Jesus Cristo, nosso Senhor, que foi feito da descendência de Davi segundo a carne;

4 E declarou o Filho de Deus com poder, pelo Espírito, segundo a verdade, pela ressurreição dos mortos;

5 pelo qual recebemos graça e apostolado, pela obediência e fé em seu nome, para pregar o evangelho a todas as nações;

6 Entre os quais também sois chamados por Jesus Cristo;

7 Por isso escrevo a todos os que estão em Roma, amados de Deus, chamados santos; Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

8 Em primeiro lugar, dou graças ao meu Deus, por meio de Jesus Cristo, que todos vocês são firmes, e sua fé é anunciada em todo o mundo.

9 Porque Deus é minha testemunha, a quem sirvo, que sem cessar faço menção de vós sempre nas minhas orações, para que sejais guardados pelo Espírito, no evangelho de seu Filho,

10 Rogando-vos que vos lembreis de mim nas vossas orações, escrevo-vos agora, para que Lhe peçais com fé, se por algum meio, por fim, vos servir com os meus trabalhos, e ter uma viagem próspera pela vontade de Deus, para vir a vós.

11 Porque desejo ver-vos, para vos comunicar algum dom espiritual, a fim de que seja estabelecido em vós até o fim;

12 Para que eu seja consolado juntamente com vocês pela fé mútua, tanto de vocês como de mim.

13 Ora, irmãos, não quero que ignoreis que muitas vezes me propus a ir ter convosco (mas estava impedido até agora), para que eu também tivesse algum fruto entre vós, como entre os outros gentios.

14 Sou devedor tanto a gregos como a bárbaros; tanto para os sábios como para os insensatos.

15 E, quanto há em mim, estou pronto para pregar o evangelho também a vocês que estão em Roma.

16 Pois não me envergonho do evangelho de Cristo; pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê; primeiro ao judeu, e também ao grego.

17 Pois nele se revela a justiça de Deus pela fé em seu nome; como está escrito: O justo viverá pela fé.

18 Porque a ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens; que não amam a verdade, mas permanecem na injustiça,

19 Depois que o que de Deus pode ser conhecido lhes é manifesto.

20 Porque Deus lhes revelou as coisas invisíveis dele, desde a criação do mundo, que são claramente vistas; as coisas que não são vistas sendo compreendidas pelas coisas que são feitas, por meio de seu eterno poder e divindade; de modo que eles são indesculpáveis;

21 Porque, quando conheceram a Deus, não o glorificaram como Deus, nem foram agradecidos, mas se tornaram vãos em suas imaginações, e seus corações insensatos se obscureceram.

22 Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.

23 E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.

24 Por isso também Deus os entregou à impureza, pelas concupiscências de seus próprios corações; desonrar seus próprios corpos entre si;

25 Os quais mudaram a verdade de Deus em mentira, e adoraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito para sempre. Um homem.

26 Por isso Deus os entregou a paixões vis; pois mesmo suas mulheres mudaram o uso natural para o que é contra a natureza;

27 E do mesmo modo também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em sua luxúria uns para com os outros; homens com homens praticando o que é impróprio, e recebendo em si mesmos a recompensa de seu erro que foi justa.

28 E, como eles não quiseram reter a Deus segundo algum conhecimento, Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;

29 Estando cheios de toda injustiça, fornicação, maldade, avareza, maldade; cheio de inveja, assassinato, debate, engano, malignidade; sussurradores,

30 Caluniadores, odiadores de Deus, maldosos, orgulhosos, presunçosos, inventores de coisas más, desobedientes aos pais,

31 Sem entendimento, violadores de convênios, sem afeição natural, implacáveis, impiedosos;

32 E alguns que, conhecendo o juízo de Deus, que os que tais coisas cometem são dignos de morte, são indesculpáveis, não somente fazem o mesmo, mas têm prazer naqueles que as fazem.


CAPÍTULO 2

Aqueles que pecam não podem escapar do julgamento de Deus.

1 Portanto, tu és indesculpável, ó homem, quem quer que sejas que assim julga; pois onde tu julgas outro, tu te condenas; porque tu que julgas fazes as mesmas coisas.

2 Mas estamos certos de que o juízo de Deus é segundo a verdade contra os que tais coisas cometem.

3 E pensas tu isto, ó homem, que julgas os que fazem tais coisas, e as fazes, para escapares ao juízo de Deus?

4 Ou desprezas as riquezas de sua bondade, paciência e longanimidade; não sabendo que a bondade de Deus te leva ao arrependimento?

5 mas, segundo a tua dureza e coração impenitente, entesouras para ti ira para o dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus;

6 que retribuirá a cada um segundo as suas obras;

7 Aos que, com perseverança em fazer o bem, buscam glória, honra e imortalidade, a vida eterna;

8 Mas para os contenciosos e não obedecem à verdade, mas obedecem à injustiça, à indignação e à ira,

9 Tribulação e angústia para toda alma do homem que pratica o mal; do judeu primeiro, e também do gentio;

10 Mas glória, honra e paz a todo homem que faz o bem; primeiro ao judeu, e também ao gentio;

11 Pois não há acepção de pessoas com Deus.

12 Pois todos os que sem lei pecaram sem lei também perecerão sem lei; e todos os que na lei pecaram serão julgados pela lei;

13 (Porque nem os ouvintes da lei são justos diante de Deus, mas os praticantes da lei serão justificados.

14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei;

15 Que mostram a obra da lei escrita em seus corações, testemunhando também a sua consciência, e os seus pensamentos acusando-se ou defendendo-se uns aos outros;)

16 No dia em que Deus julgará os segredos dos homens por Jesus Cristo, segundo o evangelho.

17 Eis que te chamas judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus,

18 E conheces a sua vontade, e aprovas as coisas mais excelentes, sendo instruído pela lei;

19 E confias que tu mesmo és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas,

20 Instrutor de tolos, mestre de crianças, que tem a forma do conhecimento e da verdade na lei.

21 Tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? tu, que pregas a um homem, não deves roubar, roubas?

22 Tu, que dizes que o homem não deve cometer adultério, cometes adultério? tu que abominas os ídolos, cometes sacrilégio?

23 Tu que te glorias na lei, pela transgressão da lei desonras a Deus?

24 Porque o nome de Deus é blasfemado entre os gentios por vosso intermédio, como está escrito.

25 Porque a circuncisão realmente aproveita, se guardares a lei; mas se tu és transgressor da lei, a tua circuncisão se faz incircuncisão.

26 Portanto, se o incircunciso guardar a justiça da lei, não será a sua incircuncisão contada como circuncisão?

27 E a incircuncisão que é por natureza, se cumprir a lei, não julgará a ti, que pela letra e pela circuncisão transgrides a lei?

28 Pois não é judeu o que o é exteriormente; nem é aquela circuncisão, que é exterior na carne;

29 Mas é judeu aquele que o é por dentro; e a circuncisão é a do coração, no espírito, e não na letra; cujo louvor não é dos homens, mas de Deus.


CAPÍTULO 3

A vantagem dos judeus – Nenhuma carne é justificada pela lei.

1 Que vantagem tem então o judeu sobre o gentio? ou que proveito da circuncisão, quem não é judeu de coração?

2 Mas aquele que é judeu de coração, eu digo, tem muito em todos os sentidos; principalmente porque a eles foram confiados os oráculos de Deus.

3 Para que se alguns não cressem? sua incredulidade tornará a fé de Deus sem efeito?

4 Deus me livre; sim, seja Deus verdadeiro, mas todo homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado nas tuas palavras, e venças quando fores julgado.

5 Mas se permanecermos em nossa injustiça e louvarmos a justiça de Deus, como ousamos dizer: Deus é injusto e se vinga? (Falo como um homem que teme a Deus,)

6 Deus me livre; pois então como Deus julgará o mundo?

7 Porque, se a verdade de Deus abundou mais pela minha mentira (como é chamada pelos judeus), para sua glória; por que também sou julgado como pecador? e não recebeu? Porque somos denunciados caluniosamente?

8 E alguns afirmam que dizemos (cuja condenação é justa): Façamos o mal para que venha o bem. Mas isso é falso.

9 Se não; o que então somos melhores do que eles? Não, de forma alguma; pois já provamos antes que judeus e gentios estão todos sob o pecado.

10 Como está escrito, não há justo, nem sequer um;

11 Não há quem entenda, não há quem busque a Deus.

12 Todos eles se extraviaram, eles juntos se tornaram inúteis; não há quem faça o bem, não, nem um.

13 A sua garganta é um sepulcro aberto; com suas línguas eles usaram o engano; o veneno das víboras está sob seus lábios;

14 cuja boca está cheia de maldição e amargura;

15 Seus pés são rápidos para derramar sangue;

16 Destruição e miséria estão em seus caminhos;

17 E não conheceram o caminho da paz;

18 Não há temor de Deus diante de seus olhos.

19 Agora sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz; para que se cale toda boca, e todo o mundo se torne culpado diante de Deus.

20 Pois pela lei vem o pleno conhecimento do pecado; portanto, pelas obras da lei, nenhuma carne será justificada diante dele.

21 Mas agora a justiça de Deus sem a lei se manifesta, sendo testemunhada pela lei e pelos profetas;

22 A justiça de Deus que é pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem; pois não há diferença;

23 Porque todos pecaram e carecem da glória de Deus;

24 Sendo, pois, justificados somente por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus;

25 Ao qual Deus propôs para propiciação pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, pela paciência de Deus;

26 Para declarar, digo, neste tempo a sua justiça; para que ele seja justo e justificador daquele que crê em Jesus.

27 Onde está então a jactância? Ele é excluído. Por qual lei? de obras? Não; mas pela lei da fé.

28 Concluímos, pois, que o homem é justificado somente pela fé, sem as obras da lei.

29 Ele é o Deus dos judeus somente? ele não é também dos gentios? Sim, dos gentios também;

30 Visto que Deus justificará a circuncisão pela fé, e a incircuncisão pela fé.

31 Anulamos então a lei pela fé? Deus me livre; sim, estabelecemos a lei.


CAPÍTULO 4

A fé de Abraão – Abraão é o pai de todos os que crêem – A justiça da fé.

1 O que diremos então que Abraão nosso pai, quanto à carne, encontrou?

2 Porque, se Abraão foi justificado pela lei das obras, deve gloriar-se de si mesmo; mas não de Deus.

3 Pois o que diz a escritura? Abraão creu em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça.

4 Ora, ao que é justificado pela lei das obras, a recompensa não é imputada por graça, mas por dívida.

5 Mas para aquele que não procura ser justificado pela lei das obras, mas crê naquele que não justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça.

6 Assim como Davi também descreve a bem-aventurança do homem, a quem Deus atribui justiça sem a lei das obras,

7 Dizendo: Bem-aventurados pela fé, cujas iniqüidades são perdoadas, e cujos pecados são cobertos.

8 Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputará pecado.

9 Vem esta bem-aventurança somente sobre a circuncisão, ou sobre a incircuncisão também? pois dizemos que a fé foi imputada a Abraão, para justiça.

10 Como foi então calculado? quando ele estava em circuncisão, ou em incircuncisão? Não na circuncisão, mas na incircuncisão.

11 E recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da fé que ainda não tinha circuncidado; para que ele seja o pai de todos os que crêem, ainda que não sejam circuncidados; para que a justiça lhes fosse imputada também;

12 E o pai da circuncisão para aqueles que não são somente da circuncisão, mas que também andam nas pisadas daquela fé de nosso pai Abraão, a qual ele ainda era incircunciso.

13 Porque a promessa de que seria herdeiro do mundo não foi dada a Abraão, nem à sua descendência, pela lei, mas pela justiça da fé.

14 Porque, se os que são da lei são herdeiros, a fé é anulada, e a promessa, sem efeito;

15 Porque a lei opera a ira; pois onde não há lei, não há transgressão.

16 Portanto, sois justificados pela fé e pelas obras, pela graça, para que a promessa seja assegurada a toda a descendência; não somente aos que são da lei, mas também aos que são da fé de Abraão; que é o pai de todos nós,

17 Como está escrito, por pai de muitas nações te constituí, diante daquele em quem creu, Deus, que vivifica os mortos, e chama as coisas que não são como se já fossem;

18 Quem contra a esperança creu na esperança, para ser pai de muitas nações, conforme o que foi dito: Assim será a tua descendência.

19 E não sendo fraco na fé, ele não considerou o seu próprio corpo agora morto, quando ele tinha cerca de cem anos, nem ainda o amortecimento do ventre de Sara;

20 Ele não duvidou da promessa de Deus por incredulidade; mas foi forte na fé, dando glória a Deus;

21 E estando plenamente convencido de que o que havia prometido, também podia cumprir.

22 E por isso lhe foi imputado por justiça.

23 Ora, não foi só por causa dele que isso lhe foi imputado;

24 Mas também para nós, a quem será imputado, se cremos naquele que dos mortos ressuscitou a Jesus nosso Senhor;

25 O qual foi entregue por nossas ofensas, e ressuscitou para nossa justificação.


CAPÍTULO 5

Cristo morreu por nós, por quem somos reconciliados com Deus – Como o pecado e a morte vieram por Adão, a justiça e a vida por Jesus Cristo.

1 Justificados, pois, pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;

2 Pelo qual também temos acesso pela fé a esta graça em que estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

3 E não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz paciência;

4 E paciência, experiência; e experiência, esperança;

5 E a esperança não confunde; porque o amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos é dado.

6 Pois quando ainda estávamos sem forças, Cristo morreu no devido tempo pelos ímpios.

7 Porque dificilmente um justo morrerá; contudo, porventura, para um homem bom, alguns até ousariam morrer.

8 Mas Deus recomenda o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.

9 Muito mais, pois, sendo agora justificados pelo seu sangue, por ele seremos salvos da ira.

10 Pois se, quando éramos inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho; muito mais, sendo reconciliados, seremos salvos por sua vida.

11 E não somente isso, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por quem agora recebemos a expiação.

12 Portanto, assim como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram;

13 (Porque antes da lei havia pecado no mundo; contudo, o pecado não é imputado aos que não têm lei.

14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, que é a figura daquele que havia de vir. Pois eu digo que pela ofensa, a morte reinou sobre todos.

15 Mas a ofensa não é como um dom gratuito, pois o dom é abundante. Pois, se pela ofensa de um, muitos morrerão; muito mais a graça de Deus e o dom pela graça abundaram por um homem, Jesus Cristo, para muitos.

16 E não como, por quem pecou, é o dom; pois o julgamento é por um para condenação, mas o dom gratuito é de muitas ofensas para justificação.

17 Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por ele; muito mais os que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinarão em vida por um só, Jesus Cristo.)

18 Portanto, assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação; assim também pela justiça de um veio o dom gratuito sobre todos os homens para justificação de vida.

19 Porque, assim como pela desobediência de um só homem muitos se tornaram pecadores, assim também pela obediência de um muitos se tornarão justos.

20 Além disso, entrou a lei para que a ofensa abundasse. Mas onde abundou o pecado, superabundou a graça;

21 Para que assim como o pecado reinou até a morte, assim também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor.


CAPÍTULO 6

Morto para o pecado – Maneira de batismo em Cristo.

1 O que diremos então? Devemos continuar no pecado para que a graça abunde?

2 Deus me livre. Como nós, que estamos mortos para o pecado, viveremos mais nele?

3 Não sabeis que tantos de nós que fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte?

4 Por isso fomos sepultados com ele na morte pelo batismo; que, assim como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.

5 Pois, se fomos plantados juntos à semelhança de sua morte, também seremos à semelhança de sua ressurreição;

6 Sabendo isto, que o nosso homem velho foi crucificado com ele, para que o corpo do pecado seja destruído, para que não sirvamos ao pecado.

7 Pois quem está morto para o pecado está livre do pecado.

8 Ora, se já estamos mortos com Cristo, cremos que também com ele viveremos;

9 Sabendo que Cristo, sendo ressuscitado dentre os mortos, não morre mais; a morte não tem mais domínio sobre ele.

10 Porque, tendo morrido, morreu uma vez para o pecado; mas naquilo que vive, vive para Deus.

11 Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, por Jesus Cristo nosso Senhor.

12 Portanto, não reine o pecado em seu corpo mortal, para que o obedeça em suas concupiscências.

13 Nem deis vossos membros como instrumentos de injustiça ao pecado; mas rendei-vos a Deus, como vivos dentre os mortos, e os vossos membros como instrumentos de justiça a Deus.

14 Pois, fazendo assim, o pecado não terá domínio sobre vocês; porque não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.

15 E então? pecaremos, porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça: Deus nos livre.

16 Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis servos para obedecer, desse a quem obedeceis sois servos; seja do pecado para a morte, ou da obediência para a justiça?

17 Mas graças a Deus, que não sois servos do pecado, porque obedecestes de coração à forma de doutrina que vos foi entregue.

18 Sendo então libertos do pecado, vocês se tornaram servos da justiça.

19 Falo como homem, por causa da enfermidade da vossa carne; porque, como outrora entregastes os vossos membros como servos à impureza e de iniqüidade em iniqüidade; mesmo assim, agora, entreguem seus membros como servos da justiça para a santidade.

20 Pois quando vocês eram servos do pecado, vocês estavam livres da justiça.

21 Que fruto tendes então nas coisas de que agora vos envergonhais? pois o fim dessas coisas é a morte.

22 Mas agora, libertos do pecado, e feitos servos de Deus, tendes o vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.

23 Porque o salário do pecado é a morte; mas o dom de Deus é a vida eterna por Jesus Cristo nosso Senhor.


CAPÍTULO 7

O objeto e a operação da lei.

1 Não sabeis vós, irmãos (porque falo aos que conhecem a lei), como a lei tem domínio sobre o homem apenas enquanto ele vive?

2 Porque a mulher que tem marido está ligada pela lei a seu marido somente enquanto ele viver; pois, se o marido estiver morto, ela está livre da lei de seu marido.

3 Assim, pois, se, enquanto o marido viver, ela for casada com outro homem, será chamada adúltera; mas se seu marido estiver morto, ela está livre dessa lei; para que ela não seja adúltera, embora seja casada com outro homem.

4 Portanto, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo; que vos caseis com outro, sim, com aquele que ressuscitou dos mortos, para que demos fruto para Deus.

5 Pois, quando estávamos na carne, os movimentos do pecado, que não estavam de acordo com a lei, operavam em nossos membros para produzir fruto para a morte.

6 Mas agora estamos livres da lei em que estávamos presos, estando mortos para a lei, para servirmos em novidade de espírito, e não na caducidade da letra.

7 O que diremos então? A lei é pecado? Deus me livre. Não, eu não conhecia o pecado, senão pela lei; porque eu não conhecia a concupiscência, a não ser que a lei dissesse: Não cobiçarás.

8 Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, operou em mim toda sorte de concupiscência. Pois sem a lei o pecado estava morto.

9 Pois uma vez eu estava vivo sem transgressão da lei, mas quando veio o mandamento de Cristo, o pecado reviveu, e eu morri.

10 E quando não acreditei no mandamento de Cristo que veio, que foi ordenado para a vida, achei que me condenava à morte.

11 Pois o pecado, tomando ocasião, negou o mandamento e me enganou; e por ela fui morto.

12 No entanto, achei a lei santa, e o mandamento santo, justo e bom.

13 Então o que é bom me fez morte? Deus me livre. Mas o pecado, para que pareça pecado pelo que é bom, operando a morte em mim; para que o pecado, pelo mandamento, se torne excessivamente pecaminoso.

14 Pois sabemos que o mandamento é espiritual; mas quando eu estava sob a lei, eu ainda era canal, vendido sob o pecado.

15 Mas agora sou espiritual; pois o que me mandam fazer, eu faço; e aquilo que me é ordenado não permitir, eu não permito.

16 Pois o que eu sei que não é certo, eu não faria; pois o que é pecado, eu odeio.

17 Se, pois, não faço o que não permitiria, concordo com a lei, que é boa; e não estou condenado.

18 Agora, pois, não sou mais eu que peco; mas procuro subjugar aquele pecado que habita em mim.

19 Pois eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; pois querer está presente em mim, mas realizar o que é bom não encontro, somente em Cristo.

20 Pois o bem que eu teria feito estando debaixo da lei, não acho bom; portanto, não o faço.

21 Mas o mal que eu não faria sob a lei, acho bom; aquilo eu faço.

22 Ora, se eu fizer isso, com a ajuda de Cristo, não faria sob a lei, não estou sob a lei; e não é mais que procuro fazer o mal, mas subjugar o pecado que habita em mim.

23 Acho então que, sob a lei, quando eu queria fazer o bem, o mal estava comigo; porque tenho prazer na lei de Deus segundo o homem interior.

24 E agora vejo outra lei, sim, o mandamento de Cristo, e está impresso em minha mente.

25 Mas os meus membros guerreiam contra a lei da minha mente, e me prendem à lei do pecado que está nos meus membros.

26 E se não subjugar o pecado que há em mim, mas servir com a carne à lei do pecado; Ó miserável homem que sou! quem me livrará do corpo desta morte?

27 Dou graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor, porque assim com a mente eu mesmo sirvo à lei de Deus.


CAPÍTULO 8

Aqueles que vivem no Espírito estão livres da condenação e têm certeza da libertação decretada por Deus – Toda a criação para participar da redenção de Cristo.

1 Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o Espírito.

2 Porque a lei do Espírito da vida em Cristo Jesus me libertou da lei do pecado e da morte.

3 Pois o que a lei não podia fazer, sendo fraca pela carne, Deus enviando seu próprio Filho em semelhança de carne do pecado, e pelo pecado, condenou o pecado na carne;

4 Para que a justiça da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.

5 Porque os que são segundo a carne pensam nas coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito, as coisas do Espírito.

6 Pois a inclinação da carne é morte; mas ter uma mente espiritual é vida e paz.

7 Porque a inclinação da carne é inimizade contra Deus; pois não está sujeito à lei de Deus, nem de fato pode estar.

8 Portanto, os que seguem a carne não podem agradar a Deus.

9 Mas vós não sois segundo a carne, mas segundo o Espírito, se é que o Espírito de Deus habita em vós. Ora, se alguém não tem o Espírito de Cristo, não é dele.

10 E se Cristo está em vós, ainda que o corpo morra por causa do pecado, o Espírito é vida, por causa da justiça.

11 E se o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos habita em vós, aquele que ressuscitou a Cristo dentre os mortos também vivificará vossos corpos mortais pelo seu Espírito que habita em vós.

12 Portanto, irmãos, somos devedores, não à carne, para vivermos segundo a carne.

13 Porque, se viverdes segundo a carne, para o pecado, morrereis; mas se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis para Cristo.

14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus.

15 Porque ainda não recebestes o espírito de escravidão para temer; mas recebestes o Espírito de adoção; pelo qual clamamos, Abba, Pai.

16 O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus;

17 E se filhos, então herdeiros; herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se é verdade que com ele padecemos, para que também juntos sejamos glorificados.

18 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são dignas de serem nomeadas com a glória que em nós há de ser revelada.

19 Porque a ardente expectativa da criatura aguarda a manifestação dos filhos de Deus.

20 Porque a criatura foi sujeita à tribulação não por vontade própria, mas por causa daquele que a sujeitou em esperança;

21 Porque também a própria criatura será libertada da escravidão da corrupção para a gloriosa liberdade dos filhos de Deus.

22 Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora.

23 E não somente eles, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, também nós gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo.

24 Pois somos salvos pela esperança; mas a esperança que se vê não é esperança; pois o que um homem vê, por que ele ainda espera?

25 Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos.

26 Do mesmo modo também o Espírito ajuda as nossas enfermidades; pois não sabemos pelo que devemos orar como deveríamos; mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.

27 E aquele que sonda os corações sabe qual é a intenção do Espírito, porque segundo a vontade de Deus intercede pelos santos.

28 E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.

29 Pois aquele que de antemão conheceu, também o predestinou para ser conforme à sua imagem, a fim de ser o primogênito entre muitos irmãos.

30 Além disso, aquele a quem predestinou, a esse também chamou; e aquele a quem chamou, a esse também santificou; e aquele a quem santificou, a esse também glorificou.

31 Que diremos então a estas coisas? Se Deus é por nós, quem pode prevalecer contra nós?

32 Aquele que não poupou a seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós, como não nos dará também com ele todas as coisas de graça?

33 Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem justifica.

34 Quem é aquele que condena? É Cristo que morreu, sim, que ressuscitou, que está à direita de Deus, que também intercede por nós.

35 Quem nos separará do amor de Cristo? tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?

36 Como está escrito: Por amor de ti somos mortos todo o dia; somos contados como ovelhas para o matadouro.

37 Não, em todas estas coisas somos mais que vencedores por meio daquele que nos amou.

38 Pois estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir,

39 Nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.


CAPÍTULO 9

A tristeza de Paulo pelos judeus – Razões, portanto – O chamado dos gentios.

1 Digo a verdade em Cristo, não minto, testificando-me também a minha consciência no Espírito Santo,

2 Que tenho grande tristeza e contínua tristeza em meu coração,

3 (Pois uma vez eu poderia ter desejado ser amaldiçoado por Cristo) por meus irmãos, meus parentes segundo a carne;

4 Quem são os israelitas; dos quais são a adoção, e a glória, e as alianças, e a entrega da lei, e o serviço de Deus,

5 E as promessas feitas aos pais; e de quem, quanto à carne, foi Cristo, que é Deus sobre todos, abençoado para sempre. Um homem.

6 Não como se a palavra de Deus não tivesse tido nenhum efeito. Pois nem todos são de Israel, os que são de Israel.

7 Nem, por serem todos filhos de Abraão, são descendência; mas: Em Isaque será chamada a tua descendência.

8 Isto é, os que são filhos da carne não são filhos de Deus; mas os filhos da promessa são contados para a semente.

9 Pois esta é a palavra da promessa. A esta hora virei, e Sara terá um filho.

10 E não somente Sara; mas quando Rebeca também concebeu de um, nosso pai Isaac,

11 (Pois os filhos ainda não nasceram, nem fizeram bem ou mal algum, para que o propósito de Deus, segundo a eleição, permanecesse, não de obras, mas daquele que chama;)

12 Foi-lhe dito: O mais velho servirá ao mais novo.

13 Como está escrito: Amei a Jacó, mas odiei a Esaú.

14 O que diremos então? Existe injustiça com Deus? Deus me livre.

15 Pois ele disse a Moisés: Compadecer-me-ei de quem eu tiver misericórdia, e terei compaixão de quem eu tiver compaixão.

16 Assim, pois, não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que se compadece.

17 Pois a Escritura diz a Faraó: Para este mesmo propósito te levantei, para mostrar em ti o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra.

18 Por isso se compadece de quem quer, e endurece a quem quer.

19 Então me dirás: Por que ele ainda critica? Pois quem resistiu à sua vontade?

20 Mas, ó homem, quem és tu que respondes contra Deus? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim?

21 Não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?

22 E se Deus, querendo mostrar a sua ira e tornar conhecido o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos da ira preparados para destruição;

23 E para dar a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que antes preparou para a glória,

24 A nós, a quem chamou, não só dos judeus, mas também dos gentios?

25 Como também diz em Oséias, chamarei meu povo, aquele que não era meu povo; e sua amada, que não era amada.

26 E acontecerá que no lugar onde lhes foi dito: Vós não sois meu povo; ali serão chamados filhos do Deus vivo.

27 Também Isaías clama a respeito de Israel: Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, um remanescente será salvo;

28 Pois ele terminará a obra e a abreviará com justiça; porque um trabalho curto fará o Senhor sobre a terra.

29 E como Esaias disse antes, a menos que o Senhor de Sabaoth nos tivesse deixado uma semente, nós tínhamos sido como Sodoma, e fomos feitos como Gomorra.

30 O que diremos então? Que os gentios, que não seguiram a justiça, alcançaram a justiça, sim, a justiça que vem da fé.

31 Mas Israel, que seguiu a lei da justiça, não alcançou a lei da justiça.

32 Por isso tropeçaram naquela pedra de tropeço, não pela fé, mas como que pelas obras da lei;

33 Como está escrito: Eis que ponho em Sião uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; e todo aquele que nele crer não será envergonhado.


CAPÍTULO 10

A justiça da lei e a da fé contrastaram.

1 Irmãos, o desejo e a oração do meu coração a Deus por Israel é que eles sejam salvos.

2 Pois lhes dou testemunho de que têm zelo de Deus, mas não segundo o conhecimento.

3 Pois eles, ignorando a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria justiça, não se submeteram à justiça de Deus.

4 Pois Cristo é o fim da lei para justiça de todo aquele que crê.

5 Porque Moisés descreve a justiça que vem da lei: Que o homem que fizer essas coisas viverá por elas.

6 Mas a justiça que vem da fé assim diz: Não digas em teu coração: Quem subirá ao céu? (que é trazer Cristo de cima;)

7 Ou, quem descerá ao abismo? (isto é, trazer Cristo novamente dentre os mortos.)

8 Mas o que diz isso? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé, que pregamos;

9 Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo.

10 Porque com o coração se crê para a justiça; e com a boca se faz confissão para a salvação.

11 Pois a Escritura diz: Todo aquele que nele crê não será envergonhado.

12 Pois não há diferença entre o judeu e o grego; porque o mesmo Senhor sobre todos é rico para todos os que o invocam.

13 Pois todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

14 Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como eles saberiam se ninguém contou?

15 E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos são os pés dos que pregam o evangelho da paz e trazem boas novas de coisas boas!

16 De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.

17 Mas eu digo, eles não ouviram? Sim, em verdade, seu som foi por toda a terra, e suas palavras até os confins do mundo.

18 Mas nem todos obedeceram ao evangelho. Pois Isaías diz: Senhor, quem acreditou em nosso relato?

19 Mas eu digo: Israel não sabia? Agora Moisés diz: Eu te provocarei ciúmes por aqueles que não são povo, e por uma nação insensata eu te irritarei.

20 Mas Isaías é muito ousado, e diz: Fui achado por aqueles que não me buscavam; Fui manifestado àqueles que não perguntaram por mim.

21 Mas a Israel diz: Todo o dia estendi as mãos a um povo rebelde e contraditório.


CAPÍTULO 11

Deus não rejeitou todo o Israel – Promessa de sua salvação.

1 Digo então: Deus rejeitou o seu povo? Deus me livre. Pois também eu sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim.

2 Deus não rejeitou o seu povo que de antemão conheceu. Não sabeis o que a Escritura diz de Elias? como ele se queixa a Deus contra Israel, dizendo:

3 Senhor, mataram os teus profetas e derrubaram os teus altares; e eu sou deixado sozinho, e eles procuram a minha vida.

4 Mas que lhe diz a resposta de Deus? Reservei para mim sete mil homens, que não dobraram os joelhos à imagem de Baal.

5 Assim também neste tempo presente há um remanescente segundo a eleição da graça.

6 E se é pela graça, já não é pelas obras; caso contrário, a graça não é mais graça. Mas se for de obras, então não é mais graça; caso contrário, o trabalho não é mais trabalho.

7 E então? Israel não obteve o que procura; mas a eleição a obteve, e os demais foram cegados.

8 (Conforme está escrito, Deus lhes deu o espírito de sono, olhos para que não vejam e ouvidos para não ouvir;) até o dia de hoje.

9 E disse Davi: Seja a sua mesa um laço, e uma armadilha, e uma pedra de tropeço, e uma recompensa para eles;

10 Escureçam-se os olhos deles, para que não vejam, e inclinem-se para sempre.

11 Digo então: tropeçaram para cair? Deus me livre; antes, pela sua queda, a salvação chegou aos gentios, para provocá-los ao ciúme.

12 Ora, se a queda deles é as riquezas do mundo, e a diminuição deles, as riquezas dos gentios; quanto mais a sua plenitude?

13 Pois vos falo, gentios, que, sendo eu o apóstolo dos gentios, magnifico o meu ofício.

14 Se de algum modo posso provocar a emulação daqueles que são a minha carne e salvar alguns deles.

15 Pois, se a expulsão deles é a reconciliação do mundo, qual será a restauração deles, senão a vida dentre os mortos?

16 Porque, se as primícias são santas, a massa também é santa; e se a raiz é santa, os ramos também o são.

17 E se alguns dos ramos forem quebrados, e tu, sendo zambujeiro, fores enxertado no meio deles, e com eles partilhares da raiz e da seiva da oliveira;

18 Não te glories contra os ramos, porque tu não tens a raiz, mas a tua raiz.

19 Porque, se te glorias, dirás: Os ramos foram quebrados para que fôssemos enxertados.

20 Bem; por causa da incredulidade foram quebrados, e tu permaneces pela fé. Não seja arrogante, mas teme;

21 Pois se Deus não poupou os ramos naturais, tome cuidado para que ele também não poupe a ti.

22 Eis, pois, a bondade e a severidade de Deus; sobre os que caíram, severidade; mas para contigo, bondade, se continuares na sua bondade; caso contrário, também serás cortado.

23 E eles também, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; pois Deus é capaz de enxertá-los novamente.

24 Porque foste cortado da oliveira brava por natureza, e contra a natureza foste enxertado em boa oliveira; quanto mais estes, que são os ramos naturais, serão enxertados na sua própria oliveira?

25 Porque não quero, irmãos, que ignoreis este mistério, para que não sejais sábios na vossa própria vaidade, que em parte veio a cegueira a Israel, até que haja entrado a plenitude dos gentios.

26 E então todo o Israel será salvo; como está escrito: Virá de Sião o Libertador, e desviará de Jacó a impiedade;

27 Porque esta é a minha aliança com eles, quando eu tirar os seus pecados.

28 Quanto ao evangelho, eles são inimigos por causa de vocês; mas quanto à eleição, eles são amados por causa dos pais.

29 Pois os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento.

30 Pois, assim como outrora não crestes em Deus, agora alcançais misericórdia pela sua incredulidade;

31 Assim também estes agora não creram, para que também pela tua misericórdia alcancem misericórdia.

32 Porque Deus encerrou a todos eles na incredulidade, para ter misericórdia de todos.

33 Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! quão insondáveis são seus julgamentos, e seus caminhos além de serem descobertos!

34 Pois quem conheceu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro?

35 Ou quem lhe deu primeiro, e isso lhe será recompensado?

36 Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; a quem seja a glória para sempre. Um homem.


CAPÍTULO 12

As misericórdias de Deus nos movem a servi-lo – Unidade da igreja – deveres cristãos ordenados.

1 Rogo-vos, pois, irmãos, pela misericórdia de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

2 E não vos conformeis com este mundo; mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

3 Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um que está entre vós, que não pense de si mesmo mais do que convém pensar, mas pense com moderação, conforme Deus deu a cada um a medida da fé .

4 Pois, como temos muitos membros em um corpo, e nem todos os membros têm o mesmo ofício;

5 Assim nós, sendo muitos, somos um corpo em Cristo, e todos membros uns dos outros.

6 Tendo, pois, diferentes dons segundo a graça que nos foi dada, ou seja, profecia, profetizemos segundo a proporção da fé;

7 Ou ministério, esperemos pelo nosso ministério; ou aquele que ensina, ao ensinar;

8 Ou aquele que exorta, exorta; quem dá, faça-o com simplicidade; aquele que governa com diligência; aquele que mostra misericórdia, com alegria.

9 Que o amor seja sem dissimulação. Abomine o que é mau e apegue-se ao que é bom.

10 Sejam bondosamente afeiçoados uns aos outros com amor fraternal; em honra preferindo um ao outro;

11 Não seja preguiçoso nos negócios; fervoroso de espírito; servindo ao Senhor;

12 Alegrando-se na esperança; paciente em tribulação; continuando o instante em oração;

13 Distribuindo à necessidade dos santos; dado à hospitalidade.

14 Abençoa os que te perseguem; abençoe, e não amaldiçoe.

15 Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram.

16 Tenham a mesma mente uns para com os outros. Não se importe com coisas altas, mas condescenda com homens de baixa condição. Não seja sábio em seus próprios conceitos.

17 A ninguém retribua mal por mal. As coisas honestas, perante todos os homens.

18 Se for possível, quanto estiver em vocês, vivam em paz com todos os homens.

19 Amados, não vos vingueis, mas dai lugar à ira; pois está escrito, a vingança é minha; Eu retribuirei, diz o Senhor.

20 Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dê-lhe de beber; pois ao fazê-lo amontoarás brasas vivas sobre a cabeça dele.

21 Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem.


CAPÍTULO 13

Sujeição aos governantes – O amor é o cumprimento da lei – Reprovação da gula e da embriaguez.

1 Que toda alma esteja sujeita aos poderes superiores. Pois não há poder na igreja senão de Deus; os poderes constituídos são ordenados por Deus.

2 Portanto, todo aquele que resiste ao poder resiste à ordenança de Deus; e os que resistirem serão punidos.

3 Pois os governantes não são terror para as boas obras, mas para as más. Não terás medo do poder? faz o que é bom, e terás louvor do mesmo;

4 Pois ele é o ministro de Deus para o bem. Mas se fizeres o mal, teme; porque ele não traz a vara em vão; pois ele é o ministro de Deus, um vingador para executar a ira sobre aquele que faz o mal.

5 Portanto, deveis estar sujeitos, não apenas à ira, mas também por causa da consciência.

6 Pois, por isso, paguei também a eles as vossas consagrações; pois eles são ministros de Deus, atendendo continuamente a esta mesma coisa.

7 Antes, porém, rendei a todos o que lhes é devido, conforme o costume, tributo a quem tributo, costume a quem costume, para que vossas consagrações sejam feitas com temor daquele a quem pertence o temor e em honra daquele a quem pertence a honra.

8 Portanto, ninguém deva nada a ninguém, a não ser amar uns aos outros; porque quem ama a outro cumpriu a lei.

9 Por isso não adulterarás, não matarás, não furtarás, não dirás falso testemunho, não cobiçarás; e se houver algum outro mandamento, é brevemente compreendido neste ditado, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

10 O amor não faz mal ao próximo; portanto, o amor é o cumprimento da lei.

11 E que, sabendo o tempo, já é tempo de despertar do sono; pois agora nossa salvação está mais próxima do que quando cremos.

12 A noite já passou, o dia está próximo; rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos da armadura da luz.

13 Andemos honestamente, como de dia; não em desordens e bebedeiras, não em devassidão e devassidão, não em contendas e invejas.

14 Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não cuideis da carne para satisfazer as suas concupiscências.


CAPÍTULO 14

Hipocrisia proibida – Caridade ordenada.

1 Recebei o que é fraco na fé, mas não para disputas duvidosas.

2 Porque um crê que pode comer de todas as coisas; outro, que é fraco, come ervas.

3 Quem come não despreze o que não come; e quem não come não julgue quem come; porque Deus o recebeu.

4 Quem és tu que julgas o servo de outro homem? para seu próprio mater ele permanece ou cai; sim, ele será retido; pois Deus é capaz de fazê-lo ficar de pé.

5 Um homem considera um dia acima de outro; outro estima todos os dias iguais. Que cada homem esteja plenamente persuadido em sua própria mente.

6 Aquele que respeita o dia, o considera para o Senhor; e quem não faz caso do dia, para o Senhor não o faz. Quem come, come para o Senhor, porque dá graças a Deus; e quem não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus.

7 Pois nenhum de nós vive para si mesmo, e ninguém morre para si mesmo.

8 Pois, se vivemos, vivemos para o Senhor; e se morremos, morremos para o Senhor; quer vivamos ou morramos, somos do Senhor.

9 Pois para isso Cristo morreu, ressuscitou e reviveu, para ser Senhor tanto de mortos como de vivos.

10 Mas por que julgas teu irmão? ou por que desprezas teu irmão? pois todos estaremos perante o tribunal de Cristo.

11 Porque eu vivo, diz o Senhor, como está escrito. E todo joelho se dobrará a mim, e toda língua jurará a Deus.

12 Assim, pois, cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.

13 Portanto, não nos julguemos mais uns aos outros; mas julgue antes que nenhum homem ponha uma pedra de tropeço ou uma ocasião para cair no caminho de seu irmão.

14 Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, de que nada é imundo por si mesmo; mas para aquele que considera alguma coisa impura, para esse é impura.

15 Mas, se teu irmão se entristece com a tua comida, não andas caridosamente se comeres. Portanto, não o destruas com a tua comida, por quem Cristo morreu.

16 Não se fale mal do vosso bem;

17 Porque o reino de Deus não é comida nem bebida; mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.

18 Porque quem nisto serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens.

19 Sigamos, pois, as coisas que trazem a paz e as coisas com que uns podem edificar os outros.

20 Pois a carne não destrói a obra de Deus. Todas as coisas realmente são puras; mas é mau para o homem que come com escândalo.

21 É bom não comer carne, nem beber vinho, nem qualquer outra coisa em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.

22 Tens fé? tê-lo para si mesmo diante de Deus. Feliz é aquele que não se condena naquilo que permite.

23 E quem duvida é condenado se comer, porque não é de fé; pois tudo o que não é de fé é pecado.


CAPÍTULO 15

O forte deve suportar o fraco – Cristo nosso exemplo.

1 Nós, pois, que somos fortes, devemos suportar as enfermidades dos fracos, e não agradar a nós mesmos.

2 Que cada um de nós agrade ao seu próximo para o seu bem para edificação.

3 Pois nem mesmo Cristo agradou a si mesmo; mas, como está escrito: As injúrias daqueles que te injuriaram caíram sobre mim.

4 Pois tudo o que outrora foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que, pela paciência e consolação das Escrituras, tenhamos esperança.

5 Ora, o Deus da paciência e da consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, como foi Cristo Jesus;

6 Para que, com um só pensamento e uma só boca, glorifiqueis a Deus, o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo.

7 Portanto, recebei-vos uns aos outros, como também Cristo nos recebeu, para glória de Deus.

8 Agora digo que Jesus Cristo foi ministro da circuncisão para a verdade de Deus, para confirmar as promessas feitas aos pais;

9 E para que os gentios glorifiquem a Deus por sua misericórdia; como está escrito: Por isso te confessarei entre os gentios, e cantarei ao teu nome.

10 E novamente disse: Alegrai-vos, gentios, com o seu povo.

11 E também: Louvai ao Senhor, todos os gentios; e elogie-o, todos vocês.

12 E outra vez, Isaías diz: Haverá uma raiz de Jessé, e aquele que se levantar para reinar sobre os gentios; nele os gentios confiarão.

13 Ora, o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz na vossa fé, para que abundeis em esperança pelo poder do Espírito Santo.

14 E eu também estou certo de vós, meus irmãos, de que vós também estais cheios de bondade, cheios de todo o conhecimento, podendo também admoestar-vos uns aos outros.

15 Contudo, irmãos, de certa forma vos escrevi com maior ousadia, para recordar-vos, por causa da graça que me foi dada por Deus.

16 Para que eu seja ministro de Jesus Cristo entre os gentios, ministrando o evangelho de Deus, para que seja aceitável a oferta dos gentios, santificada pelo Espírito Santo.

17 Portanto, tenho de que me gloriar por meio de Jesus Cristo nas coisas que pertencem a Deus.

18 Pois não ousaria falar de nenhuma das coisas que Cristo não fez por mim, para tornar obedientes os gentios, por palavras e obras.

19 Por meio de poderosos sinais e prodígios, pelo poder do Espírito de Deus; de modo que de Jerusalém, e ao redor até o Ilírico, preguei plenamente o evangelho de Cristo.

20 Sim, assim me esforcei para pregar o evangelho, não onde Cristo foi nomeado, para não edificar sobre o fundamento de outro homem;

21 Mas, como está escrito: A quem não se falou, verão; e os que não ouviram entenderão.

22 Por isso também tenho sido muito impedido de ir ter convosco.

23 Mas agora não tendo mais lugar nestas paragens, e tendo muitos anos desejo de vir ter convosco;

24 Quando eu partir para a Espanha, irei até você; pois confio em vê-lo em minha jornada e ser levado por você para lá, se primeiro eu ficar um pouco satisfeito com suas orações.

25 Mas agora vou a Jerusalém para ministrar aos santos.

26 Porque agradou aos da Macedônia e da Acaia fazer uma certa contribuição para os pobres santos que estão em Jerusalém.

27 Em verdade lhes agradou; e são seus devedores. Pois se os gentios foram feitos participantes de suas coisas espirituais, seu dever também é ministrar a eles nas coisas carnais. 228 Quando, pois, eu tiver feito isso e selado a eles este fruto, passarei por você para a Espanha.

29 E estou certo de que, quando for ter convosco, virei na plenitude da bênção do evangelho de Cristo.

30 Rogo-vos, irmãos, por amor do Senhor Jesus Cristo e pelo amor do Espírito, que luteis comigo nas vossas orações a Deus por mim;

31 Para que eu seja liberto dos que não creem na Judéia; e que meu serviço que tenho para Jerusalém seja aceito pelos santos;

32 Para que eu possa ir ter convosco com alegria pela vontade de Deus, e convosco me refrigere.

33 Agora o Deus da paz esteja com todos vocês. Um homem.


CAPÍTULO 16

Paulo os aconselha a tomar cuidado com aqueles que causam dissensão e a evitá-los.

1 Recomendo-vos Febe, nossa irmã, serva da igreja que está em Cencréia;

2 Que a recebais no Senhor, como convém aos santos, e que a ajudeis em tudo o que ela precisar de vós; pois ela tem sido uma socorrista de muitos, e de mim também.

3 Saudai Priscila e Áquila, meus colaboradores em Cristo Jesus;

4 Que por minha vida depuseram seus próprios pescoços; a quem não só dou graças, mas também a todas as igrejas dos gentios.

5 Saudai também a igreja que está em sua casa. Saudai meu bem-amado Epeneto, que é as primícias da Acaia para Cristo.

6 Saudai a Maria, que nos deu muito trabalho.

7 Saudai Andrônico e Júnia, meus parentes e companheiros de prisão, que são notáveis entre os apóstolos, que também estiveram em Cristo antes de mim.

8 Saudai Amplias, meu amado no Senhor.

9 Saudai Urbane, nosso ajudante em Cristo, e Stachys, meu amado.

10 Saudação Apeles aprovado em Cristo. Saudai os que são da igreja de Aristóbulo.

11 Saudai Herodion, meu parente. Saudai os que são da igreja de Narciso, que estão no Senhor.

12 Saudai Trifena e Trifosa, que trabalham no Senhor. Saudai a amada Persis, que muito trabalhou no Senhor.

13 Saudai Rufo escolhido no Senhor, sua mãe e minha.

14 Saudai Asíncrito, Flegonte, Hermas, Pátrobas, Hermes e os irmãos que estão com eles.

15 Saudai Filólogo, Júlia, Nereu e sua irmã, Olimpas e todos os santos que estão com eles.

16 Saudai-vos uns aos outros com uma saudação santa. As igrejas de Cristo vos saúdam.

17 Rogo-vos, irmãos, que noteis os que causam divisões e escândalos contrários à doutrina que aprendestes; e evitá-los.

18 Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com boas palavras e discursos justos enganam os corações dos simples.

19 Porque a vossa obediência foi divulgada a todos os homens. Estou feliz, portanto, em seu nome; mas ainda quero que você seja sábio para o que é bom e simples para o mal.

20 E o Deus da paz esmagará em breve a Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja convosco. Um homem.

21 Timóteo, meu colega de trabalho, Lúcio, Jasão e Sosípater, meus parentes, saúdam-te.

22 Eu, Tércio, que escrevi esta epístola, vos saúdo no Senhor.

23 Gaio, meu exército, e de toda a igreja vos saúda. Erastus, o camareiro da cidade, saúda-te, e Quartus, um irmão.

24 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo esteja com todos vocês. Um homem.

25 Ora, àquele que tem poder para vos confirmar segundo o evangelho, e a pregação de Jesus Cristo, segundo a revelação do mistério, que esteve oculto desde o princípio do mundo,

26 Mas agora é manifestado, e pelas escrituras dos profetas, conforme o mandamento do Deus eterno, dado a conhecer a todas as nações para a obediência da fé;

27 Ao único Deus sábio, seja glória por meio de Jesus Cristo para sempre. Um homem. Escrito aos romanos de Corinto e enviado por Febe, serva da igreja em Cencréia.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

The Remnant Church Headquarters in Historic District Independence, MO. Church Seal 1830 Joseph Smith - Church History - Zionic Endeavors - Center Place

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.