O Primeiro Livro de Néfi

O Primeiro Livro de Néfi
Seu Reinado e Ministério
Capítulo 1
Um relato de Leí e sua esposa Saria, e seus quatro filhos, sendo chamados (começando pelo mais velho), Lamã, Lemuel, Sam e Néfi. O Senhor adverte Leí a sair da terra de Jerusalém, porque ele profetiza ao povo a respeito de sua iniqüidade; e eles procuram destruir sua vida. Ele faz uma viagem de três dias para o deserto com sua família. Néfi leva seus irmãos e retorna à terra de Jerusalém após o registro dos judeus. A conta de seus sofrimentos. Eles tomam as filhas de Ismael como esposas. Eles pegam suas famílias e partem para o deserto. Seus sofrimentos e aflições no deserto. O curso de suas viagens. Eles vêm para as grandes águas. Os irmãos de Néfi se rebelam contra ele. Ele os confunde e constrói um navio. Eles chamam o lugar de Abundância. Eles cruzam as grandes águas para a terra prometida, etc. Isso está de acordo com o relato de Néfi; ou em outras palavras, eu, Néfi, escrevi este registro.
1 Eu, Néfi, tendo nascido de bons pais, portanto fui ensinado um pouco em todo o conhecimento de meu pai; e tendo visto muitas aflições no curso de meus dias, não obstante, tendo sido altamente favorecido pelo Senhor em todos os meus dias; sim, tendo tido um grande conhecimento da bondade e dos mistérios de Deus, portanto faço um registro de meus procedimentos em meus dias; sim, faço um registro na língua de meu pai, que consiste no aprendizado dos judeus e na língua dos egípcios.
2 E eu sei que o registro que faço é verdadeiro; e eu faço com minhas próprias mãos; e eu faço de acordo com meu conhecimento.
3 Pois aconteceu que, no começo do primeiro ano do reinado de Zedequias, rei de Judá (meu pai Leí havia morado em Jerusalém todos os seus dias); e naquele mesmo ano vieram muitos profetas, profetizando ao povo que eles deveriam se arrepender, ou a grande cidade de Jerusalém deveria ser destruída.
4 Portanto, aconteceu que meu pai Leí, ao sair, orou ao Senhor, sim, de todo o coração, em favor de seu povo.
5 E aconteceu que, enquanto ele orava ao Senhor, veio uma coluna de fogo e habitou sobre uma rocha diante dele; e ele viu e ouviu muito; e por causa das coisas que viu e ouviu, ele tremeu e tremeu muito.
6 E aconteceu que ele voltou para sua casa em Jerusalém; e lançou-se na sua cama, dominado pelo Espírito e pelas coisas que tinha visto;
7 E, sendo assim dominado pelo Espírito, foi arrebatado numa visão, ao ponto de ver os céus abertos, e julgou ver Deus sentado em seu trono, rodeado de inúmeras assembléias de anjos na atitude de cantar e louvar seus Deus.
8 E aconteceu que ele viu um descer do meio do céu e viu que seu brilho era superior ao do sol ao meio-dia;
9 E ele também viu outros doze que o seguiam, e seu brilho excedeu o das estrelas no firmamento; e eles desceram e saíram sobre a face da terra;
10 E o primeiro veio e pôs-se diante de meu pai, e deu-lhe um livro, e pediu-lhe que lesse.
11 E aconteceu que, enquanto lia, ficou cheio do Espírito do Senhor, e leu, dizendo: Ai, ai de Jerusalém! porque tenho visto as tuas abominações;
12 Sim, e meu pai leu muitas coisas a respeito de Jerusalém: que ela seria destruída e seus habitantes, muitos pereceriam pela espada e muitos seriam levados cativos para Babilônia.
13 E aconteceu que quando meu pai leu e viu muitas coisas grandiosas e maravilhosas, exclamou muitas coisas ao Senhor; tais como: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, ó Senhor Deus Todo-Poderoso! Teu trono está alto nos céus, e teu poder, e bondade, e misericórdia estão sobre todos os habitantes da terra; e porque és misericordioso, não permitirás que aqueles que vêm a ti pereçam!
14 E desta maneira foi a linguagem de meu pai no louvor de seu Deus; porque a sua alma se alegrou, e todo o seu coração se encheu por causa das coisas que tinha visto; sim, que o Senhor lhe havia mostrado.
15 E agora eu, Néfi, não faço um relato completo das coisas que meu pai escreveu, pois escreveu muitas coisas que viu em visões e em sonhos;
16 E também escreveu muitas coisas que profetizou e falou a seus filhos, das quais não farei um relato completo; mas farei contas de meus procedimentos em meus dias.
17 Eis que faço um resumo do registro de meu pai, em placas que fiz com minhas próprias mãos; portanto, depois de ter resumido o registro de meu pai, então farei um relato de minha própria vida.
18 Portanto, gostaria que soubésseis que, depois de o Senhor ter mostrado tantas coisas maravilhosas a meu pai Leí, sim, a respeito da destruição de Jerusalém, eis que ele saiu entre o povo e começou a profetizar e a anunciar-lhes a respeito das coisas que ele tinha visto e ouvido.
19 E aconteceu que os judeus zombaram dele por causa das coisas que ele testificou deles; pois ele realmente testificou de sua maldade e abominações;
20 E ele testificou que as coisas que viu e ouviu, e também as coisas que leu no livro, manifestavam claramente a vinda de um Messias e também a redenção do mundo.
21 E quando os judeus ouviram essas coisas, eles se indignaram contra ele; sim, como aconteceu com os profetas da antiguidade, a quem eles expulsaram, apedrejaram e mataram;
22 E também procuravam a sua vida, para a tirarem.
23 Mas eis que eu, Néfi, vos mostrarei que as ternas misericórdias do Senhor estão sobre todos os que ele escolheu por causa de sua fé, para torná-los poderosos com o poder de libertação.
24 Pois eis que aconteceu que o Senhor falou a meu pai, sim, em sonho, e disse-lhe: Bendito és tu Leí, por causa das coisas que fizeste;
25 E porque foste fiel e declaraste a este povo as coisas que te ordenei, eis que procuram tirar-te a vida.
26 E aconteceu que o Senhor ordenou a meu pai, mesmo em sonho, que levasse sua família e partisse para o deserto.
27 E aconteceu que ele foi obediente à palavra do Senhor, pelo que fez como o Senhor lhe ordenara.
28 E aconteceu que ele partiu para o deserto.
29 E ele deixou sua casa, e a terra de sua herança, e seu ouro, e sua prata, e suas coisas preciosas, e nada levou consigo, exceto sua família, e provisões, e tendas, e ele partiu para o região selvagem;
30 E ele desceu pelas fronteiras perto da costa do Mar Vermelho;
31 E ele viajou pelo deserto nas fronteiras que estavam perto do Mar Vermelho;
32 E ele viajou pelo deserto com sua família que consistia de minha mãe Saria e meus irmãos mais velhos, que eram Lamã, Lemuel e Sam.
33 E aconteceu que, depois de ter viajado três dias no deserto, armou sua tenda em um vale à beira de um rio de água.
34 E aconteceu que edificou um altar de pedras, e fez uma oferta ao Senhor, e deu graças ao Senhor nosso Deus.
35 E aconteceu que ele chamou o nome do rio Lamã e ele deságua no Mar Vermelho; e o vale estava nos limites perto da sua boca.
36 E quando meu pai viu que as águas do rio desaguavam na fonte do Mar Vermelho, falou a Lamã, dizendo: Oh, que sejas como este rio, que corre continuamente para a fonte de toda a retidão.
37 E ele também falou a Lemuel: Oh, que sejas como este vale, firme e firme, e inabalável na guarda dos mandamentos do Senhor.
38 Ora, isto ele falou por causa da obstinação de Lamã e Lemuel; pois eis que em muitas coisas murmuravam contra seu pai, porque ele era um homem visionário, e os havia tirado da terra de Jerusalém, para deixar a terra de sua herança, e seu ouro, e sua prata, e suas coisas preciosas , para perecer no deserto.
39 E isso eles disseram que ele tinha feito por causa das imaginações tolas de seu coração.
40 E assim Lamã e Lemuel, sendo o mais velho, murmuraram contra seu pai.
41 E eles murmuraram porque não conheciam os procedimentos daquele Deus que os havia criado.
42 Nem eles acreditavam que Jerusalém, aquela grande cidade, poderia ser destruída conforme as palavras dos profetas.
43 E eles eram como os judeus que estavam em Jerusalém, que procuravam tirar a vida de meu pai.
44 E aconteceu que meu pai lhes falou no vale de Lemuel, com poder, cheios do Espírito, até que suas estruturas tremeram diante dele.
45 E ele os confundiu, para que não ousassem falar contra ele; portanto fizeram como ele lhes ordenou.
46 E meu pai morava em uma tenda.
47 E aconteceu que eu, Néfi, sendo muito jovem, apesar de grande em estatura e tendo também grande desejo de conhecer os mistérios de Deus,
48 Por isso clamei ao Senhor; e eis que ele me visitou e abrandou meu coração para que eu acreditasse em todas as palavras ditas por meu pai; por isso não me rebelei contra ele como a meus irmãos.
49 E falei a Sam, dando-lhe a conhecer as coisas que o Senhor me havia manifestado pelo seu Espírito Santo.
50 E aconteceu que ele acreditou em minhas palavras;
51 Mas eis que Lamã e Lemuel não deram ouvidos às minhas palavras:
52 E, entristecido por causa da dureza de seus corações, clamei ao Senhor por eles.
53 E aconteceu que o Senhor me falou, dizendo: Bendito és tu Néfi, por causa de tua fé, porque me buscaste diligentemente, com humildade de coração.
54 E se guardardes meus mandamentos, prosperareis e sereis conduzidos a uma terra prometida; sim, sim, uma terra que preparei para vocês; sim, uma terra que é escolhida acima de todas as outras terras.
55 E se teus irmãos se rebelarem contra ti, serão extirpados da presença do Senhor.
56 E se guardares os meus mandamentos, serás feito príncipe e mestre de teus irmãos.
57 Pois eis que naquele dia em que se rebelarem contra mim, eu os amaldiçoarei com grande maldição, e eles não terão poder sobre a tua descendência, a menos que também se rebelem contra mim.
58 E, se se rebelarem contra mim, serão um flagelo para a tua descendência, para os despertar nos caminhos da memória.
59 E aconteceu que eu, Néfi, voltei de falar com o Senhor à tenda de meu pai.
60 E aconteceu que ele me falou, dizendo: Eis que tive um sonho, no qual o Senhor me ordenou que tu e teus irmãos voltassem para Jerusalém.
61 Pois eis que Labão tem o registro dos judeus, e também uma genealogia de teus antepassados, e eles estão gravados em placas de latão.
62 Portanto, o Senhor me ordenou que tu e teus irmãos fossem à casa de Labão, e buscassem os registros, e os trouxessem aqui para o deserto.
63 E agora, eis que teus irmãos murmuram, dizendo que é uma coisa difícil o que tenho exigido deles; mas eis que não o exigi deles; mas é um mandamento do Senhor.
64 Portanto, vai, meu filho, e serás favorecido pelo Senhor, porque não murmuraste.
65 E aconteceu que eu, Néfi, disse a meu pai: Irei e cumprirei as ordens do Senhor, pois sei que o Senhor não dá mandamentos aos filhos dos homens sem antes preparar um caminho para eles, para que cumpram o que ele lhes ordena.
66 E aconteceu que quando meu pai ouviu essas palavras, ficou muito feliz, pois sabia que eu havia sido abençoado pelo Senhor.
67 E eu, Néfi, e meus irmãos partimos para o deserto com nossas tendas, para subir à terra de Jerusalém.
68 E aconteceu que quando chegamos à terra de Jerusalém, eu e meus irmãos consultamos uns aos outros; e lançamos sortes sobre quem de nós entraria na casa de Labão.
69 E aconteceu que a sorte caiu sobre Lamã; e Lamã entrou na casa de Labão, e conversou com ele sentado em sua casa.
70 E ele pediu a Labão os registros que estavam gravados nas placas de latão, que continham a genealogia de meu pai.
71 E eis que aconteceu que Labão se irou e o expulsou de sua presença; e ele não gostaria que ele tivesse os registros.
72 Portanto, ele lhe disse: Eis que tu és um ladrão, e eu te matarei.
73 Mas Lamã fugiu de sua presença e nos contou as coisas que Labão havia feito.
74 E começamos a ficar muito tristes e meus irmãos estavam prestes a voltar para meu pai no deserto.
75 Mas eis que eu lhes disse que, assim como vive o Senhor e nós vivemos, não desceremos a nosso pai no deserto, até que tenhamos cumprido o que o Senhor nos ordenou.
76 Portanto, sejamos fiéis em guardar os mandamentos do Senhor;
77 Desçamos, pois, à terra da herança de nosso pai, pois eis que ele deixou ouro e prata, e toda sorte de riquezas.
78 E tudo isso ele fez por causa dos mandamentos do Senhor; pois ele sabia que Jerusalém devia ser destruída, por causa da maldade do povo.
79 Pois eis que rejeitaram as palavras dos profetas.
80 Portanto, se meu pai habitasse na terra depois de ter sido ordenado que fugisse da terra, eis que ele também pereceria.
81 Portanto, é necessário que ele fuja da terra.
82 E eis que é sabedoria de Deus que obtenhamos esses registros, a fim de preservarmos para nossos filhos a língua de nossos pais;
83 E também para que possamos preservar a eles as palavras que foram ditas pela boca de todos os santos profetas, que lhes foram entregues pelo espírito e poder de Deus, desde o princípio do mundo, até o presente.
84 E aconteceu que, segundo esse tipo de linguagem, persuadi meus irmãos a serem fiéis na observância dos mandamentos de Deus.
85 E aconteceu que descemos à terra de nossa herança e reunimos nosso ouro e nossa prata e nossas coisas preciosas.
86 E depois de termos reunido estas coisas, subimos novamente à casa de Labão.
87 E aconteceu que fomos a Labão e pedimos-lhe que nos desse os registros que estavam gravados nas placas de latão, pelos quais lhe daríamos nosso ouro e nossa prata e todos os nossos coisas preciosas.
88 E aconteceu que quando Labão viu nossa propriedade, que era muito grande, ele a cobiçou, a ponto de nos expulsar e enviar seus servos para nos matar, a fim de obter nossa propriedade.
89 E aconteceu que fugimos diante dos servos de Labão e fomos obrigados a deixar para trás nossa propriedade, e ela caiu nas mãos de Labão.
90 E aconteceu que fugimos para o deserto, e os servos de Labão não nos alcançaram, e nos escondemos na cavidade de uma rocha.
91 E aconteceu que Lamã ficou irado comigo e também com meu pai e também estava Lemuel; porque ele deu ouvidos às palavras de Lamã.
92 Portanto, Lamã e Lemuel falaram muitas palavras duras para nós, seus irmãos mais novos, e eles nos feriram com uma vara.
93 E aconteceu que quando eles nos feriram com uma vara, eis que um anjo do Senhor veio e parou diante deles, e ele lhes falou, dizendo: Por que vocês ferem seu irmão mais novo com uma vara?
94 Não sabeis vós que o Senhor o escolheu para governar sobre vós, e isto por causa de vossas iniqüidades?
95 Eis que subireis novamente a Jerusalém, e o Senhor entregará Labão em vossas mãos.
96 E depois que o anjo nos falou, ele partiu
97 E depois que o anjo partiu, Lamã e Lemuel novamente começaram a murmurar, dizendo: Como é possível que o Senhor entregue Labão em nossas mãos?
98 Eis que ele é um homem poderoso e pode comandar cinqüenta, sim, ele pode matar cinqüenta; então por que não nós?
99 E aconteceu que falei a meus irmãos, dizendo: Subamos novamente a Jerusalém e sejamos fiéis em guardar os mandamentos do Senhor; pois eis que ele é mais poderoso do que toda a terra, então por que não mais poderoso do que Labão e seus cinquenta, sim, ou mesmo que suas dezenas de milhares.
100 Portanto, subamos; sejamos fortes como Moisés; porque ele realmente falou às águas do Mar Vermelho, e elas se dividiram aqui e ali, e nossos pais saíram do cativeiro em terra seca, e os exércitos de Faraó seguiram e foram afogados nas águas do Mar Vermelho.
101 Agora eis que sabeis que isto é verdade; e também sabeis que um anjo vos falou, por que podeis duvidar?
102 Vamos subir; o Senhor é poderoso para nos livrar como nossos pais, e para destruir Labão como os egípcios.
103 Agora, quando eu tinha falado estas palavras, eles ainda estavam irados, e ainda continuavam a murmurar; não obstante, eles me seguiram até chegarmos fora dos muros de Jerusalém.
104 E foi de noite: e fiz com que se escondessem fora dos muros.
105 E depois que eles se esconderam, eu, Néfi, penetrei na cidade e saí em direção à casa de Labão.
106 E fui guiado pelo Espírito, não sabendo de antemão o que deveria fazer.
107 Não obstante, saí e, chegando-me à casa de Labão, vi um homem, e ele havia caído por terra diante de mim, porque estava embriagado de vinho.
108 E quando cheguei a ele descobri que era Labão.
109 E eu vi sua espada, e eu a puxei de sua bainha, e o punho dela era de ouro puro, e o trabalho dela era extremamente fino: e eu vi que a lâmina dela era do aço mais precioso.
110 E aconteceu que fui constrangido pelo Espírito a matar Labão;
111 Mas eu disse em meu coração: Nunca em momento algum derramei sangue de homem, e encolhi e gostaria de não matá-lo.
112 E o Espírito me disse novamente: Eis que o Senhor o entregou em tuas mãos; sim, e eu também sabia que ele havia procurado tirar minha própria vida; sim, e não quis dar ouvidos aos mandamentos do Senhor; e ele também havia tirado nossa propriedade.
113 E aconteceu que o Espírito me disse novamente: Mata-o, porque o Senhor o entregou em tuas mãos.
114 Eis que o Senhor mata o ímpio para trazer à tona seus propósitos justos.
115 É melhor que um homem pereça, do que uma nação mingua e pereça na incredulidade.
116 E agora, quando eu, Néfi, ouvi essas palavras, lembrei-me das palavras do Senhor que ele me falou no deserto, dizendo: Se tua semente guardar meus mandamentos, prosperará na terra da promessa .
117 Sim, e também pensei que eles não poderiam guardar os mandamentos do Senhor de acordo com a lei de Moisés, a menos que tivessem a lei.
118 E eu também sabia que a lei estava gravada nas placas de latão.
119 E novamente, eu sabia que o Senhor havia entregado Labão em minhas mãos por esta causa, para que eu pudesse obter os registros de acordo com seus mandamentos.
120 Portanto, obedeci à voz do Espírito, e peguei Labão pelos cabelos da cabeça, e decepei sua cabeça com sua própria espada.
121 E depois que eu decepei sua cabeça com sua própria espada, peguei as vestes de Labão e as coloquei sobre meu próprio corpo; sim, até mesmo tudo; e eu cingi sua armadura sobre meus lombos.
122 E depois de ter feito isso, saí para o tesouro de Labão.
123 E enquanto eu saía para o tesouro de Labão, eis que vi o servo de Labão, que tinha as chaves do tesouro.
124 E ordenei-lhe pela voz de Labão que fosse comigo à tesouraria; e ele supôs que eu fosse seu mestre Labão, pois ele viu as vestes e também a espada cingida em meus lombos.
125 E ele me falou a respeito dos anciãos dos judeus, sabendo que seu mestre Labão havia saído à noite no meio deles.
126 E eu lhe falei como se fosse Labão.
127 E também lhe falei que deveria levar as gravuras que estavam nas placas de latão a meus irmãos mais velhos, que estavam fora das paredes.
128 E também lhe pedi que me seguisse.
129 E ele supondo que eu falava dos irmãos da igreja, e que eu era verdadeiramente aquele Labão que eu havia matado, portanto ele me seguiu.
130 E ele me falou muitas vezes a respeito dos anciãos dos judeus, enquanto eu saía para meus irmãos, que estavam fora dos muros.
131 E aconteceu que quando Lamã me viu, ele ficou muito assustado, e também Lemuel e Sam.
132 E eles fugiram de diante da minha presença; pois eles supunham que era Labão, e que ele havia me matado, e procurou tirar a vida deles também.
133 E aconteceu que eu os chamei, e eles me ouviram; por isso deixaram de fugir da minha presença.
134 E aconteceu que quando o servo de Labão viu meus irmãos, começou a tremer e estava prestes a fugir de mim e voltar para a cidade de Jerusalém.
135 E agora eu, Néfi, sendo um homem de grande estatura e tendo também recebido muita força do Senhor, agarrei o servo de Labão e o segurei para que não fugisse.
136 E aconteceu que falei com ele que, se ele ouvisse minhas palavras, como vive o Senhor, e como eu vivo, assim, se ele ouvisse nossas palavras, pouparíamos sua vida.
137 E eu lhe falei, mesmo com juramento, que ele não precisa temer; que ele deveria ser um homem livre como nós, se ele descesse no deserto conosco.
138 E eu também falei com ele, dizendo: Certamente o Senhor nos ordenou fazer isso, e não devemos ser diligentes em guardar os mandamentos do Senhor?
139 Portanto, se desceres ao deserto a meu pai, terás lugar conosco.
140 E aconteceu que Zoram tomou coragem com as palavras que eu falei.
141 Agora Zoram era o nome do servo; e ele prometeu que desceria ao deserto para nosso pai.
142 E ele também nos fez um juramento de que permaneceria conosco daquele momento em diante.
143 Agora, desejávamos que ele permanecesse conosco por esta causa, para que os judeus não soubessem a respeito de nossa fuga para o deserto, para que não nos perseguissem e nos destruíssem.
144 E aconteceu que quando Zoram fez um juramento para nós, nossos temores cessaram em relação a ele.
145 E aconteceu que pegamos as placas de bronze e o servo de Labão e partimos para o deserto e viajamos para a tenda de nosso pai.
146 E aconteceu que, depois de termos descido ao deserto para junto de nosso pai, eis que ele se encheu de alegria e também minha mãe Saria se alegrou muito, pois ela realmente havia chorado por nossa causa; pois ela supôs que havíamos perecido no deserto;
147 E ela também reclamou contra meu pai, dizendo-lhe que ele era um homem visionário; dizendo: Eis que nos tiraste da terra da nossa herança, e meus filhos já não existem, e perecemos no deserto.
148 E após este tipo de linguagem minha mãe reclamou contra meu pai.
149 E aconteceu que meu pai falou com ela, dizendo: Eu sei que sou um homem visionário; pois se eu não tivesse visto as coisas de Deus em uma visão, não teria conhecido a bondade de Deus, mas teria permanecido em Jerusalém e perecido com meus irmãos.
150 Mas eis que obtive uma terra prometida, na qual me regozijo;
151 Sim, e eu sei que o Senhor livrará meus filhos das mãos de Labão e os trará novamente para nós no deserto.
152 E segundo esse tipo de linguagem meu pai Leí consolou minha mãe Saria a respeito de nós, enquanto viajávamos pelo deserto até a terra de Jerusalém, para obter o registro dos judeus.
153 E quando voltamos para a tenda de meu pai, eis que sua alegria foi completa e minha mãe foi consolada;
154 E ela falou, dizendo: Agora sei com certeza que o Senhor ordenou a meu marido que fugisse para o deserto;
155 Sim, e também sei com certeza que o Senhor protegeu meus filhos e os livrou das mãos de Labão e deu-lhes poder pelo qual poderiam realizar o que o Senhor lhes ordenou.
156 E segundo este tipo de linguagem ela falou.
157 E aconteceu que se regozijaram muito e ofereceram sacrifícios e holocaustos ao Senhor; e deram graças ao Deus de Israel.
158 E depois de terem dado graças ao Deus de Israel, meu pai Leí pegou os registros que estavam gravados nas placas de latão e examinou-os desde o princípio.
159 E ele viu que eles continham os cinco livros de Moisés, que davam conta da criação do mundo;
160 E também de Adão e Eva, que foram nossos primeiros pais;
161 E também um registro dos judeus desde o princípio, até o início do reinado de Zedequias, rei de Judá;
162 E também as profecias dos santos profetas, desde o princípio até o início do reinado de Zedequias;
163 E também muitas profecias que foram ditas pela boca de Jeremias.
164 E aconteceu que meu pai Leí também encontrou nas placas de latão uma genealogia de seus pais;
165 Portanto ele sabia que era descendente de José; sim, aquele José, que era filho de Jacó, que foi vendido no Egito e que foi preservado pela mão do Senhor, para preservar seu pai Jacó e toda a sua casa de perecer de fome.
166 E eles também foram tirados do cativeiro e da terra do Egito, por aquele mesmo Deus que os havia preservado.
167 E assim meu pai Leí descobriu a genealogia de seus pais.
168 E Labão também era um descendente de José, portanto ele e seus pais tinham guardado os registros.
169 E agora, quando meu pai viu todas essas coisas, ficou cheio do Espírito e começou a profetizar a respeito de sua semente; que essas placas de latão fossem enviadas a todas as nações, tribos, línguas e povos que fossem de sua semente.
170 Portanto, ele disse que essas placas de latão nunca deveriam perecer, nem deveriam ser esmaecidas pelo tempo.
171 E ele profetizou muitas coisas a respeito de sua semente.
172 E aconteceu que até agora eu e meu pai tínhamos guardado os mandamentos com os quais o Senhor nos ordenara.
173 E havíamos obtido o registro que o Senhor nos havia ordenado, e os examinamos e descobrimos que eram desejáveis; sim, de grande valor para nós, de modo que pudéssemos preservar os mandamentos do Senhor para nossos filhos.
174 Portanto, foi sabedoria do Senhor que os levássemos conosco enquanto viajávamos no deserto em direção à terra da promessa.

 

1 Néfi, Capítulo 2
1 E agora eu, Néfi, não dou a genealogia de meus pais nesta parte de meu registro; nem em momento algum a darei depois nestas placas que estou escrevendo; pois é dado no registro que foi mantido por meu pai; portanto não o escrevo neste trabalho.
2 Pois me basta dizer que somos descendentes de José.
3 E não me importa que eu seja específico para dar um relato completo de todas as coisas de meu pai, pois elas não podem ser escritas nestas placas, pois desejo um espaço para escrever sobre as coisas de Deus.
4 Pois a plenitude de minha intenção é persuadir os homens a virem ao Deus de Abraão, e ao Deus de Isaque, e ao Deus de Jacó, e serem salvos.
5 Portanto, não escrevo as coisas que agradam ao mundo, mas as que agradam a Deus e aos que não são do mundo.
6 Portanto, darei ordem à minha descendência que não ocupe estas placas com coisas que não sejam de valor para os filhos dos homens.
7 E agora gostaria que soubésseis que, depois que meu pai Leí terminou de profetizar a respeito de sua descendência, aconteceu que o Senhor lhe falou novamente, dizendo que não lhe convinha, Leí, que ele deveria levar seu
família para o deserto sozinho; mas que seus filhos tomassem filhas por esposa, para que levantassem descendência ao Senhor na terra da promessa.
8 E aconteceu que o Senhor ordenou-lhe que eu, Néfi e meus irmãos voltássemos novamente à terra de Jerusalém e trouxessem Ismael e sua família para o deserto.
9 E aconteceu que eu, Néfi, fui novamente com meus irmãos ao deserto para subir a Jerusalém.
10 E aconteceu que subimos à casa de Ismael e obtivemos graça aos olhos de Ismael, de modo que lhe falamos as palavras do Senhor.
11 E aconteceu que o Senhor abrandou o coração de Ismael e também de sua casa, de modo que eles desceram conosco para o deserto até a tenda de nosso pai.
12 E aconteceu que, enquanto viajávamos pelo deserto, eis que Lamã e Lemuel e duas das filhas de Ismael e os dois filhos de Ismael e suas famílias se rebelaram contra nós; sim, contra mim, Néfi e Sam, e seu pai Ismael, e sua esposa, e suas outras três filhas.
13 E aconteceu em que rebelião eles desejavam retornar à terra de Jerusalém.
14 E agora eu, Néfi, entristecido pela dureza de seu coração, por isso lhes falei, dizendo: sim, a Lamã e Lemuel: Eis que sois meus irmãos mais velhos; e como vocês são tão duros em seus corações e tão cegos em suas mentes, que precisam que eu, seu irmão mais novo, fale com vocês, sim, e lhes dê um exemplo?
15 Como é que não ouvistes a palavra do Senhor?
16 Como é que vos esquecestes que vistes um anjo do Senhor?
17 Sim, e como é que vos esquecestes das grandes coisas que o Senhor fez por nós, livrando-nos das mãos de Labão, e também para obtermos o registro?
18 Sim, e como é que vos esquecestes de que o Senhor é poderoso para fazer todas as coisas segundo a sua vontade, para os filhos dos homens, se é que nele exercem fé; portanto, sejamos fiéis a ele.
19 E se formos fiéis a ele, obteremos a terra da promessa; e sabereis em algum período futuro que a palavra do Senhor será cumprida a respeito da destruição de Jerusalém;
20 Porque todas as coisas que o Senhor falou sobre a destruição de Jerusalém devem ser cumpridas.
21 Pois eis que o Espírito do Senhor logo cessará de lutar com eles;
22 Pois eis que rejeitaram os profetas e lançaram Jeremias na prisão.
23 E eles procuraram tirar a vida de meu pai, de modo que o expulsaram da terra.
24 Agora eis que vos digo que, se voltardes a Jerusalém, também perecereis com eles.
25 E agora, se tiverdes escolha, subi à terra e lembrai-vos das palavras que vos digo: se fordes, também perecereis; pois assim o Espírito do Senhor me constrange a falar.
26 E aconteceu que quando eu, Néfi, falei estas palavras a meus irmãos, eles ficaram zangados comigo.
27 E aconteceu que puseram as mãos sobre mim — pois eis que estavam muito irados — e me amarraram com cordas, pois procuravam tirar-me a vida, para que me deixassem no deserto para ser devorado por feras.
28 Mas aconteceu que orei ao Senhor, dizendo: Ó Senhor, segundo a minha fé em ti, livrar-me-ás das mãos de meus irmãos;
29 Sim, dá-me forças para romper estas ataduras com as quais estou amarrado.
30 E aconteceu que quando eu disse estas palavras, eis que as ataduras foram soltas de minhas mãos e pés e eu me pus diante de meus irmãos e tornei a falar com eles.
31 E aconteceu que novamente se zangaram comigo e procuraram pôr as mãos sobre mim;
32 Mas eis que uma das filhas de Ismael, sim, e também sua mãe e um dos filhos de Ismael, imploraram a meus irmãos, de modo que eles abrandaram seu coração; e eles pararam de se esforçar para tirar minha vida.
33 E aconteceu que ficaram tristes por causa de sua iniqüidade, a ponto de se curvarem diante de mim e suplicarem-me que eu os perdoasse pelo que haviam feito contra mim.
34 E aconteceu que lhes perdoei francamente tudo o que haviam feito e exortei-os a orarem pedindo perdão ao Senhor seu Deus.
35 E aconteceu que assim fizeram.
36 E depois que eles terminaram de orar ao Senhor, voltamos a viajar em nossa jornada em direção à tenda de nosso pai.
37 E aconteceu que descemos à tenda de nosso pai.
38 E depois que eu e meus irmãos e toda a casa de Ismael descemos à tenda de meu pai, deram graças ao Senhor seu Deus;
39 E ofereceram-lhe sacrifícios e holocaustos.
40 E aconteceu que havíamos reunido todo tipo de sementes de toda espécie; tanto de grãos de toda espécie, como também de sementes de frutos de toda espécie.
41 E aconteceu que enquanto meu pai permanecia no deserto, ele nos falou, dizendo: Eis que tive um sonho; ou em outras palavras, eu tive uma visão.
42 E eis que, por causa do que vi, tenho motivos para regozijar-me no Senhor por causa de Néfi e também de Sam; pois tenho motivos para supor que eles, e também muitos de seus descendentes, serão salvos.
43 Mas eis que Lamã e Lemuel temo muito por causa de vocês; pois eis que pensei ter visto em meu sonho um deserto escuro e sombrio.
44 E aconteceu que vi um homem que estava vestido com uma túnica branca; e ele veio e parou diante de mim.
45 E aconteceu que ele me falou e me mandou segui-lo.
46 E aconteceu que enquanto eu o seguia, vi que estava em um deserto escuro e sombrio.
47 E depois de ter viajado pelo espaço de muitas horas na escuridão, comecei a orar ao Senhor, para que tivesse misericórdia de mim de acordo com a multidão de suas ternas misericórdias.
48 E aconteceu que depois de orar ao Senhor, vi um campo grande e espaçoso.
49 E aconteceu que vi uma árvore cujo fruto era desejável para fazer uma pessoa feliz.
50 E aconteceu que saí e comi do seu fruto; e vi que era mais doce do que tudo que eu já havia provado.
51 Sim, e vi que seu fruto era branco, excedendo toda a brancura que eu já tinha visto.
52 E enquanto comia do seu fruto, encheu-me a alma de grande alegria;
53 Por isso comecei a desejar que minha família também participasse disso; pois eu sabia que era desejável acima de todas as outras frutas.
54 E enquanto eu olhava ao redor, para que talvez pudesse descobrir minha família também, vi um rio de água; e correu, e estava perto da árvore da qual eu comia o fruto.
55 E olhei para ver de onde vinha; e eu vi a cabeça dele um pouco longe;
56 E na cabeceira vi sua mãe Saria e Sam e Néfi; e eles ficaram como se não soubessem para onde deveriam ir.
57 E aconteceu que acenei para eles; e também lhes disse em alta voz que viessem a mim e comessem do fruto, que era mais desejável do que todos os outros frutos.
58 E aconteceu que eles vieram a mim e também comeram do fruto.
59 E aconteceu que eu desejava que Lamã e Lemuel viessem e também comessem do fruto;
60 Por isso lancei meus olhos para a cabeceira do rio, para que talvez eu pudesse vê-los.
61 E aconteceu que eu os vi, mas eles não quiseram vir a mim e comer do fruto.
62 E vi uma barra de ferro; e estendia-se ao longo da margem do rio, e conduzia à árvore junto à qual eu estava.
63 E vi também um caminho reto e estreito, que passava pela barra de ferro, até a árvore junto à qual eu estava;
64 E também conduzia pela cabeceira da fonte a um campo grande e espaçoso, como se fosse um mundo;
65 E vi inúmeras multidões de pessoas, muitas das quais estavam avançando, para que pudessem obter o caminho que conduzia à árvore junto à qual eu estava.
66 E aconteceu que eles saíram e começaram o caminho que levava à árvore.
67 E aconteceu que surgiu uma névoa de escuridão; sim, mesmo uma grande névoa de escuridão, de modo que aqueles que haviam começado no caminho se perderam, desviaram-se e se perderam.
68 E aconteceu que vi outros avançando e eles se aproximaram e agarraram a ponta da barra de ferro;
69 E eles avançaram através da névoa de escuridão, agarrando-se à barra de ferro, até que saíram e comeram do fruto da árvore.
70 E depois de terem comido do fruto da árvore, eles olharam em volta como se estivessem envergonhados.
71 E também olhei ao redor e vi do outro lado do rio de água um grande e espaçoso edifício;
72 E ficou como que no ar, bem acima da terra;
73 E estava cheio de gente, tanto velhos como jovens, tanto homens como mulheres;
74 E sua maneira de vestir era muito boa;
75 E eles estavam na atitude de zombar e apontar seus dedos para aqueles que tinham vindo, e estavam comendo do fruto.
76 E depois de terem provado do fruto, ficaram envergonhados, por causa dos que zombavam deles; e eles caíram em caminhos proibidos e se perderam.
77 E agora eu, Néfi, não falo todas as palavras de meu pai.
78 Mas, para ser breve na escrita, eis que ele viu outras multidões avançando; e eles vieram e agarraram a ponta da barra de ferro; e eles avançaram, continuamente agarrados à barra de ferro, até que saíram, caíram e comeram do fruto da árvore.
79 E ele também viu outras multidões tateando seu caminho para aquele grande e espaçoso edifício.
80 E aconteceu que muitos se afogaram nas profundezas da fonte;
81 E muitos se perderam de sua vista, vagando por estradas estranhas.
82 E grande foi a multidão que entrou naquele edifício estranho.
83 E depois que eles entraram naquele edifício eles apontaram o dedo de escárnio para mim, e aqueles que estavam comendo do fruto também; mas não os atendemos.
84 Estas são as palavras de meu pai: Pois todos os que lhes deram atenção caíram.
85 E Lamã e Lemuel não comeram do fruto, disse meu pai.
86 E aconteceu que depois que meu pai falou todas as palavras de seu sonho ou visão, que foram muitas, ele nos disse, por causa dessas coisas que ele viu em uma visão, ele temeu muito por Lamã e Lemuel;
87 Sim, ele temia que fossem expulsos da presença do Senhor;
88 E ele os exortou então com todo o sentimento de um pai terno, para que ouvissem suas palavras, que talvez o Senhor fosse misericordioso com eles e não os rejeitasse;
89 Sim, meu pai pregou para eles.
90 E depois de lhes ter pregado e também lhes profetizado muitas coisas, ordenou-lhes que guardassem os mandamentos do Senhor;
91 E ele deixou de falar com eles.
92 E todas estas coisas viu meu pai, e ouviu, e falou, enquanto morava em uma tenda, no vale de Lemuel; e também muitas outras coisas que não podem ser escritas nestas placas.
93 E agora, conforme falei a respeito dessas placas, eis que não são as placas sobre as quais faço um relato completo da história de meu povo;
94 Para as placas nas quais faço um relato completo de meu povo, dei o nome de Néfi;
95 Portanto, são chamadas de placas de Néfi, por causa de meu próprio nome; e essas placas também são chamadas de placas de Néfi.
96 Não obstante, recebi um mandamento do Senhor de que deveria fazer essas placas com o propósito especial de que fosse gravado um relato do ministério de meu povo.
97 Nas outras placas deve ser gravado um relato do reinado dos reis e das guerras e contendas de meu povo;
98 Portanto, estas placas são para a maior parte do ministério; e as outras placas são a maior parte do reinado dos reis, e as guerras e contendas do meu povo.
99 Portanto, o Senhor ordenou-me que lhe fizesse estas placas para um sábio propósito; qual propósito eu não sei.
100 Mas o Senhor conhece todas as coisas desde o princípio;
101 Portanto, ele prepara um caminho para realizar todas as suas obras entre os filhos dos homens; pois eis que ele tem todo o poder para o cumprimento de todas as suas palavras.
102 E assim é. Um homem.

 

1 Néfi, Capítulo 3
1 E agora eu, Néfi, passo a prestar contas nestas placas de meus atos e de meu reinado e ministério; portanto, para prosseguir com meu relato, devo falar um pouco das coisas de meu pai e também de meus irmãos.
2 Pois eis que aconteceu que, depois que meu pai acabou de falar as palavras de seu sonho e também de exortá-los a toda diligência, falou-lhes a respeito dos judeus que, depois que fossem destruídos, aquele grande cidade de Jerusalém, e muitos serão levados cativos para a Babilônia, de acordo com o devido tempo do Senhor, eles devem retornar novamente; sim, até mesmo ser trazido de volta do cativeiro;
3 E depois que eles fossem trazidos de volta do cativeiro, eles deveriam possuir novamente a terra de sua herança.
4 Sim, seiscentos anos depois que meu pai deixou Jerusalém, um profeta o Senhor Deus levantaria entre os judeus, sim, um Messias; ou, em outras palavras, um Salvador do mundo.
5 E ele também falou sobre os profetas, quão grande número havia testificado dessas coisas, sobre este Messias, de quem ele havia falado, ou este Redentor do mundo.
6 Portanto, toda a humanidade estava perdida e caída, e sempre estaria, a menos que confiasse nesse Redentor.
7 E falou também a respeito de um profeta que viria antes do Messias, para preparar o caminho do Senhor;
8 Sim, ele deve sair e clamar no deserto: Preparai o caminho do Senhor e endireitai as suas veredas;
9 Pois há entre vós um que não conheceis; e ele é mais poderoso do que eu, cujo fecho do sapato não sou digno de desatar.
10 E muito falou meu pai sobre isso.
11 E meu pai disse que ele deveria batizar em Bethabara, além do Jordão; e ele também disse que deveria batizar com água; mesmo que ele deveria batizar o Messias com água.
12 E depois de batizar o Messias com água, ele deveria contemplar e prestar testemunho de que havia batizado o Cordeiro de Deus, que tiraria os pecados do mundo.
13 E aconteceu que depois que meu pai falou estas palavras, ele falou a meus irmãos a respeito do evangelho que deveria ser pregado entre os judeus,
14 E também sobre a diminuição dos judeus na incredulidade.
15 E depois de terem matado o Messias que viria e depois de ter sido morto, ele deveria ressuscitar dos mortos e se manifestar pelo Espírito Santo aos gentios.
16 Sim, meu pai falou muito a respeito dos gentios e também a respeito da casa de Israel, para que fossem comparados a uma oliveira, cujos ramos seriam quebrados e espalhados por toda a face da Terra.
17 Portanto, ele disse que é necessário que sejamos conduzidos unanimemente à terra da promessa, para o cumprimento da palavra do Senhor de que seríamos dispersos por toda a face da Terra.
18 E depois que a casa de Israel fosse dispersa, eles deveriam ser reunidos novamente;
19 Ou, enfim, depois que os gentios tivessem recebido a plenitude do evangelho, os ramos naturais da oliveira, ou os remanescentes da casa de Israel, deveriam ser enxertados, ou vir a conhecer o verdadeiro Messias, seu Senhor e seu Redentor.

20 E segundo esse tipo de linguagem meu pai profetizou e falou a meus irmãos;
21 E também muitas outras coisas que não escrevo neste livro; pois escrevi tantos deles quantos me foram convenientes em meu outro livro.
22 E todas estas coisas de que falei foram feitas quando meu pai morava em uma tenda no vale de Lemuel.
23 E aconteceu depois que eu, Néfi, ouvi todas as palavras de meu pai a respeito das coisas que ele viu em uma visão;
24 E também as coisas que ele falou pelo poder do Espírito Santo; qual poder ele recebeu pela fé no Filho de Deus;
25 E o Filho de Deus era o Messias que havia de vir;
26 Eu, Néfi, também desejava ver e ouvir e saber dessas coisas pelo poder do Espírito Santo, que é o dom de Deus para todos os que o buscam diligentemente, como nos tempos antigos como no tempo em que ele deveria se manifestar aos filhos dos homens;
27 Pois ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente.
28 E o caminho está preparado desde a fundação do mundo, caso se arrependam e venham a ele;
29 Pois quem busca diligentemente achará;
30 E os mistérios de Deus serão revelados a eles pelo poder do Espírito Santo, tanto neste tempo como nos tempos antigos;
31 E tanto em tempos antigos como em tempos futuros;
32 Portanto, o curso do Senhor é um círculo eterno.
33 Portanto, lembra-te, ó homem, de todas as tuas ações serás levado a julgamento.
34 Portanto, se procurardes praticar o mal nos dias de vossa provação, sereis achados impuros perante o tribunal de Deus;
35 E nenhuma coisa impura pode habitar com Deus; portanto deveis ser rejeitados para sempre.
36 E o Espírito Santo dá autoridade para que eu fale estas coisas e não as negue.
37 Porque aconteceu que, depois de desejar saber as coisas que meu pai tinha visto, e acreditando que o Senhor podia fazê-las saber a mim,
38 Enquanto eu meditava em meu coração, fui arrebatado pelo Espírito do Senhor,
sim, para um monte extremamente alto, que eu nunca tinha visto antes e sobre o qual nunca havia posto meus pés.
39 E o Espírito me disse: Eis que queres tu?
40 E eu disse, desejo ver as coisas que meu pai viu.
41 E o Espírito me disse: Crê tu que teu pai viu a árvore de que falou?
42 E eu disse: Sim, tu sabes que acredito em todas as palavras de meu pai.
43 E, havendo eu dito estas palavras, o Espírito clamou em alta voz, dizendo: Hosana ao Senhor, o Deus Altíssimo; pois ele é Deus sobre toda a terra, sim, acima de tudo.
44 E bendito és tu, Néfi, porque acreditas no Filho do Deus Altíssimo; portanto, verás as coisas que desejaste.
45 E eis que isto te será dado por sinal: depois de ter visto a árvore que deu o fruto que teu pai provou, também verás um homem descendo do céu; e a ele dareis testemunho; e depois de tê-lo testemunhado, testemunhareis que é o Filho de Deus.
46 E aconteceu que o Espírito me disse: Olha! e olhei e vi uma árvore; e era como a árvore que meu pai tinha visto; e sua beleza estava muito além, sim, excedendo toda a beleza; e sua brancura excedeu a brancura da neve lançada.
47 E aconteceu que depois de ter visto a árvore, disse ao Espírito: eis que me mostraste a árvore que é mais preciosa do que tudo.
48 E ele me disse: Que desejas tu?
49 E eu lhe disse: Para saber a sua interpretação:
50 Pois eu lhe falei como fala homem; pois vi que ele estava na forma de um homem; contudo, no entanto, eu sabia que era o Espírito do Senhor; e ele me falou como um homem fala com outro.
51 E aconteceu que ele me disse: Olha! e olhei para ele, mas não o vi; pois ele tinha ido antes da minha presença.
52 E aconteceu que olhei e vi a grande cidade de Jerusalém, e também outras cidades.
53 E vi a cidade de Nazaré: e na cidade de Nazaré vi uma virgem, e ela era mui formosa e branca.
54 E aconteceu que vi os céus abertos; e um anjo desceu e parou diante de mim; e ele me disse: Néfi, que vês tu?
55 E eu lhe disse: Uma virgem, a mais bela e formosa que todas as outras virgens.
56 E ele me disse: Conheces a condescendência de Deus?
57 E eu lhe disse: Eu sei que ele ama seus filhos; no entanto, não conheço o significado de todas as coisas.
58 E disse-me: Eis que a virgem que vês é a mãe do Filho de Deus, segundo a carne.
59 E aconteceu que vi que ela foi arrebatada pelo Espírito;
60 E depois que ela foi arrebatada no Espírito por um espaço de tempo, o anjo me falou, dizendo: Olha!
61 E eu olhei e vi a virgem novamente, carregando uma criança em seus braços.
62 E o anjo me disse: Eis o Cordeiro de Deus, sim, o Filho do Pai Eterno!
63 Sabes tu o significado da árvore que teu pai viu?
64 E eu lhe respondi, dizendo: Sim, é o amor de Deus, que se derrama no coração dos filhos dos homens; portanto, é o mais desejável acima de todas as coisas.
65 E ele me falou, dizendo: Sim, e o mais alegre para a alma.
66 E depois de ter dito estas palavras, ele me disse: Veja! E olhei, e vi o Filho de Deus saindo entre os filhos dos homens:
67 E eu vi muitos prostrarem-se a seus pés e adorá-lo.
68 E aconteceu que vi que a barra de ferro que meu pai tinha visto era a palavra de Deus que conduzia à fonte de águas vivas ou à árvore da vida; quais águas são uma representação do amor de Deus;
69 E também vi que a árvore da vida era uma representação do amor de Deus.
70 E o anjo me disse novamente: Olha e eis a condescendência de Deus!
71 E olhei e vi o Redentor do mundo, de quem meu pai falara;
72 E também vi o profeta que deveria preparar o caminho diante dele.
73 E o Cordeiro de Deus saiu e foi batizado por ele;
74 E depois que ele foi batizado, eu vi os céus abertos, e o Espírito Santo desceu do céu e pousou sobre ele na forma de uma pomba.
75 E vi que ele saiu ministrando ao povo com poder e grande glória;
76 E as multidões estavam reunidas para ouvi-lo;
77 E vi que o expulsaram do meio deles.
78 E também vi outros doze o seguindo.
79 E aconteceu que eles foram arrebatados no Espírito, de diante de minha face, e eu não os vi.
80 E aconteceu que o anjo me falou novamente, dizendo: Olha! E olhei, e vi os céus abertos novamente,
81 E vi anjos descendo sobre os filhos dos homens; e eles ministravam a eles.
82 E tornou a falar comigo, dizendo: Olha! E olhei, e vi o Cordeiro de Deus saindo entre os filhos dos homens.
83 E vi multidões de pessoas que estavam doentes e afligidas com todo tipo de doenças e com demônios e espíritos imundos;
84 E o anjo falou e mostrou todas estas coisas para mim.
85 E eles foram curados pelo poder do Cordeiro de Deus, e os demônios e os espíritos imundos foram expulsos.
86 E aconteceu que o anjo me falou novamente, dizendo: Veja! E eu olhei e vi o Cordeiro de Deus, que ele foi levado pelo povo; sim, o Filho do Deus eterno foi julgado pelo mundo; e eu vi e testifico.
87 E eu, Néfi, vi que ele foi levantado na cruz e morto pelos pecados do mundo.
88 E depois que ele foi morto, eu vi as multidões da terra, que estavam reunidas para lutar contra os apóstolos do Cordeiro; pois assim foram os doze chamados pelo anjo do Senhor.
89 E a multidão da terra se ajuntou;
90 E vi que eles estavam em um edifício grande e espaçoso, semelhante ao edifício que meu pai viu.
91 E o anjo do Senhor falou-me novamente, dizendo: Eis o mundo e sua sabedoria;
92 Sim, eis que a casa de Israel se reuniu para lutar contra os doze apóstolos do Cordeiro.
93 E aconteceu que vi e prestei testemunho de que o grande e espaçoso edifício era o orgulho do mundo;
94 E caiu; e sua queda foi muito grande.
95 E o anjo do Senhor me falou novamente, dizendo: Assim será a destruição de todas as nações, tribos, línguas e povos que lutarem contra os doze apóstolos do Cordeiro.
96 E aconteceu que o anjo me disse: Olha e vê tua semente, e também a semente de teus irmãos!
97 E olhei e vi a terra da promessa;
98 E vi multidões de pessoas, sim, em número tão grande quanto a areia do mar.
99 E aconteceu que vi multidões reunidas para batalhar, uma contra a outra; e vi guerras e rumores de guerras e grandes matanças à espada entre o meu povo.
100 E aconteceu que eu vi muitas gerações passarem, segundo o tipo de guerras e contendas na terra;
101 E vi muitas cidades, sim, mesmo que não as contei.
102 E aconteceu que vi uma névoa de escuridão na face da terra da promessa;
103 E vi relâmpagos, e ouvi trovões, e terremotos, e toda sorte de ruídos tumultuosos;
104 E eu vi a terra e as rochas que eles rasgam;
105 E eu vi montanhas caindo em pedaços;
106 E eu vi as planícies da terra, que foram quebradas;
107 E vi muitas cidades, que foram afundadas;
108 E vi muitos que foram queimados com fogo;
109 E eu vi muitos que caíram na terra, por causa do tremor dela.
110 E aconteceu que depois que vi estas coisas, vi o vapor da escuridão, que passou da face da terra;
111 E eis que vi multidões que caíram por causa dos grandes e terríveis juízos do Senhor.
112 E vi os céus abertos, e o Cordeiro de Deus descendo do céu; e ele desceu e mostrou-se a eles.
113 E também vi e testifico que o Espírito Santo caiu sobre doze outros, e eles foram ordenados por Deus e escolhidos.
114 E o anjo me falou, dizendo: Eis os doze discípulos do Cordeiro, que são escolhidos para ministrar à tua semente.
115 E ele me disse: Tu te lembras dos doze apóstolos do Cordeiro? Eis que eles são os que julgarão as doze tribos de Israel:
116 Portanto, os doze ministros de tua semente serão julgados por eles; porque sois da casa de Israel; e estes doze ministros que tu contemplas julgarão tua descendência.
117 E eis que eles são justos para sempre; pois por causa de sua fé no Cordeiro de Deus, suas vestes são branqueadas em seu sangue.
118 E o anjo me disse: Veja! E olhei e vi três gerações passarem em retidão, e suas vestes eram brancas, como o Cordeiro de Deus.
119 E o anjo me disse: Estes são branqueados no sangue do Cordeiro, por causa de sua fé nele.
120 E eu, Néfi, também vi muitos da quarta geração, que faleceram em retidão.
121 E aconteceu que vi as multidões da terra reunidas.
122 E o anjo me disse: Eis a tua semente, e também a semente de teus irmãos.
123 E aconteceu que olhei e vi o povo de minha semente reunido em multidões contra a semente de meus irmãos; e eles foram reunidos para a batalha.
124 E o anjo me falou, dizendo: Eis a fonte de água imunda que teu pai viu; sim, mesmo o rio do qual ele falou; e suas profundezas são as profundezas do inferno;
125 E as brumas das trevas são as tentações do diabo, que cega os olhos e endurece o coração dos filhos dos homens e os conduz por estradas largas, para que pereçam e se percam;
126 E o edifício grande e espaçoso que teu pai viu é imaginação vã e orgulho dos filhos dos homens.
127 E um grande e terrível abismo os divide; sim, sim, a palavra da justiça do Deus eterno, e do Messias que é o Cordeiro de Deus, de quem o Espírito Santo dá testemunho, desde o princípio do mundo até agora, e desde agora e para sempre.
128 E enquanto o anjo falava estas palavras, eu vi e vi que a semente de meus irmãos lutou contra minha semente, de acordo com a palavra do anjo;
129 E por causa do orgulho de minha semente e das tentações do diabo, vi que a semente de meus irmãos venceu o povo de minha semente.
130 E aconteceu que contemplei e vi o povo da semente de meus irmãos, que haviam vencido minha semente; e eles saíram em multidões sobre a face da terra.
131 E eu os vi reunidos em multidões;
132 E eu vi guerras e rumores de guerras entre eles; e em guerras e rumores de guerras, vi passarem muitas gerações.
133 E o anjo me disse: Eis que estes minguarão na incredulidade.
134 E aconteceu que eu vi depois que eles diminuíram na incredulidade, eles se tornaram um povo escuro e repugnante e imundo, cheio de ociosidade e todo tipo de abominações.
135 E aconteceu que o anjo me falou, dizendo: Olha! E olhei e vi muitas nações e reinos.
136 E o anjo me disse: Que vês tu?
137 E eu disse, vejo muitas nações e reinos.
138 E ele me disse: Estas são as nações e reinos dos gentios.
139 E aconteceu que eu vi entre as nações dos gentios o fundamento de uma grande igreja.
140 E o anjo me disse: Eis o fundamento de uma igreja, que é mais abominável do que todas as outras igrejas, que mata os santos de Deus, sim, e os tortura e os amarra, e os une com jugo de ferro, e os leva ao cativeiro.
141 E aconteceu que vi esta grande e abominável igreja; e eu vi o diabo que ele era o fundamento disto.
142 E também vi ouro e prata, e sedas, e escarlates, e linho fino torcido, e toda sorte de roupas preciosas; e vi muitas meretrizes.
143 E o anjo me falou, dizendo: Eis que o ouro, e a prata, e as sedas, e as escarlates, e o linho fino torcido, e as roupas preciosas, e as meretrizes, são os desejos desta grande e abominável igreja ;
144 E também para o louvor do mundo eles destroem os santos de Deus, e os levam ao cativeiro.
145 E aconteceu que olhei e vi muitas águas; e separaram os gentios da semente de meus irmãos.
146 E aconteceu que o anjo me disse: Eis que a ira de Deus está sobre a semente de teus irmãos!
147 E olhei e vi um homem entre os gentios, que foi separado da semente de meus irmãos pelas muitas águas; e vi o Espírito de Deus, que desceu e agiu sobre o homem; e ele saiu sobre as muitas águas, até a semente de meus irmãos, que estavam na terra prometida.
148 E aconteceu que eu vi o Espírito de Deus, que operava em outros gentios; e saíram do cativeiro, sobre as muitas águas.
149 E aconteceu que vi muitas multidões de gentios na terra da promessa;
150 E vi a ira de Deus que estava sobre a semente de meus irmãos; e foram dispersos diante dos gentios, e foram feridos.
151 E vi o Espírito do Senhor, que estava sobre os gentios; que eles prosperaram e obtiveram a terra para sua herança; e vi que eram brancos e extremamente belos e belos, como meu povo antes de serem mortos.
152 E aconteceu que eu, Néfi, vi que os gentios que haviam saído do cativeiro humilharam-se perante o Senhor e o poder do Senhor estava com eles;
153 E vi que suas mães gentias estavam reunidas sobre as águas, e também sobre a terra, para batalhar contra eles;
154 E vi que o poder de Deus estava com eles; e também que a ira de Deus estava sobre todos os que se reuniram contra eles para a batalha.
155 E eu, Néfi, vi que os gentios que haviam saído do cativeiro foram libertados pelo poder de Deus das mãos de todas as outras nações.
156 E aconteceu que eu, Néfi, vi que eles prosperaram na terra;
157 E eu vi um livro, e foi levado entre eles.
158 E o anjo me disse: Sabes tu o significado do livro?
159 E eu disse a ele, eu não sei.
160 E ele disse: Eis que sai da boca de um judeu; e eu, Néfi, a contemplei;
161 E ele me disse: O livro que você vê é um registro dos judeus, que contém os convênios do Senhor que ele fez com a casa de Israel;
162 E também contém muitas das profecias dos santos profetas;
163 E é um registro semelhante às gravuras que estão nas placas de latão, exceto que não há tantas; não obstante, contêm os convênios que o Senhor fez com a casa de Israel;
164 Portanto, eles são de grande valor para os gentios.
165 E o anjo do Senhor me disse: Tu viste que o livro saiu da boca de um judeu; e quando saiu da boca de um judeu, continha a clareza do evangelho do Senhor, de quem os doze apóstolos dão testemunho; e dão testemunho segundo a verdade que está no Cordeiro de Deus:
166 Portanto, estas coisas saem dos judeus em pureza para os gentios, segundo a verdade que está em Deus:
167 E depois que eles saíram pela mão dos doze apóstolos do Cordeiro, dos judeus aos gentios, tu vês o fundamento de uma grande e abominável igreja, que é mais abominável do que todas as outras igrejas;
168 Pois eis que tiraram do evangelho do Cordeiro muitas partes que são claras e muito preciosas;
169 E também muitos convênios do Senhor eles tiraram;
170 E tudo isso eles fizeram para perverter os caminhos retos do Senhor; para que cegassem os olhos e endurecessem o coração dos filhos dos homens:
171 Portanto, vês que depois que o livro foi distribuído pelas mãos da grande e abominável igreja, muitas coisas claras e preciosas foram tiradas do livro, que é o livro do Cordeiro de Deus;
172 E depois que essas coisas claras e preciosas foram tiradas, ela se espalhou para todas as nações dos gentios:
173 E depois que saiu a todas as nações dos gentios, sim, mesmo através das muitas águas que viste, com os gentios que saíram do cativeiro;
174 Tu vês por causa das muitas coisas claras e preciosas que foram tiradas do livro, que eram claras ao entendimento dos filhos dos homens, de acordo com a clareza que está no Cordeiro de Deus;
175 Por causa dessas coisas que foram tiradas do evangelho do Cordeiro, muitos tropeçam, sim, de modo que Satanás tem grande poder sobre eles;
176 Não obstante, vês que os gentios que saíram do cativeiro e foram elevados pelo poder de Deus acima de todas as outras nações sobre a face da terra, que é escolhida acima de todas as outras terras,
177 Qual é a terra que o Senhor Deus fez convênio com teu pai que sua semente deveria ter para a terra de sua herança, não destruirá totalmente a mistura de tua semente, que está entre teus irmãos;
178 Nem ele permitirá que os gentios destruam a semente de teus irmãos;
179 Nem o Senhor Deus permitirá que os gentios permaneçam para sempre naquele terrível estado de cegueira, no qual você vê que eles estão por causa das partes claras e mais preciosas do evangelho do Cordeiro que foram retidas por aquela abominável igreja , cuja formação tu viste.
180 Portanto, diz o Cordeiro de Deus, serei misericordioso com os gentios, com a visita do remanescente da casa de Israel em grande julgamento.
181 E aconteceu que o anjo do Senhor me falou, dizendo: Eis, diz o Cordeiro de Deus, depois de eu ter visitado o remanescente da casa de Israel, e este remanescente de quem falo é a semente de teu pai;
182 Portanto, depois que eu os visitei em julgamento, e os feri pela mão dos gentios;
183 E depois que os gentios tropeçarem muito por causa das partes mais claras e preciosas do evangelho do Cordeiro que foi retido por aquela abominável igreja, que é a mãe das meretrizes, diz o Cordeiro, serei misericordioso para com o gentios naquele dia, de modo que eu lhes apresentarei em meu próprio poder, muito do meu evangelho, que será claro e precioso, diz o Cordeiro;
184 Pois eis que, diz o Cordeiro, manifestar-me-ei a tua semente, para que escrevam muitas coisas que eu ministrarei a eles, que serão claras e preciosas;
185 E depois que tua semente for destruída e minguar na incredulidade, e também a semente de teus irmãos; eis que essas coisas serão ocultadas para serem reveladas aos gentios pelo dom e poder do Cordeiro;
186 E neles estará escrito meu evangelho, diz o Cordeiro, e minha rocha e minha salvação;
187 E bem-aventurados os que buscarem trazer minha Sião naquele dia, pois terão o dom e o poder do Espírito Santo;
188 E se perseverarem até o fim, serão levantados no último dia e serão salvos no reino eterno do Cordeiro;
189 E quem publicar paz, sim, notícias de grande alegria, quão belos serão nas montanhas.
190 E aconteceu que vi o remanescente da semente de meus irmãos, e também o livro do Cordeiro de Deus, que havia saído da boca do judeu, que saiu dos gentios para o remanescente da semente de meus irmãos;
191 E depois que lhes foi revelado, vi outros livros que surgiram pelo poder do Cordeiro, dos gentios para eles, para convencer os gentios e o remanescente da semente de meus irmãos, e também o judeus, que foram dispersos por toda a face da terra, que os registros dos profetas e dos doze apóstolos do Cordeiro são verdadeiros.
192 E o anjo me falou, dizendo: Estes últimos registros que viste entre os gentios estabelecerão a verdade dos primeiros, que são dos doze apóstolos do Cordeiro, e darão a conhecer as coisas claras e preciosas que foram tirado deles;
193 E fará saber a todas as tribos, línguas e povos, que o Cordeiro de Deus é o filho do Pai Eterno e o Salvador do mundo; e que todos os homens devem vir a ele ou não podem ser salvos;
194 E eles devem vir de acordo com as palavras que serão estabelecidas pela boca do Cordeiro;
195 E as palavras do Cordeiro serão conhecidas nos registros de tua semente, bem como nos registros dos doze apóstolos do Cordeiro;
196 Portanto, ambos serão estabelecidos em um;
197 Pois há um Deus e um Pastor sobre toda a terra;
198 E vem o tempo em que ele se manifestará a todas as nações, tanto aos judeus como também aos gentios;
199 E depois que ele se manifestou aos judeus e também aos gentios; então ele se manifestará aos gentios, e também aos judeus,
200 E os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos.
201 E acontecerá que, se os gentios derem ouvidos ao Cordeiro de Deus naquele dia, ele se manifestará a eles em palavra, e também em poder, em obras reais, para tirar suas pedras de tropeço , e não endurecerem o coração contra o Cordeiro de Deus, serão contados entre a descendência de teu pai;
202 Sim, eles serão contados entre a casa de Israel;
203 E eles serão um povo abençoado na terra prometida para sempre;
204 Eles não serão mais levados ao cativeiro;
205 E a casa de Israel não será mais confundida;
206 E aquela grande cova que foi cavada para eles por aquela grande e abominável igreja, que foi fundada pelo diabo e seus filhos, para que ele pudesse levar as almas dos homens para o inferno;
207 Sim, aquela grande cova que foi cavada para destruição dos homens será enchida por aqueles que a cavaram, para sua completa destruição, diz o Cordeiro de Deus;
208 Não a destruição da alma, a não ser o lançamento dela naquele inferno que não tem fim;
209 Pois eis que isto é segundo o cativeiro do diabo, e também segundo a justiça de Deus, sobre todos os que praticarem iniqüidade e abominação diante dele.
210 E aconteceu que o anjo me falou, Néfi, dizendo: Tu viste que se os gentios se arrependerem, tudo irá bem para eles;
211 E tu também sabes a respeito dos convênios do Senhor com a casa de Israel;
212 E também ouviste que quem não se arrepender perecerá;
213 Portanto, ai dos gentios, se é que endurecem seus corações contra o Cordeiro de Deus;
214 Pois vem o tempo, diz o Cordeiro de Deus, em que realizarei uma grande e maravilhosa obra entre os filhos dos homens;
215 Uma obra que será eterna, por um lado ou por outro;
216 Seja para convencê-los para a paz e para a vida eterna, ou para livrá-los da dureza de seus corações e cegueira de suas mentes, para serem levados ao cativeiro e também à destruição, tanto temporal como espiritualmente, de acordo com ao cativeiro do diabo, de que falei.
217 E aconteceu que, tendo o anjo dito estas palavras, disse-me: Lembra-te dos convênios do Pai com a casa de Israel?
218 Eu disse a ele, Sim.
219 E aconteceu que ele me disse: Olha e vê aquela grande e abominável igreja, que é a mãe das abominações, cujo fundador é o diabo.
220 E ele me disse: Eis que só há duas igrejas:
221 Uma é a igreja do Cordeiro de Deus, e a outra é a igreja do diabo;
222 Portanto, quem não pertence à igreja do Cordeiro de Deus pertence àquela grande igreja, que é a mãe das abominações;
223 E ela é a prostituta de toda a terra.
224 E aconteceu que olhei e vi a prostituta de toda a terra e ela estava sentada sobre muitas águas;
225 E ela tinha domínio sobre toda a terra, entre todas as nações, tribos, línguas e povos.
226 E aconteceu que vi a igreja do Cordeiro de Deus e seu número era pequeno, por causa da iniqüidade e abominações da prostituta que estava assentada sobre muitas águas;
227 Não obstante, vi que a igreja do Cordeiro, que eram os santos de Deus, também estava em toda a face da terra;
228 E seus domínios sobre a face da terra eram pequenos, por causa da maldade da grande prostituta que eu vi.
229 E aconteceu que vi que a grande mãe das abominações se reuniu em multidões sobre a face de toda a Terra, entre todas as nações dos gentios, para lutar contra o Cordeiro de Deus.
230 E aconteceu que eu, Néfi, vi o poder do Cordeiro de Deus, que desceu sobre os santos da igreja do Cordeiro e sobre o povo do convênio do Senhor, que estava disperso por toda a face do a Terra;
231 E eles estavam armados com justiça e com o poder de Deus em grande glória.
232 E aconteceu que vi que a ira de Deus foi derramada sobre a grande e abominável igreja, de modo que houve guerras e rumores de guerras entre todas as nações e tribos da terra,
233 E como começaram a haver guerras e rumores de guerras entre todas as nações que pertenciam à mãe das abominações, o anjo me falou, dizendo:
234 Eis que a ira de Deus está sobre a mãe das meretrizes;
235 E eis que tu vês todas estas coisas;
236 E quando chegar o dia em que a ira de Deus for derramada sobre a mãe das meretrizes, que é a grande e abominável igreja de toda a terra, cujo fundamento é o diabo,
237 Então, naquele dia, a obra do Pai começará, preparando o caminho para o cumprimento de seus convênios que fez com seu povo, que é da casa de Israel.
238 E aconteceu que o anjo me falou, dizendo: Olha! E olhei e vi um homem, e ele estava vestido com uma túnica branca;
239 E o anjo me disse: Eis um dos doze apóstolos do Cordeiro!
240 Eis que ele verá e escreverá o restante destas coisas;
241 Sim, e também muitas coisas que aconteceram;
242 E ele também escreverá sobre o fim do mundo;
243 Portanto, as coisas que ele escreverá são justas e verdadeiras;
244 E eis que estão escritos no livro que viste sair da boca do judeu;
245 E no momento em que saíram da boca do judeu, ou, no momento em que o livro saiu da boca do judeu, as coisas que foram escritas eram claras e puras, e mais preciosas e fáceis para o entendimento de todos os homens.
246 E eis que as coisas que este apóstolo do Cordeiro escreverá são muitas coisas que viste;
247 E eis que o restante verás;
248 Mas as coisas que vires depois, não escreverás; pois o Senhor Deus ordenou ao apóstolo do Cordeiro de Deus que os escrevesse.
249 E também a outros que foram, a eles ele mostrou todas as coisas, e eles as escreveram;
250 E eles são selados para sair em sua pureza de acordo com a verdade que está no Cordeiro, no devido tempo do Senhor, para a casa de Israel.
251 E eu, Néfi, ouvi e testifico que o nome do apóstolo do Cordeiro era João, segundo a palavra do anjo.
252 E eis que eu, Néfi, estou proibido de escrever o restante das coisas que vi e ouvi; portanto, as coisas que escrevi me bastam;
253 E não escrevi senão uma pequena parte das coisas que vi.
254 E testifico que vi as coisas que meu pai viu, e o anjo do Senhor as fez saber a mim.
255 E agora termino de falar a respeito das coisas que vi, enquanto fui arrebatado pelo Espírito;
256 E se todas as coisas que vi não estão escritas, as coisas que escrevi são verdadeiras. E assim é. Um homem.

 

1 Néfi, Capítulo 4
1 E aconteceu que depois que eu, Néfi, fui arrebatado pelo Espírito e vi todas essas coisas, voltei à tenda de meu pai.
2 E aconteceu que vi meus irmãos e eles discutiam entre si sobre as coisas que meu pai lhes havia falado;
3 Pois ele realmente lhes falou muitas coisas grandiosas, que eram difíceis de entender, a menos que um homem consultasse o Senhor;
4 E eles sendo duros em seus corações, portanto, eles não olharam para o Senhor como deveriam.
5 E agora eu, Néfi, fiquei triste por causa da dureza de seu coração e também por causa das coisas que tinha visto e sabia que inevitavelmente aconteceriam por causa da grande iniqüidade dos filhos dos homens.
6 E aconteceu que fui vencido por causa de minhas aflições, pois considerei que minhas aflições eram maiores acima de todas, por causa da destruição de meu povo; pois eu tinha visto sua queda.
7 E aconteceu que depois de ter recebido forças, falei a meus irmãos, desejando saber deles a causa de suas disputas.
8 E eles disseram: Eis que não podemos entender as palavras que nosso pai falou a respeito dos ramos naturais da oliveira e também a respeito dos gentios.
9 E eu lhes disse: Consultastes ao Senhor?
10 E eles me disseram: Não temos; porque o Senhor não nos dá a conhecer tal coisa.
11 Eis que eu lhes disse: Como é que não guardais os mandamentos do Senhor?
12 Como é que perecereis por causa da dureza de vossos corações?
13 Não vos lembreis das coisas que o Senhor disse: Se não endurecerdes o vosso coração e me pedirdes com fé, crendo que recebereis, com diligência em guardar os meus mandamentos, certamente estas coisas vos serão dadas a conhecer ?
14 Eis que vos digo que a casa de Israel foi comparada a uma oliveira, pelo Espírito do Senhor que estava em nossos pais;
15 E eis que não fomos separados da casa de Israel; e não somos nós um ramo da casa de Israel?
16 E agora, o que nosso pai quer dizer com respeito ao enxerto dos ramos naturais pela plenitude dos gentios, é que nos últimos dias, quando nossa semente tiver diminuído em incredulidade, sim, pelo espaço de muitos anos e muitas gerações, depois que o Messias se manifestar em corpo aos filhos dos homens, então a plenitude do evangelho do Messias virá aos gentios, e dos gentios ao remanescente de nossa semente;
17 E naquele dia os remanescentes de nossa descendência saberão que são da casa de Israel e que são o povo do convênio do Senhor;
18 E então conhecerão e chegarão ao conhecimento de seus antepassados e também ao conhecimento do evangelho de seu Redentor, que foi ministrado a seus pais por ele;
19 Portanto, eles chegarão ao conhecimento de seu Redentor e dos próprios pontos de sua doutrina, para que saibam como chegar a ele e ser salvos.
20 E então, naquele dia, eles não se regozijarão e louvarão ao seu Deus eterno, sua rocha e sua salvação?
21 Sim, naquele dia, eles não receberão a força e o alimento da videira verdadeira?
22 Sim, eles não virão ao verdadeiro rebanho de Deus?
23 Eis que vos digo: Sim, eles serão lembrados novamente entre a casa de Israel;
24 Eles serão enxertados, sendo um ramo natural da oliveira, na oliveira verdadeira;
25 E isso é o que nosso pai quer dizer;
26 E ele quer dizer que isso não acontecerá até que eles sejam dispersos pelos gentios;
27 E ele quer dizer que virá por meio dos gentios, para que o Senhor mostre seu poder aos gentios, porque ele será rejeitado pelos judeus ou pela casa de Israel:
28 Portanto, nosso pai não falou somente de nossa descendência, mas também de toda a casa de Israel, apontando para o convênio que deveria ser cumprido nos últimos dias;
29 Aliança que o Senhor fez a nosso pai Abraão, dizendo: Na tua descendência serão benditas todas as famílias da terra.
30 E aconteceu que eu, Néfi, falei-lhes muito sobre essas coisas;
31 Sim, falei-lhes a respeito da restauração dos judeus nos últimos dias;
32 E repeti-lhes as palavras de Isaías, que falou a respeito da restauração dos judeus, ou seja, da casa de Israel;
33 E depois de serem restaurados, eles não deveriam mais ser confundidos, nem deveriam ser dispersos novamente.
34 E aconteceu que falei muitas palavras a meus irmãos, que ficaram pacificados e humilharam-se perante o Senhor.
35 E aconteceu que tornaram a falar comigo, dizendo: Que significa esta coisa que nosso pai viu em sonho?
36 O que significa a árvore que ele viu?
37 E eu lhes disse: Era uma representação da árvore da vida.
38 E eles me disseram: O que significa a barra de ferro que nosso pai viu, que levava à árvore?
39 E eu lhes disse que era a palavra de Deus; e os que dessem ouvidos à palavra de Deus e a ela se apegassem, jamais pereceriam;
40 Nem as tentações e os dardos inflamados do adversário poderiam vencê-los até a cegueira, para levá-los à perdição.
41 Portanto, eu, Néfi, exortei-os a dar ouvidos à palavra do Senhor;
42 Sim, exortei-os com todas as energias de minha alma e com todas as faculdades que possuía para que dessem ouvidos à palavra de Deus e lembrassem-se de guardar seus mandamentos sempre, em todas as coisas.
43 E eles me disseram: O que significa o rio de água que nosso pai viu?
44 E eu disse-lhes que a água que meu pai viu era imundície;
45 E sua mente estava tão absorvida em outras coisas, que ele não viu a imundície da água;
46 E eu lhes disse que era um abismo terrível, que separava os ímpios da árvore da vida, e também dos santos de Deus.
47 E eu disse-lhes que era uma representação daquele terrível inferno, que o anjo me disse que estava preparado para os ímpios.
48 E eu disse-lhes que nosso pai também viu que a justiça de Deus também separou os ímpios dos justos;
49 E o seu resplendor era semelhante ao resplendor de um fogo chamejante, que sobe até Deus para todo o sempre, e não tem fim.
50 E eles me disseram: Isso significa o tormento do corpo nos dias de provação, ou significa o estado final da alma após a morte do corpo temporal, ou fala das coisas que são temporais? ?
51 E aconteceu que eu lhes disse que era uma representação de coisas tanto temporais como espirituais;
52 Pois chegará o dia em que serão julgados por suas obras, sim, pelas obras que foram feitas pelo corpo temporal em seus dias de provação;
53 Portanto, se morrerem em sua iniqüidade, deverão ser rejeitados também, quanto às coisas espirituais, que pertencem à justiça;
54 Portanto, eles devem ser levados a diante de Deus para serem julgados por suas obras:
55 E se suas obras foram imundas, eles devem ser imundos:
56 E se forem imundos, é necessário que não possam habitar no reino de Deus:
57 Se assim for, o reino de Deus deve ser imundo também.
58 Mas eis que vos digo que o reino de Deus não é imundo, e nenhuma coisa impura pode entrar no reino de Deus;
59 Portanto, deve haver um lugar de imundícia preparado para o que é imundo.
60 E há um lugar preparado, sim, aquele terrível inferno de que falei, e o diabo é o fundamento dele;
61 Portanto, o estado final das almas dos homens é habitar no reino de Deus, ou ser expulso por causa daquela justiça de que falei;
62 Portanto, os ímpios são rejeitados pelos justos e também pela árvore da vida, cujo fruto é mais precioso e mais desejável do que todos os outros frutos:
63 Sim, e é o maior de todos os dons de Deus.
64 E assim falei a meus irmãos. Um homem.

 

1 Néfi, Capítulo 5
1 E então aconteceu que depois que eu, Néfi, terminei de falar a meus irmãos, eis que eles me disseram: Tu nos declaraste coisas difíceis, mais do que podemos suportar.
2 E aconteceu que eu lhes disse que sabia que havia falado coisas duras contra os iníquos, de acordo com a verdade; e os justos justifiquei, e dei testemunho de que seriam levantados no último dia; portanto, os culpados consideram a verdade dura, pois ela os corta bem no centro.
3 E agora, meus irmãos, se fôsseis justos e quiséssemos ouvir a verdade e dar-lhe ouvidos, para andardes retamente diante de Deus, então não murmurariais por causa da verdade, e dirás: Tu falas coisas difíceis contra nós.
4 E aconteceu que eu, Néfi, exortei meus irmãos, com toda a diligência, a guardar os mandamentos do Senhor.
5 E aconteceu que eles se humilharam perante o Senhor; tanto que eu tinha alegria e grande esperança deles, de que andassem nas veredas da justiça.
6 Ora, todas estas coisas foram ditas e feitas, pois meu pai morava em uma tenda no vale que ele chamou de Lemuel.
7 E aconteceu que eu, Néfi, tomei como esposa uma das filhas de Ismael; e também, meus irmãos tomaram das filhas de Ismael para esposa; e também, Zoram tomou a filha mais velha de Ismael como esposa.
8 E assim meu pai havia cumprido todos os mandamentos do Senhor que lhe haviam sido dados.
9 E também eu, Néfi, fui extremamente abençoado pelo Senhor.
10 E aconteceu que a voz do Senhor falou a meu pai, de noite, e ordenou-lhe que no dia seguinte fizesse sua viagem para o deserto.
11 E aconteceu que quando meu pai se levantou pela manhã e foi até a porta da tenda, para seu grande espanto, ele viu no chão uma bola redonda, de fabricação curiosa; e era de latão fino.
12 E dentro da bola havia dois fusos; e aquele apontou o caminho para onde deveríamos ir para o deserto.
13 E aconteceu que reunimos todas as coisas que devíamos levar para o deserto e todo o restante de nossas provisões que o Senhor nos dera;
14 E nós tomamos sementes de toda espécie, para que pudéssemos levar para o deserto.
15 E aconteceu que pegamos nossas tendas e partimos para o deserto, atravessando o rio Lamã.
16 E aconteceu que viajamos pelo espaço de quatro dias, quase na direção sul, sudeste, e armamos nossas tendas novamente; e chamamos o nome do lugar de Shazer.
17 E aconteceu que pegamos nossos arcos e nossas flechas e saímos para o deserto, para matar comida para nossas famílias; e depois de matarmos comida para nossas famílias, voltamos novamente para nossas famílias no deserto, para o lugar de Shazer.

18 E saímos novamente, no deserto, seguindo a mesma direção, mantendo-nos nas partes mais férteis do deserto, que estavam nas fronteiras perto do Mar Vermelho.
19 E aconteceu que viajamos pelo espaço de muitos dias, matando comida pelo caminho, com nossos arcos e nossas flechas e nossas pedras e nossas fundas;
20 E seguimos as direções da bola, que nos levou às partes mais férteis do deserto.
21 E depois de viajarmos por um espaço de muitos dias, armamos nossas tendas por um espaço de tempo, para que pudéssemos descansar novamente e obter alimento para nossa família.
22 E aconteceu que quando eu, Néfi, saí para matar comida, eis que quebrei meu arco, que era feito de aço fino; e depois que quebrei meu arco, eis que meus irmãos ficaram zangados comigo por causa da perda de meu arco, pois não obtivemos comida.
23 E aconteceu que voltamos sem comida para nossas famílias.
24 E, estando muito fatigados por causa da viagem, sofriam muito por falta de comida.
25 E aconteceu que Lamã e Lemuel e os filhos de Ismael começaram a murmurar muito por causa de seus sofrimentos e aflições no deserto; e também meu pai começou a murmurar contra o Senhor seu Deus; sim, e todos ficaram muito tristes, a ponto de murmurarem contra o Senhor.
26 Ora, aconteceu que eu, Néfi, tendo sido afligido com meus irmãos por causa da perda de meu arco; e tendo seus arcos perdido a mola, começou a ser extremamente difícil, sim, de modo que não conseguíamos obter comida.
27 E aconteceu que eu, Néfi, falei muito a meus irmãos, porque eles haviam endurecido o coração novamente, chegando a queixar-se do Senhor seu Deus.
28 E aconteceu que eu, Néfi, fiz de madeira um arco e de uma vara reta uma flecha; portanto, armei-me com arco e flecha, com funda e com pedras.
29 E eu disse a meu pai: Para onde irei para obter mantimento?
30 E aconteceu que ele consultou o Senhor, porque eles se humilharam por causa de minha palavra; pois eu lhes disse muitas coisas na energia de minha alma.
31 E aconteceu que a voz do Senhor veio a meu pai; e ele foi verdadeiramente castigado por causa de sua murmuração contra o Senhor, de modo que foi levado às profundezas da tristeza.
32 E aconteceu que a voz do Senhor lhe disse: Olha para a bola e vê as coisas que estão escritas!
33 E aconteceu que quando meu pai viu as coisas que estavam escritas na bola, ele temeu e tremeu muito; e também meus irmãos, e os filhos de Ismael, e nossas mulheres.
34 E aconteceu que eu, Néfi, vi os ponteiros que estavam na bola, que trabalharam de acordo com a fé e diligência e atenção que lhes demos.
35 E também estava escrito neles um novo escrito, que era fácil de ler, o que nos deu entendimento sobre os caminhos do Senhor; e foi escrito e mudado de tempos em tempos, de acordo com a fé e diligência que lhe demos.
36 E assim vemos que, por pequenos meios, o Senhor pode realizar grandes coisas.
37 E aconteceu que eu, Néfi, subi ao cume da montanha, de acordo com as instruções dadas na bola.
38 E aconteceu que matei animais selvagens, de modo que consegui alimento para nossas famílias.
39 E aconteceu que voltei para nossas tendas, levando os animais que havia matado;
40 E agora, quando eles viram que eu havia obtido comida, quão grande foi a sua alegria.
41 E aconteceu que eles se humilharam perante o Senhor e lhe renderam graças.
42 E aconteceu que retomamos nossa jornada, percorrendo quase o mesmo curso do início;
43 E depois de termos viajado pelo espaço de muitos dias, armamos nossas tendas novamente, para que pudéssemos ficar por um espaço de tempo.
44 E aconteceu que Ismael morreu e foi sepultado no lugar chamado Naom.
45 E aconteceu que as filhas de Ismael choraram muito por causa da perda de seu pai e por causa de suas aflições no deserto;
46 E murmuravam contra meu pai, porque os havia tirado da terra de Jerusalém, dizendo: Nosso pai morreu; sim, e vagamos muito pelo deserto e sofremos muita aflição, fome, sede e fadiga; e depois de todos esses sofrimentos, devemos perecer no deserto com fome.
47 E assim murmuraram contra meu pai e também contra mim; e eles desejavam retornar novamente a Jerusalém.
48 E Lamã disse a Lemuel e também aos filhos de Ismael: Eis que matemos nosso pai e também nosso irmão Néfi, que se encarregou de ser nosso governante e nosso professor, que são seus irmãos mais velhos.
49 Agora, ele diz que o Senhor falou com ele, e também que os anjos o serviram!
50 Mas eis que sabemos que ele mente para nós; e ele nos diz essas coisas, e ele opera muitas coisas por suas astúcias, para enganar nossos olhos, pensando, talvez, que ele possa nos levar para algum deserto estranho;
51 E depois que ele nos levou, ele pensou em se tornar um rei e um governante sobre nós, para que ele possa fazer conosco de acordo com sua vontade e prazer.
52 E dessa maneira meu irmão Lamã instigou seus corações à ira.
53 E aconteceu que o Senhor estava conosco; sim, a voz do Senhor veio e falou-lhes muitas palavras e castigou-os excessivamente;
54 E depois de serem castigados pela voz do Senhor, eles desviaram sua ira e se arrependeram de seus pecados, de modo que o Senhor nos abençoou novamente com comida, para que não perecêssemos.
55 E aconteceu que retomamos nossa jornada pelo deserto; e nós viajamos quase para o leste, daquele tempo em diante.
56 E viajamos e passamos por muitas aflições no deserto; e nossas mulheres tiveram filhos no deserto.
57 E tão grandes foram as bênçãos do Senhor sobre nós, que enquanto vivíamos de carne crua no deserto, nossas mulheres deram bastante mamada para seus filhos e eram fortes, sim, como os homens; e começaram a levar suas jornadas sem murmurações.
58 E assim vemos que os mandamentos de Deus devem ser cumpridos.
59 E se for verdade que os filhos dos homens guardam os mandamentos de Deus, ele os nutre e os fortalece e provê meios pelos quais possam cumprir o que lhes ordenou;
60 Portanto, ele providenciou meios para nós enquanto peregrinamos no deserto.
61 E nós peregrinamos pelo espaço de muitos anos, sim, até mesmo oito anos no deserto.
62 E chegamos à terra que chamamos de Abundância, por causa de seus muitos frutos, e também mel silvestre;
63 E todas estas coisas foram preparadas pelo Senhor, para que não perecêssemos.
64 E vimos o mar, que chamamos de Irrantum, que sendo interpretado é, muitas águas.
65 E aconteceu que armamos nossas tendas à beira-mar;
66 E apesar de termos sofrido muitas aflições e muitas dificuldades, sim, tanto que não podemos escrevê-las todas, regozijamo-nos muito quando chegamos à praia;
67 E chamamos o lugar de Abundância, por causa de seus muitos frutos.
68 E aconteceu que depois que eu, Néfi, estive na terra de Abundância
por muitos dias, veio a mim a voz do Senhor, dizendo: Levanta-te, e sobe ao monte.
69 E aconteceu que me levantei e subi ao monte, e clamei ao Senhor.
70 E aconteceu que o Senhor me falou, dizendo: Tu construirás um navio, da maneira que eu te mostrar, para que eu possa levar teu povo através destas águas.
71 E eu disse: Senhor, para onde irei, para achar minério para fundir, para
pode fazer ferramentas para construir o navio, da maneira que você me mostrou?
72 E aconteceu que o Senhor me disse aonde eu deveria ir buscar minério, para que eu pudesse fazer ferramentas.
73 E aconteceu que eu, Néfi, fiz foles para soprar o fogo, de peles de animais;
74 E depois de ter feito fole, para ter com que soprar o fogo, bati duas pedras uma na outra, para fazer fogo.
75 Porque o Senhor até então não havia permitido que fizéssemos muito fogo, enquanto caminhávamos pelo deserto;
76 Pois ele disse: Farei com que a tua comida se torne doce, para que não a cozinhes;
77 E serei também a tua luz no deserto;
78 E prepararei o caminho diante de vós, se guardardes meus mandamentos;
79 Portanto, se guardardes meus mandamentos, sereis conduzidos à terra prometida; e sabereis que por mim sois conduzidos.
80 Sim, e o Senhor disse também que, depois de haverdes chegado à terra prometida, sabereis que eu, o Senhor, sou Deus;
81 E que eu, o Senhor, vos livrei da destruição;
82 Sim, que vos tirei da terra de Jerusalém.
83 Portanto, eu, Néfi, esforcei-me para guardar os mandamentos do Senhor e exortei meus irmãos à fidelidade e diligência.
84 E aconteceu que fiz ferramentas do minério que fundi da rocha.
85 E quando meus irmãos viram que eu estava para construir um navio, começaram a murmurar contra mim, dizendo:
86 Nosso irmão é um tolo, pois pensa que pode construir um navio;
87 Sim, e ele também pensa que pode cruzar essas grandes águas.
88 E assim meus irmãos reclamaram de mim e desejaram que não trabalhassem, pois não acreditavam que eu pudesse construir um navio;
89 Nem eles acreditariam que eu fui instruído pelo Senhor.
90 E então aconteceu que eu, Néfi, fiquei extremamente triste por causa da dureza de seu coração;
91 E agora, quando viram que comecei a ficar triste, alegraram-se em seus corações, de modo que se regozijaram por mim, dizendo:
92 Sabíamos que não podíeis construir um navio, pois sabíamos que vos faltava juízo; portanto, tu não podes realizar uma obra tão grande;
93 E tu és como nosso pai, levado pelas tolas imaginações de seu coração;
94 Sim, ele nos tirou da terra de Jerusalém; e temos vagado no deserto por muitos anos;
95 E nossas mulheres têm labutado, estando grávidas; e eles deram à luz filhos no deserto e sofreram todas as coisas, exceto a morte;
96 E teria sido melhor que tivessem morrido, antes de saírem de Jerusalém, do que terem sofrido estas aflições.
97 Eis que sofremos tantos anos no deserto, tempo em que poderíamos ter desfrutado de nossas posses e da terra de nossa herança; sim, e poderíamos ter sido felizes;
98 E sabemos que o povo que estava na terra de Jerusalém era um povo justo;
99 Porque guardavam os estatutos e os juízos do Senhor, e todos os seus mandamentos segundo a lei de Moisés; portanto, sabemos que eles são um povo justo;
100 E nosso pai os julgou e nos levou para longe, porque quisemos dar ouvidos à sua palavra;
101 Sim, e nosso irmão é como ele.
102 E após este tipo de linguagem meus irmãos murmuraram e reclamaram contra nós.
103 E aconteceu que eu, Néfi, falei-lhes, dizendo: Acreditais que nossos pais, que eram filhos de Israel, teriam sido tirados das mãos dos egípcios, se não tivessem ouvido as palavras do Senhor?
104 Sim, vocês supõem que eles teriam sido libertados do cativeiro, se o Senhor não tivesse ordenado a Moisés que ele os tirasse do cativeiro?
105 Agora vocês sabem que os filhos de Israel estavam em escravidão; e vocês sabem que eles estavam carregados de tarefas que eram difíceis de suportar;
106 Portanto, sabeis que deve ser uma coisa boa para eles, que sejam libertados da escravidão.
107 Agora vocês sabem que Moisés foi ordenado pelo Senhor para fazer aquela grande obra;
108 E vós sabeis que por sua palavra as águas do Mar Vermelho foram divididas aqui e ali, e passaram por terra seca.
109 Mas vós sabeis que se afogaram no Mar Vermelho os egípcios, que eram os exércitos de Faraó;
110 E vós também sabeis que eles foram alimentados com maná no deserto;
111 Sim, e também sabeis que Moisés, por sua palavra, segundo o poder de Deus que havia nele, feriu a rocha, e saiu água para que os filhos de Israel matassem sua sede;
112 E não obstante terem sido guiados, o Senhor seu Deus, seu Redentor, indo adiante deles, guiando-os durante o dia e iluminando-os à noite, e fazendo por eles todas as coisas que eram convenientes para o homem receber, eles endureceram o coração, e cegaram suas mentes, e injuriaram contra Moisés e contra o Deus vivo e verdadeiro.
113 E aconteceu que de acordo com sua palavra, ele os destruiu;
114 E de acordo com sua palavra, ele os liderou;
115 E de acordo com sua palavra, ele fez todas as coisas por eles;
116 E nada foi feito, a não ser por sua palavra.
117 E depois de terem atravessado o rio Jordão, ele os fortaleceu, para expulsar os filhos da terra, sim, para os espalhar para destruição.
118 E agora vocês supõem que os filhos desta terra, que estavam na terra da promessa, que foram expulsos por nossos pais, vocês supõem que eles eram justos? Eis que vos digo: Não.
119 Vocês supõem que nossos pais teriam sido mais escolhidos do que eles, se tivessem sido justos?
120 Digo-vos: Não;
121 Eis que o Senhor considera toda a carne em uma.
122 Aquele que é justo, é favorecido por Deus.
123 Mas eis que este povo havia rejeitado toda palavra de Deus e estava maduro em iniqüidade; e a plenitude da ira de Deus estava sobre eles;
124 E o Senhor amaldiçoou a terra contra eles e a abençoou a nossos pais; sim, ele a amaldiçoou contra eles para sua destruição;
125 E ele a abençoou a nossos pais, para que obtivessem poder sobre ela.
126 Eis que o Senhor criou a terra para que fosse habitada;
127 E ele criou seus filhos para que a possuíssem.
128 E ele levanta uma nação justa; e destrói as nações dos ímpios.
129 E ele leva os justos para terras preciosas, e os ímpios ele destrói, e amaldiçoa a terra para eles por causa deles.
130 Ele governa no alto dos céus, pois é o seu trono, e esta terra é o escabelo de seus pés.
131 E ele ama aqueles que querem que ele seja seu Deus.
132 Eis que ele amou nossos pais; e fez convênio com eles, sim, Abraão, Isaque e Jacó; e lembrou-se dos convênios que fizera;
133 Portanto, ele os tirou da terra do Egito e os endireitou no deserto com sua vara, pois endureceram seus corações, assim como vós; e o Senhor os corrigiu por causa da sua iniqüidade.
134 Ele enviou serpentes voadoras de fogo entre eles; e depois que eles foram mordidos, ele preparou um caminho para que eles fossem curados;
135 E o trabalho que eles tinham que realizar era olhar! e por causa da simplicidade do caminho, ou da facilidade dele, muitos morreram.
136 E eles endureceram seus corações de tempos em tempos, e injuriaram contra Moisés, e também contra Deus;
137 Não obstante, vós sabeis que eles foram conduzidos por seu incomparável poder à terra da promessa.
138 E agora, depois de todas essas coisas, chegou o tempo em que eles se tornaram iníquos, sim, quase até a maturidade;
139 E eu não sei, mas eles estão neste dia para serem destruídos;
140 Pois eu sei que certamente chegará o dia em que eles serão destruídos, exceto alguns poucos que serão levados para o cativeiro;
141 Portanto, o Senhor ordenou a meu pai que partisse para o deserto;
142 E os judeus também procuravam tirar-lhe a vida; sim, e vós também procurastes tirar-lhe a vida;
143 Portanto, sois assassinos em vossos corações, e sois semelhantes a eles.
144 Vós sois rápidos para praticar a iniqüidade, mas vagarosos para se lembrar do Senhor vosso Deus.
145 Vistes um anjo, e ele vos falou; sim, vocês ouviram sua voz de tempos em tempos;
146 E ele vos falou em voz mansa e delicada, mas vós não podeis sentir suas palavras;
147 Portanto, ele vos falou como a voz do trovão, que fez a terra tremer como se fosse se dividir.
148 E também sabeis que pelo poder de sua palavra onipotente ele pode fazer com que a terra passe;
149 Sim, e vocês sabem que por sua palavra ele pode fazer com que os lugares ásperos sejam alisados e os lugares lisos sejam quebrados.
150 Oh, então, por que vocês podem ser tão duros em seus corações?
151 Eis que a minha alma está dilacerada de angústia por causa de vós, e o meu coração está aflito; temo que sejais rejeitados para sempre.
152 Eis que estou cheio do Espírito de Deus, de modo que minha estrutura não tem força.
153 E então aconteceu que quando eu disse estas palavras, eles ficaram zangados comigo e desejaram me jogar nas profundezas do mar;
154 E ao saírem para impor as mãos sobre mim, falei-lhes, dizendo: Em nome do Deus Todo-Poderoso, ordeno-vos que não me toqueis, porque estou cheio do poder de Deus, até o consumindo minha carne;
155 E todo aquele que puser as mãos sobre mim, murchará como uma cana seca; e ele será como nada diante do poder de Deus, porque Deus o ferirá.
156 E aconteceu que eu, Néfi, disse-lhes que não murmurassem mais contra seu pai, nem me negassem seu trabalho, pois Deus havia ordenado que eu construísse um navio.
157 E eu disse-lhes: Se Deus me tivesse ordenado fazer todas as coisas, eu poderia fazê-las.
158 Se ele me ordenar que eu diga a esta água: Sê terra, deve ser terra; e se eu dissesse, estaria feito.
159 E agora, se o Senhor tem tão grande poder, e tem feito tantos milagres entre os filhos dos homens, como é que ele não pode me instruir para que eu construa um navio?
160 E aconteceu que eu, Néfi, disse muitas coisas a meus irmãos, de modo que eles ficaram confusos e não puderam contender comigo;
161 Nem ousaram colocar suas mãos sobre mim, nem me tocar com seus dedos, mesmo pelo espaço de muitos dias.
162 Agora eles não ousaram fazer isso, para que não murchassem diante de mim, tão poderoso era o Espírito de Deus; e assim havia trabalhado sobre eles.
163 E aconteceu que o Senhor me disse: Estende novamente a mão para teus irmãos e eles não murcharão diante de ti, mas eu os chocarei, disse o Senhor; e isso farei para que saibam que eu sou o Senhor seu Deus.
164 E aconteceu que estendi minha mão para meus irmãos e eles não murcharam diante de mim; mas o Senhor os abalou, conforme a palavra que havia falado.
165 E agora eles disseram: Sabemos com certeza que o Senhor está contigo, pois sabemos que é o poder do Senhor que nos abalou.
166 E eles prostraram-se diante de mim e estavam prestes a me adorar, mas eu não os permiti, dizendo: Eu sou teu irmão, sim, teu irmão mais novo;
167 Portanto, adora o Senhor teu Deus; e honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dará.
168 E aconteceu que eles adoraram o Senhor e saíram comigo; e trabalhávamos madeiras de curioso artesanato.
169 E o Senhor me mostrou de tempos em tempos de que maneira eu deveria trabalhar as madeiras do navio.
170 Ora, eu, Néfi, não trabalhei a madeira segundo a maneira que os homens aprenderam, nem construí o navio segundo a maneira dos homens;
171 Mas eu o construí da maneira que o Senhor me mostrou; portanto, não foi à maneira dos homens.
172 E eu, Néfi, entrei no monte e orei muitas vezes ao Senhor; portanto, o Senhor me mostrou grandes coisas.
173 E aconteceu que depois que terminei o navio de acordo com a palavra do Senhor, meus irmãos viram que era bom e que sua obra era excelente;
174 Portanto, eles se humilharam novamente diante do Senhor.
175 E aconteceu que a voz do Senhor veio a meu pai, para que nos levássemos e descêssemos ao navio.
176 E aconteceu que no dia seguinte, depois de termos preparado todas as coisas, muitos frutos e carne do deserto e mel em abundância e provisões, de acordo com o que o Senhor nos havia ordenado,
177 Nós descemos ao navio com todo nosso carregamento e nossas sementes, e qualquer coisa que trouxemos conosco, cada um de acordo com sua idade;
178 Portanto, todos nós descemos ao navio, com nossas esposas e nossos filhos.
179 E agora, meu pai gerou dois filhos no deserto; o mais velho se chamava Jacó, e o mais novo, José.
180 E aconteceu depois que todos nós descemos ao navio e levamos conosco nossas provisões e coisas que nos haviam sido ordenadas,
181 Lançamo-nos ao mar, e fomos impelidos pelo vento, em direção à terra prometida;
182 E depois de termos sido levados pelo vento pelo espaço de muitos dias, eis que meus irmãos e os filhos de Ismael, e também suas esposas, começaram a se alegrar, de modo que começaram a dançar e a cantar , e falar com muita grosseria,
183 Sim, mesmo que eles esqueceram por qual poder eles foram trazidos para lá;
184 Sim, eles foram exaltados com extrema grosseria.
185 E eu, Néfi, comecei a temer muito que o Senhor não se zangasse conosco e nos ferisse por causa de nossa iniqüidade, para que fôssemos tragados pelas profundezas do mar;
186 Portanto, eu, Néfi, comecei a falar com eles com muita sobriedade;
187 Mas eis que eles se zangaram comigo, dizendo: Não queremos que nosso irmão mais novo seja um governante sobre nós.
188 E aconteceu que Lamã e Lemuel me pegaram e me amarraram com cordas e me trataram com muita dureza;
189 Não obstante, o Senhor o permitiu, para que pudesse manifestar seu poder, para o cumprimento de sua palavra que havia falado a respeito dos iníquos.
190 E aconteceu que depois que eles me amarraram, a ponto de eu não poder me mover, a bússola que havia sido preparada pelo Senhor cessou de funcionar;
191 Portanto, eles não sabiam para onde deveriam dirigir o navio, de modo que se levantou uma grande tempestade, sim, uma grande e terrível tempestade;
192 E fomos levados de volta às águas pelo espaço de três dias;
193 E eles começaram a ficar muito amedrontados, para que não se afogassem no mar;
194 No entanto, eles não me soltaram.
195 E no quarto dia em que fomos rechaçados, a tempestade começou a ser extremamente forte.
196 E aconteceu que estávamos prestes a ser engolidos pelas profundezas do mar.
197 E depois que voltamos às águas pelo espaço de quatro dias, meus irmãos começaram a ver que os julgamentos de Deus estavam sobre eles e que deveriam perecer, a menos que se arrependessem de suas iniqüidades;
198 Portanto, eles vieram a mim e soltaram as ataduras que estavam em meus pulsos, e eis que eles tinham inchado muito; e também meus tornozelos estavam muito inchados, e grande era a dor disso.
199 Não obstante, olhei para o meu Deus, e o louvei todo o dia; e não murmurei contra o Senhor por causa de minhas aflições.
200 Ora, meu pai Leí havia dito muitas coisas a eles e também aos filhos de Ismael; mas eis que eles fizeram muitas ameaças contra qualquer um que falasse por mim;
201 E meus pais sendo atingidos em anos, e tendo sofrido muito sofrimento por causa de seus filhos, eles foram derrubados, sim, até mesmo em seus leitos de doença.
202 Por causa de sua tristeza, e muita tristeza, e da iniqüidade de meus irmãos, eles foram trazidos até mesmo para serem levados para fora deste tempo, ao encontro de seu Deus;
203 Sim, seus cabelos grisalhos estavam prestes a ser derrubados no pó;
204 Sim, mesmo eles estavam perto de serem lançados, com tristeza, em uma sepultura de água.
205 E Jacó e José também, sendo jovens, tendo necessidade de muito alimento, ficaram tristes por causa das aflições de sua mãe;
206 E também minha esposa, com suas lágrimas e orações, e também meus filhos, não abrandaram o coração de meus irmãos, para que eles me soltassem;
207 E não havia nada, a não ser o poder de Deus, que os ameaçava de destruição, que pudesse abrandar seus corações;
208 Portanto, quando viram que iam ser tragados pelas profundezas do mar, arrependeram-se do que haviam feito, de modo que me soltaram.
209 E aconteceu que depois que eles me soltaram, eis que eu peguei a bússola, e ela funcionou onde eu desejava.
210 E aconteceu que orei ao Senhor; e depois de eu ter orado, os ventos cessaram, e a tempestade cessou, e houve uma grande calmaria.
211 E aconteceu que eu, Néfi, guiei o navio, e navegamos novamente em direção à terra prometida.
212 E aconteceu que depois de termos navegado pelo espaço de muitos dias, chegamos à terra prometida;
213 E saímos pela terra e armamos nossas tendas; e nós a chamamos de terra prometida.
214 E aconteceu que começamos a lavrar a terra e começamos a plantar sementes, sim, colocamos todas as nossas sementes na terra, que havíamos trazido da terra de Jerusalém.
215 E aconteceu que eles cresceram muito; portanto, fomos abençoados em abundância.
216 E aconteceu que descobrimos na terra da promessa, enquanto viajávamos pelo deserto, que havia animais nas florestas de toda espécie, tanto a vaca como o boi, e o jumento, e o cavalo, e o bode, e o bode selvagem, e toda espécie de animais selvagens, que eram para uso dos homens.
217 E encontramos todo tipo de minério, tanto de ouro, como de prata, e de cobre.
218 E aconteceu que o Senhor me ordenou, portanto fiz placas de minério para gravar nelas o registro de meu povo.
219 E nas placas que fiz, gravei o registro de meu pai e também nossas jornadas no deserto e as profecias de meu pai; e também muitas de minhas próprias profecias gravei neles.
220 E eu não sabia, no momento em que as fiz, que o Senhor me ordenou que fizesse essas placas;
221 Portanto, o registro de meu pai e a genealogia de seus antepassados e a maior parte de todos os nossos procedimentos no deserto estão gravados nessas placas de que falei;
222 Portanto, as coisas que aconteceram antes de eu fazer estas placas são, na verdade, mais particularmente mencionadas nas primeiras placas.
223 E depois de ter feito essas placas por meio do mandamento, eu, Néfi, recebi um mandamento de que o ministério e as profecias, as partes mais claras e preciosas delas fossem escritas nessas placas;
224 E que as coisas que foram escritas fossem guardadas para instrução de meu povo, que deveria possuir a terra, e também para outros propósitos sábios, cujos propósitos são conhecidos pelo Senhor;
225 Portanto eu, Néfi, fiz um registro nas outras placas, que dá um relato, ou que dá um relato maior das guerras, contendas e destruições de meu povo.
226 E eu fiz isso e ordenei a meu povo o que eles deveriam fazer, depois que eu me fosse, e que essas placas fossem passadas de uma geração para outra, ou de um profeta para outro, até novos mandamentos do Senhor.
227 E um relato de como fiz estas placas será dado a seguir;
228 E então, eis que procedo de acordo com o que falei; e faço isso, para que as coisas mais sagradas sejam mantidas para o conhecimento de meu povo.
229 Não obstante, não escrevo nada em placas, a não ser o que penso ser sagrado.
230 E agora, se eu erro, mesmo eles erraram antigamente.
231 Não que eu me desculpasse por causa de outros homens, mas por causa da fraqueza que há em mim, segundo a carne, eu me desculparia.
232 Pois as coisas que alguns consideram de grande valor, tanto para o corpo como para a alma, outros desprezam e pisam sob os pés.
233 Sim, o próprio Deus de Israel, os homens pisam sob seus pés;
234 Eu digo, pise sob seus pés; mas eu falaria em outras palavras:
235 Eles o desprezam, e não dão ouvidos à voz dos seus conselhos;
236 E eis que ele vem de acordo com as palavras do anjo, em seiscentos anos desde que meu pai deixou Jerusalém.
237 E o mundo, por causa de sua iniqüidade, o julgará como uma coisa de nada; portanto, eles o açoitam, e ele sofre; e eles o ferem, e ele sofre.
238 Sim, eles cuspiram nele, e ele o suporta, por causa de sua benignidade e sua longanimidade para com os filhos dos homens.
239 E o Deus de nossos pais, que [nossos pais] foram tirados do Egito, da servidão, e também foram por ele preservados no deserto;
240 Sim, o Deus de Abraão e de Isaque e o Deus de Jacó, conforme as palavras do anjo, se entrega como homem nas mãos de homens iníquos, para ser elevado conforme as palavras de Zenoque,
241 E ser crucificado, segundo as palavras de Neum,
242 E para ser sepultado em um sepulcro, de acordo com as palavras de Zenos, que ele falou sobre os três dias de escuridão,
243 Que deve ser um sinal de sua morte para aqueles que habitam as ilhas do mar;
244 Mais especialmente dado aos que são da casa de Israel.
245 Pois assim falou o profeta: O Senhor Deus certamente visitará toda a casa de Israel naquele dia;
246 Alguns com sua voz, por causa de sua justiça, para sua grande alegria e salvação;
247 E outros com os trovões e os relâmpagos do seu poder, pela tempestade, pelo fogo, e pela fumaça, e pelo vapor das trevas, e pela abertura da terra, e pelos montes que serão carregados;
248 E todas estas coisas certamente devem vir, diz o profeta Zenos.
249 E as rochas da terra devem se partir;
250 E por causa dos gemidos da terra, muitos dos reis das ilhas do mar serão forjados pelo Espírito de Deus, para exclamar: O Deus da natureza sofre.
251 E quanto aos que estão em Jerusalém, diz o profeta, serão açoitados por todos os povos, porque crucificam o Deus de Israel, e desviam seus corações, rejeitando sinais e maravilhas, e poder e glória do Deus de Israel ;
252 E porque eles desviaram seus corações, diz o profeta, e desprezaram o Santo de Israel, eles vagarão na carne, e perecerão, e se tornarão um assobio e um provérbio, e serão odiados entre todas as nações;
253 Não obstante, quando aquele dia chegar, diz o profeta, em que eles não mais desviarem seus corações contra o Santo de Israel, então ele se lembrará dos convênios que fez com seus pais;
254 Sim, então ele se lembrará das ilhas do mar;
255 Sim, e todo o povo que é da casa de Israel, reunirei, diz o Senhor, de acordo com as palavras do profeta Zenos, dos quatro cantos da terra;
256 Sim, e toda a terra verá a salvação do Senhor, diz o profeta;
257 Toda nação, tribo, língua e povo, será abençoada.
258 E eu, Néfi, escrevi estas coisas a meu povo, para talvez persuadi-los de que se lembrariam do Senhor seu Redentor;
259 Portanto, falo a toda a casa de Israel, se é que devem obter estas coisas.
260 Pois eis que tenho obras no espírito que me cansam, de modo que todas as minhas juntas estão fracas para os que estão em Jerusalém;
261 Pois se o Senhor não tivesse sido misericordioso, para me mostrar a respeito deles, assim como ele teve profetas da antiguidade, eu também teria perecido;
262 E ele certamente mostrou aos profetas da antiguidade, todas as coisas concernentes a eles;
263 E também ele mostrou a muitos a nosso respeito;
264 Portanto, é necessário que saibamos a respeito deles, pois estão escritos nas placas de latão.

 

1 Néfi, Capítulo 6
1 Ora, aconteceu que eu, Néfi, ensinei essas coisas a meus irmãos.
2 E aconteceu que li para eles muitas coisas que foram gravadas nas placas de latão, para que soubessem a respeito dos feitos do Senhor em outras terras, entre os povos antigos.
3 E li-lhes muitas coisas que estavam escritas no livro de Moisés;
4 Mas, para persuadi-los mais plenamente a crer no Senhor, seu Redentor, li-lhes o que foi escrito pelo profeta Isaías;
5 Pois apliquei todas as escrituras a nós para que fosse para nosso proveito e aprendizado.
6 Por isso lhes falei, dizendo: Ouvi as palavras do profeta, vós que sois um remanescente da casa de Israel, um ramo que foi quebrado; ouvi as palavras do profeta, que foram escritas a toda a casa de Israel, e assemelhai-as a vós mesmos, para que tenhais esperança, assim como vossos irmãos, dos quais fostes quebrados.
7 Pois assim escreveu o profeta:
8 Escutai e ouvi isto, ó casa de Jacó, que vos chamais pelo nome de Israel, e saístes das águas de Judá, que jurais pelo nome do Senhor, e fazeis menção do Deus de Israel; contudo, não juram em verdade nem em justiça.
9 No entanto, eles se chamam da cidade santa, mas não se apoiam no Deus de Israel, que é o Senhor dos exércitos; sim, o Senhor dos Exércitos é o seu nome.
10 Eis que eu anunciei as primeiras coisas desde o princípio; e eles saíram da minha boca, e eu os mostrei; Eu os mostrei de repente.
11 E fiz isso porque sabia que és obstinado, e que teu pescoço era um tendão de ferro, e tua fronte de bronze;
12 E eu, desde o princípio, te anunciei; antes que acontecesse, eu te mostrei; e eu os mostrei para que não dissesses: Meu ídolo os fez, e minha imagem de escultura, e minha imagem de fundição os ordenou.
13 Tu tens visto e ouvido tudo isso; e não os declarareis? E que eu te mostrei coisas novas desde agora, até coisas ocultas, e tu não as conheceste.
14 Eles são criados agora, e não desde o princípio; antes mesmo do dia em que não as ouviste, elas te foram anunciadas, para que não dissesses: Eis que eu as conhecia.
15 Sim, e tu não ouviste; sim, tu não sabias; sim, desde então teu ouvido não foi aberto; porque eu sabia que você agiria perfidamente, e foi chamado de transgressor desde o ventre.
16 Todavia, por amor do meu nome adiarei a minha ira, e por causa do meu louvor me absterei de ti, para não te exterminar.
17 Pois eis que eu te refinava; Eu te escolhi na fornalha da aflição.
18 Por amor de mim, sim, por amor de mim, farei isso; pois não permitirei que meu nome seja poluído e não darei minha glória a outro.
19 Ouvi-me, ó Jacó e Israel, meu chamado; pois eu sou ele; Eu sou o primeiro e também sou o último.
20 Também a minha mão fundou a terra, e a minha destra estendeu os céus; Eu os chamo, e eles se levantam juntos.
21 Todos vós, ajuntai-vos e ouvi; quem dentre eles lhes declarou estas coisas? O Senhor o amou; sim, e ele cumprirá a palavra que declarou por eles; e fará a sua vontade em Babilônia, e seu braço virá sobre os caldeus.
22 Também, diz o Senhor: Eu, o Senhor, sim, falei; sim, eu o chamei, para declarar, eu o trouxe, e ele fará próspero o seu caminho.
23 Aproximai-vos de mim; Não falei em segredo desde o princípio; desde o momento em que foi declarado, eu falei; e o Senhor Deus, e o seu Espírito me enviou.
24 E assim diz o Senhor, teu Redentor, o Santo de Israel: Eu o enviei, o Senhor teu Deus, que te ensina o proveito, que te guia pelo caminho que deves seguir, o fez.
25 Oh, se tivesses ouvido o meu mandamento! então a tua paz foi como um rio, e a tua justiça como as ondas do mar;
26 A tua semente também foi como a areia; a descendência das tuas entranhas como o seu cascalho; o seu nome não deveria ter sido cortado nem destruído diante de mim.
27 Saii de Babilônia, fugi dos caldeus, com voz de cântico declarai, dizei isto, pronunciei até os confins da terra; dizei: O Senhor resgatou seu servo Jacó.
28 E não tiveram sede; ele os guiou pelos desertos; ele fez com que as águas fluíssem da rocha para eles; ele partiu também a rocha, e as águas jorraram.
29 E apesar de ter feito tudo isso, e ainda maior, não há paz, diz o Senhor, para os ímpios.
30 E outra vez: Escutai, ó casa de Israel, todos vós que estais quebrados e expulsos por causa da maldade dos pastores do meu povo; sim, todos vós que estais quebrados e dispersos, que sois do meu povo, ó casa de
Israel.
31 Escutem-me, ó ilhas; e escutai, ó povo, de longe; o Senhor me chamou desde o ventre; das entranhas de minha mãe fez menção do meu nome.
32 E ele fez a minha boca como uma espada afiada; à sombra da sua mão me escondeu, e fez de mim uma flecha polida; na sua aljava me escondeu,
33 E me disse: Tu és meu servo, ó Israel, em quem serei glorificado.
34 Então eu disse: Trabalhei em vão, gastei minhas forças em vão e em vão; certamente, meu julgamento está com o Senhor, e minha obra com meu Deus.
35 E agora, diz o Senhor, que me formou desde o ventre para ser seu servo, para trazer Jacó novamente a ele: Ainda que Israel não seja reunido, ainda serei glorioso aos olhos do Senhor, e meu Deus será seja minha força.
36 E ele disse: Coisa leve é que tu sejas meu servo para levantar
as tribos de Jacó, e para restaurar os preservados de Israel. Também te darei para luz dos gentios, para que sejas minha salvação até os confins da terra.
37 Assim diz o Senhor, o Redentor de Israel, seu Santo, àquele a quem os homens desprezam, àquele a quem as nações abominam, ao servo dos governantes, os reis verão e se levantarão, os príncipes também adorarão, por causa do Senhor que é fiel.
38 Assim diz o Senhor: No tempo aceitável te ouvi, ó ilhas do mar, e no dia da salvação te ajudei; e te guardarei, e te darei meu servo por aliança do povo, estabelecer a terra, fazer herdar as heranças desoladas;
39 Para que digas aos presos: Saiam; aos que jazem nas trevas, mostrai-vos. Eles pastarão nos caminhos, e seus pastos estarão em todos os lugares altos.
40 Não terão fome nem sede, nem o calor nem o sol os ferirá; porque aquele que se compadece deles os guiará, mesmo junto às fontes de água os guiará.
41 E farei de todos os meus montes um caminho, e os meus caminhos serão exaltados.
42 E então, ó casa de Israel, eis que estes virão de longe; e eis, estes do norte e do oeste; e estes da terra de Sinim.
43 Cantem, ó céus; e alegra-te, ó terra; pois os pés dos que estão no oriente serão firmados; e irrompe em cânticos, ó montanhas; porque nunca mais serão feridos; porque o Senhor consolou o seu povo, e se compadecerá dos seus aflitos.
44 Mas eis que Sião disse: O Senhor me abandonou, e meu Senhor se esqueceu de mim; mas ele mostrará que não tem.
45 Pois pode a mulher esquecer-se do filho que ainda mama, para que não se compadeça do filho do seu ventre? Sim, eles podem esquecer, mas eu não me esquecerei de ti, ó casa de Israel.
46 Eis que te gravei nas palmas das minhas mãos; teus muros estão continuamente diante de mim.
47 Teus filhos se apressarão contra os teus destruidores; e os que te fizeram desolado sairão de ti.
48 Levanta os teus olhos ao redor, e eis que todos estes se ajuntam e virão a ti. E vivo eu, diz o Senhor, certamente te vestirás de todos eles, como de um ornamento, e os atarás como uma noiva.
49 Porque os teus desertos e os teus lugares desolados, e a terra da tua destruição, serão agora demasiado estreitos por causa dos habitantes; e os que te engoliram estarão longe.
50 Os filhos que tiveres, depois de perderes o primeiro, dirão novamente aos teus ouvidos: O lugar é muito reto para mim; dá-me lugar para que eu possa habitar.
51 Então dirás no teu coração: Quem me gerou estes, visto que perdi meus filhos, e estou desolado, cativo, e indo de um lado para o outro? e quem os criou? Eis que fiquei só; estes, onde eles estiveram?
52 Assim diz o Senhor Deus: Eis que levantarei a minha mão para os gentios e porei o meu estandarte para o povo; e eles trarão teus filhos em seus braços, e tuas filhas serão carregadas em seus ombros.
53 E reis serão os teus aleitamentos, e as suas rainhas as tuas amas; eles se prostrarão a ti com o rosto em terra, e lamberão o pó dos teus pés; e sabereis que eu sou o Senhor; porque não serão envergonhados os que esperam por mim.
54 Pois a presa será tirada dos poderosos, ou os legítimos cativos entregues?
55 Mas assim diz o Senhor: Até os cativos dos poderosos serão levados, e a presa dos terríveis será libertada; porque contenderei com o que contender contigo, e salvarei os teus filhos.
56 E com a sua própria carne alimentarei os que te oprimem; com o seu próprio sangue se embriagarão, como com vinho doce; e toda a carne saberá que eu, o Senhor, sou o teu Salvador e o teu Redentor, o poderoso de Jacó.

 

1 Néfi, Capítulo 7
1 E então aconteceu que depois que eu, Néfi, li essas coisas que estavam gravadas nas placas de latão, meus irmãos vieram a mim e me disseram: O que significam essas coisas que lestes?
2 Eis que eles devem ser entendidos de acordo com as coisas que são espirituais, que acontecerão segundo o espírito e não a carne?
3 E eu, Néfi, disse-lhes: Eis que foram manifestados ao profeta pela voz do Espírito:
4 Porque pelo Espírito são conhecidas todas as coisas aos profetas, que hão de vir sobre os filhos dos homens segundo a carne.
5 Portanto, as coisas que li são coisas que dizem respeito tanto a coisas temporais como espirituais:
6 Pois parece que a casa de Israel, mais cedo ou mais tarde, será espalhada por toda a face da terra, e também por todas as nações,
7 E eis que muitos já estão perdidos do conhecimento dos que estão em Jerusalém.
8 Sim, a maior parte de todas as tribos foi levada;
9 E eles estão espalhados de um lado para outro nas ilhas do mar;
10 E para onde eles estão, nenhum de nós sabe, a não ser que sabemos que eles foram levados.
11 E uma vez que eles foram levados, essas coisas foram profetizadas a respeito deles, e também a respeito de todos aqueles que daqui em diante serão dispersos e confundidos, por causa do Santo de Israel; pois contra ele endurecerão seus corações;
12 Portanto, eles serão dispersos entre todas as nações, e serão odiados por todos os homens.
13 No entanto, depois de terem sido amamentados pelos gentios, e o Senhor ter levantado a mão sobre os gentios e os estabeleceu como um estandarte, e seus filhos foram carregados em seus braços e suas filhas foram carregadas em seus ombros, eis que estas coisas de que se fala são temporais; pois assim são os convênios do Senhor com nossos pais;
14 E isso significa nós nos dias vindouros, e também todos os nossos irmãos que são da casa de Israel.
15 E significa que chegará o tempo em que, depois de toda a casa de Israel ter sido dispersa e confundida, o Senhor Deus levantará uma poderosa nação entre os gentios, sim, sobre a face desta terra;
16 E por eles nossa semente será espalhada.
17 E depois que nossa semente for espalhada, o Senhor Deus fará uma obra maravilhosa entre os gentios, que será de grande valor para nossa semente;
18 Portanto, é semelhante a eles serem alimentados pelos gentios e serem carregados em seus braços e ombros.
19 E será de valor também para os gentios:
20 E não somente aos gentios, mas a toda a casa de Israel, para dar a conhecer os convênios do Pai do céu a Abraão, dizendo: Em tua descendência serão benditas todas as tribos da terra.
21 E gostaria, meus irmãos, que saibais que todas as tribos da Terra não podem ser abençoadas a menos que ele desnude seu braço aos olhos das nações.
22 Portanto, o Senhor Deus passará a desnudar seu braço aos olhos de todas as nações, realizando seus convênios e seu evangelho aos que são da casa de Israel.
23 Portanto, ele os tirará do cativeiro, e serão reunidos nas terras de sua herança;
24 E serão tirados da obscuridade e das trevas;
25 E saberão que o Senhor é seu Salvador e seu Redentor, o poderoso de Israel.
26 E o sangue daquela grande e abominável igreja, que é a prostituta de toda a terra, se voltará sobre suas próprias cabeças;
27 Porque eles guerrearão entre si, e a espada de suas próprias mãos cairá sobre suas cabeças, e eles ficarão embriagados com seu próprio sangue.
28 E todas as nações que guerrearem contra ti, ó casa de Israel, se voltarão umas contra as outras.
29 E cairão na cova que cavaram para enlaçar o povo do Senhor.
30 E todos os que lutarem contra Sião serão destruídos.
31 E a grande prostituta, que perverteu os caminhos retos do Senhor; sim, aquela grande e abominável igreja cairá no pó, e grande será a sua queda.
32 Pois eis que, diz o profeta: O tempo vem em breve, em que Satanás não terá mais poder sobre o coração dos filhos dos homens:
33 Porque logo vem o dia em que todos os soberbos e os que praticam o mal serão como o restolho; e vem o dia em que devem ser queimados.
34 Porque logo vem o tempo em que a plenitude da ira de Deus será derramada sobre todos os filhos dos homens:
35 Pois ele não permitirá que o ímpio destrua o justo.
36 Portanto, ele preservará os justos pelo seu poder, mesmo que seja para que venha a plenitude de sua ira, e os justos sejam preservados, até a destruição de seus inimigos pelo fogo.
37 Portanto, o justo não precisa temer; porque assim diz o profeta: Eles serão salvos, ainda que seja como pelo fogo.
38 Eis meus irmãos, eu vos digo que estas coisas devem acontecer em breve; sim, até mesmo sangue, fogo e vapor de fumaça devem vir;
39 E deve necessariamente estar na face desta terra;
40 E acontece aos homens segundo a carne, se é que endurecem o coração contra o Santo de Israel:
41 Pois eis que os justos não perecerão;
42 Pois certamente chegará o tempo em que todos os que lutarem contra Sião serão exterminados.
43 E o Senhor certamente preparará um caminho para o seu povo, para o cumprimento das palavras de Moisés, que ele falou, dizendo:
44 Um profeta o Senhor teu Deus te levantará, como eu; a ele ouvireis em tudo o que vos disser.
45 E acontecerá que todos aqueles que não ouvirem aquele profeta serão extirpados do meio do povo.
46 E agora eu, Néfi, declaro-vos que este profeta de quem Moisés falou era o Santo de Israel;
47 Portanto, ele executará o julgamento com justiça;
48 E os justos não precisam temer, pois são aqueles que não serão confundidos.
49 Mas é o reino do diabo que será edificado entre os filhos dos homens, reino esse que é estabelecido entre os que estão na carne:
50 Porque em breve virá o tempo em que todas as igrejas que são edificadas para obter lucro, e todos aqueles que são edificados para dominar a carne, e aqueles que são edificados para se tornarem populares aos olhos do mundo, e aqueles que buscam as concupiscências da carne e as coisas do mundo, e praticam toda espécie de iniqüidade;
51 Sim, em suma, todos aqueles que pertencem ao reino do diabo são aqueles que precisam temer, estremecer e estremecer;
52 Eles são os que devem ser abatidos no pó;
53 Eles são os que devem ser consumidos como restolho:
54 E isto está de acordo com as palavras do profeta.
55 E o tempo vem em breve, que os justos devem ser conduzidos como bezerros do estábulo, e o Santo de Israel deve reinar em domínio, e poder, e poder, e grande glória.
56 E ele reúne seus filhos dos quatro cantos da terra;
57 E ele conta as suas ovelhas, e elas o conhecem;
58 E haverá um rebanho e um pastor:
59 E apascentará as suas ovelhas, e nele acharão pastagem.
60 E por causa da justiça de seu povo, Satanás não tem poder;
61 Portanto, ele não pode ser solto pelo espaço de muitos anos;
62 Pois ele não tem poder sobre o coração do povo, pois eles habitam em justiça, e o Santo de Israel reina.
63 E agora eis que eu, Néfi, vos digo que todas estas coisas devem acontecer segundo a carne.
64 Mas eis que todas as nações, tribos, línguas e povos habitarão em segurança no Santo de Israel, se é que se arrependerão.
65 E agora eu, Néfi, termino; pois ainda não ousei falar mais sobre essas coisas.
66 Portanto, meus irmãos, gostaria que considerássemos que as coisas que foram escritas nas placas de latão são verdadeiras;
67 E eles testificam que um homem deve ser obediente aos mandamentos de Deus.
68 Portanto, não deveis supor que eu e meu pai somos os únicos que testemunhamos e também os ensinamos.
69 Portanto, se fordes obedientes aos mandamentos e perseverardes até o fim, sereis salvos no último dia.
70 E assim é. Um homem.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

scripture

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.