Deuteronômio

CAPÍTULO 1

Discurso de Moisés.

1 Estas são as palavras que Moisés falou a todo o Israel deste lado do Jordão, no deserto, na planície defronte do mar Vermelho, entre Parã, Tofel, Labão, Hazerote e Dizaab.

2 (Há onze dias de viagem de Horebe pelo caminho do monte Seir até Cades-Barnéia.)

3 E aconteceu que no quadragésimo ano, no undécimo mês, no primeiro dia do mês, Moisés falou aos filhos de Israel, conforme tudo o que o Senhor lhes ordenara;

4 Depois de ter matado a Siom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom, e a Ogue, rei de Basã, que habitava em Astarot, em Edrei;

5 Deste lado do Jordão, na terra de Moabe, começou Moisés a declarar esta lei, dizendo:

6 Falou-nos o Senhor nosso Deus em Horebe, dizendo: Já estais bastante neste monte;

7 Voltai-vos, e parti, e ide ao monte dos amorreus, e a todos os seus arredores, na planície, nas colinas, e nos vales, e ao sul, e à beira-mar, para a terra dos cananeus, e até o Líbano, até o grande rio, o rio Eufrates.

8 Eis que ponho a terra diante de ti; entra e possui a terra que o Senhor jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó, dar a eles e à sua descendência depois deles.

9 E eu vos falei naquele tempo, dizendo: Eu mesmo não posso suportar-vos sozinho;

10 O Senhor vosso Deus vos multiplicou, e eis que hoje sois como as estrelas do céu em multidão.

11 (O Senhor Deus de vossos pais vos faça mil vezes mais do que sois, e vos abençoe, como vos prometeu!)

12 Como posso sozinho suportar o teu peso, e o teu fardo, e a tua contenda?

13 Tomem vocês homens sábios, e entendidos, e conhecidos entre as suas tribos, e eu os porei governantes sobre vocês.

14 E vós me respondestes, e dissestes: O que disseste é bom para nós fazermos.

15 Então tomei os chefes das vossas tribos, homens sábios e conhecidos, e os constituí chefes sobre vós, capitães de mil, capitães de cem, capitães de cinqüenta, capitães de dez, e oficiais entre as vossas tribos.

16 E naquele tempo ordenei aos vossos juízes, dizendo: Ouvi as causas entre vossos irmãos, e julgai com justiça entre cada um e seu irmão, e o estrangeiro que está com ele.

17 Não respeitareis as pessoas no julgamento; mas ouvireis tanto os pequenos como os grandes; não temereis a face do homem; pois o julgamento é de Deus; e a causa que é muito difícil para você, traga-a para mim, e eu a ouvirei.

18 E naquele tempo vos ordenei todas as coisas que deveis fazer.

19 E, partindo de Horebe, passamos por todo aquele grande e terrível deserto que vistes no caminho do monte dos amorreus, como o Senhor nosso Deus nos ordenara; e chegamos a Cades-Barnéia.

20 E eu vos disse: Chegastes ao monte dos amorreus, que o Senhor nosso Deus nos dá.

21 Eis que o Senhor teu Deus pôs a terra diante de ti; sobe e possui-a, como te disse o Senhor Deus de teus pais; não temas, nem desanimes.

22 E vós, cada um de vós, vos aproximastes de mim e dissestes: Enviaremos homens adiante de nós, e eles nos esquadrinharão pela terra, e nos informarão por que caminho devemos subir, e em que cidades devemos venha.

23 E a palavra me agradou bem; e tomei doze homens de vocês, um de uma tribo;

24 E eles se viraram e subiram ao monte, e chegaram ao vale de Escol, e o procuraram.

25 E eles tomaram do fruto da terra em suas mãos, e trouxeram-no até nós, e nos trouxeram novamente a palavra, e disseram: É uma boa terra que o Senhor nosso Deus nos dá.

26 Não obstante, vós não quisestes subir, mas vos rebelastes contra o mandamento do Senhor vosso Deus;

27 E murmurais nas vossas tendas, e dissestes: Porque o Senhor nos odiou, tirou-nos da terra do Egito, para nos entregar nas mãos dos amorreus, para nos destruir.

28 Para onde vamos subir? nossos irmãos desanimaram nosso coração, dizendo: O povo é maior e mais alto do que nós; as cidades são grandes e muradas até o céu; e além disso vimos ali os filhos dos anaquins.

29 Então eu vos disse: Não temais, nem tenhais medo deles.

30 O Senhor vosso Deus, que vai adiante de vós, pelejará por vós, conforme tudo o que vos fez no Egito diante de vossos olhos;

31 E no deserto, onde viste como o Senhor teu Deus te deu à luz, como um homem dá à luz seu filho, por todo o caminho que percorreste, até chegares a este lugar.

32 Mas nisso não crestes no Senhor vosso Deus,

33 Os quais foram antes de ti, para te procurar um lugar para armar as tuas tendas, em fogo de noite, para te mostrar por que caminho deveis ir, e numa nuvem de dia.

34 E o Senhor ouviu a voz das tuas palavras, e indignou-se, e jurou, dizendo:

35 Certamente nenhum destes homens desta geração má verá aquela boa terra, que jurei dar a vossos pais,

36 Salve Calebe, filho de Jefoné; ele o verá, e a ele darei a terra que pisou, e a seus filhos, porque ele seguiu inteiramente ao Senhor.

37 Também o Senhor se indignou comigo por causa de vocês, dizendo: Também não entrarás ali.

38 Mas Josué, filho de Num, que está diante de ti, entrará ali; encorajá-lo; porque ele fará com que Israel a herde.

39 Além disso, vossos pequeninos, que dissestes que seriam por presa, e vossos filhos, que naquele dia não sabiam entre o bem e o mal, ali entrarão, e a eles a darei, e eles a possuirão.

40 Mas, quanto a ti, vira-te e vai para o deserto pelo caminho do mar Vermelho.

41 Então respondestes e me dissestes: Pecamos contra o Senhor, subimos e pelejaremos, conforme tudo o que o Senhor nosso Deus nos ordenou. E quando cingistes cada homem com as suas armas de guerra, estais prontos para subir ao monte.

42 E o Senhor me disse: Dize-lhes: Não subais, nem luteis; porque não estou entre vós; para que não sejais feridos diante de vossos inimigos.

43 Assim vos falei; e não quisestes ouvir, mas rebelaste-te contra o mandamento do Senhor, e subiste presunçosamente ao monte.

44 E os amorreus, que habitam naquele monte, saíram contra ti, e te perseguiram, como fazem as abelhas, e te destruíram em Seir, até Horma.

45 E voltastes e chorastes perante o Senhor; mas o Senhor não quis ouvir a sua voz, nem dar ouvidos a você.

46 Assim vós permaneceis em Cades muitos dias, conforme os dias em que ali permaneceis.  


CAPÍTULO 2

O discurso de Moisés continuou.

1 Então nos viramos e partimos para o deserto pelo caminho do mar Vermelho, como o Senhor me falou; e percorremos o monte Seir muitos dias.

2 E o Senhor me falou, dizendo:

3 Vocês cercaram esta montanha por tempo suficiente; vire você para o norte.

4 E ordena ao povo, dizendo: Passareis pelo litoral de vossos irmãos, os filhos de Esaú, que habitam em Seir; e eles terão medo de você; cuidem bem de si mesmos, portanto;

5 Não se intrometa com eles; porque não te darei da sua terra, não, nem de um pé de largura; porque dei o monte Seir a Esaú por possessão.

6 Comprareis deles carne por dinheiro, para comerdes; e também deles comprareis água por dinheiro, para beberdes.

7 Porque o Senhor teu Deus te abençoou em todas as obras das tuas mãos; ele conhece a tua caminhada por este grande deserto; estes quarenta anos o Senhor teu Deus esteve contigo; nada te faltou.

8 E quando passamos de nossos irmãos, os filhos de Esaú, que habitavam em Seir, pelo caminho da planície de Elat e de Eziom-Gaber, viramos e passamos pelo caminho do deserto de Moab.

9 E o Senhor me disse: Não aflijas os moabitas, nem contendas com eles na peleja; porque não te darei a sua terra em possessão; porque dei Ar aos filhos de Ló por possessão.

10 Os emins habitaram lá em tempos passados, um povo grande, e muitos, e alto, como os anaquins;

11 Que também foram considerados gigantes, como os anaquins; mas os moabitas os chamam de Emim.

12 Os Horim também habitaram antes em Seir; mas os filhos de Esaú os sucederam, quando os destruíram de diante deles, e habitaram em seu lugar; como Israel fez com a terra de sua possessão, que o Senhor lhes deu.

13 Agora levante-se, disse eu, e leve você até o riacho Zered. E passamos pelo riacho Zered.

14 E o espaço em que viemos de Cades-Barnéia, até que passamos pelo ribeiro de Zered, foi de trinta e oito anos; até que toda a geração dos homens de guerra se esgotou do meio do exército, como o Senhor lhes jurou.

15 Pois, de fato, a mão do Senhor estava contra eles, para destruí-los do meio do exército, até que fossem consumidos.

16 E aconteceu que, quando todos os homens de guerra foram consumidos e mortos dentre o povo,

17 Que o Senhor me falou, dizendo:

18 Tu passarás hoje por Ar, o litoral de Moab;

19 E quando te aproximares dos filhos de Amom, não os aflijas, nem te intrometas com eles; porque não te darei propriedade alguma da terra dos filhos de Amom; porque eu o dei aos filhos de Ló por possessão.

20 (Esta também foi considerada uma terra de gigantes; gigantes habitaram nela em tempos antigos; e os amonitas os chamam de Zamzumim;

21 Um povo grande, e numeroso, e alto como os anaquins; mas o Senhor os destruiu diante deles; e eles os sucederam e habitaram em seu lugar;

22 Como fez aos filhos de Esaú, que habitavam em Seir, quando destruiu os Horim de diante deles; e eles os sucederam e habitaram em seu lugar até o dia de hoje;

23 E os avim que habitavam em Hazerim, até Azzah, os caftorins, que saíram de Caftor, os destruíram e habitaram em seu lugar.)

24 Levantai-vos, parti, e passai o rio Arnon; eis que entrego na tua mão Seom, o amorreu, rei de Hesbom, e a sua terra; comece a possuí-lo, e contenda com ele na batalha.

25 Hoje começarei a colocar o pavor de ti e o medo de ti sobre as nações que estão debaixo de todo o céu, que ouvirão falar de ti, e tremerão e se angustiarão por causa de ti.

26 E enviei mensageiros do deserto de Quedemote a Seom, rei de Hesbom, com palavras de paz, dizendo:

27 Deixa-me passar pela tua terra; Irei pela estrada, não me desviarei nem para a direita nem para a esquerda.

28 Por dinheiro me venderás carne, para que eu coma; e dá-me água por dinheiro, para que eu beba; somente eu passarei de pé;

29 Como me fizeram os filhos de Esaú, que habitam em Seir, e os moabitas que habitam em Ar; até que eu passe o Jordão para a terra que o Senhor nosso Deus nos dá.

30 Mas Siom, rei de Hesbom, não nos deixou passar por ele; porque endureceu o seu espírito, e obstinava o seu coração, para que o Senhor teu Deus o entregasse nas tuas mãos, como fez hoje.

31 E o Senhor me disse: Eis que comecei a dar Siom e sua terra diante de ti; começa a possuir, para que possas herdar a sua terra.

32 Então Siom saiu contra nós, ele e todo o seu povo, para pelejar em Jaaz.

33 E o Senhor nosso Deus o entregou diante de nós; e nós o ferimos, e a seus filhos, e a todo o seu povo.

34 E tomamos todas as suas cidades naquele tempo, e destruímos totalmente os homens, e as mulheres, e os pequeninos, de cada cidade, não deixamos ninguém para ficar;

35 Somente o gado que tomamos por presa, e o despojo das cidades que tomamos.

36 Desde Aroer, que está à beira do rio Arnom, e desde a cidade que está junto ao rio, até Gileade, não houve cidade que fosse forte demais para nós; o Senhor nosso Deus nos entregou tudo;

37 Somente à terra dos filhos de Amom não vieste, nem a qualquer lugar do rio Jaboque, nem às cidades nos montes, nem a tudo o que o Senhor nosso Deus nos proibiu.  


CAPÍTULO 3

O discurso de Moisés concluiu.

1 Voltamos e subimos o caminho de Basã; e Ogue, rei de Basã, saiu contra nós, ele e todo o seu povo, para pelejar em Edrei.

2 E o Senhor me disse: Não o temas; porque eu o entregarei, e todo o seu povo, e sua terra, em tua mão; e farás com ele como fizeste com Seom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom.

3 Assim o Senhor nosso Deus entregou em nossas mãos também Ogue, rei de Basã, e todo o seu povo; e nós o ferimos até que nada lhe restasse.

4 E nós tomamos todas as suas cidades naquele tempo, não havia uma cidade que não tivéssemos deles, sessenta cidades, toda a região de Argobe, o reino de Ogue em Basã.

5 Todas essas cidades eram cercadas com altos muros, portões e ferrolhos; ao lado de muitas cidades sem muros.

6 E nós os destruímos totalmente, como fizemos com Seom, rei de Hesbom, destruindo totalmente os homens, mulheres e crianças de todas as cidades.

7 Mas todo o gado e o despojo das cidades, tomamos para nós por presa.

8 E naquele tempo tomamos das mãos dos dois reis dos amorreus a terra que estava deste lado do Jordão, desde o rio Arnon até o monte Hermom;

9 (Que Hermon os sidônios chamam de Sirion; e os amorreus chamam de Shenir;)

10 Todas as cidades da planície, e toda Gileade, e todo Basã, até Salca e Edrei, cidades do reino de Ogue em Basã.

11 Pois apenas Ogue, rei de Basã, restou do restante dos gigantes; eis que a sua cama era uma cama de ferro; não está em Rabbath dos filhos de Amon? nove côvados era o seu comprimento, e quatro côvados a sua largura, segundo o côvado de um homem.

12 E esta terra que possuímos naquele tempo, desde Aroer, que está junto ao rio Arnom, e meio monte Gileade, e suas cidades, dei aos rubenitas e aos gaditas.

13 E o resto de Gileade e todo Basã, sendo o reino de Ogue, dei à meia tribo de Manassés; toda a região de Argobe, com todo Basã, que se chamava a terra dos gigantes.

14 Jair, filho de Manassés, tomou todo o país de Argob até as fronteiras de Geshuri e Maachati; e os chamou pelo seu próprio nome, Bashan-havoth-jair, até o dia de hoje.

15 E dei Gileade a Maquir.

16 E aos rubenitas e aos gaditas dei de Gileade até o rio Arnom metade do vale, e o termo até o rio Jaboque, que é o termo dos filhos de Amom;

17 Também a planície, o Jordão e o seu litoral, desde Quinerete até o mar da planície, o mar salgado, sob Asdote-Pisga para o oriente.

18 E eu te ordenei naquele tempo, dizendo: O Senhor teu Deus te deu esta terra para possuí-la; passareis armados diante de vossos irmãos, os filhos de Israel, todos os que forem idôneos para a guerra.

19 Mas vossas mulheres, e vossos pequeninos, e vosso gado (pois sei que tendes muito gado) habitarão nas vossas cidades que vos dei;

20 Até que o Senhor dê descanso a vossos irmãos e a vós, e até que eles também possuam a terra que o Senhor vosso Deus lhes deu além do Jordão; e então devolvereis cada um à sua propriedade que vos dei.

21 E naquele tempo dei ordem a Josué, dizendo: Os teus olhos viram tudo o que o Senhor teu Deus fez a estes dois reis; assim fará o Senhor a todos os reinos por onde passares.

22 Não os temereis; pois o Senhor teu Deus pelejará por ti.

23 E naquele tempo roguei ao Senhor, dizendo:

24 Ó Senhor Deus, tu começaste a mostrar ao teu servo a tua grandeza e a mão poderosa; pois que Deus há no céu ou na terra, que possa fazer segundo as tuas obras e segundo a tua força?

25 Rogo-te que me deixes passar e ver a boa terra que está além do Jordão, aquele belo monte e o Líbano.

26 Mas o Senhor se indignou comigo por causa de vocês, e não me ouviu; e o Senhor me disse: Basta-te; não fale mais comigo sobre este assunto.

27 Sobe ao cume do Pisga, e levanta os teus olhos para o ocidente, e para o norte, e para o sul, e para o oriente, e contempla-o com os teus olhos; porque não passarás este Jordão.

28 Mas dê ordens a Josué, encoraje-o e fortaleça-o; porque ele passará adiante deste povo, e os fará herdar a terra que hás de ver.

29 Assim ficamos no vale defronte de Bete-Peor.  


CAPÍTULO 4

Uma exortação à obediência – Moisés nomeia as três cidades de refúgio daquele lado do Jordão.

1 Agora, pois, ouve, ó Israel, os estatutos e os juízos que eu vos ensino, para os cumprirdes, para que vivais, e entreis e possuais a terra que vos dá o Senhor Deus de vossos pais.

2 Não acrescentareis nada à palavra que vos ordeno, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do Senhor vosso Deus, que eu vos ordeno.

3 Os teus olhos viram o que o Senhor fez por causa de Baal-Peor; porque todos os homens que seguiram Baal-Peor, o Senhor teu Deus os destruiu do meio de ti.

4 Mas vós, que vos apegares ao Senhor vosso Deus, estais vivos hoje cada um de vós.

5 Eis que vos ensinei estatutos e juízos, como me ordenou o Senhor meu Deus, para que assim o façais na terra a que ides possuí-la.

6 Guarda, pois, e faze-os; porque esta é a vossa sabedoria e o vosso entendimento à vista das nações, que ouvirão todos estes estatutos e dirão: Certamente esta grande nação é um povo sábio e entendido.

7 Pois qual é a nação tão grande, que tem Deus tão perto de si, como o Senhor nosso Deus está em todas as coisas pelas quais nós o invocamos?

8 E que nação há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que hoje vos ponho diante de vós?

9 Apenas cuida de ti mesmo e guarda a tua alma com diligência, para que não te esqueças das coisas que os teus olhos viram, e para que não se afastem do teu coração todos os dias da tua vida; mas ensina-lhes teus filhos e os filhos de teus filhos.

10 Especialmente no dia em que estiveste diante do Senhor teu Deus em Horebe, quando o Senhor me disse: Ajunta-me o povo, e farei com que ouçam as minhas palavras, para que aprendam a me temer todos os dias que vivam sobre a terra, e que ensinem seus filhos.

11 E vos aproximastes e parastes debaixo do monte; e o monte ardeu em fogo até o meio do céu, com trevas, nuvens e densas trevas.

12 E o Senhor vos falou do meio do fogo; ouvistes a voz das palavras, mas não vistes semelhança; só vós ouvistes uma voz.

13 E ele vos declarou seu convênio, que vos ordenou cumprir, sim, dez mandamentos; e os escreveu em duas tábuas de pedra.

14 E o Senhor me ordenou naquele tempo que vos ensinasse estatutos e juízos, para que os cumprisseis na terra a que passardes a possuí-la.

15 Guardai-vos, pois, bem; porque não vistes semelhança alguma no dia em que o Senhor vos falou em Horebe, do meio do fogo;

16 Para que não vos corrompais e vos façais imagem de escultura, semelhança de alguma figura, semelhança de homem ou mulher,

17 A semelhança de qualquer animal que está na terra, a semelhança de qualquer ave alada que voa no ar.

18 semelhança de algum réptil sobre a terra, semelhança de algum peixe que há nas águas debaixo da terra;

19 E para que não levantes os teus olhos para o céu, e quando vires o sol, a lua e as estrelas, sim, todo o exército do céu, seja levado a adorá-los e a servi-los, que o Senhor teu Deus tem repartido entre todas as nações debaixo de todo o céu.

20 Mas o Senhor vos tomou, e vos tirou da fornalha de ferro, do Egito, para lhe serdes povo de herança, como sois hoje.

21 Além disso, o Senhor se indignou comigo por causa de vós, e jurou que eu não passaria o Jordão, nem entraria naquela boa terra que o Senhor teu Deus te dá por herança;

22 Mas devo morrer nesta terra, não devo passar o Jordão; mas vós passareis e possuireis essa boa terra.

23 Guardai-vos para que não vos esqueçais da aliança que o Senhor vosso Deus fez convosco, e não vos façais imagem de escultura ou semelhança de alguma coisa que o Senhor vosso Deus vos proibiu.

24 Porque o Senhor teu Deus é um fogo consumidor, um Deus zeloso.

25 Quando gerares filhos e filhos de filhos, e permaneceres muito tempo na terra, e te corromperes, e fizeres uma imagem esculpida, ou semelhança de alguma coisa, e fizeres o que é mau aos olhos do Senhor teu Deus, para provocá-lo à ira;

26 Chamo hoje os céus e a terra para testemunharem contra vós hoje, que em breve perecereis totalmente da terra para a qual passais o Jordão para possuí-la; não prolongareis os vossos dias nela, mas sereis totalmente destruídos.

27 E o Senhor vos espalhará entre as nações, e ficareis poucos em número entre os gentios, para onde o Senhor vos conduzir.

28 E ali servireis a deuses, obra de mãos de homens, madeira e pedra, que não vêem, nem ouvem, nem comem, nem cheiram.

29 Mas se dali buscares ao Senhor teu Deus, tu o acharás, se o buscares de todo o teu coração e de toda a tua alma.

30 Quando estiveres em tribulação, e todas estas coisas te sobrevierem, mesmo nos últimos dias, se te converteres ao Senhor teu Deus, e obedeceres à sua voz;

31 (Porque o Senhor teu Deus é um Deus misericordioso;) ele não te desamparará, nem te destruirá, nem se esquecerá da aliança de teus pais, que lhes jurou.

32 Pois pergunta agora sobre os dias passados, que foram antes de ti, desde o dia em que Deus criou o homem na terra, e pergunta de um lado do céu até o outro, se houve algo como esta grande coisa é, ou já foi ouvido como ele?

33 Alguma vez as pessoas ouviram a voz de Deus falando do meio do fogo, como tu ouviste, e viveram?

34 Ou porventura quis Deus ir e tomar para si uma nação do meio de outra nação, por tentações, por sinais, e por prodígios, e por guerra, e por mão forte, e por braço estendido, e por grande terrores, conforme tudo o que o Senhor teu Deus fez por ti no Egito diante de teus olhos?

35 A ti te foi mostrado para que soubesses que o Senhor é Deus; não há mais ninguém além dele.

36 Do céu te fez ouvir a sua voz, para te instruir; e na terra ele te mostrou seu grande fogo; e ouviste as suas palavras do meio do fogo.

37 E porque amava a teus pais, por isso escolheu a sua descendência depois deles, e te tirou do Egito com o seu grande poder;

38 Para expulsar de diante de ti nações maiores e mais poderosas do que tu, para te introduzires, para te dar a sua terra por herança, como é hoje.

39 Sabe, pois, hoje, e considera no teu coração que o Senhor é Deus em cima nos céus e embaixo na terra; não há mais ninguém.

40 Guardarás, pois, os seus estatutos e os seus mandamentos, que hoje te ordeno, para que te vá bem a ti e a teus filhos depois de ti, e para que prolongues os teus dias sobre a terra, que o Senhor teu Deus te dá, para sempre.

41 Então Moisés cortou três cidades deste lado do Jordão para o nascente;

42 Para que fugisse para lá o homicida, que matasse o seu próximo desprevenido, e não o odiasse outrora; e que fugindo para uma dessas cidades ele pudesse viver;

43 A saber, Bezer no deserto, na planície, dos rubenitas; e Ramote em Gileade, dos gaditas; e Golan em Basã, dos manassitas.

44 E esta é a lei que Moisés apresentou aos filhos de Israel;

45 Estes são os testemunhos, e os estatutos e os juízos que Moisés falou aos filhos de Israel, depois que saíram do Egito.

46 Deste lado do Jordão, no vale defronte de Bete-Peor, na terra de Seom, rei dos amorreus, que habitava em Hesbom, a quem Moisés e os filhos de Israel feriram, depois que saíste do Egito;

47 E eles possuíram a sua terra, e a terra de Ogue, rei de Basã, dois reis dos amorreus, que estavam deste lado do Jordão para o nascente;

48 Desde Aroer, que está à beira do rio Arnon, até o monte Sião, que é Hermon,

49 E toda a planície deste lado do Jordão para o oriente, até o mar da planície, sob as fontes de Pisga.  


CAPÍTULO 5

A aliança em Horebe – Os dez mandamentos – Moisés recebe a lei.

1 E Moisés chamou todo o Israel, e disse-lhes: Ouvi, ó Israel, os estatutos e juízos que hoje vos digo aos ouvidos, para que os aprendais, e os guardeis e os observeis.

2 O Senhor nosso Deus fez uma aliança conosco em Horebe.

3 O Senhor não fez esta aliança com nossos pais, mas conosco, nós, que estamos todos aqui vivos neste dia.

4 O Senhor falou contigo face a face no monte do meio do fogo,

5 (Naquele tempo estive entre o Senhor e vós, para vos anunciar a palavra do Senhor; porque temeis por causa do fogo, e não subistes ao monte), dizendo:

6 Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão.

7 Não terás outros deuses diante de mim.

8 Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima nos céus, nem embaixo na terra, nem nas águas debaixo da terra;

9 Não te encurvarás a eles, nem os servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam,

10 E mostrando misericórdia a milhares daqueles que me amam e guardam meus mandamentos.

11 Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão; porque o Senhor não terá por inocente aquele que tomar o seu nome em vão.

12 Guarda o dia de sábado para o santificar, como te ordenou o Senhor teu Deus.

13 Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra;

14 Mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus; nela não farás nenhum trabalho, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem teu servo, nem tua serva, nem teu boi, nem teu jumento, nem teu gado, nem teu estrangeiro que está dentro das tuas portas; para que teu servo e tua serva descansem tão bem quanto tu.

15 E lembra-te de que foste servo na terra do Egito, e que o Senhor teu Deus te tirou dali com mão forte e braço estendido; por isso o Senhor teu Deus te ordenou que guardasses o dia de sábado.

16 Honra a teu pai e a tua mãe, como te ordenou o Senhor teu Deus; para que se prolonguem os teus dias, e te vá bem na terra que o Senhor teu Deus te dá.

17 Não matarás.

18 Nem adulterarás.

19 Nem furtarás.

20 Nem dirás falso testemunho contra o teu próximo.

21 Nem desejarás a mulher do teu próximo, nem cobiçarás a casa do teu próximo, nem o seu campo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo.

22 Estas palavras falou o Senhor a toda a vossa congregação no monte, do meio do fogo, da nuvem e da escuridão, com grande voz; e não acrescentou mais nada. E ele as escreveu em duas tábuas de pedra, e as entregou a mim.

23 E aconteceu que, quando ouvistes a voz do meio das trevas (porque a montanha ardia em fogo), vos aproximastes de mim, sim, todos os chefes de vossas tribos e vossos anciãos;

24 E dissestes: Eis que o Senhor nosso Deus nos mostrou sua glória e sua grandeza, e ouvimos sua voz do meio do fogo; vimos neste dia que Deus fala com o homem, e ele vive.

25 Agora, pois, por que devemos morrer? pois este grande fogo nos consumirá; se ainda mais ouvirmos a voz do Senhor nosso Deus, morreremos.

26 Pois quem há de toda a carne, que ouviu a voz do Deus vivo falando do meio do fogo, como nós, e viveu?

27 Aproxime-se e ouça tudo o que o Senhor nosso Deus disser; e fala-nos tudo o que o Senhor nosso Deus te falar; e nós o ouviremos e o faremos.

28 E o Senhor ouviu a voz das tuas palavras, quando me falaste; e o Senhor me disse: Ouvi a voz das palavras deste povo, que te falaram; disseram bem tudo o que falaram.

29 Oh, se houvesse tal coração neles, que me temessem, e guardassem todos os meus mandamentos sempre, para que bem lhes fosse a eles e a seus filhos para sempre!

30 Vá dizer-lhes: Voltem para as suas tendas.

31 Mas, quanto a ti, fica aqui comigo, e eu te falarei todos os mandamentos, e estatutos, e juízos, que lhes ensinares, para que os cumpram na terra que lhes dou para possuírem. isto.

32 Portanto, cuidareis de fazer como o Senhor vosso Deus vos ordenou; não vos desviareis para a direita nem para a esquerda.

33 Andareis em todos os caminhos que vos ordenou o Senhor vosso Deus, para que vivais, e bem vos suceda, e prolongueis os dias na terra que haveis de possuir.  


CAPÍTULO 6

O fim da lei é a obediência – uma exortação a isso.

1 Ora, estes são os mandamentos, os estatutos e os juízos que o Senhor vosso Deus ordenou que vos ensinem, para que os cumprais na terra a que fordes possuí-la;

2 Para que tema ao Senhor teu Deus, e guarde todos os seus estatutos e seus mandamentos que eu te ordeno, tu, teu filho e o filho de teu filho, todos os dias da tua vida; e que teus dias sejam prolongados.

3 Ouve, pois, ó Israel, e guarda-o; para que te vá bem e cresças poderosamente, como o Senhor Deus de teus pais te prometeu, na terra que mana leite e mel.

4 Ouve, ó Israel; O Senhor nosso Deus é um Senhor;

5 E amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças.

6 E estas palavras que hoje te ordeno estarão no teu coração;

7 E as ensinarás a teus filhos, e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.

8 E as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos.

9 E as escreverás nos umbrais de tua casa e nas tuas portas.

10 E será que, quando o Senhor teu Deus te introduzir na terra que jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque e a Jacó, que te daria grandes e boas cidades, que não edificaste,

11 E casas cheias de todos os bens, que não encheste, e poços cavados, que não cavaste, vinhas e oliveiras, que não plantaste; quando tiveres comido e estiveres farto;

12 Guarda-te, pois, para que não te esqueças do Senhor, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão.

13 Temerás o Senhor teu Deus, e o servirás, e jurarás pelo seu nome.

14 Não seguireis outros deuses, dos deuses dos povos que estão ao redor de vós;

15 (Porque o Senhor teu Deus é um Deus zeloso entre vós;) para que a ira do Senhor teu Deus não se acenda contra ti, e te destrua da face da terra.

16 Não tentareis ao Senhor vosso Deus, como o tentastes em Massá.

17 Guardareis diligentemente os mandamentos do Senhor vosso Deus, e os seus testemunhos, e os seus estatutos, que ele vos ordenou.

18 E farás o que é justo e bom aos olhos do Senhor; para que te vá bem, e entres e possuas a boa terra que o Senhor jurou a teus pais.

19 para expulsar todos os teus inimigos de diante de ti, como o Senhor tem falado.

20 E quando teu filho te perguntar no futuro, dizendo: Que significam os testemunhos, e os estatutos, e os juízos que o Senhor nosso Deus te ordenou?

21 Então dirás a teu filho: Fomos servos de Faraó no Egito; e o Senhor nos tirou do Egito com mão forte;

22 E o Senhor fez sinais e prodígios, grandes e dolorosos, sobre o Egito, sobre Faraó e sobre toda a sua casa, diante de nossos olhos;

23 E dali nos tirou para nos introduzir e nos dar a terra que com juramento havia dado a nossos pais.

24 E o Senhor nos ordenou que cumpríssemos todos estes estatutos, para temermos ao Senhor nosso Deus, para nosso bem sempre, para que ele nos conserve vivos, como é hoje.

25 E será nossa justiça se cuidarmos de cumprir todos estes mandamentos perante o Senhor nosso Deus, como ele nos ordenou.  


CAPÍTULO 7

Toda comunhão com as nações proibida.

1 Quando o Senhor teu Deus te introduzir na terra para onde vais a possuir, e expulsar de diante de ti muitas nações, os heteus, e os girgaseus, e os amorreus, e os cananeus, e os ferezeus, e os heveus , e os jebuseus, sete nações maiores e mais poderosas do que tu;

2 E quando o Senhor teu Deus os entregar diante de ti; tu os ferirás e os destruirás totalmente; não farás aliança com eles, nem terás misericórdia deles;

3 Nem casarás com eles; tua filha não darás a seu filho, nem sua filha tomarás para teu filho.

4 Porque eles desviarão teu filho de me seguir, para que sirvam a outros deuses; assim a ira do Senhor se acenderá contra ti e te destruirá de repente.

5 Mas assim lhes fareis; destruireis os seus altares, derrubareis as suas imagens, cortareis os seus bosques e queimareis a fogo as suas imagens esculpidas.

6 Pois tu és povo santo ao Senhor teu Deus; o Senhor teu Deus te escolheu para ser um povo especial para si mesmo, acima de todos os povos que estão sobre a face da terra.

7 O Senhor não vos amou, nem vos escolheu, porque sois mais numerosos do que qualquer povo; pois vocês eram o menor de todas as pessoas;

8 Mas porque o Senhor vos amou, e para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o Senhor vos tirou com mão forte, e vos resgatou da casa dos servos, da mão de Faraó, rei do Egito.

9 Saiba, pois, que o Senhor teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia para com os que o amam e guardam os seus mandamentos por mil gerações;

10 E retribui aos que o odeiam na cara, para destruí-los; ele não será negligente com aquele que o odeia, ele o pagará na sua cara.

11 Guardarás, pois, os mandamentos, e os estatutos, e os juízos que hoje te ordeno que os cumpras.

12 Portanto, se derdes ouvidos a estes juízos e os guardardes e os cumprirdes, o Senhor vosso Deus vos guardará o pacto e a misericórdia que jurou a vossos pais;

13 E ele te amará, e te abençoará, e te multiplicará; Ele também abençoará o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, o teu trigo, e o teu vinho, e o teu azeite, a produção das tuas vacas e os rebanhos das tuas ovelhas, na terra que jurou a teus pais para te dar.

14 Tu serás abençoado acima de todos os povos; não haverá macho ou fêmea estéril entre ti, nem entre o teu gado.

15 E o Senhor tirará de ti toda doença, e não porá sobre ti nenhuma das doenças malignas do Egito, que conheces; mas os lançará sobre todos os que te odeiam.

16 E consumirás todo o povo que o Senhor teu Deus te livrar; teus olhos não terão piedade deles; nem servirás aos seus deuses; pois isso será um laço para ti.

17 Se disseres no teu coração: Estas nações são mais numerosas do que eu; como posso expulsá-los?

18 Não terás medo deles; mas bem te lembrarás do que o Senhor teu Deus fez a Faraó e a todo o Egito;

19 As grandes tentações que os teus olhos viram, e os sinais, e as maravilhas, e a mão forte, e o braço estendido com que o Senhor teu Deus te tirou; assim fará o Senhor teu Deus a todo o povo de quem tens medo.

20 Além disso, o Senhor teu Deus enviará vespas entre eles, até que os que restarem e se esconderem de ti sejam destruídos.

21 Não te atemorizarás com eles; porque o Senhor teu Deus está entre vós, um Deus poderoso e terrível.

22 E o Senhor teu Deus porá essas nações diante de ti pouco a pouco; tu não podes consumi-los de uma vez, para que os animais do campo não aumentem sobre ti.

23 Mas o Senhor teu Deus os entregará a ti, e os destruirá com grande destruição, até que sejam destruídos.

24 E entregará os seus reis nas tuas mãos, e destruirás o seu nome de debaixo do céu; ninguém poderá resistir a ti, até que os tenhas destruído.

25 As imagens esculpidas de seus deuses queimareis a fogo; não desejarás a prata ou o ouro que estão neles, nem os tomarás para ti, para que não sejas enlaçado neles; porque é abominação ao Senhor teu Deus.

26 Nem trarás uma abominação para a tua casa, para que não sejas uma maldição semelhante a ela; mas tu o detestarás totalmente e o abominarás totalmente; pois é uma coisa amaldiçoada.  


CAPÍTULO 8

Uma exortação à obediência.

1 Todos os mandamentos que hoje vos ordeno observareis em cumprir, para que vivais, e vos multipliqueis, e entreis e possuais a terra que o Senhor jurou a vossos pais.

2 E te lembrarás de todo o caminho que o Senhor teu Deus te guiou nestes quarenta anos no deserto, para te humilhar e te provar, para saber o que estava em teu coração, se guardarias seus mandamentos ou não.

3 E ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheceram; para que te faça saber que não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca do Senhor viverá o homem.

4 As tuas vestes não envelheceram sobre ti, nem os teus pés incharam, estes quarenta anos.

5 Tu também considerarás em teu coração que, como um homem corrige seu filho, assim o Senhor teu Deus te corrige.

6 Guardarás, pois, os mandamentos do Senhor teu Deus, para andares nos seus caminhos e temê-lo.

7 Porque o Senhor teu Deus te trouxe a uma boa terra, uma terra de ribeiros de águas, de fontes e abismos que brotam de vales e montes;

8 Terra de trigo, cevada, vide, figueira e romãzeira; uma terra de azeite de oliva e mel;

9 A terra em que comerás pão sem falta, nada te faltará; uma terra cujas pedras são de ferro, e de cujas colinas poderás cavar bronze.

10 Quando tiveres comido e estiveres farto, louvarás ao Senhor teu Deus pela boa terra que ele te deu.

11 Guarda-te que não te esqueças do Senhor teu Deus, não guardando os seus mandamentos, e os seus juízos, e os seus estatutos, que hoje te ordeno;

12 Para que, depois de comeres e te fartares, não edifiques boas casas e habites nelas;

13 E quando os teus rebanhos e os teus rebanhos se multiplicarem, e a tua prata e o teu ouro se multiplicarem, e tudo o que tens for multiplicado;

14 Então se exalte o teu coração, e te esqueças do Senhor teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão;

15 que te conduziu por aquele grande e terrível deserto, onde havia serpentes ardentes, e escorpiões, e seca, onde não havia água; que te tirou água da rocha de pederneira;

16 Que no deserto te sustentou com maná, que teus pais não conheceram, para te humilhar, e para te provar, para te fazer bem no teu fim;

17 E dizes no teu coração: O meu poder e a força da minha mão me trouxeram esta riqueza.

18 Mas tu te lembrarás do Senhor teu Deus; porque é ele quem te dá o poder de obter riquezas, para que ele possa estabelecer a aliança que jurou a teus pais, como é hoje.

19 E será que, se te esqueceres do Senhor teu Deus, e seguires outros deuses, e os servires, e os adorares, testifico hoje contra ti que certamente perecereis.

20 Como as nações que o Senhor destrói diante de vós, assim perecereis; porque não quisestes obedecer à voz do Senhor vosso Deus.  


CAPÍTULO 9

Moisés ensaia suas rebeliões.   

1 Ouve, ó Israel; Hoje passarás o Jordão, para entrares a possuir nações maiores e mais poderosas do que tu, cidades grandes e fortificadas até ao céu,

2 Um povo grande e alto, os filhos dos anaquins, que tu conheces e dos quais ouviste dizer: Quem pode resistir aos filhos de Anaque?

3 Entende, pois, hoje, que o Senhor teu Deus é aquele que vai adiante de ti; como um fogo consumidor os destruirá, e os derrubará diante de tua face; assim os expulsarás e os destruirás rapidamente, como o Senhor te disse.

4 Não fales tu no teu coração, depois que o Senhor teu Deus os expulsou de diante de ti, dizendo: Por minha justiça o Senhor me trouxe para possuir esta terra; mas pela maldade destas nações o Senhor as expulsa de diante de ti.

5 Não é pela tua justiça, nem pela retidão do teu coração, que vais possuir a sua terra; mas por causa da maldade destas nações o Senhor teu Deus as expulsa de diante de ti, e para cumprir a palavra que o Senhor jurou a teus pais, Abraão, Isaque e Jacó.

6 Entende, pois, que o Senhor teu Deus não te dá esta boa terra para possuí-la por tua justiça; porque tu és um povo de dura cerviz.

7 Lembra-te, e não te esqueças, de como provocaste à ira o Senhor teu Deus no deserto; desde o dia em que saíste da terra do Egito, até chegares a este lugar, fostes rebeldes contra o Senhor.

8 Também em Horebe provocastes a ira do Senhor, de modo que o Senhor se irou convosco para vos destruir.

9 Quando subi ao monte para receber as tábuas de pedra, sim, as tábuas da aliança que o Senhor fez convosco, fiquei no monte quarenta dias e quarenta noites; não comi pão nem bebi água;

10 E o Senhor me entregou duas tábuas de pedra escritas pelo dedo de Deus; e neles estava escrito conforme todas as palavras que o Senhor falou convosco no monte, do meio do fogo, no dia da assembléia.

11 E aconteceu que ao fim de quarenta dias e quarenta noites, o Senhor me deu as duas tábuas de pedra, sim, as tábuas da aliança.

12 E o Senhor me disse: Levanta-te, desce depressa daqui; porque o teu povo que tiraste do Egito se corrompeu; eles são rapidamente desviados do caminho que eu lhes ordenei; fizeram deles uma imagem fundida.

13 Falou-me ainda o Senhor, dizendo: Tenho visto este povo, e eis que é um povo de dura cerviz.

14 Deixa-me, para que eu os destrua e apague o seu nome de debaixo do céu; e farei de ti uma nação mais poderosa e maior do que eles.

15 Então eu me virei e desci do monte, e o monte ardia em fogo; e as duas tábuas da aliança estavam em minhas mãos.

16 E olhei, e eis que pecastes contra o Senhor vosso Deus, e fizestes para vós um bezerro fundido; rapidamente vos desviastes do caminho que o Senhor vos havia ordenado.

17 E tomei as duas mesas, e as lancei de minhas duas mãos, e as quebrei diante de teus olhos.

18 E me prostrei diante do Senhor, como dantes, quarenta dias e quarenta noites; Não comi pão nem bebi água, por causa de todos os vossos pecados que cometestes, fazendo o que é mau perante o Senhor, para o provocar à ira.

19 Pois eu temia a ira e o furor com que o Senhor se indignou contra vocês para destruí-los. Mas o Senhor me ouviu também naquele tempo.

20 E o Senhor irou-se muito contra Arão para tê-lo destruído; e eu orei por Aaron também ao mesmo tempo.

21 E tomei o vosso pecado, o bezerro que fizestes, e queimei-o a fogo, e o esmaguei, e o esmaguei muito pequeno, até ficar pequeno como pó; e lancei o seu pó no riacho que descia do monte.

22 E em Taberá, e em Massá, e em Quibrote-Hataavá, provocastes a ira do Senhor.

23 Da mesma forma, quando o Senhor te enviou de Cades-Barnéia, dizendo: Sobe e possui a terra que te dei; então vos rebelastes contra o mandamento do Senhor vosso Deus, e não lhe crestes, nem deveis ouvir a sua voz.

24 Vocês se rebelaram contra o Senhor desde o dia em que os conheci.

25 Assim me prostrei diante do Senhor quarenta dias e quarenta noites, como no princípio caí; porque o Senhor disse que iria destruí-lo.

26 Então orei ao Senhor, e disse: Ó Senhor Deus, não destruas o teu povo e a tua herança, que remiste com a tua grandeza, que tiraste do Egito com mão forte.

27 Lembra-te de teus servos, Abraão, Isaque e Jacó; não olhes para a teimosia deste povo, nem para a sua maldade, nem para o seu pecado;

28 Para que a terra de onde nos tiraste não diga: Porquanto o Senhor não pôde introduzi-los na terra que lhes havia prometido, e porque os odiava, os tirou para matá-los no deserto.

29 No entanto, eles são o teu povo e a tua herança, que tiraste com a tua força e com o teu braço estendido.  


CAPÍTULO 10

O ensaio de Moisés continuou – Uma exortação à obediência.     

1 Naquele tempo o Senhor me disse: Faz para ti duas outras tábuas de pedra como a primeira, e sobe a mim sobre o monte, e fazes para ti uma arca de madeira.

2 E escreverei nas tábuas as palavras que estavam nas primeiras tábuas, que quebraste, salvo as palavras da aliança eterna do santo sacerdócio, e as porás na arca.

3 E fiz uma arca de madeira de cetim, e cortei duas tábuas de pedra como as primeiras, e subi ao monte, tendo as duas tábuas na mão.

4 E escreveu nas tábuas, conforme a primeira escritura, os dez mandamentos, que o Senhor vos falou no monte, do meio do fogo, no dia da assembléia; e o Senhor me deu.

5 E eu me virei e desci do monte, e coloquei as mesas na arca que eu tinha feito; e ali estão eles, como o Senhor me ordenou.

6 E os filhos de Israel partiram de Beerote dos filhos de Jaakan para Mosera; ali morreu Arão, e ali foi sepultado; e Eleazar, seu filho, serviu no sacerdócio em seu lugar.

7 Dali eles viajaram para Gudgodah; e de Gudgodah a Jotbath, uma terra de rios de águas.

8 Naquele tempo o Senhor separou a tribo de Levi, para levar a arca da aliança do Senhor, para estar diante do Senhor para ministrar a ele e para abençoar em seu nome, até o dia de hoje.

9 Por isso Levi não tem parte nem herança com seus irmãos; o Senhor é a sua herança, conforme o Senhor teu Deus lhe prometeu.

10 E fiquei no monte, conforme a primeira vez, quarenta dias e quarenta noites; e o Senhor me deu ouvidos também naquele tempo, e o Senhor não quis te destruir.

11 E o Senhor me disse: Levanta-te, vai à frente do povo, para que entrem e possuam a terra que jurei a seus pais dar-lhes.

12 E agora, Israel, que te pede o Senhor teu Deus, senão que tema ao Senhor teu Deus, ande em todos os seus caminhos, e o ame, e sirva ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda tua alma,

13 Para guardares os mandamentos do Senhor, e os seus estatutos, que hoje te ordeno para o teu bem?

14 Eis que os céus e o céu dos céus são do Senhor teu Deus, e também a terra com tudo o que nela há.

15 Somente o Senhor se agradou de teus pais para amá-los, e escolheu a sua descendência depois deles, sim, tu acima de todos os povos, como é hoje.

16 Circuncide, pois, o prepúcio do seu coração, e não seja mais obstinado.

17 Porque o Senhor vosso Deus é Deus dos deuses e Senhor dos senhores, um Deus grande, poderoso e terrível, que não faz caso de pessoas, nem aceita recompensa;

18 Ele executa o julgamento do órfão e da viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe comida e roupas.

19 Amai, pois, o estrangeiro; porque fostes estrangeiros na terra do Egito.

20 Temerás ao Senhor teu Deus; a ele servirás, e a ele te apegarás, e jurarás pelo seu nome.

21 Ele é o teu louvor, e ele é o teu Deus, que te fez estas grandes e terríveis coisas que os teus olhos viram.

22 Teus pais desceram ao Egito com sessenta e dez pessoas; e agora o Senhor teu Deus te fez como as estrelas do céu em multidão.  


CAPÍTULO 11

Uma exortação à obediência – Um estudo cuidadoso das palavras de Deus ordenadas – A bênção e a maldição.

1 Portanto amarás ao Senhor teu Deus, e guardarás sempre o seu mandato, os seus estatutos, os seus juízos e os seus mandamentos.

2 E sabeis hoje; porque não falo com teus filhos que não conheceram e que não viram o castigo do Senhor teu Deus, sua grandeza, sua mão poderosa e seu braço estendido,

3 E os seus milagres e os seus atos, que fez no meio do Egito a Faraó, rei do Egito, e a toda a sua terra;

4 E o que ele fez ao exército do Egito, aos seus cavalos e aos seus carros; como ele fez transbordar as águas do mar Vermelho enquanto eles te perseguiam, e como o Senhor os destruiu até o dia de hoje;

5 E o que vos fez no deserto, até que viestes a este lugar;

6 E o que ele fez a Datã e Abirão, filhos de Eliabe, filho de Rúben; como a terra abriu a sua boca, e os tragou, e as suas casas, e as suas tendas, e todos os bens que possuíam, no meio de todo o Israel;

7 Mas os teus olhos viram todos os grandes feitos do Senhor que ele fez.

8 Portanto guardareis todos os mandamentos que hoje vos ordeno, para que sejais fortes, e entreis e possuais a terra para a qual ireis possuí-la;

9 E para que prolongueis os vossos dias na terra que o Senhor jurou a vossos pais dar a eles e à sua descendência, terra que mana leite e mel.

10 Porque a terra em que entras para possuí-la não é como a terra do Egito, de onde saístes, onde semeaste a tua semente e a regaste com o pé, como um jardim de ervas;

11 Mas a terra para onde a possuiis é terra de montes e vales, e bebe água da chuva do céu;

12 Uma terra que o Senhor teu Deus cuida; os olhos do Senhor teu Deus estão sempre sobre ela, desde o início do ano até o fim do ano.

13 E acontecerá que, se ouvirdes diligentemente os meus mandamentos que hoje vos ordeno, que amem o Senhor vosso Deus e o sirvam de todo o vosso coração e de toda a vossa alma,

14 Que eu te darei a chuva da tua terra a seu tempo, a primeira e a serôdia, para que ajuntas o teu trigo, o teu vinho e o teu azeite.

15 E enviarei erva nos teus campos para o teu gado, para que comas e te fartas.

16 Acautelai-vos, para que não se engane o vosso coração, e vos desvieis, e sirvais a outros deuses, e os adoreis;

17 E então se acenda a ira do Senhor contra vós, e ele feche o céu, para que não chova, e a terra não dê o seu fruto; e para que não pereçais rapidamente da boa terra que o Senhor vos dá.

18 Portanto, guardareis estas minhas palavras no vosso coração e na vossa alma, e as atai por sinal na vossa mão, para que sejam por frontais entre os vossos olhos.

19 E vós as ensinareis a vossos filhos, falando delas assentado em tua casa, e andando pelo caminho, deitando-te e levantando-te.

20 E as escreverás nas ombreiras da tua casa e nas tuas portas;

21 Para que se multipliquem os vossos dias, e os dias de vossos filhos, na terra que o Senhor jurou a vossos pais dar-lhes, como os dias do céu sobre a terra.

22 Porque, se diligentemente guardardes todos estes mandamentos que vos ordeno, que os cumprais, que amem o Senhor vosso Deus, andem em todos os seus caminhos e apeguem-se a ele;

23 Então o Senhor expulsará de diante de vós todas estas nações, e possuireis nações maiores e mais poderosas do que vós.

24 Todo lugar que pisar a planta de vossos pés será vosso; desde o deserto e o Líbano, desde o rio, o rio Eufrates, até a extremidade do mar será a vossa costa.

25 Ninguém te poderá resistir; porque o Senhor vosso Deus porá o temor de vós e o pavor de vós sobre toda a terra que pisardes, como ele vos disse.

26 Eis que hoje ponho diante de ti uma bênção e uma maldição;

27 Uma bênção, se obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus, que hoje vos ordeno;

28 E maldição, se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus, mas vos desviardes do caminho que hoje vos ordeno, para seguirdes outros deuses que não conhecestes.

29 E acontecerá que, quando o Senhor teu Deus te trouxer à terra a que vais para a possuir, porás a bênção sobre o monte Gerizim, e a maldição sobre o monte Ebal.

30 Não estão eles do outro lado do Jordão, pelo caminho de onde o sol se põe, na terra dos cananeus, que habitam na campainha defronte de Gilgal, junto às campinas de Moré?

31 Porque passareis o Jordão para entrardes a possuir a terra que o Senhor vosso Deus vos dá, e a possuireis e nela habitareis.

32 E cuidareis de cumprir todos os estatutos e juízos que hoje vos ponho diante de vós.  


CAPÍTULO 12

A idolatria é proibida – O lugar do serviço de Deus deve ser mantido – O sangue é proibido – O levita não deve ser abandonado.

1 Estas são as estátuas e os juízos que devereis fazer na terra que o Senhor Deus de vossos pais vos dá para possuí-la, todos os dias que viverdes sobre a terra.

2 Destruireis totalmente todos os lugares em que as nações que possuirdes serviram a seus deuses, nos altos montes, e nos outeiros, e debaixo de toda árvore frondosa;

3 E derrubareis os seus altares, e quebrareis as suas colunas, e queimareis a fogo os seus bosques; e cortareis as imagens esculpidas de seus deuses, e destruireis os nomes deles daquele lugar.

4 Não fareis assim ao Senhor vosso Deus.

5 Mas ao lugar que o Senhor vosso Deus escolher de todas as vossas tribos para ali pôr o seu nome, até à sua habitação procurareis, e para lá ireis;

6 E para lá trareis os vossos holocaustos, e os vossos sacrifícios, e os vossos dízimos, e as ofertas alçadas da vossa mão, e os vossos votos, e as vossas ofertas voluntárias, e as primícias das vossas vacas e das vossas ovelhas;

7 E ali comereis diante do Senhor vosso Deus, e vos alegrareis em tudo em que puserem a mão, vós e vossas casas, em que o Senhor vosso Deus vos abençoou.

8 Não fareis conforme todas as coisas que fazemos aqui hoje, cada um o que for reto aos seus próprios olhos.

9 Porque ainda não chegastes ao descanso e à herança que o Senhor vosso Deus vos dá.

10 Mas quando passardes o Jordão e habitardes na terra que o Senhor vosso Deus vos dá por herança, e quando ele vos der descanso de todos os vossos inimigos em redor, habitareis seguros;

11 Então haverá um lugar que o Senhor teu Deus escolherá para ali fazer habitar o seu nome; para lá trareis tudo o que vos ordeno; os vossos holocaustos e os vossos sacrifícios, os vossos dízimos e a oferta alçada da vossa mão, e todos os vossos votos escolhidos que fizerdes ao Senhor;

12 E vos alegrareis perante o Senhor vosso Deus, vós e vossos filhos, e vossas filhas, e vossos servos, e vossas servas, e o levita que está dentro de vossas portas; visto que não tem parte nem herança convosco.

13 Guarda-te de que não ofereças os teus holocaustos em todo lugar que vires;

14 Mas no lugar que o Senhor escolher numa das tuas tribos, ali oferecerás os teus holocaustos, e ali farás tudo o que eu te ordeno.

15 Não obstante, podes matar e comer carne em todas as tuas portas, tudo o que a tua alma desejar, segundo a bênção que o Senhor teu Deus te deu; o imundo e o limpo comerão dela, como do corço e do veado.

16 Somente não comereis o sangue; vós a derramareis sobre a terra como água.

17 Dentro das tuas portas não poderás comer o dízimo do teu trigo, nem do teu vinho, nem do teu azeite, nem das primícias das tuas vacas ou das tuas ovelhas, nem dos teus votos que fizeres, nem das tuas ofertas voluntárias, nem oferta alçada da tua mão;

18 Mas tu os comerás perante o Senhor teu Deus, no lugar que o Senhor teu Deus escolher, tu e teu filho, e tua filha, e teu servo, e tua serva, e o levita que está dentro das tuas portas; e te alegrarás perante o Senhor teu Deus em tudo em que puseres as tuas mãos.

19 Cuida-te de que não abandones o levita enquanto viveres sobre a terra.

20 Quando o Senhor teu Deus alargar os teus termos, como te prometeu, e disseres: Comerei carne, porque a tua alma deseja comer carne; podes comer carne, tudo o que a tua alma desejar.

21 Se o lugar que o Senhor teu Deus escolheu para ali pôr o seu nome estiver muito longe de ti, matarás do teu gado e das tuas ovelhas, que o Senhor te deu, como te ordenei, e come nas tuas portas tudo o que a tua alma desejar.

22 Assim como a corça e o veado se comem, assim os comerás; o imundo e o limpo comerão deles igualmente.

23 Apenas certifique-se de que não coma o sangue; pois o sangue é a vida; e tu não podes comer a vida com a carne.

24 Não o comerás; tu o derramarás sobre a terra como água.

25 Não o comerás; para que te vá bem a ti e a teus filhos depois de ti, quando fizeres o que é reto aos olhos do Senhor.

26 Somente as tuas coisas sagradas que tens, e os teus votos, tomarás, e irás para o lugar que o Senhor escolher;

27 E oferecerás os teus holocaustos, a carne e o sangue, sobre o altar do Senhor teu Deus; e o sangue dos teus sacrifícios será derramado sobre o altar do Senhor teu Deus, e comerás a carne.

28 Observa e ouve todas estas palavras que te ordeno, para que corra bem

contigo e com teus filhos depois de ti para sempre, quando fizeres o que é bom e justo aos olhos do Senhor teu Deus.

29 Quando o Senhor teu Deus extirpar as nações de diante de ti, para onde vais possuí-las, e tu as sucederes, e habitares na sua terra;

30 Guarda-te para que não sejas enlaçado seguindo-os, depois que eles forem destruídos diante de ti; e que não perguntes pelos seus deuses, dizendo: Como serviram estas nações aos seus deuses? mesmo assim farei o mesmo.

31 Não farás assim ao Senhor teu Deus; porque toda abominação ao Senhor, que ele odeia, fizeram aos seus deuses; pois até seus filhos e suas filhas eles queimaram no fogo aos seus deuses.

32 O que quer que eu te ordene, observe para fazê-lo; não lhe acrescentarás nem diminuirás.  


CAPÍTULO 13

Idolatria proibida.  

1 Se surgir entre vós profeta ou sonhador de sonhos, e vos der um sinal ou prodígio,

2 E sucedeu o sinal ou prodígio de que te falou, dizendo: Vamos após outros deuses que não conheceste, e sirvamo-los;

3 Não darás ouvidos às palavras daquele profeta, ou daquele sonhador de sonhos; porque o Senhor vosso Deus vos prova, para saberdes se amais o Senhor vosso Deus de todo o vosso coração e de toda a vossa alma.

4 Andareis após o Senhor vosso Deus, e o temereis, e guardareis os seus mandamentos, e obedecereis à sua voz, e o servireis, e a ele vos apegareis.

5 E aquele profeta, ou aquele sonhador de sonhos, será morto; porque ele falou para te desviar do Senhor teu Deus, que te tirou da terra do Egito, e te resgatou da casa da servidão, para te lançar fora do caminho que o Senhor teu Deus te ordenou que andasses Assim tu tirarás o mal do meio de ti.

6 Se teu irmão, filho de tua mãe, ou teu filho, ou tua filha, ou a mulher do teu seio, ou teu amigo, que é como a tua própria alma, te incitar secretamente, dizendo: Vamos e sirvamos a outros deuses , que não conheceste, nem tu nem teus pais;

7 Nomeadamente, dos deuses dos povos que estão ao redor de ti, perto de ti, ou longe de ti, desde uma extremidade da terra até a outra extremidade da terra;

8 Não consentirás com ele, nem o ouvirás; nem o teu olho se compadecerá dele, nem o pouparás, nem o ocultarás;

9 Mas certamente o matarás; a tua mão será a primeira sobre ele para matá-lo, e depois a mão de todo o povo.

10 E o apedrejarás com pedras, para que morra; porque buscou afastar-te do Senhor teu Deus, que te tirou da terra do Egito, da casa da servidão.

11 E todo o Israel ouvirá e temerá, e não fará mais maldade como esta entre vós.

12 Se ouvires dizer numa das tuas cidades que o Senhor teu Deus te deu para habitar ali, dizendo:

13 Certos homens, filhos de Belial, saíram do meio de vós, e retiraram os moradores da sua cidade, dizendo: Vamos servir a outros deuses que não conhecestes;

14 Então perguntarás, e investigarás, e perguntarás diligentemente; e eis que, se for verdade e coisa certa, que tal abominação se fez entre vós;

15 Certamente ferirás os moradores daquela cidade ao fio da espada, destruindo-a totalmente, e tudo o que nela há, e o seu gado, ao fio da espada.

16 E recolherás todo o seu despojo no meio da sua praça, e queimarás a fogo a cidade, e todo o seu despojo, para o Senhor teu Deus; e será um montão para sempre; não será construído novamente.

17 E nada amaldiçoará na tua mão; para que o Senhor se converta do furor da sua ira, e se compadeça de ti, e se compadeça de ti, e te multiplique, como jurou a teus pais;

18 Quando deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para guardares todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, para fazeres o que é reto aos olhos do Senhor teu Deus.  


CAPÍTULO 14

Restrições no luto – O que pode e o que não pode ser comido – De dízimos.

1 Vós sois filhos do Senhor vosso Deus; não vos cortareis, nem fareis calvície entre os vossos olhos pelos mortos.

2 Porque tu és um povo santo para o Senhor teu Deus, e o Senhor te escolheu para ser um povo seu para si mesmo, acima de todas as nações que estão sobre a terra.

3 Não comerás coisa abominável.

4 Estes são os animais que haveis de comer; o boi, a ovelha e o bode,

5 O veado, o corço, o gamo, o bode selvagem, o pigargo, o boi selvagem e a camurça.

6 E todo animal que divide o casco, e fende a fenda em duas garras, e rumina entre os animais, isso comereis.

7 Mas estes não comereis, nem dos que ruminam, nem dos que têm unha fendida; como o camelo, e a lebre, e o cone; porque ruminam, mas não dividem o casco; por isso são impuros para vós.

8 E o porco, porque tem unha fendida, mas não rumina, imundo vos será; não comereis da sua carne, nem tocareis no seu cadáver.

9 Estes comereis de tudo o que há nas águas; todos os que têm barbatanas e escamas comereis;

10 E tudo o que não tem barbatanas e escamas não podeis comer; é impuro para vós.

11 De todas as aves limpas comereis.

12 Mas estes são os que não comereis; a águia, e a ossifragem, e a águia-pescadora.

13 E a gleba, e o papagaio, e o abutre conforme a sua espécie,

14 E todo corvo conforme sua espécie,

15 E a coruja, e o falcão noturno, e o cuco, e o gavião segundo a sua espécie,

16 A pequena coruja, e a grande coruja, e o cisne,

17 E o pelicano, e a águia gier, e o cormorão,

18 E a cegonha, e a garça segundo a sua espécie, e o abibe, e o morcego.

19 E todo réptil que voa é impuro para vós; não serão comidos.

20 Mas de todas as aves limpas podeis comer.

21 Não comereis de coisa alguma que morra por si mesma; não o darás ao estrangeiro que está nas tuas portas, para que o coma; ou não podes vendê-lo a um estrangeiro; porque tu és um povo santo para o Senhor teu Deus. Não cozerás o cabrito no leite de sua mãe.

22 Verdadeiramente darás o dízimo de toda a renda da tua semente, que o campo produzir de ano em ano.

23 E comerás perante o Senhor teu Deus, no lugar que ele escolher para ali pôr o seu nome, o dízimo do teu trigo, do teu vinho e do teu azeite, e as primícias das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer sempre ao Senhor teu Deus.

24 E se o caminho te for tão longo que não possas levá-lo; ou se for muito longe de ti o lugar que o Senhor teu Deus escolher para ali pôr o seu nome, quando o Senhor teu Deus te tiver abençoado;

25 Então o converterás em dinheiro, e amarrarás o dinheiro na tua mão, e irás ao lugar que o Senhor teu Deus escolher;

26 E esse dinheiro darás por tudo o que a tua alma desejar, por bois, ou ovelhas, ou vinho, ou bebida forte, ou tudo o que a tua alma desejar; e ali comerás perante o Senhor teu Deus, e te regozijarás, tu e a tua casa,

27 E o levita que está dentro das tuas portas; não o abandonarás; porque ele não tem parte nem herança contigo.

28 Ao fim de três anos, trarás todos os dízimos da tua renda no mesmo ano, e os depositarás dentro das tuas portas;

29 E o levita (porque não tem parte nem herança contigo), e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão dentro das tuas portas, virão, e comerão e se fartarão; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos que fizeres.  


CAPÍTULO 15

O ano de lançamento – Primeiros machos a serem santificados.

1 Ao final de cada sete anos farás uma libertação.

2 E esta é a maneira da libertação; todo credor que emprestar alguma coisa ao seu próximo o liberará; não o exigirá de seu próximo ou de seu irmão; porque é chamado de libertação do Senhor.

3 De um estrangeiro poderás exigi-lo novamente; mas o que é teu com teu irmão, tua mão o liberará;

4 Salvo quando não houver pobres entre vós; porque o Senhor te abençoará grandemente na terra que o Senhor teu Deus te dá por herança para a possuíres;

5 Somente se ouvires atentamente a voz do Senhor teu Deus, para cuidares de cumprir todos estes mandamentos que hoje te ordeno.

6 Porque o Senhor teu Deus te abençoa, como te prometeu; e emprestarás a muitas nações, mas não tomarás emprestado; e reinarás sobre muitas nações, mas elas não reinarão sobre ti.

7 Se entre ti houver um pobre de um de teus irmãos em alguma das tuas portas na tua terra que o Senhor teu Deus te dá, não endurecerás o teu coração, nem fecharás a mão ao teu irmão pobre;

8 Mas tu lhe abrirás bem a mão, e certamente lhe emprestarás o suficiente para sua necessidade, naquilo que ele quer.

9 Guarda-te para que não haja pensamento perverso no teu coração, dizendo: O sétimo ano, o ano da remissão, está próximo; e os teus olhos sejam maus contra o teu pobre irmão, e nada lhe dês; e ele clama contra ti ao Senhor, e há em ti pecado.

10 Certamente lhe darás, e não se entristecerá o teu coração quando lhe deres; porque para isso o Senhor teu Deus te abençoará em todas as tuas obras e em tudo em que puseres a mão.

11 Pois os pobres nunca deixarão de sair da terra; por isso te ordeno, dizendo: Abre bem a mão ao teu irmão, ao teu pobre e ao teu necessitado na tua terra.

12 E se teu irmão, hebreu ou hebréia, te for vendido e te servir seis anos; então no sétimo ano tu o deixarás ir livre de ti.

13 E quando o enviares livre de ti, não o deixarás ir vazio;

14 De bom grado o fornecerás do teu rebanho, e da tua eira, e do teu lagar; do que te abençoou com o Senhor teu Deus, darás a ele.

15 E te lembrarás que foste escravo na terra do Egito, e que o Senhor teu Deus te resgatou; por isso eu te ordeno isso hoje.

16 E será que, se ele te disser: Não me afastarei de ti, porque te ama a ti e à tua casa, porque está bem contigo;

17 Então tomarás uma sovela e a enfiarás na orelha dele até a porta, e ele será teu servo para sempre. E também à tua serva farás o mesmo.

18 Não te parecerá difícil, quando o despedires livre de ti; porque ele te valeu um empregado duplo, por te servir seis anos; e o Senhor teu Deus te abençoará em tudo o que fizeres.

19 Todos os primogênitos do teu gado e do teu rebanho santificarás ao Senhor teu Deus; não trabalharás com o primogênito do teu novilho, nem tosquiarás o primogênito das tuas ovelhas.

20 De ano em ano o comerás perante o Senhor teu Deus, no lugar que o Senhor escolher, tu e a tua casa.

21 E se nela houver alguma mancha, como se fosse coxo, ou cego, ou tiver alguma mácula, não a sacrificarás ao Senhor teu Deus.

22 Dentro das tuas portas o comerás; o imundo e o limpo o comerão igualmente, como a corça e como o veado.

23 Só não comerás do seu sangue; tu o derramarás sobre a terra como água.  


CAPÍTULO 16

De festas – Todo homem deve oferecer – De juízes e justiça – Bosques e imagens proibidos.

1 Guarda o mês de abibe e celebra a páscoa ao Senhor teu Deus; porque no mês de abibe o Senhor teu Deus te tirou de noite do Egito.

2 Portanto, sacrificarás a páscoa ao Senhor teu Deus, das ovelhas e do gado, no lugar que o Senhor escolher para ali pôr o seu nome.

3 Com ela não comerás pão levedado; sete dias comerás com ela pães ázimos, o pão da aflição; porque saíste apressadamente da terra do Egito; para que te lembres do dia em que saíste da terra do Egito todos os dias da tua vida.

4 E não se verá pão levedado contigo em toda a tua costa por sete dias; nem da carne que sacrificaste no primeiro dia à tarde ficará toda a noite até a manhã.

5 Não podes sacrificar a páscoa em nenhuma das tuas portas que o Senhor teu Deus te dá;

6 Mas no lugar que o Senhor teu Deus escolher para colocar o seu nome, ali sacrificarás a páscoa à tarde, ao pôr do sol, no tempo em que saíste do Egito.

7 E o assarás e o comerás no lugar que o Senhor teu Deus escolher; e te voltarás pela manhã, e irás para as tuas tendas.

8 Seis dias comerás pães ázimos; e no sétimo dia haverá uma assembléia solene ao Senhor teu Deus; não farás nenhum trabalho nele.

9 Sete semanas te contarás; comece a contar as sete semanas a partir do momento em que você começar a colocar a foice no milho.

10 E celebrarás a festa das semanas ao Senhor teu Deus com o tributo da oferta voluntária da tua mão, que darás ao Senhor teu Deus, conforme o Senhor teu Deus te abençoou;

11 E te alegrarás perante o Senhor teu Deus, tu e teu filho, e tua filha, e teu servo, e tua serva, e o levita que está dentro das tuas portas, e o estrangeiro, e o órfão, e a viúva, que estão entre vós, no lugar que o Senhor teu Deus escolheu para ali pôr o seu nome.

12 E te lembrarás que foste escravo no Egito; e observarás e cumprirás estes estatutos.

13 Sete dias celebrarás a festa dos tabernáculos, depois de haveres colhido o teu trigo e o teu vinho;

14 E na tua festa te alegrarás, tu e teu filho, e tua filha, e teu servo, e tua serva, e o levita, o estrangeiro, o órfão e a viúva que estão dentro das tuas portas.

15 Sete dias celebrarás uma festa solene ao Senhor teu Deus, no lugar que o Senhor escolher; porque o Senhor teu Deus te abençoará em toda a tua colheita e em todas as obras das tuas mãos, por isso certamente te alegrarás.

16 Três vezes no ano todos os teus homens aparecerão perante o Senhor teu Deus, no lugar que ele escolher; na festa dos pães ázimos, e na festa das semanas, e na festa dos tabernáculos; e não aparecerão vazios perante o Senhor;

17 Cada um dará conforme puder, conforme a bênção que o Senhor teu Deus te deu.

18 Juízes e oficiais te porás em todas as tuas portas que o Senhor teu Deus te der, em todas as tuas tribos; e eles julgarão o povo com justiça.

19 Não torcerás o juízo; não respeitarás as pessoas, nem aceitarás presentes; porque o dom cega os olhos dos sábios e perverte as palavras dos justos.

20 O que é totalmente justo seguirás, para que vivas e possuas a terra que o Senhor teu Deus te dá.

21 Não plantarás um bosque junto ao altar do Senhor teu Deus, que te farás.

22 Nem porás para ti imagem de escultura; que o Senhor teu Deus odeia.  


CAPÍTULO 17

As coisas sacrificadas devem ser sãs – Os idólatras devem ser mortos – Controvérsias difíceis devem ser determinadas pelos sacerdotes e juízes – A eleição e o dever de um rei.

1 Não sacrificarás ao Senhor teu Deus novilho ou ovelha em que haja defeito ou qualquer maldade; porque isso é abominação ao Senhor teu Deus.

2 Se for achado entre ti, em alguma das tuas portas que o Senhor teu Deus te dá, homem ou mulher, que tenha feito maldade aos olhos do Senhor teu Deus, transgredindo a sua aliança,

3 E foi e serviu a outros deuses, e os adorou, seja o sol, seja a lua, ou qualquer um do exército do céu, que eu não ordenei;

4 E te seja dito, e tu o ouviste, e inquiriste diligentemente, e eis que é verdade, e certo, que tal abominação se fez em Israel;

5 Então trarás à tua porta aquele homem ou aquela mulher que cometeu aquele mal, aquele homem ou aquela mulher, e os apedrejarás até que morram,

6 Pela boca de duas ou três testemunhas será morto o que for digno de morte; mas pela boca de uma testemunha não será morto.

7 As mãos das testemunhas serão as primeiras sobre ele para matá-lo, e depois as mãos de todo o povo. Assim, tirarás o mal do meio de ti.

8 Se surgir alguma questão muito difícil para ti em julgamento, entre sangue e sangue, entre súplica e súplica, e entre golpe e golpe, sendo assuntos de controvérsia dentro de tuas portas; então te levantarás e subirás ao lugar que o Senhor teu Deus escolher.

9 E virás aos sacerdotes levitas, e ao juiz que houver naqueles dias, e inquirirás; e eles te mostrarão a sentença do julgamento;

10 E farás conforme a sentença que te mostrarem os do lugar que o Senhor escolher; e cuidarás de fazer conforme tudo o que te informarem;

11 Conforme a sentença da lei que te ensinarem, e conforme o juízo que te disserem, farás; não recusarás a sentença que te mostrarem, nem para a direita, nem para a esquerda.

12 E o homem que agir com presunção e não der ouvidos ao sacerdote que está ali para ministrar ali perante o Senhor teu Deus, ou perante o juiz, esse homem morrerá; e afastarás o mal de Israel.

13 E todo o povo ouvirá, e temerá, e não agirá mais com presunção.

14 Quando vieres à terra que o Senhor teu Deus te dá, e a possuires, e nela habitares, e disseres: Porei sobre mim um rei, como todas as nações que estão ao meu redor;

15 Tu, de qualquer modo, porás rei sobre ti aquele a quem o Senhor teu Deus escolher; um de teus irmãos porás rei sobre ti; não podes colocar sobre ti um estranho que não seja teu irmão.

16 Mas não multiplicará para si cavalos, nem fará voltar o povo para o Egito, a fim de multiplicar cavalos; visto que o Senhor vos disse: Não voltareis mais por aquele caminho.

17 Nem multiplicará para si mulheres, para que o seu coração não se desvie; nem multiplicará muito para si prata e ouro.

18 E será que, quando ele se assentar no trono do seu reino, escreverá para ele uma cópia desta lei em um livro do que está diante dos sacerdotes levitas;

19 E estará com ele, e nele lerá todos os dias de sua vida; para que aprenda a temer ao Senhor seu Deus, a guardar todas as palavras desta lei e estes estatutos, para os cumprir;

20 para que o seu coração não se exalte acima de seus irmãos, e não se desvie do mandamento, nem para a direita, nem para a esquerda; para que ele prolongue os seus dias no seu reino, ele e seus filhos, no meio de Israel.  


CAPÍTULO 18

O Senhor é a herança dos sacerdotes e levitas – As abominações das nações devem ser evitadas – Cristo, o Profeta, deve ser ouvido – O profeta presunçoso deve morrer.

1 Os sacerdotes levitas, e toda a tribo de Levi, não terão parte nem herança com Israel; comerão as ofertas queimadas do Senhor e a sua herança.

2 Por isso não terão herança entre seus irmãos; o Senhor é a sua herança, como lhes disse.

3 E isto será devido ao sacerdote do povo, dos que oferecerem sacrifício, seja boi ou ovelha; e eles darão ao sacerdote a espádua, e as duas bochechas, e a boca.

4 Também as primícias do teu trigo, do teu vinho e do teu azeite, e as primícias da lã das tuas ovelhas lhe darás.

5 Porque o Senhor teu Deus o escolheu dentre todas as tuas tribos, para servir para servir em nome do Senhor, ele e seus filhos para sempre.

6 E se um levita vier de alguma das tuas portas de todo o Israel, onde peregrinou, e vier com todo o desejo de sua mente ao lugar que o Senhor escolher;

7 Então ministrará em nome do Senhor seu Deus, como fazem todos os seus irmãos, os levitas, que estão ali perante o Senhor.

8 Eles terão porções iguais para comer, além do que vem da venda de seu patrimônio.

9 Quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te dá, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações.

10 Não se achará entre vós quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem adivinhador, nem encantador, nem feiticeiro,

11 Ou um encantador, ou um consultor de espíritos familiares, ou um mago, ou um necromante.

12 Porque todos os que fazem essas coisas são abominação ao Senhor; e por causa dessas abominações o Senhor teu Deus os expulsa de diante de ti.

13 Serás perfeito para com o Senhor teu Deus.

14 Porque estas nações, que possuis, deram ouvidos aos observadores dos tempos e aos adivinhos; mas quanto a ti, o Senhor teu Deus não te permitiu fazer assim.

15 O Senhor teu Deus te suscitará um profeta do meio de ti, de teus irmãos, como eu; a ele ouvireis;

16 Conforme tudo o que pediste ao Senhor teu Deus em Horebe, no dia da assembléia, dizendo: Não mais ouvirei a voz do Senhor meu Deus, nem mais verei este grande fogo, para que não morra .

17 E o Senhor me disse: Eles falaram bem o que falaram.

18 Eu lhes suscitarei um profeta dentre seus irmãos, semelhante a ti, e porei minhas palavras em sua boca; e ele lhes falará tudo o que eu lhe ordenar.

19 E acontecerá que todo aquele que não der ouvidos às minhas palavras que ele falar em meu nome, eu o exigirei dele.

20 Mas o profeta que tiver a presunção de falar em meu nome uma palavra que eu não lhe mandei falar, ou que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.

21 E se disseres no teu coração: Como conheceremos a palavra que o Senhor não falou?

22 Quando um profeta fala em nome do Senhor, se a coisa não se seguir, nem acontecer, isso é o que o Senhor não falou, mas o profeta o falou com presunção; não terás medo dele.  


CAPÍTULO 19

As cidades de refúgio – O marco não deve ser removido – Duas testemunhas, pelo menos – A punição de uma testemunha falsa.

1 Quando o Senhor teu Deus extirpar as nações, cuja terra te dá o Senhor teu Deus, e tu as sucederes, e habitares nas suas cidades e nas suas casas;

2 Três cidades separarás para ti no meio da tua terra, que o Senhor teu Deus te dá para a possuíres.

3 Preparar-te-ás um caminho, e dividirás os limites da tua terra, que o Senhor teu Deus te dá em herança, em três partes, para que para lá fuja todo homicida.

4 E este é o caso do homicida, que para lá fugirá, para que viva: Aquele que mata seu próximo por ignorância, a quem não odiou outrora;

5 Como quando um homem vai ao bosque com seu vizinho para cortar lenha, e sua mão dá um golpe com o machado para cortar a árvore, e a cabeça escorrega do cinturão e cai sobre seu vizinho, e ele morre; ele fugirá para uma dessas cidades e viverá;

6 Para que o vingador do sangue não persiga o homicida, enquanto o seu coração está quente, e o alcance, porque o caminho é longo, e o mate; ao passo que ele não era digno de morte, pois não o odiava no passado.

7 Por isso te ordeno, dizendo: Três cidades separarás para ti.

8 E se o Senhor teu Deus aumentar o teu território, como jurou a teus pais, e te der toda a terra que prometeu dar a teus pais;

9 Se guardares todos estes mandamentos, para os cumprires, que hoje te ordeno, que ames o Senhor teu Deus e andes sempre nos seus caminhos; então acrescentarás mais três cidades para ti, além destas três;

10 Que o sangue inocente não seja derramado na tua terra, que o Senhor teu Deus te dá por herança, e assim o sangue seja sobre ti.

11 Mas, se alguém aborrecer o seu próximo, e lhe armar ciladas, e se levantar contra ele, e ferir-lhe mortalmente, para que morra, e fugir para uma destas cidades;

12 Então os anciãos da sua cidade mandarão buscá-lo dali, e o entregarão nas mãos do vingador do sangue, para que morra.

13 O teu olho não se compadecerá dele, mas tirarás de Israel a culpa do sangue inocente, para que te vá bem.

14 Não removerás o marco do teu próximo, que os antigos puseram na tua herança, que herdarás na terra que o Senhor teu Deus te dá para a possuires.

15 Uma testemunha não se levantará contra um homem por qualquer iniqüidade, ou por qualquer pecado, em qualquer pecado que ele pecar; pela boca de duas testemunhas, ou pela boca de três testemunhas, o assunto será estabelecido.

16 Se uma testemunha falsa se levantar contra alguém para depor contra ele o que é errado;

17 Então ambos os homens, entre os quais há controvérsia, comparecerão perante o Senhor, perante os sacerdotes e os juízes que houver naqueles dias;

18 E os juízes farão diligente inquisição; e eis que, se a testemunha for falsa, e depor falsamente contra seu irmão;

19 Então fareis a ele como ele pensava fazer a seu irmão; assim tirarás o mal do meio de ti.

20 E os que ficarem ouvirão, e temerão, e daqui em diante não cometerão mais tal mal entre vós.

21 E o teu olho não se compadecerá; mas vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé.  


CAPÍTULO 20

Exortação à batalha – Quem deve ser dispensado da guerra – A proclamação da paz – As árvores da carne do homem não devem ser destruídas.

1 Quando saires a pelejar contra os teus inimigos, e vires cavalos, e carros, e um povo maior do que tu, não os temas; porque contigo é o Senhor teu Deus, que te tirou da terra do Egito.

2 E será que, quando vos aproximardes da peleja, o sacerdote se aproximará e falará ao povo,

3 E lhes dirás: Ouve, ó Israel, que hoje te aproximas da peleja contra os teus inimigos; não desfaleça o vosso coração, não temais, nem tremais, nem vos espanteis por causa deles;

4 Pois o Senhor teu Deus é aquele que vai contigo, para pelejar por ti contra os teus inimigos, para te salvar.

5 E os oficiais falarão ao povo, dizendo: Qual é o homem que construiu uma casa nova e não a consagrou? deixe-o ir e volte para sua casa, para que não morra na batalha, e outro homem a dedique.

6 E qual é o homem que plantou uma vinha e ainda não comeu dela? também ele vá e volte para sua casa, para que não morra na peleja, e outro coma dela.

7 E qual é o homem que se casou com uma mulher e não a tomou? deixe-o ir e volte para sua casa, para que não morra na batalha, e outro homem a leve.

8 E os oficiais falarão mais ao povo, e dirão: Qual é o homem medroso e medroso? deixe-o ir e volte para sua casa, para que não desfaleça o coração de seus irmãos, bem como o seu coração.

9 E será que, quando os oficiais acabarem de falar ao povo, eles farão capitães dos exércitos para liderar o povo.

10 Quando chegares perto de uma cidade para pelejares contra ela, anuncia-lhe paz.

11 E será que, se te der resposta de paz e te abrir, então será que todo o povo que se achar nela te será tributário e te servirá.

12 E se ela não fizer paz contigo, mas fizer guerra contra ti, então a sitiarás;

13 E quando o Senhor teu Deus a entregar nas tuas mãos, ferirás a cada macho dela com o fio da espada;

14 Mas as mulheres, e os pequeninos, e o gado, e tudo o que há na cidade, e todo o seu despojo, tomarás para ti; e comerás o despojo dos teus inimigos, que o Senhor teu Deus te deu.

15 Assim farás a todas as cidades que estão muito longe de ti, que não são das cidades destas nações.

16 Mas das cidades deste povo, que o Senhor teu Deus te dá por herança, não deixarás com vida nada que respire;

17 Mas tu os destruirás totalmente; a saber, os heteus e os amorreus, os cananeus e os ferezeus, os heveus e os jebuseus; como o Senhor teu Deus te ordenou;

18 para que vos ensinem a não fazer conforme todas as abominações que fizeram aos seus deuses; assim pecareis contra o Senhor vosso Deus.

19 Quando por muito tempo sitiares uma cidade, fazendo guerra contra ela para tomá-la, não destruirás as suas árvores com um machado; porque deles podes comer, e não os cortarás (porque a árvore do campo é a vida do homem) para empregá-los no cerco;

20 Somente as árvores que sabes que não são árvores para alimento, tu as destruirás e cortarás; e construirás baluartes contra a cidade que te fizer guerra, até que seja subjugada.  


CAPÍTULO 21

De assassinato incerto – Cativo tomado como esposa – O primogênito para não ser deserdado – De um filho teimoso – O malfeitor.

1 Se alguém for encontrado morto na terra que o Senhor teu Deus te dá para a possuires, jazendo no campo, e não se souber quem o matou;

2 Então os teus anciãos e os teus juízes sairão, e medirão as cidades que estão ao redor do morto;

3 E será que na cidade que estiver próxima do morto, sim, os anciãos daquela cidade tomarão uma novilha que não foi trabalhada, e que não levou o jugo;

4 E os anciãos daquela cidade farão descer a novilha a um vale áspero, que não se semeou nem semeou, e cortarão o pescoço da novilha ali no vale.

5 E os sacerdotes, filhos de Levi, chegarão; para eles o Senhor teu Deus escolheu para servi-lo e abençoar em nome do Senhor; e por sua palavra toda controvérsia e todo golpe serão julgados;

6 E todos os anciãos daquela cidade, que estiverem próximos do morto, lavarão as mãos sobre a novilha que for degolada no vale;

7 E eles responderão e dirão: Nossas mãos não derramaram este sangue, nem nossos olhos o viram.

8 Compadece-te, Senhor, do teu povo Israel, a quem remiste, e não ponhas sangue inocente ao teu povo sob o comando de Israel. E o sangue lhes será perdoado.

9 Assim eliminarás do meio de ti a culpa do sangue inocente, quando fizeres o que é reto aos olhos do Senhor.

10 Quando saires à guerra contra os teus inimigos, e o Senhor teu Deus os entregar nas tuas mãos, e os levares cativos,

11 E vês entre os cativos uma mulher formosa, e desejas que ela a queiras para tua mulher;

12 Então a farás voltar para a tua casa; ela rapará a cabeça e cortará as unhas;

13 E tirará de si as vestes do seu cativeiro, e ficará em tua casa, e chorará a seu pai e a sua mãe um mês inteiro; e depois disso irás ter com ela, e serás seu marido, e ela será tua mulher.

14 E será que, se não te deleitas nela, então a deixarás ir aonde ela quiser; mas não a venderás por dinheiro, não farás comércio dela, porque a humilhaste.

15 Se um homem tiver duas mulheres, uma amada e outra odiada, e elas lhe derem filhos, tanto a amada como a odiada; e se o primogênito for dela, o que foi odiado;

16 Então será que, quando fizer a seus filhos herdar o que tem, não fará primogênito o filho da amada antes do filho da aborrecida, que na verdade é o primogênito;

17 Mas ao filho da aborrecida reconhecerá por primogênito, dando-lhe porção dobrada de tudo quanto tiver; pois ele é o princípio de sua força; o direito do primogênito é dele.

18 Se um homem tiver um filho obstinado e rebelde, que não obedece à voz de seu pai, nem à voz de sua mãe, e que, quando o castigam, não lhes dá ouvidos;

19 Então seu pai e sua mãe o agarrarão, e o levarão aos anciãos da sua cidade, e à porta do seu lugar;

20 E dirão aos anciãos da sua cidade: Este nosso filho é obstinado e rebelde, não obedece à nossa voz; ele é um glutão e um bêbado.

21 E todos os homens da sua cidade o apedrejarão com pedras, até que morra; assim tirarás o mal do meio de ti; e todo o Israel ouvirá e temerá.

22 E se um homem tiver cometido um pecado digno de morte, e for morto, e tu o pendurares no madeiro;

23 O seu corpo não ficará a noite toda no madeiro, mas de qualquer modo o enterrarás naquele dia; (porque o enforcado é amaldiçoado por Deus;) que a tua terra não seja contaminada, que o Senhor teu Deus te dá por herança.  


CAPÍTULO 22

Da humanidade para com os irmãos – O sexo deve ser distinguido pelo vestuário – A confusão deve ser evitada – A punição daquele que calunia sua esposa – Do adultério, do estupro, da fornicação – Incesto.

1 Não verás desgarrado o boi ou a ovelha de teu irmão, nem te esconderás deles; em todo o caso os trarás de novo a teu irmão.

2 E se teu irmão não estiver perto de ti, ou se não o conheceres, então o trarás para tua própria casa, e ficará contigo até que teu irmão o procure, e tu o devolverás a ele.

3 Da mesma maneira farás com o seu jumento; e assim farás com as suas vestes; e com todas as coisas perdidas de teu irmão, que ele perdeu, e tu achaste, farás o mesmo; não podes esconder-te.

4 Não verás o jumento de teu irmão ou o seu boi cair pelo caminho, e não te esconderás deles; certamente o ajudarás a levantá-los novamente.

5 A mulher não usará roupa de homem, nem o homem vestirá roupa de mulher; porque todos os que assim fazem são abominação ao Senhor teu Deus.

6 Se o ninho de um pássaro estiver diante de ti no caminho, em alguma árvore, ou no chão, sejam filhotes ou ovos, e a mãe posando sobre os filhotes ou sobre os ovos, não tomarás a mãe com os jovens;

7 Mas tu, de qualquer modo, deixarás ir a represa, e levarás os filhotes para ti; para que te vá bem e para que prolongues os teus dias.

8 Quando construires uma casa nova, farás uma ameia para o teu telhado, para que não derrames sangue sobre a tua casa, se dela cair alguém.

9 Não semearás a tua vinha com sementes diversas; para que o fruto da tua semente que semeaste, e o fruto da tua vinha sejam contaminados.

10 Não lavrarás com boi e jumento juntos.

11 Não usarás vestimenta de vários tipos, como de lã e linho juntos.

12 Far-te-ás franjas nos quatro quartos da tua veste, com que te cobres.

13 Se algum homem tomar uma mulher, e for ter com ela, e a odiar,

14 E dar ocasião de falar contra ela, e trazer um nome maligno sobre ela, e dizer: Tomei esta mulher, e quando cheguei a ela, não a encontrei serva;

15 Então o pai da donzela, e sua mãe, tomarão e trarão os sinais da virgindade da donzela aos anciãos da cidade na porta;

16 E o pai da donzela dirá aos anciãos: Dei minha filha por mulher a este homem, e ele a odeia;

17 E eis que ele deu ocasião de falar contra ela, dizendo: Não achei serva para tua filha; e, no entanto, estes são os sinais da virgindade de minha filha. E estenderão o pano diante dos anciãos da cidade.

18 E os anciãos daquela cidade tomarão aquele homem e o castigarão;

19 E eles o punirão em cem siclos de prata, e os darão ao pai da donzela, porquanto fez subir um mau nome sobre uma virgem de Israel; e ela será sua esposa; ele não pode repudiá-la todos os seus dias.

20 Mas se isto for verdade, e os sinais de virgindade não forem achados para a donzela;

21 Então trarão a donzela à porta da casa de seu pai, e os homens da sua cidade a apedrejarão até que morra; porque fez loucura em Israel, prostituindo-se na casa de seu pai; assim tirarás o mal do meio de ti.

22 Se um homem for encontrado deitado com uma mulher casada com marido, ambos morrerão, tanto o homem que se deitou com a mulher como a mulher; assim afastarás o mal de Israel.

23 Se uma donzela virgem estiver desposada com marido, e um homem a achar na cidade e se deitar com ela;

24 Então trareis ambos à porta daquela cidade, e os apedrejareis até que morram; a donzela, porque não chorou, estando na cidade; e o homem, porque humilhou a mulher do seu próximo; assim tirarás o mal do meio de ti.

25 Mas se um homem achar no campo uma moça desposada, e a forçar, e se deitar com ela; então só o homem que se deitou com ela morrerá;

26 Mas à donzela nada farás; não há na donzela pecado digno de morte; pois como quando um homem se levanta contra seu próximo e o mata, assim é este assunto;

27 Pois ele a achou no campo, e a moça desposada chorou, e não havia quem a salvasse.

28 Se um homem achar uma donzela virgem, que não está desposada, e a agarrar, e se deitar com ela, e for achado;

29 Então o homem que se deitou com ela dará ao pai da moça cinqüenta siclos de prata, e ela será sua mulher; porque ele a humilhou, ele não pode repudiá-la todos os seus dias.

30 O homem não tomará a mulher de seu pai, nem descobrirá a saia de seu pai.  


CAPÍTULO 23

Proibições diversas. 

1 Aquele que for ferido nas pedras, ou tiver o seu membro decepado, não entrará na congregação do Senhor.

2 Um bastardo não entrará na congregação do Senhor; até a sua décima geração não entrará na congregação do Senhor.

3 Nem amonita nem moabita entrará na congregação do Senhor; até a décima geração não entrarão na congregação do Senhor para sempre;

4 Porque não vos encontraram com pão e água no caminho, quando saístes do Egito; e porque contrataram contra ti Balaão, filho de Beor, de Petor, da Mesopotâmia, para te amaldiçoar.

5 Não obstante, o Senhor teu Deus não quis dar ouvidos a Balaão; mas o Senhor teu Deus transformou a maldição em bênção para ti, porque o Senhor teu Deus te amou.

6 Não procurarás a sua paz nem a sua prosperidade todos os teus dias para sempre.

7 Não abominarás o edomita; porque ele é teu irmão; não abominarás um egípcio; porque foste estrangeiro na sua terra.

8 Os filhos que deles forem gerados entrarão na congregação do Senhor em sua terceira geração.

9 Quando o exército sair contra os teus inimigos, guarda-te de todo mal.

10 Se houver entre vós algum homem que não esteja limpo por causa da impureza que lhe sucede durante a noite, então sairá do arraial, não entrará no arraial;

11 Mas será que, ao cair da tarde, ele se lavará com água; e quando o sol se puser, ele voltará ao acampamento.

12 Terás também um lugar fora do arraial, para onde sairás;

13 E terás uma pá sobre a tua arma, e será que, quando te libertares, cavarás com ela, e voltarás e cobrirá o que vem de ti;

14 Porque o Senhor teu Deus anda no meio do teu arraial, para te livrar, e para entregar os teus inimigos diante de ti; por isso o teu acampamento será santo; para que não veja em ti coisa impura, e se afaste de ti.

15 Não entregarás ao seu senhor o servo que te escapou do seu senhor;

16 Ele habitará contigo, mesmo no meio de ti, no lugar que escolher em uma das tuas portas, onde melhor lhe aprouver; não o oprimirás.

17 Não haverá prostituta das filhas de Israel, nem sodomita dos filhos de Israel.

18 Não trarás salário de prostituta, nem preço de cão, à casa do Senhor teu Deus por nenhum voto; porque mesmo ambos são abominação ao Senhor teu Deus.

19 Não emprestarás com usura a teu irmão; usura de dinheiro, usura de alimentos, usura de qualquer coisa emprestada com usura;

20 Ao estrangeiro podes emprestar com usura; mas a teu irmão não emprestarás com usura; para que o Senhor teu Deus te abençoe em tudo em que puseres a mão na terra a que vais para a possuir.

21 Quando fizeres um voto ao Senhor teu Deus, não tardarás em cumpri-lo; porque o Senhor teu Deus certamente o exigirá de ti; e seria pecado em ti.

22 Mas se deixares de votar, não haverá pecado em ti.

23 O que saiu dos teus lábios guardarás e farás; sim, uma oferta voluntária, conforme juraste ao Senhor teu Deus, que prometeste com a tua boca.

24 Quando entrares na vinha do teu próximo, podes comer uvas à tua vontade; mas não porás nenhum no teu vaso.

25 Quando entrares no grão em pé do teu próximo, então poderás arrancar as espigas com a tua mão; mas não moverás a foice no grão em pé do teu próximo.  


CAPÍTULO 24

De divórcio, promessas, ladrões de homens, lepra, justiça e caridade.

1 Quando um homem tomou uma mulher e se casou com ela, e aconteceu que ela não achou graça aos seus olhos, porque ele achou alguma impureza nela; então que ele lhe escreva uma carta de divórcio, e dê-a em sua mão, e a expulse de sua casa.

2 E quando ela for embora, fora de sua casa, ela pode ir e ser mulher de outro homem.

3 E se este último marido a aborrecer, e lhe escrever uma carta de divórcio, e a der em sua mão, e a despedir de sua casa; ou se este último marido morrer, o que a levou para ser sua esposa;

4 Seu ex-marido, que a despediu, não poderá tomá-la novamente para ser sua esposa, depois que ela estiver contaminada; pois isso é abominação diante do Senhor; e não farás pecar a terra que o Senhor teu Deus te dá por herança.

5 Quando um homem tiver uma nova mulher, não sairá à guerra, nem será encarregado de qualquer negócio; mas ele ficará livre em casa por um ano, e animará sua mulher que tomou.

6 Ninguém tomará como penhor a mó inferior nem a superior; pois ele toma a vida de um homem como penhor.

7 Se um homem for achado roubando algum de seus irmãos dos filhos de Israel e fizer comércio dele, ou o vender; então esse ladrão morrerá; e tirarás o mal do meio de ti.

8 Guarda-te na praga da lepra, que observes com diligência, e faça conforme tudo o que os sacerdotes levitas te ensinarem; como lhes ordenei, assim devereis fazer.

9 Lembra-te do que o Senhor teu Deus fez a caminho de Miriã, depois que saíste do Egito.

10 Quando emprestares alguma coisa a teu irmão, não entrarás em sua casa para buscar seu penhor.

11 Ficarás no exterior, e o homem a quem emprestares te trará o penhor no exterior.

12 E se o homem for pobre, não dormirás com o seu penhor;

13 Em todo o caso, quando o sol se puser, lhe devolverás o penhor, para que durma com as suas vestes e te abençoe; e isso te será justiça perante o Senhor teu Deus.

14 Não oprimirás o mercenário pobre e necessitado, quer seja de teus irmãos, quer de teus estrangeiros que estão na tua terra dentro das tuas portas;

15 No seu dia lhe darás o seu salário, nem o sol se porá sobre ele; porque ele é pobre e põe o seu coração nisso; para que não clame contra ti ao Senhor, e haja em ti pecado.

16 Os pais não serão mortos pelos filhos, nem os filhos pelos pais; todo homem será morto por seu próprio pecado.

17 Não perverterás o juízo do estrangeiro, nem do órfão; nem tome como penhor as vestes de uma viúva;

18 Mas te lembrarás de que foste escravo no Egito, e dali o Senhor teu Deus te resgatou; por isso te ordeno que faças isto.

19 Quando fizeres a tua colheita no teu campo, e te esqueceres de um molho no campo, não voltarás a buscá-lo; será para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva; para que o Senhor teu Deus te abençoe em toda a obra das tuas mãos.

20 Quando bateres a tua oliveira, não voltarás a passar pelos ramos; será para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva.

21 Quando colheres as uvas da tua vinha, não as recolherás depois; será para o estrangeiro, para o órfão e para a viúva.

22 E te lembrarás que foste escravo na terra do Egito; por isso te ordeno que faças isto.  


CAPÍTULO 25

As listras não devem exceder quarenta – O boi não deve ser amordaçado – De criar semente para um irmão – A mulher indecente – Pesos injustos – A memória de Amaleque deve ser apagada.

1 Se houver contenda entre os homens, e eles vierem a julgamento, para que os juízes os julguem; então justificarão os justos e condenarão os ímpios.

2 E será que, se o ímpio for digno de ser açoitado, o juiz o fará deitar-se e ser açoitado diante de sua face, conforme sua falta, por um certo número.

3 Quarenta chicotadas ele pode dar-lhe, sem exceder; para que, se ele exceder, e vencê-lo acima destes com muitos açoites, então teu irmão te parecerá vil.

4 Não atarás a boca ao boi quando debulha o trigo.

5 Se os irmãos morarem juntos, e um deles morrer e não tiver filhos, a mulher do morto não se casará de fora com estranho; o irmão de seu marido entrará para ela, e a tomará por esposa, e cumprirá o dever de irmão de um marido para com ela.

6 E será que o primogênito que ela der à luz terá o nome de seu irmão que está morto, para que o nome dele não seja tirado de Israel.

7 E se o homem não quiser tomar a mulher de seu irmão, então suba a mulher de seu irmão à porta aos anciãos, e diga: O irmão de meu marido recusa levantar a seu irmão um nome em Israel, ele não fará o dever do irmão do meu marido.

8 Então os anciãos da sua cidade o chamarão e lhe falarão; e se ele aceitar e disser, eu não gosto de levá-la;

9 Então a mulher de seu irmão virá ter com ele na presença dos anciãos, e tirará o sapato de seu pé, e cuspirá em seu rosto, e responderá e dirá: Assim se fará ao homem que não quer edificar casa de seu irmão.

10 E o seu nome será chamado em Israel: A casa daquele que desatou o sapato.

11 Quando os homens brigam uns com os outros, e a mulher de um se aproxima para livrar seu marido da mão daquele que o fere, e estende a mão e o prende pelos segredos;

12 Então cortarás a mão dela, o teu olho não se compadecerá dela.

13 Não terás na tua bolsa vários pesos, um grande e um pequeno;

14 Não terás em tua casa diversas medidas, uma grande e uma pequena;

15 Mas terás um peso perfeito e justo, uma medida perfeita e justa terás; para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.

16 Porque todos os que fazem tais coisas, e todos os que praticam injustiça, são abominação ao Senhor teu Deus.

17 Lembra-te do que te fez Amaleque no caminho, quando saíste do Egito;

18 Como ele te encontrou no caminho, e feriu o último de ti, mesmo todos os que estavam fracos atrás de ti, quando estavas fraco e cansado; e não temeu a Deus.

19 Portanto, quando o Senhor teu Deus te der descanso de todos os teus inimigos ao redor, na terra que o Senhor teu Deus te dá por herança para a possuires, apagarás de debaixo a memória de Amaleque paraíso; não o esquecerás.  


CAPÍTULO 26

Das primícias – Dízimos do terceiro ano – A aliança entre Deus e o povo.

1 E será que, quando entrares na terra que o Senhor teu Deus te der por herança, e a possuires, e nela habitares;

2 Tomarás das primícias de todos os frutos da terra, que trouxeres da tua terra, que o Senhor teu Deus te der, e os porás num cesto, e irás ao lugar que o Senhor teu Deus escolherá colocar seu nome lá.

3 E irás ao sacerdote que estiver naqueles dias e lhe dirás: Confesso hoje ao Senhor teu Deus que vim à terra que o Senhor jurou a nossos pais que nos daria.

4 E o sacerdote tomará o cesto da tua mão e o porá diante do altar do Senhor teu Deus.

5 E falarás e dirás perante o Senhor teu Deus: Um sírio prestes a perecer era meu pai; e ele desceu ao Egito, e peregrinou ali com alguns, e se tornou ali uma nação grande, poderosa e populosa;

6 E os egípcios maltrataram-nos, e afligiram-nos, e puseram sobre nós dura servidão;

7 E quando clamamos ao Senhor Deus de nossos pais, o Senhor ouviu nossa voz e olhou para nossa aflição e nosso trabalho e nossa opressão;

8 E o Senhor nos tirou do Egito com mão forte, e com braço estendido, e com grande espanto, e com sinais e prodígios;

9 E nos trouxe a este lugar, e nos deu esta terra, terra que mana leite e mel.

10 E agora, eis que trouxe as primícias da terra que tu, ó Senhor, me deste. E o porás perante o Senhor teu Deus, e o adorarás perante o Senhor teu Deus;

11 E te alegrarás em todo bem que o Senhor teu Deus te deu a ti e à tua casa, tu e o levita, e o estrangeiro que está no meio de ti.

12 Quando acabares de dar o dízimo de todos os dízimos da tua renda no terceiro ano, que é o ano do dízimo, e o deres ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas , e ser preenchido;

13 Então dirás perante o Senhor teu Deus: Tirei de minha casa as coisas sagradas, e também as dei ao levita, e ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, segundo todas as tuas mandamentos que me ordenaste; não transgredi os teus mandamentos, nem os esqueci;

14 Não comi dela no meu luto, nem dela tirei para uso impuro, nem dei nada dela pelos mortos; mas dei ouvidos à voz do Senhor meu Deus, e fiz conforme tudo o que me ordenaste.

15 Olha desde a tua santa habitação, desde o céu, e abençoa o teu povo Israel, e a terra que nos deste, como juraste a nossos pais, terra que mana leite e mel.

16 Hoje o Senhor teu Deus te ordenou que cumprisses estes estatutos e juízos; Tu, pois, as guardarás e as farás de todo o teu coração e de toda a tua alma.

17 Tu hoje declaraste ao Senhor ser teu Deus, e andar nos seus caminhos, e guardar os seus estatutos, e os seus mandamentos, e os seus juízos, e dar ouvidos à sua voz;

18 E o Senhor te declarou hoje para ser seu povo peculiar, como ele te prometeu, e que você deve guardar todos os seus mandamentos;

19 E para te exaltar sobre todas as nações que ele fez, em louvor, e em nome, e em honra; e para que sejas um povo santo ao Senhor teu Deus, como ele tem falado.  


CAPÍTULO 27

O povo para escrever a lei em pedras e construir um altar – As tribos divididas – As maldições pronunciadas.

1 E Moisés com os anciãos de Israel ordenaram ao povo, dizendo: Guardai todos os mandamentos que hoje vos ordeno.

2 E será que, no dia em que passardes o Jordão para a terra que o Senhor teu Deus te dá, levantarás grandes pedras e as rebocarás;

3 E escreverás sobre eles todas as palavras desta lei, quando tiveres passado, para que entres na terra que o Senhor teu Deus te dá, terra que mana leite e mel; como o Senhor Deus de teus pais te prometeu.

4 Portanto, quando passardes o Jordão, levantareis estas pedras, que hoje vos ordeno, no monte Ebal, e as rebocarás com gesso.

5 E ali edificarás um altar ao Senhor teu Deus, um altar de pedras; não levantarás nenhuma ferramenta de ferro sobre eles.

6 De pedras inteiras edificarás o altar do Senhor teu Deus; e sobre ela oferecerás holocaustos ao Senhor teu Deus;

7 E oferecerás ofertas pacíficas, e comerás ali, e te alegrarás perante o Senhor teu Deus.

8 E escreverás nas pedras todas as palavras desta lei muito claramente.

9 E Moisés e os sacerdotes levitas falaram a todo o Israel, dizendo: Atende e ouve, ó Israel; hoje tu te tornaste povo do Senhor teu Deus.

10 Tu, pois, obedecerás à voz do Senhor teu Deus, e cumprirás os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno.

11 E no mesmo dia Moisés ordenou ao povo, dizendo:

12 Estes estarão no monte Gerizim para abençoar o povo, quando passardes o Jordão; Simeão, Levi, Judá, Issacar, José e Benjamim;

13 E estes estarão no monte Ebal para amaldiçoar; Rúben, Gade e Aser, e Zebulom, Dã e Naftali.

14 E os levitas falarão, e dirão a todos os homens de Israel em alta voz:

15 Maldito o homem que fizer imagem esculpida ou fundida, abominação ao Senhor, obra das mãos do artífice, e a puser em lugar oculto; e todo o povo responderá e dirá: Amém.

16 Maldito aquele que lançar luz por seu pai ou por sua mãe; e todo o povo dirá: Amém.

17 Maldito aquele que remover o marco do seu próximo; e todo o povo dirá: Amém.

18 Maldito aquele que desviar o caminho do cego; e todo o povo dirá: Amém.

19 Maldito aquele que perverter o juízo do estrangeiro, órfão e viúva; e todo o povo dirá: Amém.

20 Maldito aquele que se deitar com a mulher de seu pai; porque descobriu a saia de seu pai; e todo o povo dirá: Amém.

21 Maldito aquele que se deitar com qualquer animal; e todo o povo dirá: Amém.

22 Maldito aquele que se deitar com sua irmã, filha de seu pai, ou filha de sua mãe; e todo o povo dirá: Amém.

23 Maldito aquele que se deitar com sua sogra; e todo o povo dirá: Amém.

24 Maldito aquele que ferir o seu próximo às escondidas; e todo o povo dirá: Amém.

25 Maldito aquele que receber recompensa para matar um inocente; e todo o povo dirá: Amém.

26 Maldito aquele que não confirmar todas as palavras desta lei para cumpri-las; e todo o povo dirá: Amém.  


CAPÍTULO 28

As bênçãos pela obediência – As maldições pela desobediência.

1 E acontecerá que, se ouvires diligentemente a voz do Senhor teu Deus, para guardares e cumprires todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o Senhor teu Deus te exaltará sobre todas as nações da Terra;

2 E todas estas bênçãos virão sobre ti e te alcançarão, se ouvires a voz do Senhor teu Deus.

3 Bem-aventurado serás na cidade, e bendito serás no campo.

4 Bem-aventurado será o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, e o fruto do teu gado, a criação das tuas vacas e os rebanhos das tuas ovelhas.

5 Bem-aventurado será o teu cesto e o teu mantimento.

6 Bendito serás quando entrares, e bendito serás quando saires.

7 O Senhor fará com que os teus inimigos que se levantam contra ti sejam feridos diante de ti; eles sairão contra ti por um caminho, e fugirão diante de ti por sete caminhos.

8 O Senhor ordenará a bênção sobre ti nos teus celeiros e em tudo em que puseres a mão; e ele te abençoará na terra que o Senhor teu Deus te dá.

9 O Senhor te confirmará para si um povo santo, como te jurou, se guardares os mandamentos do Senhor teu Deus, e andares nos seus caminhos.

10 E todos os povos da terra verão que és chamado pelo nome do Senhor; e eles terão medo de ti.

11 E o Senhor te dará abundância em bens, no fruto do teu ventre, e no fruto do teu gado, e no fruto da tua terra, na terra que o Senhor jurou a teus pais dar-te.

12 O Senhor te abrirá o seu bom tesouro, o céu, para dar chuva à tua terra a seu tempo, e para abençoar toda a obra das tuas mãos; e emprestarás a muitas nações, e não tomarás emprestado.

13 E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não em baixo; se deres ouvidos aos mandamentos do Senhor teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardares e os cumprires;

14 E não te desviarás de nenhuma das palavras que hoje te ordeno, nem para a direita nem para a esquerda, para seguires outros deuses para os servires.

15 Mas acontecerá que, se não ouvires a voz do Senhor teu Deus, para guardares todos os seus mandamentos e estatutos que hoje te ordeno, todas estas maldições virão sobre ti e te alcançarão te;

16 Maldito serás na cidade, e maldito serás no campo.

17 Maldito será o teu cesto e o teu mantimento.

18 Maldito será o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, a produção das tuas vacas e os rebanhos das tuas ovelhas.

19 Maldito serás quando entrares, e maldito serás quando saires,

20 O Senhor enviará sobre ti maldição, vexação e repreensão em tudo o que fizeres com a mão, até que sejas destruído e rapidamente pereças; por causa da maldade dos teus atos, com que me abandonaste.

21 O Senhor fará com que a peste se apegue a ti, até que te consuma da terra para a qual vais possuí-la.

22 O Senhor te ferirá com tuberculose, e com febre, e com inflamação, e com grande queimadura, e com espada, e com fogo e com bolor; e eles te perseguirão até que pereças.

23 E o teu céu que está sobre a tua cabeça será de bronze, e a terra que está debaixo de ti será de ferro.

24 O Senhor fará com que a chuva da tua terra seja pó e pó; do céu descerá sobre ti, até que sejas destruído.

25 O Senhor te fará ferir diante dos teus inimigos; por um caminho sairás contra eles, e por sete caminhos fugirás diante deles; e será removido para todos os reinos da terra.

26 E o teu cadáver servirá de pasto para todas as aves do céu e para os animais da terra, e ninguém os desfará.

27 O Senhor te ferirá com a sarna do Egito, e com os emerods, e com a sarna, e com a coceira, de que não podes ser curado.

28 O Senhor te ferirá com loucura, e cegueira, e espanto de coração;

29 Apalparás ao meio-dia, como o cego apalpa nas trevas, e não prosperarás nos teus caminhos; e tu serás apenas oprimido e despojado para sempre, e ninguém te salvará.

30 Desposarás uma mulher, e outro homem se deitará com ela; edificarás uma casa, e não habitarás nela; plantarás uma vinha, e não colherás as suas uvas.

31 O teu boi será morto diante dos teus olhos, e dele não comerás; teu jumento será tirado violentamente de diante de tua face, e não será restituído a ti; as tuas ovelhas serão dadas aos teus inimigos, e não terás quem as resgate.

32 Teus filhos e tuas filhas serão dados a outro povo, e os teus olhos olharão, e desfalecerão de saudades deles todo o dia; e não haverá força na tua mão.

33 O fruto da tua terra e todo o teu trabalho comerá uma nação que não conheces; e tu serás apenas oprimido e esmagado para sempre;

34 De modo que enlouquecerás com a visão dos teus olhos que verás.

35 O Senhor te ferirá nos joelhos e nas pernas com uma chaga que não pode ser curada, desde a planta do teu pé até o alto da tua cabeça.

36 O Senhor te trará a ti e ao teu rei, que puseste sobre ti, a uma nação que nem tu nem teus pais conheceram; e ali servirás a outros deuses, madeira e pedra.

37 E tu serás um espanto, um provérbio e um provérbio, entre todas as nações para onde o Senhor te conduzir.

38 Levarás muita semente ao campo, e colherás pouca; porque o gafanhoto a consumirá.

39 Plantarás vinhas e as lavrarás, mas não beberás do vinho, nem colherás as uvas; porque os vermes os comerão.

40 Terás oliveiras em todos os teus termos, mas não te ungirás com azeite; porque a tua azeitona lançará o seu fruto.

41 Tu gerarás filhos e filhas, mas não os desfrutarás; porque irão para o cativeiro.

42 Todas as tuas árvores e frutos da tua terra os gafanhotos consumirão.

43 O estrangeiro que está dentro de ti subirá acima de ti muito alto; e tu descerás muito baixo.

44 Ele te emprestará, e tu não emprestarás a ele; ele será a cabeça, e tu serás a cauda.

45 Além disso, todas estas maldições virão sobre ti, e te perseguirão, e te alcançarão, até que sejas destruído; porque não deste ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para guardares os seus mandamentos e os seus estatutos que ele te ordenou.

46 E eles estarão sobre ti por sinal e por maravilha, e sobre tua descendência para sempre.

47 Porquanto não serviste ao Senhor teu Deus com alegria e com alegria de coração, pela abundância de todas as coisas;

48 Portanto, servirás aos teus inimigos, que o Senhor enviará contra ti, com fome, e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e ele porá um jugo de ferro sobre o teu pescoço, até que te destrua.

49 O Senhor levantará contra ti uma nação de longe, da extremidade da terra, tão veloz como o vôo da águia; uma nação cuja língua não entenderás;

50 Nação feroz de semblante, que não fará caso do velho, nem se compadecerá do jovem;

51 E comerá o fruto do teu gado, e o fruto da tua terra, até que sejas destruído; que também não te deixará nem trigo, nem vinho, nem azeite, nem as crias das tuas vacas, nem rebanhos das tuas ovelhas, até que te tenha destruído.

52 E ele te sitiará em todas as tuas portas, até que desmoronem os teus altos e fortes muros, em que confiaste, em toda a tua terra; e ele te sitiará em todas as tuas portas, em toda a tua terra, que o Senhor teu Deus te deu.

53 E comerás o fruto do teu ventre, a carne de teus filhos e de tuas filhas, que o Senhor teu Deus te deu, no cerco e no aperto com que os teus inimigos te afligirão;

54 De modo que o homem que entre vós é tenro e muito delicado, o seu olhar será mau para com o seu irmão, e para com a mulher do seu seio, e para com o resto dos seus filhos que deixar;

55 Para que não dê a nenhum deles da carne de seus filhos que comer; porque nada lhe restou no cerco e no aperto com que os teus inimigos te afligirão em todas as tuas portas.

56 A mulher terna e delicada entre vós, que não se atreveria a colocar a planta do pé no chão por delicadeza e ternura, seus olhos serão maus para com o marido do seu seio, e para com seu filho, e para sua filha.

57 E para com a sua cria que sai de entre os seus pés, e para com os filhos que ela der à luz; porque ela os comerá por falta de tudo às escondidas no cerco e no aperto, com que o teu inimigo te afligirá nas tuas portas.

58 Se não cuidares de cumprir todas as palavras desta lei, que estão escritas neste livro, para temeres este nome glorioso e terrível, O SENHOR TEU DEUS;

59 Então o Senhor tornará as tuas pragas maravilhosas, e as pragas da tua descendência, sim grandes pragas, e de longa duração, e doenças dolorosas, e de longa duração.

60 Além disso, ele trará sobre ti todas as doenças do Egito, de que temeste; e eles se apegarão a ti.

61 Também toda doença e toda praga que não está escrita no livro desta lei, o Senhor trará sobre ti, até que sejas destruído.

62 E sereis poucos em número, ao passo que em multidão fostes como as estrelas do céu; porque não quiseste ouvir a voz do Senhor teu Deus.

63 E acontecerá que, assim como o Senhor se alegrou em vós, para vos fazer bem e para vos multiplicar; assim o Senhor se alegrará sobre você para destruí-lo e reduzi-lo a nada; e sereis arrebatados da terra para a qual fordes possuí-la.

64 E o Senhor te espalhará entre todos os povos, desde uma extremidade da terra até a outra; e ali servirás a outros deuses, que nem tu nem teus pais conheceram, madeira e pedra.

65 E entre estas nações não terás descanso, nem a planta do teu pé terá descanso; mas o Senhor ali te dará um coração trêmulo, e desfalecimento de olhos, e tristeza de espírito;

66 E tua vida estará em dúvida diante de ti; e temerás dia e noite, e não terás certeza da tua vida;

67 Pela manhã tu dirás: Se Deus fosse justo! e à tardinha dirás: Quem dera fosse de manhã! pelo temor do teu coração, com que temerás, e pela vista dos teus olhos que verás.

68 E o Senhor te fará voltar ao Egito com navios, pelo caminho de que te falei: Nunca mais o verás; e ali sereis vendidos a vossos inimigos como escravos e escravas, e ninguém vos comprará.  


CAPÍTULO 29

Moisés exorta à obediência – Todos são apresentados diante do Senhor para entrar em sua aliança – As coisas secretas pertencem a Deus.

1 Estas são as palavras da aliança que o Senhor ordenou a Moisés que fizesse com os filhos de Israel na terra de Moabe, além da aliança que fez com eles em Horebe.

2 E Moisés chamou a todo o Israel, e disse-lhes: Vós tendes visto tudo o que o Senhor fez diante de vossos olhos na terra do Egito a Faraó, e a todos os seus servos, e a toda a sua terra;

3 As grandes tentações que os teus olhos viram, os sinais e aqueles grandes milagres;

4 Contudo, o Senhor não vos deu até hoje um coração para perceber, nem olhos para ver, nem ouvidos para ouvir.

5 E eu te guiei quarenta anos no deserto; as tuas vestes não envelhecem sobre ti, e os teus sapatos não envelhecem sobre os teus pés.

6 Não comeste pão, nem bebeste vinho nem bebida forte; para que saibais que eu sou o Senhor vosso Deus.

7 E quando viestes a este lugar, Siom, rei de Hesbom, e Ogue, rei de Basã, saíram contra nós para a peleja, e nós os ferirmos;

8 E tomamos a sua terra, e a demos em herança aos rubenitas, e aos gaditas, e à meia tribo de Manassés.

9 Guardai, pois, as palavras desta aliança e cumpri-as, para que prospereis em tudo o que fizerdes.

10 Vós estais hoje todos perante o Senhor vosso Deus; vossos capitães de vossas tribos, vossos anciãos e vossos oficiais, com todos os homens de Israel,

11 Vossos pequeninos, vossas mulheres e o estrangeiro que está no vosso arraial, desde o cortador de lenha até o tirador de água;

12 Para que entres na aliança com o Senhor teu Deus, e no seu juramento, que hoje o Senhor teu Deus faz contigo;

13 para que hoje te confirme por povo para si mesmo, e te seja por Deus, como te disse e como jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque e a Jacó.

14 Nem só contigo faço esta aliança e este juramento;

15 Mas com aquele que está aqui conosco hoje perante o Senhor nosso Deus, e também com aquele que não está aqui conosco neste dia;

16 (Pois vós sabeis como habitamos na terra do Egito, e como passamos pelas nações por onde passastes;

17 E vistes as suas abominações e os seus ídolos, madeira e pedra, prata e ouro, que havia entre eles;)

18 Para que não haja entre vós homem, ou mulher, ou família, ou tribo, cujo coração hoje se desvie do Senhor nosso Deus, para ir servir aos deuses destas nações; para que não haja entre vós uma raiz que dê fel e absinto;

19 E aconteceu que, ouvindo ele as palavras desta maldição, benzeu-se em seu coração, dizendo: Terei paz, ainda que ande na imaginação do meu coração, para acrescentar a embriaguez à sede;

20 O Senhor não o poupará, mas então a ira do Senhor e o seu ciúme fumegarão contra aquele homem, e todas as maldições que estão escritas neste livro cairão sobre ele, e o Senhor apagará o seu nome de debaixo do céu .

21 E o Senhor o separará para o mal de todas as tribos de Israel, conforme todas as maldições da aliança que estão escritas neste livro da lei;

22 Para que a geração vindoura de teus filhos, que se levantar depois de ti, e o estrangeiro que vier de uma terra distante, dirá, quando virem as pragas daquela terra e as doenças que o Senhor lhe derramou ;

23 E que toda a sua terra é enxofre, e sal, e queima, que não é semeada, nem produz, nem qualquer erva cresce nela, como a derrubada de Sodoma e Gomorra, Admá e Zeboim, que o Senhor derrubou em sua ira , e em sua ira;

24 Até todas as nações dirão: Por que o Senhor fez assim com esta terra? o que significa o calor desta grande ira?

25 Então os homens dirão: Porquanto deixaram a aliança do Senhor Deus de seus pais, que fez com eles, quando os tirou da terra do Egito;

26 Pois eles foram e serviram a outros deuses, e os adoraram, deuses que eles não conheciam, e que ele não lhes havia dado;

27 E a ira do Senhor se acendeu contra esta terra, para trazer sobre ela todas as maldições que estão escritas neste livro;

28 E o Senhor os arrancou da sua terra com ira, e com ira, e com grande indignação, e os lançou em outra terra, como é hoje.

29 As coisas encobertas pertencem ao Senhor nosso Deus; mas as coisas reveladas pertencem a nós e a nossos filhos para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.  


CAPÍTULO 30

Misericórdias prometidas ao arrependido – O mandamento manifesto – Morte e vida diante deles.

1 E acontecerá que, quando todas estas coisas vierem sobre ti, a bênção e a maldição que pus diante de ti, e as farás lembrar-te de todas as nações para onde o Senhor teu Deus tem lançado te,

2 E voltarás para o Senhor teu Deus, e obedecerás à sua voz, conforme tudo o que eu te ordeno hoje, tu e teus filhos, de todo o teu coração e de toda a tua alma;

3 Que então o Senhor teu Deus converterá o teu cativeiro, e se compadecerá de ti, e voltará e te reunirá de todas as nações para onde o Senhor teu Deus te espalhou.

4 Se algum dos teus for expulso para os confins do céu, de lá o Senhor teu Deus te ajuntará, e dali te trará;

5 E o Senhor teu Deus te introduzirá na terra que teus pais possuíram, e a possuirás; e ele te fará bem, e te multiplicará acima de teus pais.

6 E o Senhor teu Deus circuncidará o teu coração e o coração da tua descendência, para amares o Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma, para que vivas.

7 E o Senhor teu Deus porá todas estas maldições sobre os teus inimigos e sobre os que te odeiam, que te perseguiram.

8 E tu voltarás e obedecerás à voz do Senhor, e cumprirás todos os seus mandamentos que eu te ordeno hoje.

9 E o Senhor teu Deus te dará abundância em toda obra das tuas mãos, no fruto do teu ventre, e no fruto do teu gado, e no fruto da tua terra, para o bem; porque o Senhor se regozijará novamente em ti para o bem, como se alegrou em teus pais;

10 Se deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, para guardares os seus mandamentos e os seus estatutos que estão escritos neste livro da lei, e se te converteres ao Senhor teu Deus de todo o teu coração e de toda a tua alma .

11 Pois este mandamento que hoje te ordeno não te está oculto, nem está longe.

12 Não está nos céus, para que digas: Quem subirá por nós ao céu e no-lo trará, para que o ouçamos e o façamos?

13 Nem está além do mar, para que digas: Quem passará por nós além do mar e no-lo trará, para que o ouçamos e o façamos?

14 Mas a palavra está muito perto de ti, na tua boca e no teu coração, para que a cumpras.

15 Eis que hoje ponho diante de ti a vida e o bem, e a morte e o mal;

16 Em que hoje te ordeno que ames o Senhor teu Deus, andes nos seus caminhos, e guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, para que vivas e te multipliques; e o Senhor teu Deus te abençoará na terra a que vais a possuir.

17 Mas se o teu coração se desviar, para não ouvires, mas fores atraído, e adorares outros deuses, e os servires;

18 Eu vos declaro hoje que certamente perecereis, e que não prolongareis os vossos dias sobre a terra, por onde passastes o Jordão para ir possuí-la.

19 Chamo os céus e a terra para registrarem contra vós este dia, que pus diante de vós a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas tanto tu como a tua descendência;

20 Para que ames o Senhor teu Deus, e obedeças à sua voz, e a ele te apegues; porque ele é a tua vida e a duração dos teus dias; para que habites na terra que o Senhor jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque e a Jacó, que lhes daria.  


CAPÍTULO 31

Moisés encoraja Josué e o povo – Seu encargo a Josué – Moisés entrega o livro da lei aos levitas para guardar – Ele faz um protesto aos anciãos.

1 E Moisés foi e falou estas palavras a todo o Israel.

2 E disse-lhes: Tenho hoje cento e vinte anos; Não posso mais sair e entrar; também o Senhor me disse: Não passarás este Jordão.

3 O Senhor teu Deus passará adiante de ti, e destruirá estas nações de diante de ti, e tu as possuirás; e Josué, ele passará adiante de ti, como o Senhor disse.

4 E o Senhor fará com eles como fez com Seom e com Ogue, reis dos amorreus, e com a terra deles, a quem ele destruiu.

5 E o Senhor os entregará diante de vós, para que lhes cumprais todos os mandamentos que vos ordenei.

6 Esforça-te e tem bom ânimo, não temas, nem tenhas medo deles; porque o Senhor teu Deus é aquele que vai contigo; ele não te deixará, nem te desamparará.

7 E Moisés chamou a Josué, e disse-lhe diante de todo o Israel: Esforça-te e tem bom ânimo; porque tu deves ir com este povo para a terra que o Senhor jurou a seus pais dar-lhes; e tu os farás herdá-la.

8 E o Senhor é aquele que vai adiante de ti; ele será contigo, não te deixará, nem te desamparará; não temas, nem te espantes.

9 E Moisés escreveu esta lei, e a entregou aos sacerdotes, filhos de Levi, que traziam a arca da aliança do Senhor, e a todos os anciãos de Israel.

10 E Moisés lhes ordenou, dizendo: Ao fim de cada sete anos, na solenidade do ano da remissão, na festa dos tabernáculos,

11 Quando todo o Israel vier a comparecer perante o Senhor teu Deus, no lugar que ele escolher, lerás esta lei perante todo o Israel, aos seus ouvidos.

12 Ajunta o povo, homens e mulheres, e crianças, e o teu estrangeiro que está dentro das tuas portas, para que ouçam, e aprendam, e temam ao Senhor teu Deus, e cuidem de cumprir todas as palavras deste lei;

13 E para que seus filhos, que nada sabem, ouçam e aprendam a temer ao Senhor vosso Deus, enquanto viverdes na terra para a qual passardes o Jordão para possuí-la.

14 E o Senhor disse a Moisés: Eis que se aproximam teus dias em que hás de morrer; chama a Josué, e apresenta-te na tenda da congregação, para que eu lhe dê ordens. E foram Moisés e Josué, e apresentaram-se na tenda da congregação.

15 E o Senhor apareceu no tabernáculo numa coluna de nuvem; e a coluna de nuvem estava sobre a porta do tabernáculo.

16 E o Senhor disse a Moisés: Eis que dormirás com teus pais; e este povo se levantará e se prostituirá após os deuses dos estrangeiros da terra, para onde vão para estar no meio deles, e me abandonará e quebrará a minha aliança que fiz com eles.

17 Então a minha ira se acenderá contra eles naquele dia, e eu os deixarei, e deles esconderei o meu rosto, e eles serão devorados, e muitos males e angústias lhes sobrevirão; para que digam naquele dia: Não vêm sobre nós estes males, porque o nosso Deus não está entre nós?

18 E certamente esconderei meu rosto naquele dia por todos os males que eles tiverem feito, ao se voltarem para outros deuses.

19 Agora, pois, escrevei este cântico para vós, e ensinai-o aos filhos de Israel; ponha-o na boca, para que este cântico seja por mim um testemunho contra os filhos de Israel.

20 Porque quando eu os tiver introduzido na terra que com juramento prometi a seus pais, que mana leite e mel; e eles comerão e se fartarão, e engordarão; então eles se voltarão para outros deuses, e os servirão, e me provocarão, e quebrarão minha aliança.

21 E acontecerá que, quando muitos males e angústias lhes sobrevierem, este cântico testificará contra eles como testemunha; porque não será esquecido da boca de sua semente; pois eu conheço a imaginação que eles fazem, mesmo agora, antes que eu os trouxe para a terra que jurei.

22 Moisés, pois, escreveu este cântico no mesmo dia, e o ensinou aos filhos de Israel.

23 E deu ordem a Josué, filho de Num, e disse: Esforça-te e tem bom ânimo; porque farás entrar os filhos de Israel na terra que lhes prometi com juramento; e eu estarei contigo.

24 E aconteceu que, quando Moisés acabou de escrever as palavras desta lei em um livro, até que estivessem terminadas,

25 Que Moisés ordenou aos levitas, que levavam a arca da aliança do Senhor, dizendo:

26 Toma este livro da lei, e põe-no ao lado da arca da aliança do Senhor teu Deus, para que ali esteja por testemunha contra ti.

27 Pois conheço a tua rebelião e a tua dura cerviz; eis que ainda hoje vivo convosco, fostes rebeldes contra o Senhor; e quanto mais depois da minha morte?

28 Reúnam-me todos os anciãos das vossas tribos e os vossos oficiais, para que eu lhes fale estas palavras aos ouvidos, e chame o céu e a terra para testemunhar contra eles.

29 Porque eu sei que depois da minha morte vos corrompereis totalmente e vos desviareis do caminho que vos ordenei; e o mal te acontecerá nos últimos dias; porque fareis o que é mau aos olhos do Senhor, para o provocares à ira pela obra das vossas mãos.

30 E Moisés falou aos ouvidos de toda a congregação de Israel as palavras deste cântico, até que se acabaram.  


CAPÍTULO 32

A canção de Moisés – Deus o envia ao monte Nebo, para ver a terra e morrer.

1 Ouvi, ó céus, e falarei; e ouve, ó terra, as palavras da minha boca.

2 A minha doutrina cairá como a chuva, a minha palavra destilará como o orvalho, como a chuva miúda sobre a erva tenra, e como as chuvas sobre a erva;

3 Porque publicarei o nome do Senhor; atribua grandeza ao nosso Deus.

4 Ele é a Rocha, sua obra é perfeita; pois todos os seus caminhos são juízo; um Deus de verdade e sem iniqüidade, justo e reto é ele.

5 Eles se corromperam, sua mancha não é a mancha de seus filhos; são uma geração perversa e corrupta.

6 Assim retribuis ao Senhor, ó povo insensato e insensato? não é teu pai que te comprou? Ele não te fez e te estabeleceu?

7 Lembrai-vos dos dias da antiguidade, considerai os anos de muitas gerações; pergunta a teu pai, e ele te mostrará; teus anciãos, e eles te dirão.

8 Quando o Altíssimo repartiu entre as nações a sua herança, quando separou os filhos de Adão, estabeleceu os limites do povo segundo o número dos filhos de Israel.

9 Pois a porção do Senhor é o seu povo; Jacó é o lote de sua herança.

10 Ele o encontrou em uma terra deserta e no deserto uivante; ele o guiou, ele o instruiu, ele o manteve como a menina de seus olhos.

11 Como a águia agita o seu ninho, esvoaça sobre os seus filhotes, estende as suas asas, toma-os e leva-os nas suas asas;

12 Assim somente o Senhor o guiou, e não havia nenhum deus estranho com ele.

13 Ele o fez cavalgar sobre os altos da terra, para que comesse os frutos dos campos; e o fez chupar mel da rocha e azeite da dura pederneira;

14 Manteiga de vacas, e leite de ovelhas, com gordura de cordeiros, e carneiros da raça de Basã, e cabras, com a gordura dos rins de trigo; e bebeste o sangue puro da uva.

15 Mas Jesurum engordou e deu coices; tu te engordaste, te engrossaste, te cobriste de gordura; então ele abandonou a Deus que o fez, e desprezou a Rocha de sua salvação.

16 Eles o provocaram ao ciúme com deuses estranhos, com abominações o provocaram à ira.

17 Sacrificaram aos demônios, não a Deus; a deuses que eles não conheciam, a novos deuses que surgiram recentemente, a quem vossos pais não temeram.

18 Da Rocha que te gerou és negligente, e te esqueceste de Deus que te formou.

19 E quando o Senhor viu isso, ele os abominou, por causa da provocação de seus filhos e de suas filhas.

20 E disse: Esconderei deles o meu rosto, verei qual será o seu fim; pois eles são uma geração muito avançada, filhos em quem não há fé.

21 Incitaram-me a ter ciúmes daquilo que não é Deus; eles me provocaram à ira com suas vaidades; e os incitarei ao ciúme com aqueles que não são um povo; Vou provocá-los à ira com uma nação insensata.

22 Porque um fogo se acendeu na minha ira, e arderá até o mais profundo dos infernos, e consumirá a terra com o seu fruto, e incendiará os fundamentos dos montes.

23 amontoarei mal sobre eles; Vou gastar minhas flechas sobre eles.

24 Eles serão queimados com fome, e devorados com calor ardente, e com amarga destruição; Também enviarei sobre eles dentes de feras, com veneno de serpentes do pó.

25 A espada por fora e o terror por dentro destruirão tanto o jovem como a virgem, e também o lactente com o grisalho.

26 Eu disse que os espalharia pelos cantos, faria cessar a lembrança deles dentre os homens;

27 Se eu não temesse a ira do inimigo, para que seus adversários não se comportassem de maneira estranha, e para que não dissessem: Nossa mão está alta, e o Senhor não fez tudo isso.

28 Porque são uma nação sem conselho, e neles não há entendimento.

29 Oh, que eles fossem sábios, que eles entendessem isso, que eles considerassem seu último fim!

30 Como poderia um perseguir mil, e dois colocar dez mil em fuga, se a sua Rocha não os tivesse vendido, e o Senhor os tivesse encerrado?

31 Pois a rocha deles não é como a nossa Rocha, até mesmo nossos inimigos sendo juízes.

32 Porque a sua vinha é da vinha de Sodoma e dos campos de Gomorra; suas uvas são uvas de fel, seus cachos são amargos;

33 Seu vinho é veneno de dragão e veneno cruel de víbora.

34 Não está isto guardado comigo e selado entre os meus tesouros?

35 A mim pertence a vingança e a recompensa; seu pé deslizará no devido tempo; porque o dia da sua calamidade está próximo, e as coisas que lhes sobrevirão se apressam.

36 Porque o Senhor julgará o seu povo, e se arrependerá por seus servos, quando vir que o poder deles se foi, e não há ninguém calado ou deixado.

37 E dirá: Onde estão os seus deuses, a sua rocha em quem confiavam,

38 Quem comeu a gordura dos seus sacrifícios e bebeu o vinho das suas libações? deixe-os se levantar e ajudá-lo, e ser sua proteção.

39 Veja agora que eu, eu mesmo, sou ele, e não há deus comigo; eu mato e faço viver; Eu feri e curo; nem há quem possa livrar da minha mão.

40 Pois levanto a mão para o céu e digo: Vivo para sempre.

41 Se eu afiar a minha espada reluzente, e a minha mão se apoderar do juízo; Retribuirei vingança aos meus inimigos e recompensarei os que me odeiam.

42 Embriagarei de sangue as minhas flechas, e a minha espada devorará carne; e isso com o sangue dos mortos e dos cativos, desde o início das vinganças sobre o inimigo.

43 Alegrai-vos, ó nações, com o seu povo; porque ele vingará o sangue dos seus servos, e fará vingança aos seus adversários, e será misericordioso com a sua terra e com o seu povo.

44 E Moisés veio e falou todas as palavras deste cântico aos ouvidos do povo, ele e Oséias, filho de Num.

45 E Moisés acabou de falar todas estas palavras a todo o Israel;

46 E disse-lhes: Fixai vosso coração em todas as palavras que hoje testifico entre vós, que ordenareis a vossos filhos que observem, todas as palavras desta lei.

47 Pois não é coisa vã para vocês; porque é a sua vida; e por esta coisa prolongareis os vossos dias na terra, a qual passareis o Jordão para a possuir.

48 E o Senhor falou a Moisés naquele mesmo dia, dizendo:

49 Sobe a este monte Abarim, ao monte Nebo, que está na terra de Moab, que está defronte de Jericó; e eis a terra de Canaã, que dou aos filhos de Israel em possessão;

50 E morre no monte para onde sobes, e és ajuntado ao teu povo; como Arão teu irmão morreu no monte Hor, e foi reunido ao seu povo;

51 Porquanto transgredistes contra mim no meio dos filhos de Israel, junto às águas de Meribá-Cades, no deserto de Zim; porque não me santificastes no meio dos filhos de Israel.

52 Contudo verás a terra diante de ti; mas não irás para lá, para a terra que dou aos filhos de Israel.  


CAPÍTULO 33

A majestade de Deus – As bênçãos das tribos.

1 E esta é a bênção, onde com Moisés o homem de Deus abençoou os filhos de Israel antes de sua morte.

2 E ele disse: O Senhor veio do Sinai, e subiu de Seir até eles; ele brilhou do monte Paran, e ele veio com dez milhares de santos; da sua mão direita saiu para eles uma lei de fogo.

3 Sim, ele amava o povo; todos os seus santos estão em tua mão; e sentaram-se aos teus pés; cada um receberá das tuas palavras.

4 Moisés nos ordenou uma lei, sim, a herança da congregação de Jacó.

5 E ele era rei em Jesurum, quando os chefes do povo e as tribos de Israel estavam reunidos.

6 Viva Rúben, e não morra; e não sejam poucos os seus homens.

7 E esta é a bênção de Judá; e disse: Ouve, Senhor, a voz de Judá, e traze-o ao seu povo; que suas mãos lhe sejam suficientes; e sê-lhe uma ajuda dos seus inimigos.

8 E de Levi disse: Seja o teu Tumim e o teu Urim com o teu santo, que provaste em Massá, e com quem contendeste nas águas de Meribá;

9 Que disse a seu pai e a sua mãe: Não o vi; nem reconheceu seus irmãos, nem conheceu seus próprios filhos; porque observaram a tua palavra e guardaram a tua aliança.

10 Ensinarão a Jacó os teus juízos, e a Israel a tua lei; diante de ti porão incenso e holocausto sobre o teu altar.

11 Abençoa, Senhor, os seus bens, e aceita a obra das suas mãos; ferir nos lombos dos que se levantam contra ele, e dos que o odeiam, para que não se levantem novamente.

12 E de Benjamim disse: O amado do Senhor habitará seguro com ele; e o Senhor o cobrirá todo o dia, e ele habitará entre os seus ombros.

13 E de José disse: Bendita do Senhor seja a sua terra, pelas coisas preciosas do céu, pelo orvalho e pelas profundezas que se encontram embaixo,

14 E pelos preciosos frutos produzidos pelo sol, e pelas coisas preciosas produzidas pela lua,

15 E para as coisas principais do monte antigo, e para as coisas preciosas das colinas duradouras,

16 E pelas coisas preciosas da terra e sua plenitude, e pela boa vontade daquele que habitava na sarça; caia a bênção sobre a cabeça de José e sobre a cabeça daquele que foi separado de seus irmãos.

17 A sua glória é como o primogênito do seu novilho, e os seus chifres são como os chifres dos unicórnios; com eles ele empurrará o povo até os confins da terra; e são os dez milhares de Efraim, e são os milhares de Manassés.

18 E de Zebulom disse: Alegra-te, Zebulom, na tua saída; e, Issacar, em tuas tendas.

19 Chamarão o povo ao monte; ali oferecerão sacrifícios de justiça; porque sugarão da abundância dos mares e dos tesouros escondidos na areia.

20 E de Gad disse: Bem-aventurado aquele que amplia Gad; ele habita como um leão, e rasga o braço com a coroa da cabeça.

21 E ele providenciou a primeira parte para si, porque ali, em uma porção do legislador, ele estava sentado; e ele veio com os cabeças do povo, ele executou a justiça do Senhor, e seus julgamentos com Israel.

22 E de Dan ele disse: Dan é um filhote de leão; ele saltará de Basã.

23 E de Naftali ele disse: Ó Naftali, satisfeito com o favor, e cheio da bênção do Senhor, possui tu o oeste e o sul.

24 E de Aser disse: Seja Aser abençoado com filhos; seja agradável a seus irmãos, e mergulhe o pé no azeite.

25 Os teus sapatos serão de ferro e bronze; e como os teus dias, assim será a tua força.

26 Ninguém há como o Deus de Jesurum, que cavalga sobre o céu em teu auxílio, e em sua excelência sobre o céu.

27 O Deus eterno é o teu refúgio, e por baixo estão os braços eternos; e ele expulsará o inimigo de diante de ti; e dirá: Destrua-os.

28 Israel então habitará em segurança sozinho; a fonte de Jacó estará sobre uma terra de trigo e vinho; também os seus céus despejarão orvalho.

29 Feliz és tu, ó Israel; quem é semelhante a ti, ó povo salvo pelo Senhor, o escudo da tua ajuda, e quem é a espada da tua excelência? e os teus inimigos te serão achados mentirosos; e pisarás os seus altos.  


CAPÍTULO 34

Moisés vê a terra – ele morre – sua idade – lamentando por ele – Josué o sucede.

1 E subiu Moisés das campinas de Moab ao monte de Nebo, ao cume de Pisga, que está defronte de Jericó; e o Senhor mostrou-lhe toda a terra de Gileade, até Dã,

2 E todo Naftali, e a terra de Efraim, e Manassés, e toda a terra de Judá, até o mar extremo,

3 E o sul, e a planície do vale de Jericó, a cidade das palmeiras, até Zoar.

4 E o Senhor lhe disse: Esta é a terra que jurei a Abraão, a Isaque e a Jacó, dizendo: À tua descendência a darei; Eu te fiz ver com os teus olhos, mas tu não irás para lá.

5 Assim morreu Moisés, servo do Senhor, ali na terra de Moabe, conforme a palavra do Senhor.

6 Porque o Senhor o levou a seus pais, num vale na terra de Moab, defronte de Bete-Peor; portanto, ninguém sabe do seu sepulcro até hoje.

7 E Moisés tinha cento e vinte anos quando morreu; seu olho não estava turvo, nem sua força natural diminuiu.

8 E os filhos de Israel choraram por Moisés nas campinas de Moab trinta dias; assim terminaram os dias de choro e luto por Moisés.

9 E Josué, filho de Num, estava cheio do espírito de sabedoria; pois Moisés havia imposto as mãos sobre ele; e os filhos de Israel lhe deram ouvidos e fizeram como o Senhor ordenara a Moisés.

10 E não se levantou profeta em Israel como Moisés, a quem o Senhor conheceu face a face,

11 Em todos os sinais e maravilhas que o Senhor o enviou para fazer na terra do Egito, a Faraó, e a todos os seus servos, e a toda a sua terra,

12 E em toda aquela mão poderosa, e em todo o grande terror que Moisés mostrou à vista de todo o Israel.

Biblioteca das Escrituras:

Dica de pesquisa

Digite uma única palavra ou use aspas para pesquisar uma frase inteira (por exemplo, "porque Deus amou o mundo de tal maneira").

scripture

Para recursos adicionais, visite nosso Recursos para membros página.