2 Coríntios

A Segunda Epístola de Paulo Apóstolo aos Coríntios

 

CAPÍTULO 1

O apóstolo os encoraja contra problemas – Sua maneira sincera de pregar o evangelho – O penhor do Espírito.

1 Paulo, apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus, e nosso irmão Timóteo, à igreja de Deus que está em Corinto, com todos os santos que estão em toda a Acaia;

2 Graça a vós e paz da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

3 Bendito seja Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Pai das misericórdias e Deus de toda consolação;

4 Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.

5 Porque, assim como os sofrimentos de Cristo abundam em nós, assim também a nossa consolação abunda em Cristo.

6 E se formos afligidos, é para vossa consolação e salvação, que é eficaz para suportarmos os mesmos sofrimentos que nós também sofremos; ou quer sejamos consolados, é para vossa consolação e salvação.

7 E a nossa esperança de vós é firme, sabendo que, assim como sois participantes dos sofrimentos, também sereis da consolação.

8 Pois não queremos, irmãos, que ignoreis a nossa tribulação que nos sobreveio na Ásia, de que fomos oprimidos, acima de nossas forças, a ponto de desesperarmos até da vida;

9 Mas nós mesmos tínhamos a sentença de morte, para que não confiássemos em nós mesmos, mas em Deus, que ressuscita os mortos;

10 Quem nos livrou de tão grande morte, e livra; em quem confiamos que ele ainda nos livrará;

11 Vós também ajudando juntos pela oração por nós, para que, pelo dom que nos foi concedido por meio de muitas pessoas, muitas graças sejam dadas por nós.

12 Porque a nossa alegria é esta, o testemunho da nossa consciência, de que em simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas pela graça de Deus, temos conversado no mundo, e mais abundantemente para convosco.

13 Pois nada vos escrevemos além do que lês ou reconheceis; e confio que reconhecereis até o fim;

14 Como também em parte nos reconhecestes, que somos a vossa alegria, como também vós sois a nossa no dia do Senhor Jesus.

15 E com esta confiança decidi ir ter convosco antes, para que tivésseis um segundo benefício;

16 E passar por vós para a Macedônia, e tornar a sair da Macedônia a vós, e de vós ser levado para a Judéia.

17 Quando, portanto, pensei assim, usei a leveza? ou as coisas que proponho, proponho segundo a carne, que comigo haja sim, sim, e não, não?

18 Mas, como Deus é verdadeiro, nossa palavra para convosco não foi sim e não.

19 Porque o filho de Deus, Jesus Cristo, que entre vós foi pregado por nós, por mim, Silvano e Timóteo, não era sim e não, mas nele era sim.

20 Pois todas as promessas de Deus nele estão sim, e nele o amém, para a glória de Deus por nós.

21 Ora, aquele que nos confirma convosco em Cristo, e nos ungiu, é Deus.

22 o qual também nos selou e deu o penhor do Espírito em nossos corações.

23 Além disso, invoco a Deus para um registro sobre minha alma, de que, para poupá-los, ainda não vim a Corinto.

24 Não é que tenhamos domínio sobre a vossa fé, mas sim ajudamos a vossa alegria; pois pela fé estais de pé.


CAPÍTULO 2

Do perdão – O ministro o sabor de Cristo.

1 Mas estabeleci isso comigo mesmo, que não voltaria a ti com tristeza.

2 Pois, se eu vos entristeço, quem é então aquele que me alegra, senão aquele que por mim é contristado?

3 E isto vos escrevi, para que, quando eu vier, não tenha tristeza por parte daqueles de quem devo alegrar-me; tendo confiança em todos vós, que a minha alegria é a alegria de todos vós.

4 Pois com muita tribulação e angústia de coração vos escrevi com muitas lágrimas; não para que vos entristeçais, mas para que conheçais o amor que vos tenho mais abundantemente.

5 Mas, se alguém me entristeceu, não me entristeceu, mas em parte; para que eu não sobrecarregue todos vocês.

6 Basta a tal homem este castigo, que foi infligido a muitos.

7 De modo que, ao contrário, deveis antes perdoá-lo e consolá-lo, para que não seja engolido por tanta tristeza.

8 Portanto, rogo-vos que confirmeis o vosso amor para com ele.

9 Pois também para isso escrevi, para saber a prova de vós, se em tudo sois obedientes.

10 A quem perdoardes alguma coisa, eu também perdôo; porque se perdoei alguma coisa, a quem perdoei, por amor de vós perdoo na pessoa de Cristo;

11 Para que Satanás não tire vantagem de nós; pois não ignoramos seus dispositivos.

12 Além disso, quando cheguei a Trôade para pregar o evangelho de Cristo, e uma porta me foi aberta pelo Senhor,

13 Não tive descanso no meu espírito, porque não achei meu irmão Tito; mas, despedindo-me deles, parti dali para a Macedônia.

14 Agora, graças a Deus, que sempre nos faz triunfar em Cristo, e por nós manifesta em todo lugar o cheiro do seu conhecimento.

15 Porque nós somos para Deus o cheiro suave de Cristo, nos que são salvos e nos que perecem;

16 Para ele somos cheiro de morte para morte; e para o outro o cheiro de vida para vida. E quem é suficiente para essas coisas?

17 Porque não somos tantos que corrompem a palavra de Deus; mas como de sinceridade, mas como de Deus, diante de Deus falamos em Cristo.


CAPÍTULO 3

Trabalho de escritório do Espírito – O Espírito, liberdade.

1 Começamos de novo a nos elogiar? ou precisamos, como alguns outros, de epístolas de recomendação para você, ou cartas de recomendação de você?

2 Vós sois a nossa epístola escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens;

3 Visto que sois manifestamente declarados ser a epístola de Cristo ministrada por nós, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas em tábuas carnais do coração.

4 E tal confiança temos nós, por meio de Cristo, em Deus.

5 Não que sejamos suficientes por nós mesmos para pensar qualquer coisa como de nós mesmos; mas nossa suficiência é de Deus;

6 Quem também nos fez ministros competentes do novo testamento; não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata, mas o Espírito vivifica.

7 Mas se o ministério da morte, escrito e gravado em pedras, foi glorioso, de modo que os filhos de Israel não puderam contemplar com firmeza o rosto de Moisés para a glória do seu semblante; qual glória deveria ser eliminada;

8 Como não será glorioso o ministério do Espírito?

9 Porque, se o ministério da condenação é glória, muito mais o ministério da justiça excede em glória.

10 Pois mesmo o que foi feito glorioso não teve glória neste aspecto, por causa da glória que supera.

11 Porque, se era glorioso o que se apagou, muito mais glorioso é o que resta.

12 Vendo, pois, que temos tal esperança, usamos de grande franqueza no falar;

13 E não como Moisés, que pôs um véu sobre o rosto, para que os filhos de Israel não pudessem olhar com firmeza para o fim do que é abolido;

14 Mas suas mentes estavam cegas; pois até este dia permanece o mesmo véu não retirado na leitura do antigo testamento; qual véu é removido em Cristo.

15 Mas até hoje, quando Moisés é lido, o véu está sobre o coração deles.

16 No entanto, quando seu coração se voltar para o Senhor, o véu será retirado.

17 Agora o Senhor é aquele Espírito; e onde está o Espírito do Senhor, há liberdade.

18 Mas todos nós, com o rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.


CAPÍTULO 4

A maneira de Paulo pregar o evangelho – Sua fidelidade na tribulação.

1 Portanto, tendo este ministério, assim como recebemos misericórdia, não desfalecemos;

2 Mas renunciaram às coisas ocultas da desonestidade, não andando com astúcia, nem manipulando enganosamente a palavra de Deus; mas, pela manifestação da verdade, recomendando-nos à consciência de cada homem à vista de Deus.

3 Mas, se o nosso evangelho está encoberto, para os que se perdem está encoberto;

4 Nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.

5 Pois não pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus, o Senhor; e nós mesmos vossos servos por amor de Jesus.

6 Porque Deus, que disse que das trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus na face de Jesus Cristo.

7 Mas temos este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.

8 Somos atribulados por todos os lados, mas não angustiados; estamos perplexos, mas não desesperados;

9 Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;

10 Levando sempre no corpo o morrer do Senhor Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nosso corpo.

11 Porque nós, os que vivemos, somos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal.

12 Assim, pois, ela opera a morte para nós, mas para vós a vida.

13 Nós, tendo o mesmo espírito de fé, como está escrito, eu acreditei, e por isso falei; nós também cremos e, portanto, falamos;

14 Sabendo que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus, também por Jesus nos ressuscitará, e nos apresentará convosco.

15 Porque tudo suportamos por amor de vós, para que a graça abundante, pela ação de graças de muitos, redunde para a glória de Deus.

16 Por isso não desfalecemos; mas ainda que nosso homem exterior pereça, ainda assim o homem interior é renovado dia a dia.

17 Porque a nossa leve tribulação, que dura apenas um momento, produz para nós um peso de glória mui excelente e eterno;

18 Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; pois as coisas que são vistas são temporais; mas as coisas que não se vêem são eternas.


CAPÍTULO 5

A esperança de Paulo na ressurreição – O tribunal de Cristo – A nova criatura.

1 Pois sabemos que, se a nossa casa terrena deste tabernáculo for desfeita, temos um edifício de Deus, uma casa não feita por mãos, eterna nos céus.

2 Porque nisto gememos, desejando ardentemente ser revestidos da nossa casa, que é do céu;

3 Se for assim, vestidos, não seremos achados nus.

4 Porque nós, que estamos neste tabernáculo, gememos, sobrecarregados; não para que fôssemos despidos, mas revestidos, para que a mortalidade pudesse ser engolida pela vida.

5 Ora, aquele que nos fez por esta mesma coisa é Deus, o qual também nos deu o penhor do Espírito.

6 Portanto, estamos sempre confiantes, sabendo que, enquanto estamos em casa no corpo, estamos ausentes do Senhor;

7 (Porque andamos por fé, não por vista;)

8 Estamos confiantes, eu digo, e desejamos antes estar ausentes do corpo e estar presentes com o Senhor.

9 Por isso trabalhamos para que, presentes ou ausentes, sejamos aceitos por ele.

10 Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba o galardão das obras praticadas por meio do corpo; coisas de acordo com o que ele fez, seja bom ou mau.

11 Conhecendo, pois, o terror do Senhor, persuadimos os homens; mas somos manifestados a Deus; e espero que também sejam manifestados em suas consciências.

12 Porque não nos recomendamos outra vez a vós, mas vos damos ocasião de vos gloriardes por nós, para que tenhais o que responder aos que se gloriam na aparência e não no coração.

13 Pois testemunhamos que não estamos fora de nós; pois se nos gloriamos, é para Deus, ou se somos sóbrios, é por amor de vocês.

14 Porque o amor de Cristo nos constrange; porque assim julgamos que, se um morreu por todos, todos estão mortos;

15 E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam doravante para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.

16 Portanto, de agora em diante, não vivemos mais segundo a carne; sim, embora uma vez tenhamos vivido segundo a carne, desde que conhecemos a Cristo, agora não vivemos mais segundo a carne.

17 Portanto, se alguém vive em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo,

18 E recebe todas as coisas de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação;

19 A saber, que Deus está em Cristo, reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando as suas transgressões; e nos confiou a palavra da reconciliação.

20 Agora, pois, somos embaixadores de Cristo, como se Deus por nós vos rogasse; rogamos-vos em lugar de Cristo, reconciliai-vos com Deus.

21 Porque ele o fez pecado por nós, que não conheceu pecado; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.


CAPÍTULO 6

O modo de vida e pregação de Paulo.

1 Nós, pois, cooperadores de Cristo, também vos rogamos que não recebais em vão a graça de Deus.

2 (Pois ele diz: Eu te ouvi em um tempo aceitável, e no dia da salvação eu te socorri; eis que agora é o dia da salvação.)

3 Não ofendendo em nada, para que o ministério não seja censurado;

4 Mas em tudo nos reconhecendo como ministros de Deus, com muita paciência, nas tribulações, nas necessidades, nas angústias,

5 Em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns;

6 Pela pureza, pelo conhecimento, pela longanimidade, pela benignidade, pelo Espírito Santo, pelo amor não fingido,

7 Pela palavra da verdade, pelo poder de Deus, pela armadura da justiça à direita e à esquerda,

8 Por honra e desonra, por má fama e boa fama; como enganadores, e ainda assim verdadeiros;

9 Como desconhecido, mas bem conhecido; como morrendo, e eis que vivemos; como castigado, e não morto;

10 Como entristecidos, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo todas as coisas.

11 Ó coríntios, nossa boca está aberta para vocês, nosso coração está dilatado.

12 Vós não estais constrangidos em nós, mas sois constrangidos nas vossas próprias entranhas.

13 Agora, como recompensa no mesmo, (falo como a meus filhos), sede vós também alargados.

14 Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; pois que comunhão tem a justiça com a injustiça? e que comunhão tem a luz com as trevas?

15 E que concórdia tem Cristo com Belial? ou que parte tem aquele que crê com um infiel?

16 E que acordo tem o templo de Deus com os ídolos? porque sois o templo do Deus vivo; como Deus disse, neles habitarei e neles andarei; e eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.

17 Portanto, saí do meio deles e separai-vos, diz o Senhor, e não toqueis em coisa impura; e eu te receberei,

18 E vos serei Pai, e vós sereis meus filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso.


CAPÍTULO 7

Pureza de carne e espírito ordenada.

1 Tendo pois estas promessas, amados, purifiquemo-nos de toda imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus.

2 Receba-nos; não prejudicamos a ninguém, não corrompemos a ninguém, não defraudamos a ninguém.

3 Não falo isso para te condenar; pois eu disse antes, que vocês estão em nossos corações para morrer e viver com vocês.

4 Grande é a minha ousadia de falar para convosco, grande é a minha glória de vós; Estou cheio de conforto, estou extremamente alegre em todas as nossas tribulações.

5 Pois, quando chegamos à Macedônia, nossa carne não descansou, mas fomos atribulados por todos os lados; fora havia lutas, dentro havia medos.

6 No entanto, Deus, que consola os abatidos, nos consolou com a vinda de Tito;

7 E não somente pela sua vinda, mas pela consolação com que foi consolado em vós, quando nos contou o vosso desejo sincero, o vosso pranto, o vosso desejo ardente para comigo; para que eu me alegre mais.

8 Pois, embora eu tenha feito você se arrepender com uma carta, não me arrependo, embora tenha me arrependido; pois percebo que a mesma epístola fez você se arrepender, embora fosse apenas por um tempo.

9 Agora me alegro, não porque fostes contristados, mas porque vos entristeci para arrependimento; porque fostes contristados de maneira piedosa, para que em nada recebestes dano por nós;

10 Pois a tristeza segundo Deus opera o arrependimento para a salvação, da qual não há arrependimento; mas a tristeza do mundo opera a morte.

11 Pois eis que esta mesma coisa que vos entristecestes segundo um tipo piedoso, que cuidado operou em vós, sim, que desejo veemente, sim, que zelo, sim, que vingança! Em todas as coisas vocês se aprovaram para serem claros neste assunto.

12 Portanto, embora vos tenha escrito, não o fiz por causa da causa que fez o mal, nem pela causa que sofreu o mal, mas para que vos pareça o nosso cuidado por vós diante de Deus.

13 Por isso fomos consolados na vossa consolação; sim, e tanto mais nos regozijamos pela alegria de Tito, porque seu espírito foi revigorado por todos vocês.

14 Porque, se alguma coisa me vangloriei de vós perante ele, não me envergonho; mas, como vos dissemos todas as coisas em verdade, assim também a nossa jactância, que fiz diante de Tito, é considerada uma verdade.

15 E a sua afeição interior é mais abundante para convosco, enquanto ele se lembra da obediência de todos vós, como com temor e tremor o recebestes.

16 Alegro-me, pois, por confiar em ti em todas as coisas.


CAPÍTULO 8

A liberalidade imposta.

1 Além disso, irmãos, queremos que vocês conheçam a graça de Deus concedida às igrejas da Macedônia;

2 Como em grande prova de tribulação, a abundância de sua alegria e sua profunda pobreza abundaram em riquezas de sua liberalidade.

3 Pois do seu poder, eu testifico, sim, e além do seu poder eles estavam dispostos a si mesmos;

4 Rogando-nos com muita súplica para que recebamos o dom e tomemos sobre nós a comunhão de ministrar aos santos.

5 E isso eles fizeram, não como exigimos, mas primeiro se entregaram ao Senhor e a nós pela vontade de Deus.

6 De modo que desejamos a Tito que, assim como começou, também cumpra em vós a mesma graça.

7 Portanto, assim como em tudo tendes abundar na fé, e na palavra, e no conhecimento, e em toda a diligência, e no vosso amor para conosco, vede que também nesta graça abundeis.

8 Não falo por mandamento, mas por ocasião da ousadia dos outros, e para provar a sinceridade do seu amor.

9 Pois vocês conhecem a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre, para que pela sua pobreza enriquecêsseis.

10 E aqui dou meu conselho; pois isso é conveniente para você, que começou antes, não apenas a fazer, mas também a avançar há um ano.

11 Agora, pois, executai-o; que, como houve uma prontidão para querer, também pode haver um desempenho do que você tem.

12 Porque, se houver primeiro uma vontade voluntária, será aceita segundo o que o homem tem, e não segundo o que não tem.

13 Pois não quero dizer que os outros sejam aliviados, e vós sobrecarregados;

14 Mas para igualdade, para que agora, neste tempo, a vossa abundância satisfaça a falta deles, para que também a abundância deles satisfaça a vossa falta; para que haja igualdade;

15 Como está escrito: Ao que muito ajuntava, nada sobrava; e aquele que pouco colhera não lhe faltou.

16 Mas graças a Deus, que pôs o mesmo cuidado no coração de Tito por vós.

17 Pois de fato ele aceitou a exortação; mas sendo mais adiantado, por sua própria vontade ele foi até vocês.

18 E enviamos com ele o irmão, cujo louvor está no evangelho por todas as igrejas;

19 E não apenas isso, mas também quem foi escolhido das igrejas para viajar conosco com esta graça, que é administrada por nós para a glória do mesmo Senhor e declaração de sua mente pronta;

20 Evitando isso, que ninguém nos culpe nesta abundância que é administrada por nós;

21 Cuidando do que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens.

22 E com eles enviamos nosso irmão, a quem temos provado diligente em muitas coisas, mas agora muito mais diligente.

23 Portanto, nós o enviamos a vós, por causa da grande confiança que temos em vós, de que recebereis o que vos diz respeito, para glória de Cristo; se enviamos pela mão de Tito, meu parceiro e cooperador, ou nossos irmãos, os mensageiros das igrejas.

24 Portanto mostrai-lhes e perante as igrejas a prova do vosso amor e da nossa glória por vós.


CAPÍTULO 9

Razões para a liberalidade.

1 Pois quanto ao ministrar aos santos, é supérfluo para mim escrever-vos;

2 Pois eu sei a presteza de sua mente, pela qual me gabo de você para os da Macedônia, que Acaia estava pronta há um ano; e o vosso zelo provocou muitos.

3 Contudo, enviei os irmãos, para que não seja vã a nossa jactância de vós; para que, como eu disse, estejais prontos;

4 Para que, se os da Macedônia vierem comigo, e não vos acharem desprevenidos, nós (que não dissemos, vós) sejamos envergonhados nesta mesma jactância confiante.

5 Por isso, julguei necessário exortar os irmãos a irem ter convosco, e prepararem de antemão a vossa recompensa, onde antes havíeis notado, para que a mesma esteja pronta, como uma questão de graça, e não como de cobiça.

6 Mas digo isto: O que semeia pouco também ceifará pouco; e o que semeia em abundância também ceifará em abundância.

7 Cada um conforme propôs em seu coração, assim dê; não de má vontade, ou por necessidade; pois Deus ama o doador com alegria.

8 E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça; para que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra;

9 (Como está escrito: Ele dispersou; deu aos pobres; a sua justiça permanece para sempre.

10 Ora, aquele que ministra a semente ao semeador, ministra o pão para o vosso mantimento, e multiplicai a vossa semente semeada, e aumentai os frutos da vossa justiça;)

11 Sendo enriquecidos em tudo para toda a generosidade, que por meio de nós produz ações de graças a Deus.

12 Porque a administração deste serviço não só supre as necessidades dos santos, mas também é abundante em muitas ações de graças a Deus;

13 Enquanto pela experiência deste ministério eles glorificam a Deus por sua sujeição professada ao evangelho de Cristo e por sua distribuição liberal a eles e a todos os homens;

14 E pela sua oração por vós, que anseiam por vós, pela suprema graça de Deus em vós.

15 Graças a Deus por seu dom indescritível.


CAPÍTULO 10

O elogio de Paulo como ministro.

1 Ora, eu mesmo, Paulo, vos rogo pela mansidão e brandura de Cristo, que na presença sou vil entre vós, mas estando ausente sou ousado para convosco;

2 Mas rogo-vos que não seja ousado, quando estiver presente, com aquela confiança, com a qual julgo ser ousado contra alguns, que pensam de nós como se andássemos segundo a carne.

3 Pois, ainda que andemos na carne, não militamos segundo a carne;

4 (Pois as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus para destruir fortalezas;)

5 Derribando os pensamentos e toda altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo pensamento à obediência de Cristo;

6 E tendo prontidão para vingar toda desobediência, quando a tua obediência for cumprida.

7 Vocês olham para as coisas depois da aparência? Se alguém confia em si mesmo que é de Cristo, que pense novamente por si mesmo, que, como ele é de Cristo, também nós somos de Cristo.

8 Pois ainda que eu me glorie um pouco mais de nossa autoridade, que o Senhor nos deu para edificação, e não para vossa destruição, não me envergonharia;

9 Para que eu não pareça que vou amedrontá-los com cartas.

10 Pois suas cartas, dizem eles, são pesadas e poderosas; mas sua presença corporal é fraca e sua fala desprezível.

11 Pense este tal que, como somos em palavras por letras quando ausentes, assim seremos também em obras quando estivermos presentes.

12 Pois não nos atrevemos a fazer parte do número, nem nos comparar com alguns que se recomendam; mas eles, medindo-se por si mesmos e comparando-se entre si, não são sábios.

13 Mas não nos gloriaremos de coisas sem medida, mas segundo a medida da regra que Deus nos distribuiu, medida que chega até vós.

14 Pois não nos estendemos além da nossa medida, como se não tivéssemos chegado a vós; pois chegamos a vós também na pregação do evangelho de Cristo;

15 Não nos vangloriando de coisas sem medida, isto é, do trabalho alheio; mas tendo esperança, quando a vossa fé for aumentada, de que por vós seremos engrandecidos em abundância, segundo o nosso governo,

16 Para pregar o evangelho nas regiões além de vós, e não nos gloriarmos na linha de coisas de outro homem preparadas para nossas mãos.

17 Mas aquele que se gloria, glorie-se no Senhor.

18 Porque não aquele que elogia a si mesmo é aprovado, mas aquele que o Senhor elogia.


CAPÍTULO 11

Superioridade do ministério de Paulo – Satanás transformado – os sofrimentos de Paulo.

1 Quisera Deus que pudésseis suportar um pouco de minha insensatez; e realmente tenha paciência comigo.

2 Pois estou zeloso de vocês com zelo piedoso; porque te desposei com um só marido, para te apresentar como uma virgem casta a Cristo.

3 Mas temo que, de modo algum, assim como a serpente enganou Eva com sua astúcia, assim também vossas mentes sejam corrompidas da simplicidade que há em Cristo.

4 Porque, se aquele que vier pregar outro Jesus, que nós não temos pregado, ou se receberdes outro espírito que não recebestes, ou outro evangelho que não aceitastes, bem podereis suportar-me.

5 Pois suponho que eu não estava nem um pouco atrás dos apóstolos mais importantes.

6 Mas, embora eu seja rude no falar, não no conhecimento; mas em todas as coisas fomos plenamente manifestados entre vós.

7 Cometi alguma ofensa ao rebaixar-me para que sejais exaltados, por vos ter anunciado gratuitamente o evangelho de Deus?

8 Roubei outras igrejas, cobrando delas o salário, para te servir.

9 E, estando eu convosco, e carente, não fui responsável por ninguém; pois o que me faltava os irmãos que vinham da Macedônia supriam; e em todas as coisas me guardei de ser um fardo para vocês, e assim me guardarei.

10 Como a verdade de Cristo está em mim, ninguém me impedirá de me gloriar nas regiões da Acaia.

11 Por que? porque eu não te amo? Deus sabe.

12 Mas o que eu faço, isso farei, para cortar ocasião aos que desejam ocasião; para que eles se gloriem, eles podem ser encontrados assim como nós.

13 Pois tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo.

14 E não é de admirar; pois o próprio Satanás é transformado em anjo de luz.

15 Portanto, não é grande coisa que os seus ministros também sejam transformados em ministros da justiça; cujo fim será segundo as suas obras.

16 Repito: Ninguém me julgue tolo; se não, recebe-me como insensato, para que um pouco me glorie.

17 O que eu falo, não o falo segundo o Senhor, mas como que tolamente, nesta confiança de jactância.

18 Vendo que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei.

19 Porque de bom grado padeceis os tolos, visto que vós mesmos sois sábios.

20 Pois padeceis, se alguém vos escravizar, se alguém vos devorar, se alguém vos tirar, se alguém se exaltar, se alguém vos ferir no rosto.

21 Falo por opróbrio, como se fôssemos fracos. No entanto, onde quer que alguém seja ousado, (falo tolamente), eu também sou ousado.

22 Eles são hebreus? eu também. Eles são israelitas? eu também. Eles são a semente de Abraão? eu também sou.

23 Eles são ministros de Cristo (falo como um tolo.) Assim sou eu; em trabalhos mais abundantes, em listras acima da medida, em prisões mais frequentes, em mortes frequentes.

24 Dos judeus recebi cinco vezes, quarenta açoites, menos um.

25 Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia estive nas profundezas;

26 Muitas vezes em jornadas, em perigos de águas, em perigos de salteadores, em perigos dos meus compatriotas, em perigos de gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos.

27 No cansaço e na dor, nas vigílias muitas vezes, na fome e na sede, no jejuns muitas vezes, no frio e na nudez.

28 Além do que é exterior, o que vem sobre mim diariamente, o cuidado de todas as igrejas.

29 Quem é fraco, e eu não sou fraco? quem se ofende, e eu não me zango?

30 Se for necessário glória, me gloriarei nas coisas que dizem respeito às minhas fraquezas.

31 O Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que é eternamente bendito, sabe que não minto.

32 Em Damasco, o governador de Areto, o rei, manteve a cidade dos damascenos com uma guarnição, desejosa de me prender;

33 E por uma janela em um cesto fui derrubado pela parede e escapei de suas mãos.


CAPÍTULO 12

De um apanhado no Paraíso – Os sinais de um apóstolo.

1 Não me convém, sem dúvida, me gloriar, terei visões e revelações do Senhor.

2 Conheci um homem em Cristo há mais de quatorze anos (se no corpo, não posso dizer; ou se fora do corpo, não posso dizer; Deus sabe;) tal foi arrebatado até o terceiro céu.

3 E eu conheci tal homem, (se no corpo, ou fora do corpo, eu não posso dizer; Deus sabe;)

4 Como foi arrebatado ao paraíso e ouviu palavras inefáveis, que não é lícito ao homem proferir.

5 De tal me gloriarei; ainda de mim mesmo não me gloriarei, mas nas minhas fraquezas.

6 Pois ainda que eu queira me gloriar, não serei tolo; pois direi a verdade; mas agora me abstenho, para que ninguém pense de mim acima do que vê de mim, ou do que ouve de mim.

7 E para que eu não fosse exaltado acima da medida pela abundância das revelações, foi-me dado um espinho na carne, o mensageiro de Satanás para me esbofetear, para que eu não fosse exaltado acima da medida.

8 Por isso pedi três vezes ao Senhor que se afastasse de mim.

9 E ele me disse: Minha graça te basta; porque a minha força se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, portanto, me gloriarei nas minhas enfermidades, para que o poder de Cristo repouse sobre mim.

10 Por isso tenho prazer nas enfermidades, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo; pois quando estou fraco, então sou forte.

11 Tornei-me insensato em gloriar-me; vós me compelistes; pois eu deveria ter sido elogiado por você; pois em nada estou atrás dos apóstolos mais importantes, embora eu não seja nada.

12 Verdadeiramente, os sinais de um apóstolo foram feitos entre vós com toda a paciência, com sinais, prodígios e prodígios.

13 Pois o que há em que vós sois inferiores a outras igrejas, a não ser que eu mesmo não vos seja pesado? perdoe-me este mal.

14 Eis que pela terceira vez estou pronto para ir ter convosco; e não serei pesado para você; pois não procuro o seu, mas você; porque os filhos não devem entesourar para os pais, mas os pais para os filhos.

15 E de bom grado gastarei e serei gasto por vocês; embora quanto mais abundantemente eu te amo, menos sou amado.

16 Mas seja assim, eu não vos sobrecarreguei; no entanto, sendo astuto, apanhei-te com astúcia.

17 Ganhei de vós algum daqueles que vos enviei?

18 Desejei Tito, e com ele enviei um irmão. Titus fez um ganho de você? não andamos no mesmo espírito? andamos não nos mesmos passos?

19 Outra vez, pensais que nos desculpamos perante vós? falamos diante de Deus em Cristo; mas fazemos todas as coisas, amados, para sua edificação.

20 Pois temo que, quando eu for, não vos ache como gostaria, e serei achado para vós como não quereis; para que não haja debates, invejas, iras, contendas, maledicências, murmúrios, inchaços, tumultos;

21 E para que, quando eu voltar, meu Deus me humilhe entre vós, e eu chore muitos que já pecaram e não se arrependeram da impureza, fornicação e lascívia que cometeram.


CAPÍTULO 13

Paulo ameaça os ofensores – exorta à unidade e à paz.

1 Esta é a terceira vez que venho a ti. Pela boca de duas ou três testemunhas toda palavra será confirmada.

2 Eu te disse antes, e te anuncio, como se eu estivesse presente, pela segunda vez; e estando ausente agora, escrevo aos que até agora pecaram, e a todos os outros, que, se eu voltar, não pouparei;

3 Visto que buscais uma prova de que Cristo fala em mim, a qual para vós não é fraca, mas é poderosa em vós.

4 Pois, embora tenha sido crucificado por fraqueza, ainda assim viveu pelo poder de Deus. Pois também nós somos fracos nele, mas com ele viveremos pelo poder de Deus para convosco.

5 Examinai-vos, se estais na fé; provar a si mesmo. Não sabeis vós mesmos, como Jesus Cristo está em vós, a não ser que sejais réprobos?

6 Mas espero que saibais que não somos réprobos.

7 Ora, rogo a Deus que não façais mal algum; não para que pareçamos aprovados, mas para que façais o que é honesto, embora sejamos como réprobos.

8 Pois nada podemos fazer contra a verdade, mas pela verdade.

9 Porque nos alegramos quando estamos fracos, e vós fortes; e isso também desejamos, até a sua perfeição.

10 Portanto, escrevo estas coisas estando ausente, para que, estando presente, não use de nitidez, segundo o poder que o Senhor me deu para edificação e não para destruição.

11 Finalmente, irmãos, adeus. Seja perfeito, tenha bom conforto, tenha uma mente, viva em paz; e o Deus de amor e paz estará com você.

12 Saudai-vos uns aos outros com uma santa saudação.

13 Todos os santos te saúdam.

14 A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo, estejam com todos vocês. Amém. A segunda epístola aos Coríntios foi escrita em Filipos, uma cidade da Macedônia, por Tito e Lucas.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

The Remnant Church Headquarters in Historic District Independence, MO. Church Seal 1830 Joseph Smith - Church History - Zionic Endeavors - Center Place

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.