John

O Testemunho de São João

 

CAPÍTULO 1

O evangelho pregado no princípio – João dá testemunho do evangelho e de Cristo – É Elias – André, Filipe e Pedro chamaram.

1 No princípio o evangelho foi pregado por meio do Filho. E o evangelho era a palavra, e a palavra estava com o Filho, e o Filho estava com Deus, e o Filho era de Deus.

2 O mesmo estava no princípio com Deus.

3 Todas as coisas foram feitas por ele; e sem ele nada do que foi feito foi feito.

4 Nele estava o evangelho, e o evangelho era a vida, e a vida era a luz dos homens;

5 E a luz brilha no mundo, e o mundo não a percebe.

6 Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João.

7 Ele veio ao mundo para testemunho, para dar testemunho da luz, para dar testemunho do evangelho por meio do Filho, a todos, para que por ele os homens cressem.

8 Ele não era aquela luz, mas veio para dar testemunho daquela luz,

9 Qual era a luz verdadeira, que ilumina todo homem que vem ao mundo;

10 Até mesmo o Filho de Deus. Aquele que estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.

11 Ele veio para os seus, e os seus não o receberam.

12 Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus; somente para aqueles que crêem em seu nome.

13 Ele nasceu, não do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus.

14 E a mesma palavra se fez carne e habitou entre nós e vimos sua glória, a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e verdade.

15 João deu testemunho dele e clamou, dizendo: Este é aquele de quem eu falei; Aquele que vem depois de mim é preferido antes de mim; pois ele estava antes de mim.

16 Porque no princípio era o Verbo, o Filho, que se fez carne e nos foi enviado pela vontade do Pai. E todos os que crerem no seu nome receberão da sua plenitude. E da sua plenitude todos nós recebemos, até a imortalidade e a vida eterna, por sua graça.

17 Porque a lei foi dada por meio de Moisés, mas a vida e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo.

18 Porque a lei era segundo um mandamento carnal, para administração de morte; mas o evangelho buscava o poder de uma vida sem fim, por meio de Jesus Cristo, o Filho Unigênito, que está no seio do Pai.

19 E ninguém jamais viu a Deus, a não ser que tenha dado testemunho do Filho; pois, a menos que seja por meio dele, nenhum homem pode ser salvo.

20 E este é o relato de João, quando os judeus enviaram sacerdotes e levitas de Jerusalém para interrogá-lo; Quem és tu?

21 E ele confessou, e não negou que fosse Elias; mas confessou, dizendo; Eu não sou o Cristo.

22 E perguntaram-lhe, dizendo; Como então és tu Elias? E ele disse: Eu não sou aquele Elias que deveria restaurar todas as coisas. E perguntaram-lhe dizendo: És tu esse profeta? E ele respondeu: Não.

23 Disseram-lhe então: Quem és tu? que nós, homens, respondamos àqueles que nos enviaram. Que dizes tu de ti mesmo?

24 Ele disse: Eu sou a voz do que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como diz o profeta Isaías.

25 E os enviados eram dos fariseus.

26 E perguntaram-lhe, e disseram-lhe; Por que batizas então, se tu não és o Cristo, nem Elias que iria restaurar todas as coisas, nem aquele profeta?

27 João respondeu-lhes, dizendo; Eu batizo com água, mas entre vós está um que não conheceis;

28 Ele é de quem dou testemunho. Ele é aquele profeta, mesmo Elias, que, vindo depois de mim, é preferido a mim, cujo fecho do sapato não sou digno de desatar, ou cujo lugar não posso ocupar; porque ele batizará, não somente com água, mas com fogo e com o Espírito Santo.

29 No dia seguinte João viu a Jesus que vinha ter com ele, e disse; Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

30 E João deu testemunho dele ao povo, dizendo: Este é aquele de quem eu disse; Depois de mim vem um homem que é preferido antes de mim; porque ele existia antes de mim, e eu o conhecia, e para que ele se manifestasse a Israel; por isso venho batizando com água.

31 E João testificou, dizendo; Quando ele foi batizado por mim, vi o Espírito descer do céu como uma pomba e repousar sobre ele.

32 E eu o conheci; porque aquele que me enviou a batizar com água, esse me disse; Sobre quem vires descer o Espírito e sobre ele permanecer, esse é o que batiza com o Espírito Santo.

33 E eu vi, e testemunhei que este é o Filho de Deus.

34 Essas coisas foram feitas em Bethabara, além do Jordão, onde João batizava.

35 Novamente, no dia seguinte, João se levantou e dois de seus discípulos,

36 E olhando para Jesus enquanto andava, disse; Eis o Cordeiro de Deus!

37 E os dois discípulos o ouviram falar, e seguiram a Jesus.

38 Então Jesus voltou-se, e viu que o seguiam, e disse-lhes: Que buscais? Eles dizem a ele, Rabi, (o que quer dizer, sendo interpretado, Mestre;) Onde moras?

39 Ele lhes disse: Vinde e vede. E eles vieram e viram onde ele morava, e ficaram com ele naquele dia; pois era por volta da décima hora.

40 Um dos dois que ouviram João e seguiram a Jesus era André, irmão de Simão Pedro.

41 Ele achou primeiro a seu próprio irmão Simão, e disse-lhe: Achamos o Messias, que, traduzido, é o Cristo.

42 E ele o trouxe a Jesus. E quando Jesus o viu, disse: Tu és Simão, filho de Jonas, serás chamado Cefas, que é, por interpretação, um vidente, ou uma pedra. E eram pescadores. E eles logo deixaram tudo, e seguiram a Jesus.

43 No dia seguinte, saindo Jesus para a Galiléia, encontrou Filipe e disse-lhe: Segue-me.

44 Ora, Filipe estava em Betsaida, cidade de André e Pedro.

45 Filipe achou Natanael e disse-lhe: Achamos aquele de quem Moisés na lei e os profetas escreveram: Jesus de Nazaré, filho de José.

46 E Natanael disse-lhe: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem ver.

47 Jesus viu Natanael que vinha ter com ele, e disse dele: Eis um verdadeiro israelita, em quem não há dolo!

48 Disse-lhe Natanael: Donde me conheces? Jesus, respondendo, disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, quando estavas debaixo da figueira, eu te vi.

49 Respondeu-lhe Natanael: Rabi, tu és o Filho de Deus; tu és o Rei de Israel.

50 Jesus respondeu e disse-lhe: Porque eu te disse que te vi debaixo da figueira, acreditas? Verás coisas maiores do que estas.

51 E disse-lhe: Em verdade, em verdade vos digo que daqui em diante vereis o céu aberto, e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem.


CAPÍTULO 2

Casamento em Caná – Jesus expulsa os traficantes do templo.

1 E no terceiro dia da semana, houve um casamento em Caná da Galiléia; e a mãe de Jesus estava lá.

2 E Jesus foi chamado, e seus discípulos, para as bodas.

3 E quando eles quiseram vinho, sua mãe lhe disse: Eles não têm vinho.

4 Disse-lhe Jesus: Mulher, que queres que eu te faça? isso farei; pois a minha hora ainda não chegou.

5 Disse sua mãe aos servos: Tudo o que ele vos disser, vede que o façais.

6 Ali foram postas seis talhas de pedra, à maneira da purificação dos judeus, contendo cada uma dois ou três firkins.

7 Disse-lhes Jesus: Enchei de água as talhas. E eles os encheram até a borda.

8 E ele disse: Tira agora e leva ao chefe da festa. E eles desnudaram para ele.

9 Quando o chefe da festa provou a água que se fez vinho (não sabia de onde era, mas os servos que tiraram a água sabiam), o chefe da festa chamou o noivo,

10 E disse-lhe: Todo homem no princípio dá vinho bom; e quando os homens tiverem bebido bem; então o que é pior; mas guardaste o bom vinho até agora.

11 Este princípio de milagres fez Jesus em Caná da Galiléia, e manifestou a sua glória; e a fé de seus discípulos foi fortalecida nele.

12 Depois disso desceu a Cafarnaum, ele, sua mãe, seus irmãos e seus discípulos; e permaneceram ali não muitos dias.

13 E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém.

14 E achou no templo os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e os cambistas sentados.

15 E, tendo feito um azorrague de pequenas cordas, expulsou todos do templo, bem como as ovelhas e os bois; e derramou o dinheiro dos cambistas, e derrubou as mesas;

16 E disse aos que vendiam pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio.

17 E os seus discípulos lembraram-se do que está escrito: O zelo da tua casa me devorou.

18 Então falaram os judeus e disseram-lhe: Que sinal nos mostras, visto que fazes estas coisas?

19 Jesus respondeu e disse-lhes: Destruí este templo, e em três dias o levantarei.

20 Então disseram os judeus: Quarenta e seis anos foi este templo em construção, e tu o erguerás em três dias?

21 Mas ele falou do templo do seu corpo.

22 Quando, pois, ressuscitou dos mortos, seus discípulos lembraram-se de que lhes havia dito isso, e lembraram-se da Escritura e da palavra que Jesus lhes havia dito.

23 E estando ele em Jerusalém, na páscoa, no dia da festa, muitos creram no seu nome, vendo os milagres que fazia.

24 Mas Jesus não se comprometeu com eles, porque sabia todas as coisas,

25 E não precisava que alguém testificasse do homem; pois ele sabia o que havia no homem.


CAPÍTULO 3

O novo nascimento de água e espírito – Amor de Deus declarado – João batiza – Cristo batiza.

1 Havia entre os fariseus um homem chamado Nicodemos, chefe dos judeus;

2 Este foi ter com Jesus de noite e disse-lhe: Rabi, sabemos que és mestre vindo de Deus; pois nenhum homem pode fazer esses milagres que você faz, a menos que Deus esteja com ele.

3 Respondeu-lhe Jesus: Em verdade, em verdade te digo que aquele que não nascer de novo não pode ver o reino de Deus.

4 Nicodemos disse-lhe: Como pode um homem nascer sendo velho? Ele pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e nascer?

5 Jesus respondeu: Em verdade, em verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.

6 O que é nascido da carne é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito.

7 Não te admires de que eu te tenha dito: Deves nascer de novo.

8 O vento sopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito.

9 Nicodemos respondeu e disse-lhe: Como podem ser estas coisas?

10 Respondeu Jesus: Tu és senhor de Israel e não sabes estas coisas?

11 Em verdade, em verdade te digo que falamos o que sabemos e testificamos o que vimos; e não recebeis nosso testemunho.

12 Se vos falei coisas terrenas e não credes, como crereis se vos disser coisas celestiais?

13 Digo-vos que ninguém subiu ao céu, senão aquele que desceu do céu, o Filho do Homem que está no céu.

14 E como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado;

15 Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.

16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça; mas tenha a vida eterna.

17 Porque Deus não enviou seu Filho ao mundo para condenar o mundo; mas para que o mundo por ele seja salvo.

18 Quem nele crê não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porque não crê no nome do Filho Unigênito de Deus, que antes foi pregado pela boca dos santos profetas; porque eles deram testemunho de mim.

19 E esta é a condenação, que a luz veio ao mundo, e os homens amam mais as trevas do que a luz, porque as suas obras são más.

20 Pois todo aquele que pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas obras não sejam reprovadas.

21 Mas quem ama a verdade vem para a luz, para que suas obras sejam manifestas.

22 E quem obedece à verdade, as obras que faz são de Deus.

23 Depois destas coisas veio Jesus e seus discípulos para a terra da Judéia; e ali permaneceu com eles e batizou;

24 E também João batizava em Aenon, perto de Salim, porque havia ali muita água; e eles vieram e foram batizados;

25 Pois João ainda não foi lançado na prisão.

26 Surgiu então uma questão entre alguns discípulos de João e os judeus sobre a purificação.

27 E foram ter com João e disseram-lhe: Rabi, aquele que estava contigo além do Jordão, de quem dás testemunho, eis que o mesmo batiza, e recebe de todas as pessoas que vêm a ele.

28 João respondeu e disse: Um homem não pode receber nada, a menos que lhe seja dado do céu.

29 Vós mesmos me dais testemunho de que eu disse: Eu não sou o Cristo, mas que sou enviado adiante dele.

30 Aquele que tem a noiva é o esposo; mas o amigo do esposo, que está de pé e o ouve, regozija-se muito com a voz do esposo; esta minha alegria, portanto, está cumprida.

31 Ele deve aumentar, mas eu devo diminuir.

32 Aquele que vem de cima está acima de todos; aquele que é da terra é terreno e fala da terra; aquele que vem do céu está acima de tudo. E o que ele viu e ouviu, isso testifica; e poucos homens recebem seu testemunho.

33 Aquele que recebeu o seu testemunho, estabeleceu o seu selo de que Deus é verdadeiro.

34 Pois aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus; porque Deus não lhe dá o Espírito por medida, pois nele habita, até a plenitude.

35 O Pai ama o Filho e tudo entregou em suas mãos.

36 E quem crê no Filho tem a vida eterna; e receberá da sua plenitude. Mas quem não crê no Filho, não receberá da sua plenitude; porque a ira de Deus está sobre ele.


CAPÍTULO 4

Os fariseus procuram destruir Jesus — A mulher e o poço — A água da vida eterna — O filho do nobre curado.

1 Quando, pois, os fariseus ouviram que Jesus fazia e batizava mais discípulos do que João,

2 Eles buscaram com mais diligência alguns meios para matá-lo; pois muitos receberam João como profeta, mas não creram em Jesus.

3 Ora, o Senhor sabia disso, embora ele mesmo não batizasse a tantos quantos seus discípulos;

4 Pois ele os sofreu por exemplo, preferindo uns aos outros.

5 E ele deixou a Judéia, e partiu de novo para a Galiléia,

6 E disse aos seus discípulos: Devo passar por Samaria.

7 Então chegou à cidade de Samaria, chamada Sicar, perto do terreno que Jacó deu a seu filho José; o lugar onde estava o poço de Jacó.

8 Jesus, cansado da viagem, sendo quase a hora sexta, sentou-se à beira do poço;

9 E veio uma mulher de Samaria para tirar água; Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.

10 Seus discípulos foram à cidade comprar carne.

11 Por isso, estando ele só, disse-lhe a mulher de Samaria: Como é que, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher de Samaria? Os judeus não têm relações com os samaritanos.

12 Respondeu-lhe Jesus: Se conhecesses o dom de Deus, e quem é que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.

13 A mulher disse-lhe: Senhor, tu não tens com que tirar, e o poço é fundo; de onde então tens aquela água viva?

14 És tu maior do que nosso pai Jacó, que nos deu o testamento e dele bebeu ele mesmo, e seus filhos, e seu gado?

15 Respondeu-lhe Jesus: Quem beber deste poço, tornará a ter sede;

16 Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede; mas a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna.

17 A mulher disse-lhe: Senhor, dá-me desta água que não tenho sede, nem venho aqui tirar.

18 Disse-lhe Jesus: Vai, chama o teu marido e vem cá.

19 A mulher respondeu e disse: Não tenho marido. Disse-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido.

20 Porque cinco maridos tiveste, e aquele que agora tens não é teu marido; no que disseste verdadeiramente.

21 A mulher disse-lhe: Senhor, vejo que és profeta.

22 Nossos pais adoraram neste monte; e dizeis que em Jerusalém é o lugar onde os homens devem adorar.

23 Disse-lhe Jesus: Mulher, acredita-me, vem a hora em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai.

24 Vós adorais não sabeis o quê; sabemos o que adoramos; e a salvação é dos judeus.

25 E vem a hora, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; pois o Pai procura tais que o adorem.

26 Porque a tais Deus prometeu o seu Espírito. E aqueles que o adoram, devem adorá-lo em espírito e em verdade.

27 A mulher disse-lhe: Eu sei que vem o Messias, que se chama Cristo; quando ele vier, ele nos dirá todas as coisas.

28 Disse-lhe Jesus: Eu, que falo contigo, sou o Messias.

29 E sobre isso vieram seus discípulos, e se maravilharam de que ele falasse com a mulher; mas nenhum homem disse: Que buscas tu? ou, por que você fala com ela?

30 A mulher, então, deixou o seu cântaro, foi para a cidade e disse aos homens:

31 Venha ver um homem que me disse todas as coisas que eu já fiz. Não é este o Cristo?

32 Então eles saíram da cidade e foram ter com ele.

33 Enquanto isso, seus discípulos oravam a ele, dizendo: Mestre, come.

34 Mas ele lhes disse: Tenho para comer uma carne que vós não conheceis.

35 Disseram, pois, os discípulos uns aos outros: Alguém lhe trouxe carne para comer?

36 Disse-lhes Jesus: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e completar a sua obra.

37 Não digais que ainda há quatro meses, então vem a colheita? Eis que vos digo: Levantai os olhos e contemplai os campos; pois já estão brancos para a ceifa.

38 E quem ceifa, recebe salário e ajunta frutos para a vida eterna; para que tanto o que semeia como o que ceifa se regozijem juntos.

39 E aqui é verdadeiro aquele ditado: Um semeia e outro ceifa.

40 Enviei-vos a ceifar onde não trabalhastes; os profetas trabalharam, e vós entrastes nos seus trabalhos.

41 E muitos dos samaritanos daquela cidade creram nele por causa da palavra da mulher, que testemunhou, dizendo: Ele me disse tudo o que tenho feito.

42 Chegando-se a ele os samaritanos, rogaram-lhe que ficasse com eles; e ele ficou lá dois dias.

43 E muitos mais creram por causa da sua própria palavra;

44 E disse à mulher: Agora cremos, não por causa da tua palavra; ouvimos por nós mesmos e sabemos que este é realmente o Cristo, o Salvador do mundo.

45 Passados dois dias, partiu dali e foi para a Galiléia.

46 Pois o próprio Jesus testificou que um profeta não tem honra em sua própria terra.

47 E, chegando ele à Galiléia, os galileus o receberam, vendo tudo o que ele fizera em Jerusalém, na festa; porque eles também foram à festa.

48 Então Jesus voltou a Caná da Galiléia, onde fez vinho da água. E havia um certo nobre, cujo filho estava doente em Cafarnaum.

49 Ao saber que Jesus vinha da Judéia para a Galiléia, foi ter com ele e rogou-lhe que descesse e curasse seu filho; pois ele estava à beira da morte.

50 Então disse-lhe Jesus: Se não virdes sinais e prodígios, não acreditareis.

51 O nobre disse-lhe: Senhor, desce antes que meu filho morra.

52 Disse-lhe Jesus: Vai, teu filho vive. E o homem creu na palavra que Jesus lhe falara, e foi-se.

53 E, descendo ele para sua casa, seus servos o encontraram e falaram, dizendo: Teu filho vive.

54 Perguntou-lhes então a hora em que começara a sarar. E eles lhe disseram: Ontem, à sétima hora, a febre o deixou.

55 Então o pai soube que seu filho estava curado na mesma hora em que Jesus lhe disse: Teu filho vive; e ele creu, e toda a sua casa;

56 Este é o segundo milagre que Jesus fez quando saiu da Judéia para a Galiléia.


CAPÍTULO 5

Homem impotente curado – A ressurreição – Testemunho de Cristo.

1 Depois disso houve uma festa dos judeus; e Jesus subiu a Jerusalém.

2 Ora, há em Jerusalém, junto ao mercado de ovelhas, um tanque que na língua hebraica se chama Betesda, que tem cinco alpendres.

3 Nestes alpendres jaziam muitos impotentes, cegos, mancos, murchos, esperando o movimento das águas.

4 Pois um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava as águas; aquele que, depois da agitação das águas, entrava, ficava curado de qualquer doença que tivesse.

5 E estava ali certo homem que tinha trinta e oito anos de enfermidade.

6 E Jesus o viu mentindo, e sabia que já havia muito tempo estava aflito; e disse-lhe: Queres ficar são?

7 Respondeu-lhe o inválido: Senhor, não tenho homem algum, quando as águas se agitam, que me ponha no tanque; mas enquanto eu vou, outro desce antes de mim.

8 Disse-lhe Jesus: Levanta-te, toma o teu leito e anda.

9 E imediatamente o homem ficou são, tomou a sua cama e andou; e foi no dia de sábado.

10 Disseram, pois, os judeus ao que estava curado: É dia de sábado; não te é lícito carregar a tua cama.

11 Ele lhes respondeu: Aquele que me curou, disse-me: Toma o teu leito e anda.

12 Então lhe responderam, dizendo: Que homem é aquele que te disse: Toma a tua cama e anda?

13 E aquele que foi curado não sabia quem era; pois Jesus se havia transportado, estando uma multidão no lugar.

14 Depois, Jesus o encontrou no templo e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda coisa pior.

15 O homem partiu e disse aos judeus que fora Jesus quem o havia curado;

16 E por isso os judeus perseguiram a Jesus e procuraram matá-lo, porque ele havia feito essas coisas no dia de sábado.

17 Mas Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho.

18 Por isso os judeus procuravam ainda mais matá-lo, porque ele não apenas havia violado o sábado, mas também dizia que Deus era seu pai, fazendo-se igual a Deus.

19 Então Jesus respondeu e disse-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que o Filho nada pode fazer de si mesmo, senão o que vê o Pai fazer; pois tudo o que ele faz, isso também o Filho faz da mesma forma.

20 Porque o Pai ama o Filho e mostra-lhe tudo o que faz; e ele lhe mostrará obras maiores do que estas, para que vos maravilheis.

21 Pois assim como o Pai ressuscita os mortos e os vivifica; assim também o Filho vivifica a quem quer.

22 Porque o Pai a ninguém julga; mas entregou todo o julgamento ao Filho;

23 Para que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho, não honra o Pai que o enviou.

24 Em verdade, em verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação; mas é passado da morte para a vida.

25 Em verdade, em verdade vos digo que vem a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus; e os que ouvirem viverão.

26 Porque, assim como o Pai tem vida em si mesmo, assim deu ao Filho ter vida em si mesmo;

27 E deu-lhe autoridade para julgar também, porque ele é o Filho do Homem.

28 Não se maravilhe com isso; porque vem a hora em que todos os que estiverem em seus túmulos ouvirão a sua voz.

29 E sairá; os que fizeram o bem, na ressurreição dos justos; e os que fizeram o mal, na ressurreição dos injustos.

30 E todos serão julgados pelo Filho do Homem. Pois, como ouço, julgo, e meu julgamento é justo;

31 Pois eu mesmo nada posso fazer; porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou.

32 Portanto, se dou testemunho de mim mesmo, meu testemunho é verdadeiro.

33 Pois eu não estou sozinho, há outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro.

34 Enviastes a João, e ele também deu testemunho da verdade.

35 E ele não recebeu o seu testemunho de homem, mas de Deus, e vós mesmos dizeis que ele é um profeta, portanto deveis receber o seu testemunho. Estas coisas digo para que sejais salvos.

36 Ele era uma luz ardente e brilhante; e vocês estavam dispostos a regozijar-se por um tempo em sua luz.

37 Mas eu tenho um testemunho maior do que o testemunho de João; porque as obras que o Pai me deu para realizar, as mesmas obras que eu faço, testificam de mim que o Pai me enviou.

38 E o próprio Pai, que me enviou, deu testemunho de mim. E em verdade vos testifico que nunca ouvistes a sua voz, nem vistes a sua forma;

39 Pois não tendes a sua palavra permanecendo em vós; e aquele a quem ele enviou, vós não credes.

40 Examine as Escrituras; pois neles pensais ter a vida eterna; e são eles que testificam de mim.

41 E não quereis vir a mim para terdes vida, para que não me honreis.

42 Não recebo honra dos homens.

43 Mas eu vos conheço, que não tendes o amor de Deus em vós.

44 Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis; se outro vier em seu próprio nome, a esse recebereis.

45 Como podeis crer, que procurais a honra uns dos outros e não procurais a honra que vem somente de Deus?

46 Não pense que eu vou acusá-lo ao Pai; há Moisés que vos acusa, em quem vós confiais.

47 Pois, se vocês cressem em Moisés, teriam acreditado em mim; pois ele escreveu sobre mim.

48 Mas, se não credes nos seus escritos, como crereis nas minhas palavras?


CAPÍTULO 6

Cristo alimenta cinco mil – O povo o faria rei – Ele anda sobre o mar – Ele mesmo o pão da vida – Muitos o deixam.

1 Depois destas coisas, Jesus atravessou o mar da Galiléia, que é o mar de Tiberíades.

2 E uma grande multidão o seguia, porque via os seus milagres que fazia sobre os enfermos.

3 E Jesus subiu a um monte, e ali estava sentado com seus discípulos.

4 E a páscoa, festa dos judeus, estava próxima.

5 Quando Jesus levantou os olhos e viu que uma grande multidão vinha ter com ele, disse a Filipe: Onde compraremos pão, para que estes comam?

6 E isto ele disse para prová-lo; pois ele mesmo sabia o que faria.

7 Respondeu-lhe Filipe: Duzentos denários de pão não são suficientes para eles, para que cada um deles coma um pouco.

8 Um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe:

9 Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos; mas o que são eles entre tantos?

10 E Jesus disse: Faze os homens sentarem-se. Agora havia muita grama no lugar. Então os homens se sentaram, em número de cerca de cinco mil.

11 E Jesus tomou os pães; e, tendo dado graças, distribuiu aos discípulos, e os discípulos aos que estavam assentados; e também dos peixes, tanto quanto eles.

12 Depois de comerem e se fartarem, disse aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca.

13 Por isso os ajuntaram e encheram doze cestos com os pedaços dos cinco pães de cevada, que sobraram para os que haviam comido.

14 Então aqueles homens, vendo o milagre que Jesus fizera, disseram: Este é de fato aquele Profeta que havia de vir ao mundo.

15 Quando Jesus, pois, percebeu que viriam e o levariam à força, para o fazerem rei, retirou-se novamente sozinho para o monte.

16 E, ao cair da tarde, seus discípulos desceram ao mar,

17 E entrou num navio, e atravessou o mar em direção a Cafarnaum. E agora estava escuro, e Jesus não tinha vindo até eles.

18 E o mar se levantou por causa de um grande vento que soprou.

19 E, tendo remado cerca de vinte e cinco ou trinta estádios, viram Jesus andando sobre o mar e aproximando-se do navio; e eles estavam com medo.

20 Mas ele lhes disse: Sou eu; não tenha medo.

21 Então eles o receberam voluntariamente no navio; e imediatamente o navio estava na terra para onde eles foram.

22 No dia seguinte, quando o povo, que estava do outro lado do mar, viu que não havia outro barco ali, senão aquele em que seus discípulos entraram, e que Jesus não entrou no barco com seus discípulos, mas que seus discípulos foram embora sozinhos;

23 Entretanto, outros barcos vieram de Tiberíades para perto do lugar onde comiam pão, depois que o Senhor deu graças;

24 Quando o povo, pois, viu que Jesus não estava ali, nem seus discípulos, eles também embarcaram e foram a Cafarnaum, em busca de Jesus.

25 E, achando-o do outro lado do mar, perguntaram-lhe: Rabi, como vieste até aqui?

26 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que me procurais, não porque quereis guardar as minhas palavras, nem porque vistes os milagres, mas porque comestes dos pães e vos fartastes.

27 Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do Homem tem poder para vos dar; para ele Deus, o Pai, selou.

28 Disseram-lhe então: Que faremos para realizarmos as obras de Deus?

29 Jesus respondeu e disse-lhes: Esta é a obra de Deus, que creiais naquele que ele enviou.

30 Disseram-lhe, pois: Que sinal mostras então, para que vejamos e creiamos em ti? O que você trabalha?

31 Nosso pai comeu maná no deserto; como está escrito, deu-lhes pão do céu para comer.

32 Então Jesus lhes disse em verdade, em verdade vos digo que Moisés não vos deu aquele pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu.

33 Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.

34 Disseram-lhe então: Senhor, dá-nos sempre deste pão.

35 E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim nunca terá fome; e quem crê em mim nunca terá sede.

36 Mas eu vos disse que também vós me vistes e não credes.

37 Todo o que o Pai me dá virá a mim; e aquele que vem a mim de modo algum o lançarei fora.

38 Porque desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

39 E esta é a vontade do Pai que me enviou, que de tudo o que ele me deu eu não perderia nada, mas o ressuscitaria no último dia.

40 E esta é a vontade daquele que me enviou, que todo aquele que vê o Filho e nele crê tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei na ressurreição dos justos no último dia.

41 Os judeus murmuraram contra ele, porque dizia: Eu sou o pão que desceu do céu.

42 E eles disseram: Não é este Jesus, filho de José, cujo pai e mãe conhecemos? como é que ele diz, eu desci do céu?

43 Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós.

44 Ninguém pode vir a mim se não fizer a vontade de meu Pai, que me enviou. E esta é a vontade daquele que me enviou, que recebais o Filho; porque o Pai dá testemunho dele; e aquele que recebe o testemunho e faz a vontade daquele que me enviou, eu o ressuscitarei na ressurreição dos justos.

45 Porque está escrito nos profetas: E todos estes serão ensinados por Deus. Portanto, todo homem que ouviu e aprendeu do Pai vem a mim.

46 Não que alguém tenha visto o Pai, senão aquele que é de Deus, viu o Pai.

47 Em verdade, em verdade vos digo que quem crê em mim tem a vida eterna.

48 Eu sou aquele pão da vida.

49 Este é o pão que desce do céu, para que o homem coma e não morra.

50 Seus pais comeram maná no deserto e morreram.

51 Mas eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu darei é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.

52 Os judeus, pois, disputavam entre si, dizendo: Como pode este homem dar-nos a sua carne a comer?

53 Então Jesus lhes disse: Em verdade, em verdade vos digo que se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós.

54 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei na ressurreição dos justos no último dia.

55 Pois a minha carne é verdadeiramente comida, e o meu sangue é verdadeiramente bebida.

56 Quem come a minha carne e bebe o meu sangue está em mim, e eu nele.

57 Como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai; assim quem me come, por mim viverá.

58 Este é o pão que desceu do céu; não como vossos pais comeram o maná e morreram; quem comer deste pão viverá para sempre.

59 Estas coisas disse ele na sinagoga, ensinando em Cafarnaum.

60 Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem pode ouvir?

61 Sabendo Jesus em si mesmo que seus discípulos murmuravam contra isso, disse-lhes: Isto vos escandaliza?

62 E se virdes o Filho do Homem subir para onde estava antes?

63 É o Espírito que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que vos digo são espírito e são vida.

64 Mas há alguns de vocês que não crêem. Pois Jesus sabia desde o princípio quem eram os que não criam, e quem deveria traí-lo.

65 E ele disse: Por isso vos disse que ninguém pode vir a mim, a menos que faça a vontade de meu Pai que me enviou.

66 Desde então, muitos dos seus discípulos voltaram e não andaram mais com ele.

67 Então disse Jesus aos doze: Ireis vós também?

68 Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? tu tens as palavras da vida eterna.

69 E nós cremos e estamos certos de que tu és aquele Cristo, o Filho do Deus vivo.

70 Respondeu-lhes Jesus: Não vos escolhi doze, e um de vós é demônio?

71 Falou de Judas Iscariotes, filho de Simão; pois era ele que deveria traí-lo, sendo um dos doze.


CAPÍTULO 7

Jesus repreende seus parentes – sobe à festa dos tabernáculos – ensina no templo.

1 Depois destas coisas andou Jesus pela Galileia; pois não queria andar no judaísmo, porque os judeus procuravam matá-lo.

2 Estava próxima a festa dos tabernáculos dos judeus.

3 Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Retira-te daqui e vai para a Judéia, para que ali também teus discípulos vejam as obras que fazes.

4 Pois não há homem que faça alguma coisa em segredo, mas ele mesmo procura ser conhecido publicamente. Se você fizer essas coisas, mostre-se ao mundo.

5 Pois nem seus irmãos creram nele.

6 Então Jesus lhes disse: Ainda não é chegado o meu tempo; mas seu tempo está sempre pronto.

7 O mundo não pode te odiar; mas a mim odeia, porque dou testemunho disso, que as suas obras são más.

8 Subi a esta festa; ainda não subo a esta festa; pois meu tempo ainda não está completo.

9 Tendo-lhes dito estas palavras, continuou ainda na Galiléia.

10 Mas, depois que seus irmãos subiram, ele também subiu à festa, não publicamente, mas como em segredo.

11 Então os judeus o procuravam na festa e perguntavam: Onde está ele?

12 E houve muita murmuração entre o povo a respeito dele; para alguns, ele é um bom homem; outros disseram: Não; mas ele engana o povo.

13 Mas ninguém falava dele abertamente, por medo dos judeus.

14 Ora, por volta da metade da festa, Jesus subiu ao templo e ensinava.

15 E os judeus se maravilharam, dizendo: Como sabe este homem letras, não tendo aprendido?

16 Respondeu-lhes Jesus, e disse: A minha doutrina não é minha, mas daquele que me enviou.

17 Se alguém quiser fazer a sua vontade, pela doutrina conhecerá se é de Deus, ou se falo de mim mesmo.

18 Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas aquele que busca a glória que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça.

19 Não vos deu Moisés a lei, e nenhum de vós guarda a lei? Por que você vai me matar?

20 O povo respondeu e disse: Tu tens um demônio; quem vai te matar?

21 Jesus respondeu e disse-lhes: Eu fiz uma obra, e todos vocês se maravilham.

22 Moisés, pois, vos deu a circuncisão; (não porque é de Moisés, mas dos pais;) e no dia de sábado circuncidais um homem.

23 Se um homem no dia de sábado for circuncidado, para que a lei de Moisés não seja quebrada; Vocês estão zangados comigo, porque eu fiz um homem completamente são no dia de sábado?

24 Não julguem de acordo com suas tradições, mas julguem com justiça.

25 Disseram então alguns de Jerusalém: Não é este aquele que procuram matar?

26 Mas eis que ele fala com ousadia, e nada lhe dizem. Os governantes sabem de fato que este é o próprio Cristo?

27 Mas sabemos donde é este homem; mas quando Cristo vier, ninguém sabe de onde ele é.

28 Então clamou Jesus no templo enquanto ensinava, dizendo: Vós me conheceis e sabeis de onde sou; e eu não vim de mim mesmo, mas aquele que me enviou é verdadeiro, a quem vós não conheceis.

29 Mas eu o conheço; porque eu sou dele, e ele me enviou.

30 Então eles procuraram prendê-lo; mas ninguém lhe pôs as mãos, porque ainda não era chegada a sua hora.

31 E muitos do povo creram nele, e diziam: Quando Cristo vier, fará mais milagres do que este fez?

32 Os fariseus ouviram que o povo murmurava tais coisas a respeito dele; e os fariseus e os principais sacerdotes enviaram oficiais para prendê-lo.

33 Então disse-lhes Jesus: Ainda um pouco estou convosco, e depois irei para aquele que me enviou.

34 Buscar-me-eis e não me achareis; e onde estou, não podeis ir.

35 Disseram, pois, os judeus entre si: Para onde irá ele, que não o acharemos? Irá ele aos dispersos entre os gentios e ensinará os gentios?

36 Que modo de dizer é este que disse: Buscar-me-eis e não me achareis; e onde eu estou não podeis ir?

37 No último dia, o grande dia da festa, Jesus levantou-se e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim e beba.

38 Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu ventre fluirão rios de água viva.

39 (Mas isto ele disse do Espírito que os que nele cressem deveriam receber; porque o Espírito Santo foi prometido aos que creem, depois que Jesus foi glorificado.)

40 Muitos, pois, ouvindo isto, diziam: Verdadeiramente este é o Profeta.

41 Outros diziam: Este é o Cristo. Mas alguns diziam: Deverá Cristo sair da Galiléia?

42 Não diz a Escritura que Cristo vem da descendência de Davi, e da cidade de Belém, onde Davi estava?

43 Assim houve divisão entre o povo por causa dele.

44 E alguns deles o teriam levado; mas nenhum homem pôs as mãos nele.

45 Então os oficiais foram ter com os principais sacerdotes e fariseus; e disseram-lhes: Por que não o trouxestes?

46 Os oficiais responderam: Nunca homem algum falou como este homem.

47 Responderam-lhes os fariseus: Também vós estais enganados?

48 Algum dos governantes ou dos fariseus acreditou nele?

49 Mas este povo que não conhece a lei é maldito.

50 Nicodemos disse-lhes (o que veio a Jesus de noite sendo um deles,)

51 A nossa lei julga qualquer homem antes de ouvi-lo e saber o que ele faz?

52 Responderam-lhe: Tu também és da Galiléia? Procure, e olhe; porque da Galiléia não surge nenhum profeta.

53 E cada um foi para sua própria casa.


CAPÍTULO 8

A mulher apanhada em adultério – Cristo, a luz do mundo.

1 E Jesus foi ao monte das Oliveiras.

2 De manhã cedo voltou novamente ao templo, e todo o povo veio ter com ele; e sentou-se, e os ensinou.

3 E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; e quando a puseram no meio do povo,

4 Disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada em flagrante adultério.

5 Ora, Moisés nos ordenou na lei que os tais fossem apedrejados; mas o que você diz?

6 Isto disseram eles, tentando-o, para que o acusassem. Mas Jesus se abaixou e com o dedo escreveu no chão, como se não os ouvisse.

7 E, como eles continuavam a interrogá-lo, ele se levantou e disse-lhes: Aquele que dentre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.

8 E novamente ele se abaixou e escreveu no chão.

9 E os que a ouviram, convencidos da própria consciência, foram saindo um a um, começando pelos mais velhos até os últimos; e Jesus ficou sozinho, e a mulher que estava no meio do templo.

10 Quando Jesus se levantou, e não viu nenhum dos seus acusadores, e a mulher de pé, disse-lhe: Mulher, onde estão esses teus acusadores? ninguém te condenou?

11 Ela disse: Ninguém, Senhor. E Jesus lhe disse: Nem eu te condeno; vá, e não peques mais. E a mulher glorificou a Deus desde aquela hora, e creu em seu nome.

12 Então Jesus lhes falou novamente, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.

13 Disseram-lhe, pois, os fariseus: Tu dás testemunho de ti mesmo; teu registro não é verdadeiro.

14 Jesus respondeu e disse-lhes: Embora eu dê testemunho de mim mesmo, meu testemunho é verdadeiro; pois sei de onde vim e para onde vou; mas não podeis dizer de onde venho e para onde vou.

15 Vós julgais segundo a carne; Eu não julgo nenhum homem.

16 E, no entanto, se eu julgar, meu julgamento é verdadeiro; porque não estou só, mas eu e o Pai que me enviou.

17 Também está escrito na vossa lei que o testemunho de dois homens é verdadeiro.

18 Sou eu que dou testemunho de mim mesmo, e o Pai que me enviou dá testemunho de mim.

19 Disseram-lhe então: Onde está teu Pai? Jesus respondeu: Não me conheceis nem a meu Pai; se me conhecessem, conheceriam também meu Pai.

20 Estas palavras falou Jesus na tesouraria, ensinando no templo; e ninguém lhe pôs as mãos; pois sua hora ainda não havia chegado.

21 Então Jesus lhes disse outra vez: Eu vou-me, e vós me buscareis, e morrereis em vossos pecados; para onde eu vou, vós não podeis ir.

22 Então disseram os judeus: Ele se matará? porque ele diz: Para onde eu vou, vós não podeis ir.

23 E disse-lhes: Vós sois de baixo; Eu sou de cima; vós sois deste mundo; Eu não sou deste mundo.

24 Digo-vos, pois, que morrereis em vossos pecados; porque se não crerdes que eu sou ele, morrereis em vossos pecados.

25 Disseram-lhe então: Quem és tu? E Jesus lhes disse: Isso mesmo que eu vos disse desde o princípio.

26 Tenho muitas coisas para dizer e julgar de vocês; mas aquele que me enviou é verdadeiro; e falo ao mundo as coisas que dele ouvi.

27 Eles não entenderam que ele lhes falava do Pai.

28 Então Jesus lhes disse: Quando levantardes o Filho do homem, então sabereis que eu sou, e que nada faço por mim mesmo; mas como meu Pai me ensinou, eu falo essas coisas.

29 E aquele que me enviou está comigo; o Pai não me deixou sozinho; pois faço sempre as coisas que lhe agradam.

30 Ao proferir estas palavras, muitos creram nele.

31 Então disse Jesus aos judeus que nele creram: Se permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos;

32 E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

33 Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca fomos escravos de homem algum; como dizes tu, sereis libertados?

34 Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.

35 E o servo não fica para sempre na casa, mas o Filho fica para sempre.

36 Portanto, se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres.

37 Sei que sois descendência de Abraão; mas vós procurais matar-me porque a minha palavra não tem lugar em vós.

38 Falo o que tenho visto com meu Pai; e fazeis o que vistes com vosso pai.

39 Responderam-lhe: Abraão é nosso pai. Disse-lhes Jesus: Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão.

40 Mas agora procurais matar-me, homem que vos disse a verdade que de Deus ouvi; isso não fez Abraão.

41 Vós praticais as obras de vosso pai. Disseram-lhe então: Não nascemos da fornicação; temos um Pai, sim, Deus.

42 Disse-lhes Jesus: Se Deus fosse vosso Pai, vós me amaríeis; pois eu procedi e vim de Deus; nem eu vim de mim mesmo, mas ele me enviou.

43 Por que não entendeis a minha fala? mesmo porque não podeis suportar a minha palavra.

44 Vós sois do diabo, vosso pai, e fareis as concupiscências de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele fala uma mentira, ele fala do que é seu; porque ele é um mentiroso, e o pai dela.

45 E porque vos digo a verdade, não credes em mim.

46 Qual de vocês me convence do pecado? E se eu digo a verdade, por que você não acredita em mim?

47 Aquele que é de Deus recebe as palavras de Deus; vós, portanto, não os recebeis, porque não sois de Deus.

48 Responderam-lhe, pois, os judeus: Não dizemos bem que tu és samaritano e tens demônio?

49 Respondeu Jesus: Não tenho demônio; mas eu honro meu Pai, e vós me desonrais.

50 E não busco a minha própria glória; há quem busque e julgue.

51 Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte.

52 Disseram-lhe, pois, os judeus: Agora sabemos que tens demônio. Abraão está morto, e os profetas; e tu dizes: Se alguém guardar a minha palavra, nunca provará a morte.

53 És tu maior do que nosso pai Abraão, que está morto? e os profetas estão mortos; quem te fazes a ti mesmo?

54 Jesus respondeu: Se eu me honro, minha honra não vale nada; é meu pai que me honra; de quem dizeis ser vosso Deus;

55 Mas vós não o conheceis; mas eu o conheço; e se eu disser que não o conheço, serei mentiroso como você; mas eu o conheço e mantenho sua palavra.

56 Seu pai Abraão se alegrou ao ver o meu dia; e ele viu, e se alegrou.

57 Disseram-lhe, pois, os judeus: Ainda não tens cinquenta anos, e viste a Abraão?

58 Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que antes que Abraão existisse, eu sou.

59 Então pegaram pedras para atirar nele; mas Jesus se escondeu, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim passou.


CAPÍTULO 9

O homem que nasceu cego voltou a enxergar.

1 E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença.

2 E seus discípulos perguntaram-lhe dizendo: Mestre, quem pecou, este homem ou seus pais, para que nascesse cego?

3 Jesus respondeu: Nem este homem pecou, nem seus pais; mas que as obras de Deus se manifestem nele.

4 Devo fazer as obras daquele que me enviou, enquanto estou com vocês; chegar o tempo em que terei terminado minha obra, então irei para o Pai.

5 Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo.

6 Tendo dito isso, cuspiu no chão, e com a saliva fez lodo, e ungiu com lodo os olhos do cego,

7 E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé, (que é por interpretação, Enviado). Ele foi, portanto, e lavou-se, e veio vendo.

8 Então os vizinhos, e os que antes o tinham visto que era cego, perguntaram: Não é este aquele que estava sentado e mendigava?

9 Alguns diziam: Este é ele; outros diziam: Ele é como ele; mas ele disse, eu sou ele.

10 Disseram-lhe, pois: Como se abriram os teus olhos?

11 Ele respondeu e disse: Um homem chamado Jesus fez lodo, e ungiu-me os olhos, e disse-me: Vai ao tanque de Siloé, e lava-te; e fui e lavei-me, e tornei a ver.

12 Disseram-lhe então: Onde está ele? Ele disse, eu não sei.

13 E trouxeram o cego aos fariseus.

14 E era dia de sábado quando Jesus fez o barro e abriu os olhos.

15 Os fariseus também lhe perguntaram como havia recuperado a visão. Ele lhes disse: Ele pôs barro sobre meus olhos, e eu lavei, e vejo.

16 Por isso diziam alguns dos fariseus: Este homem não é de Deus, porque não guarda o dia de sábado. Outros diziam: Como pode um homem pecador fazer tais milagres? E havia uma divisão entre eles.

17 Tornaram a dizer ao cego: Que dizes daquele que te abriu os olhos? Ele disse: Ele é um profeta.

18 Mas os judeus não creram a respeito dele, que tinha sido cego e recuperado a vista, até que chamaram os pais daquele que tinha visto.

19 E perguntaram-lhes, dizendo: Este é o vosso filho, que dizeis ter nascido cego? como então ele vê agora?

20 Seus pais lhes responderam e disseram: Sabemos que este é nosso filho, e que nasceu cego.

21 Mas por que meios ele agora vê, não sabemos; ou quem abriu os olhos, não sabemos; ele é maior de idade; pergunte a ele; ele falará por si mesmo.

22 Estas palavras falaram a seus pais, porque temiam os judeus; pois os judeus já haviam concordado que, se alguém confessasse que era Cristo, deveria ser expulso da sinagoga.

23 Por isso disseram seus pais: Ele já é maior de idade; pergunte a ele.

24 Chamaram novamente o cego e disseram-lhe: Dá louvor a Deus; sabemos que este homem é um pecador.

25 Respondeu ele: Se é pecador ou não, não sei; uma coisa eu sei, que, enquanto eu era cego, agora vejo.

26 Tornaram a perguntar-lhe: Que te fez ele? como ele abriu seus olhos?

27 Ele lhes respondeu: Já vos disse, e não crestes; por que você acreditaria se eu lhe contasse novamente? e vocês seriam seus discípulos?

28 Então o injuriaram e disseram: Tu és seu discípulo; mas somos discípulos de Moisés.

29 Sabemos que Deus falou a Moisés; quanto a este homem, não sabemos de onde ele é.

30 O homem respondeu e disse-lhes: Por que aqui está uma coisa maravilhosa, que vocês não sabem de onde ele é, e ainda assim ele abriu os meus olhos.

31 Agora sabemos que Deus não ouve pecadores; mas se alguém é adorador de Deus, e faz a sua vontade, esse ele ouve.

32 Desde o princípio do mundo não se ouviu que alguém abriu os olhos a um cego de nascença, a não ser que fosse de Deus.

33 Se este homem não fosse de Deus, nada poderia fazer.

34 Responderam-lhe: Tu nasceste totalmente em pecado e nos ensinas? E eles o expulsaram.

35 Jesus ouviu que o tinham expulsado; e, achando-o, perguntou-lhe: Crê no Filho de Deus?

36 Ele respondeu e disse: Quem é ele, Senhor, para que eu creia nele?

37 E Jesus lhe disse: Tu o viste, e é ele que fala contigo.

38 E ele disse: Senhor, eu creio. E ele o adorou.

39 E disse Jesus: Vim a este mundo para julgamento, a fim de que os que não vêem vejam; e para que os que vêem se tornem cegos.

40 E alguns dos fariseus que estavam com ele ouviram estas palavras e lhe perguntaram: Somos nós também cegos?

41 Disse-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas agora dizeis: Vemos; portanto, seu pecado permanece.


CAPÍTULO 10

Cristo é a porta e o bom pastor – Diversas opiniões sobre ele – Muitos acreditaram nele.

1 Em verdade, em verdade vos digo que quem não entra pela porta no aprisco, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador.

2 Mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas.

3 A ele abre o porteiro; e as ovelhas ouvem a sua voz; e chama pelo nome as suas ovelhas, e as conduz para fora.

4 E quando ele tira suas próprias ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem; pois eles conhecem a sua voz.

5 E não seguirão um estranho, mas fugirão dele; porque não conhecem a voz dos estranhos.

6 Esta parábola lhes falou Jesus; mas eles não entenderam quais eram as coisas que ele lhes falou.

7 Então Jesus lhes disse outra vez: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta do aprisco.

8 Todos os que vieram antes de mim e que não testificaram de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não os ouviram.

9 Eu sou a porta; por mim, se alguém entrar, será salvo, e entrará e sairá, e achará pastagem.

10 O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.

11 Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas.

12 E o pastor não é como um mercenário, de quem não são as ovelhas, que vê vir o lobo, deixa as ovelhas e foge; e o lobo apanha as ovelhas e as dispersa.

13 Porque eu sou o bom pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido.

14 Mas o mercenário foge, porque é mercenário, e não se preocupa com as ovelhas.

15 Assim como o Pai me conhece, também eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas.

16 E tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; a eles também devo trazer, e eles ouvirão a minha voz; e haverá um rebanho e um pastor.

17 Por isso meu Pai me ama, porque dou a minha vida para tomá-la novamente.

18 Ninguém a tira de mim, mas de mim mesmo a dou. Eu tenho poder para entregá-lo, e tenho poder para tomá-lo novamente. Este mandamento recebi de meu Pai.

19 Houve, pois, novamente uma divisão entre os judeus por causa dessas palavras.

20 E muitos deles diziam: Ele tem demônio e está louco; por que ouvi-lo?

21 Outros diziam: Não são palavras de quem tem demônio. Um demônio pode abrir os olhos dos cegos?

22 E era em Jerusalém a festa da dedicação, e era inverno.

23 E Jesus andava no templo no alpendre de Salomão.

24 Então os judeus rodearam-no e disseram-lhe: Até quando nos farás duvidar? Se você é o Cristo, diga-nos claramente.

25 Respondeu-lhes Jesus: Eu vos disse, e não crestes; as obras que faço em nome de meu Pai, elas dão testemunho de mim.

26 Mas vós não credes, porque não sois das minhas ovelhas, como vos disse.

27 As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu as conheço, e elas me seguem;

28 E dou-lhes a vida eterna; e nunca perecerão, nem ninguém as arrebatará da minha mão.

29 Meu Pai, que me deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.

30 Eu e meu Pai somos um.

31 Então os judeus pegaram novamente em pedras para apedrejá-lo.

32 Respondeu-lhes Jesus: Muitas boas obras vos mostrei da parte de meu Pai; por qual dessas obras me apedrejais?

33 Responderam-lhe os judeus, dizendo: Por uma boa obra não te apedrejamos; mas por blasfêmia; e porque tu, sendo homem, te fazes Deus.

34 Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei que eu disse: Vós sois deuses?

35 Se ele os chamou de deuses, aos quais veio a palavra de Deus, e a Escritura não pode ser anulada;

36 Dizei daquele a quem o Pai santificou e enviou ao mundo: Tu blasfemas; porque eu disse, eu sou o Filho de Deus?

37 Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis.

38 Mas, se o faço, ainda que não creiais em mim, crede nas obras; para que saibais e creiais que o Pai está em mim e eu nele.

39 Por isso procuraram novamente prendê-lo; mas escapou da mão deles,

40 E foi outra vez além do Jordão, para o lugar onde João primeiro batizou; e ali residiu.

41 E muitos recorreram a ele e disseram: João não fez nenhum milagre; mas todas as coisas que João falou deste homem eram verdadeiras.

42 E muitos creram nele ali.


CAPÍTULO 11

Cristo ressuscita Lázaro – Muitos judeus acreditam – Caifás profetiza – Jesus se escondeu.

1 Estava enfermo um homem, cujo nome era Lázaro, da cidade de Betânia;

2 E Maria, sua irmã, que ungiu o Senhor com ungüento e enxugou-lhe os pés com os cabelos, morava com sua irmã Marta, em cuja casa seu irmão Lázaro estava doente.

3 Então suas irmãs mandaram dizer-lhe: Senhor, eis que aquele a quem amas está doente.

4 E, ouvindo Jesus que ele estava doente, disse: Esta doença não é para morte, mas para glória de Deus, para que o Filho de Deus seja por ela glorificado.

5 Ora, Jesus amava Marta, e sua irmã, e Lázaro.

6 E Jesus permaneceu dois dias, depois que soube que Lázaro estava doente, no mesmo lugar onde ele estava.

7 Depois disso disse aos seus discípulos: Vamos outra vez para a Judéia.

8 Mas os seus discípulos lhe disseram: Mestre, os judeus ultimamente procuravam apedrejar-te; e vais para lá de novo?

9 Jesus respondeu: Não há doze horas no dia? Se alguém anda de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo.

10 Mas, se um homem andar de noite, tropeça, porque nele não há luz.

11 Estas coisas disse ele; e depois disse-lhes: Nosso amigo Lázaro dorme; mas eu vou, para despertá-lo do sono.

12 Então disseram seus discípulos: Senhor, se ele dorme, fará bem.

13 No entanto, Jesus falou de sua morte; mas eles pensaram que ele havia falado em descansar no sono.

14 Então Jesus lhes disse claramente: Lázaro está morto.

15 E, por amor de vós, alegro-me de não estar ali, para que creiais; não obstante, vamos ter com ele.

16 Então disse Tomé, chamado Dídimo, aos seus condiscípulos: Vamos também nós, para morrermos com ele; pois temiam que os judeus levassem Jesus e o matassem, pois ainda não compreendiam o poder de Deus.

17 E quando Jesus chegou a Betânia, à casa de Marta, Lázaro já estava na sepultura há quatro dias.

18 Ora, Betânia estava perto de Jerusalém, a cerca de quinze estádios.

19 E muitos dos judeus vieram a Marta e Maria, para consolá-los a respeito de seu irmão.

20 Então Marta, logo que soube que Jesus vinha, foi ao encontro dele; mas Mary ainda estava sentada em casa.

21 Então disse Marta a Jesus: Senhor, se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.

22 Mas eu sei que mesmo agora, tudo o que pedires a Deus, Deus te concederá.

23 Disse-lhe Jesus: Teu irmão ressuscitará.

24 Disse-lhe Marta: Eu sei que ele ressuscitará na ressurreição, no último dia.

25 Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;

26 E todo aquele que vive e crê em mim nunca morrerá. Você acredita nisso?

27 Ela lhe disse: Sim, Senhor; Creio que tu és o Cristo, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo.

28 E, tendo dito isso, foi e chamou em segredo Maria, sua irmã, dizendo: O Mestre veio e te chama.

29 Assim que Maria soube que Jesus tinha vindo, levantou-se rapidamente e foi ter com ele.

30 Ora, Jesus ainda não tinha entrado na cidade, mas estava no lugar onde Marta o encontrou.

31 Então os judeus que estavam com ela em casa, e a consolaram, quando viram Maria, que se levantou apressadamente e saiu, a seguiram, dizendo: Ela vai à sepultura para chorar ali.

32 Quando Maria chegou onde Jesus estava e o viu, prostrou-se a seus pés, dizendo-lhe: Senhor, se estivesses aqui, meu irmão não teria morrido.

33 Jesus, pois, vendo-a chorar, e chorando também os judeus que vinham com ela, gemeu no espírito e ficou perturbado,

34 E disse: Onde o puseste? Dizem-lhe: Senhor, vem e vê.

35 Jesus chorou.

36 Então disseram os judeus: Eis como ele o amava!

37 E alguns deles diziam: Não poderia este homem, que abriu os olhos aos cegos, fazer com que nem mesmo este homem morresse?

38 Jesus, pois, novamente gemendo em si mesmo, vem à sepultura. Era uma caverna, e uma pedra estava sobre ela.

39 Jesus disse: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do defunto: Senhor, já cheira mal; porque ele está morto há quatro dias.

40 Disse-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus?

41 Então tiraram a pedra do lugar onde o morto foi colocado. E Jesus levantou os olhos e disse: Pai, graças te dou porque me ouviste.

42 E eu sabia que sempre me ouves; mas por causa do povo que está junto eu o disse, para que creiam que tu me enviaste.

43 E, tendo dito isso, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora.

44 E o que estava morto saiu, mãos e pés amarrados com sepulturas; e seu rosto estava amarrado com um guardanapo. Jesus lhes disse. Solte-o e deixe-o ir.

45 Então muitos dos judeus que foram ter com Maria e viram as coisas que Jesus fez, creram nele.

46 Mas alguns deles foram ter com os fariseus e lhes contaram as coisas que Jesus havia feito.

47 Então reuniram os principais sacerdotes e os fariseus um conselho e disseram: Que faremos? pois este homem faz muitos milagres.

48 Se o deixarmos assim, todos crerão nele; e os romanos virão e tirarão nosso lugar e nação.

49 E um deles, chamado Caifás, sendo o sumo sacerdote naquele mesmo ano, disse-lhes: Vós nada sabeis,

50 Nem considereis que nos convém que um homem morra pelo povo, e que não pereça toda a nação.

51 E isto ele não falou de si mesmo; mas sendo sumo sacerdote naquele ano, ele profetizou que Jesus deveria morrer por aquela nação;

52 E não somente para aquela nação, mas também para que ele congregasse em um os filhos de Deus que estavam dispersos.

53 Daquele dia em diante, deliberaram entre si para matá-lo.

54 Jesus, portanto, não andava mais abertamente entre os judeus; mas foi dali para uma terra perto do deserto, para uma cidade chamada Efraim, e ali continuou com seus discípulos.

55 E a páscoa dos judeus estava próxima; e muitos subiam do país a Jerusalém antes da páscoa, para se purificarem.

56 Procuraram, pois, Jesus, e falaram entre si, estando no templo: Que pensais vós de Jesus? Ele não virá à festa?

57 Ora, tanto os principais sacerdotes como os fariseus deram ordem para que, se alguém soubesse onde ele estava, os mostrasse, para que o prendessem.


CAPÍTULO 12

Maria ungindo os pés de Jesus – Cristo entra em Jerusalém – Ele prediz sua morte – Muitos governantes acreditam, mas não o confessam.

1 Então Jesus, seis dias antes da páscoa, veio a Betânia, onde estava Lázaro, o qual havia morrido, a quem ressuscitou dos mortos.

2 Ali lhe fizeram uma ceia; e Marta servia; mas Lázaro foi um dos que se sentaram à mesa com ele.

3 Então tomou Maria uma libra de unguento de nardo, muito caro, e ungiu os pés de Jesus, e enxugou os pés dele com os cabelos dela; e a casa encheu-se do cheiro do unguento.

4 Então disse um de seus discípulos, Judas Iscariotes, filho de Simão, que o havia de trair:

5 Por que esse ungüento não foi vendido por trezentos denários e dado aos pobres?

6 Isto ele disse, não que se importasse com os pobres; mas porque era ladrão, e tinha a bolsa, e trazia o que nela se punha,

7 Então disse Jesus: Deixa-a; pois ela conservou este ungüento até agora, para que ela pudesse me ungir em sinal de meu sepultamento.

8 Pois os pobres sempre tendes convosco; mas a mim nem sempre.

9 Muitos judeus sabiam, pois, que ele estava ali; e eles não vieram somente por causa de Jesus, mas para que pudessem ver também Lázaro, a quem ele ressuscitou dos mortos.

10 Mas os principais sacerdotes deliberaram que matassem também Lázaro;

11 Porque por causa dele muitos judeus se foram e creram em Jesus.

12 No dia seguinte, muita gente que vinha à festa, sabendo que Jesus vinha a Jerusalém,

13 Tomando ramos de palmeiras, saiu ao seu encontro e clamou: Hosana; Bendito o Rei de Israel que vem em nome do Senhor.

14 E Jesus, tendo enviado dois dos seus discípulos e apanhado um jumentinho, sentou-se sobre ele; como está escrito,

15 Não temas, filha de Sião; eis que vem o teu Rei, montado num jumentinho.

16 Estas coisas não entenderam a princípio seus discípulos; mas quando Jesus foi glorificado, então eles se lembraram de que estas coisas foram escritas a seu respeito, e que eles haviam feito essas coisas para ele.

17 Portanto, o povo que estava com ele quando chamou Lázaro da sua sepultura, e o ressuscitou dentre os mortos, é testemunho.

18 Por isso também o povo o encontrou, pois ouviram que ele havia feito esse milagre.

19 Disseram, pois, os fariseus entre si: Percebeis que nada prevaleceis? eis que o mundo se foi atrás dele.

20 E havia entre eles alguns gregos que subiram para adorar na festa;

21 Este veio, pois, a Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e o interpelou, dizendo: Senhor, queremos ver a Jesus.

22 Filipe vem e conta a André; e novamente André e Filipe contam a Jesus.

23 E Jesus lhes respondeu, dizendo: É chegada a hora em que o Filho do Homem será glorificado.

24 Em verdade, em verdade vos digo que se o grão de trigo não cair na terra e morrer, ficará só; mas se morrer, dará muito fruto.

25 Quem ama a sua vida perdê-la-á; e aquele que odeia a sua vida neste mundo a guardará para a vida eterna.

26 Se alguém me serve, siga-me; e onde eu estiver estará também o meu servo; se alguém me servir, meu Pai o honrará.

27 Agora está perturbada a minha alma; e o que devo dizer? Pai, salva-me desta hora; mas para isso vim até esta hora.

28 Pai, glorifica o teu nome. Então veio uma voz do céu, dizendo: Eu já o glorifiquei e o glorificarei novamente.

29 O povo, pois, que estava ali e o ouviu, disse que trovejava; outros diziam: Um anjo lhe falou.

30 Jesus respondeu e disse: Esta voz não veio por minha causa, mas por amor de vocês.

31 Agora é o julgamento deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.

32 E eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim.

33 Isto ele disse, significando de que morte deveria morrer.

34 Respondeu-lhe o povo: Pela lei ouvimos que Cristo permanece para sempre; e como dizes tu: O Filho do Homem deve ser levantado? quem é esse Filho do Homem?

35 Então Jesus lhes disse: Ainda por um pouco a luz está convosco. Andai enquanto tendes a luz, para que as trevas não vos sobrevivam; pois quem anda nas trevas não sabe para onde vai.

36 Enquanto tendes luz, crede na luz, para que sejais filhos da luz. Estas coisas falou Jesus, e partiu, e se escondeu deles.

37 Mas, embora ele tivesse feito tantos milagres antes deles, eles não creram nele;

38 Para que se cumprisse a palavra do profeta Isaías, que falou: Senhor, quem creu na nossa pregação? e a quem foi revelado o braço do Senhor?

39 Por isso eles não podiam acreditar, porque Isaías disse novamente:

40 Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração; para que não vejam com os olhos, nem entendam com o coração, e se convertam, e eu os cure.

41 Estas coisas disse Isaías, quando viu a sua glória, e falou dele.

42 No entanto, entre os principais governantes também muitos creram nele; mas por causa dos fariseus não o confessaram, para que não fossem expulsos da sinagoga;

43 Porque eles amavam mais o louvor dos homens do que o louvor de Deus.

44 Jesus clamou e disse: Quem crê em mim, não crê em mim, mas naquele que me enviou.

45 E quem me vê, vê aquele que me enviou.

46 Eu vim luz ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.

47 E se alguém ouve as minhas palavras e não crê, eu não o julgo; pois não vim para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.

48 Quem me rejeita e não recebe as minhas palavras tem quem o julgue; a palavra que tenho falado, esse o julgará no último dia.

49 Pois não falei de mim mesmo; mas o Pai que me enviou, ele me deu um mandamento, o que eu deveria dizer e o que eu deveria falar.

50 E sei que o seu mandamento é a vida eterna; tudo o que falo, pois, como o Pai me disse, assim falo.


CAPÍTULO 13

Jesus lava os pés dos discípulos – ordena que eles se amem.

1 Ora, antes da festa da páscoa, sabendo Jesus que era chegada a sua hora de passar deste mundo para o Pai, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.

2 E acabada a ceia, tendo o diabo posto agora no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse;

3 Jesus sabendo que o Pai havia entregado todas as coisas em suas mãos, e que ele havia saído de Deus e ido para Deus;

4 Levantou-se da ceia e tirou as suas vestes; e tomou uma toalha, e cingiu-se.

5 Depois despejou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, e a enxugá-los com a toalha com que estava cingido.

6 Então ele vem a Simão Pedro; e disse-lhe Pedro: Senhor, lavas-me os pés?

7 Respondeu-lhe Jesus: O que eu faço não sabes agora; mas tu saberás daqui em diante.

8 Disse-lhe Pedro: Não precisas de lavar os meus pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu não te lavar, não terás parte comigo.

9 Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os meus pés, mas também as minhas mãos e a minha cabeça.

10 Disse-lhe Jesus: Aquele que lavou as mãos e a cabeça não necessita senão de lavar os pés, mas está limpo em tudo; e vós estais limpos, mas não todos. Agora, esse era o costume dos judeus sob sua lei; portanto, Jesus fez isso para que a lei fosse cumprida.

11 Pois ele sabia quem o havia de trair; por isso disse: Nem todos estais limpos.

12 Então, depois de lhes lavar os pés, tomar as suas vestes e voltar a sentar-se, disse-lhes: Sabeis vós o que vos fiz?

13 Vós me chamais Mestre e Senhor; e você diz bem; pois assim sou.

14 Se eu, então, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés; vós também deveis lavar os pés uns aos outros.

15 Pois eu vos dei o exemplo, para que façais como eu vos fiz.

16 Em verdade, em verdade vos digo que o servo não é maior do que o seu senhor; nem o enviado maior do que aquele que o enviou.

17 Se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes.

18 Não falo de todos vocês; Eu sei quem escolhi; mas para que se cumpra a Escritura: Quem come pão comigo levantou contra mim o calcanhar.

19 Agora vos digo, antes que aconteça, para que, quando acontecer, acrediteis que eu sou o Cristo.

20 Em verdade, em verdade vos digo que quem recebe a quem eu enviar, a mim me recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou.

21 Tendo Jesus dito isso, perturbou-se no espírito, e testificou, e disse: Em verdade, em verdade vos digo que um de vós me trairá.

22 Então os discípulos olharam uns para os outros, duvidando de quem ele falava.

23 Ora, estava apoiado no seio de Jesus um de seus discípulos, a quem Jesus amava.

24 Simão Pedro, pois, fez-lhe sinal para que perguntasse quem era de quem falava.

25 E, deitado sobre o peito de Jesus, disse-lhe: Senhor, quem é?

26 Respondeu Jesus: Aquele é a quem eu der um gole, quando o molhar. E, depois de molhar a sopa, deu-a a Judas Iscariotes, filho de Simão.

27 E depois do sop Satanás entrou nele. Então disse-lhe Jesus: Isso que fazes, faze-o depressa.

28 Ora, nenhum homem à mesa sabia com que intenção ele lhe falou isso.

29 Porque alguns deles pensavam, porque Judas tinha a bolsa, que Jesus lhe dissera: Compra o que temos necessidade para a festa; ou, que ele deveria dar algo aos pobres.

30 Ele então, tendo recebido a sopa, saiu imediatamente; e era noite.

31 Por isso, saindo ele, disse Jesus: Agora é glorificado o Filho do homem, e Deus é glorificado nele.

32 Se Deus for glorificado nele, Deus também o glorificará em si mesmo, e logo o glorificará.

33 Filhinhos, ainda um pouco estou com vocês. Vós me buscareis; e como eu disse aos judeus: Para onde eu vou, vós não podeis ir; então agora eu digo a você.

34 Um novo mandamento vos dou. Que vocês se amem; como eu vos amei, assim também vos ameis uns aos outros.

35 Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.

36 Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, para onde vais? Respondeu-lhe Jesus: Para onde eu vou, não podes seguir-me agora; mas tu me seguirás depois.

37 Disse-lhe Pedro: Senhor, por que não posso seguir-te agora? Eu darei minha vida por tua causa.

38 Respondeu-lhe Jesus: Darás a tua vida por minha causa? Em verdade, em verdade te digo que não cantará o galo até que três vezes me tenhas negado.


CAPÍTULO 14

Cristo o caminho, a verdade e a vida, e um com o Pai – Suas orações em seu nome eficazes – Pede amor e obediência – Promete ao Espírito Santo, o Consolador.

1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.

2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu teria dito a você. Vou preparar um lugar para você.

3 E quando eu for, preparar-vos-ei lugar e voltarei e vos receberei para mim; para que onde eu estiver estejais vós também.

4 E para onde vou vós sabeis; e do jeito que você sabe.

5 Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho?

6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

7 Se me conhecêsseis, conheceríeis também a meu Pai; e desde agora o conheceis e o vistes.

8 Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta.

9 Disse-lhe Jesus: Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Filipe? quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes então: Mostra-nos o Pai?

10 Não acreditas que eu estou no Pai, e o Pai em mim? as palavras que vos digo não falo por mim mesmo; mas o Pai que habita em mim, ele faz as obras.

11 Crede-me que estou no Pai, e o Pai em mim; ou então acredite em mim por causa das próprias obras.

12 Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço; e obras maiores do que estas fará; porque vou para meu Pai.

13 E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.

14 Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.

15 Se me amais, guardai os meus mandamentos.

16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre;

17 Até o Espírito da verdade; a quem o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis; porque ele habita convosco, e estará em vós.

18 Não vos deixarei desamparados; Eu virei para você.

19 Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais; mas você me vê; porque eu vivo, vós também vivereis.

20 Naquele dia sabereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós.

21 Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e quem me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.

22 Disse-lhe Judas: (não Iscariotes): Senhor, como é que te manifestas a nós e não ao mundo?

23 Respondeu-lhe Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.

24 Quem não me ama não guarda as minhas palavras; e a palavra que ouvis não é minha, mas do Pai que me enviou.

25 Estas coisas vos tenho dito, estando ainda presente convosco.

26 Mas o Consolador, que é o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

27 Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não como o mundo dá, eu vo-lo dou. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

28 Ouvistes como vos disse: vou e volto para vós. Se vocês me amassem, vocês se alegrariam, porque eu disse, vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.

29 E agora vos disse, antes que aconteça, para que, quando acontecer, acrediteis.

30 Daqui em diante não falarei muito com você; porque vem o príncipe das trevas, que é deste mundo, mas não tem poder sobre mim, mas tem poder sobre vós.

31 E digo-vos estas coisas para que saibais que amo o Pai; e como o Pai me deu mandamento, assim eu faço. Levanta-te, vamos daqui.


CAPÍTULO 15

A parábola da videira – O ódio e a perseguição do mundo – O ofício do Espírito Santo e dos apóstolos.

1 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador.

2 Todo ramo em mim que não dá fruto, ele o tira; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais fruto.

3 Agora estais limpos pela palavra que vos tenho falado.

4 Permanece em mim, e eu em ti. Como o ramo não pode dar fruto de si mesmo, a menos que permaneça na videira; não podeis mais, se não permanecerdes em mim.

5 Eu sou a videira, vós os ramos. Quem está em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim nada podeis fazer.

6 Se um homem não permanecer em mim, será lançado fora como o ramo, e secará; e os homens os apanham e os lançam no fogo, e são queimados.

7 Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.

8 Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; assim sereis meus discípulos.

9 Como o Pai me amou, eu também vos amei; continuai no meu amor.

10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; assim como tenho guardado os mandamentos de meu Pai e permaneço em seu amor.

11 Estas coisas vos tenho dito, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo.

12 Este é o meu mandamento: que vos ameis uns aos outros, como eu vos amei.

13 Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos.

14 Vós sois meus amigos, se fizerdes tudo o que vos mando.

15 Doravante não vos chamo servos; porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas eu os chamei de amigos; porque todas as coisas que ouvi de meu Pai vos dei a conhecer.

16 Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos ordenei, para que vades e deis fruto; e que seu fruto permaneça; para que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo conceda.

17 Estas coisas vos ordeno que vos ameis uns aos outros.

18 Se o mundo te odeia, sabes que me odiou antes de te odiar.

19 Se fôsseis do mundo, o mundo amaria os seus; mas porque não sois do mundo, mas eu vos escolhi do mundo, por isso o mundo vos odeia.

20 Lembra-te da palavra que te disse. O servo não é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês; se eles guardaram a minha palavra, também guardarão a sua.

21 Mas todas estas coisas vos farão por amor do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou.

22 Se eu não tivesse vindo e falado com eles, não teriam pecado; mas agora eles não têm capa para o seu pecado.

23 Quem me odeia odeia também a meu Pai.

24 Se eu não tivesse feito entre eles as obras que nenhum outro fez, não teriam pecado; mas agora ambos viram e odeiam tanto a mim como a meu Pai.

25 Mas isto aconteceu para que se cumprisse a palavra que está escrita na sua lei: Eles me odiaram sem motivo.

26 Mas, quando vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, ele testificará de mim;

27 E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio.


CAPÍTULO 16

Cristo avisa da perseguição – A promessa do Espírito Santo – Ressurreição e ascensão – Suas orações em seu nome aceitáveis a seu Pai – Paz em Cristo e na aflição do mundo.

1 Estas coisas vos tenho dito, para que não vos escandalizeis.

2 Eles te expulsarão das sinagogas; sim, chega o tempo em que quem quer que vos mate pensará que está servindo a Deus.

3 E estas coisas vos farão, porque não conheceram o Pai, nem a mim.

4 Mas estas coisas vos tenho dito, para que, quando chegar a hora, vos lembreis de que delas vos falei. E estas coisas não vos disse no princípio, porque estava convosco.

5 Mas agora vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais?

6 Mas porque vos tenho dito estas coisas, a tristeza encheu o vosso coração.

7 Não obstante, digo-vos a verdade; É conveniente para você que eu vá embora; porque se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas se eu for, eu o enviarei a vocês.

8 E quando ele vier, ele repreenderá o mundo do pecado, e da justiça, e do juízo;

9 Do pecado, porque não crêem em mim;

10 De justiça, porque vou para meu Pai, e não me vêem mais;

11 De julgamento, porque o príncipe deste mundo é julgado.

12 Ainda tenho muitas coisas para vos dizer, mas vós não as podeis suportar agora.

13 Mas quando ele, o Espírito da verdade, vier, ele os guiará em toda a verdade; porque ele não falará de si mesmo; mas tudo o que ele ouvir, isso dirá; e ele lhe mostrará o que está por vir.

14 Ele me glorificará; porque ele receberá do meu, e vo-lo mostrará.

15 Todas as coisas que o Pai tem são minhas; por isso eu disse que ele tomará do meu, e vo-lo mostrará.

16 Um pouco, e não me vereis; e outra vez, um pouco, e me vereis, porque vou para o Pai.

17 Então alguns dos seus discípulos disseram entre si: Que é isto que ele nos diz: Um pouco, e não me vereis; e outra vez, um pouco, e me vereis; e, Porque eu vou ao Pai?

18 Disseram, pois: Que é isto que ele diz: Daqui a pouco? não podemos dizer o que ele diz.

19 Ora, sabendo Jesus que desejavam interrogá-lo, disse-lhes: Indagais entre vós o que eu disse: Um pouco, e não me vereis; e outra vez, um pouco, e me vereis?

20 Em verdade, em verdade vos digo que chorareis e lamentareis, mas o mundo se alegrará; e ficareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria.

21 A mulher que está de parto sente tristeza, porque é chegada a sua hora; mas assim que ela dá à luz, ela não se lembra mais da angústia, pela alegria de que um homem tenha nascido no mundo.

22 E agora, pois, tendes tristeza; mas eu o verei novamente, e seu coração se alegrará, e sua alegria ninguém poderá tirar de você.

23 E naquele dia nada me pedireis, mas vos será feito. Em verdade, em verdade vos digo: tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá.

24 Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que a vossa alegria seja completa.

25 Estas coisas vos tenho falado em provérbios; mas vem o tempo em que não mais vos falarei em provérbios, mas vos mostrarei claramente do Pai.

26 Naquele dia pedireis em meu nome; e não vos digo que rogarei por vós ao Pai;

27 Porque o próprio Pai os ama, porque vocês me amam e creram que eu saí de Deus.

28 Eu saí do Pai e vim ao mundo; novamente, deixo o mundo e vou para o Pai.

29 Disseram-lhe os discípulos: Eis que agora falas claramente, e não falas provérbio.

30 Agora estamos certos de que sabes todas as coisas, e não necessitas que alguém te pergunte; por isso cremos que saíste de Deus.

31 Jesus lhes respondeu: Credes agora?

32 Eis que vem a hora, sim, já é chegada, em que sereis dispersos, cada um para o seu lado, e me deixareis só; e, no entanto, não estou sozinho, porque o Pai está comigo.

33 Estas coisas vos tenho dito, para que em mim tenhais paz. No mundo tereis tribulações; mas tenha bom ânimo; Eu superei o mundo.


CAPÍTULO 17

Cristo ora a seu Pai para glorificá-lo – Para manter seus apóstolos em unidade e verdade, e todos os outros crentes, com ele.

1 Estas palavras falou Jesus, e levantou os olhos ao céu, e disse: Pai, é chegada a hora; glorifica o teu Filho, para que também eles o Filho te glorifiquem;

2 Assim como lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste.

3 E esta é a vida eterna, que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.

4 Eu te glorifiquei na terra; Eu terminei a obra que me deste para fazer.

5 E agora, ó Pai, glorifica-me contigo mesmo com a glória que eu tinha contigo antes que o mundo existisse.

6 Eu manifestei o teu nome aos homens que me deste do mundo; eram teus, e tu os deste a mim; e eles guardaram a tua palavra.

7 Agora eles sabem que todas as coisas que tu me tens dado são de ti.

8 Pois eu lhes dei as palavras que tu me deste; e eles os receberam, e certamente souberam que saí de ti, e acreditaram que tu me enviaste.

9 Eu oro por eles; Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste; pois eles são teus.

10 E todos os meus são teus, e os teus são meus; e eu sou glorificado neles.

11 E agora já não estou no mundo, mas estes estão no mundo, e venho para ti. Santo Padre, guarda em teu próprio nome aqueles que me deste, para que sejam um, como nós.

12 Enquanto estive com eles no mundo, guardei-os em teu nome; os que me deste guardei, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição; para que a Escritura se cumprisse.

13 E agora venho a ti; e estas coisas eu falo no mundo, para que eles tenham a minha alegria completa em si mesmos.

14 Dei-lhes a tua palavra; e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.

15 Não peço que os tire do mundo, mas que os guarde do mal.

16 Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.

17 Santifica-os na tua verdade; tua palavra é a verdade.

18 Assim como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo.

19 E por eles eu me santifico, para que também eles sejam santificados pela verdade.

20 Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que crerão em mim pela sua palavra;

21 Para que todos sejam um; como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, para que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste.

22 E eu lhes dei a glória que me deste; que eles possam ser um, assim como nós somos um;

23 Eu neles e tu em mim, para que sejam perfeitos em um; e que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste, como me amaste.

24 Pai, quero que também aqueles que me deste estejam comigo onde eu estiver; para que contemplem a minha glória, que me deste; porque me amaste antes da fundação do mundo.

25 Ó justo Pai, o mundo não te conheceu; mas eu sei que tu me enviaste.

26 E eu lhes anunciei o teu nome, e o declararei; para que o amor com que me amaste esteja neles, e eu neles.


CAPÍTULO 18

Judas trai Jesus – Os oficiais caem no chão – Pedro arranca a orelha de Malco – A negação de Pedro – Jesus é examinado diante de Caifás – Diante de Pilatos – Os judeus perguntam a Barrabás.

1 Tendo Jesus dito estas palavras, saiu com os seus discípulos para além do ribeiro de Cedron, onde havia um jardim, no qual ele entrou, e os seus discípulos.

2 E também Judas, que o traiu, conhecia o lugar; pois Jesus muitas vezes ia para lá com seus discípulos.

3 Judas, então, tendo recebido um grupo de homens e oficiais dos principais sacerdotes e fariseus, vem para lá com lanternas, tochas e armas.

4 Jesus, pois, sabendo todas as coisas que lhe sobreviriam, saiu e disse-lhes: A quem buscais?

5 Responderam-lhe: Jesus de Nazaré. Jesus disse-lhes: Eu sou ele. E também Judas, que o traiu, ficou com eles.

6 Assim que ele lhes disse: Eu sou ele, recuaram e caíram por terra.

7 Tornou a perguntar-lhes: A quem procurais? E eles disseram: Jesus de Nazaré.

8 Respondeu Jesus: Já vos disse que sou ele; se, pois, me buscais, deixai-os ir;

9 Para que se cumprisse a palavra que ele falou: Dos que me deste não perdi nenhum.

10 Então Simão Pedro, tendo uma espada, puxou-a, e feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita. O nome do servo era Malchus.

11 Então disse Jesus a Pedro: Põe a tua espada na bainha; o cálice que meu Pai me deu, não o beberei?

12 Então o bando, o capitão e os oficiais dos judeus prenderam Jesus e o amarraram.

13 E o levou primeiro a Anás; porque era sogro de Caifás, que era o sumo sacerdote naquele mesmo ano.

14 Ora, era Caifás aquele que aconselhava os judeus, que convinha que um homem morresse pelo povo.

15 E Simão Pedro seguiu a Jesus, e também outro discípulo; aquele discípulo era conhecido do sumo sacerdote, e entrou com Jesus no palácio do sumo sacerdote.

16 Mas Pedro estava à porta do lado de fora. Então saiu aquele outro discípulo, que era conhecido do sumo sacerdote, e falou com a que guardava a porta, e fez entrar Pedro.

17 Então a moça que guardava a porta disse a Pedro: Não és tu também um dos discípulos deste homem? Ele disse, eu não sou.

18 E os servos e oficiais estavam ali, que tinham feito fogo de brasas, porque estava frio; e eles se aqueceram; e Pedro ficou com eles, e se aqueceu.

19 Então o sumo sacerdote perguntou a Jesus sobre seus discípulos e sobre sua doutrina.

20 Respondeu-lhe Jesus: Falei abertamente ao mundo; Sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde os judeus sempre recorrem; e em segredo não disse nada.

21 Por que me perguntas? pergunte aos que me ouviram, o que eu disse a eles; eis que eles sabem o que eu disse.

22 E, tendo dito isso, um dos oficiais que ali estavam golpeou Jesus com a palma da mão, dizendo: Responde assim ao sumo sacerdote?

23 Respondeu-lhe Jesus: Se falei mal, dá testemunho do mal; mas se bem, por que me feres?

24 Ora, Anás o enviara amarrado ao sumo sacerdote Caifás.

25 E Simão Pedro se levantou e se aqueceu. Disseram-lhe, pois: Não és tu também um dos seus discípulos? Ele negou, e disse, eu não sou.

26 Um dos servos do sumo sacerdote, sendo seu parente cuja orelha Pedro cortou, disse: Não te vi no jardim com ele?

27 Pedro então negou novamente; e imediatamente a tripulação do galo.

28 Então levaram Jesus de Caifás para a sala do juízo; e era cedo; e eles mesmos não entraram na sala de julgamento, para que não fossem contaminados; mas para que comessem a páscoa.

29 Pilatos, então, saiu a eles e disse: Que acusação trazeis contra este homem?

30 Responderam-lhe: Se ele não fosse malfeitor, não o entregaríamos a ti.

31 Então Pilatos lhes disse: Tomai-o e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe, pois, os judeus: Não nos é lícito matar a ninguém;

32 Para que se cumprisse a palavra de Jesus, que ele falou significando de que morte deveria morrer.

33 Então Pilatos entrou de novo na sala de julgamento, chamou Jesus e disse-lhe: Tu és o rei dos judeus?

34 Respondeu-lhe Jesus: Dizes isto de ti mesmo, ou outros o contaram de mim?

35 Pilatos respondeu: Sou judeu? A tua própria nação e os principais sacerdotes te entregaram a mim; o que você fez?

36 Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se meu reino fosse deste mundo, então meus servos lutariam para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora meu reino não é daqui.

37 Disse-lhe, pois, Pilatos: Então és tu rei? Jesus respondeu: Tu dizes que eu sou rei. Para isso nasci e para isso vim ao mundo, para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.

38 Perguntou-lhe Pilatos: O que é a verdade? E, tendo dito isto, tornou a sair aos judeus, e disse-lhes: Não acho nele culpa alguma.

39 Mas vós tendes o costume de vos soltar um na páscoa; quereis, pois, que vos solte o Rei dos Judeus?

40 E todos clamaram novamente, dizendo: Não este, mas Barrabás. Agora Barrabás era um ladrão.


CAPÍTULO 19

Cristo é açoitado, coroado de espinhos e espancado – Pilatos o entrega para ser crucificado – Eles lançam sortes sobre suas vestes – Ele morre – Seu lado é perfurado – Ele é sepultado por José e Nicodemos.

1 Então Pilatos tomou Jesus e o açoitou.

2 E os soldados forraram uma coroa de espinhos, e a puseram na cabeça dele, e puseram sobre ele um manto de púrpura,

3 E disse: Salve, rei dos judeus! e eles o feriram com as mãos.

4 Pilatos, pois, tornou a sair e disse-lhes: Eis que vos trago para fora, para que saibais que não acho nele nenhum defeito.

5 Então veio Jesus, usando a coroa de espinhos e o manto de púrpura. E Pilatos disse-lhes: Eis o homem!

6 Quando os principais sacerdotes e os oficiais o viram, gritaram, dizendo: Crucifica-o, crucifica-o. Pilatos disse-lhes: Tomai-o e crucificai-o; pois não encontro nele nenhuma falha.

7 Responderam-lhe os judeus: Temos uma lei, e pela nossa lei ele deve morrer, porque se fez Filho de Deus.

8 Ouvindo, pois, Pilatos esta palavra, tanto mais temeu;

9 E tornou a entrar na sala de julgamento e perguntou a Jesus: Donde és tu? Mas Jesus não lhe deu resposta.

10 Então Pilatos lhe disse: Não me falas tu? Não sabes que tenho poder para te crucificar e poder para te libertar?

11 Respondeu Jesus: Não terias poder contra mim, se de cima não te fosse dado; por isso aquele que me entregou a ti tem maior pecado.

12 E desde então Pilatos procurou soltá-lo; mas os judeus clamaram, dizendo: Se soltares este homem, não és amigo de César; quem se faz rei fala contra César.

13 Quando Pilatos, pois, ouviu isso, trouxe Jesus para fora, e sentou-se no tribunal em um lugar chamado Pavimento, mas em hebraico, Gabbatha.

14 E era a preparação da páscoa, e cerca da hora sexta; e disse aos judeus: Eis o vosso Rei!

15 Mas eles gritaram: Fora com ele, fora com ele, crucifica-o. Pilatos disse-lhes: Devo crucificar o vosso Rei? Os principais sacerdotes responderam: Não temos rei senão César.

16 Então o entregou aos que fossem crucificados. E eles levaram Jesus, e o levaram embora.

17 E ele, levando a sua cruz, saiu para um lugar chamado lugar de sepultura; que é chamado no hebraico Gólgota;

18 Onde o crucificaram, e com ele outros dois, um de cada lado, e Jesus no meio.

19 E Pilatos escreveu um título, e o colocou na cruz. E a escrita era: JESUS DE NAZARÉ O REI DOS JUDEUS.

20 Este título dizia então muitos dos judeus; pois o lugar onde Jesus foi crucificado era perto da cidade; e foi escrito em hebraico, grego e latim.

21 Então os principais sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos: Não escrevas, rei dos judeus; mas que ele disse, eu sou o rei dos judeus.

22 Pilatos respondeu: O que escrevi, escrevi.

23 Então os soldados, tendo crucificado Jesus, tomaram suas vestes e fizeram quatro partes, para cada soldado uma parte; e também seu casaco; agora o casaco estava sem costura, tecido de cima para baixo.

24 Disseram, pois, entre si: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela, de quem será; para que se cumprisse a Escritura que diz: repartiram entre eles as minhas vestes e lançaram sortes sobre as minhas vestes. Essas coisas, portanto, os soldados fizeram.

25 E estavam junto à cruz de Jesus sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria, mulher de Cléofas, e Maria Madalena.

26 Quando Jesus, pois, viu sua mãe e o discípulo que ele amava, disse a sua mãe: Mulher, eis aí teu filho!

27 Então disse ao discípulo: Eis aí tua mãe! E a partir daquela hora aquele discípulo a levou para sua própria casa.

28 Depois disso, sabendo Jesus que todas as coisas já estavam consumadas, para que se cumprisse a Escritura, disse: Tenho sede.

29 Ora, havia uma vasilha cheia de vinagre misturado com fel, e encheram com ele uma esponja, e puseram sobre hissopo, e puseram-lhe na boca.

30 Tendo Jesus, pois, recebido o vinagre, disse: Está consumado; e inclinou a cabeça, e entregou o espírito.

31 Os judeus, pois, porque era a preparação para que os corpos não permanecessem na cruz no dia de sábado (porque aquele sábado era um dia alto), rogaram a Pilatos que lhes quebrassem as pernas e fossem levado embora.

32 Então vieram os soldados e quebraram as pernas do primeiro e do outro que foi crucificado com ele.

33 Mas, quando chegaram a Jesus, e viram que já estava morto, não lhe quebraram as pernas;

34 Mas um dos soldados com uma lança lhe perfurou o lado, e logo saiu sangue e água.

35 E aquele que viu isto deu um registro, e seu registro é verdadeiro; e ele sabe que diz a verdade, para que creiais.

36 Porque estas coisas foram feitas para que se cumprisse a Escritura: Nenhum osso dele será quebrado.

37 E outra escritura diz: Eles olharão para aquele a quem traspassaram.

38 E depois disso José de Arimatéia, sendo discípulo de Jesus, mas secretamente por medo dos judeus, rogou a Pilatos que tirasse o corpo de Jesus; e Pilatos deu-lhe licença. Ele veio, portanto, e tomou o corpo de Jesus.

39 E veio também Nicodemos, que primeiro veio a Jesus de noite, e trouxe uma mistura de mirra e aloés, cerca de cem libras.

40 Então tomaram o corpo de Jesus e o enrolaram em panos de linho com as especiarias, como é costume dos judeus sepultarem.

41 No lugar onde foi crucificado havia um jardim; e no jardim um sepulcro novo, onde nunca foi posto homem algum.

42 Ali puseram Jesus, pois, por causa do dia da preparação dos judeus; pois o sepulcro estava próximo.


CAPÍTULO 20

Maria vem ao sepulcro – Assim como Pedro e João – Jesus aparece a Maria Madalena e a seus discípulos – A incredulidade e a confissão de Tomé.

1 No primeiro dia da semana vem Maria Madalena de madrugada, quando ainda estava escuro, ao sepulcro, e vê a pedra retirada do sepulcro, e dois anjos sentados sobre ela.

2 Então ela correu e foi ter com Simão Pedro e com o outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Tiraram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram.

3 Saiu, pois, Pedro e aquele outro discípulo e foram ao sepulcro.

4 Assim correram os dois juntos; e o outro discípulo ultrapassou Pedro e foi primeiro ao sepulcro.

5 E, abaixando-se, e olhando para dentro, viu os panos de linho deitados; mas ele não entrou.

6 Então veio Simão Pedro, seguindo-o, e entrou no sepulcro, e viu as vestes de linho estendidas,

7 E o lenço que estava sobre a cabeça, não deitado com as roupas de linho, mas enrolado em um lugar à parte.

8 Então entrou também aquele outro discípulo, que havia chegado primeiro ao sepulcro, e viu, e creu.

9 Porque eles ainda não conheciam a Escritura, que ele deve ressuscitar dos mortos.

10 Então os discípulos foram novamente para suas casas.

11 Mas Maria ficou de fora no sepulcro chorando; e enquanto ela chorava, ela se abaixou e olhou para o sepulcro,

12 E viu dois anjos vestidos de branco, um à cabeceira e outro aos pés, onde estava o corpo de Jesus.

13 E eles lhe perguntaram: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram.

14 E, tendo dito isso, voltou-se e viu Jesus em pé, e não sabia que era Jesus.

15 Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? quem procuras tu? Ela, supondo que ele fosse o jardineiro, disse-lhe: Senhor, se você o trouxe daqui, diga-me onde o colocou, e eu o levarei embora.

16 Disse-lhe Jesus: Maria. Ela virou-se e disse-lhe: Raboni; ou seja, mestre.

17 Disse-lhe Jesus: Não me detenhas; porque ainda não subi para meu Pai; mas vai ter com meus irmãos e dize-lhes que subo para meu Pai e vosso Pai; e ao meu Deus e ao vosso Deus.

18 Maria Madalena veio e disse aos discípulos que ela tinha visto o Senhor, e que ele havia falado essas coisas com ela.

19 Então, naquele mesmo dia, à tarde, sendo o primeiro dia da semana, estando fechadas as portas onde os discípulos estavam reunidos por medo dos judeus, veio Jesus e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco.

20 E, tendo dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram quando viram o Senhor.

21 Então Jesus lhes disse outra vez: Paz seja convosco; assim como meu Pai me enviou, também eu vos envio.

22 E, tendo dito isso, soprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo;

23 A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; e todos os pecados que você reter, eles serão retidos.

24 Mas Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando Jesus veio.

25 Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele lhes disse: Se eu não vir em suas mãos a marca dos pregos, e não colocar meu dedo na marca dos pregos, e não colocar minha mão no seu lado, não acreditarei.

26 E depois de oito dias estavam novamente os seus discípulos dentro, e Tomé com eles; então veio Jesus, estando as portas fechadas, e pôs-se no meio, e disse: Paz seja convosco.

27 Então disse ele a Tomé: Alcança aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e estende a tua mão e mete-a no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.

28 E Tomé respondeu e disse-lhe: Meu Senhor e meu Deus.

29 Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.

30 E muitos outros sinais realmente fez Jesus na presença de seus discípulos, que não estão escritos neste livro;

31 Mas estes foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus; e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.


CAPÍTULO 21

Cristo aparecendo novamente a seus discípulos – Ele janta com eles.

1 Depois destas coisas, Jesus voltou a mostrar-se aos discípulos junto ao mar de Tiberíades; e assim mostrou ele mesmo.

2 Estavam juntos Simão Pedro, e Tomé, chamado Dídimo, e Natanael de Caná da Galiléia, e os filhos de Zebedeu, e mais dois de seus discípulos.

3 Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Eles lhe dizem: Nós também vamos contigo. Eles saíram e entraram em um navio imediatamente; e naquela noite não pegaram nada.

4 Mas, quando já amanheceu, Jesus estava na praia; mas os discípulos não sabiam que era Jesus.

5 Então Jesus lhes disse: Filhos, tendes alguma comida? Eles lhe responderam: Não.

6 E disse-lhes: Lançai a rede à direita do navio, e achareis. Lançaram, pois, e agora não puderam tirar para a multidão de peixes.

7 Por isso disse a Pedro aquele discípulo a quem Jesus amava: É o Senhor. Ora, ouvindo Simão Pedro que era o Senhor, cingiu-lhe a túnica de pescador (pois estava nu) e lançou-se ao mar.

8 E os outros discípulos vieram num barquinho (pois não estavam longe da terra, mas como se fossem duzentos côvados), arrastando a rede com os peixes.

9 Assim que chegaram à terra, viram ali um fogo de brasas, e sobre ele foram postos peixes e pão.

10 Disse-lhes Jesus: Trazei os peixes que agora apanhastes.

11 Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra cheia de grandes peixes, cento e cinquenta e três; e para todos havia tantos, mas a rede não se rompeu.

12 Disse-lhes Jesus: Vinde comer. E nenhum dos discípulos ousou perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor.

13 Jesus então vem, e toma o pão, e os dá, e também os peixes.

14 Esta já é a terceira vez que Jesus se mostra aos seus discípulos, depois de ressuscitar dos mortos.

15 E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? Ele lhe disse: Sim, Senhor; tu sabes que eu te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.

16 Tornou a perguntar-lhe pela segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Ele lhe disse: Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.

17 Disse-lhe pela terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Pedro se entristeceu porque lhe disse pela terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que eu te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas.

18 Em verdade, em verdade te digo: Quando eras jovem, cingiste-te e ias para onde querias; mas, quando fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres.

19 Isso ele falou, significando com que morte ele deveria glorificar a Deus. E, tendo dito isso, disse-lhe: Segue-me.

20 Então Pedro, virando-se, viu o discípulo que Jesus amava seguir; que também se inclinou sobre o peito à ceia e disse: Senhor, quem é o que te trai?

21 Pedro, vendo-o, disse a Jesus: Senhor, e que fará este homem?

22 Disse-lhe Jesus: Se quero que fique até que eu venha, que te importa? siga-me.

23 Difundiu-se então entre os irmãos esta palavra de que aquele discípulo não morresse; contudo Jesus não lhe disse: Ele não morrerá; mas se eu quero que ele fique até que eu venha, o que é isso para você?

24 Este é o discípulo que dá testemunho destas coisas e as escreveu; e sabemos que seu testemunho é verdadeiro.

25 E há também muitas outras coisas que Jesus fez, as quais, se fossem escritas cada uma, suponho que nem mesmo o mundo poderia conter os livros que deveriam ser escritos. Um homem.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

scripture

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.